Notícias

Banca de DEFESA: GISELE SANTOS DE ARAÚJO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: GISELE SANTOS DE ARAÚJO
DATA: 05/11/2020
HORA: 14:00
LOCAL: Videoconferência
TÍTULO: CHALCONA-SULFONAMIDA 185 INIBE A ADESÃO E MIGRAÇÃO CELULAR: ESTUDO IN VITRO E IN SILICO
PALAVRAS-CHAVES: Atividade antimigratória. B16-F10. Hibridização molecular.
PÁGINAS: 77
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Medicina
RESUMO:
 

A metástase é um processo pelo qual as células cancerosas se disseminam do tumor primário, se estabelecem e crescem em um local diferente do local inicial do tumor. Assim, o desenvolvimento de novas estratégias terapêuticas é de grande interesse, tais como a hibridização de novas moléculas ativas. Neste contexto, objetivou-se avaliar o efeito da chalcona-sulfonamida 185 (CSS 185) sobre os processos envolvidos na migração, invasão e adesão, utilizando ensaios in vitro, frente à linhagem de células de melanoma metastático murino (B16- F10), e ensaios in silico. A CSS 185 apresentou valores de CI50 (concentração inibitória média capaz de provocar 50% do efeito máximo) de 9,81 μM e 3,47 μM, após 24 horas e 72 horas de incubação, respectivamente. A amostra foi capaz de diminuir a área de colônias, após 24 horas de tratamento, com percentual da área de colônia de 13,2% e 8,5% após tratamento nas concentrações de 2,5 μM e 5 μM, respectivamente. Já as células sem tratamento apresentaram percentual de 17,7%. Observou-se que a CSS 185 foi capaz de inibir a migração celular com percentual de migração de 67% na concentração de 2,5 μM e 56% na concentração de 5 μM, enquanto que as células sem tratamento apresentaram percentual de 87% após 24 horas de tratamento. A mesma atividade antimigratória foi percebida após a interrupção do tratamento após 6 horas de incubação com o composto, apresentando percentual de migração de 61% e 50%, nas concentrações de 2,5 μM e 5 μM, respectivamente, e 83% nas células sem tratamento. Ainda, foi capaz de diminuir a adesão das células B16- F10 em matriz de colágeno após 2 horas de incubação com o composto exibindo número de células aderidas ao colágeno I de 356, 9 ± 34,0 e 289,8 ± 27,0 nas concentrações de 

2,5 μM e 5μM, respectivamente, enquanto as células do controle negativo apresentaram valores de 794,2 ± 39,3. Através das imagens de Microscopia de Força Atômica foi possível observar mudança da morfologia das células com diminuição das filopodias e valores de rugosidade média celular de 148,6 ± 16,6 nm e 188,4 ± 21,1 nm para as concentrações de 2,5 μM e 5 μM, respectivamente, ao passo que o controle negativo apresentou valor de 125,9 ± 13,22 nm. Tais resultados demonstram o possível envolvimento da CSS 185 nas propriedades adesivas das células ao substrato e consequente rearranjos no citoesqueleto. Por meio de docagem molecular foi possível observar melhor afinada da CSS 185 com a enzima metaloproteínase 2, com energia de ligação igual a -10,81 kcal.mol-1 e uma constante de inibição de 12,0 nM. O Ensaio preliminar de western blot, demonstrou que a CSS 185 alterou a expressão de proteínas relacionadas às vias de sinalização PI3K/AKT e MAPK/ERK. A partir dos resultados obtidos foi possível demonstrar o potencial desta molécula, inibindo etapas primordiais para a formação de metástases.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2140923 - ANA JERSIA ARAUJO
Externo ao Programa - 3161301 - LUCAS ANTONIO DUARTE NICOLAU
Externo ao Programa - 2199134 - MARCILIA PINHEIRO DA COSTA
Notícia cadastrada em: 23/10/2020 13:56
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 08/12/2022 10:45