Notícias

Banca de DEFESA: MARIA DO AMPARO LOPES RIBEIRO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MARIA DO AMPARO LOPES RIBEIRO
DATA: 26/05/2014
HORA: 10:00
LOCAL: CCHL
TÍTULO:

ÔH, QUE CAMINHO TÃO LONGE, QUASE QUE EU NÃO VINHA!: análise do trinômio doença-relisiosidade-saúde na Umbanda de Teresina-Piauí, no trabalho de cura com Caboclos


PALAVRAS-CHAVES:

Religiosidade. Umbanda. Cura. Representações. Processo Saúde-Doença


PÁGINAS: 144
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Antropologia
RESUMO:

A Umbanda configura-se como um sistema de crenças que reúne elementos do catolicismo, kardecismo e das tradições brasileiras afro-ameríndias e de religiões de matriz africana, demonstrando seu potencial no âmbito da diversidade religiosa e dos diversos diálogos que o imaginário que compõe a sua cosmovisão, possibilita a quem a procura e para seus adeptos, numa interseção entre o sincretismo e hibridização de suas práticas. Com isso, a condição plural dos terreiros os leva a se apresentarem como espaços de socialização entre vários universos de manifestação do que seus integrantes aceitam como o contato com o sagrado e sua espiritualidade, assim como é possível observar durante seus rituais de cura (no caso dessa pesquisa, os trabalhos de cura com Caboclos), o que para seus adeptos se configura como práticas terapêutico religiosas para o restabelecimento da saúde tanto dos próprios filhos(as) de santo como dos indivíduos que procuram tais espaços. Do que observamos, tais práticas são consideradas em termos do acolhimento e assistência prestados a quem procura essa religião, demonstrando com isso seu grande potencial de complementariedade com os tratamentos e/ou diagnósticos iniciados no sistema de saúde oficial, além de também atenderem as diretrizes de políticas públicas de saúde que possam ser trabalhadas nos espaços e público dos terreiros. Para tanto, o objetivo desta pesquisa foi o de analisar as construções narrativas presentes nos trabalhos de cura com Caboclos da Umbanda teresinense, procurando pensar sobre o trinômio doença-religiosidade-saúde nesta religião, considerando sua cosmologia e as práticas dos atores envolvidos em termos do que os discursos e narrativas que permeiam essa religiosidade possam construir, acerca dos sentidos sobre o adoecer e o restabelecimento do equilíbrio da saúde dos atores envolvidos. Para isso, o estudo se deu, inicialmente, por meio de pesquisa de caráter etnográfico, observação participante e entrevistas semi-estruturadas, com os adeptos e com um guia espiritual, dirigente de um trabalho de cura, em um dos 02 (dois) terreiros da zona norte de Teresina, pesquisados. Espera-se analisar as representações advindas das práticas terapêuticas religiosas nos terreiros umbandistas, aplicadas às experiências e vivências no trato com o sagrado e com o espiritual.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - ESTÉLIO GOMBERG - UESC-BA
Interno - 1167589 - FRANCISCO DE OLIVEIRA BARROS JUNIOR
Presidente - 1725527 - ROBSON ROGERIO CRUZ
Externo ao Programa - 423559 - SOLIMAR OLIVEIRA LIMA
Notícia cadastrada em: 15/05/2014 18:21
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 30/11/2022 15:23