Notícias

Banca de DEFESA: LETICYA THAIS MENDES VIANA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LETICYA THAIS MENDES VIANA
DATA: 30/08/2021
HORA: 14:30
LOCAL: VIDEOCONFERÊNCIA
TÍTULO: Concentrações de vitamina D e sua relação com parâmetros de ferro, níveis de cálcio, fósforo e paratormônio na doença renal crônica
PALAVRAS-CHAVES: Colecalciferol; Hemodiálise; Inflamação; Anemia; Metabolismo mineral e ósseo.
PÁGINAS: 73
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Ciência e Tecnologia de Alimentos
RESUMO:

VIANA, L.T.M. Concentrações de vitamina D e sua relação com parâmetros de ferro, níveis de cálcio, fósforo e paratormônio na doença renal crônica. 2021. Dissertação (Mestrado) - Programa de Pós-Graduação em Alimentos e Nutrição, Universidade Federal do Piauí, Teresina- PI. A doença renal crônica é uma lesão que ocasiona comprometimento progressivo das funções renais exócrinas e endócrinas. Alterações no metabolismo dos minerais cálcio, fósforo, paratormônio e vitamina D são características da doença, afetando o metabolismo mineral e ósseo. Outra complicação muito comum é a anemia, causada pela redução na produção de eritropoetina, deficiência de ferro e inflamação. Evidências demonstram que a vitamina D apresenta efeito sobre a anemia da inflamação, por meio do aumento de eritrócitos e diminuição de citocinas pró-inflamatórias. Esse estudo objetiva relacionar as concentrações de vitamina D com os parâmetros de ferro, e com os níveis dos minerais cálcio, fósforo e do paratormônio em pacientes com doença renal crônica em hemodiálise. Trata-se de uma estudo transversal que avaliou 86 pacientes, de ambos os sexos, em terapia dialítica. Foram analisados dados sociodemográficos, clínicos, hábitos de vida, parâmetros antropométricos e estimado o consumo alimentar. A determinação das
concentrações de vitamina D foi realizada pelo método de quimioluminescência. Os prontuários foram consultados para obtenção de informações acerca dos exames bioquímicos: hemoglobina, ferritina, saturação de transferrina, ferro sérico, cálcio, fósforo e do paratormônio. As análises estatísticas foram processadas no programa Stata versão 14. A pesquisa foi aprovada pelo Comitê de Ética e Pesquisa da Universidade Federal do Piauí (nº 3.993.938). Os resultados apontaram para consumo alimentar médio de carboidratos e lipídios estatisticamente superior no sexo feminino. 58,1% dos pacientes foram classificados como eutróficos. As concentrações de 25(OH)D2 estavam compatíveis com suficiência na amostra. Foi revelado que 61,3% da amostra apresentava anemia, mas não foi evidenciada associação significativa entre a presença de anemia e as concentrações de 25(OH)D2. Os valores de fósforo e do paratormônio estavam superiores no grupo com insuficiência ou deficiência de 25(OH)D2 e apenas o paratormônio se correlacionou com as concentrações de 25(OH)D2. O estudo concluiu que os altos níveis de paratormônio e a sua associação negativa com a vitamina D podem ter contribuído para o importante percentual de anêmicos constatado no estudo, pondo em destaque a influência da vitamina D na supressão da síntese do paratormônio. A vitamina D, por seus efeitos benéficos no controle da hipersecreção de paratormônio, na absorção de cálcio e fósforo poderia contribuir para uma melhora do quadro anêmico e da hiperfosfatemia observados no estudo.

 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 423582 - BETANIA DE JESUS E SILVA DE ALMENDRA FREITAS
Externo ao Programa - 1952348 - GILMARA PÉRES RODRIGUES
Notícia cadastrada em: 27/08/2021 08:20
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 27/09/2022 07:40