Notícias

Banca de DEFESA: NELSON MACHADO BARBOSA FILHO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: NELSON MACHADO BARBOSA FILHO
DATA: 26/06/2024
HORA: 14:30
LOCAL: Virtual - Google meet
TÍTULO: O ESPAÇO VIVIDO: OBSERVAÇÕES DAS PRÁTICAS COTIDIANAS DA AVENIDA SÃO SEBASTIÃO EM PARNAÍBA, PIAUÍ
PALAVRAS-CHAVES: Produção do Espaço Urbano. Espaço Vivido. Práticas Cotidianas. Parnaíba. Avenida São Sebastião.
PÁGINAS: 139
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Geografia
SUBÁREA: Geografia Humana
RESUMO:

Esta pesquisa visa analisar o espaço vivido da avenida São Sebastião, importante via da cidade de Parnaíba-PI, construída na década de 1940, reconhecida por sua representatividade social, econômica e cultural, além de ser considerada, hoje, como principal eixo provocador da expansão urbana da cidade. Apesar desta avenida ser cotidianamente vivenciada por parte da população parnaibana, que desenvolve aí parte de suas práticas espaciais, entende-se que o processo de produção do espaço urbano, a introdução de novas práticas espaciais cotidianas derivadas de outras cidades, e as constantes modificações das formas e funções presentes nesta via, distanciam uma parcela dos citadinos que, por questões de ordem sociais, espaciais e econômicas, não conseguem mais participar da produção desta via. Diante disto, pergunta- se: quais são as práticas cotidianas predominantes no espaço vivido da avenida São Sebastião? Dessa questão central, decorrem as seguintes: as estruturas materiais do espaço vivido da avenida São Sebastião favorecem as pessoas a desenvolverem suas práticas cotidianas? Como os conceitos e teorias da Geografia, Arquitetura e Urbanismo podem contribuir para o ordenamento do espaço urbano de forma a potencializar a participação cidadã na avenida São Sebastião? Para responder a essas questões, estabeleceu-se como objetivo geral: analisar o espaço vivido da avenida São Sebastião, na cidade de Parnaíba – PI, a partir da observação de uma parte de suas práticas cotidianas. As observações das práticas cotidianas da avenida São Sebastião serão realizadas no recorte espacial compreendido entre a Praça do Amor, a Leste, e a avenida Chagas Rodrigues, a Oeste, no período de 1940 aos dias de hoje (2024). Para alcançar o objetivo geral, traçaram-se três objetivos específicos: discutir o conceito de espaço vivido na avenida São Sebastião; compreender se a materialidade da avenida São Sebastião proporciona a realização de práticas cotidianas; e encaminhar diretrizes alternativas de gestão e projetos que estimulem a participação cidadã no espaço vivido da avenida São Sebastião. Assim, a pesquisa adotou como principal instrumento de investigação a observação participante, realizada em oito pontos distintos na avenida São Sebastião e por pesquisadores diferentes. Adotando uma abordagem qualitativa, realizou-se uma revisão bibliográfica a partir das referências de: Lefebvre (2000), Santos (1985), Jacobs (2011), Gehl (2013), Melo (2012) e Silva Filho (2007), e uma pesquisa documental nos periódicos do Almanaques da Parnaíba para a formulação teórico-metodológica desta pesquisa. A partir daí, criou-se uma ficha de observação adotada como ferramenta para observar as práticas cotidianas e a materialidade da avenida São Sebastião, estruturada através dos eixos: práticas cotidianas, forma, função, segurança, diversidade, sustentabilidade e saúde. Dentre os principais resultados, as observações indicam que, na formação espacial da cidade de Parnaíba-PI, houve particularidades que contribuíram para o desenvolvimento de importantes espaços vividos em seu sistema de espaços livres públicos, como a avenida São Sebastião. Além do mais, considerando os dados sistematizados da ficha de observação, conclui-se que a segurança foi a melhor categoria avaliada, enquanto a saúde ficou com os menores registros. A ficha de observação revelou, ainda, quais pontos observados apresentaram melhores e piores desempenhos, mostrando-se uma ferramenta que pode ser aperfeiçoada e adotada em disciplinas afins do curso de Geografia ou Arquitetura e Urbanismo, bem como pelos técnicos que desenvolvem o planejamento urbano da cidade de Parnaíba.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2645480 - MUGIANY OLIVEIRA BRITO PORTELA
Interno - 423676 - ANTONIO CARDOSO FACANHA
Externo à Instituição - CRISTINA MARIA COSTA LEITE - UnB
Externo à Instituição - LEONARDO MARQUES DE MESENTIER - UFF
Notícia cadastrada em: 08/06/2024 00:38
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 22/07/2024 23:32