Notícias

Banca de DEFESA: LUANA DE OLIVEIRA LOPES

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LUANA DE OLIVEIRA LOPES
DATA: 28/02/2014
HORA: 10:00
LOCAL: Sala de Reuniões do Campus Ministro Reis Velloso, UFPI, Parnaíba, PI.
TÍTULO:

Avaliação da atividade citotóxica, genotóxica e antigenotóxica de um alcaloide imidazólico isolado de Pilocarpus microphyllus (Stap) em linhagens celulares de mamífero


PALAVRAS-CHAVES:

Epiisopiloturina; citotoxicidade; genotoxicidade; antigenotoxicidade.


PÁGINAS: 60
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Multidisciplinar
RESUMO:

Estimativas da Organização Mundial da Saúde indicam que até o ano de 2030 o número de mortes por câncer vai aumentar de 7,6 milhões para 13 milhões por ano. Por esse motivo, têm proliferado estudos que visam o desenvolvimento de alternativas terapêuticas para os diversos tipos de neoplasia, com foco na busca de substâncias naturais com comprovada atividade anti-tumoral, porém com reduzidos efeitos sobre as células normais. Várias são as atividades biológicas remetidas aos alcaloides extraídos de plantas e dentre elas destaca-se a atividade anti-tumoral. Estudos prévios demonstram que o alcaloide imidazólico epiisopiloturine (EPI), extraído da espécie Pilocarpus microphyllus (Staf), vulgarmente conhecida como jaborandi, possui atividades anti-helmíntica, anti-inflamatória e antinociceptiva, contudo seu potencial anti-tumoral é ainda desconhecido. Este estudo objetivou investigar o potencial antineoplásico e antimutagênico de EPI em linhagens de células normais (VERO) e de células de câncer gástrico (AGP01). O ensaio MTT [3-(4,5-dimethylthiazol-2-yl)-2,5-diphenyltetrazolium bromide] foi utilizado pra avaliar a citotoxicidade e os ensaios cometa e micronúcleo (MN) com bloqueio de citocinese foram utilizados para avaliar a genotoxicidade induzida por EPI nas linhagens celulares estudadas. Além disso, os ensaios cometa e MN também foram utilizados para avaliar a antigenotoxicidade de EPI em células VERO, tratadas com quimioterápico doxorrubicina (DXR). Os resultados do ensaio cometa nas linhagens celulares estudadas e de MN nas células normais demonstram que a EPI apresenta efeitos citotóxicos e genotóxicos apenas em altas concentrações (VERO, 120 µg/mL; AGP01, 400-100 µg/mL). Além disso, relatamos um efeito protetor ou antigenotóxico da EPI, na concentração de 20 µg/mL, em células VERO. Tais resultados representam importantes avanços no conhecimento das propriedades clínicas da EPI, uma vez que demonstraram que baixas concentrações do alcaloide não apresentam efeitos celulares indesejáveis e que este alcaloide pode atuar em sinergismo com a DXR no tratamento do câncer gástrico, promovendo a proteção de células normais.

 

 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1551921 - GIOVANNY REBOUCAS PINTO
Interno - 1551972 - FRANCE KEIKO NASCIMENTO YOSHIOKA
Externo ao Programa - 1750086 - DANIEL FERNANDO PEREIRA VASCONCELOS
Notícia cadastrada em: 25/02/2014 13:59
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb03.ufpi.br.sigaa 22/07/2024 02:43