Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: JULIANA SOARES SEVERO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JULIANA SOARES SEVERO
DATA: 20/05/2022
HORA: 17:00
LOCAL: PPGAN - UFPI
TÍTULO: Can different diets, physical exercise, and cellular markers associated with body composition influence gastric accomodation, inflammatory and oxidative balance in healthy individuals and inflammatory bowel disease patients?
PALAVRAS-CHAVES: Doenças inflamatórias intestinais; trato gastrointestinal; exercício físico; ingestão de alimentos; estresse oxidativo; inflamação.
PÁGINAS: 2018
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Ciência e Tecnologia de Alimentos
SUBÁREA: Ciência de Alimentos
RESUMO:

INTRODUÇÃO: O trato gastrointestinal (TGI) é um órgão chave associado à
manutenção da saúde e ao desempenho esportivo. No entanto, disbiose e distúrbios do
TGI, como as doenças inflamatórias intestinais (DII), podem afetar ambos. Algumas
estratégias com foco no exercício físico e na ingestão alimentar têm sido estudadas e
podem trazer efeitos benéficos, principalmente nas funções do TGI, inflamação e
marcadores de estresse oxidativo.
OBJETIVOS: Investigar o papel do exercício físico
na acomodação gástrica em indivíduos saudáveis e como a ingestão alimentar e os
valores do ângulo de fase (PhA) estão associados ao balanço inflamatório e oxidativo
no curso clínico de pacientes com DII.
MÉTODOS: Foram elaborados seis artigos
científicos, sendo o primeiro e o segundo revisões narrativas da literatura. A terceira e
a quarta são revisões sistemáticas da literatura, sendo a estratégia PICO utilizada para
elaborar a questão norteadora, seguindo as recomendações do Preferred Reporting
Items for Systematic Reviews and Meta-Analyses (PRISMA). O quinto é um estudo
quasi-experimental, realizado com indivíduos saudáveis que ingeriram uma refeição
energética líquida durante um teste físico e foram monitorados de acordo com uma
escala subjetiva para avaliar a acomodação gástrica. O sexto é um estudo transversal
realizado com pacientes com DII e controle que foram submetidos à análise de
bioimpedância para obtenção dos valores do PhA. Concentrações de nitrito (Nox),
mieloperoxidase (MPO), glutationa (GSH), malondialdeído (MDA) e superóxido
dismutase (SOD) foram determinadas. O consumo alimentar foi feito por questionário
de frequência alimentar (QFA). Os estudos atenderam aos respectivos requisitos éticos.
RESULTADOS: Os resultados são relatados de acordo com cada artigo. Nas revisões
da literatura, mostramos que a ingestão de probióticos parece ser uma boa estratégia
para atenuar a disbiose em atletas. Além disso, o exercício físico pode ser uma mudança
de estilo de vida com benefícios na terapia de doenças do TGI. Uma revisão sistemática
mostrou que a suplementação de glutamina não teve efeito no curso da doença,
permeabilidade, e marcadores de estresse oxidativo e inflamação em pacientes com DII.
A outra revisão sistemática mostrou que intervenções dietéticas em sete estudos foram
capazes de reduzir alguns marcadores inflamatórios em pacientes com DII. No estudo
quasi-experimental, houve aumentos no volume total ingerido, tempo de ingestão e
calorias ingeridas (p<0,05) durante a sessão de exercício, mas não foi observada
influência nos escores de saciedade em homens e mulheres saudáveis (p>0,05). No
estudo transversal, o grupo DII apresentou concentrações aumentadas (p<0,05) de Nox,
MDA e GSH. O PhA correlacionou-se positivamente com GSH (R:0,22;p:0,02) e SOD
(R:0,25;p:0,01). Pacientes com DII ingeriram quantidades elevadas de alimentos
ultraprocessados. No entanto, os pacientes com DII apresentaram melhor consumo de
alimentos
in natura ou minimamente processados. Encontramos correlação positiva
entre consumo de alimentos ultraprocessados e MDA (R:0,43;p:0,01).
CONCLUSÃO:
A intervenção dietética ou exercício físico são benéficas nos distúrbios do TGI, como
disbiose atlética e DII. O exercício físico afetou a ingestão alimentar e a acomodação
gástrica em indivíduos saudáveis. O PhA pode ser uma medida prática e eficaz no
acompanhamento clínico de pacientes com DII, estando associado a enzimas
antioxidantes. Além disso, recomendamos avaliar o aumento do consumo de alimentos
ultraprocessados, uma vez que este foi relacionado a marcadores de estresse oxidativo
no acompanhamento clínico de pacientes com DII.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1794569 - ADRIANA DE AZEVEDO PAIVA
Presidente - 2457259 - MOISES TOLENTINO BENTO DA SILVA
Interno - 423490 - NADIR DO NASCIMENTO NOGUEIRA
Externo ao Programa - 1421291 - POLIANA CRISTINA DE ALMEIDA FONSECA
Notícia cadastrada em: 20/05/2022 16:00
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 27/09/2022 08:45