Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: VALDENISE CARVALHO DE SOUZA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: VALDENISE CARVALHO DE SOUZA
DATA: 22/10/2015
HORA: 08:30
LOCAL: Sala de Reuniões - Campus Ministro Reis Velloso
TÍTULO:

Análise dos riscos dos polimorfismos Pro12Ala do gene PPARγ e C677T do gene MTHFR com o diabetes mellitus tipo 2 em uma amostra de indivíduos do estado do Piauí


PALAVRAS-CHAVES:

Resistência à insulina. Células beta do pâncreas. Gliconeogênese. Células secretoras de insulina. Genes candidatos


PÁGINAS: 35
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Medicina
RESUMO:

Diabetes mellitus do tipo 2 (DM2) é caracterizado pela resistência à insulina, disfunção de células beta do pâncreas e gliconeogênese hepática reforçada. Nos últimos anos os cientistas tem se dedicado a encontrar os genes com susceptibilidade a diabetes, e graças a esses esforços foi possível a identificação de vários genes candidatos ao DM2. Diversos estudos demonstram a associação entre o polimorfismo Pro12Ala do gene PPARy e a resistência a insulina, e vários trabalhos apontam a associação polimorfismo C677T do gene MTHFR com efeitos prejudiciais sobre linhagens de células secretoras de insulina, levando a diminuição de secreção de insulina e da capacidade de resposta a morte celular e complicações em pacientes diabéticos. O objetivo deste estudo é determinar os perfis genotípicos dos polimorfismos C677T do gene MTHFR e Pro12Ala do gene PPARy em diabéticos e controles. Estão sendo estudadas amostras de DNA de leucócitos de sangue periférico de, no mínimo, 200 indivíduos diagnosticados com DM2, atendidos nos Programas de Saúde da Família (PSF) de Parnaíba, Piauí e indivíduos controle, pareados por sexo e idade. As amostras de sangue periférico são submetidas à extração do DNA e para a análise do polimorfismo de interesse utiliza-se a técnica de reação em cadeia da polimerase, seguida por tratamento com endonucleases de restrição (PCR-RFLP). Foram inseridos no estudo, até o momento, 418 indivíduos, divididos em 213 diabéticos (154 do sexo feminino e 59 do sexo masculino) e 205 controles (56 do sexo masculino e 149 do sexo feminino), com média de idade igual a 63 anos. A amplificação da região de interesse dos polimorfismos Pro12Ala do gene PPARγ e C677T do gene MTHFR das amostras de diabéticos e controles encontra-se em andamento. Quanto às variáveis bioquímicas entre diabéticos e controles, foram observadas diferenças nos níveis de glicose em jejum e hemoglobina glicada (Hb1Ac). Para a glicose, a média no grupo diabéticos foi de 179,08mg/dL e para os controles foi de 91,76mg/dL. Para Hb1Ac, a média dos diabéticos foi de 8,28% e dos controles, 4,43%. Para o perfil lipídico, os diabéticos apresentaram médias de colesterol total = 229,33mg/dL; HDL-colesterol = 51,24mg/dL; LDL-colesterol = 133,88mg/dL; VLDL-colesterol = 50,15mg/dL e triglicérides = 237,07mg/dL. Já os controles apresentaram médias de colesterol total = 205,04; HDL-colesterol = 53,70mg/dL; LDL-colesterol = 120,98mg/dL; VLDL-colesterol = 32,89mg/dL e triglicérides = 168,43mg/dL. Considerando que todos os protocolos experimentais já foram padronizados, novas coletas ainda estão sendo realizadas, a fim de se obter o maior número amostral possível. No entanto, pretende-se finalizar a inclusão de novos diabéticos e controles ao estudo, até o final de novembro deste ano para que seja dado início às análises estatísticas e posterior confecção do artigo científico


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1900252 - BALDOMERO ANTONIO KATO DA SILVA
Presidente - 1551972 - FRANCE KEIKO NASCIMENTO YOSHIOKA
Interno - 1551921 - GIOVANNY REBOUCAS PINTO
Notícia cadastrada em: 08/10/2015 11:52
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb04.ufpi.br.instancia1 30/11/2022 07:23