Notícias

Banca de DEFESA: AURICÉLIA VERAS DE CASTRO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: AURICÉLIA VERAS DE CASTRO
DATA: 26/02/2024
HORA: 14:00
LOCAL: sala ppg
TÍTULO: Avaliação do efeito antileshmania e citotóxico in vitro da goma do angico quaternizada e de nanopartícula de prata estabilizadas com goma do angico quaternizada
PALAVRAS-CHAVES: Polissacarídeo; Quaternização; Nanopartícula polimérica; Leishmania;
PÁGINAS: 63
GRANDE ÁREA: Ciências Exatas e da Terra
ÁREA: Química
SUBÁREA: Química Orgânica
ESPECIALIDADE: Polímeros e Colóides
RESUMO:

Av

As leishmanioses são doenças negligenciadas proeminentes no mundo, o que
desperta a necessidade de desenvolver novas terapias contra essa patologia, visto que o
tratamento existente apresenta alta toxicidade, longa duração de tratamento, além do
alto custo. Uma estratégia que vem sendo utilizada para obtenção de novos agentes
antimicrobianos é a modificação química em polímeros naturais e a síntese de
nanopartículas de prata (AgNPs) estabilizadas com essas gomas modificadas. Dentre os
polissacarídeos com grande potencial para desenvolvimento de novos materiais
biotecnológicos, destaca-se a goma do angico (GA), que possui em sua estrutura um
grande número de grupos hidroxilas, promovendo a possibilidade de inserir novos
grupos funcionais. Dessa forma, essa pesquisa busca investigar o efeito antileishmania
da goma do angico quaternizada (GAQ) e das AgNPs estabilizadas com esse polímero
(AgNPGAQ) por meio de testes in vitro e in silico, além do efeito citotóxico desses materiais.
Assim, a GA foi modificada
por quaternização, caracterizada por RMN H 1 , FTIR, grau de substituição (GS) e
potencial zeta, avaliada quanto a sua atividade antileishmania in vitro contra a espécie
Leishmania (Leishmania) amazonensis e efeito citotóxico em macrófagos RAW 264.7,
além disso, as nanopartículas (NPs) foram caracterizadas por técnica de UV-Vis,
potencial zeta e DLS, além de avaliar seu efeito frente a L. amazonensis e citotoxicidade

em modelo de macrófagos e células VERO. A quaternização de GA foi confirmada por
FTIR e RMN, pois os espectros apresentaram bandas em 1480 e 1407 cm-1 e sinal em
3,2 ppm característicos à inserção do grupo de amônio quaternário na goma. Foi obtido
um GS de 0,48 e potencial zeta de +24,7, indicando que houve a modificação química,
pois a quaternização confere carga positiva ao polímero. As AgNPs exibiram banda
plasmônica entre 380 e 420nm, com tamanho médio variando de 51,85 a 328,10nm e
potencial zeta com valores entre +3,57 e +42,33. Quanto atividade microbiológica,
GAQ apresentou um IC50 de 2,48mg/mL para promastigotas e EC50 de 1,82 mg/mL para
amastigotas, enquanto que AgNPGAQ apresentou um IC50 de 0,005 μM. A GAQ e NPs
apresentaram baixa citotoxicidade no modelo de macrófagos, enquanto que as NPs
contra células VERO inibiram o crescimento celular em 50% na concentração de
31,2μgAg/mL. Por meio da docagem molecular se obteve maior afinidade dos monossacarídeos
de GA com a proteína 2JK6 com uma energia de ligação de -7.6 kcal.mol-1. Dessa forma, os
resultados sugerem que as AgNPs possuem promissora atividade antileishmania in vitro, contudo
mais testes são necessários para melhor
caracterizar e investigar o mecanismo de ação e potencial desse material.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1718303 - DURCILENE ALVES DA SILVA
Interno - 995.992.603-68 - ALYNE RODRIGUES DE ARAUJO - UFPI
Interno - 841.003.203-10 - LEIZ MARIA COSTA VERAS - UFPI
Externo à Instituição - EMANUEL AIRTON DE OLIVEIRA FARIAS - UFPI
Notícia cadastrada em: 02/02/2024 10:11
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 14/07/2024 23:03