Notícias

Banca de DEFESA: NAYONARA LANARA SOUSA DUTRA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: NAYONARA LANARA SOUSA DUTRA
DATA: 24/03/2017
HORA: 08:00
LOCAL: Sala de Reuniões do Campus Ministro Reis Velloso
TÍTULO: EFEITO ANTI-INFLAMATÓRIO DA FRAÇÃO POLISSACARÍDICA SULFATADA EXTRAÍDA DA ALGA MARINHA VERMELHA, Gracilaria Caudata DURANTE A COLITE EXPERIMENTAL INDUZIDA POR ÁCIDO ACÉTICO
PALAVRAS-CHAVES: Doença Inflamatória Intestinal, Colite Ulcerativa, Polissacarídeo, Glacilaria Caudata
PÁGINAS: 80
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Medicina
RESUMO:

As algas marinhas são consideradas uma fonte de moléculas bioativas. Dentre essas moléculas estão os polissacarídeos sulfatados, amplamente utilizados na indústria farmacêutica e bastante estudados devido às suas propriedades bioquímicas específicas. O Polissacarídeo da alga Glacilaria Caudata possui alguns efeitos farmacológicos comprovados, dentre os quais se destaca sua ação anti-inflamatória. O presente trabalho tem como objetivo avaliar a ação anti-inflamatória do polissacarídeo sulfatado da Glacilaria Caudata sobre os efeitos deletérios da colite induzida pelo ácido acético em camundongos. O polissacarídeo utilizado neste estudo foi caracterizado por Barros, et. al., 2013, usando técnicas de microanálise elementar, espectroscopia infravermelha, espectroscopia de ressonância magnética nuclear (RMN). Para os estudos farmacológicos foram usados camungongos Swiss pesando entre 25-30 g, sendo divididos em grupos de 5-7 animais. Em seguida, a colite foi induzida nos animais usando o ácido acético a 6 % após 16 horas de jejum. Após a indução da colite os animais foram tratados com o PLS nas doses de (1, 3, 10 mg/kg, i.p.) e estabelecida a dose com a melhor resposta anti-inflamatória para ser utilizada nos experimentos subsequentes. Os tratamentos com o polissacarídeo sulfatado ou dexametasona (2 mg/kg, s.c.) foram feitos 17horas e 30 minutos após a indução da colite. Os animais foram eutanasiados após 18h da indução da colite, abertas suas cavidades abdominais e retirado uma porção de 5 cm do cólon de cada animal, então foram avaliados os parâmetros macroscópicos, peso úmido e depois disso, fragmentos da mesma peça foram processados, preparados em lâminas histológicas e corados com hematoxilina e eosina para avaliação de escores microscópicos da lesão. Em seguida o tecido foi dividido e estocado em amostras para se realizar posteriormente os seguintes ensaios: dosagens de mieloperoxidase (MPO), interleucina 1 beta, glutationa (GSH), ácido malondialdeido (MDA). Os dados paramétricos foram analisados pelo teste de Newman-Keuls e para a análise dos escores microscópicos foi utilizado o teste de Kruskal-Wallis seguido pelo teste de Dunn. Com base nos resultados verificou-se que os animais tratados com este polissacarídeo na dose de 10 mg/kg demonstrou redução satisfatória da lesão intestinal, bem como uma diminuição do peso úmido quando comparado com o grupo do AA.  O polissacarídeo estudado, mostrou uma redução significativa dos testes bioquímicos avaliados, como os marcadores de migração de leucócitos (mieloperoxidase), citocina pró-inflamatória (IL-1β) e marcadores de estresse oxidativo in vivo (ácido malonildialdeído e glutationa). O polissacarídeo da alga marinha Glacilária caudata apresentou ação antinflamatória e reduziu o estresse oxidativo durante a colite induzida por AA em camundongos, podendo este representar uma alternativa terapêutica promissora para pacientes com colite ulcerativa.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1690196 - ANDRE LUIZ DOS REIS BARBOSA
Interno - 1900252 - BALDOMERO ANTONIO KATO DA SILVA
Externo ao Programa - 1734768 - CLAUDIO ANGELO VENTURA
Notícia cadastrada em: 13/03/2017 16:53
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 30/11/2022 06:29