Notícias

Banca de DEFESA: DELFRAN DA COSTA E SILVA JUNIOR

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: DELFRAN DA COSTA E SILVA JUNIOR
DATA: 31/01/2019
HORA: 09:00
LOCAL: Sala 752 - Pós-Graduação em Ciências Biomédicas
TÍTULO: Equilíbrio estático como ferramenta de avaliação de exaustão muscular
PALAVRAS-CHAVES: Controle Postural, Equilíbrio Postural, Exaustão Muscular
PÁGINAS: 72
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Medicina
RESUMO:

A exaustão muscular pode ser definida como a incapacidade na geração e manutenção do nível de força, resultando em diminuição do controle postural. Entretanto, torna-se cada vez mais relevante o estudo das características do deslocamento corporal, e assim são propostas análises que observam também a estrutura do deslocamento, por meio de variáveis de análise não-linear, como as entropias. Através destes descritores, serão possíveis novas abordagens de conhecimento sobre o controle postural para a manutenção do equilíbrio frente a situações adversas, como na presença de exaustão muscular. Objetivo: O objetivo do estudo foi analisar o comportamento das variáveis não lineares do equilíbrio estático após indução de exaustão muscular de membros inferiores em jovens saudáveis. Metodologia: A amostra foi composta por 39 voluntários de 18 a 25 anos do sexo masculino e que cumpriram os critérios de inclusão. O equilíbrio estático foi avaliado por meio de uma plataforma de força nos seguintes momentos: pré-exaustão, pós-exaustão e aos 20 minutos após a interrupção do protocolo de indução à exaustão muscular em MMII, sendo estas avaliações realizadas em apoio unipodal e bipodal, com olhos abertos e fechados. Resultados: Os resultados mostramque após a exaustão houve um aumento (p<0,05) em todas as variáveis, quando em postura bipodal, tanto com olhos abertos quanto com olhos fechado, tendo resultado semelhante em postura unipodal com olhos abertos, onde apresentou um aumento (p<0,05) em ApEn em sentido AP e em CrossEn. Enquanto que no processo de recuperação, observamos que: em postura BEO houve uma diminuição (p<0,05) apenas em ApEn em sentido AP e em CrossEn; em BEC não foi observado diferença (p<0,05); e em postura UEO foi encontrado uma diminuição (p<0,05) apenas em ApEn no sentido AP.  Conclusão: Os achados desse estudo apontam que a instabilidade postural medida através das entropias pode ser uma ferramenta coadjuvante na avaliação da exaustão muscular de MMII em atividades atléticas, recreativas ou até mesmo atividades de vida diária. Porem necessita-se de mais estudos para confirmação de que nível de exaustão os indivíduos foram submetidos e até mesmo se esta modificação dos padrões de equilíbrio ocorreu por alterações a nível muscular ou sensitivo.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 1643216 - ALESSANDRA TANURI MAGALHAES
Presidente - 1900252 - BALDOMERO ANTONIO KATO DA SILVA
Interno - 1774210 - VINICIUS SAURA CARDOSO
Notícia cadastrada em: 17/01/2019 15:24
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb07.ufpi.br.instancia1 08/12/2022 09:33