Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: EMANUEL AVELINO ALVES JUNIOR

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: EMANUEL AVELINO ALVES JUNIOR
DATA: 29/10/2020
HORA: 09:00
LOCAL: Defesa online-Resolução 015/2020 CONSUN - Via Plataforma de webconferência RNP.
TÍTULO: A Imaginação Educada: A literatura e a filosofia na formação do imaginário da criança
PALAVRAS-CHAVES: Filosofia; Literatura; Imaginação; Imaginário; Contos de fadas.
PÁGINAS: 80
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Filosofia
RESUMO:

No contexto atual, acredita-se que ensinar filosofia é transmitir conceitos e/ou conteúdos – história da filosofia, certamente, a história da filosofia está dentro do processo, o qual podemos chamar de ensino filosófico. No entanto, seria “ensinar filosofia” apenas um processo de transmissão? O ensino de filosofia, com efeito, trata de possibilidades, dessa forma, questões como: o que é filosofia? É possível ensinar filosofia? ou o que significa ensinar filosofia? devem ser tratadas, antes de tudo, como problemas filosóficos, ou seja, são questões que ultrapassam a mera concepção pedagógica de ensino – transmissão de conteúdo. Diante disso, temos a seguinte questão norteadora: a arte de contar história como intervenção filosófica pode fomentar um ensino de filosofia para além da transmissão de conteúdo? Assim, temos como objetivo geral demonstrar que a literatura, em especial, as obras de imaginação - como possibilidade no ensino da filosofia - pode formar e expandir o imaginário dos alunos, sobretudo, pela arte de contar histórias, como específicos, analisar a luz dos documentos a presença da filosofia no currículo escolar; discutir o ensino da filosofia como problema filosófico; analisar a relação entre literatura, sociedade e formação humana; possibilitar por meio da arte de contar histórias, a formação e expansão do imaginário; a imaginação moral; o contato com obras literárias, bem como o florescer da empatia. Para tanto, para fomento e ensejo das discussões aqui elencadas, este trabalho será realizado em uma escola da rede pública da cidade de Floriano/PI, onde buscaremos trabalhar, especificamente, com os alunos do 8° ano do Ensino Fundamental II. Destarte, a nossa proposta de intervenção, em todas as suas etapas, possibilitará aos alunos não só o contanto com o texto literário – histórias infantis, mas a formação e expansão do imaginário a partir do momento em que eles vivenciam outras vidas por meio das narrativas contadas. Entrementes, na execução da pesquisa, será selecionado narrativas de ficção – contos de fadas, tendo em vista que elas podem fomentar a imaginação e a experiência imagética dos alunos fazendo com que transcendam seu horizonte particular de experiência. Como base teórica, sustentamo-nos em Northop Frye (2017); Himmelfarb (2018); Wunenburger (2007); Coelho (2000); Nussbaum (2015); Oliveira (2014); Trilling (2015); Colomer (2007); Porta (2002); Cerletti (2009); Gallo (2012); Aristóteles (2010). Ademais, os resultados demostraram que a literatura, em especial, as obras de ficção por meio da contação de história, pode possibilitar a formação e expansão do imaginário da criança, o despertar de uma imaginação moral e o estímulo da empatia. Portanto, buscaremos na intervenção tendo como ferramenta a arte de contar histórias, possibilita, pois, estímulos à imaginação, à reflexão e ao “sentir” e, com isso, possibilitar um processo e/ou possibilidade livre e criativa em contraponto ao ensino memorístico, unilateral, passivo e castrador da imaginação, do vigor e da inteligência das crianças.

 

 


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1167735 - ELNORA MARIA GONDIM MACHADO LIMA
Externo à Instituição - LUCIANO DA SILVA FAÇANHA - UFMA
Presidente - 1550705 - LUIZIR DE OLIVEIRA
Notícia cadastrada em: 19/10/2020 18:30
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 29/09/2022 03:07