Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: RAYNARA VERAS FARIAS

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: RAYNARA VERAS FARIAS
DATA: 26/07/2016
HORA: 14:30
LOCAL: Sala de aula da pós-graduação, UFPI, Campus Ministro Reis Velloso
TÍTULO:

AVALIAÇÃO DO EQUILÍBRIO ESTÁTICO APÓS INDUÇÃO DE FADIGA MUSCULAR EM MEMBROS INFERIORES


PALAVRAS-CHAVES:

Equilíbrio postural, fadiga muscular, recuperação de função fisiológica


PÁGINAS: 54
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Medicina
RESUMO:

A fadiga muscular pode ser definida pela incapacidade na geração e manutenção de um nível de força, interferindo negativamente na capacidade de sistema nervoso central de integrar as vias aferentes e eferentes, resultando em diminuição do controle postural estático e dinâmico. O objetivo do estudo foi examinar os efeitos da fadiga muscular induzida em membros inferiores sobre o equilíbrio estático, o tempo de recuperação e sua relação com o estímulo visual. A amostra foi composta por 39 voluntários de 18 a 25 anos do sexo masculino. A pesquisa foi desenvolvida no Laboratório de Estudos de Sinais Biológicos da Universidade Federal do Piauí – UFPI, Parnaíba, Piauí. O protocolo de indução à fadiga em MMII consistiu em um protocolo incremental por meio da configuração manual de 8 níveis de resistência ao exercício em um cicloergômetro (RT 220, Movement, SP-Brasil), em um velocidade de 60 rpm. Cada nível de resistência teve duração de 4 minutos. O teste foi interrompido pelos voluntários por meio do relato de fadiga subjetiva, mensurado através da escala de Borg e sendo definida como a incapacidade de manter o esforço proposto pela atividade ou atingisse a frequência cardíaca máxima prevista para a idade (220 - idade). O equilíbrio estático foi avaliado por meio de uma plataforma de força nos seguintes momentos: inicial, imediatamente após e aos 10 e 20 minutos após a interrupção do protocolo de indução à fadiga em MMII, em postura bipodal e unipodal, na presença ou ausência de estimulo visual. Os resultados deste estudo apontam que a fadiga muscular foi capaz de alterar parâmetros estabilométricos, indicando maior oscilação do COP e consequentemente resultando em menor eficácia de ajustes posturais para a manutenção do equilíbrio estático, deixando os indivíduos expostos a estes eventos a uma maior susceptibilidade a redução do desempenho esportivo, lesões musculoesqueléticas e quedas.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1900252 - BALDOMERO ANTONIO KATO DA SILVA
Externo ao Programa - 1642909 - FUAD AHMAD HAZIME
Externo ao Programa - 1774210 - VINICIUS SAURA CARDOSO
Notícia cadastrada em: 17/07/2016 16:44
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 30/11/2022 06:47