Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: JULIANNA LIMA QUEIROZ

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JULIANNA LIMA QUEIROZ
DATA: 27/11/2017
HORA: 08:00
LOCAL: Sala de Reuniões do Campus Ministro Reis Velloso, Parnaíba
TÍTULO: PREVALÊNCIA DO POLIMORFISMO -1082 G/A (rs1800896) NO GENE IL-10, EM UMA POPULAÇÃO COM DENGUE DO NORTE DO ESTADO DO PIAUÍ
PALAVRAS-CHAVES: Dengue, Hospedeiro, Polimorfismos, Dengue virus
PÁGINAS: 65
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Medicina
RESUMO:

Arboviroses são doenças transmitidas através de vetores artrópodes, abrangem um grande número de vírus que causam doenças em humanos e animais. A dengue é considerada a arbovirose mais frequente dentre as que acometem o ser humano, sendo endêmica em países tropicais e subtropicais. A doença é causada pelo Dengue virus (DENV), vírus de genoma de RNA que pertence à família Flaviviridae e ao gênero Flavivirus, apresentando a fêmea do mosquito Aedes aegypti como principal vetor de transmissão. O DENV é classificado em quatro sorotipos com propriedades antigênicas distintas: DENV-1 a -4. A variedade de fatores relacionados ao vírus, ao ambiente e ao hospedeiro reflete na diversidade das manifestações clínicas da dengue. Dentre os vários fatores relacionados com proteção, susceptibilidade e/ou risco de progressão para formas clínicas mais graves da dengue, destacam-se fatores genéticos do hospedeiro. Vários estudos apontam que polimorfismos de nucleotídeo único (SNP) em genes de moléculas relacionadas à imunidade da dengue podem estar envolvidas com a susceptibilidade e/ou proteção à doença. O objetivo do presente estudo é investigar a prevalência do polimorfismo -1082 G/A (rs1800896) no gene IL-10 em pacientes com sintomatologia para dengue, no período de agosto de 2016 a junho de 2018. Tratar-se-á de um estudo do tipo caso-controle, de caráter qualitativo e com abordagem exploratória. Os dados serão obtidos através de coletas feitas em pacientes atendidos no laboratório do Pronto Socorro Municipal (PSM), localizado no município de Parnaíba-Piauí. Para a confirmação laboratorial dos casos suspeitos de dengue, foram utilizadas duas metodologias: testes rápidos imunocromatográficos, para identificação de anticorpos IgM/IgG anti-DENV e de antígeno NS1, e metodologias moleculares, por meio da técnica de Reação em cadeia de Polimerase de Transcrição Reversa (RT-PCR) para detecção do RNA viral. O DNA genômico celular será extraído e realizada a genotipagem para o SNP, em amostras de pacientes com diagnóstico clínico-laboratorial confirmado para dengue, assim como também para amostras dos indivíduos do grupo controle e do grupo assintomático, por meio de PCR em Tempo Real. Os resultados serão analisados através do programa estatístico BioEstat 5.0, adotando-se um nível de significância de p<0,05. Até o momento, um total de 393 amostras de pacientes com suspeita de dengue foram coletadas, onde 96 delas são positivas para a infecção pelo DENV, 123 amostras pertencem ao grupo controle e 83 ao grupo assintomático. No que diz respeito a classificação, 72 pacientes apresentaram dengue sem sinais de alarme e 24 apresentaram dengue com sinais de alarme, destes 69% pertencentes ao sexo feminino e 31% ao sexo masculino. Através dos dados obtidos nesse estudo, pretende-se determinar a prevalência do polimorfismo rs1800896 do gene IL-10, contribuindo para um melhor entendimento da relação deste na patogênese do DENV e de fatores relacionados ao hospedeiro, além de colaborar para o levantamento de dados epidemiológicos no Estado do Piauí.

 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1640496 - ANNA CAROLINA TOLEDO DA CUNHA PEREIRA
Interno - 1772764 - GUSTAVO PORTELA FERREIRA
Interno - 1552610 - RENATA CANALLE
Notícia cadastrada em: 01/11/2017 17:05
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb03.ufpi.br.sigaa 30/11/2022 08:04