• O sistema entrará em processo de atualização de funcionalidades às 13:45. Pedimos a todos que salvem seus trabalhos para que não haja transtornos.
    Agradecemos a compreensão, em 15 minutos o sistema estará de volta.
Dissertações/Teses

2024
Descrição
  • SELIOMAR DE SOUSA OLIVEIRA SANTOS
  • Uso de plantas medicinais no tratamento e prevenção de doenças do sistema geniturinário em um município do Nordeste brasileiro
  • Orientador : ROSELI FARIAS MELO DE BARROS
  • Data: 09/07/2024
  • Mostrar Resumo
  • A Etnobotânica atua como uma área da Etnobiologia, que além de auxiliar na preservação de
    espécies vegetais, tem sido fundamental para entender como os seres humanos por meio doetnoconhecimento utilizam as plantas para fins medicinais, e constitui-se como base paraestudos voltados para o desenvolvimento de medicamentos. Para a região sul do Piauí com essa vertente, poucos trabalhos foram realizados, principalmente relacionados a áreas médicas. Objetivou-se investigar o uso de plantas medicinais no tratamento e prevenção dedoenças do sistema geniturinário em uma comunidade rural e na zona urbana do município de Floriano, Piauí, Brasil. Relizou-se revisão bibliométrica cujos documentos para análises foram obtidos em uma busca no portal de periódicos da Capes, utilizando como descritores ostermos ― Medicinal plant AND ― Prostate, visando obter um panorama sobre os trabalhos publicados referentes aos termos mencionados. Constatou-se que a maioria dos documentos publicados é relacionado à ensaios clínicos e pré-clínicos sobre câncer de próstata. Apenas cinco trabalhos tinham enfoque etnobotânico e etnofarmacológico. A pesquisa de cunho quali/quantitativo consistiu em entrevistas, com a utilização de formulários padronizados que abordou 28 homens com doenças da próstata no centro urbano, e 49 famílias incluindo homens e mulheres responsáveis por cada residência na zona rural, totalizando 99  participantes. Utilizou-se a técnica de Rapport, turnês-guiada, coleta e fotografia do material botânico, o qual foi identificado, prensado e incorporado ao acervo do Herbário Graziela Barroso (TEPB) da UFPI. O índice do Valor de Uso atual e potencial foi calculado visando obter o registro das espécies mais importantes localmente e o Fator de Consenso do Informante foi útil para medir a concordância no uso de espécies para determinada doença. O conhecimento etnobotânico foi analisado em software estatístico R, correlacionando-o com as variáveis idade, gênero e escolaridade. Cinquenta e três espécies botânicas, distribuídas em 33 famílias foram citadas, dentre as quais houve predominância para o hábito arbóreo, status nativas, e o uso da folha como principal parte utilizada, sendo a família Fabaceae mais abundante com nove espécies. A espécie local mais importante foi Phyllanthus tenellus Roxb e a hiperplasia benigna da próstata, o cálculo renal e inflamação do útero, foram as doenças com maior consenso para um conjunto de plantas citadas. A forma de transmissão do conhecimento mais mencionada foi a vertical e o índice de saliência cultural apontou 11 espécies mais salientes dentre as quais: Phyllanthus tenellus, Myracrodruon urundeuva Allemão, Turnera subulata Sm. E Gossypium hirsutum L. foram mais citadas. As variáveis gênero e idade foram positivas, quando correlacionadas com o conhecimento mostrando que mulheres e pessoas de maior idade conhecem mais sobre plantas, diferente da variável escolaridade que não foi significativa nesse estudo. Portanto, esse trabalho constitui-se um aporte teórico e poderá servir como base para aplicação de políticas públicas que melhorem a qualidade de vida da população.

  • CARLOS EDUARDO CARVALHO BATISTA
  • TERRITÓRIOS, IDENTIDADES E POLÍTICAS PÚBLICAS AMBIENTAIS NAS COMUNIDADES DO ENTORNO DA UNIDADE DE CONSERVAÇÃO FLONA PALMARES-PI
  • Orientador : PATRICIA MARIA MARTINS NAPOLIS
  • Data: 07/06/2024
  • Mostrar Resumo
  • Estudos sobre territórios têm conduzido pesquisadores cada vez mais ao aprofundamento de componentes que possibilitam maior compreensão dos espaços que abrigam populações humanas com diferentes características sociais, econômicas e culturais em diferentes ambientes, com características específicas, sejam bióticas ou abióticas. Desse modo, como objetivos foi: realizar a caracterização ambiental da área do entorno da Unidade de Conservação (UC) Floresta Nacional (FLONA) de Palmares–Piauí; identificar comunidades que vivem no entorno dessa UC; e verificar as políticas públicas ambientais acessadas pelas famílias, com a promoção do desenvolvimento local. A caracterização ambiental está pautada nos pressupostos da pesquisa documental e de campo, a partir dos documentos oficiais e técnicos, artigos científicos e literatura específica, além de informações georreferenciadas, disponíveis em bancos de dados dos órgãos oficiais nas esferas municipal, estadual e federal.  Sobre identidade, foi feito um mapeamento das comunidades do entorno da FLONA, as coletas de dados foram por meio de entrevistas com formulários semiestruturados, foram aplicados à 100 pessoas. As questões foram referentes aos aspectos sociais, econômicas e culturais. Sobre as Políticas Públicas Ambientais, tratou-se de revisão bibliográfica e documental, sobre políticas públicas ambientais, implementadas na área de abrangência da pesquisa. O estudo proporcionou conhecimentos detalhados sobre a região do entorno da FLONA de Palmares através da caracterização ambiental, identificação das comunidades, e as políticas públicas implementadas na região como pontos importantes para o direcionamento de projetos futuros em diferentes áreas. Podendo subsidiar novas pesquisas no território. As comunidades apresentadas apresentam características de transição entre o meio rural e o meio urbano. A maioria da população encontra-se na faixa etária acima de 60 anos 39(39,00%) seguido das faixas entre 40-49/50-59 ambas com 21,00%. Quanto a ocupação dos entrevistados o maior percentual 32(32,00%) tem a agricultura como principal atividades seguidas de pessoas que trabalham de forma autônoma 17(17,00%) e trabalhadores domésticos 16(16,00%). Verificou-se a necessidade de participação dos moradores em atividades relacionadas sobre meio ambiente. Faz -se necessário atuação do estado, das instituições de ensino, organização não governamental. É fundamental a implementação das políticas públicas eficientes e participativas que possam alcançar os diversos públicos e na promoção e manutenção do bem-estar do meio ambiente e das populações rurais. A Educação Ambiental pode contribuir para práticas sustentáveis nos processos de sensibilização da população sobre os recursos naturais, da cultura e dos povos.

  • LEONARDO DE BARROS SANTOS
  • PRÁTICAS DE GESTÃO E EDUCAÇÃO AMBIENTAL EM UNIDADES DE CONSERVAÇÃO DO NORDESTE
  • Orientador : MARCIA LEILA DE CASTRO PEREIRA
  • Data: 06/06/2024
  • Mostrar Resumo
  • As Unidades Conservação (UC) são espaços destinados à conservação e preservação do meio ambiente em qualquer país. Essas áreas legalmente protegidas são criadas com intuito de abrigar ecossistemas singulares e espécies ameaçadas, a fim de manter a integridade dos processos naturais e promover regeneração de habitats vitais. O êxito das UC está associado à eficácia de sua gestão. Foram objetivos dessa pesquisa  entender o processo de Gestão das UC do Nordeste a partir dos pressupostos da Educação Ambiental (EA); realizar pesquisa Sistemática sobre gestão e Educação Ambiental nas UC da região nordeste; analisar o processo de gestão das UC do Piauí; identificar quais são as práticas de EA desenvolvidas nas UC de Uso Sustentável; entender como é o processo de gestão participativa com as comunidades do entorno da UC Flona Palmares. Estruturado em três capítulos, sendo capítulo I intitulado: “Gestão e EA nas UC da região nordeste: Um panorama de 2002 a 2023, trata-se de uma revisão sistemática da literatura, com buscas nas bases de dados eletrônicas Web of Science, Scopus, Portal Periódico CAPES e SciELO, foram selecionados 26 artigos científicos e identificados as principais práticas de gestão ambiental, práticas de EA e alguns problemas ambientais enfrentados pelas UCs na região nordeste do Brasil. O Capítulo II intitulado: “Práticas de Gestão e EA nas UC do estado do Piauí”, pautado nos pressupostos da pesquisa diagnóstica de documental, de natureza quanti-qualitativa, por meio de entrevistas com 12 gestores de UCs do estado do Piauí. Os resultados da gestão das UC no Piauí apresentaram avanços significativos, mas há desafios a serem superados, dos principais são elaboração e formação de planos de manejos e conselhos gestores. Em contrapartida, os gestores mostraram-se comprometidos com a conservação ambiental. O capítulo III intitulado: “Floresta Nacional de Palmares e gestão ambiental participativa: Um estudo de caso”, trata-se de um estudo de caso, de abordagem qualitativa, com objetivo de entender como é o processo de gestão participativa com as comunidades do entorno da UC Flona Palmares. Foram verificadas propostas e sugeridas futuras pesquisas científicas visando contribuições aos órgãos que regulam as UC, bem como benefícios para as comunidades.

  • RAYANE CAMILO NERIS DANTAS DE SOUSA
  • Análise da Gestão da Política de Resíduos Sólidos Domiciliares do Município de Oeiras, Piauí, Brasil,
  • Orientador : DENIS BARROS DE CARVALHO
  • Data: 05/06/2024
  • Mostrar Resumo
  • Os Resíduos Sólidos são vestígios resultantes das atividades humanas, orientadas pelos
    valores e princípios, a sua produção e disposição final desencadeia uma série de
    problemáticas ambientais. Este cenário desperta a necessidade de desenvolver ações para
    sanar os impactos, assim as políticas públicas são elaboradas para guiar o gerenciamento
    correto destes resíduos. A presente pesquisa apresenta como objetivo geral analisar a gestão
    da política de Resíduos Sólidos Domiciliares adotada pelo município de Oeiras-Piauí; como
    objetivos específicos: Descrever as práticas adotadas pelo sistema da gestão de Resíduos
    Sólidos Urbano Domiciliar no município de Oeiras-PI; Avaliar o local de destinação dos
    Resíduos Sólidos e quantificar os resíduos que são produzidos, coletados e reciclados no
    município de Oeiras- PI; Elucidar a percepção ambiental do gestor da Secretaria Municipal
    de Meio Ambiente e Recursos Hídricos, dos membros do Conselho Municipal de
    Desenvolvimento Urbano, dos agentes de coleta e destinação dos resíduos sólidos, e do
    representante da Cooperativa de Trabalho e Economia Solidária dos Catadores e Recicladores
    De Resíduos Sólidos de Oeiras - RENASCER, sobre a destinação dos Resíduos Sólidos no
    município de Oeiras- PI. A estratégia utilizada se trata de uma abordagem qualitativa e quanti-
    qualitativa, sendo realizado a análise documental de leis e normas em nível Nacional,
    Estadual e Municipal que regem a gestão de Resíduos Sólidos; aplicação de roteiro de
    entrevista semiestruturado; e a observação do local de descarte de Resíduos Sólidos;
    Identificação da Qualidade de Aterros de Resíduos (IQR) de Oeiras-PI. Os resultados
    possibilitaram diagnosticar dados positivos, como também evidenciar as falhas no
    cumprimento da lei, que contribuem para a degradação do meio ambiente e problemáticas
    ambientais. Pois, os dados do Tribunal de Contas do Estado do Piauí-TCE-PI (2019),demonstram que a maioria dos municípios do Piauí não realizam o descarte dos resíduos
    corretamente, fazendo uso do lixão como destinação final, apenas cinco municipios possuem
    aterro sanitário como destinação final. O município de Oeiras está enquadrado nos parâmetros
    legais, com o Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos - PMGIRS em vigor,
    a gestão de resíduos está em desempenho de acordo com os prazos estabelecidos para
    adequação do descarte de resíduos, agosto de 2024. A gestão vem se destacando pelo
    desenvolvimento de iniciativas e ações para solucionar as problemáticas ambientais do
    município, sendo referência no selo ambiental estadual. o município de Oeiras obteve o Índice
    de qualidade de Resíduos - IQR de 1,7, que classifica a área utilizada para descarte como
    inadequada de acordo com a sua pontuação, comparando o resultado da cidade de Oeiras com
    os estudos realizados em outros municipios piauienses, a cidade de Oeiras ocupa a segunda
    posição no IQR do estado do Piauí. Os agentes de coleta em sua totalidade são homens,
    atuam na profissão por falta de opção, a percepção ambiental em muitos aspectos não condiz
    com as condições realísticas. Porem concordam que melhorias precisam ser realizada no ixão, principalmente a construção do aterro sanitário. O município possui a central de
    reciclagem que comporta a cooperativa de materiais recicláveis, o sistema de coleta seletiva
    através do PEV- Ponto de Entrega Voluntária e a coleta Porta a Porta. Os resultados
    cientificamente possibilitam a população o acesso a informações da Gestão de Resíduos Sólidos Domciliares em Oeiras-PI.

  • DAVI LEAL DOS SANTOS BARBOSA
  • AVALIAÇÃO DE IMPACTO AMBIENTAL BASEADA EM SERVIÇOS ECOSSISTÊMICOS
  • Data: 20/05/2024
  • Mostrar Resumo
  • A Avaliação de Impacto Ambiental (AIA) representa um importante instrumento legal essencialmente requerido no licenciamento ambiental de atividades potencialmente poluidoras, este instrumento evoluiu ao longo do tempo com a incorporação de diversas ferramentas de análise e critérios de avaliação, dentre eles, a abordagem dos serviços ecossistêmicos. Nessa toada, objetivamos avaliar o comportamento, oferta e impactos aos serviços ecossistêmicos e sua aplicabilidade na Avaliação de Impacto Ambiental em ecossistemas costeiros no litoral do Piauí, na APA Delta do Parnaíba. Para tanto, estruturamos nossa pesquisa em dois capítulos, o primeiro com enfoque na vegetação de manguezais e restingas, e o segundo, a criação e aplicação de método de avaliação de impacto baseada nos serviços ecossistêmicos. Realizamos o levantamento fitossanitário, fitossociológico, índice de diversidade de Shannon (H’) em 12 (doze) áreas de manguezais e restingas no litoral do Piauí, além disso, levantamos a oferta e impacto aos serviços ecossistêmicos a partir do modelo FPEIR (Força-motriz-Pressão-Estado-Impacto-Resposta) e de roteiros observacionais semiestruturados. Todas as coletas obtiveram aprovação do SISBIO e os espécimes vegetais herborizados foram depositados no Herbário Graziela Barroso/UFPI. O método de AIA desenvolvido foi organizado em seis etapas e obteve aplicação em empreendimento hipotético de carcinicultura. Como resultados, foram identificadas 24 espécies vegetais distribuídas em 18 famílias botânicas, com H’1,28 (manguezais) e 2,59 (restingas), os indivíduos obtiveram maior densidade em classes de diâmetro entre média-baixas com fitossanidade satisfatória, contudo, sofrem com pressões advindas da urbanização, carcinicultura, atividade comercial e o turismo com declínio de biodiversidade, deposição irregular de resíduos sólidos e de espécies invasoras. Foram identificados 19 serviços ecossistêmicos, preponderando serviços de regulação e manutenção, com 62% com alta e média alta abundância, destes, mais de 64% apresentam tendência de queda e queda. Enquanto ao método. O modelo MAISE desenvolvido foi estruturado em seis etapas: a categorização e classificação dos impactos ambientais; a análise da tendência desses impactos; o somatório dos valores de impacto; criação de uma matriz de impacto aos SE; e a classificação Peso Porcentagem de Serviços e Graus de Impacto Ambiental; foram identificados 38 impactos ambientais e 28 SE em diferentes fases do empreendimento, os impactos afetaram predominantemente os serviços de regulação e manutenção. Por fim, apontamos a não linearidade entre a presença de impacto ambiental e a sinergia dos impactos aos SE, desse modo, cabe a implementação de medidas de mitigação estratégicas, dado que os impactos ambientais se comportam distintamente aos SE. O método proposto mostrou-se viável e aplicável no levantamento e preservação da integridade dos ecossistemas e dos serviços que eles fornecem.

  • MARCOS ANTONIO SANTOS CARVALHO
  • A utilização da água subterrânea em uma comunidade rural piauiense: uma investigação com base na percepção de impacto de moradores locais
  • Orientador : DENIS BARROS DE CARVALHO
  • Data: 26/04/2024
  • Mostrar Resumo
  • As águas subterrâneas configuram-se como um elemento finito e indispensável para o ciclo hidrológico do planeta, além de estarem associados a sustentação dos mais diversos ambientes aquáticos, como os rios, pântanos, lagos e mangues. Nesse contexto, a exploração indiscriminada desse recurso pode levar a sua escassez, ocasionando eventos extremos ao meio ambiente e a própria humanidade, tais como a perda de biodiversidade e desequilíbrios socioeconômicos. Esse estudo possui natureza qualitativa, a qual tem por objetivo central a ideia de investigar a relação da população de uma comunidade rural de Dom Expedito Lopes-PI sobre os modos de utilização da água associados à atividade de perfuração de poços artesianos, a partir da percepção de impacto dos moradores locais, de forma que nos permita traçar um diagnóstico socioambiental local.  Para a coleta de dados, foi considerado inicialmente uma análise documental, onde foram estudadas as principais fontes de informações oriundas da legislação e administração pertinente ao sistema de gestão de recursos hídricos subterrâneos de ordem nacional, estadual e municipal. Posteriormente será considerada a aplicação de formulários semiestruturados, direcionada aos moradores da comunidade e aos integrantes do órgão ambiental e fiscalizador da região, a fim de obter o entendimento sobre a percepção de impactos dos moradores locais e a forma de atuação da entidade ambiental do município sobre a problemática dos recursos hídricos subterrâneos na região. Para essa análise dos dados, pretende-se utilizar o método de análise de conteúdo cujo objetivo é compreender de maneira crítica o sentido das comunicações, assim como seu conteúdo, seus significados explícitos ou ocultos.

  • VICTOR VIRGINIO DE SOUSA E SILVA
  • Estratégias para mitigação dos impactos do clima semiárido na apicultura desenvolvida em Oeiras, Piauí, Brasil
  • Orientador : JULIANA DO NASCIMENTO BENDINI
  • Data: 26/04/2024
  • Mostrar Resumo
  • O semiárido brasileiro é considerado um dos lugares mais favoráveis para a apicultura no país., apresentando características propícias para o desenvolvimento da atividade. No entanto, mesmo alcançando alta produção de mel durante os períodos chuvosos,as condições climáticas adversas do semiárido, caracterizadas por períodos prolongados de seca, altas temperaturas e intensa exposição à
    radiação solar afetam significativamente o comportamento e a fisiologia das colônias de abelhas Apis mellifera L. Assim, objetivou-se avaliar a adoção de estratégias de mitigação dos impactos climáticos do período de estiagem entre os apicultores e o seu efeito na manutenção das temperaturas internas das colônias de abelhas africanizadas. Além disso, objetivou-se determinar o índice de vulnerabilidade dos apicultores diante das mudanças climáticas e conhecer a percepção desses produtores em relação às estratégias de mitigação relacionadas à apicultura. O estudo foi realizado no município de Oeiras, Piauí. Ocorreram visitas aos apiários e registros observacionais que permitiram discriminar os apicultores de acordo com a adoção de estratégias mitigatórias. Os participantes recrutados faziam parte de dois grupos de apicultores, lotados nos povoados rurais “Morro Redondo” (área 1) e “Buriti do Rei” (área 2). A partir disso, selecionou-se dois apiários para a instalação de termo-higrômetros e medição das temperaturas internas das colmeias. Como instrumentos, utilizou-se um questionário estruturado, entrevistas e a elaboração de uma matriz FOFA que permitiu identificar os pontos fortes, pontos fracos, as oportunidades e as ameaças que esses produtores enfrentam em suas atividades, considerando a influência das mudanças climáticas. Observou-se que entre as estratégias de mitigação dos efeitos climáticos, apenas o sombreamento e a disponibilidade de água próxima aos apiários foram adotados. O sombreamento natural das colmeias foi utilizado como critério para a seleção de dois apiários: 1. Com o aproveitamento do sombreamento arbóreo natural e 2. Sem o aproveitamento do sombreamento natural, para a tomada das medidas das temperaturas internas das colmeias. Assim, ao comparar os resultados encontrados, o teste t evidenciou que a média de temperatura interna das colmeias sob o sombreamento arbóreo (38.5±7oC) diferiu da média interna das colmeias sem esse sombreamento (40.8±7 oC). A aplicação do questionário estruturado foi possível constatar que os participantes da pesquisa apresentavam idades que variaram entre 36 e 65 anos. Em relação ao nível de escolaridade, observou-se que a maioria (8) dos entrevistados possui o ensino fundamental incompleto. A matriz FOFA elaborada permitiu identificar que os pontos fortes elencados pelos apicultores foram: coragem/coletividade, diversidade de floradas, ocorrência de áreas adensadas de cajueiro como florada de manutenção, água disponível e resistência das abelhas; as fraquezas elencadas foram: falta de suporte financeiro, falta de assistência técnica, falta de apoio governamental, falta de mercado para venda e as condições climáticas do período seco; como oportunidades: floradas preservadas, localização próxima à estrada; e as ameaças citadas foram: roubo de colmeia, seca prolongada, pragas, queimadas e avanço do agronegócio. Notou-se um resultado favorável da capacidade ofensiva, demonstrando que as forças podem ser utilizadas o aproveitamento das oportunidades disponíveis no cenário. No entanto, o grupo apresentou baixa capacidade defensiva. Conclui-se que, o aproveitamento da abundância de espécies arbóreas durante o período de estiagem contribuiu, por meio do sombreamento, para a obtenção de menores temperaturas internas nas colmeias. No entanto, verificou-se que essa estratégia muitas vezes não foi suficiente para a manutenção do conforto térmico para as abelhas. Apesar do conhecimento sobre as estratégias para lidar com os efeitos do clima, como sombreamento das colmeias e oferta de alimentos, os apicultores enfrentam dificuldades na implementação de tais medidas, principalmente devido a restrições financeiras.

  • JOÃO VITOR DUTRA DE LIMA PEREIRA
  • EDUCAÇÃO AMBIENTAL E BIODIVERSIDADE EM UNIDADES DE CONSERVAÇÃO: ABORDAGENS TEÓRICAS E PRÁTICAS EM ESPAÇOS NÃO FORMAIS.
  • Orientador : PATRICIA MARIA MARTINS NAPOLIS
  • Data: 02/04/2024
  • Mostrar Resumo
  • A Educação Ambiental (EA) é um processo formativo que contribui com práticas e reflexões que fortalecem os valores para a sustentabilidade, devendo estar presente, de forma articulada, em todos os níveis e modalidades do processo educativo, em caráter formal e não-formal. Buscando entender como os professores percebem as Unidades de Conservação (UC) como espaço não-formal para as práticas de Educação Ambiental a partir da biodiversidade, os objetivos deste trabalho são: i) identificar as metodologias de EA e biodiversidade em UC do Brasil, ii) verificar como os professores entendem as Unidades de Conservação (UC) como espaço não formal para as práticas de EA enfocando a temática biodiversidade e iii) avaliar como e em quais níveis os professores se relacionam com a natureza, A dissertação está estruturada em uma coletânea de três artigos, sendo o primeiro intitulado “Metodologias de Educação Ambiental com enfoque na biodiversidade em UC do Brasil: uma revisão”, elaborado a partir de buscas nas bases de dados Periódicos Capes, Web of Science, Scielo e Scopus. Foram selecionados 20 artigos científicos que abordavam atividades práticas nas UC. No segundo artigo, intitulado “Concepções de professores sobre UC como espaço não-formal de aprendizagem para práticas de EA com ênfase em biodiversidade”, foram entrevistados 86 professores em 57 escolas de Teresina e Altos, Piauí. Destacou-se que 70,9% dos professores já desenvolveram atividades práticas, sendo a maioria ações pontuais. Constatou-se que o estreito conhecimento sobre a biodiversidade nas UC dificulta a realização de atividades práticas, e sugere-se o desenvolvimento de parcerias entre escolas e universidades com as UC, principalmente na região nordeste, em que se predomina a caatinga. No terceiro artigo, intitulado “Níveis de relacionamento com a natureza: atitudes ambientais de professores de escolas de Teresina e Altos, Piauí”, foram entrevistados 86 professores em 57 escolas de Teresina e Altos, Piauí. Como metodologia, foram adotadas as escalas New Environmental Paradigm (NEP) e Nature Relatedness (RN). Os dados da escala NEP e RN indicam que muitos professores ainda possuem uma visão antropocêntrica do meio ambiente, reconhecendo os danos causados pelas ações humanas, mas demonstrando confusão em relação ao seu vínculo com a natureza. Propõe-se que pesquisas futuras investiguem como a formação continuada em Educação Ambiental pode impactar a escolha de áreas verdes para atividades práticas por parte dos professores em formação.

  • JERLANE SOUSA OLIVEIRA
  • Processos históricos em assentamentos rurais em Teresina à luz da teoria da atividade histórico-cultural
  • Orientador : JOAO BATISTA LOPES
  • Data: 02/04/2024
  • Mostrar Resumo
  • A alta concentração fundiária tem intensificado o debate agrário nacional ao longo dos anos, envolvendo amplos setores da sociedade brasileira, em que se ressalta a preocupação de mudança da estrutura fundiária, com a perspectiva de minimizar os problemas sociais decorrentes deste processo instalado, além de ampliar a capacidade produtiva do país, melhorando o abastecimento interno. Assim, o presente estudo foi desenvolvido com o objetivo de analisar o contexto histórico do acesso e uso da terra, bem como as relações com a produção agrícola em assentamentos do Programa de Reforma Agrária, na zona rural de Teresina, Piauí. A pesquisa foi desenvolvida nos assentamentos 17 de Abril e 08 de Março, envolvendo o recorte temporal de 2004 a 2023 para o primeiro assentamento, enquanto para o segundo, o período de 2016-2023. Nos dois assentamentos foram buscadas informações relacionadas à infraestrutura, contextos históricos, bem como, o percurso dos processos envolvendo a ocupação, posse da terra, definição das atividades agrícolas e dinâmicas adotadas. Foram realizadas entrevistas semiestruturadas com os assentados dos dois assentamentos, as quais foram gravadas em áudios. Após esta etapa, o material obtido foi transcrito e analisado em conformidade com os princípios da Teoria da Atividade Histórico-Cultural (TAHC), sendo elaborada a construção dos sistemas de atividades inicial e atual, um referente à origem e o outro atual (2023) de cada assentamento, que possibilitou compreender diversos aspectos do desenvolvimento dos assentamentos. Também, foi construída a linha do tempo de cada assentamento, ressaltando-se os eventos históricos críticos das lutas pela posse da terra e acontecimentos relevantes. No contexto do presente estudo, os resultados sugerem que os aspectos históricos individuais e coletivos desde o início da ocupação, até os dias atuais, em 2023, são relevantes nas relações sociais, organização, planejamento e no processo do uso da terra após a conquista dos assentados da zona rural de Teresina-Piauí, e efetivação da produção e comercialização de produtos agrícolas. Porém, ao analisar os objetos inicias e atuais do sistema de atividade de cada assentamento, acredita-se que após a posse da terra, a possibilidade da produção agrícola se tornar atividade prioritária no uso da terra foi prejudicada por diversos fatores, tanto de ordem econômica, estrutural, como pelos conflitos decorrentes da diversificação cultural dos grupos de assentados, em que grande parte era proveniente de áreas urbanas entre os municípios de Demerval Lobão e Teresina, sem vivência no meio rural. Também, na compreensão dos assentados sobre a importância das relações coletivas e das atitudes determinantes na luta pelas conquistas alcançadas ao longo dos anos foram se diluindo, dificultando avanços nas áreas sociais, no uso da terra e na melhoria da infraestrutura básica dos dois assentamentos. Neste sentido, foi observado no desenvolvimento dos sistemas de atividades de ambos assentamentos, que muitos elementos do SA permanecem iguais ao SA inicial ou ainda não se desenvolveram de forma que dessem conta das novas necessidades. Todo este cenário contribui para o surgimento de contradições históricas vivenciadas nos sistemas de atividades dos respectivos assentamentos, tendo como um dos principais resultados inesperados, a dificuldade de produção agrícola. 

     

  • JÉSSICA FERNANDA NEIVA VELOSO SOARES
  • Compósito ecológico de fibra proteica para substituição do Mdf no ecodesign de mobiliário
  • Orientador : JEFFERSON MENDES DE SOUZA
  • Data: 29/02/2024
  • Mostrar Resumo
  • Um dos grupos de materiais que mais gera impactos ambientais na sua extração e fabricação são os materiais lenhosos, assim como seus derivados, como o Medium Density Fiberboard (MDF). Esse tipo de material ganhou grande destaque no mercado atual, principalmente no ramo de produção de mobiliários, pela sua praticidade e baixo custo quando comparado com a madeira, porém, ainda se trata de um compósito que depende de uma matéria prima que tem sua retirada em grande parte de maneira prejudicial da natureza, efetuando gasto excessivo de fonte de energia durante sua produção, provocando emissão de gases que intensificam o efeito estufa. Diante dessa problemática, é necessário buscar novos compósitos ecológicos que possam substituir o MDF de maneira satisfatória. Assim, o objetivo principal desse estudo é desenvolver um composto a base das plumas da pena de frango e resina, que possa ser compatível para a substituição do MDF, atendendo os parâmetros normativos na aplicação do desenvolvimento de mobiliários. É possível classificar metodologicamente este estudo como pesquisa experimental, onde foi realizado a formulação do material compósito, visando realizar os testes padrões de caracterização da matéria, segundo suas respectivas normativas, que identificam a composição química, resistência mecânica, tração, níveis de dureza e seu comportamento em contato com substâncias líquidas. No ensaio de Espectroscopia de infravermelho por transformada de Fourier (FTIR), foi possível identificar variações dos picos referente a cada amostra dos compósitos e também em comparação a amostra controle e a amostra isolada A70, da pena de frango. Portanto, através deste teste, constata-se que os picos das amostras de pena de frango apresentaram um aumento em seu estiramento, verificando que de fato houve relação de homogeneização entre as fibras utilizadas no compósito e a resina do tipo epóxi e que as fibras da pena de frango possuem fonte proteica. No ensaio de absorção a amostra que obteve maior infiltração foi a A85, já a amostra A0 que é utilizada como amostra controle de 100% de resina não apresentou absorção considerável. No ensaio de inchamento em espessura todas as amostras apresentaram valores que se adequam a normativa, com índices inferiores a 12%, sendo a amostra A85, a que obteve o maior índice de capacidade de inchaço com 2,89%. Observa-se através do ensaio de impacto que, desconsiderando a amostra de controle que possui apenas resina, a classe de amostras que apresentou melhor desempenho foi a A85, com média de 21,86 J. Através desse estudo, foi possível desenvolver um material ecologicamente eficaz capaz de substituir o MDF, que possa ser inserido na classe de biomateriais e utilizado especialmente em móveis e estruturas projetadas, além disso, o composto deverá possuir bom desempenho e resistência mecânica, além de possuir capacidade de reciclagem, dentre as amostras estudadas, a que apresentou melhores resultados foi a A70, que possui apenas 30% de resina e 70% de pena de frango.

  • ELAYNE ANDRADE NAZÁRIO
  • Efetividade do licenciamento ambiental de empreendimentos de rochas ornamentais no Piauí
  • Orientador : ELAINE APARECIDA DA SILVA
  • Data: 07/02/2024
  • Mostrar Resumo
  • A mineração de rochas ornamentais é reconhecida como uma das potencialidades do Piauí. Dada a importância dessa atividade e os impactos a ela associados, o propósito desta pesquisa foi analisar a eficácia do licenciamento ambiental no setor de rochas ornamentais neste Estado. Os procedimentos metodológicos incluíram a avaliação de seis processos de licenciamento ambiental que tramitaram na Secretaria Estadual do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, através de um protocolo baseado em questões norteadoras. Adicionalmente, foram realizadas visitas a um dos empreendimentos analisados e a quinze marmorarias de Teresina – PI, onde foram verificadas as medidas de controle ambiental adotadas. Os resultados da aplicação das questões foram apresentados através das práticas de empresários e do órgão ambiental em relação ao licenciamento. Assim, ficou demonstrado que estes primeiros falham na entrega de documentos obrigatórios, tornando o procedimento ainda mais moroso. Ademais, em alguns estudos ambientais, não foi evidenciado como os dados foram coletados, se houve visita da equipe técnica responsável pelo estudo ao local do empreendimento. Ainda, verificou-se a ausência do diagnóstico ambiental e da Avaliação de Impactos Ambientais nesses documentos. Os estudos, como Plano de Recuperação de Áreas Degradadas, não apresentaram de forma satisfatória o planejamento das ações de recuperação, e alguns Relatórios de Desempenho Ambiental não cumprem a sua função principal. O órgão demonstrou displicência em relação a esses estudos ambientais mal elaborados, à cobrança da renovação da licença, à realização de vistorias para renovação de licença de operação e à solicitação de alguns documentos para os quais não foram encontrados subsídios legais para serem exigidos. Durante a visita à pedreira, constatou-se que a empresa não cumpre algumas medidas previstas, como o espalhamento de estéril, a suavização de taludes e o plantio de mudas. Em contrapartida, apresenta boa gestão dos recursos hídricos. Nas marmorarias analisadas, foi possível verificar que esses empreendimentos ultrapassam os níveis de ruídos estabelecidos na legislação. Apenas uma marmoraria mitiga adequadamente as poeiras, e as demais não destinam corretamente as embalagens vazias de massas plásticas, colas e ceras. Além disso, observou-se que apenas 53,33% destinam corretamente as lamas e os cacos. Constatou-se que nenhuma das marmorarias adere completamente as práticas de gestão ambiental estabelecidas na legislação. Diante disso, observa-se a necessidade de aperfeiçoar os processos de licenciamento com implementação de práticas rigorosas para análise dos estudos ambientais e estabelecimento de critérios claros para concessão das licenças, além da necessidade de fortalecer a fiscalização ambiental desses empreendimentos.

  • TATIANE FREITAS DOS SANTOS
  • Avifauna do estado do Piauí, Brasil: composição, conservação e educação ambiental
  • Orientador : ANDERSON GUZZI
  • Data: 05/02/2024
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O Piauí abriga uma rica diversidade faunística devido a sua variedade vegetacional.
    Entretanto, mudanças ambientais de ordem antrópica, têm sido comuns na região e retratam
    uma das principais ameaças para toda a biota existente. Diante do potencial de aumento de
    degradação e perda de habitat do estado, um estudo detalhado sobre a comunidade de aves da
    região se faz necessário. O objetivo do estudo foi verificar a diversidade e composição das
    aves nos diferentes biomas do Piauí e realizar atividades de educação ambiental com enfoque
    na conservação das espécies da região. O levantamento da avifauna foi realizado através de
    uma revisão bibliográfica das espécies em que sua ocorrência no estado está documentada
    cientificamente. Foram pesquisados artigos em periódicos, dissertações, teses e livros, através
    do Portal de Periódicos da CAPES/CNPq, Scielo, Google acadêmico, bibliotecas virtuais das
    instituições de ensino superior e registros de espécies na plataforma WikiAves. A partir da
    análise dos dados, foi possível a identificação de 554 espécies de aves, distribuídas em 44
    estudos com registros em 173 municípios do Piauí. Do total de espécies de aves registradas no
    Piauí, 480 apresentaram distribuição no Cerrado do estado, sendo 39 com distribuição restrita
    ao bioma. Com relação as espécies distribuídas na Caatinga, constatou-se o registo de 464
    espécies, sendo 22 com distribuição apenas na Caatinga. A Área de Transição CerradoCaatinga apresentou registro de 474 espécies documentadas, desse total, 15 apresentaram
    distribuição apenas na área. A avifauna registrada nos domínios do Piauí compreende um
    grupo bastante diverso e heterogêneo, do total geral de espécies, 44 são endêmicas do Brasil e
    38 com algum nível de ameaça de acordo com dados da IUCN (2023) e MMA (2022). Com
    relação as atividades de educação ambiental, estas ocorreram em uma escola pública de
    Parnaíba, Piauí. As atividades foram realizadas por meio de uma aplicação de questionários
    semiestruturados e palestras. A pesquisa contou com a participação de 113 alunos distribuídos
    em três turmas do ensino médio, com idade variando entre 15 a 19 anos. As atividades foram
    realizadas entre o período de abril a maio de 2023. Um questionário foi aplicado antes da
    palestra e um logo depois. Foi possível constatar que o conhecimento dos estudantes sobre a
    avifauna local ainda é limitado. Os alunos não conheciam, de fato, a diversidade de aves do
    estado, e a grande maioria relacionava a importância ecológica desse grupo com aspectos
    mais pessoais. Após as atividades desenvolvidas, pôde-se perceber que os discentes
    adquiriram um conhecimento amplo acerca das aves do Piauí. Em suma, após a realização
    desta pesquisa, fica explicita a importância da conservação da avifauna do Piauí.
    Considerando os dados da diversidade de espécies, associado aos impactos causados pela ação
    antrópica na região, recomenda-se um maior investimento em pesquisas científicas dessa
    natureza, a fim de se ter uma melhor compreensão da relação ecológica entre a avifauna e a
    variedade vegetacional do estado, e a difusão da educação ambiental e científica nas escolas
    para a construção desse conhecimento e para o desenvolvimento de uma consciência
    ecológica que entenda a importância da biodiversidade e dos aspectos relacionados a sua
    conservação.

  • ADELQUIS STANLEY MONTEIRO SANTIAGO
  • Aplicação de critérios e práticas sustentáveis nas contratações públicas em um órgão ambiental federal
  • Data: 02/02/2024
  • Mostrar Resumo
  • Promover contratações sustentáveis na Administração Pública, contribuindo para o desenvolvimento econômico, social e ambiental nacional, é um desafio significativo que pode ser viabilizado pela adoção de instrumentos e ferramentas de governança e sustentabilidade. O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis - IBAMA, órgão público que busca ser referência tanto nacional quanto internacional na promoção do desenvolvimento socioeconômico sustentável, também enfrenta desafios na implementação dessas contratações. Nesse contexto, esta pesquisa, classificada como um estudo qualitativo básico de propósito descritivo-interpretativo, tem como objetivo verificar a aplicação de critérios e práticas de sustentabilidade nas contratações realizadas pelo IBAMA no Estado do Piauí entre 2018 e 2022. A metodologia será baseada na análise qualitativa dos processos de contratação pública do IBAMA-PI, os quais estão listados no Portal da Transparência Pública do Governo Federal e foram obtidos junto ao órgão mediante solicitação de acesso às informações. Diante disso, foi conduzida uma entrevista semiestruturada com os servidores públicos envolvidos em todas as etapas desses processos (etapas internas e externas, bem como a execução e fiscalização dos contratos e a gestão de resíduos) para avaliar a presença do conceito de 'sustentabilidade' na cultura e no ambiente organizacional do Instituto, além de identificar as barreiras enfrentadas nesse processo, conforme percebidas pelos entrevistados. Por fim, a técnica de Análise de Conteúdo Categorial foi empregada para interpretar os dados e resultados obtidos, os quais poderão servir de base para sugestões de aprimoramento do Plano de Logística Sustentável (PLS) do IBAMA-PI, a fim de facilitar a prática efetiva de contratações públicas sustentáveis. Além disso, foi proposta uma abordagem de ensino corporativo por meio da elaboração de um Caso de Ensino que estará disponível para o órgão. Dessa forma, este estudo contribui para uma melhor incorporação de critérios e práticas de sustentabilidade em todas as etapas das contratações públicas realizadas pelo IBAMA-PI, promovendo o uso consciente e racional dos recursos públicos e naturais.

2023
Descrição
  • ILANA MARIA DE MOURA SOUSA
  • Qualidade ambiental dos espaços livres da Universidade Federal do Piauí sob a perspectiva da Avaliação Pós-Ocupação
  • Orientador : MARCELO BARBOSA FURTINI
  • Data: 18/12/2023
  • Mostrar Resumo
  • A Universidade Federal do Piauí, campus Ministro Petrônio Portella, foi fundada em 1971, e, principalmente a partir dos anos 2000, passou por significativas mudanças na sua estrutura física, as quais puderam impactar na sua qualidade ambiental. Diante dessa questão, o trabalho apresenta como objeto de estudo a qualidade ambiental fornecida pelos espaços livres da Universidade Federal do Piauí e a relação dos usuários com esses espaços. Uma análise inicial da instituição suscitou o questionamento que impulsionou o início da pesquisa: Os espaços abertos da Universidade Federal do Piauí, campus Ministro Petrônio Portella, proporcionam uma qualidade ambiental satisfatória para os seus usuários? Para abordar essa questão, foram consideradas as seguintes hipóteses: a) O contínuo crescimento das instalações físicas da Universidade Federal do Piauí, juntamente com a sua crescente ocupação, resultou na redução, fragmentação e falta de conexão dos espaços livres disponíveis; b) Os espaços livres carecem de características que contribuam para uma qualidade ambiental satisfatória; c) As características dos espaços livres não atendem às expectativas da comunidade usuária, tornando-os pouco atrativos. Com o intuito de lançar as bases para esta reflexão, o trabalho tem como objetivo geral analisar e interpretar o sistema de espaços livres da Universidade Federal do Piauí, campus Ministro Petrônio Portella, visando traçar estratégias para melhoria da qualidade ambiental desses espaços. Como objetivos específicos priorizou-se analisar como ocorreu a ocupação e expansão do campus e dos seus espaços livres; identificar o sistema de espaço livre existente, analisando suas potencialidades e fragilidades, e categorizar seu uso; compreender a forma de apropriação dos usuários sobre os espaços livres pesquisados, de modo a avaliar a adequação destes espaços às suas necessidades/aspirações; traçar diretrizes visando melhoria da qualidade ambiental dos espaços livres existentes; obter diagnósticos que subsidiem o ordenamento territorial do campus. Nesse contexto, metodologicamente buscou-se utilizar como estratégia de pesquisa a Avaliação PósOcupação, que faz uso de uma abordagem multimétodos e apresenta como resultado a elaboração de um diagnóstico sobre os espaços livres em questão, levando em consideração a percepção do usuário. Os resultados da pesquisa indicam que, na instituição examinada, existe uma quantidade considerável de espaços livres, no entanto, sua qualidade ambiental é questionável. Os diagnósticos obtidos por meio da análise técnica foram corroborados pela avaliação dos usuários, e com base nisso, foram formuladas diretrizes para a organização do campus em questão.

  • LÍGIA MICHELLE SILVA MENDES
  • Quebradeiras de Coco como símbolo de Resistência e Conservação dos Babaçuais no Município de Miguel Alves, Piauí
  • Orientador : MARCIA LEILA DE CASTRO PEREIRA
  • Data: 30/11/2023
  • Mostrar Resumo
  • As mulheres quebradeiras de coco babaçu se constituem em grupos sociais que tradicionalmente estabelecem uma estreita relação com a natureza, permitindo uma associação entre geração de renda e manutenção dos seus meios de vida. O presente trabalho destinou-se a compreender os modos de vida das quebradeiras de coco babaçu como símbolo de resistência e o seu papel na luta pela conservação das florestas de babaçu no município de Miguel Alves, Piauí. Nesse sentido, foi delimitada como área de estudo o município de Miguel Alves, não só por este ter se destacado como liderança na extração de amêndoas, mas principalmente pela importância sociocultural da atividade na reprodução social das famílias a qual essas quebradeiras de coco babaçu se encontram. Priorizamos a categoria das mulheres lideranças vinculadas à Associação das Quebradeiras de Coco do município de Miguel Alves, com foco nas experiências e trajetórias destas que remetem a lutas e resistência a favor da libertação e preservação das florestas de babaçu. Para tanto, os aspectos metodológicos da pesquisa, foram baseadas em estudo bibliográfico, técnicas de história oral, observações de vivências, anotações em diário de campo, além de produção de imagens. Tentar compreender e interpretar os saberes desses sujeitos sociais, requer a valorização de suas relações com a natureza, por meio de seus saberes e práticas tradicionais. Os resultados obtidos, demonstram que a partir da organização das mulheres e do movimento social na região foi possível alcançar importantes conquistas, à medida que propiciaram às mulheres quebradeiras de coco babaçu a afirmação de uma identidade coletiva, possibilitando que estas garantam a busca por uma autonomia, tornando-as capazes de atuar e se expressar como organizações sociais e políticas que apresentam destaque e relevância local/regional. Dessa forma, a diversidade cultural e a redefinição das conexões entre sociedade e natureza, garantem a gestão territorial e o manejo dos espaços e recursos naturais. E no contexto local das quebradeiras de coco da comunidade Riacho do Conrado, foi possível observar a preocupação com as palmeiras e principalmente da sustentabilidade no extrativismo do babaçu na microrregião. A organização sociopolítica na comunidade apresenta um caráter ecológico, pois têm como pauta a luta pela proteção dos babaçuais. No entanto, apesar desse fortalecimento de identidade coletiva, podemos concluir que as políticas públicas hoje existentes não são capazes de amparar o desenvolvimento econômico da atividade extrativa na comunidade, visto que esta ainda permanece complementar a outras atividades da agricultura familiar, além disso, se apresenta a ameaça do avanço de atividades ligadas aos grandes empreendimentos agropecuários. Portanto, o presente trabalho busca contribuir para a discussão e possível elaboração de políticas públicas e ações efetivas, que tenham como foco a mediação de conflitos socioambientais no território, além de contribuir para o desenvolvimento local sustentável na região, à medida que remete a valorização das sabedorias tradicionais, na construção de modelos de manejo sustentável melhor adaptados às condições locais.

  • CLEICIANE MARIA DE OLIVEIRA
  • CAÇA E CAPTURA DE VERTEBRADOS TERRESTRES PARA DIFERENTES FINS EM ÁREAS DE CAATINGA E CERRADO DO BRASIL
  • Orientador : WEDSON DE MEDEIROS SILVA SOUTO
  • Data: 31/08/2023
  • Mostrar Resumo
  • As relações de dependência entre humanos e a fauna silvestre existe há muito tempo. Estudos etnozoológicos tem contribuído cada vez mais para um melhor entendimento desse cenário. Animais são capturados e destinados para diferentes fins, como fonte de alimentação, medicamentos ou mesmo para obtenção de renda. Diante disso, nosso trabalho buscou identificar as famílias e espécies mais exploradas para diferentes finalidades nos biomas Caatinga e Cerrado através de um levantamento bibliográfico e, verificamos os usos e interesse comercial de animais silvestres pela população rural e urbana do município de São Félix, estado do Piauí. Aqui foram desenvolvidos dois trabalhos, que serão apresentados em forma de capítulos. O primeiro, foi uma revisão bibliográfica envolvendo artigos que abordavam o uso da fauna silvestre na caatinga e no cerrado brasileiro. Utilizamos um conjunto de palavras-chave e, após a coleta de dados, aplicamos métodos de estatística descritiva e calculamos a riqueza de espécies. Já para a construção do segundo trabalho, foram aplicados questionários semiestruturados aos caçadores rurais e urbanos do município de São Felix, Piauí, a fim de conhecer os perfis socioeconômicos, bem como, caracterizar o uso de animais silvestres na atividade cinegética. Além disso, realizamos conversas informais e acompanhamento noturno com os caçadores em dois períodos distintos- chuvoso e seco. Após a coleta de dados, realizamos análises estatísticas utilizando um Modelo Linear Generalizado (GLM), o software SPSS (Statistical Package for the Social Sciences) versão 20.0 e o excel a fim de alcançar os objetivos propostos. Os resultados da revisão mostram uma pressão acentuada sobre a avifauna, principalmente na Caatinga, sendo as famílias Thraupidae e Psittacidae as mais representativas. De acordo com os resultados do capítulo ll, observamos apenas 3 variáveis que influenciaram no número de espécies de animais silvestres citados como alvo de caça, foram elas: local de residência, número de moradores na casa e estado civil. Com relação à caracterização da caça, vimos que maioria dos caçadores praticam a atividade desde cedo e a maioria recebeu algum incentivo para iniciar a atividade. Quanto às técnicas de captura, a caça com o uso do cão foi a estratégia mais citada. observamos 13 espécies reportadas pelos caçadores locais que apareceram tanto na estação chuvosa quanto de estiagem, com exceção do Mazama gouazoubira (Veado-catingueiro) que só foi caçado durante a seca. Destes, 7 eram mamíferos 6 aves e. As espécies mais citadas foram: tatu-verdadeiro (Dasypus novemcinctus), mambira (Tamandua tetradactyla) e peba (Euphractus sexcinctus). Todos os caçadores de ambas as comunidades disseram consumir a carne de caça, um menor percentual disse utilizar para fins medicinais e somente os caçadores rurais revelaram praticar o comércio. A maioria dos entrevistados declarou que as espécies estão diminuindo, que a caça tem contribuído para tal realidade e que é importante pensar na manutenção dessas espécies na natureza. Considerando a incidência da caça furtiva, é importante ampliar os estudos etnozoológicos e, consequentemente promover estratégias de conservação das espécies que vem sofrendo maior pressão.

  • JESSICA MARIA DE OLIVEIRA GALENO
  • MANEJO SUSTENTÁVEL DAS ÁGUAS PLUVIAIS DE TERESINA-PI
  • Orientador : RENATA SHIRLEY DE ANDRADE ARAUJO
  • Data: 31/08/2023
  • Mostrar Resumo
  • O crescimento da taxa de ocupação do solo altera a área e reduz a vegetação natural,
    resultando em maior escoamento de água da chuva. Isso afeta o ciclo hidrológico e pode
    causar problemas na drenagem urbana. A gestão integrada do manejo dos resíduos sólidos
    com a drenagem urbana, assim como o cuidado com a incidência das doenças de veiculação
    hídrica, fortalece a drenagem urbana sustentável, contudo, faz-se necessário verificar a
    receptividade social para implantação de critérios técnicos para uma proposta de inserção de
    elementos, voltados para aumentar o volume de infiltração das águas pluviais no solo. Esse
    trabalho tem como objetivo estimar a redução do pico de vazão das chuvas com o uso de
    metodologias LIDs no município de Teresina-Piauí. Para a pesquisa foram realizadas
    entrevistas com órgãos gestores responsáveis pelo manejo dos resíduos sólidos e pela
    drenagem urbana do município, para conhecer a situação atual da gestão para manejo das
    águas urbanas e dos resíduos sólidos. Também foi aplicado questionário para a comunidade
    acadêmica da Universidade Federal do Piauí (UFPI), a fim de verificar como essas pessoas
    foram afetadas por problemas relacionados à drenagem urbana e sua disposição para
    contribuir junto à gestão municipal na busca por alternativas que possam minimizar os
    impactos. A análise do Plano Diretor de Drenagem Urbana e o Plano Municipal de
    Saneamento Básico ocorreu para avaliar o grau de prioridade da ampliação do sistema de
    drenagem. Além disso, informações sobre doenças relacionadas à água foram coletadas da
    Fundação Municipal de Saúde (FMS) do município. Foram selecionados seguintes
    equipamento LIDs: telhado verde, pavimento permeável e a trincheira de infiltração. Eles
    foram aplicados nas sub-bacias indicadas como prioridade, utilizando 5%, 10% e 15% da área
    total da sub-bacia. A redução do pico de vazão foi igual para todas as técnicas, variando
    apenas conforme a área. A redução para utilização de 5% de área LID ficou entre 3,44% a
    5%, com 10% de LID variou de 7,01% a 10% e com 15% de área LID a redução foi de 10,7%
    a 15%. As respostas do questionário identificaram os bairros com problemas de drenagem.
    Foram selecionados para simulação os bairros sem projetos existentes ou planejados: o bairro
    Ininga na zona Leste, situados nas sub-bacias PD08, PD09 e PD10; os bairros Ilhotas e
    Primavera na zona Norte, que estão nas sub-bacias PE12, PE13, PE16, PE17 e PE18; e os
    bairros Angelim, Bela Vista, Lourival Parente e Santo Antônio na zona Sul, situados nas sub-
    bacias P1, P2, P3, P4, P5, P6, P7, P8, P9, PE1, PE3, PE5, PE6, PE8, PE7, PE9 e PE11. A
    pesquisa mostrou, também, boa aceitação da população a respeito da implantação de medidas
    sustentáveis de drenagem, onde a 81,86% manifestou estar disposta à inserção de dispositivos
    de retenção e infiltração das águas pluviais em suas residências. O trabalho ainda relacionou o
    mês com maior incidência de doenças com o período chuvoso. Concluiu-se necessário
    fortificar a integração das gestões públicas promovendo políticas públicas que estimulem a
    inserção de dispositivos sustentáveis.

  • MARINELDO DE BRITO LIMA
  • TRANSFORMAÇÕES NA PAISAGEM DA REGIÃO HIDROGRÁFICA CANINDÉ-PIAUÍ NO SEMIÁRIDO PIAUIENSE: UMA ANÁLISE DA DINÂMICA DE USO E COBERTURA DA TERRA ENTRE 1985 E 2020
  • Orientador : CARLOS ERNANDO DA SILVA
  • Data: 31/08/2023
  • Mostrar Resumo
  • As alterações na superfície terrestre, resultantes das modificações no uso e cobertura do solo, têm sido amplamente reconhecidas como desencadeadoras de degradação na qualidade da água e de outras preocupações ambientais. Devido à intensa interação antrópica com o meio ambiente, as configurações de uso e cobertura da terra passam por mudanças constantes, seja devido ao desmatamento, atividades econômicas que impactam diretamente os recursos hídricos, ocupações irregulares, entre outros fatores. Com o objetivo de contribuir para a discussão sobre as dinâmicas e transformações nas bacias hidrográficas do estado do Piauí, este estudo objetivou realizar uma análise temporal do uso e ocupação da terra na Região Hidrográfica dos Rios Canindé-Piauí (RHCP), compreendendo o período de 1985 a 2020. Foram selecionados alguns dos principais reservatórios superficiais para a análise das condições de conservação em seus arredores, buscando identificar possíveis indícios de risco à segurança hídrica. A análise do uso e ocupação do solo na área da Região Hidrográfica dos Rios Canindé-Piauí foi conduzida através do geoprocessamento de arquivos em formato raster, produzidos e disponibilizados pelo Projeto MapBiomas. Esses arquivos abrangem todo o território brasileiro. Para delimitar a área de pesquisa, produzir mapas e extrair dados quantitativos, utilizou-se o software QGIS 3.22.3. Visando aprimorar a eficiência das análises, foi realizada uma discretização da Região Hidrográfica dos Rios Canindé-Piauí utilizando dados do Shuttle Radar Topography Mission (SRTM), resultando em três Sub-bacias. A análise dos resultados demonstra uma distribuição diversificada das classes ao longo da Bacia Hidrográfica dos Rios Canindé-Piauí. No período de 1985 a 2020, ocorreu um aumento considerável da área urbana e uma redução na quantidade de água superficial disponível. A porção nordeste da região apresentou a maior alteração na dinâmica natural, com um considerável aumento de atividades agropecuárias. Apesar das mudanças em algumas classes, a área ocupada pelas vegetações nativas praticamente não sofreu alterações, indicando um predomínio de transformações de uso nas áreas já impactadas pela atividade humana. Os arredores de alguns reservatórios utilizados para abastecimento humano mostram alterações consideráveis em seus entornos, com uma forte supressão da vegetação nativa, alterações que podem resultar em graves problemas socioambientais para a região. Isso evidencia que as ferramentas relacionadas ao sensoriamento remoto constituem uma boa opção para auxiliar na gestão de recursos naturais, bem como na identificação de potenciais ameaças à segurança hídrica.

     

  • FRANCISCA JULIANA SANTOS PEREIRA
  • A Cidade Mercadoria e o Vazios Urbanos em Teresina-Piauí
  • Orientador : GIOVANA MIRA DE ESPINDOLA
  • Data: 31/08/2023
  • Mostrar Resumo
  • Na literatura, o significado de vazios urbanos tem diversas definições, abrangendo aspectos
    sociais, administrativos e jurídicos. Atribuído a valores conforme sua localização geográfica e
    ação antrópica. Nesta pesquisa considerou-se vazios urbanos, os lotes e glebas não edificados,
    localizados dentro do perímetro urbano. Resultado do crescimento especulativo imobiliário
    vinculado aos espaços vazios que permaneceram previamente inexplorados e não esquecidos
    por um período considerável, reflexo da cidade tratada como mercadoria. Estabeleceu-se
    como objetivo geral desta pesquisa analisar os vazios urbanos no perímetro urbano de
    Teresina, entendendo tal processo como resultado de um padrão urbano expansionista não
    incidental. Especificamente: Realizou-se uma discussão sobre os tipos de vazios urbanos
    existentes na cidade de Teresina com base nas normativas urbanísticas atuais e o respectivo
    Plano Diretor de Ordenamento Territorial- PDOT; caracterizou-se a expansão urbana de
    Teresina, por meio do sensoriamento remoto, quantificando os padrões de uso e cobertura da
    terra; analisaram-se a relação entre os vazios urbanos e os agentes públicos e privados da
    cidade de Teresina, associados aos vazios urbanos nas zonas Norte e Leste de Teresina; e
    analisaram-se as questões ambientais em relação aos vazios urbanos de Teresina. Na pesquisa,
    foram utilizados procedimentos metodológicos que envolveram a coleta de dados através de
    materiais e métodos sequenciais, representados em um fluxograma: dados pré-existentes,
    banco de dados geográficos, análises espaciais. Para atender as abordagens qualitativas e
    quantitativas, incluindo a pesquisa de campo num total de dezessete pontos visitados entre as
    zonas Norte e Leste de Teresina com vistas a caracterização dos tipos de vazios existentes na
    cidade. Os resultados mostraram uma análise temporal do uso e cobertura da terra (2000 a
    2020) para mapear a expansão urbana e infraestrutura na área estudada, destacando a perda de floresta, e o aumento da área não vegetada. Também se observou mudanças no perímetro
    urbano em momentos de retração e avanço. Nas discussões sobre os Planos Diretores e vazios
    urbanos, percebe-se que o processo de expansão da cidade contribuiu para a criação de novos
    vazios urbanos, conforme documentos e normativas urbanísticas. Teresina possuí uma
    porcentagem de 28, 02% do perímetro urbano de lotes e glebas vazias. As zonas Norte e Leste
    possuem características distintas, com atuação do mercado imobiliário de maneira
    diferenciada, dado a localização e os aspectos socioeconômicos de cada região. Os vazios
    urbanos têm uma conexão complexa com questões ambientais. A perda de vegetação resulta
    na degradação da qualidade do ar e elevação das temperaturas. Além disso, esses espaços
    acumulam resíduos sólidos e favorecem a segregação social. Podem ser explorados como
    oportunidades para implementar infraestrutura, habitações de interesse social e áreas verdes,
    que ajudam a aumentar a resiliência das cidades. Em suma, a pesquisa reforçou a importância
    de uma abordagem abrangente e integrada para lidar com esse fenômeno, considerando
    aspectos sociais, econômicos e ambientais, bem como a colaboração entre o setor público, o
    setor privado e a sociedade civil na busca por soluções que melhorem a qualidade de vida dos
    habitantes e promovam o desenvolvimento sustentável da cidade.

  • SÍLVIA DE ARAÚJO
  • Especificidades socioeconômicas e ambientais da agricultura familiar no município de Parnaíba, Piauí
  • Orientador : JAIRA MARIA ALCOBACA GOMES
  • Data: 31/08/2023
  • Mostrar Resumo
  • A agricultura familiar se caracteriza pela posse da propriedade e dos meios de produção, consiste na gestão produtiva e mão de obra de base familiar. Por ser uma atividade essencial para o desenvolvimento socioeconômico e ambiental do meio rural, motivou-se a sua relação com o Objetivo do Desenvolvimento Sustentável (ODS): acabar com a fome, alcançar a segurança alimentar e melhoria da nutrição e promover a agricultura sustentável. O estudo foi realizado em Parnaíba, Piauí, situado em área de grande importância socioeconômica e ambiental, e representa a segunda maior população do estado, predominantemente urbano, com atividades econômicas concentradas no setor de serviços e menor representação na agropecuária. A questão de pesquisa aborda as particularidades socioeconômicas e ambientais da agricultura familiar para o município de Parnaíba – PI. A hipótese é que a agricultura familiar parnaibana contribui para a segurança alimentar das famílias de agricultores, apresenta fragilidades de organização coletiva e precariedade na adoção de práticas conservacionistas. O objetivo geral é analisar as características socioeconômicas e ambientais da agricultura familiar de Parnaíba. Especificamente, identificar o perfil social dos agricultores familiares, analisar a composição agrícola familiar e verificar as técnicas de produção. A metodologia utilizada consistiu na análise de dados estatísticos obtidos do Censo Agropecuário Brasileiro de 2017, acessíveis por meio do Sistema de Recuperação Automática (SIDRA) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). As informações obtidas foram tratadas a partir da estatística descritiva, analisados, sistematizados sob formas de tabelas e gráficos. Os resultados demonstram desafios no potencial produtivo, na manutenção e permanência da agricultura familiar de Parnaíba. Contrastando com as evidências do contexto brasileiro, onde o segmento é responsável substancialmente pelo número de estabelecimentos e mão de obra ocupada, no município essa representatividade é menor. Além disso, predominam-se na gestão dos estabelecimentos um grupo de pessoas de idade mais avançada. É importante ressaltar que essas diferenças se associam a fatores específicos do contexto local. Como mencionado, a concentração das atividades econômicas no setor de serviços. Dentre os aspectos que se assemelham à agricultura familiar no âmbito geral, majoritariamente os estabelecimentos são administrados por homens. No contexto produtivo, a agricultura familiar do município se destaca na produção de alimentos básicos, provedora do mercado interno e segurança alimentar das famílias agricultoras, pois desempenha, sobretudo, a produção destinada ao autoconsumo. Entretanto, observou-se reduzida prestação de assistência técnica, de instrução educacional e organizacional. Este último indicador é representado pelo ínfimo número de produtores associados a cooperativas. Destaca-se, também, a prevalência de pequenos estabelecimentos, originados da fragmentação de reduzidas extensões de terras, acentuando a persistência histórica da concentração de ativos fundiários na agropecuária do país. Do ponto de vista ambiental, apesar da agricultura familiar de Parnaíba priorizar a utilização mínima de agrotóxicos, é notável a escassez de práticas conservacionistas. Estes fatos fazem com que o segmento enfrente desafios na sua condução de ser atividade sustentável.

     

     


  • LUCIANO UCHÔA FRAGA LEITÃO
  • Turismo e Sustentabilidade: O Desafio do Ecoturismo no Município de Pedro II, Piauí
  • Orientador : WILZA GOMES REIS LOPES
  • Data: 29/08/2023
  • Mostrar Resumo
  • A cidade serrana de Pedro II, localizada na região Nordeste do Piauí, é dotada de condições naturais para a prática do Ecoturismo, segmento do turismo este, que fomenta a conservação ambiental, ao tempo que promove a participação de comunidades locais no contexto da atividade turística. O município está situado na Área de Proteção Ambiental da Serra da Ibiapaba e é conhecido como a Terra da Opala, devido a presença de importantes reservas deste mineral. Pedro II teve um crescimento de sua atividade turística nos últimos anos, sobretudo, a partir da realização, desde 2004, do Festival de Inverno, evento que congrega música, gastronomia e ecoturismo, trazendo significativa projeção para o município. No entanto, verifica-se a presença de impactos ambientais negativos nos atrativos naturais existentes e uma forte sazonalidade da atividade turística, justificando a necessidade de estudos sobre como esta atividade está sendo planejada e operacionalizada no município. Portanto, este estudo tem como objetivo analisar os impactos provenientes da prática do Ecoturismo em Pedro II, considerando as dimensões ambientais e socioeconômicas. Foi realizado estudo exploratório e descritivo, de corte transversal, com abordagem quali-quantitativa. Para atender aos objetivos propostos, foram realizadas consultas aos projetos, leis e programas existentes em nível municipal, levantamento de informações em setores ligados às atividades turísticas e a realização de entrevistas com residentes em comunidades rurais que trabalham com o turismo, com os receptivos turísticos e com o setor público, com enfoque nos aspectos econômicos, sociais e ambientais. elementos estes que compõe o tripé do desenvolvimento sustentável. Foi verificada a potencialidade de Pedro II para o Ecoturismo, sobretudo, pela existência de cachoeiras, mirantes e trilhas, na região da Serra dos Matões, tendo como principais passeios ofertados aos turistas, as visitas às quedas d’águas da Urubu Rei e do Salto Liso. Destaca-se, que os passeios são oferecidos, sobretudo, por dois receptivos turísticos na cidade, bem como por uma parcela de residentes nas comunidades rurais, próxima aos atrativos, que operam informalmente como condutores e possuem pouca capacitação. Constatou-se, que os impactos positivos da atividade turística foram, o incremento na renda, melhoria de infraestrutura local, aprendizado, interações sociais, a elevação da autoestima e uma maior visibilidade para Pedro II. No que se refere aos efeitos negativos da atividade turística, foram relatados a presença de resíduos deixados nas trilhas, queimadas, pichações, falta de segurança, acessibilidade precária e processos de aculturação. Foi constatado, também, forte sazonalidade do turismo, com ênfase à época do Festival de Inverno, necessidade de capacitações, de um diálogo mais substancial do gestor público com os operadores do turismo, estímulo às ações que incentivem a inclusão das comunidades rurais no contexto do turismo e uma maior divulgação das potencialidades turísticas do município. Ressalta-se, ainda, a necessidade de se implantar ações efetivas que estimulem o Ecoturismo, com foco na capacitação e inserção da educação ambiental nas diretrizes da atividade do turismo em Pedro II, tendo como finalidade o fortalecimento dos princípios que regem o turismo sustentável, na medida que proporcionaria uma maior distribuição de ganhos coletivos para as comunidades e a mitigação dos impactos negativos observados na pesquisa.

  • ANA CHRISTINA SOARES CUNHA
  • PERCEPÇÃO DE MORADORES E COMERCIANTES EM RELAÇÃO À PERTURBAÇÃO AMBIENTAL NA BARRAGEM DO BEZERRO NO MUNICÍPIO DE JOSÉ DE FREITAS/PI
  • Orientador : DENIS BARROS DE CARVALHO
  • Data: 28/08/2023
  • Mostrar Resumo
  • A questão ambiental é um tema muito importante e deve ser exposto de forma coesa e acessível para que a população possa ter conhecimento da real condição do meio ambiente, todavia, para tal fim, a mídia deve tratar essa questão de forma clara e explícita para que todos tenham conhecimento de como o meio ambiente encontra-se devido à ação do homem e o papel que cada um exerce no meio. O trabalho em questão objetiva – se em avaliar a percepção ambiental dos moradores e comerciantes que vivem no entorno da Barragem do Bezerro, bem como verificar como as informações ambientais são repassadas pela mídia estadual. Para a análise de reportagens jornalísticas, a pesquisa fez o levantamento de 73 notícias divididas nos três portais de notícias no período de abril de 2013 a abril de 2022. O portal A apresentou a maior quantidade de notícias, com 30 (41,09%), o portal B, com 29 (39,72%) e o portal C, com 14 (19,17%), o pico de notícias nos três portais ocorreu no ano de 2018, quando a barragem apresentou uma ruptura e houve ameaça de rompimento. Em suma, constatou-se que a mídia eletrônica piauiense retrata a barragem do bezerro apenas no período que os níveis de chuvas são altos. A análise feita nos três portais revelou que as notícias em relação à Barragem do Bezerro só se deram em momentos de crises, no ano de 2015 pelo seu baixo nível e em 2018 pelo seu alto nível, refletindo uma inconstância, ou seja, o olhar para a barragem se deu em momentos esporádicos. Já para a verificação da percepção ambiental foram realizadas entrevistas com moradores e comerciantes que vivem no entorno da barragem do Bezerro, localizada no Município de José de Freitas, Piauí, localizada a 55 km de Teresina. Os dados coletados na pesquisa foram submetidos a uma análise quali-quantitativa, a abordagem combinada de métodos qualitativos e quantitativos proporciona uma base mais sólida para a análise dos dados coletados na pesquisa. 28 pessoas que concordaram voluntariamente em participar no estudo, 15 moradores e 13 comerciantes. Através deste estudo, é possível constatar que os participantes reconhecem mudanças significativas no município que resultam em perturbações na barragem do Bezerro. No entanto, apesar de perceberem essas perturbações no manancial, esses indivíduos não se veem como contribuintes ativos no processo de perturbação. Em vez disso, eles não consideram suas próprias ações como não ecológicas e atribuem a responsabilidade a outra parcela da população.
  • FABRÍCIO SOARES DE SOUSA
  • Composição Florística e Fatores de Facilitação Em Vegetação De Moitas em Área De Restinga, Ilha Grande, Piauí, Brasil
  • Data: 21/08/2023
  • Mostrar Resumo
  • O litoral brasileiro é formado por um conjunto complexo de elementos climáticos, oceanográficos e geomorfológicos, criando uma subdivisão do litoral em zonas distintas, denominadas litoral amazônico, litoral nordeste, litoral leste e litoral sudeste. Objetivou-se realizar o levantamento florístico em moitas de vegetação de restinga no município de Ilha Grande, estado do Piauí, além de caracterizar os fatores abióticos que influenciam na formação de moitas, classificar os níveis sucessionais das espécies, identificar espécies com características de plantas berçário com potencial de desenvolvimento isolado e obter informações e saberes locais (etnobiologia) sobre este tipo vegetacional e espécies. O estudo está estruturado em manuscritos. O primeiro sendo manuscrito “Inventário florístico de moitas na restinga do município de Ilha Grande, Piaui, Brasil”. Este foi realizado na localidade Cal, inserido dentro dos limites territoriais da APA do Delta do Parnaíba, onde foi realizado o sorteio de 10 moitas com coletas mensais, Foram identificadas 41 espécies distribuídas em 19 famílias. As famílias Fabaceae 12, Euphorbiaceae 4, Poaceae 6 e Rubiaceae 4 foram as mais representativas em número de espécies. Anacardium occidentale L. e Byrsonima crassifolia (L.) Kunth. apresentou índice de diversidade de Shannon H’ 3,66, dentro da média para diversidade de espécies em restinga. O manuscrito II intitulado “Etnobiologia dos moradores da comunidade Cal em Ilha Grande, Piaui, Brasil”, com o objetivo de obter informações e saberes locais (Etnobiologia) sobre a vegetação, com identificação de plantas com potencial facilitador e/ou uso para atividades rotineira, além de avaliar a percepção da comunidade sobre a Área de Proteção Ambiental-APA Delta do Parnaíba, no município de Ilha Grande (PI). Os colaboradores responderam um questionário com dois blocos de perguntas um socioeconômico e outro sobre o conhecimento etnobotanico e persepçao. A maioria dos entrevistados é do gênero feminino (63%), com idade de 31 a 59 anos e que desenvolvem a pesca como a fonte principal de renda. Com relação ao conhecimento vegetal, os moradores demostram possuir conhecimento considerável sobre a vegetação e o processo de formação de moitas, e citam Anacardium occidentale L., Byrsonima crassifolia (L.) Kunth, Hymenaea courbaril L., Mouriri pusa Gardner e Chrysobalanus icaco L. como especies pioneiras, com grande capacidade de cobrir o solo, além de serem as frutíferas mais comuns da região, que são fonte de renda extra no período produtivo. O manuscrito III intitulado: “Percepção Ambiental de Atores da Comunidade do Cal na Área De Proteção Ambiental Delta Do Parnaíba-APA Ilha Grande, Piauí, Brasil” foi realizado com o objetivo de investigar a percepção dos moradores sobre a Área de Proteção Ambiental-APA Delta do Parnaíba sobre a movimentação de dunas. Para o desenvolvimento foi utilizado a técnica de “rapport” seguida de questionários composto de dois blocos de perguntas de aspectos sociais, econômico e da percepção ambiental sobre o conhecimento da vegetação. A amostra obtida foi de 63% composto pelo gênero feminino, com a faixa etária de 31 a 59 anos, 76,8% com a escolaridade nível ensino fundamental incompleto e quase metade 47% recebem menos de um salário-mínimo. Com relação ao conhecimento de unidade de conservação (UC), a maioria (84%) dos entrevistados relatam não saber nada a respeito, embora 74% dos participantes já tenham recebido alguma vez a informação sobre a APA vinda da família, 26% por outros meios. Cerca de 63% consideram um problema ambiental o avanço das dunas para a comunidade, e buscam ações para reduzir o desacelerar esse avanço.

  • RAVENA FEITOSA GONÇALVES
  • Etnobotânica médica e doenças bucais na comunidade Lagoa do Vento (Itaueira-PI)
  • Orientador : ROSELI FARIAS MELO DE BARROS
  • Data: 14/07/2023
  • Mostrar Resumo
  • O homem do campo tem estreita relação com o meio ambiente e acumula saberes sobre a utilização de plantas com fins medicinais, dentre as quais se destacam as que são aplicadas no tratamento e prevenção de patologias na cavidade oral. Objetivou-se identificar as relações estabelecidas entre plantas medicinais e o tratamento e prevenção de doenças bucais numa comunidade rural piauiense. Especificamente objetivou-se efetuar o registro, identificação, formas de uso e posologia das plantas conhecidas/ utilizadas na prevenção e no tratamento de patologias bucais; listar as patologias citadas pelos atores sociais, sua profilaxia e tratamento das doenças e; realizar o mapeamento das publicações científicas sobre o uso de espécies botânicas na saúde bucal, traçando o panorama sobre a temática no intervalo de 2012 a 2022. A pesquisa foi realizada na comunidade Lagoa do Vento (Itaueira- Piauí), com 43 pessoas que aceitaram voluntariamente participar do estudo, 20 (46,5%) pertencentes ao gênero feminino e 23 (53,5%) masculino, com idades que variam de 19 a 69 anos. A abordagem metodológica foi mista (qualitativa e quantitativa). As entrevistas foram procedidas por meio da aplicação de formulários com questões abertas e fechadas, visando coletar dados sobre o conhecimento e utilização de plantas no tratamento e prevenção de patologias bucais. O registro por meio de fotografias e a coleta do material botânico foram realizados mediante turnês-guiadas. O cálculo do Nível de Fidelidade (FL) foi aplicado para verificar a relação das espécies de plantas citadas, bem como as patologias bucais intrínsecas a elas. As categorias de maior importância relativa local foram verificadas por meio do Fator de Consenso do Informante (FCI). O Índice de Diversidade (Shannon-Wierner) foi calculado para aferir a riqueza da flora investigada. Também foram verificados os Valores de Uso (atual/potencial) da flora levantada. Foram citadas 41 espécies botânicas conhecidas e utilizadas no tratamento e prevenção de patologias bucais, distribuídas em 26 famílias. No que se refere a origem da flora botânica citada pelos informantes, constatou-se que 21 (51, 22%) são exóticas e 20 (48,78%) nativas. A maioria apresenta hábito arbóreo (39,02%), seguido de herbáceo (36,58%), arbustivo (12,19%), subarbustivo (9,75%) e liana (2,43%). As espécies foram indicadas para tratar e prevenir patologias como: dor de dente, feridas no trato oral, inflamações e halitose. O caule foi a principal parte da planta apontada como útil, sendo citado 14 vezes (33,33%), seguido pela folha, mencionada 11 vezes (26, 19%) e fruto descrito oito vezes (18,6%) pelos participantes da pesquisa. O chá destacou-se como a forma de preparo mais comum, sendo apontado 21 vezes (46,6%), seguido do consumo in natura com 17 citações (37,7%) e o pó com três indicações (6,66%). A análise bibliométrica, cujos dados foram coletados no Google Acadêmico e no Portal de Periódicos, disponibilizado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), utilizando-se as palavras-chave “medicinal plants AND oral health”, “plantas medicinais AND saúde bucal”, “ethnobotany AND oral health”, “Etnobotânica AND saúde bucal”, apontou 26 artigos que abordam a temática, distribuídos na África, Ásia, América e Oceania, sendo o ano de 2019 contemplado com o maior número de publicações, com cinco artigos revelados (19,23%). No Brasil, foram encontrados oito estudos etnobotânicos, que apontaram 57 espécies de plantas medicinais, distribuídas em 34 famílias distintas, indicadas pelo público investigado como úteis para tratamento e prevenção de afecções dentárias. A descrição das principais espécies utilizadas no tratamento e prevenção de patologias bucais e podem ajudar a preservar o conhecimento etnobotânico e a biodiversidade, além de servir como base para futuras pesquisas etnofarmacológicas.

     

  • EGBERTO BATISTA DE OLIVEIRA
  • SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA: O Papel dos Institutos Federais à Luz dos Principais Instrumentos de Gestão Pública Ambientai
  • Orientador : DENIS BARROS DE CARVALHO
  • Data: 10/07/2023
  • Mostrar Resumo
  • A Administração Pública pode adotar uma série de atividades em conformidade com a gestão ambiental sustentável, como por exemplo: a regulação estatal, o gerenciamento de projetos, a promoção da eficiência energética, o uso eficiente da água, a gestão de resíduos sólidos, a capacitação dos servidores e o incentivo à educação ambiental. Entretanto, a gestão ambiental precisa vir acompanhada de uma mudança cultural, onde alguns hábitos positivos precisam ser assimilados por consciência ambiental e não apenas pressões sociais ou somente para cumprir a legislação. Objetivou-se com esta pesquisa: analisar a aplicação e divulgação de instrumentos ambientais por parte dos IF’s; identificar quais Institutos disponibilizam o PLS e os relatórios de acompanhamento em seus websites, conforme norma regulamentar; analisar os PDI’s e Relatórios de Gestão do IFCE e IFPI dentro de uma perspectiva temporal de 2012 a 2022, identificando as ações de sustentabilidade realizadas por estes dois Institutos de acordo com a Lei n.º 12.305/2010 e Decreto n.º 5.940/2006. O presente trabalho organizado em três partes: uma introdução e dois capítulos em forma de artigos e considerações finais. Incialmente apresenta-se um contexto histórico, seguido de alguns instrumentos de gestão ambiental que podem, ou devem, ser usados pela Instituições de Ensino. O segundo capitulo, intitulado: Os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia do Brasil: Um comprometimento com o Decreto n.º 7.746/12 trata do Plano de Logística Sustentável, utilizando uma abordagem comparativa entre os IF´s que compõe a rede federal e quais estão atendendo à normativa no que se refere à apresentação deste instrumento. Esta pesquisa possui caráter descritivo, do tipo documental e com abordagem qualitativa cujos resultados mostraram que dos 38 sites dos Institutos Federais existentes no Brasil apenas 18 apresentam disponível em suas páginas o PLS desde o momento em que foi implantada a lei. Os resultados apontam ainda a necessidade de mais transparência na divulgação das práticas sustentáveis, principalmente em relação aos relatórios de avaliação dos PLS. O terceiro capitulo intitulado Gestão de resíduos sólidos: uma análise dos relatórios de gestão do IFCE e IFPI e suas práticas de sustentabilidade no período de 2012 a 2022, analisa as ações destes institutos no que tange a PNRS e Decreto n.º 5.940/2006, submetido à Revista Brasileira de Educação Ambiental (RevBEA). Constatou-se que os Institutos pesquisados não possuem uma Política Ambiental implementada, embora venham realizando algumas ações isoladas relacionadas à sustentabilidade e à gestão de resíduos, conforme evidenciado em seus relatórios de gestão. Conclui-se que houve avanços quanto aos instrumentos utilizados pela administração pública para tratar a questão ambiental nas últimas décadas, entretanto, ressalta-se que estes avanços não foram os mesmos no que se refere ao monitoramento e cumprimento destas normas pelos órgãos de controle.

  • MÁRCIA GABRIELLI SOUSA CAMPÊLO MARINHO
  • Caracterização Socioeconômica e Ambiental do Espaço Rural do Municipio de São Miguel do Tapuio, Piauí.
  • Orientador : JAIRA MARIA ALCOBACA GOMES
  • Data: 22/06/2023
  • Mostrar Resumo
  • O espaço rural é tido como local de produção econômica e de interações sociais de sua população. Área onde o homem produz sua cultura, suas técnicas e suas ações. Para um melhor entendimento, quando se fala em rural, é natural o alinhamento da temática com a forma de utilização da terra. Com base nesse panorama, pretende-se compreender a organização socioeconômica e ambiental do espaço rural, no município de São Miguel do Tapuio (Piauí). Nesse ensejo, designaram-se os seguintes objetivos específicos: i) caracterizar a organização socioeconômica e espacial do espaço rural do município e ii) analisar as áreas de cobertura e uso da terra, referentes ao período de 2000 a 2020. Para tanto, obteve-se os dados da Pesquisa Agrícola Municipal (PAM), Produção da Pecuária Municipal (PPM), Produção da Extração Vegetal e da Silvicultura e as imagens de satélite do Projeto de Mapeamento Anual da Cobertura e Uso do Solo do Brasil (MapBiomas), referentes ao período de 2000 a 2020. Constatou-se que o espaço rural é organizado, prioritariamente, com base em atividades agropecuárias tradicionais, com pequenos produtores de caprinos que além da carne, comercializam o couro – com a finalidade de fabricação de peças derivadas desse material. A inserção da apicultura, em 2004, e da piscicultura, em 2013, surgiram associadas à pecuária extensiva, mostrando-se presentes em diversas localidades. O manejo do solo ainda é realizado com baixo padrão tecnológico e a silvicultura está distribuída no espaço rural. Contudo, apresenta um grande potencial para o desenvolvimento no setor agropecuário, beneficiado pela diversidade climática. Outrossim, assimilou-se um crescimento na produção e na abertura de tanques de peixes na extensão do espaço rural ao norte da sede do município, cuja comercialização é realizada localmente e para municípios vizinhos. Além dessas atividades econômicas relacionadas à pecuária, observou-se a produção de cana-de-açúcar – que faz parte das atividades temporárias de longa duração –, e em menor proporção, a extração vegetal de pó de carnaúba, carvão vegetal, lenha e madeira em tora. Portanto, contempla-se que o rural e sua forma de organização participam de uma parcela da formação do PIB do município de São Miguel do Tapuio. Entretanto, a expansão das atividades agropecuárias vem provocando na cobertura da terra alterações da vegetação nativa. Isso posto, constataram-se dois cenários distintos, em consonância com os biomas analisados, visto que o municipio se encontra em uma área de transição. No Cerrado, a expansão da cana-de-açúcar apesar de não captada pelo Projeto Mapbiomas foi provocada pelo aumento do rendimento da produção e de seus derivados. Por outro lado, na Caatinga, a alteração da cobertura da terra manifestou-se como decorrência do crescimento das áreas de pastagens, tendo em vista que esse bioma não apresenta condições de clima e solo propícias ao desenvolvimento de culturas agrícolas, pois é acometido por secas periódicas. Em relação as classes mapeadas pelo Mapbiomas, as classes - mosaicos de agricultura e pastagem estão na região da caatinga, enquanto afloramento rochoso e formação campestre estão na região do cerrado. Ademais, o principal tipo de cobertura suprimido foi a formação savânica, típica do Cerrado, seguida das formações campestres, apesar de ter sido em menor proporção. A classe corpos d’água sofreram aumento, em tese está relacionado a produção de peixe. Por fim, os resultados encontrados nesta pesquisa corroboram com a importância de pesquisas com maiores amplitudes sobre o espaço rural no município em apreço.

  • KAROLYNNE DE OLIVEIRA LIMA SOARES
  • Dinâmica Populacional e Estudos Etnoentomológicos de Anastrepha ethalea Walker (Diptera: Tephritidae) em uma área de mata nativa, no município de São Pedro- Piauí
  • Orientador : PAULO ROBERTO RAMALHO SILVA
  • Data: 11/05/2023
  • Mostrar Resumo
  • O estudo de moscas-das-frutas está mais voltado para as áreas agrícolas devido a sua importância econômica, enquanto, em áreas nativas a bioecologia sobre moscas-das-frutas carecem de mais conhecimentos. Outro fator importante, são os estudos etnoentomológicos, que podem auxiliar nas técnicas de manejo, reduzindo os impactos ao meio ambiente, favorecendo às questões de biodiversidade e possibilitando a valorização econômica. Assim, objetivou-se estudar a dinâmica populacional de A. ethalea Walker, como também conhecer a percepção de moradores da zona rural do município de São Pedro do Piauí-PI em relação as moscas-das-frutas. As coletas foram realizadas de agosto 2021 a novembro 2022 na localidade, "Sítio das Palmeiras", no município de São Pedro do Piauí-PI, por meio de armadilhas McPhail contendo 300ml de proteína hidrolisada de origem animal, CeraTrap. Também foi procedida a coleta de frutos maduros de seis espécies: acerola (Malpighia emarginata DC.), ameixasilvestre (Ximenia americana L.), bacupari (Garcinia cochinchinensis (Lour.) Choisy) cajá (Spondias mombin L.), ceriguela (Spondias purpurea L.) e maracujá-doce (Passiflora alata Curtis), que posteriormente foram armazenados em bandejas plásticas contendo 4 cm de areia peneirada e úmida, envolvidas com tecido voile, devidamente etiquetadas, aguardando o desenvolvimento larval para a obtenção dos pupários. Após a emergência, os adultos foram inativados, quantificados e conservados para posterior identificação. Em março 2022 a setembro 2022 foi realizado os estudos etnoentomológicos, no povoado Pedras, na zona rural do município de São Pedro do Piauí-PI, por meio dos métodos de rapport, diário de campo e entrevistas com formulários semiestruturados, utilizando-se a técnica do check list e teste projetivo. Participaram da pesquisa 117 moradores que versava sobre a percepção em relação as moscas-das-frutas. Ao todo foram coletados nas armadilhas 1.609 moscas, 586 machos e 1.023 fêmeas, dentre elas: A. obliqua Macquart (76,5%); A. ethalea (16,8%); A. alveata Stone (4,2%); A. zenildae Zucchi (0,8%); A. fraterculus Wied. (0,6%); Anastrepha sp. (0,4%); A. lutzi Lima (0,3%) / A. sororcula Zucchi (0,3%) e A. striata Schiner (0,1%). Nos frutos, houve ocorrência de A. alveata (ameixa-silvestre), A. obliqua (cajá e ceriguela) e A. ethalea (maracujádoce), excetos nos frutos de bacupari e acerola, sem infestação. Diante disso, A. obliqua foi a mais abundante, com picos populacionais em dezembro 2021, janeiro e novembro 2022. Seguida por A. ethalea, com ocorrência por todos os meses do estudo, sendo os meses de outubro 2021, janeiro e julho 2022 os de maiores incidência da espécie. A. alveata apresentou picos populacionais elevados em outubro e novembro 2021. Esse foi o primeiro registro de hospedeiro para espécie de A. ethalea no Brasil, bem como, a primeira ocorrência de A. lutzi no estado do Piauí. Em relação aos estudos etnoentomológicos, os moradores do povoado Pedras demonstraram conhecer as moscas-das-frutas, manifestando um sentimento de repulsa, por se tratar de uma praga. Em sua maioria não aplicavam técnicas de combate as pragas dos frutos, bem como, apesar da maior parcela dos entrevistados serem escolarizados, observou-se que não detinham o conhecimento sobre a importância dos insetos para o ambiente. Assim como, os conhecimentos sobre as espécies-pragas foram adquiridos por experiências cotidianas.

  • RAIMUNDO NONATO DE SOUSA SILVA
  • ANÁLISE DOS IMPACTOS SOCIOAMBIENTAIS DO AGRONEGÓCIO NA AGRICULTURA FAMILIAR, EM BATALHA - PIAUÍ
  • Orientador : CLARISSA GOMES REIS LOPES
  • Data: 11/05/2023
  • Mostrar Resumo
  • A atual crise socioambiental tem sua origem às relações de perda de pertencimento do homem à natureza. Nesse contexto, o modo de produção de alimentos chamado de “agronegócio” tem contribuído massivamente com o processo, já que o seu ideal é o progresso e lucro para as grandes empresas que o sustentam. Entretanto, estudos afirmam que seguir nesse modelo de sociedade é encustar o percurso para o abismo, logo que, as grandes catastrofes socioambientais da atualidade são decorrentes de sua aplicação, sobretudo da produção de alimentos nele difundida. Assim, neste estudo procurou-se refletir sobre práticas que representam esse modelo de produção, disseminadas entre os agricultores familiares do município de Batalha (PI), cujo objetivo central foi analisar as mudanças ocorridas em suas práticas de agricultura influenciadas pelas tecnologias advindas do agronegócio bem como seus impactos socioambientais locais. A área de estudo foram duas comunidades campesinas, Frecheira/porco e Nogueira, onde através da técnica da bola de neve selecionou-se membros destas, com o máximo de conhecimento adquiridos na prática da agricultura familiar, para participarem da sessão de entrevista semiestruturada seguida por oficina participativa onde se trabalhou na construção da linha do tempo e mapa falado. Os resultados revelam que cerca de 60% do público pesquisado vem empregando substancialmente métodos desenvolvidos pela agricultura convencional. E, que devido às práticas adotadas vem perdendo a soberania alimentar saudável, a perda da diversidade biológica nos agroecossistemas ao passarem a diminuir as práticas de policultivo e fazer o uso agrotóxico, e têm ficado dependentes de insumos comercializados nas lojas agropecuárias. Ainda foi revelado que essas práticas são mais expressivas no assentamento Frecheira/porco, sendo que os agricultores da comunidade Nogueira em sua maioria mantêm as práticas tradicionais, fato que estar relacionado com as políticas públicas que se divergem entre ambas. Neste caso as áreas de assentamentos têm acesso a políticas de crédito com mais facilidade. Como decorrência dessa mudança o estudo detectou que: as relações sociais estão cada vez mais fragilizadas, a degradação das paisagens naturais tem sido uma recorrência, a perda de autonomia politica/social/ideológica é nítida e, a mazela pior, é o fato de que para muitos dos pesquisados, o cenário atual representa sobremaneira a sua inserção no mundo globalizado, pois é o contexto que está na moda no século XXI. Contudo, ainda que o agronegócio represente um potencial problema para as comunidades rurais, mecanismos de seus interstícios vêm sendo usados no sentido de ludibriar as práticas tradicionais, milenares vividas pelos camponeses, para dar espaço ao projeto de desenvolvimento por este praticado.

     

  • NAILTON DE SOUZA ARAUJO
  • Sociobiodiversidade associada ao uso e manejo de espécies vegetais no artesanato de Luís Correia, Piauí, Brasil
  • Orientador : IVANILZA MOREIRA DE ANDRADE
  • Data: 03/03/2023
  • Mostrar Resumo
  • Artesanato é toda atividade produtiva que resulta em objetos e artefatos acabados, feitos manualmente ou com a utilização de meios tradicionais. O produto artesanal é fruto da criatividade e habilidade do artista-artesão e da influência do seu meio. Com isso, objetivouse (i) Realizar o mapeamento das publicações científicas sobre o uso de espécies botânicas no artesanato brasileiro, traçando o panorama sobre a temática no intervalo de 2011 a 2022. (ii) Compreender os aspectos sociais e econômicos associados ao artesanato no litoral piauiense, Brasil. (iii) Avaliar o conhecimento, uso e manejo da flora associada à produção de artesanatos culturais por comunidades tradicionais situadas na restinga do litoral piauiense. Obteve-se os dados da revisão bibliométrica no Portal de Periódicos da Capes, Web of Science e Scopus. Com os termos Handicraft” AND “Plants”; “Handicraft” AND “Plants” AND “Ethnobotany”; “Handicraft” AND “Plants” AND “Ethnobotany” AND “Brazil”, registrou-se 42 publicações científicas que após o critério de inclusão/exclusão, resultou em 18 artigos. Na pesquisa de campo, entrevistas com formulários semiestruturados foram realizadas e os dados avaliados pelo índice Valor de Importância. Para a coleta de espécimes adotou-se a técnica turnê-guiada com a participação de artesãos ou extrativistas locais. A análise dos dados considerou a estatística descritiva (frequências relativas) relacionada à sociodinâmica de uso, manejo e comercialização de plantas para o artesanato. Constatou-se pouca variação de publicações por ano, no intervalo 2011-2022. Houve o registro de 87 espécies distribuídas em 26 famílias nos artigos científicos analisados. Fabaceae (25,28%), Cyperaceae (14,95%) e Arecaceae (12,64%) sendo as mais representativas. Os principais públicos-alvo citados são: artesãos tradicionais (50%), indígenas (33,32%) e associação de artesanato (5,56%). As regiões brasileiras com expressiva participação: Norte (44,44%) e Nordeste (27,78%). Em relação ao perfil socioeconômico dos 80 entrevistados, 81,25% pertencem ao gênero feminino. 71,25% são adultos e 18,75% idosos. 66,25% possui ensino fundamental incompleto. 93,75% têm renda igual a um salário mínimo. 84,2% afirmaram que ingressaram na atividade pela necessidade de obtenção de renda, enquanto 10,5% destacaram a manutenção da cultura familiar, 5,3% informaram que o ingresso se deu pelo incentivo de parentes. Sobre as problemáticas na dinâmica de produção e comercialização, citaram a dificuldade em relação ao transporte e organização (76,25%), falta de incentivo financeiro do poder público (18,75%) e os meses de baixa lucratividade nas vendas (2,5%). Os principais estados que compram artesanatos são Ceará (21%), São Paulo (20%), Distrito Federal (18%), Pernambuco (16%). Citaram oito espécies de plantas utilizadas no artesanato. Typha domingensis Pers. (Taboa), Dioclea grandiflora Mart. ex Benth. (mucunã) e Copernicia prunifera (Mill.) H.E.Moore (Carnaúba) apresentaram maior valor de importância, 0,525, 0,2 e 0,112, respectivamente. 86,25% não têm acesso livre aos recursos naturais, enquanto 13,75% têm, por ocorrerem em suas áreas privadas ou áreas públicas. 81,25% destacaram as vantagens econômicas do extrativismo para uso artesanal e 18,75% a manutenção cultural da atividade. Assim, são necessárias ações que envolvam a conservação local, e também incentivem a manutenção da cultura e saberes dos povos que dependem do extrativismo e da produção artesanal para a geração de renda âmbito local.

  • THAILA DALIA DE SOUSA LACERDA
  • Necropolítica Ambiental e seus impactos sociais: estudos na periferia de Picos -PI
  • Data: 27/02/2023
  • Mostrar Resumo
  • A urbanização no Brasil apresentou importantes mudanças nas questões geopolíticas, provocando impactos sociais e econômicos com profundas desigualdades socioambientais. A promessa urbanizadora não chega a todos de forma igualitária, em decorrência das raízes colonialistas no processo de formação das cidades. Perpetuando, assim, o racismo ambiental onde há uma continuidade da inércia estatal na hora de garantir a dignidade humana aos que vivem em invisibilidade social. A crise sanitária da saúde pública potencializou a disparidade do acesso às garantias fundamentais previstas constitucionalmente, agravando as desigualdades socioespaciais, demonstrando o descaso com a população marginalizada. Os problemas socioambientais das pessoas que vivem marginalizadas não são decorrentes unicamente da pandemia, a exclusão social faz parte de um sistema histórico debilitado de acessos às garantias constitucionais. A área de estudo foi à cidade de Picos – PI, a qual diante do crescimento urbano nos últimos anos apresenta características de urbanização hipertrofiada de modo que é reconhecida como a terceira cidade mais populosa do estado do Piauí ganhando destaque regional na prestação de serviços comerciais. Todavia, na cidade permanecem problemas antigos da ineficiência de serviços públicos para todos os seus habitantes. Por meio da pesquisa descritiva-exploratória busca-se analisar a atuação do Poder Público Municipal no enfrentamento da crise emergencial de saúde pública delimitando o estudo entre dois bairros distintos: Canto da Várzea e Louzinho Monteiro. O primeiro apresenta compartilhamento de áreas com infraestrutura com acessos a serviços de educação, saúde e lazer, cuja renda mensal maior de 05 salários mínimos, enquanto o segundo bairro, com renda menor de até um salário mínimo mensal, possui ausência de infraestrutura social e cultura pela gestão pública. Para tanto, recorrer-se-á ao entendimento das teorias filosóficas da biopolítica de Foucault, rediscutindo sobre a politização da vida na visão de Agamben que captura a biopolítica, preocupando com o poder de decretação da exceção, até chegar à construção sobre políticas públicas de total exclusão discutidas por Mbembe, na qual o estado estabelece um controle da existência humana a certos grupos sociais, escolhendo quem deve viver e quem deve morrer para a compreensão da tutela do ser humano ao acesso ao piso vital mínimo. Os principais resultados obtidos na pesquisa bibliográfica e documental sobre o processo histórico de formação do meio ambiente artificial. Por meio da pesquisa de campo realizada nos bairros Canto da Várzea e Louzinho Monteiro, podem-se verificar as questões relacionadas à necropolítica ambiental, diante das desigualdades no uso de equipamentos de serviços coletivo e a infraestrutura urbana. Essa situação de separação entre acesso e ausência aos direitos potencializa os impactos socioambientais. Todavia, a gestão pública municipal não dá efetividade à garantia de bem estar social de seus habitantes, contrapondo a previsão legal da Lei Orgânica Municipal, o Estatuto das Cidades e da própria Constituição Federal. Por fim, a ausência de políticas pública indica uma assimetria no acesso aos serviços praticados pela administração municipal no bairro vulnerável e uma característica que pode ser enquadrada como necropolítica ambientl.

  • LAYLA RAFAELE SAMPAIO LEARTE
  • Análise do Discurso Ambiental de um Restaurante Universitário em uma Instituição de Ensino Superior Pública
  • Data: 24/02/2023
  • Mostrar Resumo
  • As Unidades de Alimentação e Nutrição têm acarretado impactos ambientais negativos oriundos da insustentabilidade do seu processo produtivo de refeições, fazendo-se necessárias ações que mitiguem tais impactos. O objetivo desta pesquisa é analisar o discurso ambiental no Restaurante Universitário (RU) da Universidade Federal do Piauí – UFPI. O método de pesquisa é descritivo-exploratório, com uma abordagem quali-quantitativa, a estratégia utilizada foi a de estudo de caso único, com a utilização das seguintes fontes de evidência: pesquisa documental, registro em arquivos, análise de websites e entrevista semiestruturada, de modo a identificar os critérios de sustentabilidade nos editais de licitação para aquisição de gêneros alimentícios, bem como os processos de entradas e saídas de alimentos, os discursos ambientais do RU e dos sites dos RUs das Universidades Federais Brasileiras. Foram analisados sete editais publicados entre 2017 e 2021. A coleta de dados dos editais de licitação foi realizada por análise de conteúdo. Ainda, foram observados os processos de entradas e saídas dos alimentos como: frango, arroz, feijão, cenoura e melancia, considerando o seu ciclo de vida no RU. Além disso, para o discurso do RU realizou-se uma entrevista com perguntas abertas à coordenação do RU, utilizando posteriormente a análise crítica do discurso, bem como aplicando essa análise para a observância e descrição dos sites dos RUs das Universidades Federais Brasileiras. Os resultados da pesquisa identificaram que os editais avaliados, apresentaram apenas o critério de sustentabilidade ambiental, com base na IN 01/2010, mas não há a inserção de outros critérios específicos, a exemplo dos alimentos orgânicos. Além disso, o RU não possui o controle das formas de entradas e saídas dos alimentos, não considerando os impactos ambientais desses processos, utilizando ainda os insumos e recursos de forma mais insustentável, como não aproveitando as aparas alimentares e não possuindo um descarte adequado de seus resíduos orgânicos, por exemplo, o que pode levar a liberação de gases inadequados ao meio ambiente. Observou-se ainda, que no discurso do RU não há predominância na promoção da sustentabilidade ambiental, mas a sua preocupação maior é fornecer refeições com baixo custo, com a finalidade de manter integralmente o seu público na instituição, além disso o discurso encontrado em seu site institucional, que presta as informações do restaurante, identificou-se que não aborda as ações de sustentabilidade ambiental, porém a mensagem repassada consiste apenas em informações gerais como – cardápio, valores e horários de funcionamento. Nesse sentido, foram avaliados ainda 50 sites dos RUs das IES brasileiras e que a predominância das informações voltou-se para o caráter mais social e nutricional do serviço prestado, ausentando-se quanto a divulgação das práticas de sustentabilidade ambiental para comunidade interna e externa das instituições. Desse modo, há um caminho para percorrer em prol da sustentabilidade ambiental nos RUs, sendo necessário considerar a atuação das instituições e promovendo uma conexão entre diferentes partes interessadas que irão contribuir com a redução dos impactos ambientais, desde a compra pública dos insumos, bem como da utilização mais eficiente dos gêneros alimentícios e recursos naturais, além de considerar a urgência em aplicar tal sustentabilidade e utilizar os meios de comunicação, como os sites para promover o bem-estar ambiental, gerando uma rede de apoio com outros RUs.

     

  • TERESINHA DE LISIEUX CARVALHO DOS SANTOS
  • Efetividade da Certificação Socioambiental RTRS na Redução de Riscos Jurídico-Ambientais no MATOPIBA
  • Data: 24/02/2023
  • Mostrar Resumo
  • O aumento da produtividade da soja no MATOPIBA cresceu nos últimos 50 anos, assim como no Brasil, trazendo, com isso, prejuízos amo meio ambiente como desmatamento, poluição, extinção da fauna e flora local e graves conflitos sociais. Diante à expansão desenfreada da produção de soja e da crescente utilização de instrumentos socioambientais, como a certificação e programas de boas práticas agrícolas, este estudo objetivou avaliar a efetividade da certificação Round Table on Responsible Soy Association (RTRS) em reduzir os riscos jurídico-ambientais das empresas produtoras de soja localizadas no MATOPIBA e, de modo específico, analisar os dados abertos do IBAMA referentes às autuações ambientais das empresas, antes e depois da certificação, evidenciando o rigor existente no protocolo RTRS de certificação e nas narrativas estabelecidas pela certificação RTRS por meio da análise do discurso ambiental, a fim de ser identificado se seus discursos condizem com suas ações. Para tanto, foi coletado dados de autuações ambientais do IBAMA para posterior análise. Observou-se um número de empreendimentos certificados RTRS muito abaixo do esperado para a região, 4 empresas apenas, e um grande quantitativo de autuações contra a flora e controle ambiental nos anos de 2011 e 2012, com 2.160 e 2.309 autuações, respectivamente, apresentando uma tendência de redução de autuações nos anos seguintes, com sua menor incidência no ano de 2022. No entanto, por mais que as autuações cometidas pelas empresas tenham reduzido após a utilização da certificação RTRS, não se pode concluir que a certificação foi o único fator decisivo para tal indicativo, pois nos anos de 2020 à 2022 o mundo enfrentou a pandemia da Covid-19, onde houve uma redução e até paralização dos serviços em todos os setores. A análise do discurso foi realizada por meio do método análise documental, sendo estudado o protocolo da certificação e os sites das empresas certificadas RTRS no MATOPIBA, concluindo-se que a rigidez do protocolo RTRS nem sempre é identificada nos discursos das empresas membro, confirmando uma possível tendência de utilização da certificação RTRS ainda de modo experimental.

     

  • ITALO EMMANOEL MESQUITA OLIVEIRA DE MOURA
  • Ecoeficiência de produtos saneantes na perspectiva da Avaliação do Ciclo de Vida
  • Orientador : ELAINE APARECIDA DA SILVA
  • Data: 07/02/2023
  • Mostrar Resumo
  • Os produtos saneantes trazem consigo a ideia de limpeza, ligada a desinfecção e lavagem de objetos e ambientes. Devido aos riscos à saúde e ao meio ambiente associados aos saneantes, eles necessitam de regulamentação legal e investimentos em pesquisas para aplicação de ferramentas de avaliação ambiental, como a Ecoeficiência. Este trabalho avaliou a Ecoeficiência, com base na ABNT NBR ISO 14045:2015, de desinfetantes e detergentes produzidos em Teresina-PI. Foram coletados dados primários, em três empresas de saneantes localizadas em Teresina-PI, e dados secundários, na literatura científica, patentes, rótulos e base de dados Ecoinvent, com abrangência do berço à etapa de uso pelo consumidor. O preço de venda foi considerado como o indicador do valor do sistema de produto. Foram seguidas as etapas determinadas pela norma indicada, sendo: Definição do Objetivo e Escopo, Avaliação Ambiental, Avaliação do Valor do Sistema de Produto, Quantificação da Ecoeficiência e Interpretação. Para os desinfetantes, a etapa de produção das matérias-primas foi a mais impactante no desempenho ambiental. Nas categorias de eutrofização em água doce (ReCiPe e IW+) e acidificação terrestre (ReCiPe e IW+), todos os desinfetantes ocuparam os quadrantes três ou quatro da matriz de Ecoeficiência, com impacto significativo nas categorias ambientais. A maior Ecoeficiência foi observada no desinfetante C e a menor Ecoeficiência no desinfetante B, cujo impacto do valor do sistema foi decisivo neste resultado. Para os detergentes, a etapa de uso pelo consumidor foi a mais impactante no desempenho ambiental. O detergente C foi o mais Ecoeficiente, que teve menores impactos nas categorias relacionadas à acidificação (ReCiPe e CML) e escassez de recursos minerais (ReCiPe e CML), enquanto o detergente B foi o menos Ecoeficiente, devido ao seu maior indicador da avaliação do valor do sistema de produto. Através da análise de sensibilidade foram propostos cenários com melhorias viáveis apenas para o indicador ambiental dos desinfetantes, sendo: a substituição do antibacteriano, do tensoativo e do conservante, a retirada do opacificante da composição e a busca por fornecedores mais próximos de Teresina-PI, e detergentes, sendo: a substituição do tensoativo, a alteração da água de poço por água tratada no produto A e a redução no consumo de água e de emissões para a água na etapa de uso.

  • MARINA LUZ DA SILVA
  • ANÁLISE ESPAÇO-TEMPORAL INTRAURBANA DA GERAÇÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS NA CIDADE DE TERESINA - PI
  • Orientador : GIOVANA MIRA DE ESPINDOLA
  • Data: 01/02/2023
  • Mostrar Resumo
  • A geração dos Resíduos Sólidos Urbanos - RSU é cada vez maior devido ao aumento populacional e aos padrões de consumo das sociedades. O gerenciamento dos RSU é um dos maiores desafios atuais nas cidades, uma vez que a problemática abrange questões ambientais, econômias, sociais e culturais. Para o melhor gerenciamento desses resíduos, é necessária a caracterização da geração deles, que estão ligados à quantidade e aos padrões sociais da população. A análise do comportamento da geração dos resíduos sólidos nas cidades é de grande importância para o planejamento e definição de estratégias para a melhor eficiência na sua gestão. Assim, o objetivo geral deste estudo é analisar a dinâmica da geração de resíduos sólidos urbanos na cidade de Teresina, com base na variação dos padrões espaço-temporais de uso e cobertura da terra, e os objetivos específicos são: apresentar a dinâmica da geração de resíduos sólidos considerando os recortes temporais para cada SDU, verificar as relações existentes entre as mudanças de uso e cobertura da terra em Teresina, no período 2011-2020, e a dinâmica populacional entre 2010, utilizando censo demográfico, e 2020 utilizando estimativa, e discutir a coerência e efetividade das políticas sanitárias e ambientais em nível nacional e municipal. Assim, nesse trabalho foi realizada a análise espaço-temporal intraurbana, permitindo entender a dinâmica das alterações de uso e cobertura da terra utilizando imagens dos sensores RapidEye para 2011 e CBRES 4A para 2020, na zona urbana do município de Teresina, verificando o comportamento do crescimento de classes de telhado nas regiões, a fim de mostrar áreas de interesse que requerem atenção para que sejam ofertados os serviços públicos de saneamento pelo município, pelo aumento das classes de telhado, como a coleta de RSU. A partir disso, foram analisadas as relações existentes entre essas alterações e a evolução da geração dos RSU, utilizando variáveis espaciais e não espaciais e discutindo os fatores que influenciam na mesma, e os impactos ambientais que esses causam. Os resultados mostraram maior crescimento da classe de telhados do que crescimento populacional, demonstrando que a expansão urbana é maior do que o aumento populacional. Os resultados mostram que o crescimento populacional nesse período foi de 6,61%, enquanto o crescimento da classe de telhados foi de 21,05%, demonstrando que a expansão urbana é maior que o crescimento populacional. Essas informações aliadas ao mapeamento da disposição da geração de resíduos sólidos nas áreas do município, utilizando geoprocessamento, possibilitam a análise da relação existente entre a geração de resíduos e densidade populacional, e fornecem dados que podem contribuir para melhoria nas estratégias de gerenciamento de resíduos na cidade.

  • BRUNA ARAUJO BRANDÃO
  • Aves do Delta do Parnaíba: Diversidade e geração de renda para as bordadeiras da Pedra do Sal, Parnaíba, Piauí
  • Orientador : ANDERSON GUZZI
  • Data: 30/01/2023
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Em uma comunidade de aves, os estudos sobre sua diversidade são fundamentais para compreender as espécies que a constitui. No que diz respeito a esses estudos, o Piauí é um dos estados menos pesquisados. Entender a importância que as aves têm para a população humana é aspecto considerável para pesquisas científicas com aves. A pesquisa tem como objetivo organizar um check-list da avifauna da APA Delta do  Parnaíba e região, e registrar os conhecimentos etnoornitológicos das Bordadeiras da Pedra do Sal (APA Delta do Parnaíba), propondo  ganho de renda utilizando as aves regionais como modelo para bordado, buscando o turismo sustentável. O check-list reuniu os inventários da avifauna realizados nos municípios de Parnaíba, Ilha Grande e Luís Correia, estes pertencentes ao estado do Piauí e à Área de Proteção Ambiental (APA) Delta do Parnaíba. Durante as amostragens in situ, foram inventariadas 253 espécies de aves, distribuídas em 56 famílias e 23 ordens. A maioria das espécies é residente, não dependente de ambientes florestais, tem baixa sensibilidade às alterações ambientais e é predominantemente insetívora. Em suma, contatou-se que a Área de Proteção Ambiental Delta do Parnaíba possui uma avifauna diversa e abundante, típica de ambientes de Caatinga. Foi possível identificar espécies migratórias, ameaçadas e sensíveis às alterações antrópicas, indicando que, apesar das possíveis modificações ambientais, esta área ainda possui recursos que são utilizados por estes grupos. A respeito dos dados etnoornitológicos, as Bordadeiras da Pedra do Sal compoem um grupo de mulheres que usam o bordado como geração de renda, possuindo conhecimento sobre a avifauna local,  e consideram que inserir espécies de aves da região nas peças pode contribuir para a valorização do meio ambiente, dessa forma, elas ajudam na conservação dessas espécies por contarem a sua história e também por divulgarem sua importância ao público de interesse, os turistas. As peças bordadas com aves da região estão sendo produzidas e colocadas para venda.

  • JOSÉ AUGUSTO ARAGÃO SILVA
  • CAÇA E USOS TRADICIONAIS DA FAUNA SILVESTRE EM ÁREAS RURAIS DE ESPERANTINA, ECÓTONO CERRADO-CAATINGA, PIAUÍ
  • Orientador : WEDSON DE MEDEIROS SILVA SOUTO
  • Data: 30/01/2023
  • Mostrar Resumo
  • A caça é historicamente uma das práticas mais comuns de exploração da fauna silvestre em todo o mundo, em especial nas regiões tropicais. Na região do semiárido brasileiro (caatinga) a caça tem sido importante na sobrevivência das populações urbanas e rurais, exercendo relevante papel socioeconômico e cultural. No semiárido piauiense, estudos sobre caça e usos de vertebrados silvestres ainda são escassos e pouco compreendidos no que se refere aos fatores impulsionadores dessas práticas. A presente dissertação está estruturada em dois capítulos. O primeiro capítulo, em forma de artigo, teve como objetivos: (i) realizar um panorama atual das publicações sobre consumo e comércio da carne de vertebrados silvestres nas regiões do Brasil de 2011 a 2021 e (ii) identificar os fatores impulsionadores do consumo e aspectos da cadeia do comércio de carne de caça. O capítulo II, também em forma de artigo, teve como objetivos principais: (i) investigar aspectos gerais da prática de caça e padrões de usos da fauna silvestre em áreas rurais do município de Esperantina, uma região de ecótono cerrado-caatinga no norte piauiense e (ii) avaliar a influência de fatores socioeconômicos e de caça na riqueza de espécies exploradas.  No capítulo I selecionamos 63 artigos científicos nas bases Google Acadêmico, Science Direct, Scopus, Web of Science e Portal de Periódico da CAPES, distribuídos nas categorias: consumo de bushmeat (54), consumo/comércio bushmeat (06) e comércio bushmeat (03). As publicações concentraram-se nas regiões Nordeste (36), Norte (26) e Sudeste (01), em 16 estados brasileiros. Identificamos 322 espécies de vertebrados silvestres citadas para consumo de carne de caça, aves (171 spp.) e mamíferos (107 spp.) os grupos mais representativos. Na categoria consumo/comércio de bushmeat tivemos 47 espécies reportadas: mamíferos (24 spp.), aves (17 spp.) e répteis (06 spp.). Na categoria comércio de bushmeat tivemos 18 espécies: mamíferos (11 spp.), aves (05 spp.) e répteis (02 spp.). No capítulo II, entrevistamos 52 caçadores selecionados de forma oportunista e pela técnica bola de neve para entrevistas semiestruturadas e observação-participante. Nossos resultados revelaram que a caça na região está fortemente vinculada ao predomínio masculino e exercida com finalidade esportiva ou entretenimento em detrimento da subsistência alimentar ou comercial. Registramos 74 espécies de vertebrados silvestres, aves (45 spp.), mamíferos (22 spp.) e répteis (07 spp.) citadas nas categorias: consumo (36 spp.), relações conflituosas (26 spp.), medicinal (18 spp.), animal de estimação (14 spp.) e comércio de carne de caça (08 ssp.). Detectamos que a cadeia de comércio da carne de caça local é otimizada pelo uso de aplicativos de comunicação e motocicletas, facilitando a venda de carnes e outros subprodutos aos clientes finais. Por fim, identificamos que fatores de caça (e.g. experiência de caça, turnos de caça, motivação cultural para consumo) influenciaram na seleção das espécies caçadas para usos gerais e exclusivamente consumo. Apesar de poucas espécies registradas em categorias de ameaça de extinção, nossos resultados sugerem a necessidade de medidas de conservação e estratégias de manejo da fauna silvestre, bem como adoção de políticas públicas voltadas a melhorias das condições socioeconômicas das populações locais. Além disso, faz-se necessário a inclusão das mesmas em programas de educação ambiental, de modo a mitigar ameaças e impactos às espécies e ao mesmo tempo permitir o uso sustentável dos recursos faunísticos. 

  • AMANDA JÚLIA DIAS SANTOS
  • MOSCAS-DAS-FRUTAS EM POMAR COMERCIAL DE CAJÁ (Spondias mombin L.) NO MUNICÍPIO DE TERESINA-PI: BIODIVERSIDADE, CONTROLE BIOLÓGICO E ETNOECOLOGIA
  • Orientador : PAULO ROBERTO RAMALHO SILVA
  • Data: 23/01/2023
  • Mostrar Resumo
  • O cultivo de cajá, Spondias mombin L., no estado do Piauí têm se desenvolvido nos últimos 10 anos, motivado pela crescente implantação de pomares comerciais na zona rural do município de Teresina, Piauí. A proximidade dos plantios com casas de moradores, assim como a contratação temporária de agricultores apenas durante a safra resultou em um novo arranjo socioeconômico e ecológico que merece ser estudado. Com isto visou-se registrar as relações ecológicas e etnoecológicas estabelecidas em um pomar comercial de cajá, no que se refere às interações tritróficas (fruto/moscas-das-frutas/parasitoides), além do conhecimento ecológico local (CEL) dos trabalhadores deste cultivo. Para tanto, durante o período de safra do cajá (fevereiro/2022 a abril/2022) foi realizada coleta de frutos para amostragem e pesquisa qualitativa exploratória etnoeoecológica com os trabalhadores do pomar. Além disso, foram obtidas moscas-das-frutas via armadilhas-pet com líquidos atrativos (agosto/2021 a julho/2022). Ainda, realizou-se levantamento bibliométrico de artigos que versassem sobre o enfoque etno de moscas-das-frutas associadas a frutos do gênero Spondias L. em três bases de dados, utilizando os termos: Spondias AND ethno; Spondias AND “traditional knowledge”; Spondias AND folk; e Spondias AND “fruit fly” OR “fruit flies”, publicados entre janeiro de 2011 a abril de 2022. Como resultados da amostragem de 10,221 kg de frutos coletados, foram obtidas 2.043 pupas, de onde emergiram 743 insetos, sendo 499 tefritídeos da espécie Anastrepha obliqua (Macquart, 1835), 20 Euxesta Loew spp. (Diptera: Ulidiidae), conhecidos como mosca-da-espiga, e 220 parasitoides braconídeos (Hymenoptera: Braconidae) das espécies Doryctobracon areolatus (Szépligeti, 1911), Opius bellus (Gahan, 1930) e Utetes anastrephae (Viereck, 1913). A flutuação populacional registrou A. obliqua como espécie superdominante, superabundante e a mais frequente da localidade (81%). Além disso, foram obtidas A. sororcula (Zucchi, 1979) (8,8%); A. zenildae (Zucchi, 1979) (4,4%); A. fraterculus (Wiedemann, 1830) (2,6%); Euxesta spp. (2,2%), A. distincta (Greene, 1934) (0,6%); A. pseudoparalella (Loew, 1873) (0,2%) e Ceratitis capitata (Wiedemann, 1824) (0,2%). O estudo evidenciou que os trabalhadores do pomar possuem CEL acerca das espécies-praga com potencial para infestar frutos, ao apontar apenas o padrão Anastrepha Schiner como moscas-das-frutas, onde o meme local “moscas-amarelas” é utilizado para caracterizá-las. Ainda, verificou-se que estes atores sociais estabeleciam conexões com os cinco elementos da etnoecologia abrangente marquesiana: ser humano/mineral, ser humano/vegetal, ser humano/animal, ser humano/ser humano e ser humano/sobrenatural. Destas, a base conexiva mais consolidada é a ser humano/ser humano, diante da evidente ordenação hierárquica assim como pela relação de confiança nutrida entre o trabalhador fixo responsável pela contratação e os contratados temporários, onde 78% já trabalharam em safras anteriores. A revisão bibliométrica apontou que levantamentos entomológicos com enfoque etno ainda são incipientes, uma vez que apenas o descritor Spondias AND “fruit fly” OR “fruit flies” gerou resultados. O desenvolvimento de pesquisas com essa finalidade no país, especialmente no estado do Piauí poderá contribuir de forma significativa, no âmbito teórico e empírico, fornecendo outro olhar para a Etnoecologia, cultivos comerciais e técnicas de manejo integrado.

2022
Descrição
  • PEDRO ALVES DA COSTA FILHO
  • ESTUDO DOS ASPECTOS METODOLÓGICOS NA UNIDADE DE CONSERVAÇÃO FLONA PALMARES: ESTRATÉGIAS DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL
  • Orientador : PATRICIA MARIA MARTINS NAPOLIS
  • Data: 20/12/2022
  • Mostrar Resumo
  • A Educação Ambiental contribui para reflexão, a fim de entender e atuar no contexto sócio-político e ambiental, tornando-se um componente essencial e contínuo no processo de ensino-aprendizagem, devendo ser inserida de forma articulada, entre todos os níveis e modalidades do ensino, de maneira formal e não-formal. Objetiva-se com essa pesquisa: analisar as práticas de Educação Ambiental desenvolvidas na Unidade de Conservação Flona Palmares como estratégia socioambiental e educacional; identificar as metodologias de ensino em Educação Ambiental desenvolvidas em Unidades de Conservação no Brasil; analisar a concepção dos estudantes sobre a Unidade de Conservação FLONA Palmares; verificar a interação e relação dos estudantes com a Unidade de Conservação e sua influência nas práticas de Educação Ambiental; verificar as metodologias utilizadas para práticas de Educação Ambiental utilizadas na Unidades de Conservação FLONA Palmares. O estudo está estruturado em três capítulos, sendo capítulo I intitulado: “Metodologias de Educação Ambiental nas Unidades de Conservação brasileiras: Uma revisão de 2011 a 2021”, realizado a partir da busca de artigos científicos nas plataformas eletrônicas SciELO, Portal de Periódicos CAPES e Google Acadêmico a partir da combinação de palavras-chave em português, inglês e espanhol. Foram selecionadas 24 publicações sobre a temática, distribuídas em 15 Unidades Federativas do Brasil, nas cinco regiões e em 24 Unidade de Conservação a níveis (esferas) municipais, estaduais e federais. Foram encontrados nove tipos de metodologias, com destaque às trilhas ecológicas. O Capítulo II intitulado: “A compreensão da Natureza para atividades Educação Ambiental em Unidade de Conservação, caracterizado como um estudo descritivo de campo, com abordagem quanti-qualitativa, por meio de entrevistas com 66 estudantes que visitaram a Unidade de Conservação Flona Palmares, os resultados evidenciam que a maioria dos alunos entrevistados residem nas cidades de Teresina (49%) e Altos (14%), além de outras cinco cidades do Piauí. Notou-se que as paisagens influenciam na percepção, os alunos da zona urbana percebem o meio ambiente de forma naturalista, já os alunos da zona rural têm uma visão antropocêntrica. O capítulo III intitulado: “Metodologias de Aprendizagem em Educação Ambiental na UC FLONA Palmares - Piauí”, foi dividido a partir de duas análises, na primeira objetivou-se analisar as metodologias das atividades realizadas na Unidade de Conservação Floresta Nacional (FLONA) de Palmares a partir das macrotendências de Educação Ambiental. As coletas ocorreram durante 11 encontros entre setembro a dezembro de 2021 com um total de 65 crianças e jovens. Verificou-se que 64% das atividades foram enquadradas na EA Crítica, 27% conservadora e apenas 9% na EA Comportamental. No segundo momento objetivou-se analisar as percepções sobre metodologias de Educação Ambiental utilizadas na UC FLONA Palmares que auxiliam no processo de ensino aprendizagem, com destaque para as chamadas metodologias participativas. A coleta de dados baseou-se em uma entrevista, com nove questões abertas semi-estruturadas à 66 estudantes, da Educação Básica e Ensino superior¸ abrangendo questões sobre metodologias e formas de aprendizagem facilitadoras. Os resultados demonstraram que as atividades com Trilhas foi a metodologia de ensino mais utilizada, durante as práticas desenvolvidas, evidenciando a importância das metodologias participativas.

  • AMANDA MENESES DA SILVA
  • Mudanças climáticas e distribuição de Sicarius cariri (Arachnida) no semiárido brasileiro
  • Orientador : PAULO ROBERTO RAMALHO SILVA
  • Data: 05/09/2022
  • Mostrar Resumo
  • O avanço acelerado das mudanças climáticas, tem ocasionado interferências drásticas sobre a distribuição de espécies. Diante desse cenário a pesquisa biogeográfica (modelagem) ganha uma posição de destaque como ferramenta de proteção, à medida que permite a visualização clara dessa interferência sobre determinado tipo de espécie e sua área de habitação. Aranhas do gênero Sicarius (em especial Sicarius cariri) são consideradas como excelentes modelos de estudos biogeográficos, por serem pobres dispersoras e extremamente associadas ao ambiente no qual habita. Para predizer áreas adequadas para o estabelecimento da espécie Sicarius cariri sob projeções climáticas atuais e futuras (2050, 2070 e 2090), foi utilizado os modelos preditivos de distribuição. Partindo dos objetivos de: (i) realizar a modelagem do nicho biclimático de Sicarius cariri, (ii) criar um conjunto de projeções para diferentes cenários de mudanças climáticas e, (iii) estimar a adequabilidade da espécie Sicarius cariri frente as alterações climáticas em três cenários: atual e futuros (2050, 2070 e 2090). Para a coleta de dados de ocorrências foram utilizados o GBIF e Specieslink; Enquanto que os dados ambientais foram extraídos do Wordclim (variáveis ambientais passaram por uma filtragem através da PCA); Para a associação entre os dados de espécie e dados climáticos foram utilizados algoritmos do tipo GLM, GBM, RF, GAM e o Maxent, além de procedimentos adicionais como: produção de pseudo-ausências e validações cruzadas. Todos estes conjuntos de modelos foram verificados quanto a sua eficiência, por meio de métricas do tipo TSS, ROC e CAPA. Em sequência foram criados conjuntos de modelos, para posteriormente realizar as projeções de adequabilidade de Sicarius cariri (condições atuais e futuras). Por fim, foi realizado uma projeção conjunto para obter a distribuição espacial da espécie. Dentre as 19 variáveis bioclimáticas, somente 5 (bio2, bio4, bio7, bio15, Alt), apresentaram influência sobre a distribuição de Sicarius cariri. Quando testados os modelos, obteve-se um destaque para RF, PA3 e RUN3, como mais eficientes na predição. Os resultados de modelagem demonstraram que a adequabilidade de nicho para a espécie é restrita em maioria para áreas do semiárido, além de alguns pontos (áreas com enclaves de floresta seca no Cerrado) localizados nos estados do Goiás, Minas Gerais e Mato Grosso do Sul. Com a realização da verificação da distribuição da espécie no futuro e a quantificação da perdas e ganhos de áreas de adequabilidade os resultados mostraram que o habitat poderá ser reduzido em 50 % em 2050, em 53% em 2070 e quase 72% em 2090. Portanto, com a realização do presente estudo, foi possível entender como as mudanças climáticas podem influenciar sobre a disposição espacial de Sicarius cariri e consequentemente como esses indivíduos respondem frente a essas mudanças. Dessa forma, estudos de modelagem de nicho tornam-se cruciais para além de permitir uma visualização da interação entre condição ambiental e espécie, possibilitar o planejamento de ações conservacionistas.

  • JHEYCON ANTÔNIO MATOS SOUSA
  • GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS EM INDÚSTRIAS DA CONSTRUÇÃO CIVIL DO PIAUÍ: impactos ambientais, perfil, segurança jurídica e aproveitamento energético
  • Data: 26/08/2022
  • Mostrar Resumo
  • Embora a evolução da indústria da construção tenha contribuído para o crescimento
    econômico mundial, também, criou múltiplas fontes de resíduos. A gestão desses resíduos é
    um dilema para a humanidade. No Brasil, a Política Nacional de Resíduos Sólidos e a resolução
    do Conama n. 307, de 2002, fornecem lições de conduta para esses materiais. Apesar dos
    governos terem implantado esforços para combater a produção desses substratos, estes são,
    muitas vezes, insuficientes ou escassos. No mundo moderno de restrições econômicas, os
    municípios, muitas vezes, optam pela solução menos dispendiosa para despojar esses
    insumos. O objetivo principal dessa pesquisa é discorrer sobre as indústrias da construção civil
    no Piauí, destacando as diretivas legais requeridas para a proteção dos recursos naturais, a
    gestão de resíduos sólidos e as soluções ambientalmente corretas de destinação. Uma
    metodologia exploratória e descritiva foi adotada, por meio de uma análise quantitativa e
    qualitativa, que consistiu em uma revisão sistemática, pelo cotejo da literatura científica, e o
    cenário brasileiro. O escopo do estudo foi restringido à segurança jurídica, impactos
    ambientais, gestão e tecnologias de aproveitamento energético de resíduos. Foram coletados
    dados em entidades representantes da construção para discorrer sobre o setor no Piauí (PI).
    O Sistema Nacional de informações de Saneamento (SNIS) foi utilizado como base principal de
    dados sobre o manejo de resíduos, posto ser a fonte oficial do governo federal. Este estudo
    concluiu, que apesar do Brasil possuir um abundante acervo que rege e normatiza a proteção
    do ar, água e solo, o cumprimento desses instrumentos é, frequentemente, falho. A indústria
    da construção do PI necessita de uma descentralização de investimentos. A capital concentra
    65,5% das empresas e 69,3% das organizações do Estado são de construção de edifícios. O PI
    é o terceiro maior produtor de resíduos e toda massa coletada é disposta no solo. Apenas
    3,1% dos municípios, contam com o serviço de coleta seletiva, e o atendimento da coleta para
    população rural é baixa. A massa de Resíduos da Construção Civil (RCC) produzida foi de 24,72
    kg/hab., em 2020. Não houve aproveitamento e recuperação desses substratos, pois não há
    no território unidades de manejo de RCC. Em outro cenário, as tecnologias de recuperação de
    energia, a partir de Resíduos Sólidos Urbanos (RSU) são promissoras, porém a escolha e
    viabilidade de aplicação depende de variáveis como, quantidade e qualidade dos resíduos,
    composição gravimétrica, desempenho ambiental, fatores sociais, econômicos e regionais.
    Estima-se que 7% da demanda nacional de energia poderia ser obtido por meio das técnicas
    de recuperação de RSU. Não se obteve informações acerca da geração de energia a partir de
    resíduos no Piauí. Em linhas gerais a indústria da construção do Piauí tem um alto poder de
    contribuir para a minimização dos danos provocados e construção de cidades mais prósperas
    e saudáveis, porém, tal como está hoje, não contribui para o desenvolvimento sustentável.


  • JOANA D'ARC COSTA PEREIRA
  • O potencial econômico e ecológico de três espécies de plantas nativas nucleadoras no Piauí, nordeste do Brasil
  • Orientador : CLARISSA GOMES REIS LOPES
  • Data: 25/07/2022
  • Mostrar Resumo
  • Em um ambiente em constante processo de mudança se torna essencial estudar aspectos que nos façam entender como ocorrem as relações nas comunidades vegetais, funções do ecossistema e suas interações com o homem. Abordagens relacionando traços funcionais e interações bióticas como a facilitação podem ser importantes para entendermos a forma que as comunidades vegetais são moldadas, além disso, investigar como o homem utiliza os recursos vegetais pode colaborar para o desenvolvimento de estratégias de conservação. Desta forma, investigamos se espécies vegetais que vivem isoladas em uma área de ecótono no município de Campo Maior (Piauí) tem potencial nucleador e como estas espécies são utilizadas por comunidades locais a partir de uma perspectiva etnobotânica. Diante disso, foram selecionados 10 indivíduos de cada uma das três espécies, em que a as alturas e as áreas das copas foram medidas. Foram quantificadas e identificadas as plântulas das lenhosas e analisado a biomassa de herbáceas sob a copa de espécies arbóreas e na área de campo aberto. Além disso, foi realizado uma revisão bibliográfica investigando os diferentes potenciais de uso que estas espécies podem apresentar por comunidades tradicionais no estado do Piauí. Verificamos que a altura e a área da copa contribuem para o aumento da riqueza de espécies e a biomassa de herbáceas em comparação com a área de campo aberto. Verificamos que os traços estudados colaboram para que estas espécies apresentem efeitos facilitadores e colaborem com o aumento da riqueza e composição de espécies, além de colaborar com o aumento da biomassa de herbáceas. Já no segundo artigo, conseguimos verificar que estas espécies apresentam uma variedade de usos que podem colaborar para o desenvolvimento econômico do Estado do Piauí. Dessa forma, as espécies estudadas podem colaborar sob uma perspectiva ecológica e contribuir para o desenvolvimento de recuperação de áreas, como também pelo seu potencial econômico para o cotidiano de comunidades tradicionais, bem como para o desenvolvimento do Estado.

  • ANA CRISTINA ALVES RODRIGUES
  • ETNOBOTÂNICA DE ESPÉCIES DE ARACEAE JUSS NO MUNICÍPIO DE FLORIANO, PIAUÍ, BRASIL
  • Orientador : IVANILZA MOREIRA DE ANDRADE
  • Data: 19/07/2022
  • Mostrar Resumo
  • Araceae é uma família de monocotiledôneas que agrega potencial econômico devido muitas de suas espécies serem utilizadas no artesanato, na alimentação, medicina popular, ornamentação e paisagismo. Objetivou-se realizar estudo prospectivo científico e tecnológico, etnobotânico, levantamento florístico e produção de um guia ilustrado de espécies de Araceae cultivadas no município de Floriano, Piauí, além da análise morfoanatômica, histoquímica e fitoquímica de espécies citadas como tóxicas pelos entrevistados. Os dados prospectados foram realizados por meio de busca por artigos em bases nacionais e internacionais de artigos e patentes, utilizando os descritores “Araceae AND secondary metabolites”, “Araceae AND toxicity” e “Araceae AND Etnobotany”. Para o estudo etnobotânico foram realizadas entrevistas semiestruturadas, com aplicação de questionário sobre espécies de Araceae cultivadas, utilizando as técnicas de “Rapport” e “turnê-guiada”. Foram analisados valor de uso (VU), categorias de uso, hábito e origem das espécies. As análises morfoanatômica, histoquímica e fitoquímica foram realizadas em espécies citadas como tóxicas pelos entrevistados. Para a morfoanatomia foram feitos cortes transversais da lâmina foliar e pecíolo. Quanto à histoquímica e fitoquimica foram realizados testes para a identificação das classes de metabólitos. O guia ilustrado foi elaborado com as espécies cultivadas utilizando imagens, descrição, distribuição e comentários. Os resultados mostraram para o termo “Araceae AND Secondary metabolites”, as bases com maior número de registros foram Google scholar (3.440) e Science Direct (466), seguido de Scopus (29) e Web of Science (14), para “Araceae AND Toxicity” as bases Google scholar (5100) e Science Direct (1092) apresentaram maiores registros, seguido por Scopus (507) e Web of Science (14). Já o termo “Araceae AND Etnobotany” registrou para Google scholar (4.570), Science Direct (293), seguido por Scopus (80) e Web of Science (21). Quanto às bases de patentes, EPO apresentou o maior registro para o termo “Araceae AND Secondary metabolites” (152) e para “Araceae AND Toxicity” (1.277), já na USPTO para “Araceae AND Secondary metabolites” o número de depósitos (AppFT) foi de 71 e patentes concedidas (PatFT) foi de 37. Com “Araceae AND Toxicity” o AppFT foi de 74 e PatFT foi de 114. A base INPI não apresentou registros para os termos pesquisados. Quanto ao termo “Araceae AND Etnobotany” nenhum resultado foi mostrado para as bases de patentes pesquisadas. Foram registradas vinte espécies pertencentes a treze gêneros de Araceae, conforme questionário aplicado, classificadas em duas categorias de uso, ornamental (100%) e mística (20%). Dieffenbachia seguine, Zamioculcas zamiifolia, Aglaonema commutatum e Epipremnum aureum apresentaram maior valor de uso (0,014, cada). Caladium bicolor, Colocasia esculenta, D. seguine, E. pinnatum e S. podophyllum foram apontadas como tóxicas. Dentre estas espécies, Caladium bicolor, Colocasia esculenta e S. podophyllum apresentaram drusas, ráfides e monocristais dispersos e em faixa contínua no mesofilo e na nervura principal. Os testes histoquímico e fitoquímico mostrou amido em todas as espécies, enquanto açúcares redutores mostrou-se presente apenas em E. pinnatum. O guia ilustrado trata das vinte espécies cultivadas pela população de Floriano, com informações sobre a toxicidade, partes tóxicas e princípio ativo. Conclui-se que as espécies de Araceae utilizadas como ornamentais apresentam metabólitos secundários e estruturas que lhes conferem características de plantas tóxicas e que podem provocar problemas ao serem ingeridas ou tocadas. Trabalhos como este contribuem para divulgação e serve como subsídios para outros.

  • RAISSA NUALA FEITOSA
  • EFICIÊNCIA ENERGÉTICA: ANÁLISE DE SISTEMAS DE CERTIFICAÇÕES AMBIENTAIS VOLTADOS PARA EDIFICAÇÕES RESIDENCIAIS
  • Orientador : FRANCISCO FRANCIELLE PINHEIRO DOS SANTOS
  • Data: 24/06/2022
  • Mostrar Resumo
  • O setor da construção civil é responsável por contribuir para o crescimento das cidades, possuindo a finalidade de construir locais de moradia, educação, saúde, trabalho e lazer, além de movimentar grande parte da economia brasileira, representando 44,4% do Produto Interno Bruto (PIB) industrial (CNI, 2021). Além de ser um dos setores que mais geram impactos ao meio ambiente. Diante dos problemas associados ao aumento do consumo de energia elétrica no Brasil, principalmente nas residências, e a consequente necessidade de maior produção de energia, ressalta-se a importância de alternativas que visem melhorar a eficiência energética e reduzir o consumo de energia. Para tentar reduzir e mensurar os impactos causados pelo setor, na década de 1990, surgiu o conceito de Green Building, edifício verde, está voltado para edificações e espaços urbanos que, durante a sua execução e utilização, busquem a criação de ambientes saudáveis e produtivos para as pessoas que ali irão utilizar o ambiente, baseando-se em critérios de sustentabilidade social e ambiental. Entre os instrumentos voltados para a sustentabilidade, pode ser destacada a eficiência energética, considerando que o setor energético, ao longo dos últimos anos, vem ganhando destaque nos debates nacionais, internacionais, governamentais e não governamentais, principalmente após a Conferência das Nações Unidas em prol do Meio ambiente, em 2015, em que foi criada a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável”, popularmente conhecida como Agenda 2030, com 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentáveis-ODS e dentre eles o ODS7: Energia Acessível e Limpa. A partir do surgimento de conceitos envolvendo construção sustentável, foi iniciada na década de 1990, a implantação de certificações sustentáveis para edificações. Entre as ferramentas/instrumentos que reduzem os imapctos causados pela construção civil, tem-se as certificações ambientais para edificações, o uso da arquitetura bioclimática, técnicas construtivas, estudos do sol e vento, possibilitando o uso de ventilação e iluminação natural na edificação. Portanto, é importante realizar pesquisas relacionadas a sistemas de certificação, como LEED e PBE Edifica, que são os mesmos que serão estudados neste trabalho. Essa escolha se deu porque o LEED é uma certificação internacional para edificações, entre eles o GBC Brasil, que foca apenas em edifícios residenciais unifamiliares, e o PBE Edifica, um selo desenvolvido e aplicado apenas no Brasil, que terá como foco a construção em PBE Residência unifamiliar. Ambos os projetos, através de seus critérios analíticos, contribuem para o ótimo desempenho dos edifícios residenciais em termos de uso de energia elétrica. Neste estudo, o objetivo geral foi analisar a melhoria da eficiência energética em edificações, a partir do desempenho de sistemas de certificações ambientais e de parâmetros utilizados na arquitetura e construção sustentável. Como objetivos específicos: Identificar a localização das edificações residenciais que já possuem a certificação LEED ou PBE Edifica, no Brasil, relacionando com a realidade de cada local;Verificar o desempenho de sistemas de certificações PBE Edifica e Leadership in Energy and Environmental Deseing (LEED), usados na construção civil brasileira, para a eficiência energética;Discutir a influência de parâmetros da arquitetura sustentável e das certificações ambientais para a melhoria da eficiência energética em edificações. Portanto, é possível verificar que a certificação sustentável de edificações tem muito a ver com a redução do consumo de energia no Brasil, pois ajudam a mitigar/reduzir os danos ao meio ambiente, pois a aplicação de parâmetros visa a melhoria de seus projetos de eficiência energética, juntamente com a redução do consumo de eletricidade.

  • ÉTHYNNA MARINA CORRÊA SANTOS
  • RISCO AVIÁRIO NO AEROPORTO DE TERESINA – SENADOR PETRÔNIO PORTELLA
  • Orientador : ANDERSON GUZZI
  • Data: 29/04/2022
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Estudos em aeroportos são necessários para entender a influência destes sobre a comunidade de aves, e listar os perigos que esse grupo pode ocasionar ao tráfego aéreo. No Brasil poucos trabalhos foram publicados abordando essa temática, e reduzir essa lacuna é fundamental para a tomada de decisões visando o controle do risco aviário. O perigo de acidentes envolvendo a avifauna e aeronaves é crescente, devido ao aumento de linhas aéreas, expansão desordenada das cidades, falta de saneamento e de consciência ambiental por parte da população residente em áreas aeroportuárias, o que favorece a permanência de aves. O trabalho teve como objetivos identificar as espécies de aves que representam um risco potencial maior de colisões com aeronaves no aeroporto Senador Petrônio Portella, em Teresina-PI; e propor ações mitigatórias, para fundamentar um futuro plano de manejo visando reduzir esse risco na área de estudo. O trabalho foi dividido em três capítulos: revisão de literatura, análise do risco aviário no aeroporto de Teresina e medidas mitigatórias que podem ser adotadas pelos órgãos competentes através da implementação de políticas públicas buscando a redução do risco aviário. Foram registradas 70 espécies de aves na área de estudo, em 84 dias de amostragem, distribuídas em 34 famílias. Cinco espécies: bico-de-lacre, pombo-doméstico, polícia-inglesa-do-sul, urubu-preto e andorinhão-do-buriti, juntas foram responsáveis por mais da metade de todos os avistamentos (64%). As espécies com maior risco de colisão com aeronaves de acordo com a metodologia adotada foram: urubu-de-cabeça-vermelha, urubu-de-cabeça-amarela, urubu-preto, gavião-caboclo, pombo-doméstico e carcará. Foram identificados 29 focos atrativos para as espécies da avifauna na área da ASA do aeroporto, sendo a ampla maioria relacionada com o destino incorreto dos resíduos sólidos. Espera-se que este trabalho resulte na geração de medidas mitigatórias buscando a redução desse risco, assim como estimule o debate do tema pela sociedade civil, comunidade científica e acadêmica.

  • CREUSA CARVALHO DA COSTA
  • Desenvolvimento Sustentável no Ensino de Ciências: Limites e Possibildades
  • Data: 26/04/2022
  • Mostrar Resumo
  • A abordagem envolvendo a temática Desenvolvimento Sustentável no eixo educacional busca a compreensão sistêmica das limitações e possibilidades. Para tanto, buscou - se avaliar limites e potencialidades do desenvolvimento sustentável no ensino de ciências, bem como a contextualização do ensino na perspectiva sistêmica do desenvolvimento sustentável, frente à dialética econômica, social e ambiental. Para a coleta de dados foram realizadas entrevistas semi-estruturadas por meio da aplicação de formulário de modo remoto para os professores contendo perguntas a respeito de limitações e possibilidades da aplicação do desenvolvimento sustentável inserido no ensino. Auxiliaram com esta investigação, 43 participantes que apresentaram grande afinidade com a área ambiental por meio da aplicação de formulário de modo remoto para os professores, contendo perguntas a respeito de limitações e possibilidades da aplicação do desenvolvimento sustentável inserido no ensino, práticas educacionais que promovam o desenvolvimento sustentável no ensino e, abordagens pedagógicas. O formulário é composto de 7 (sete) questões que apresentam o objetivo de investigar se as questões ligadas ao desenvolvimento sustentável estão vinculadas a aspectos sociais, ambientais e econômicos. Assim, foram realizadas análises descritivas com as frequências simples e relativas das respostas dos docentes e em seguida uma análise de caráter qualitativo, descrevendo os comentários dos participantes com base na Técnica de Elaboração e Análise de Unidade de Significados. Ponderando sobre os objetivos apresentados, a análise dos dados possibilitou identificar que a temática do Desenvolvimento Sustentável no âmbito educacional apresenta efeitos positivos e negativos em sua trajetória frente à sociedade, pois, a finalidade do questionário foi a de identificar como o tema do DS tem aparecido indireta ou diretamente na educação, mesmo que o conteúdo das disciplinas ministradas não contenham esse tópico específico, pela amplitude dos objetivos de desenvolvimento sustentável e de suas metas.

  • FRANCIELLY LOPES DA SILVA
  • AVALIAÇÃO DOS IMPACTOS DO USO E OCUPAÇÃO DO SOLO DA SUB-BACIA PD 07 NA QUALIDADE DA ÁGUA DA LAGOA DOS MORROS NO PARQUE ZOOBOTÂNICO EM TERESINA-PIO EM TERESINA-PI
  • Orientador : CARLOS ERNANDO DA SILVA
  • Data: 30/03/2022
  • Mostrar Resumo
  • Teresina vem apresentando um crescimento urbano acentuado, porém desprovido de planejamento criterioso, sobretudo relacionado ao saneamento básico, cuja falta atinge principalmente as sub-bacias que compõem a zona urbana. A sub-bacia PD 07, localizada na zona leste, é composta por vários bairros com elevada densidade populacional e um significativo déficit no esgotamento sanitário. Em seu exutório encontra-se o Parque Zoobotânico, que possui uma área de 127,5 hectares destinados à proteção e conservação ambiental. No interior do parque existe uma lagoa natural de grande porte, denominada Lagoa dos Morros, a qual era utilizada para atividades recreativas, conhecida principalmente pela utilização dos pedalinhos, cujo uso foi inviabilizado devido a proliferação e cobertura do espelho d’água por macrófitas aquáticas. O objetivo principal desta pesquisa é analisar os impactos do uso e ocupação do solo na qualidade das águas da sub-bacia PD 07, bem como propor soluções para a problemática existente. Inicialmente caracterizou-se a sub-bacia quanto ao uso e ocupação do solo por meio de imagens de satélite e elaboração de mapas. A interpretação da qualidade da água foi feita por meio da comparação dos resultados obtidos com os parâmetros estabelecidos pelo CONAMA nº 357/2005 para águas de classe II, e a aplicação do índice de qualidade da água (IQA) e do Índice de Estado Trófico (IET), considerando a sazonalidade do regime de precipitação, utilizando-se como referência a média histórica mensal dos anos 2000 a 2020. Constatou-se por meio das análises que a Lagoa dos Morros e seus principais afluentes não estão dentro dos padrões exigidos para águas de classe II, por apresentar elevadas concentrações de E.Coli, DBO, fósforo e nitrato, oriundos do lançamento de efluentes sem tratamento prévio. O IQA dos seis pontos analisados variaram entre bom e ruim conforme o período de análise. Os piores IQAs foram identificados durante o período chuvoso nos dois principais afluentes da lagoa, e dentro da lagoa dos Morros, que apesar de ser receptora de diversos poluentes, sua água foi classificada como de boa qualidade.  O IET dos ambientes lênticos apresentaram estados ultraoligotróficos e dos ambientes lóticos estados supereutrófico e eutrófico, em ambos os períodos de análise. A cobertura da Lagoa dos Morros por macrófitas inviabilizou a sua utilização para os diversos usos destinados anteriormente, sendo necessário a implantação de um plano de revitalização, com o intuito de restabelecer o equilíbrio ecológico e suas diversas formas de uso, levando-se em consideração a participação do poder público, com a ampliação da rede de esgotamento sanitário, e da educação ambiental com a comunidade local.

  • ELLEN LETÍCIA SARAIVA DE CARVALHO
  • MIRMECOFAUNA ASSOCIADA À BACTÉRIAS EM AMBIENTE HOSPITALAR E ZOOPERCEPÇÃO DE PROFISSIONAIS RELACIONADOS À BIOSSEGURANÇA, EM TERESINA-PI
  • Orientador : DENIS BARROS DE CARVALHO
  • Data: 17/03/2022
  • Mostrar Resumo
  • Os insetos da Família Formicidae, são sociais e estão envolvidas em atividades tais, como: herbivoria, dispersão de sementes, predação e mutualismo com plantas. As formigas tem bastante importância para o ecossistema e desempenham inúmeras funções, além de serem as mais adaptadas aos mais diversos ambientes, contudo no ambiente hospitalar esses insetos podem ser atraídos por remédios e alimentos, e essa procura as faz circular por todos os recintos e carrear patógenos, aumentando o número de infeções hospitalares. Identificar formigas andarilhas de hospitais e conhecer as percepções que profissionais da área de Biossegurança hospitalar e funcionários do hospital, como a lei aborda o tema e realizar um levantamento bibliométrico da temática. A área de estudo foi o hospital universitário da UFPI, onde foram feitas coletas de setembro a novembro, com o auxílio de armadilhas de mel e salsicha em diversas dependências do hospital, as entrevistas foram realizadas de forma remota com a equipe de Biossegurança que forma o SESMT e a CIPA da instituição, os funcionários responderam o questionário acerca de suas percepções em relação as formigas no ambiente hospitalar. A pesquisa documental foi realizada categorizando os documentos em quatro tipos: Aqueles com Informações Pouco Precisas (IPP), Informações precisas, mas com Lacunas de Entendimento (IPL), informações precisas, mas com déficit de dados (IPDD) e com Informações Precisas (IP). O levantamento bibliográfico foi feito com o auxílio das bases dados já conhecidas, como Google Scholar, Web of Science, Scielo, Scopus e as bases médicas, como Lilacs e MedLine. Os resultados encontrados na pesquisa documental sugerem que apesar de a legislação preocupar-se com a presença de vetores, seu foco está mais voltado para áreas de resíduos e alimentação, excluindo outras áreas do hospital onde também podem haver insetos forrageando. A pesquisa bibliométrica mostrou que o Brasil é o país que mais tem pesquisas nessa temática e a região Centro-oeste é a mais importante para esses estudos, demonstrou também que os hospitais são os locais de pesquisa de maior relevância para o tema e que os pesquisadores optam geralmente por identificar e isolar espécies de bactérias do corpo desses formicídeos. As conclusões parciais apontam que é necessário que a legislação seja atualizada e ponha uma atenção maior em outros locais dos hospitais que a literatura mostra que existem insetos e os agentes que eles carregam, e por outro lado é necessário que outras regiões e estados do país se preocupem com a temática para que esta passe a ser discutida e tome a relevância que ela necessita.

  • ANA CLÁUDIA SOUSA E SILVA
  • IMPACTOS AMBIENTAIS DA POLUIÇÃO: BIOINDICAÇÃO POR ORGANISMOS ZOOSPÓRICOS E A PERCEPÇÃO POR MORADORES DO ENTORNO DA LAGOA MAZERINE EM TERESINA-PI
  • Orientador : JOSE DE RIBAMAR DE SOUSA ROCHA
  • Data: 25/02/2022
  • Mostrar Resumo
  • Teresina é hoje uma das várias capitais brasileiras que enfrentam problemas relativos ao seu desenvolvimento urbano. O programa Lagoas do Norte (PLN) visa melhorar as condições de vida e o desenvolvimento socioeconômico e ambiental da região das lagoas situadas na zona norte da cidade de Teresina. A lagoa do Mazerine localizada na região norte da cidade de Teresina no estado do Piauí faz parte do completo de 34 lagoas artificial e natural.  Ela é de origem artificial, resultado da extração de areia e pedras, após o local ser inundado formando a lagoa. A comunidade utilizava a lagoa para várias atividades como: piscicultura, lazer e outros. Atualmente, a orla da lagoa está completamente ocupada por moradias de forma desordenada e a comunidade ao seu entorno lança seus esgotos domésticos e deposita lixo na lagoa poluindo a sua água. A poluição é um grave problema em diversos ambientes. Os organismos dos ambientes aquáticos também são impactados pela poluição, na sua diversidade como os fungos. Dentre a diversidade de fungos, pode-se citar os fungos zoospóricos (Chytridiomycota e Oomycota,), caracterizados por apresentar flagelos em suas estruturas de reprodução. Estes organismos são sensíveis à poluição, refletindo na diminuição da diversidade local. A percepção é o ato de perceber, assim como também o desenvolvimento do sistema de compreensão do ambiente ao seu redor. Os moradores do entorno da lagoa estão inseridos nesse ambiente e estão sujeitos aos impactos da poluição. O presente trabalho tem por objetivo avaliar com bioindicação pela diversidade de organismos zoospóricos (Quitrídias e Oomicetos) ocorrentes e a percepção ambiental da comunidade do entorno da Lagoa Mazerine sobre a qualidade ambiental da lagoa como reflexo da poluição; e verificar se existe concordância entre elas.  Para estudo da diversidade de organismos zoospóricos, foi delimitada a área de estudo, a Lagoa Mazerine e a comunidade ao seu entorno. Posteriormente no período indicado foi iniciada a coleta das amostras de água e solo. Foi realizado o isolamento laboratorial dos fungos, e para isso, as amostras de água juntamente com os materiais orgânicos foram transferidas para placas de Petri. As amostras de solo foram colocadas em placas de Petri e adicionado água destilada.. Logo em seguida, foram adicionados em cada placa os substratos utilizados, em seguida as amostras foram incubadas a temperatura ambiente. Após cinco dias de incubação foi iniciado o processo de triagem das iscas. O estudo de identificação das espécies foi realizado através da utilização de artigos publicados em revistas especializadas. A qualidade ambiental da lagoa foi avaliada com a comparação dos resultados obtidos de diversidade com outros trabalhos registrados na literatura especializada. Para avaliação da percepção socioambiental o trabalho foi submetido ao comitê de ética e, após aprovação, foi aplicado um formulário teste com cinco moradores da região. O trabalho contribuiu para identificação de seis espécies do filo oomycota, uma do filo Blastocladiomycota e três Filo Chytridiomycota. Comparando o resultado encontrado nesse estudo com outros da literatura especializada para a qualidade ambiental da lagoa com base na diversidade, observou-se baixa diversidade, com pouca ocorrência e frequência desses organismos, essa diminuição da diversidade desses organismos sugere condições ambientais de degradação em que se encontra a lagoa. Com a aplicação do formulário teste foi possível identificar os tipos de percepção (Percepção de perda visual e olfativa) desenvolvido pelos moradores entrevistados. Portanto, observa-se através da percepção ambiental dos moradores entrevistados da comunidade ao entorno da lagoa Mazerine  um reflexo das condições ambientais da lagoa bioindicada pelos organismos zoopóricos. Para recuperação da qualidade ambiental local, recomenda-se a implantação do projeto de esgotamento sanitário na região, a desocupação das famílias que se encontra na orla da lagoa, requalificação do espaço urbano e a conscientização da comunidade através de programas voltado para a preservação ambiental.

  • MAILODOVINCI DE SOUSA PEREIRA
  • Vulnerabilidade e percepção ambiental como subsídios à gestão da Flona de Palmares
  • Data: 23/02/2022
  • Mostrar Resumo
  • As Unidades de Conservação correspondem a espaços legalmente instituídos nos quais são preconizadas limitações específicas para o uso dos seus recursos naturais. A variedade de ecossistemas no Brasil permite que essas UCs sejam estabelecidas em regiões de vulnerabilidade ambiental distintas, contudo o conhecimento das fragilidades pode auxiliar as atividades de gestão daqueles envolvidos no manejo cotidiano desses espaços. Deste modo, O presente trabalho intencionou a elaboração do Mapa de Vulnerabilidade Ambiental da FLONA de Palmares com base em análise multicritério com ponderação por especialistas e nos atributos ambientais Declividade, Pedologia e Uso e Ocupação do Solo. Os procedimentos desempenhados no ambiente SIG somente foram possíveis mediante aquisição de dados georreferenciados dos atributos ambientais da FLONA, deste modo, empregou-se, neste estudo, principalmente a Base TOPODATA BRASIL, RADAMBRASIL, USGS, arquivo kml do ICMBio contendo a delimitação da UC, bem como esforços científicos anteriores como os estudos de Feitosa et al (2012), Brandão (2020) e Barbosa (2015). Considerando-se ainda que as UCs são ambientes de promoção da gestão participativa das comunidades de entorno, este estudo também procurou, através da aplicação de questionários, levantar informações sobre a perspectiva das comunidades Vista Alegre, Soturno e Gávea quanto aos serviços de Saneamento Básico e à proximidade com a UC. Através da Metodologia desempenhada, verificou-se que a maior parte do território da FLONA encontra-se em baixa vulnerabilidade ambiental (40,62%), contudo 2,77% do território demonstra elevada vulnerabilidade ambiental, em especial nas porções norte e leste da UC. O levantamento com as comunidades de entorno possibilitou constatar a necessidade de avanços sensíveis no saneamento básico, em especial quanto à coleta de resíduos sólidos. Em relação à proximidade com a UC, cerca de 15% associam a presença da FLONA à ocorrência de crimes e assaltos e mais de 70% dos participantes destacam benefícios como tranquilidade e lazer à presença da FLONA de Palmares.

     

    LINK DA SALA VIRTUAL: https://conferenciaweb.rnp.br/events/defesa-da-dissertacao-de-titulo-vulnerabilidade-e-percepcao-ambiental-como-subsidios-a-gestao-da-flona-de-palmares

  • GIOVANNA MORGHANNA BARBOSA DO NASCIMENTO
  • O meio ambiente na compreensão e interação dos indivíduos: as contribuições da educação ambiental crítica
  • Orientador : CLARISSA GOMES REIS LOPES
  • Data: 22/02/2022
  • Mostrar Resumo
  • A atual crise socioambiental é fundamentada nas relações de dominação e perda de pertencimento do ser humano à natureza, que afeta a complexidade dos problemas ambientais, vistos externamente à esfera humana. Estudos apontam que indivíduos estreitamente relacionados à natureza podem desenvolver conhecimento, sensibilização e atitudes necessárias para compreender o meio ambiente nas dimensões culturais, políticas, sociais, econômicas e naturais. Estudos têm ainda focado no efeito das experiências vividas na infância na aproximação do indivíduo à natureza quando adulto. Considerando isto, as duas hipóteses deste estudo são: A proximidade com a natureza promove uma compreensão integrada do meio ambiente e educação ambiental; Indivíduos que na infância tiveram mais contato com a natureza tendem a manter ou intensificar o comportamento na fase adulta. O objetivo da pesquisa foi: Analisar, pelos caminhos da Educação Ambiental (EA), a compreensão e a interação de estudantes de graduação com o meio ambiente. Para tal, foi necessário: Investigar se há relação entre a compreensão de meio ambiente e o contato com a natureza de estudantes de graduação; Analisar se a compreensão de meio ambiente e EA varia entre graduandos de cursos de diferentes áreas do conhecimento e período; Analisar os fatores que afetam o distanciamento e/ou a aproximação dos indivíduos com a natureza. A pesquisa descritiva quali-quantitativa envolveu 50 estudantes ingressantes e formandos de pedagogia e quatro licenciaturas da Universidade Federal do Piauí por entrevistas online com formulário semiestruturado, realizadas em fevereiro de 2021. As perguntas abrangeram: experiências na infância com o campo, incentivo dos pais, contato com a natureza na atualidade, fatores que motivam ou dificultam esse contato, compreensão sobre meio ambiente e EA. A análise foi realizada por frequência relativa simples de respostas e foram propostos testes de qui-quadrado. Foi observado que a “orientação” (conhecimentos, sensibilização) na infância é mais relevante que apenas a “oportunidade” do contato direto com a natureza; as experiências na infância influenciam o comportamento na fase adulta, mas também é possível mitigar o distanciamento quando adultos. O contato desde a infância foi mantido ou intensificado por 96% da amostra na fase adulta. A análise por período (ingressantes e formandos) não demonstra diferenças expressivas na categorização de meio ambiente e EA, somente quanto à EA crítica e o meio ambiente socioambiental apresentados apenas por formandos, revelando que a formação acadêmica pode estar contribuindo para a transformação do pensamento crítico. A análise por curso revelou destaque na criticidade nos cursos de educação (Pedagogia) e ciências humanas (Artes visuais), o que pode ser justificado pela diversidade de disciplinas com foco social, cultural, histórico, econômico e político no currículo de tais graduações, pois assim contemplam mais dimensões da EA que a abordagem naturalista como tradicionalmente é visto. Por fim, o maior contato com a natureza evidencia nos entrevistados a vertente de EA conservacionista (proteção e sensibilização), apesar de predominar uma concepção de meio ambiente abrangente, com teor crítico. Dessa forma, o contato com a natureza (pela orientação e oportunidade) devem ser direcionados também pela abordagem crítica, que possibilita reconhecer o ser humano pertencente à natureza.

  • MARALÍ SILVA SANTOS
  • PERCEPÇÃO AMBIENTAL SOBRE A GESTÃO E DISPOSIÇÃO FINAL DOS RESÍDUOS SÓLIDOS NO MUNICÍPIO DE FLORIANO, PIAUÍ, BRASIL
  • Orientador : DENIS BARROS DE CARVALHO
  • Data: 09/02/2022
  • Mostrar Resumo
  • O presente estudo tem por objetivo compreender a percepção ambiental acerca da gestão e disposição dos Resíduos Sólidos e os impactos socioambientais no campo das políticas públicas e práticas integradas de gestão. Os comportamentos podem criar hábitos de consumo na sociedade e os resíduos gerados e sua disposição final tem se tornado um dos principais desafios a serem enfrentados no mundo. Baseado nisso, busca-se refletir sobre as políticas ambientais e as possibilidades de sua instrumentalização no contexto social, político e tecnológico para o desenvolvimento sustentável do território. Neste sentido, este trabalho discutiu a degradação socioambiental do lixão do Município de Floriano - Piauí e as implicações tanto na qualidade do meio ambiente, quanto na saúde e qualidade de vida dos catadores de materiais recicláveis. Assim, foi realizado um estudo de impacto ambiental do sistema de disposição final dos resíduos no município. Para o alcance dos resultados, foi utilizada a pesquisa documental e observação in loco com a utilização de registros fotográficos, anotações com a análise da percepção geral dos pesquisadores sobre a estrutura do lixão, tipos de resíduos dispostos e interações entre catadores; e foi adotada a metodologia de verificação de impacto socioambientais através do Índice de Qualidade de Aterro de Resíduos (IQR) da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (CETESB). Os resultados indicaram que as condições de funcionamento do local são inadequadas e não atende aos requisitos previstos pelas normas de gerenciamento de resíduos no tocante às políticas socioambientais. A pesquisa também indicou a presença de uma quantidade significativa de materiais no lixão como plástico, papel, papelão, garrafas pets, além de resíduos hospitalares e da construção civil a céu aberto. Em relação à análise documental foi possível realizar uma reflexão sobre os impactos socioambientais atrelados às políticas públicas ambientais na área de Resíduos Sólidos.

  • DARLISON FONTENELE SAMPAIO
  • Percepção ambiental e etnoornitologia como ferramentas de educação ambiental no combate ao tráfico de aves silvestres na região norte do estado do Piauí, Brasil
  • Orientador : ANDERSON GUZZI
  • Data: 10/01/2022
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Com a finalidade de desenvolver estratégias que possam auxiliar no combate a problemática do tráfico de aves silvestres, a percepção ambiental no ambiente escolar e a etnoornitologia nas comunidades são ferramentas importantes para a formulação de políticas públicas eficientes voltadas para a conservação da biodiversidade de aves silvestres. No presente estudo obsetivou-se levantar os conhecimentos populares da comunidade Lagoa de Dentro, zona rural do município de Teresina, norte do estado do Piauí, alocada no entorno da área de soltura de fauna silvestre pelo IBAMA. Adicionalmente, buscou-se levantar dados referentes à percepção ambiental dos discentes matriculados em escolas públicas municipais presentes na região. Para isso foram elencados os seguintes objetivos específicos: Identificar as espécies alvo do tráfico de aves silvestres na comunidade Lagoa de Dentro, registar o valor de uso das espécies locais para a comunidade, verificar a existência de aves silvestres mantidas como aves de estimação na população, registrar a percepção ambiental dos alunos de ensino fundamental das escolas públicas municipais no entorno da comunidade. O estudo foi desenvolvido na comunidade Lagoa de Dentro, zona rural do município de Teresina, norte do estado do Piauí. A vegetação da área de estudo encontra-se numa faixa de contato das formações vegetais dos tipos floresta subcaducifólia, cerrado e caatinga. O presente trabalho foi submetido à apreciação do Comitê de Ética em Pesquisa Humana da Universidade Federal do Piauí/Teresina. A metodologia amostral utilizada para o levantamento dos dados etnoornitológicos foi à observação direta e entrevistas por meio de um formulário semiestrturado com perguntas abertas e fechadas, onde foram abordados os seguintes aspectos: dados socioeconômicos, informações acerca de questões ambientais, principalmente sobre a avifauna local, assim como questões pertinentes às formas de utilização e a importância desses animais para a comunidade. A amostra da comunidade foi equivalente a 76 famílias, representadas por um indivíduo maior de 18 anos por família. A obtenção dos dados referentes à percepção ambiental dos alunos do 4º ao 9º ano ocorreu por intermédio da aplicação de questionários. Os alunos que não possuíam acesso à internet receberam os questionários impressos juntamente aos kits de atividade entregues pelas escolas e os discentes que possuíam acesso à internet receberam um link por meio dos grupos de WhatsApp das turmas, que possibilitou que eles respondessem esse instrumento de forma virtual por intermédio do Google Forms. A amostragem dos alunos foi correspondente a 112 participantes. Os moradores citaram 64 etnoespécies, distribuídas em 31 famílias e 54 gêneros. Os principais elementos utilizados pelos entrevistados para nomear e descrever as espécies foram: cor, forma do corpo, tamanho, vocalização, alimentação, reprodução e hábitos. Diante das informações levantadas pertinentes as percepções ambientais de crianças e jovens residentes na área de estudo voltada principalmente para questões inerentes a biodiversidade da avifauna local, foi possível observar que os mesmos possuem uma compreensão ampla sobre o que seja meio ambiente e como esse conjunto de fatores é constituído, embora os alunos vinculem o conceito de meio ambiente principalmente a recursos da fauna e da flora, eles demostraram que os recursos abióticos também constituem o meio ambiente, ressaltando que discussões inerentes a este contexto têm se tornado mais presentes no meio educacional formal ou informal.

2021
Descrição
  • FRANCISCO EDUARDO DOS SANTOS SOUSA
  • Conhecimento tradicional e medicina etnoveterinária no tratamento de pitiose em áreas rurais do meio norte brasileiro
  • Orientador : JOSE DE RIBAMAR DE SOUSA ROCHA
  • Data: 31/08/2021
  • Mostrar Resumo
  • A pitiose é uma infecção causada pelo microrganismo Pythium insidiosum. Esse patógeno acomete plantas, animais, inclusive humanos, e causam sérios prejuízos econômicos. Deste modo, o conhecimento etnoveterinário dos criadores de animais domesticados de rebanho sobre a pitiose é relevante para auxiliar na promoção da saúde animal, além da implementação de políticas públicas que minimizem os impactos econômicos causados pela doença. Esse trabalho está estruturado em três capítulos com os respectivos objetivos: (1) realizar uma revisão sistemática da literatura acerca dos casos de pitiose notificados e publicados de 2000 a 2019 no Brasil; (2) registrar o conhecimento etnoveterinário dos criadores de animais domesticados em comunidades rurais do Piauí; e (3) documentar os tratamentos etnoveterinários utilizados por vaqueiros e agricultores em uma área rural do Piauí, Meio-Norte do Brasil. Para o primeiro objetivo foram compilados 60 trabalhos sobre pitiose no Brasil. Esses estudos difundiram-se nas cinco regiões do Brasil e em 17 unidades federativas. Um total de 430 notificações foram encontradas, com os Equinos (n = 190; 44,18%) e bovinos (n = 116; 26,98%) sendo os mais acometidos pela pitiose. Dos 430 animais notificados 151 morreram, dos quais 101 (66,89%) eram ovinos e 41 (27,15%) equinos. Para alcançar o segundo objetivo foram realizadas 109 entrevistas semiestruturadas com os criadores de animais domésticos de rebanho do município de São Félix do Piauí. Dos participantes da pesquisa 67 eram vaqueiros e 42 agricultores, com idade entre 18 e 77 anos. Os animais comumente criados são caprinos, ovinos, equinos e bovinos, entretanto houve relatos da criação de suínos e felinos. Os animais mais acometidos pela doença foram os equinos (n = 123; 95,3%) e os menos afetados foram os ovinos (n = 2; 1,6%). As perdas econômicas sofridas pelos entrevistados, em função da pitiose, variaram de 50,00 a 7.000,00 R$. O terceiro objetivo foi alcançado por meio da elaboração de uma lista de fitoterápicos e zooterápicos utilizados pelos entrevistados no tratamento da pitiose. Para isso, utilizou-se o valor de uso para determinar a importância relativa das espécies. Foi registrado o uso de 16 plantas e 02 animais (01 réptil e 01 anfíbio) para o tratamento da doença. As plantas medicinais mais usadas eram folha de fonte (Philodendron cordatum) e banana-brava (Cathasetum sp.), e os zooterápicos citados foram couro de sapo-cururu (Rhinella jimi) e cinza do chocalho de cascavel (Crotalus durissus). Os tratamentos apresentaram eficácia em 27 dos casos de pitiose. Os resultados contribuem com informações acerca de qual grupo animal é mais afetado pela pitiose no Brasil e no Piauí. Possibilitou a verificação da distribuição da doença no país e a identificação dos fitoterápicos e zooterápicos utilizados no tratamento da doença. Além disso, proporcionam a verificação dos impactos econômicos causados pela pitiose e podem auxiliar na elaboração e implementação de políticas públicas que minimizem o impacto econômico da pitiose dentro do estado.

  • LUAN VICTOR BRANDÃO DOS SANTOS
  • COMPOSIÇÃO E ETNOENTOMOLOGIA SOBRE VESPAS SOCIAIS NA REGIÃO MEIO-NORTE, NORDESTE DO BRASIL
  • Orientador : PAULO ROBERTO RAMALHO SILVA
  • Data: 31/08/2021
  • Mostrar Resumo
  • Essa pesquisa teve enfoque as vespas sociais (Vespidae: Polistinae), conhecidas popularmente por marimbondos e cabas no Brasil, país com a maior diversidade de espécies do mundo. Objetivamos identificar o conhecimento e percepção de estudantes do ensino superior sobre as vespas sociais, bem como, sua distribuição e a composição de espécies no Nordeste e em uma fitofisionomia única da região, a Mata dos Cocais. Para tanto, essa pesquisa foi dividida em três fases entre novembro de 2019 a junho de 2021: a primeira foi focada na coleta de espécies de vespas em uma área de Mata de Cocais localizada no município de Timon/Maranhão durante novembro de 2019 a março de 2020, com uso de busca ativa e armadilhas com líquidos atrativos; a segunda foi focada em levantamentos bibliográficos de artigos sobre ocorrência de vespas sociais no nordeste brasileiro e usos de vespas por comunidades tradicionais do país; o último foi concentrado em pesquisa qualitativa exploratória etnoentomológica dos estudantes do curso de agronomia da Universidade Federal do Piauí através de formulários semiestruturados. Os resultados da revisão dos estudos de diversidade no Nordeste indicam que cerca de 1/3 da biodiversidade de vespídeos do país tem registros também na região, o que contrapõe a hipótese de baixa biodiversidade de vespas devido à composição florística nordestina. Em inventário rápido 14 espécies foram encontradas em área de Mata de Cocais, com predominância da tribo Epiponini e da espécie Agelaia pallipes; típicas tanto do Cerrado, quanto da Floresta Amazônica maranhense. Os estudantes conhecem, percebem e classificam as vespas sociais, com percepção ambiental a insetos, em geral, positiva principalmente por reconhecerem sua importância para manutenção da agricultura, ecossistema e utilização como controlador biológico de pragas. Algumas comunidades tradicionais brasileiras, em especial nordestinas, percebem positivamente as vespas e as utilizam para diferentes finalidades, principalmente, como alimento, com consumo dos imaturos (larvas e pupas) e mel, e terapêutico com o uso do ninho para preparação de chás, xaropes e infusões, outros usos como o religioso, decorativo, previsão do clima, lúdico e iscas para pesca também são citados. Em suma, há potencial farmacológico nos ninhos de vespas e portanto devem ser melhor investigados; o medo dos estudantes em ser ferroado é o principal fator que leva ao ataque e destruição de adultos e ninhos e desgosto para com os marimbondos, independentemente do grau de curso que estão e percepção positiva; o Nordeste brasileiro apresenta uma alta diversidade de espécies de vespas e regiões com potencial para estudos taxonômicos como estado da Bahia e biomas poucos explorados como a Floresta Amazônica.

  • TERESA MARIA COÊLHO DUARTE NETA
  • Expansão Espacial e Mudanças Ambientais a partir do desenvolvimento do Setor Habitacional: Reflexões sobre a Urbanização em Floriano, Piauí
  • Orientador : MARCIA LEILA DE CASTRO PEREIRA
  • Data: 31/08/2021
  • Mostrar Resumo
  • O estudo da forma urbana trata da compreensão das transformações que ocorreram no passado, para então conceber teorias e entendimentos para o atual espaço urbano, a partir da observância da paisagem numa dimensão espaço-temporal. O fenômeno da urbanização brasileira é desigual, heterogênea, o que dá a este processo singularidades. As diversidades evidenciadas caracterizam os aspectos territorial, regional e ambiental, dando aos espaços urbanos diversas conotações de desenvolvimento, por isso é de suma importância trazer para uma cidade média no sul do Piauí o conhecimento sobre como sucedeu a sua expansão territorial e os aportes para sua urbanização. Floriano é uma das cidades do interior do Piauí com grandes perspectivas para o desenvolvimento urbano, social e econômico. A atribuição pode ser inicialmente explicada pelos investimentos do setor público, privado no setor de serviços e habitação. O estudo tem como objetivo principal analisar a relação da política habitacional e a produção do espaço urbano no contexto de Floriano (PI). De forma mais específica conhecer a configuração histórica que elevou as perspectivas atuais de desenvolvimento; estudar os agentes produtores do espaço urbano florianense; entender o meio ambiente natural diante do intenso processo de incentivo imobiliário; contribuir para o entendimento da trajetória da construção de uma Floriano Urbana. Para construir a dissertação, são empregados procedimentos metodológicos da pesquisa bibliográfica e documental baseado em livros, artigos científicos, documentos e acervos de fotografias dispostas em sites. As bases da pesquisa empírica são utilizadas mediante a necessidade de avaliar a percepção obtida através da experiência, da vivência adquirida no local. Verifica-se, que a estruturação da rede urbana influenciou diretamente a expansão da cidade, tornando-se uma grande área de monopólio entre as cidades vizinhas, com isso a atuação do setor habitacional foi imprescindível para a criação de novas áreas de vivências. As mazelas deste processo são a segregação socioespacial, desigualdade social, diminuição da qualidade ambiental.


  • IZAMARA IANCOWICH
  • ATIVIDADE TURÍSTICA EM REGIÕES NÃO LITORÂNEAS: ANÁLISE DO POLO TERESINA, PIAUÍ
  • Orientador : WILZA GOMES REIS LOPES
  • Data: 30/08/2021
  • Mostrar Resumo
  • Entre as ações voltadas para a atividade turística, destaca-se a criação dos polos de
    turismo, idealizados como forma de descentralizar a gestão turística, tornando-se oficialmente
    uma metodologia de planejamento. Tais polos são modelos de desenvolvimento, incentivados
    pelo Governo com a finalidade de promover e ampliar as potencialidades turísticas, a partir da
    integração de municípios nos âmbitos econômico, ambiental, social e culturais, com parcerias
    público-provado, por meio da regionalização. Entre os polos turísticos existentes no estado do
    Piauí, destaca-se o Polo Teresina, considerado um dos mais importantes, pois nele se encontra
    a capital do estado. Atualmente, o polo está formado pelos municípios de Teresina, José de
    Freitas, Monsenhor Gil e Santa Cruz dos Milagres. Embora, apresentando atrativos turísticos,
    tanto naturais como culturais, não se percebe um turismo consolidado e nem ações voltadas
    para seu desenvolvimento. Dessa forma, faz-se necessária a realização de estudos voltados para
    o conhecimento do Polo Teresina e suas potencialidades turísticas, visando apoiar os gestores
    em ações voltadas para o desenvolvimento e divulgação do turismo no local. Então, neste
    estudo, pretendeu-se como objetivo geral, analisar a atividade turística no Polo Teresina,
    abordando aspectos de desenvolvimento econômico, social e cultural, com foco na
    sustentabilidade. Adotou-se como metodologia, levantamento bibliográfico, em que se buscou
    aprofundar, teoricamente, os assuntos discutidos e análise documental. Foram analisados,
    então, o Plano de Desenvolvimento Integrado do Turismo Sustentável do Polo Teresina, de
    2014 e, ainda, o Plano de Desenvolvimento Integrado do Turismo Sustentável do Munícipio de
    Teresina, datado de 2011. Além disso, foram estudados os Planos Diretores das cidades, que
    formam o Polo Teresina, como também, as políticas estaduais voltadas para o turismo no Piauí.
    A análise de dados foi feita por meio de método descritivo, apresentados em forma de tabelas
    e quadros. Foi realizado, também, levantamento das potencialidades turísticas de cada
    município, por meio de pesquisa em sites, órgãos de turismo e em material bibliográfico, como
    também, visitas aos locais. As pesquisas in loco aconteceram, exclusivamente, na cidade de
    Teresina, onde foram reconhecidos os principais atrativos naturais e culturais da cidade, e
    realizado registo fotográfico. Como resultados, foi constatado que as potencialidades turísticas
    apresentam significativa demanda para os segmentos de turismo de negócios e de eventos, na
    cidade de Teresina, enquanto para turismo religioso na cidade Santa Cruz dos Milagres.
    Destaca-se, ainda, que os recursos naturais, em sua maioria, já estão inseridos como atrativos
    turísticos, nos planos de turismo, porém é necessário ampliar a oferta de serviços turísticos,
    como forma de incorporar a atividade como fator de desenvolvimento nos municípios. Os
    recursos cultuais em sua maioria são formados pelo patrimônio arquitetônico, pelas
    peregrinações religiosas e eventos culturais. Assim, no que concerne ao desenvolvimento do
    turismo no Polo Teresina e à participação em políticas públicas, observou-se que existem
    medidas orientadas para contemplar o turismo, mas se faz necessário aprimorar estes
    mecanismos, pois as ações projetadas pelas políticas não conseguiram alcançar os objetivos
    propostos. Além disso, não são suficientes para atenderem todas as demandas necessárias para
    estimular o turismo, considerando que a estrutura turística é condição necessária para o
    desenvolvimento do turismo. As ações do Estado, em praticamente todas as atividades
    turísticas, são regulamentadoras e não incentivadoras de ações empreendedoras. A estrutura
    básica e bens simbólicos do turismo são contemplados pelas políticas, porém, no turismo do
    Polo Teresina, a estrutura específica para atender a demanda também precisa ser incentivada e
    melhorada.

  • JOSEANE DE ARAÚJO ALMEIDA
  • Quitrídias (Fungi, Chytridiomycota) em fitotelmata e o potencial para Educação Ambiental na Floresta Nacional de Palmares, Altos – PI, Brasil
  • Orientador : JOSE DE RIBAMAR DE SOUSA ROCHA
  • Data: 30/08/2021
  • Mostrar Resumo
  • O Brasil é um dos países que apresenta a maior biodiverdidade do planeta tanto em ambientes terrestres quanto aquáticos, no entanto pouco se conhece sobre a ocorrência e distribuição dos organismos pertencentes ao filo Chytridiomycota nesses ambientes devido a escassez de estudos no país relacionados a esses fungos. Mais restrito ainda é o conhecimento da ocorrência das quitrídias em fitotelmata que até o momento não foi relatada para o país com base nas buscas realizadas na literatura especializada. Estes ambientes são caracterizados como pequenos corpos de água retido por plantas vivas ou mesmo em uma de suas partes. A Floresta Nacional de Palmares é uma Unidade de Conservação de uso sustentável, onde os fitotelmata presentes no tronco de algumas árvores são regularmente abastecidos na estiagem visando fornecer água para a fauna. Considerando a capacidade que as quitrídias possuem em habitar os mais diversificados ecossistemas esse trabalho tem como principal objetivo identificar a diversidade de quitrídias nos fitotelmata em tronco de árvores que são reabastecidos durante a estiagem. E especificamente analisar a dinâmica do desenvolvimento desses fungos durante a estiagem ao utilizarem água do reabastecimento em detrimento ao período chuvoso quando a água é coletada naturalmente; e avaliar a contribuição do processo de reabastecimento dos fitotelmata como instrumento aliado à Educação Ambiental no âmbito da visitação. Foram realizadas quatro coletas durante o período chuvoso e três coletas durante a estiagem coletando-se a água do reabastecimento para isolamento e identificação das quitrídias. Foram identificadas oito espécies pertencentes a seis famílias: Monoblepharidaceae (Monoblepharys hipogina), Gonapodyaceae (Gonapodya prolifera; G. polimorfa), Nowakowskiellaceae (Nowakowskiella elegans; e N. ramosa), Catenariaceae (Catenophlyctis variabilis) Blastocladielaceae (Blastocladiella britannica) e Spizellomycetaceae (Karlingiomyces rosea). Todas as espécies foram encontradas tanto no período chuvoso quanto na estiagem, no entanto as espécies isoladas foram mais abundantes no período de chuvoso, no entanto continuaram se desenvolvendo durante a estiagem evidenciando que o reabastecimento contribui com a conservação das quitrídias. Durante o reabastecimento foi possível observar que essa estratégia é capaz de atrair a fauna para pontos específicos, o que pode ser utilizado como aliado a prática do ecoturismo, por ser uma atividade que exige pouco esforço físico pode ser realizada por pessoas de todas as idades inclusive ser incluída como atrativo turístico. Nesse sentido o reabastecimento além de contribuir com a conservação da comunidade de quitrídias ainda possui potencial para a promoção da Educação Ambiental através da inserção de pessoas no meio ambiente adquirindo e transmitindo conhecimento que vise a conservação do meio ambiente. Por se tratar do primeiro estudo realizado em fitotelmata na Floresta Nacional de Palmares esses resultados contribuem significamente com o conhecimento da diversidade local

  • JÉSSICA ALVES DA SILVA
  • EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA CONSERVAÇÃO DO DELTA DO PARNAÍBA: UMA ANÁLISE SOBRE A PERCEPÇÃO AMBIENTAL DOS PROFESSORES DAS ESCOLAS DE ILHA GRANDE, PIAUÍ
  • Orientador : MARCIA LEILA DE CASTRO PEREIRA
  • Data: 27/08/2021
  • Mostrar Resumo
  • A educação ambiental voltada para a conservação dos recursos hídricos pode ser uma importante instrutora no processo de sensibilização ecológica. A inclusão da sociedade no esforço de proteção dessas áreas pode trazer sobre elas um novo olhar, passando-se a valorizá-los como necessários e vitais para existência dos seres vivos. Neste sentido, um ambiente que promove a aprendizagem social é a escola, a educação ambiental permite eliminar fronteiras entre a população local e o espaço formal, ao tomar como eixo a realidade cotidiana. A escolha e seleção de temáticas ambientais e as identidades dos sujeitos locais envolvidos são componentes pedagógicos fundamentais na construção de práticas educativas e criação de situações de aprendizagens calcadas na experiência e na vivência, principalmente em escolas próximas às Unidades de Conservação. A escola é uma instituição social com poder e possibilidade de intervenção na realidade e que, por este motivo, deve estar conectada com as questões mais amplas da sociedade, como as UCs, incorporando-as à sua prática. A temática da água abre infinitas possibilidades de debate no contexto escolar, tendo como ponto de partida o Brasil, no qual apresenta em sua extensão territorial inúmeros recursos hídricos de fundamental importância para todo o planeta, como o Delta do Parnaíba. A região deltaica possui uma zona costeira constituída por um aporte de grandes quantidades de água doce, provenientes de extensos rios e igarapés. No estado do Piauí, o munícipio de Ilha Grande é um dos portais de entrada para o Delta do Parnaíba através do Porto dos Tatus, localizado às margens do rio de mesmo nome, que fornece o abastecimento de água para o munícipio, e promove o turismo, a pesca, dentre outras atividades na região. O trabalho em questão tem como objetivo principal analisar como o Delta do Parnaíba é apresentado no contexto formal nas escolas de Ilha Grande. Em relação aos objetivos classifica-se como do tipo qualitativo e, para isso, foram aplicadas entrevistas telefônicas e presenciais com os professores das escolas, com o objetivo de investigar as práticas educativas de EA desenvolvidas sob o contexto local do Delta do Parnaíba e identificar suas percepções sobre o meio. Como procedimento metodológico foi utilizado à pesquisa bibliográfica, pesquisa de campo, exploratória e documental. A pesquisa exploratória teve como objetivo descrever os projetos desenvolvidos nas escolas por ONGs e instituições públicas dentre eles o “Projeto Pedagógico da Zona Costeira e Marinha do Brasil”, “APA Viva” e o projeto “Educação, água e cidadania”, voltadas para EA para conservação do Delta do Parnaíba. Entende-se que a aproximação da escola com assuntos relacionados ao Delta do Parnaíba é necessária para sensibilização ecológica de alunos e professores.

  • JOSÉ JANIELSON DA SILVA SOUSA
  • Educação Ambiental: Gestão e Desdobramentos do Programa “Vamos Cuidar do Brasil” em Escolas Públicas Municipais de Santa Cruz dos Milagres - PI.
  • Orientador : MARCIA LEILA DE CASTRO PEREIRA
  • Data: 27/08/2021
  • Mostrar Resumo
  • A Educação Ambiental (EA) surge como uma estratégia para o enfrentamento de crises sociais, culturais e ambientais, com a perspectiva de mudança, renovação e transformação. Nos anos 90, após a Rio-92, educadores e ambientalistas lutaram para tornar a EA como parte do ensino formal. As políticas públicas de EA visam a transformação da escola em um ambiente mais participativo e próximo das dinâmicas já interiorizadas pelos alunos e comunidades. A partir de 2003 instauram-se no Brasil mecanismos para a estruturação mais efetiva da educação ambiental, possibilitando a articulação integrada de ações no campo institucional. No governo Lula (2003 – 2006), a política pública implementada pelo Órgão Gestor da Política Nacional de Educação Ambiental, dentre outras propostas, buscou desencadear uma discussão em todas as escolas do país por meio do Programa Vamos Cuidar do Brasil (PVCB), considerado como um desdobramento dos Parâmetros Curriculares Nacionais – PCN, e que busca fortalecer e enraizar a EA nas escolas através da realização das Conferências Infanto-Juvenis pelo Meio Ambiente (CNIJMA), com a criação das Comissões de Meio Ambiente e Qualidade de Vida (Com-Vida) e a Primavera X. A sustentação teórica deste trabalho aborda a reflexão da EA crítica e emancipatória com relação aos processos das políticas públicas de EA e etapas do PVCB (LIPIETZ, 2002; TRAJBER; MENDONÇA, 2007; MORIN, 2007, 2009; LIMA, 2008, RODRIGUES; LOUREIRO, 2017). Em recentes pesquisas realizadas pelos principais teóricos da EA, é possível constatar que 94% das escolas que possuem Ensino Fundamental no Brasil afirmam praticar EA em seus processos pedagógicos. Porém estes dados não refletem a verdadeira realidade, após análise mais profunda, ao longo dos anos, desde a implementação da PNEA, pode-se perceber que existem contradições entre o discurso e a prática que aparecem na rigidez curricular (TRAJBER; MENDONÇA, 2007; TOZONI-REIS, 2014; VIEGAS; NEIMAN, 2015; TEIXEIRA et al., 2019). Com base no exposto, a pergunta problema que a pesquisa pretender abordar é: O PVCB pode contribuir para a formação e transformação do currículo, espaço físico e gestão democrática no ensino fundamental das escolas públicas? O principal objetivo desta pesquisa é analisar a gestão e os desdobramentos do programa “Vamos Cuidar do Brasil”, suas contribuições para a educação ambiental em seis escolas públicas de Santa Cruz dos Milagres – PI no período de 2003 a 2020. Mais especificamente (i) Descrever o processo de aplicabilidade do programa no ensino regular das escolas públicas; (ii) Caracterizar o perfil dos profissionais da educação (professores, coordenadores, diretores, e demais servidores) das escolas municipais de Santa Cruz dos Milagres-PI e a relação destes com o programa; (iii) Verificar a percepção dos profissionais da educação sobre o programa, considerando suas perspectivas/sonhos, desafios e propostas para a inserção da educação ambiental nas escolas e no município, dentro dos eixos: currículo, espaço físico e gestão; (iv) Verificar os projetos de Educação Ambiental desenvolvidos pelas escolas no período de 2003 a 2020, identificando aspectos de gestão do programa para a resolução de problemas ambientais locais; (v) Relatar a importância do protagonismo juvenil, a atuação e contribuições dos Coletivos Jovens de Meio Ambiente (CJ) para o desenvolvimento de políticas públicas de educação ambiental nas escolas. A abordagem técnica quanto ao objetivo é bibliográfica, exploratória, documental, descritiva e pesquisa de campo, quanto às variáveis é qualitativa. O intuito é contribuir com os processos de implementação e melhoria das políticas públicas de EA, com base nas percepções e experiências das escolas públicas.

  • JEFERSON SOUSA ALENCAR
  • Educação não-formal: Uma análise qualitativa dos zoológicos do Brasil como espaço integrador de posturas em Educação Ambiental
  • Orientador : CLARISSA GOMES REIS LOPES
  • Data: 26/08/2021
  • Mostrar Resumo
  • As aves apresentam elevadas taxas de extinção na natureza, apesar da sua grande relevância ecológica. Desta forma, é importante a sensibilização de toda a comunidade para os problemas da caça predatória e da manutenção de animais em cativeiro. Os zoológicos têm atuação na conservação de espécies e tradicionalmente oferecem ensino formal, orientado por professores para grupos educacionais, neste cenário, se destaca a Educação Ambiental crítica, em que é necessário compreender o ambiente do zoológico a partir de um olhar ético e humano. Objetivou-se avaliar o conhecimento dos estudantes sobre o tráfico de aves silvestres e o bem-estar animal, comparando a educação ambiental ofertada em zoológicos do Brasil. A pesquisa foi realizada na Escola Municipal Professor Paulo Nunes, localizada na capital de Teresina-PI, um questionário semiestruturado foi elaborado e aplicado envolvendo temáticas de animais silvestres, os dados foram categorizados por meio de análise temática. Deu-se continuidade a pesquisa através de busca realizada em bancos de dados científicos como o do Google Acadêmico, Scielo, ANPEd, ANPPAS, EPEA e Capes, usando as seguintes palavras-chave: “Educação Ambiental” + “Zoológico”, em três idiomas; português, inglês e espanhol. Os dados foram coletados observando os critérios de inclusão e exclusão determinados. De acordo com os teóricos analisados, pode-se observar que, a oferta da educação ambiental através de ambientes externos é uma prática comum no Brasil e que através destes locais é possível aprimorar os conhecimentos dos educandos, pois a aula torna-se mais prática e dinâmica. Mediante as questões elencadas, é necessário, portanto, que se façam novas interferências científicas envolvendo o desenvolvimento de estudos ambientais no ambiente escolar com o intuito de promover a sensibilização por parte dos estudantes que ainda insistem em praticar atos errôneos envolvendo a fauna. A educação é fundamental para o desenvolvimento do indivíduo, por isso a importância dessas temáticas estarem presente no cotidiano escolar e não somente estar presente em revistas, jornais, televisão ou internet. Assim, conclui-se que, o objetivo primordial de todos os zoológicos é o mesmo, o qual seja, ofertar a educação ambiental de modo a desenvolver uma consciência acerca da sustentabilidade e do meio ambiente.

  • ANTONIO REIS DE SOUSA
  • PATRIMÔNIO NATURAL DO MUNICÍPIO DE SÃO JOÃO DA CANABRAVA, PIAUÍ: HISTÓRIA NATURAL E FITOSSOCIOLOGIA
  • Data: 26/08/2021
  • Mostrar Resumo
  • O ser humano, sua história, cultura e estilo de vida mantém ligação através de relações ecológicas com o planeta Terra, suas ações individuais e coletivas constroem, transformam e modificam o meio ambiente, cujos recursos naturais são limitados. O bioma Caatinga apresenta grande variação fisionômica, além degrande número de endemismos caracterizando-se como o único bioma exclusivamente brasileiro. A perda de uma delas pode representar o desaparecimento de uma diversidade que não existe em nenhuma outra região do mundo. Nesse aspecto, objetivou-se identificar os aspectos naturais e culturais presentes no município de São João da Canabrava, Piauí, relevantes para a transformação da paisagem local, sendo estes ligados a sustentabilidade social, econômica, ambiental, política e cultural. O município de São João da Canabrava, Piauí, apresenta áreas de duas formações rochosas: as formações Cabeças e Pimenteiras, as quais pertencem ao Grupo Canindé, que integra a Bacia do Parnaíba.  O modelo deposicional dessas formações é reinterpretado no presente com base no contexto paleogeógrafo da bacia do Parnaíba durante o Devoniano. O município de São João da Canabrava possui uma população de 4.445hab e IDHM baixo, igual a 0,559. A atividade econômica de maior importância para o município é a agropecuária. A metodologia para coleta de dados da pesquisa foi dividida em duas etapas: 1) Levantamento de dados socioambientais (Caracterização do Patrimônio Natural através de levantamento bibliográfico e entrevistas para apreciação de dados socioeconômicos e socioambientais); 2) Levantamento de dados fitossociológicos (Coletar, identificar e caracterizar a estrutura da vegetação lenhosa da Caatinga em duas formações rochosas, Cabeças e Pimenteiras, presente no município de São João da Canabrava, através dos parâmetros fitossociológicos, bem como conhecer a composição florística de todos os estratos e de plantas lenhosas não contempladas no estudo fitossociológico). No que se refere a florística foram identificados 51 táxons de plantas pertencentes a 41 gêneros e 24 famílias, dos quais 47 foram identificados até o nível espécie e 4 ao nível de gênero. As famílias que apresentaram maior riqueza de espécie foram Fabaceae com 16 (31,3%) espécies, Euphorbiaceae com 4 (7,8%) e Bignoniaceae com 3 (5,8%). Os dados fitossociológicos apontaram que a área estudada possui uma alta diversidade de plantas lenhosas para a região de Caatinga através do Índice de Shannon-Wiener (H’) que apresentou um valor de 3,1 nats.ind-1. As espécies com maiores VI e VC foram Croton jacobinensis, Cenostigma macrophyllum, Aspidosperma pyrifolium e Croton grewioides. A altura média dos indivíduos foi 3,51m, com altura máxima de 14,00m e mínima de 1,00m. O diâmetro médio dos indivíduos foi de 9,25cm, com valor máximo de 167,4cm e mínimo de 3,18cm. Na fitossociologia comparativa entre as duas formações (Pimenteiras e Cabeças), pode-se notar que elas diferiram no que se refere a diversidade florística, na qual a formação Cabeças apresentou-se mais diversa com (H’) igual a 2,85 nats.ind-1, enquanto a Formação Pimenteiras apresentou o valor de (H’) igual a 2,37 nats.ind-1. Apenas duas espécies ficaram entre as cincos espécies com maiores VI e VC para as duas áreas: A. pyrifolium, C. grewioides. As espécies C. macrophyllum, Piptadenia stipulacea obtiveram valores expressivos apenas para a Formação Cabeças.  Já as espécies foram C. jacobinensis, Cenostigma pyramidale, Pityrocarpa moniliformis, apareceram apenas na lista da Formação Pimenteiras. Quanto a riqueza de espécies as duas formações apresentaram valores semelhantes, no entanto, as duas Formações diferiram quanto a composição florística, apresentando uma quantidade expressiva de espécies exclusivas para cada formação. Quanto as classes de altura e diâmetro, as duas formações apresentaram valores próximos. Conclui-se que o município de São João da Canabrava, apresenta alta biodiversidade de plantas lenhosas, a qual é influenciada pela presença das Formações Pimenteiras e Cabeças. No entanto, os baixos níveis de desenvolvimento humano do município, aliado com a superutilização dos recursos naturais em solos naturalmente pobres, através de práticas agrícolas inadequadas, influenciam na degradação ambiental da Caatinga. Portanto, este estudo aponta a necessidade de uma interação mais sustentável com o ambiente, no intuito de que a reflexão homem-natureza provoque a valorização do Patrimônio Natural e a sua conservação.

  • MAYRA OLIVEIRA ARCOVERDE
  • Aspectos e impactos ambientais dos produtos de higiene menstrual
  • Orientador : ELAINE APARECIDA DA SILVA
  • Data: 25/08/2021
  • Mostrar Resumo
  • A menstruação faz parte do ciclo reprodutivo da mulher, sendo uma descamação das paredes internas do útero quando não há fecundação. Para a contenção do fluxo menstrual são utilizados produtos que podem ser classificados em internos ou externos, descartáveis ou reutilizáveis. São produzidos com uma diversidade de matérias-primas, têm formas diferentes de uso e descarte e, como qualquer outro produto, podem gerar impactos ambientais em todo seu ciclo de vida. O objetivo geral deste estudo é avaliar os potenciais impactos ambientais associados aos produtos de higiene menstrual. E, especificamente, identificar os principais tipos de produtos utilizados para contenção menstrual; adaptar o método Matriz de Avaliação Rápida de Impacto (RIAM) para avaliação dos parâmetros Físico/Químico, Biológico/Ecológico, Social/Cultural e Econômico/Operacional associadas aos produtos identificados; e por fim, indicar alternativas mais sustentáveis ambientalmente para higiene menstrual. Desse modo, inicialmente, foram analisados sites de fabricantes de absorventes descartáveis e coletores menstruais, as informações identificadas foram confrontadas com categorias, como, por exemplo, “consumo de água” e descarte. Foram, ainda, realizadas pesquisas em bases de dados, com associação dos nomes dos produtos, com temas relacionados à sustentabilidade ambiental. Verificou-se que grande parte dos sites dos fabricantes de coletores faz apelo à sustentabilidade ambiental, utilizando como argumento a durabilidade do seu produto, enquanto os fabricantes de absorventes, em geral, trazem pouca ou nenhuma informação a respeito. Também, foi aplicada uma adaptação da matriz RIAM, em que foram analisadas as fases de produção, uso e destinação final dos absorventes descartáveis convencionais e dos coletores menstruais. Os absorventes tiveram impactos expressivamente negativos nos parâmetros Físico/Químico e Biológico/Ecológico, principalmente, por sua matéria-prima de plástico, advinda da extração do petróleo, que não é facilmente biodegradável. O coletor menstrual se mostrou como uma alternativa interessante por ser reutilizável e não demandar a compra de novos itens a cada ciclo menstrual, por consequência, reduz a produção de rejeitos; porém, ainda é avaliado com impactos negativos quanto ao preço de investimento inicial, necessidade de água para a sua higienização adequada, além de existir barreiras associados ao seu uso por questões culturais, por conta da sua inserção vaginal. A sustentabilidade ambiental é uma questão global e atual. Independente de como individual e socialmente elaboremos simbolicamente a menstruação, muitas meninas, mulheres e pessoas que menstruam continuarão a utilizar produtos de contenção do fluxo menstrual e é preciso que mais estudos sejam realizados sobre seus impactos na saúde e no meio ambiente.

  • IRENE SUELEN DE ARAUJO GOMES
  • COMPOSIÇÃO DA AVIFAUNA E A PERCEPÇÃO ETNOORNITOLÓGICA DOS CONDUTORES DE TURISMO DO PARQUE NACIONAL DE UBAJARA - CE
  • Orientador : ANDERSON GUZZI
  • Data: 15/06/2021
  • Mostrar Resumo
  • O Brasil ocupa um título mundial de país megadiverso, com notoriedade na área da biodiversidade o que traz consigo uma grande responsabilidade para conservação. Com o intuito de preservação da biodiversidade, as Unidades de Conservação (UCs) são atuantes nessa missão. Os Parques Nacionais são UCs responsáveis pelo compromisso de motivar pessoas para questões ambientais, monitorar e conservar o meio ambiente. A pesquisa foi realizada no Parque Nacional de Ubajara (PNU), onde se encontra um cenário único com áreas de vegetação típica de mata úmida e seca. Nesse contexto, objetivou-se identificar os atrativos ecoturísticos do Parque através do uso de dados georreferenciados; classificar dados por meio do levantamento da avifauna sobre as 60 espécies mais abundantes em um aplicativo de acesso para condutores, turistas e funcionários e registrar o conhecimento dos condutores de turismo do PNU, acerca da diversidade e conservação das aves locais. A área do PNU está localizada na Serra da Ibiapaba, envolvendo os municípios de Ubajara, Tianguá e Frecheirinha, no estado do Ceará. Acerca dos dados georreferenciados, seguiram a sequência de escolha, aquisição, processamento digital, classificação, interpretação e geração de mapas. Para o levantamento da avifauna, a metodologia utilizada foi a de delimitação de pontos de escuta, através de registros auditivos e visuais. Os dados obtidos junto aos condutores de turismo da UC são quali-quantitativos, coletados através de diálogos informais e entrevistas semiestruturadas. Com a pesquisa enviada e aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa Humana da UFPI/Campus Ministro Petrônio Portella (CAAE 23741019.3.0000.5214). Os resultados dos dados de Sensoriamento Remoto mostraram, através da identificação e a quantificação, que as variações na temperatura da superfície terrestre estão diretamente relacionadas com as dissemelhantes paisagens na cobertura e uso da terra. Através do levantamento da avifauna, foram analisadas as 60 espécies mais frequentes, com dados avaliados de acordo com a abundância, distribuição no Brasil, guildas, status e risco, que serão organizados em um aplicativo para android. Mediante os resultados obtidos com a pesquisa, identifica-se a área do PNU como um local de relevante importância para o conhecimento e conservação da biodiversidade, com possibilidades de práticas ecoturísticas já presentes e desenvolvimento de outras, como a observação de aves, que alia lazer com conservação.

  • WESLEY FERNANDES ARAÚJO
  • Programa de Saúde e Saneamento Básico na Área Rural do Piauí (PROSAR-PI): promoção da qualidade de vida no Povoado Mirolândia, Picos-PI
  • Orientador : JAIRA MARIA ALCOBACA GOMES
  • Data: 28/05/2021
  • Mostrar Resumo
  • A avaliação de uma política pública ou programa social é um elemento essencial que permite aos tomadores de decisões um melhor direcionamento das intervenções, além de trazer à tona informações sobre a alocação de recursos, melhorar a qualidade da gestão e para saber como e se os resultados pretendidos são alcançados, ao mesmo tempo que propicia um maior controle social. Esta pesquisa trata-se de um estudo de caso referente as ações realizadas em uma comunidade beneficiada pela segunda fase do Programa de Saúde e Saneamento Básico na Área Rural do Piauí (PROSAR-PI/PIAUÍ-II). O objetivo é avaliar a destinação de recursos e as estratégias de desenvolvimento comunitário sustentável adotadas pelo PROSAR-PI/PIAUÍ-II no Povoado Mirolândia, em Picos. Para tanto, recorreu-se à pesquisa documental a partir de dados coletados nas seguintes fontes: Instituto de Águas e Esgotos do Piauí, Diário Oficial do Estado, Controladoria-Geral do Estado do Piauí, Tribunal de Contas do Estado do Piauí e Sistema Integrado de Saneamento Rural do Piauí. Procedeu-se ainda entrevistas semiestruturadas com agentes que contribuíram na execução das ações no local e aplicou-se formulários com chefes das famílias beneficiadas e o período de análise é de 2009 a 2020. A pesquisa foi dividida em 5 eixos temáticos e os seus indicadores demonstraram que o Programa foi eficiente na aplicação de recursos financeiros, apesar dos problemas que retardaram a entrega das obras, tendo em vista a preocupação de atender toda a demanda buscando solucionar sempre os problemas identificados para garantir a cobertura e a longevidade dos serviços. Verificou-se também que o mesmo se apoiou em meios que contribuíram para o alcance dos seus resultados como, por exemplo, a participação dos habitantes e agentes de saúde nas tomadas de decisões, utilização de consultoria para o suporte no gerenciamento e fiscalizações, além da qualidade da infraestrutura e dos processos de divulgação, didática e dos conteúdos educativos que foram bem avaliados pelos moradores. Houve ainda a sensibilização da população para aceitar o modelo de gestão implantado e os beneficiários se adequavam aos objetivos e critérios de seleção adotados. Em relação a efetividade observou-se efeitos sociais, como a frequência no abastecimento de água, redução das despesas para o seu consumo, hábitos de higiene, diminuição de doenças de veiculação hídrica e efeitos institucionais com o fortalecimento da associação de moradores. Além disso, há uma situação de estabilidade financeira, com a inadimplência local inferior a 5% a partir do segundo ano em que a comunidade passou a integrar o modelo de gestão multicomunitário, a existência de uma tarifa condizente com as condições financeiras das famílias, o que corrobora para a continuidade da prestação de serviços no longo prazo. Conclui-se, portanto, que o PROSAR-PI conseguiu ser eficiente, eficaz e efetivo em suas estratégias de desenvolvimento promovidas no local. O seu sucesso foi percebido pela sua forma de atuação que garantiu não somente o acesso ao abastecimento e aos banheiros, mas complementando-o com orientações à população para melhoria da higiene, conservação da infraestrutura implementada, cuidados com o meio ambiente e de se manter adimplentes.  

  • JOSÉLIA OLIVEIRA CARRIAS
  • Níveis de maturidade ambiental em indústrias de tintas imobiliárias
  • Orientador : ELAINE APARECIDA DA SILVA
  • Data: 05/05/2021
  • Mostrar Resumo
  • A construção civil, como uma indústria de emissões intensivas, deve buscar inovações para alcançar uma maior conservação dos recursos naturais. Dentre os materiais utilizados nesse setor as tintas têm a função de colorir, proteger e embelezar. No entanto, é uma atividade que causa diversos impactos ambientais. Esse setor pode se beneficiar com os princípios da Avalição do Ciclo de Vida Organizacional (ACVO) na identificação dos processos, das atividades e das etapas do ciclo de vida de produtos e de serviços que tenham oportunidade de se tornarem mais sustentáveis ambientalmente. Nesse estudo, foi realizada uma visita em uma fábrica de tintas localizada no município de Demerval Lobão-PI, que contribuiu para o conhecimento das atividades do setor, mais especificadamente: matérias-primas, processo produtivo, produtos, consumo de água e energia. Inicialmente, caracterizou-se esse segmento através da literatura científica e documentos ligados ao setor de tintas. Também foram analisados os conteúdos divulgados pelos fabricantes de tintas imobiliárias a fim de identificar se o que é fornecido pelos fabricantes em suas plataformas digitais é suficiente para verificar a maturidade ambiental e elaborar uma ACVO. Foram identificadas quarenta e nove empresas, em que se constatou que cerca de 10% delas estão no último nível (estágio mais avançado) de maturidade ambiental. Para identificar os subsídios para a elaboração de uma ACVO foram investigados os instrumentos ou práticas já adotadas pelas organizações brasileiras. Para isso, foram analisados os documentos disponíveis nos sites das fabricantes de tintas, tais como: Ficha de Informações de Produtos Químicos (FISPQ), relatórios de sustentabilidade/sustentabilidade socioambiental, relatórios relacionados ao Sistema de Gestão Ambiental e licenças ambientais. Através disso, foi possível encontrar subsídios, tais como: informações sobre equipamentos com suas respectivas potências, matérias-primas, efluentes líquidos e resíduos sólidos. No entanto, constatou-se também que a ACVO, assim como a Avalição do Ciclo de Vida (ACV) e as demais ferramentas do ciclo de vida, demandam dados mais específicos do que é possível resgatar nos documentos identificados. Desse modo, confiabilidade, exatidão e uma razoável cobertura temporal são elementos indispensáveis que só são possíveis conhecer quando há uma receptividade da organização no fornecimento de dados, assim como experiência do executor da ferramenta na mineração, organização e interpretação dos resultados.

  • RUANNA THAIMIRES BRANDÃO SOUZA
  • Diversidade vegetal em cristas dunares residuais no Municipio de Ilha Grande, Piauí, Brasil, com ênfase na conservação de Anacardium occidentale L.
  • Orientador : IVANILZA MOREIRA DE ANDRADE
  • Data: 30/03/2021
  • Mostrar Resumo
  • As dunas são ecossistemas costeiros com padrões morfológicos distintos, classificadas em móveis, semifixas e fixas, onde é possível observar a formação de cristas residuais dunares (CDRs). Objetivou-se com este estudo caracterizar a composição florística e quantificar as diferenças na vegetação que poderiam ser atribuídas a passagem de dunas migratórias sobre a vegetação de restinga estabelecida em séries de cristas transversais e longitudinais bem como avaliar o perfil socioambiental dos moradores sobre o uso e a ocupação do cajuí (Anacardium occidentale L.) na localidade Labino, Ilha Grande, Piauí. Para amostragem fitossociológica foi utilizado o método de parcelas múltiplas. Para cada duna selecionada, nove pontos de amostragem foram estabelecidos em intervalos de 125 m ao longo de dois transectos de 1 km de comprimento, um percorrendo os CDRs transversais na parte central dos caminhos de duna, e um outro ao longo das CDR longitudinal sul. Em cada local de amostragem, três parcelas foram estabelecidas a uma distância de 30 m uma da outra, perfazendo 27 parcelas para cada um dos quatro transectos, ou seja, 108 parcelas no total. Para a amostragem da vegetação lenhosa foram estabelecidas parcelas de 10 × 10 m (100 m²), e dentro de cada parcela uma outra de 1 × 1 m (1 m2), não coberta por espécies lenhosas, para amostrar os indivíduos de herbáceos-arbustivos (ervas, lianas, subarbustos e arbustos e arbustivos), com 1,3 m de altura. Para o estrato arbóreo foram amostradas plantas lenhosas com tronco principal, circunferência à altura do peito (CAP) ³ 5 cm e altura ³ 1,3 m. Os parâmetros fitossociológicos calculados para cada espécie arbórea foi Dominância Absoluta (DA), Dominância Relativa (DR), Freqüência Relativa (FR), Freqüência Absoluta (FA), Densidade Relativa (DR), Densidade Absoluta (DA). Para as espécies de ervas-arbustos os parâmetros calculados foram (FR), (FA), (DR) e (DA). Para estudar os padrões da vegetação do campo de dunas, na atualidade e durante o período de 16 anos (2003-2019) foram utilizadas imagens de satélite. Para a coleta de dados sociais, utilizou-se o método de entrevistas semiestruturadas por meio de formulários, observação direta e visitas semanais. Os dados foram analisados qualitativa e quantitativamente. Os resultados apontaram que a área estudada é caracterizada por apresentar dunas fixas em forma de barcana e parabólica com inúmeras cristas dunares residuais florestadas por frutícetos ou moitas. Foram registradas 36 espécies, distribuídas em 31 gêneros e 20 famílias. A família com maior   número de espécie foi Fabaceae (seis), seguida de Cyperaceae (cinco), Poaceae (quatro), Rubiaceae (três) e as demais com duas ou uma espécie. Para o estrato herbáceo o maior valor de importância foi para Euploca polyphylla (Lehm.) J.I.M. Melo & Semir (55,89), Cyperus articulatus L. (39.71), Ipomoea asarifolia (Desr.) Roem. e Schult (38,63) Chamaecrista ramosa (Vogel.) H. S. Irwin and Barneby (35,64) e Spermacoce verticillata L. (35.63). O estrato arbóreo apresentou um porte menor configurando-se com 2m a 4m de altura e com plantas crescendo de forma agrupada. Anacardium occidentale e Byrsonima crassifolia (L.) Kunth foram as espécies arbóreas predominantes. A. occidentale predominou em abundância, frequência e área basal apresentando-se como uma espécie chave e capaz de sobreviver ao soterramento parcial nas margens dos caminhos de dunas. Nenhum padrão de sucessão foi observado nas ervas e subarbustos. A maioria dos entrevistados  pertencia ao gênero feminino (71,5%)  e adultos (65%), nascidos e criados na própria comunidade (98%), com ensino fundamental incompleto (42%), renda igual a um salário mínimo (50%). A principal atividade econômica é a pesca (55,5%) seguida pela atividade de extrativismo (29%). Na comunidade 98,5% dos moradores utilizam o cajuí para alguma finalidade e constitui-se com uma das atividades mais rentáveis para a comunidade ou a única fonte de renda em safras anuais, embora alguns fatores como o desmatamento (55%) prejudiquem sua conservação. A passagem periódica de dunas migratórias é um fator importante na criação e continuação do predomínio das populações de cajuí da restinga em Ilha Grande. O presente estudo confirma a importância do ecótipo de restinga Anacardium.occidentale para estabilização de dunas, devido seu comportamento pioneiro, crescimento agressivo, tolerância a condições extremas de habitat e boas interações bióticas que garantem seu sucesso em ambientes fortemente influenciados por perturbações naturais e humanas. É também possível destacar espécies vegetais encontradas em áreas de dunas e gerar dados para subsidiar planos de manejo e conservação de espécies importantes nessa região e estado.

    Link: meet.google.com/fty-igcr-fbz

  • CRISTIANE BARBOSA MONTEIRO
  • Bases técnicas para reformulação da atual legislação referente ao volume do reservatório de detenção na cidade de Teresina/PI
  • Orientador : CARLOS ERNANDO DA SILVA
  • Data: 08/03/2021
  • Mostrar Resumo
  • O crescimento desordenado das cidades promove a degradação do espaço urbano, impactando na quantidade e qualidade das águas urbanas. Os eventos de inundações são crescentes e apresentam-se como um dos principais desafios das administrações municipais. Os reservatórios de detenção atuam como medidas de controle na fonte e são estruturas hidráulicas presentes na concepção dos planos diretores de drenagem das cidades; sua execução é onerosa e requer uma análise minuciosa dos procedimentos de dimensionamento. Em Teresina-PI, a legislação vigente estabelece uma única equação para estimar o volume do reservatório de detenção em toda a cidade. A equação foi ajustada considerando a média das características das diferentes sub-bacias e informações hidrológicas local, sendo expressa em função da área impermeável do empreendimento. Acredita-se que as sub-bacias não são homogêneas e as características podem variar amplamente e consequentemente influenciar no volume necessário ao reservatório. Neste trabalho, estabeleceu-se uma equação para estimativa do volume do reservatório de detenção para cada uma das sub-bacias de Teresina incorporando, além da área impermeável, a largura específica, a declividade e o CN. A caracterização das sub-bacias foi feita a partir de informações do Plano Diretor de Drenagem Urbana de Teresina, associadas a análise de imagens de satélite utilizando-se o QGIS. Simulou-se o volume do reservatório e a influência das características das bacias por meio do SWMM. O desenvolvimento das equações foi realizado através de análises de regressão e de variância utilizando-se o programa R.  Os resultados indicam uma heterogeneidade entre as características das sub-bacias que influenciam no volume requerido ao reservatório de detenção. As equações propostas foram estruturadas com base em um polinômio de terceiro grau e tiveram discrepância inferior à 10% em 97% dos casos testados. A incorporação das variáveis permitiu a estimativa confiável do volume do reservatório de detenção, demonstrando que a legislação atual, por não considerar a heterogeneidade das regiões, resulta no superdimensionamento das estruturas na maior parte das sub-bacias. O melhor entendimento da influência das características das sub-bacias demonstrou a necessidade de readaptação da legislação vigente em Teresina, potencializando a implementação menos onerosas das medidas de controle.

  • ANTONIA ALIKAENE DE SÁ
  • Expedição de Spix e Martius no Piauí: Flora e Aspectos Socioeconômicos 200 anos depois
  • Data: 25/02/2021
  • Mostrar Resumo
  • O Brasil, desde o seu descobrimento, tem sido admirado e visitado pelos europeus, tanto pela fertilidade e diversidade biológica, quanto pelas riquezas minerais e a cultura do seu povo. Naturalistas europeus, atraídos pela variedade de paisagens e formas de vida vieram ao país. Dentre os visitantes destacaram-se Spix e Martius que a partir de uma expedição científica de três anos (1817 a 1820) percorreram o Brasil de sudeste a noroeste. Em 2019 completaram-se 200 anos que passaram pelo interior Piauí. Estes cientistas deixaram um grande legado de descobertas, o que nos motivou a pesquisar e a atingir os seguintes objetivos: (I) Inventariar a Flora atual da região percorrida por Spix e Martius no Piauí comparando dados com as espécies do Piauí descritas na Flora Brasiliensis; (II) Levantar informações acerca dos aspectos socioeconômicos com base no relato da expedição para comparar com o moemtno atual; (III) Discutir a desterritorialização e territorialização indígena que ocorreram na região Piauiense, por onde passou a Expedição; e (IV) Produzir material para transposição didática sobre a história da Expedição no Piauí. A seleção dos municípios para realização da nova excursão seguiu a rota descrita por Spix e Martius, comparando com a atual divisão político-geográfica do Piauí. A revisita aconteceu em uma expedição ao campo, maio/2019. As plantas coletadas na expedição foram herborizadas e identificadas, com base na classificação proposta pelo APG IV, usando metodologia usual em botânica. Como resultados, a composição florística deteve 162 taxa distribuídos em 114 gêneros e 37 famílias. Fabaceae (39spp.), Malvaceae (16 spp.), Poaceae (15 spp.), Bignoniaceae e Euphorbiaceae (9 spp. cada) foram as famílias mais representativas e os gêneros mais representativos foram Sida sp., (6 spp.) Cyperus sp. (5spp), Waltheria sp.,Chamaecrista sp., Mimosa sp. e Ipomoea sp. (4 spp. cada). A vegetação apresenta espécies endêmicas da Caatinga e do Cerrado. No levantamento das espécies do Piauí contidas na Flora Brasiliensis foram encontradas 166 espécies coletadas por Martius, distribuídas em 36 famílias. Fabaceae (43 spp.), Poaceae (29 spp.), Malvaceae (9 spp.), Asteraceae e (8 spp.) Arecaceae (7 spp.), apresentaram maior número de espécies. Das 166 espécies, 78 (47%) sofreram alterações de nomenclatura e 91 (54,81%) foram incluídas em outras famílias. Permanecem com o mesmo nome 88 (53%), e dentre estas, 75 (45,18%) permanecem com o mesmo nome e ocupando a mesma família. Os aspectos comparativos mostraram que 14 (8,43%) espécies, 31 (18,67%) gêneros e 19 (52,77%) famílias são em comum com a flora atual coletada. Quanto ao hábito de vida a maior parte é formada por ervas. A flora atual quando comparada com a flora coletada por Martius apresentou pouca semelhança, exceto em nível de Família. Quanto ao perfil socioeconômico as principais transformações ocorridas foram a mudança da Capital para aproveitamento da navegabilidade do rio Parnaíba e a construção da Fábrica de Laticínios em Campinas. Em 1819, a região era pouco habitada, 71.370 com baixa densidade demográfica – 0,28 hab/km2. Só existia a cidade de Oeiras e algumas vilas. Passados 200 anos, a população alcançou 3.118.360 com densidade demográfica de 12,4 hab/km2, considerada ainda baixa. Atualmente o Piauí está dividido em 224 municípios, 16 deles perfazem a região de estudo. Toda população hoje tem acesso à educação. Os municípios com maior IDEB na região são Oeiras e Acauã. A região está agrupada em territórios de desenvolvimento e suas principais potencialidades econômicas são apicultura, bovinocultura e cajucultura. Os indicadores socioeconômicos demonstram que a região continua subdesenvolvida havendo necessidade de ampliação de políticas públicas para a região semiárida e intervenções do setor privado, identificando potencialidades dos municípios, sob uma perspectiva de desenvolvimento regional. Quanto aos indígenas Gueguê e Acaroás relatados por Martius no Piauí, observou-se que estes passaram pelo processo de desterritorialização e territorialização, a comunidade se organizou existencialmente em uma região (Regeneração e Amarante), marcada pela desterritorialização e dizimação de grupos indígenas. Essas mudanças foram marcadas pelo trabalho escravo e resistência dos grupos indígenas e negros. Atualmente a comunidade é reconhecida como Mimbó e reside em Amarante. Por fim, visando a disseminação do conhecimento, foi produzido um material didático ilustrado em cordel para divulgar a epopeia dos naturalistas no sertão Piauiense com um relato da viagem a ser disseminado nas escolas da educação básica, principalmente nos municípios contemplados pela pesquisa.

  • ANIBAL DA SILVA CANTALICE
  • Serviços ecossistêmicos no comércio de cerâmica artesanal: avaliando os impactos ambientais e a sustentabilidade em tempos de pandemia Sars-CoV-2
  • Orientador : ROSELI FARIAS MELO DE BARROS
  • Data: 24/02/2021
  • Mostrar Resumo
  • O ser humano contribui significativamente para a degradação dos recursos naturais em busca de bens de consumo diretos ou indiretos. Preocupada com o bem estar das pessoas e a manutenção das condições propícias para as gerações futuras, a comunidade científica buscou formas de estudar essas interações e suas consequências na conservação destes recursos. Linhas de pesquisas como Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) e Serviços Ecossistêmicos (SE) surgiram mostrando essa relação antropocêntrica, bem como as consequências desses usos; nesse ponto abordamos o Sars-CoV-2 doenças zoonótica, ligada ao uso descontrolado de recursos naturais e as mudanças de nichos ecológicos ou socioculturais ligadas ao ser humano.  O artesanato é uma das formas de materialização cultural mais difundida em todo o mundo, atuando como fonte de geração de renda e inclusão social para populações vulneráveis. De um modo geral, sua produção  está intimamente ligada a utilização de recursos naturais, provocando por diversas vezes a exploração excessiva destes. Diante disso, objetivou-se:  (a) verificar como os serviços ecossistêmicos são usados pelo ofício do artesanato ceramista e que impactos os visitantes do polo cerâmico veem nessa prática;  (b) avaliar os ODS que estão de acordo no ofício de artesanato ceramista; (c) avaliar como a atual pandemia de Sars CoV-2 tem impactado o ofício de artesanato ceramista e de que forma os artesãos estão contribuindo com as medidas de isolamento e controle da doença. Realizou-se levantamento no Polo Cerâmico do Poti Velho localizado no município de Teresina, onde ocorre a produção artesanal e comercialização das peças em cerâmica Vermelha, em 30 boxes. Os resultados obtidos demonstraram que fatores como escolaridade, tempo de permanência no local de comercialização e percepção influenciam o consumo, bem como que existe indicações que a utilização desse serviço ecossistêmico não é acessível aos grupos mais vulneráveis socialmente. Com isso, entendemos que por mais que os serviços socioeconômicos sejam disponíveis a população em geral, grande parte não consegue usufruí-lo. Em relação a cadeia produtiva, os resultados demonstraram  etapas obrigatórias e opcionais, sendo esta última encarada como as  que permitem um maior lucro agregado ao artesanato. Os impactos ambientais são mitigados de maneira superficial, justificado pela falta de condição econômica para a atuação das mesmas. Em sua maioria os ODS não apresentam indicadores, que possam ser utilizados no ofício, contudo quando aplicados, demonstram que existe um amplo espaço para melhoria do desenvolvimento sustentável.

  • NEYLA CRISTIANE RODRIGUES DE OLIVEIRA
  • Mudanças climáticas e educação ambiental: percepção e práticas de professores em escolas municipais de Teresina, Piauí
  • Orientador : DENIS BARROS DE CARVALHO
  • Data: 24/02/2021
  • Mostrar Resumo
  • As Mudanças Climáticas (MCs) configuram-se em um fenômeno global, mas com efeitos locais. Podem causar eventos extremos ao meio ambiente como perda da biodiversidade, fluxos migratórios e alterações nos índices pluviométricos. Nesse contexto, as ações antropogênicas são apontadas como intensificadoras desses efeitos e a Educação Ambiental (EA) com potencial para transformação social e desenvolvimento de medidas de mitigação e adaptação. Este estudo possui natureza quali-quantitativa e por objetivo: Pesquisar o perfil profissional (formação e trajetória), percepção de impactos e práticas educativas utilizadas pelos professores para trabalhar as MCs em escolas municipais que possuem a política pública COM-VIDA, Teresina, Piauí. Para coleta de dados realizou-se pesquisa bibliométrica, documental e de campo (aplicação de questionários semiestruturados). Participaram desta pesquisa 24 docentes de 12 escolas da Rede Municipal de Ensino de Teresina (RMET) cadastradas no Programa Nacional de Escolas Sustentáveis (PNES). Os dados foram categorizados por Análise de Conteúdo. A bibliometria indicou aumento de publicações sobre a educação climática, principalmente a partir de 2017, com destaque para Estados Unidos e países da Europa. Constatou-se que o PES da Secretaria Municipal de Educação de Teresina (SEMEC), desenvolveu projetos de EA que abordaram temas socioambientais de importância local, mas nenhum trabalhou diretamente as MCs. Os professores consideram as MCs alterações no clima ao longo de períodos comparáveis, intensificadas por ações antrópicas, podendo causar impactos tanto aos ecossistemas, quanto às populações humanas. O termo “MCs” foi associado pelos educadores às disciplinas de Ciências e Geografia, mas perceberam as mudanças que a interdisciplinaridade tem promovido nas práticas pedagógicas, com a participação dos professores de todas as formações nas ações e projetos ambientais. Além disso, apresentam conceitos naturalistas de EA e destacam que a postura do ser humano como dissociado da natureza pode interferir na intensificação da Crise Climática Global. Contudo, os professores reconhecem o potencial da EA no desenvolvimento de medidas de mitigação e adaptação ao fenômeno climático. Portanto, sugere-se realizar novas pesquisas sobre a educação climática para comparar com os resultados encontrados nesse estudo, especialmente em escolas sem COM-VIDA.

  • STÊNIO LIMA RODRIGUES
  • EXPANSÃO DO CULTIVO DA CANA-DE-AÇÚCAR (Saccharum officinarum L.) E SEUS REFLEXOS SOBRE A COBERTURA DA TERRA NO MARANHÃO
  • Orientador : JAIRA MARIA ALCOBACA GOMES
  • Data: 12/02/2021
  • Mostrar Resumo
  • cultivo da cana-de-açúcar configurou-se como uma atividade tradicionalmente desenvolvida
    no Brasil e em diversos países, assumindo papel indubitável para o crescimento econômico. No
    Maranhão, a agricultura canavieira cresceu significativamente a partir das últimas décadas do
    século XX, gerando consequências econômicas, sociais e ambientais. Com base nesse
    panorama, pretende-se analisar a expansão do cultivo da cana-de-açúcar e a consequente
    modificação na cobertura e no uso da terra no Maranhão, no período de 1998 a 2018. Nesse
    ensejo, designaram-se os seguintes objetivos específicos: analisar as características
    socioeconômicas dos municípios produtores de cana-de-açúcar; examinar a quantidade, o
    rendimento e o valor de produção da cana-de-açúcar nos municípios produtores; demonstrar as
    modificações na cobertura e no uso da terra nos municípios produtores de cana-de-açúcar;
    averiguar a ocorrência de supressão de vegetação nativa para o cultivo de cana-de-açúcar nesses
    municípios. Para tanto, o campo da pesquisa abrangeu os 80 municípios produtores da cana-deaçúcar
    no estado do Maranhão. Como amostra para aprofundamento, selecionaram-se, por
    critério não-probabilístico, São Raimundo das Mangabeiras e Campestre do Maranhão, por
    serem os maiores produtores, respectivamente. Utilizaram-se informações disponibilizadas pela
    Pesquisa Agrícola Municipal (PAM) e pelos Censos Agropecuários do Instituto Brasileiro de
    Geografia e Estatística (IBGE), além de imagens dos satélites Landsat 5 e 8, captadas na
    plataforma do Projeto MapBiomas e em banco de dados secundários contendo a quantificação
    das classes de cobertura e de uso da terra. Ademais, realizaram-se análises gráficas, tabular,
    cartográfica e multivariada, por meio da técnica análise fatorial exploratória. Os resultados
    evidenciaram as características sociais e econômicas dos municípios produtores, agrupadas por
    meio da extração de fatores, assim denominados: produção e renda; uso da terra; recursos
    produtivos; e conservação ambiental. Nos municípios com maior incidência da atividade
    canavieira, São Raimundo das Mangabeiras e Campestre do Maranhão, identificou-se a
    ocorrência de supressão de vegetação nativa para a expansão canavieira, bem como competição
    da cana com outras culturas, como a soja e o milho. Diante desse cenário, evidencia-se a
    necessidade de proposições de políticas ambientais para a conservação da vegetação nativa e
    da biodiversidade.

  • FRANCISCO IGOR RIBEIRO DOS SANTOS
  • INFLUÊNCIA DO CONHECIMENTO ECOLÓGICO LOCAL DE COMUNIDADES RURAIS NA SUCESSÃO ECOLÓGICA EM FRAGMENTOS FLORESTAIS TROPICAIS SAZONALMENTE SECOS
  • Orientador : CLARISSA GOMES REIS LOPES
  • Data: 12/02/2021
  • Mostrar Resumo
  • As florestas tropicais sazonalmente secas (FTSS) sofrem diversos impactos relacionados à pressão humana no uso das terras, e a perda de biodiversidade é iminente. A constante degradação das florestas indica que futuramente a maioria das florestas maduras serão substituídas por manchas florestais em diferentes níveis de sucessão. O conhecimento ecológico local dos agricultores, bem como a verificação das espécies conhecidas e utilizadas nos fragmentos florestais, é uma ferramenta importante e pode subsidiar políticas de manejo para regeneração de áreas antropizadas. Diante do exposto, este trabalho tem por objetivos: (I) investigar os conhecimentos ecológicos das comunidades circunvizinhas de um fragmento de floresta tropical seca, bem como sobre o processo sucessional deste tipo vegetacional (II) avaliar a relação das variáveis preditoras e do conhecimento dos agricultores de diferentes comunidades sobre as espécies iniciais e tardias em fragmentos florestais secundários. O estudo foi realizado em fragmentos florestais do Eco Resort Nazareth (José de Freitas, PI) e em duas comunidades do entorno: Segurança II e Assentamento São Domingos. A pesquisa foi desenvolvida com agricultores que possuem bastante conhecimento sobre os fragmentos florestais e sobre as áreas abandonadas. O universo amostral foi definido de acordo com a técnica bola de neve. Os dados foram coletados por meio de entrevistas semiestruturadas e turnê guiadas para coletas das espécies vegetais. Obtivemos a participação de 36 agricultores (9 mulheres e 27 homens). Foram reconhecidos pelos agricultores 137 espécies em áreas de regeneração, sendo divididas em colonizadoras iniciais (32,84%), tardias (27,1%) e plantas que são iniciais e tardias (40,15%).  A riqueza de espécies no geral na comunidade Segurança II foi de 126 espécies, sendo 91 espécies colonizadoras iniciais e 82 tardias. Na comunidade São Domingos a riqueza geral foi de 73 espécies, sendo 43 para colonizadoras iniciais e 40 espécies para as tardias. No modelo linear generalizado (GLMs) em ambas as comunidades as variáveis preditoras para conhecimento da riqueza de espécies iniciais foram idade, tempo e a junção entre essas variáveis. Para as espécies tardias, as variáveis número de visitas aos fragmentos florestais, tempo de regeneração dos fragmentos e a junção entre essas variáveis atuaram significativamente nos modelos. Em ambas as comunidades, os idosos reconhecem mais as espécies colonizadoras inicias, enquanto as espécies tardias foram mais reconhecidas pelos agricultores mais jovens. Os informantes indicaram que as plantas em áreas em regeneração, logo após o corte raso, são capazes de retornarem e que a ação antrópica pode invalidar o processo de sucessão ecológica de acordo com o grau de perturbação dos fragmentos florestais. No geral as experiências e vivências dos agricultores contribuíram para a formação do conhecimento das transformações das áreas de fragmentos florestais.  Conclui-se que os agricultores possuem conhecimento em relação às espécies de plantas encontradas nos fragmentos florestais e esse conhecimento é estratégico para o manejo e conservação dos recursos florestais tropicais sazonalmente secos.

  • PEDRO HENRIQUE SOARES MELO
  • Regime de fogo nas terras indígenas do Cerrado maranhense
  • Orientador : GIOVANA MIRA DE ESPINDOLA
  • Data: 11/02/2021
  • Mostrar Resumo
  • O fogo é um dos principais agentes promotores de distúrbio e estresse em diferentes biomas, bem como um potencial modelador da diversidade, distribuição e composição de espécies. O Cerrado tem sido classificado como um bioma dependente do fogo, sendo uma dinâmica com forte influência do clima e que varia de acordo com a fitofisionomia local. As atuais práticas agropecuárias e os conflitos agrários têm alterado o regime de fogo na região. Neste sentido, nem todos os incêndios possuem algum tipo de benefício ecológico, podendo, inclusive, agravar a degradação ambiental. Historicamente, as terras indígenas do Cerrado maranhense têm registrado a ocorrência de incêndios florestais, e o diagnóstico destes eventos é de fundamental importância para se entender as relações entre os regimes de queima nessas áreas e suas consequências. Assim, o objetivo geral desse trabalho foi estudar o regime de fogo nas terras indígenas do Cerrado maranhense e entorno no período 2008-2017. Os objetivos específicos foram os seguintes: i) determinar a duração, começo e final das estações chuvosas e secas para cada ano no período; ii) identificar e caracterizar as cicatrizes de área queimada por meio de séries temporais de imagens orbitais de sensoriamento remoto; iii) caracterizar a dinâmica sazonal da ocorrência de incêndios florestais. Para a delimitação das cicatrizes foi utilizada a série temporal das imagens Landsat (resolução 30 m) disponíveis no catálogo do Google Earth Engine. As análises foram baseadas no Índice de Queimada Normalizada. Para definição das estações chuvosas e secas, utilizou-se dados de precipitação provenientes de estações meteorológicas do Instituto Nacional de Meteorologia e da Agência Nacional de Águas. Os resultados mostraram que durante o período estudado a área queimada total nas terras indígenas e entorno foi 2.599.393 hectares, distribuída em 26.282 cicatrizes. A área queimada anual foi bem diferente nos dez anos estudados, sendo que 70% da área de estudo queimou ao menos uma vez no período.  Os anos de 2012 e 2017 foram os que tiveram mais área queimada. Os anos com menor área queimada foram 2008 e 2011. A estação seca média (ESM) concentra 85% do acumulado de área queimada nos anos estudados. A temporada de incêndios começa no mês de junho e termina em novembro. Quase não há ocorrências de área queimada nos meses de dezembro a maio. Agosto, setembro e outubro respondem por 81% da área queimada. As áreas com maior recorrência de queimadas estão localizadas majoritariamente nas bordas das Terras indígenas. Os padrões descritos constituem o primeiro passo para o entendimento dos regimes do fogo na região e para estabelecer direções com o fim de melhorar estratégias de manejo e orientar políticas públicas. 

  • FRANCISCO ANTONIO GONÇALVES DE CARVALHO
  • GESTÃO PÚBLICA E DESENVOLVIMENTO URBANO NA CIDADE DE PICOS (PI): UMA ANÁLISE DO RIO GUARIBAS
  • Orientador : ANTONIO CARDOSO FACANHA
  • Data: 11/02/2021
  • Mostrar Resumo
  • O processo de desenvolvimento urbano por muitos anos foi pautado numa realidade capitalista, em que a exploração predatória do meio ambiente era utilizada para produção e consumo de bens de forma irracional. A urbanização desenfreada causa a degradação progressiva de áreas de mananciais, sendo importante estudar a ampliação das políticas de gestão ambiental nos municípios, observando os impactos causados pela degradação ambiental nos espaços urbanos. O presente estudo tem por objetivo analisar as ações desenvolvidas pela gestão pública da cidade de Picos – PI quanto ao uso e a ocupação das margens do Rio Guaribas em seu perímetro urbano, ressaltando as consequências ambientais, econômicas e sociais para a comunidade local. Como objetivos específicos, buscou-se: propor uma reflexão sobre a gestão pública do desenvolvimento urbano; contextualizar o processo histórico de urbanização no Estado, e na cidade; discutir a gestão pública sob a perspectiva das transformações recentes ocorridas na cidade, ressaltando as ações políticas, as mudanças habitacionais e diagnosticar a realidade vivida pelos moradores residentes às margens do Rio Guaribas, confrontando com as ações da gestão pública. Nesse sentido, observando o objeto de estudo, é importante entender como vem ocorrendo a atuação da gestão pública da cidade de Picos no tocante às políticas ambientais voltadas ao Rio Guaribas e como os questionamentos da população residente às margens desse rio são consideradas na construção dessas políticas. A pesquisa se caracteriza como exploratória, de abordagem qualitativa, viés a partir do qual são analisadas diferentes perspectivas sobre uma mesma temática. Os dados foram coletados através de entrevistas, com roteiros semiestruturados previamente elaborados pelo pesquisador, de forma que auxilie na compreensão do tema abordado. Os dados foram analisados através da técnica análise de conteúdo. Nesse contexto, é de suma importância entender quais políticas ambientais a Prefeitura Municipal do município de Picos já implanta na cidade, observando as ocupações irregulares, a poluição e a preservação do rio. A Secretaria de Meio Ambiente do Município trabalha com políticas de educação ambiental para promover em toda a sociedade picoense a consciência sobre a importância da sustentabilidade na formação e desenvolvimento da cidade, além de utilizar políticas nacionais, como a de zoneamento urbano, visando organizar a utilização e ocupação do solo do município. Cabe ressaltar, ainda, que o município trabalha na fiscalização e prevenção quanto a poluição do rio Guaribas, com o intuito de promover a reestruturação do rio. Entretanto, na prática, muitas dessas ações não saíram do papel, gerando problemas na gestão do meio ambiente e insatisfação na população.

  • LETÍCIA SOUSA DOS SANTOS
  • CONHECIMENTO DE ESTUDANTES SOBRE VERTEBRADOS SILVESTRES TERRESTRES EM UM GRADIENTE DE URBANIZAÇÃO
  • Orientador : WEDSON DE MEDEIROS SILVA SOUTO
  • Data: 10/02/2021
  • Mostrar Resumo
  • As interações dos humanos com a natureza resultaram, sobretudo, em alterações negativas na biodiversidade. Ter conhecimento da fauna silvestre, portanto, torna-se relevante para traçar estratégias educacionais pautadas na conservação. Mediante isso, este trabalho tem por objetivos: (I) realizar revisão sistemática da produção científica acerca do conhecimento e/ou atitudes de estudantes sobre os vertebrados terrestres no Brasil; e (II) registrar o conhecimento de vertebrados silvestres entre estudantes de ensino médio em função de um gradiente de urbanização. Esta dissertação está organizada em dois capítulos. O capítulo 1 contempla o primeiro objetivo no qual compilamos 63 trabalhos sobre vertebrados nas plataformas Portal Periódicos da CAPES, Google Acadêmico, Web of Science e Scielo de 2005 a 2019. Pudemos categorizar os trabalhos em: I- Conhecimento (13); II- Reconhecimento (17); III- Conhecimento + Atitudes (12) e IV- Reconhecimento + Atitudes (21). Essas pesquisas difundiram-se nos seis domínios fitogeográficos, cinco regiões e 21 estados do Brasil. Um total de 257 vertebrados foi citado nas categorias I e III e 212 foram utilizados para identificação nas categorias II e IV. No capítulo 2 contemplamos o segundo objetivo, no qual aplicamos questionários semiestruturados e lista livre a 354 estudantes da 1ª, 2ª e 3ª série do ensino médio em seis escolas públicas no município de Teresina, Piauí. Um total de 3.683 citações referentes a 180 vertebrados foi reportado. Desses, 161 espécies foram identificadas, sendo 100 nativas e 61 exóticas, pertencentes a 87 famílias. Os estudantes periurbanos citaram mais espécies, porém sem diferenças significativas (p > 0,05) para os demais grupos de estudantes. As 161 espécies corresponderam a 78 aves, 54 mamíferos, 22 répteis e seis anfíbios. Aves e mamíferos foram os grupos mais citados, com aves mais conhecidas por estudantes periurbanos e rurais. “Viu em matas” (n = 974) e mídia (n = 927) foram as fontes de conhecimento mais reportadas pelos estudantes e a aula de campo foi a sugestão mais relatada para melhorar o ensino dos vertebrados (n = 155). Recomenda-se a aplicação de estratégias de ensino mais apropriadamente direcionadas aos estudantes em realidades biogeográficas distintas, iniciando a partir de espécies nativas conhecidas pelos estudantes, com ênfase na fauna local em detrimento da exótica.

  • MARIANA FONTENELE RAMOS
  • “DIAGNÓSTICO DAS PERDAS DE SOLO POR EROSÃO PLUVIAL NA BACIA HIDROGRÁFICA DA BARRAGEM PETRÔNIO PORTELA, INSERIDA NO SEMIÁRIDO PIAUIENSE”,
  • Orientador : GIOVANA MIRA DE ESPINDOLA
  • Data: 02/02/2021
  • Mostrar Resumo
  • A erosão do solo é um fenômeno natural que ocorre continuamente sobre a superfície terrestre, porém o seu agravamento varia conforme as características ambientais e antrópicas de cada região, tornando-a um problema ambiental. Desse modo, esta pesquisa propõe analisar as perdas estimadas de solo por erosão pluvial na bacia hidrográfica da Barragem Petrônio Portela, localizada no semiárido piauiense, levando-se em consideração a sua caracterização e análise ambiental somadas à transformação temporal de suas condições antrópicas, o que permite obter um conhecimento mais amplo da região. Para isso, apresenta-se o mapeamento das variáveis determinantes para a ocorrência de erosão hídrica na bacia, por meio do sensoriamento remoto e do geoprocessamento, realizando, também, uma análise de conteúdo sistêmico e interdisciplinar que compreenda os aspectos ambientais e socioeconômicos da região, demonstrando a importância da utilização de bacia hidrográfica como unidade espacial básica para um planejamento ambiental adequado. Depois foram gerados os mapas de perdas de solo por erosão pluvial para os anos de 2005, 2008, 2013 e 2018, através da Equação Universal de Perda de Solo Revisada (RUSLE). Dessa maneira, os componentes da RUSLE foram avaliados de forma individualizada por meio dos seguintes fatores: fator R, fator K, fator LS e fator CP. Assim, com os resultados obtidos, a erosividade das chuvas (fator R) foi de 6418,6 MJ mm ha-1 ano-1, sendo classificada como mediana. Os solos da bacia apresentaram um alto potencial de erodibilidade, com o fator K médio equivalente a 0,033 ton.ha/MJmm. Já o fator topográfico (LS) mesmo apresentando uma pequena variação, atingindo a média de 5,65, foi o fenômeno que mais influenciou na espacialização das perdas de solo na bacia em estudo. Quanto ao fator CP, observou-se que a extensão da área com solos expostos e as destinadas às atividades agropecuárias foram as maiores responsáveis pelas variações temporais das taxas de erosão. A bacia apresentou durante os quatro anos analisados, um nível de perda de solo considerado moderado a forte, dos quais 2005 e 2018 apresentaram as maiores perdas por erosão pluvial. Nesta perspectiva, espera-se que a identificação de áreas associadas a processos de erosão acelerada, realizada pelo estudo, forneçam subsídios para a criação de estratégias de planejamento de ações adequadas e associadas ao manejo e conservação dos recursos naturais na bacia hidrográfica da Barragem Petrônio Portela.

  • CAÍQUE RODRIGUES DE CARVALHO SOUSA
  • FORMAÇÃO AMBIENTAL PARA A CIDADANIA
  • Data: 29/01/2021
  • Mostrar Resumo
  • A cidadania é um processo que permite assegurar a dignidade humana, por meio da disposição de direitos e deveres às interações sociais. A educação ambiental (EA) é essencial para a formação cidadã e considerada componente essencial e permanente da educação nacional, na busca de formar cidadãos críticos, participativos, reflexivos e sensibilizados com a questão ambiental. O componente curricular Biologia apresenta muitos conteúdos de cunho ambiental e facilita a abordagem da EA nas suas atividades educacionais. Muitos profissionais da Biologia são egressos do Mestrado em Desenvolvimento e Meio Ambiente da Universidade Federal do Piauí (MDMA-UFPI), cujo perfil é de especialistas com visão crítica e interdisciplinar para o exercício da pesquisa e docência e habilitados para gerenciar políticas ambientais e desenvolvê-las ao alcance do desenvolvimento sustentável. O objetivo geral dessa dissertação foi analisar o caráter transversal da EA, por meio de sua abordagem na disciplina de Biologia (ensino médio), como perspectivas acadêmicas para minimizar/solucionar problemas urbanos e no mestrado em desenvolvimento e meio ambiente. Para isso, os objetivos específicos foram os seguintes: a) Trazer panorama, com recorte temporal de dez anos, de artigos científicos em escalas nacional e internacional que abordaram temáticas socioambientais no ensino de Biologia; b) Verificar perspectivas de EA, a partir de trabalhos científicos realizados no Brasil, que envolvem a temática de educação ambiental no ambiente urbano; e, c) Compreender conceitos e objetivos de EA do ponto de vista de mestres formados no MDMA-UFPI, caracterizando o perfil desses profissionais. Para tais, foi realizado estado da arte de artigos científicos, em contextos nacional e internacional, sobre a discussão de temáticas socioambientais em diferentes circunstâncias, no ensino de Biologia (2009-2019), e, também, sobre perspectivas acadêmicas de EA em contextos do ambiente urbano brasileiro (2014-2019). Além disso, foram aplicados questionários aos mestres em desenvolvimento e meio ambiente da UFPI para verificação de suas compreensões sobre EA. No ensino de Biologia, a EA foi evidenciada como ação educativa para a formação cidadã, como amenizadora de problemas socioambientais, como necessária à compreensão do meio para o bem-estar das pessoas, entre outros. Nos contextos urbanos, a EA foi trazida como medida compensatória para contextualizar políticas públicas e estabelecer ações sobre eventuais impasses ambientais, como possibilidade para apontar problemas de impactos ambientais nas cidades contemporâneas, como ato de cidadania que considere a arborização urbana como fator de preservação ambiental da cidade, etc. Os mestres em desenvolvimento e meio ambiente, em sua maioria, são formados em Ciências Biológicas, com especialização em Gestão Ambiental, e que veem a EA como processo de formação (educacional) e de valores sociais, cujo intento é integrar ciência e tecnologia para a sustentabilidade ambiental.

  • JULIO CESAR DE MOURA LUZ
  • EXPANSÃO URBANA E ÁREAS SENSÍVEIS: A tutela jurídica das elevações geológicas (Picos, Piauí, Brasil)
  • Data: 12/01/2021
  • Mostrar Resumo
  • A cidade de Picos, localizada na região Centro-Sul do Piauí, Nordeste do Brasil, caracteriza-se como uma cidade média, influente no âmbito da região de desenvolvimento que compõe. A cidade, geograficamente, é envolta por inúmeras elevações geológicas, inclusive em seu perímetro urbano. O cenário natural tem conflitado com a expansão urbana contínua. Emerge, desse contexto, um problema. Tais elevações geológicas têm sofrido graves intervenções com o crescimento da cidade: desde seu uso para construção de habitações, até o corte das encostas para ampliação de áreas planas e exploração das riquezas naturais. O Direito Ambiental deve balizar as relações sociais a fim de compatibilizar o desenvolvimento econômico com a exploração dos recursos naturais disponíveis. O objetivo deste trabalho foi discutir a expansão urbana de Picos/PI e analisar os instrumentos de proteção jurídica referentes às elevações geológicas do perímetro urbano da cidade frente à legislação ambiental. Para tanto, optou por construir a dissertação em quatro movimentos: o primeiro, baseado na história oral e em documentos, faz o estudo das origens das intervenções nos morros exemplificando com o Morro da Mariana. O segundo movimento propôs a análise do planejamento urbano à luz do conceito de espaços verdes e espaços territoriais especialmente protegidos. O terceiro movimento trouxe uma reflexão sobre a função do direito ambiental no gerenciamento dos riscos de intervenção nas áreas sensíveis; no último movimento, tem-se um estudo de caso em relação à aplicação de três instrumentos de tutela jurídica ambiental o caso de intervenção em um morro inominado. No apêndice, apresentamos uma posição jurídica sobre a regra que considera encostas com mais de 45º como áreas de preservação permanente. O crescimento da cidade de Picos ocorreu sem um planejamento urbano efetivo e, atualmente, não há qualquer sinal de melhora na situação que se tornou um fato consumado. Além disso, sem pressão social suficiente, os mesmos erros passados poderão continuar pois a aplicação dos instrumentos de tutela jurídica ambiental não demonstraram efetividade suficiente para garantir o equilíbrio constitucional entre valores ambiental, social e econômico. A sustentabilidade urbana na cidade de Picos é mero discurso e não tem a garantia de nenhum dos poderes da república. O crescimento de conflitos entre expansão urbana e meio ambiente ainda estão no horizonte da cidade.

     

    LINK DA SALA VIRTUAL: https://conferenciaweb.rnp.br/webconf/jose-machado-moita-neto

2020
Descrição
  • FRANCISCO WANDERSON DA SILVA FERREIRA
  • Implementação e atuação do CBH Canindé/Piauí diante dos aspectos ambientais e socioeconômicos do semiárido piauiense
  • Orientador : JAIRA MARIA ALCOBACA GOMES
  • Data: 30/11/2020
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho teve como objeto o Comitê de Bacia Hidrográfica dos Rios Canindé/Piauí, criado em 2009 e que abrange 98 municípios do semiárido piauiense. No que tange à problemática de pesquisa, como se deu a implementação e a atuação do CBH Canindé/Piauí, considerando a diversidade socioeconômica e ambiental dos municípios que o compõem? Assim, objetiva-se analisar a instalação do CBH Canindé/Piauí e sua operação, enfatizando a pluralidade de perfis socioeconômicos e ambientais abrangidos por essa unidade de gestão. Especificamente: caracterizar ambiental e socioeconomicamente os municípios do CBH Canindé/Piauí, visando traçar o perfil dessas localidades; descrever o processo de implementação do CBH Canindé/Piauí, de forma a averiguar a sua conformidade com as diretrizes da PNRH; e examinar a atuação do CBH Canindé/Piauí nos municípios que o integram, entre os anos de 2009 e 2019, identificando as articulações do colegiado no gerenciamento de recursos hídricos e na resolução de conflitos pelo uso da água na região. Em termos metodológicos, no que se refere ao perfil ambiental da região de estudo, discutiu-se a hidrografia, precipitação, geologia, geomorfologia, hidrogeologia, temperatura e clima locais. Já em relação à caracterização socioeconômica da sub-bacia, foram analisados o censo demográfico (com o número de habitantes por zona urbana/rural e sexo) e estimativa populacional, PIB, IDH, Índice de Gini, quantidade de estabelecimentos agropecuários e área irrigada, serviços de abastecimento de água, saneamento básico e manejo de águas pluviais. Na análise dos dados secundários utilizou-se o software livre QGIS 3.6 para as espacializações. Para averiguar a implementação do colegiado, realizou-se pesquisa documental, que consistiu em verificar a conformidade do Regimento Interno com a Lei Estadual 5.165/2000 e a Lei Federal 9.433/97, e analisaram-se também documentos da SEMAR/PI acerca das suas fases de formação, à luz de Cadernos de Capacitação da ANA. Na atuação do CBH, a pesquisa documental utilizou-se de atas de reuniões entre 2009 e 2019, discutidas à luz da experiência de outros CBH’s no país. Os resultados evidenciaram que o comitê seguiu as diretrizes da PNRH na sua implementação e encontrou dificuldades quanto à sua atuação, como a evasão de representantes, a escassez hídrica e a alta demanda por ações na região. Esta exprime um cenário de vulnerabilidades ambientais e socioeconômicas que ocasionam a escassez hídrica e a desigualdade social nos municípios. Todavia, observa-se um grande potencial nos aquíferos que podem mitigar esses efeitos. Concluiu-se que esses aspectos intrínsecos ao semiárido piauiense prejudicam as ações do CBH e acentuam as responsabilidades no gerenciamento dos recursos hídricos locais, amplificadas pela extensão geográfica de cobertura, não obstante a sua implementação em conformidade com a legislação.

  • IARA MARIA DE ANDRADE CHAVES
  • Organização da Cooperativa Fruto Daqui em José de Freitas-PI: abordagem socioeconômica e principiológica da ecoeficiência
  • Orientador : JAIRA MARIA ALCOBACA GOMES
  • Data: 20/10/2020
  • Mostrar Resumo
  • A Cooperativa Agroindustrial da Agricultura Familiar do Território Entre Rios (Fruto Daqui) tem sede no município de José de Freitas-PI, e surgiu por iniciativa da Cáritas Brasileira, a partir do Projeto Fruto Daqui, financiado pela Cáritas Noruega, com o intuito de aproveitar e evitar o desperdício de frutas cultivadas pelos agricultores familiares naquela região municipal. Assim, a Cooperativa Fruto Daqui é uma agroindústria criada a partir de um projeto financiado pela Cáritas, e única cooperativa de polpa de frutas do Estado do Piauí regularmente registrada no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) e na Superintendência Federal de Agricultura (SFA) – PI. Nessa perspectiva, esta investigação almeja propiciar um entendimento mais acurado acerca da dinâmica que envolve as experiências solidárias no desenvolvimento sustentável. Para tanto, objetiva analisar os condicionantes do desempenho da Cooperativa Fruto Daqui para o fortalecimento da agricultura familiar em José de Freitas. Especificamente, pretende-se: descrever a formação da cooperativa, no que diz respeito à sua estrutura organizacional; verificar as políticas públicas que fomentam a cooperativa; analisar a produção, a comercialização e o padrão tecnológico da cooperativa; aferir seus custos de produção; e examinar a adequação da Cooperativa Fruto Daqui aos princípios da ecoeficiência, em relação ao uso de água e energia, e à geração de resíduos sólidos. Metodologicamente, trata-se de pesquisa de cunho exploratório e abordagem qualitativa, cujos procedimentos analíticos são fundamentados em fontes de informações documentais, tendo como técnica de coleta o estudo de caso, além de observação direta e visitas técnicas. Os resultados encontrados foram: a estrutura organizacional da cooperativa é composta por assembleia geral, conselho fiscal, diretoria administrativa, setor administrativo e setor de produção; a cooperativa comercializa para políticas públicas, por intermédio do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) e do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), e para o comércio local; a produção de polpas de frutas segue os padrões de qualidade e higiene impostos pelo MAPA; o padrão tecnológico consiste em máquinas que ampliam a produção de polpas e equipamentos que fabricam energia renovável, com a instalação de painéis fotovoltaicos; detectou-se superficialidade na mensuração dos custos de produção e ausência de locais para armazenamento de polpas, o que dificulta a ampliação da produção e a fixação de preços de comercialização; dos itens que compõem os custos de produção, o que representou a maior participação foi o custo da fruta in natura; a polpa de bacuri foi a única que gerou prejuízo econômico em sua produção;  o êxito da organização dá-se por meio do fortalecimento e da valorização do cooperado, bem como  da participação em políticas públicas; a cooperativa não faz reciclagem e gera poucos resíduos, que são usados para a alimentação de animais ou para adubos. Portanto, afirma-se que a Cooperativa Fruto Daqui fortalece a agricultura familiar na cidade de José de Freitas, uma vez que gera emprego e renda aos produtores rurais e agrega valor às frutas, por meio da produção e comercialização de polpas de frutas. Sem embargo, sugerem-se alguns aspectos para o benefício da cooperativa, como: mensuração dos custos de produção; investimentos em marketing; organização e atuação dos cooperados nos assuntos administrativos da cooperativa.

    Link da sala virtual: https://conferenciaweb.rnp.br/webconf/jaira-maria-alcobaca-gomes 

  • JACKY PROSPERE
  • COMUNIDADE DE QUITRÍDIAS (CHYTRIOMYCOTA, BLASTOCLADIOMYCOTA) EM AMBIENTES EUTROFIZADOS NO RIO POTI, EM TRESINA – PI
  • Orientador : JOSE DE RIBAMAR DE SOUSA ROCHA
  • Data: 08/10/2020
  • Mostrar Resumo
  • São escassos os estudos realizados no Brasil sobre a diversidade de fungos zoospóricos, principalmente, do filo Chytridiomycota. No Piauí, alguns estudos foram realizados, mas há apenas um relativo ao rio Poti, em Teresina. As quitrídias (Chytridiomycota) compreende um grupo de fungos zoospóricos, filogeneticamente relacionado aos fungos superiores. O micélio destes fungos é cenocítico, apresentado septos apenas para delimitação das estruturas reprodutivas, com desenvolvimento endógeno ou exógeno, holocárpico ou eucárpico, monocêntrico ou policêntrico, rizodial ou micelial. São organismos cosmopolitas, presentes nos ecossistemas aquáticos e terrestres, sendo a maioria encontrados em água doce, poucos em ambientes marinhos e alguns anaeróbios obrigatórios no rúmen de herbívoros, atuando na digestão de celulose e hemicelulose. Chytridiomycota como organismo saprobios, possuem ampla capacidade enzimática, com habilidade de degradar uma grande variedades de substratos de origem vegetal e animal, como celulose (palha do milho, semente de sorgo, celofane, papel filtro e epiderme de cebola), queratina (ecdise de cobra e fio de cabelo) e quitinosos (asa de cupim, insetos, exoesqueleto de crustáceos). Recentemente, Batrachochytridium dendrobatidis (Chytridiomycota) tem sido apontada pela diminuição da população de anfíbios nativos em várias partes do mundo, inclusive com registro no Brasil, no Cerrado e no Pantanal. O rio Poti, maior afluente da bacia do Parnaíba, tem grande influência na vivência da população teresinense, a cidade está em crescimento acelerado e este vem ocorrendo de forma desorganizada. Com isso, observa-se o impacto diante da qualidade das águas do rio dentro do perímetro urbano na cidade de Teresina, Piauí, onde no período de estiagem apresenta forte eutrofização, influindo na ecologia do rio e, provavelmente, na população dos fungos zoospóricos e sua ação no ambiente. O conhecimento da diversidade desses organismos é importante para conservação ambiental desse ecossistema. O presente estudo teve o objetivo de verificar a influência da eutrofização na dinâmica de comunidade das quitrídias e seu potencial de bioindicação no rio Poti no perímetro urbano. Foram relizadas cinco coletas trimestrias da água e de solo em sete pontos na margem do rio Poti no perímetro urbano no período março 2019 a março 2020, utilizando técnicas de iscagem múltipla. O obteveram-se resultados relevantes com 13 táxons, duas do filo Blastocladiomycota e onze do filo Chytridiomycota. As espécies mais abundantes e mais frequênte foram Nowakowskiella elegans, Catenophlictis variabilis, Chytriomyces hialinus e Cladochytrium replicatum. As espécies com potencial de bioindicadores são Catenophlictis variabilis, Cladochytrium replicatum e Nowakowskiella elegans.

    Link da Sala Virtual: http://meet.google.com/jgs-waua-sye 

  • ADONYS RONEY MUNIZ DA SILVA
  • A dimensão da sustentabilidade no município de José de Freitas (PI): discutindo o rural e o urbano
  • Orientador : ANTONIO CARDOSO FACANHA
  • Data: 31/08/2020
  • Mostrar Resumo
  • O discurso da sustentabilidade tornou-se a expressão dominante no debate que envolve as questões de meio ambiente e desenvolvimento social, pronunciada indistintamente por diferentes sujeitos, nos mais diversos contextos sociais e assumindo múltiplos sentidos. Apesar da simplicidade do mais conhecido conceito de sustentabilidade apreciado no Relatório de Brundtland, existem grandes e complexas discussões, ainda pouco conhecidas, em torno do tema, principalmente no que diz respeito a abranger igualitariamente os termos do tripé da sustentabilidade: o econômico, o social e o ambiental, dentro da escala municipal. Diante disso, a presente pesquisa justifica-se pela necessidade de conhecer, o município de José de Freitas (PI), na relação espaço rural e urbano, por meio das dimensões da sustentabilidade, a passos que os fenômenos contidos no espaço geográfico estão em constante interação. Desse modo, sugue o seguinte problema norteador da pesquisa: como fazer uma leitura integrada do rural e urbano do município de José de Freitas, relacionado os aspectos econômicos, sociais e ambientais? Diante da problemática apresentada, surge então a hipótese da pesquisa: evidencia que as transformações socioeconômicas e ambientais no rural do município são mais determinantes do que as transformações no urbano, isso faz com que a dimensão da sustentabilidade do município seja construída a luz de uma visão integrada em que o rural comanda a vida no espaço. Nessa perspectiva, surge o objetivo central da pesquisa que é analisar o município José de Freitas, com ênfase em uma visão integrada dos espaços urbano e rural na perspectiva das dimensões da sustentabilidade. Para alcançar esse objetivo selecionamos como objetivos específicos: a) Caracterizar historicamente, fisiográficamente e socioeconomicamente o município de José de Freitas; b) Discutir o espaço rural, levando em consideração a organização espacial das atividades econômicas, habitacionais e ambientais; c) Compreender o espaço urbano, considerando a habitação, problemas ambientais, bem como as atividades comerciais e prestação de serviços; d) Integrar o rural e o urbano do município, direcionando para o debate da sustentabilidade. A metodologia compreendeu pesquisa bibliográfica, documental e pesquisa de campo. Concatenando os dados obtidos tanto em campo quanto em gabinete, pôde-se comprovar a dinamicidade envolvendo o município de José de Freitas e seus condicionantes e determinantes ambientais e socioeconômicos.

  • ANTÔNIO FELIPE DA SILVA SOUZA
  • PERCEPÇÃO DA COMUNIDADE ACADÊMICA ACERCA DA PRESENÇA DE GATOS NA UFPI
  • Orientador : DENIS BARROS DE CARVALHO
  • Data: 27/08/2020
  • Mostrar Resumo
  • O convívio de gatos com seres humanos forma um círculo de relação entre saúde humana, saúde animal e meio ambiente que, estando em equilíbrio, permite benefícios psicológicos, fisiológicos e sociais. O estudo aprofundado da Percepção Ambiental acerca da presença dos gatos em espaços universitários torna-se fundamental para o entendimento das inter-relações entre a comunidade acadêmica e estes animais devido à problemática da grande população felina presente nestes espaços. Partindo desse questionamento, esse trabalho tem como objetivo buscar na literatura estudos que abordassem o controle populacional de gatos; descrever o levantamento populacional de gatos abandonados na Universidade Federal do Piauí (UFPI) elencando as ações realizadas pela Instituição de Ensino Superior (IES) no manejo desta problemática e analisar a percepção da comunidade acadêmica acerca da presença de gatos no campus Ministro Petrônio Portella da UFPI. Este trabalho foi desenvolvido em duas partes. A primeira é composta por Introdução, Referencial Teórico e Referências, e a segunda, em forma de artigos, onde estarão os resultados. Os dados foram coletados mediante o consentimento expresso da população consultada e aprovação do Comitê de Ética da UFPI CAAE nº 28126120.2.0000.5214. Conclui-se que o envolvimento de órgãos governamentais e Instituições de Ensino Superior é essencial para a promoção de ações que visem ao controle populacional de animais e à conscientização quanto à posse e guarda responsável. Que a divulgação de projetos desenvolvidos nessas áreas são de extrema importância para a população, visto que tratam de medidas preventivas e que o amplo debate sobre coexistência gatos e humanos representa uma oportunidade para ensinar evolução, etnobiologia e ética no mesmo ambiente, para o benefício de aumentar a compreensão ecológica. Manter os gatos sob controle é uma das várias demandas de gestores em Instituições de Ensino Superior, em prol da conservação da biodiversidade, e sobretudo do bem-estar animal e da comunidade acadêmica.

    Link da Sala virtual: https://meet.google.com/msy-ontq-wck 

  • THAMIRES DA SILVA MORAIS
  • A cidade de Altos-PI: sustentabilidade, expansão e tendências espaciais urbanas
  • Orientador : ANTONIO CARDOSO FACANHA
  • Data: 26/08/2020
  • Mostrar Resumo
  • A principal característica da área de estudo se refere à ampliação do urbano, quando novos espaços vão sendo incorporados, o que muitas vezes resulta na expansão e na alteração da estrutura. Nesta pesquisa se buscou diagnosticar as principais características do processo de urbanização e evolução da mancha urbana, de maneira a contribuir com a compreensão da expansão e do desenvolvimento do processo de urbanização no município. O desenvolvimento desta pesquisa possui relevância social, ambiental e na formulação de políticas públicas no município de Altos, É possível colocar que o município de Altos se trata de uma “cidade pequena”, ligada à capital do estado, e que serve de centralidade para outros municípios vizinhos. Desta forma, o objetivo geral da pesquisa consiste em analisar o processo de sustentabilidade urbana e ambiental da cidade de Altos, tendo em vista o processo de ocupação territorial e as transformações resultantes da dinâmica urbana, bem como da dimensão ambiental. Como objetivos específicos a compreender os arranjos político - institucionais, a sustentabilidade, o desenvolvimento sustentável e as tendências espaciais; Reconhecer o espaço urbano de Altos e a inserção do município no contexto da região e do estado, ressaltando o histórico e formação territorial recente; Analisar as políticas públicas municipais voltadas para o espaço urbano e para a questão ambiental; Conhecer as tendências espaciais recentes e as implicações socioambientais A metodologia da pesquisa desenvolvida, com base em Prodanov (2013), é do tipo aplicado (quanto à natureza), qualitativo (quanto à forma de abordagem de problemas), tendo caráter descritivo-explicativo (quanto aos fins da pesquisa). Ainda referente à pesquisa, foi desenvolvida uma setorização da área de estudo para análise dos processos de transformação espacial e para ilustração dos resultados a cerca da expansão urbana na área de estudo, foram analisadas 04 (quatro) imagens de satélites obtidas gratuitamente junto a base de dados do Global Visualization Viewer (GLOVIS/USGS) e do Copernicus dentro do Google Earth Engine. Foi identificado que os eixos localizados na BR 343 estão se expandindo e os setores além de expandir, estão se adensando, com redução de vazios urbanos, também que o direcionamento de ocupação é distinto do Plano Diretor.  Quanto aos aspectos de gestão, como o município de Altos já possui implementação de gestão e licenciamento ambiental, bem como a legislação urbanística que existe desde 2007, deve-se fortalecer a gestão ambiental e urbana do município, com o intuito de sanar dificuldades da gestão pública. Isto envolve olhar para pontos que precisam ser reformulados, removidos ou fortalecidos e este trabalho é uma abertura de primeiro diálogo para estes fins. 

  • MARCOS VINÍCIUS MACHADO DE ARAUJO
  • ESTUDO DAS TIPOLOGIAS FLUVIAIS NO RIO CATOLÉ, ITAPETINGA-BA: O URBANO COMO HÍBRIDO
  • Orientador : ANTONIO CARDOSO FACANHA
  • Data: 31/07/2020
  • Mostrar Resumo
  • As enchentes em ambientes urbanos com rios são problemas que podem surgir e prejudicar a infraestrutura das cidades, este problema está ligado, principalmente, ao planejamento urbano. Este, ao ser executado, muitas vezes, desconsidera a natureza híbrida das cidades, sendo estas resultado da associação do meio urbano e do meio ambiente. Reservando-se a apenas soluções estruturais. Objetiva-se reconhecer o planejamento urbano como mecanismo fundamental para o meio ambiente, identificando desafios e possibilidades em uma análise integrada dos rios urbanos. Aplica-se, então, a Matriz de Tipologias como ferramenta na identificação de situações, dimensão dos riscos e a qualidade ambiental presente nos rios e suas margens, auxiliando no manejo das águas pluviais. Em Itapetinga-BA identifica-se alta suscetibilidade à inundação, como também, conclui-se que os efeitos da ocupação do solo estão alterando o Rio Catolé com altos impactos, tendo a execução adequada do planejamento urbano e a racionalização da sociedade civil como elementos para sua conservação.

  • LAÍZA MENDONÇA COSTA
  • Inovação, licenciamento e sustentabilidade ambiental em indústrias de cerâmica vermelha,
  • Data: 28/07/2020
  • Mostrar Resumo
  • A construção civil possui participação significativa no percentual do Produto Interno Bruto (PIB) nacional, representando aproximadamente 6% do PIB nacional e aloca 30% do total da indústria brasileira. O setor engloba, entre suas ramificações, a indústria de cerâmica vermelha, com demandas crescente, visto que ainda é o principal material utilizado em coberturas e paredes estruturais ou de vedação em obras residenciais e comerciais. Além disso, o setor tem tendência a ser instalado afastado do espaço urbano, sendo assim gerador de empregos em larga escala. Em contrapartida, o processo produtivo de cerâmica vermelha gera impactos ambientais negativos também em grandes proporções. A matéria-prima (argila) é um mineral abundante na natureza, fazendo com que as empresas negligenciem seu uso, tornando a sua retirada, produção, transporte e uso um fator de geração de resíduos que traz malefícios ao meio ambiente. Com elevado índice de desperdício, é necessário repensar o processo produtivo do segmento, com alternativas que visem a produção mais limpa de materiais derivados desta indústria. Este trabalho objetivou fazer um apanhado dos impactos ambientais das indústrias de cerâmica vermelha e relacioná-los às incompatibilidades ligadas ao licenciamento e inovação empregada nas empresas. Para isso, foi definida uma amostra de empresas do ramo no Piauí e região limitante do Maranhão, com a finalidade de identificar nelas práticas de inovação e Compliance, através de check list, investigando como estas práticas se relacionam com a sustentabilidade ambiental dos empreendimentos. Inicialmente foi feita uma pesquisa bibliográfica no portal de periódicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), através da qual foram observadas características semelhantes destas indústrias a nível nacional e internacional, assim como foram agrupados os trabalhos da área ora publicados, sendo possível com isso entender o setor e as pesquisas existentes neste, assim como foi observado o número pequeno de artigos que relacionem o setor em sua atuação ambiental. Em seguida, foram visitadas amostras de empresas na região, para analisar fatores intrínsecos direta e indiretamente ligados aos impactos no decorrer do processo produtivo. Foram listados também os autos de infração desta indústria pelos dados disponibilizados no Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA), e foi observada a redução quase linear dos processos abertos em todo o Brasil.  Constatou-se, com a pesquisa, que quanto maior o grau de inovação e maior controle normativo das fábricas de cerâmica vermelha, menor o impacto ambiental negativo causado por elas ao longo do ciclo de vida dos produtos. Quanto aos dados de licenciamento ambiental infringido, foi importante notar que a coleta existente nos sites oficiais apresenta uma diminuição em escala linear nos níveis de infrações. Dessa explanação, confirmou-se o impacto da indústria à sustentabilidade ambiental, assim como seu impacto social nas comunidades em que se inserem. Os resultados da pesquisa, enfim, corroboram cientificamente com os achados do tema no Brasil.

     

    Link da Sala Virtual: https://conferenciaweb.rnp.br/conference/rooms/laiza-mendonca-costa/invite

  • SUANY NAYRA RODRIGUES LIMA
  • Sistema De Gestão Ambiental em Estofarias de Teresina-PI
  • Data: 22/06/2020
  • Mostrar Resumo
  • O Brasil possui destaque na economia com relação à fabricação e exportações de móveis. Existe um aspecto relacionado ao setor moveleiro que é a remanufatura desses produtos, sendo uma das mais conhecidas a reforma de móveis estofados. Essa prática atende diferentes públicos, estando como um dos principais, pessoas de baixa renda. Esse tipo de negócio possui particularidades, e os aspectos ambientais relacionados ao negócio, dificilmente são identificados, tornando mínima qualquer ação que busque mitigar impactos ambientais negativos. Sobre melhorias ambientais existem normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) relativas ao Sistema de Gestão Ambiental (SGA), que podem ser usadas por uma organização para verificar os requisitos ambientais, estabelecer as condições para implementação e operação, visando promover também o equilíbrio socioeconômico. Contudo, ao observar as estofarias, em relação às normas, muitos critérios não podem ser averiguados da forma como exposto nas mesmas. Assim, essa pesquisa tem como objetivo propor um sistema de gestão ambiental aplicável aos pequenos negócios como as estofarias. Essa pesquisa foi desenvolvida em estofarias localizadas na cidade de Teresina-PI, considerando as empresas que possuem e não possuem o Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ). As estofarias formais foram selecionadas de acordo com os dados públicos disponibilizados no site da Receita Federal, com situação cadastral ativa identificadas pelo código 9529-1/05 da CNAE fiscal. Após o refinamento da busca, obteve-se um total de 31 empresas formais. Na escolha das estofarias informais foi considerado as que prestavam serviços semelhantes às formais e que estivessem distribuídas nas quatro zonas da cidade. Como resultado da pesquisa percebeu-se que as normas da SGA atendem as grandes e médias empresas, mas não englobam satisfatoriamente as pequenas empresas. Desta forma, foi desenvolvida uma proposta mínima exequível, apresentando um conjunto de sugestões que visam mitigar as situações que dificultam o desenvolvimento do setor a nível econômico, social e ambiental.

  • THAIS NUNES COSTA
  • Gestão sustentável de piscinas coletivas
  • Data: 15/06/2020
  • Mostrar Resumo
  • As piscinas coletivas são ambientes populares e atrativos utilizadas para recreação e lazer, que precisam ser frequentemente monitoradas e tratadas garantindo aos banhistas uma qualidade químico e físico de suas águas. Assim, este estudo objetiva analisar a gestão sustentável de ambientes com piscinas coletivas da cidade de Teresina – PI, identificando os processos que possuem oportunidades de melhoria, possibilitando, assim, um melhor desempenho ambiental desses ambientes. A identificação das piscinas foi obtida por vista aérea fornecida pelo Google Earth e depois foram agendadas visitas com alguns dos estabelecimentos identificados para conhecer o processo de tratamento da água e os insumos utilizados. Assim, foi identificado o estado de manutenção da piscina, local de descarga dos efluentes e estabelecido medidas técnicas para o enquadramento dessas piscinas dentro da norma ABNT NBR 10339 que disciplina o assunto. Para a análise de impactos ambientais foi utilizada a Matrix Rápida de Avaliação de Impacto ou Rapid Impact Assessment Matrix (RIAM). No total foram identificadas 38 clubes com piscinas coletivas em Teresina, das quais 10 foram visitadas in loco para o levantamento de dados sobre o uso da água. Destas, 5 foram utilizadas para estimar custos de construção e manutenção, por questões de logística e acessibilidade de informações. Baseado nas dimensões das piscinas, insumos e procedimentos de tratamento, foi estimado o custo de construção de uma piscina coletiva ideal de acordo com a ABNT NBR 10339. Os custos de manutenção não refletem as boas práticas sanitárias e ambientais no setor. Quanto ao consumo de água, a média estimada em 9 clubes foi de 236.000 litros mensais, estes abastecidos por poços, e 55.000 litros para o clube que utiliza água da rede de distribuição, demonstrando o grande desperdício do uso desse recurso por parte dos gestores e responsáveis pelo tratamento. A nível legislativo, deve-se especificar os conselhos profissionais que exercem a fiscalização e as profissões que podem exercer a manutenção. Já em relação aos impactos ambientais na fase de operações do sistema, os resultados da RIAM demostrou que os riscos envolvidos a saúde dos trabalhadores e banhistas e o desperdício de água são os maiores problemas encontrados em piscinas coletivas. Portanto, é necessária a aplicação de melhorias que minimizem ou eliminem esses possíveis danos como a regularização dos poços de acordo com a legislação ambiental, a conscientização dos gestores sobre um tratamento que traga menos desperdício de água, com consequente redução do volume de efluentes, a criação de uma legislação específica que regulamente o profissional habilitado e maior fiscalização dos conselhos federais no tratamento das piscinas coletivas.

  • GIOVANNA SANTOS DE SOUZA
  • Caracterização limnológica do rio água doce e percepção ambiental de pescadores do município de Água Doce do Maranhão, Maranhão, Brasil
  • Orientador : IVANILZA MOREIRA DE ANDRADE
  • Data: 28/05/2020
  • Mostrar Resumo
  • A riqueza de organismos encontrada em regiões estuarinas tem sido atingida pelas relações
    que o homem estabelece com o ambiente. Este pode gerar impactos tanto na qualidade dos
    ecossistemas quanto na forma de interação e uso dos recursos naturais. Assim, objetiva-se
    com esse estudo avaliar as variáveis físicas, químicas e biológicas da água do rio Água Doce,
    município de Água Doce do Maranhão, Maranhão, Brasil, e a percepção ambiental dos
    pescadores em relação à qualidade da água deste ecossistema. No período de julho de 2017 a
    junho de 2018. No período de julho de 2017 a junho de 2018 variáveis como: temperatura da
    água, pH, salinidade, turbidez, condutividade elétrica, oxigênio dissolvido, transparência,
    sólidos totais e nutrientes (N-NH4, N-NO2, N-NO3, nitrogênio total, fósforo total), foram
    analisadas, em seis pontos do Rio Água Doce, durante os períodos de preamar e baixamar,
    assim como a composição e biomassa (clorofila a) da comunidade fitoplanctônica. Dados de
    precipitação pluviométrica também foram levantados. As análises estatísticas foram Shapiro-
    Wilk, Bartlett, Fligner-Killeen, Kruskal-Wallis, análise de variância (ANOVA) e correlação
    de Spearman foram realizadas. A percepção ambiental dos pescadores foi analisada com
    auxílio de formulários semiestruturados, em uma abordagem qualiquantitativa.
    Temporalmente foram evidenciados dois períodos climáticos distintos: um período seco de
    julho a dezembro de 2017 e um período chuvoso de janeiro a junho de 2018. O rio Água Doce
    apresentou águas quentes (≥28 ºC) e salinas (média=34,47 ‰), com transparência e zona
    eufótica extensa. Valores de pH, sólidos totais, condutividade elétrica, fósforo total,
    clorofila a e oxigênio dissolvido foram maiores no período seco. Já a turbidez e o nitrito
    aumentaram seus valores durante o período chuvoso. Diferenças estatísticas significativas
    ocorreram principalmente entre meses e marés. Correlações negativas significativas
    ocorreram entre a precipitação pluviométrica e os valores de salinidade, pH e condutividade
    elétrica da água e entre os valores de turbidez e transparência, nitrogênio total e nitrato.
    Dentre as variáveis estudadas, o oxigênio dissolvido foi o que e o pH foram os que
    apresentaram valor abaixo do exigido pelo CONAMA n°357∕2005 para corpos aquáticos
    enquadrados na classe 2. A comunidade fitoplanctônica foi representada por 27 gêneros e 32
    espécies distribuídas nas divisões Bacillariophyceae (20 táxons), Dinophyceae (8 táxons),
    Cyanophyceae e Mediophyceae (ambos com dois táxons). As condições ambientais
    favoreceram o domínio de diatomáceas. O período chuvoso interferiu na dinâmica físicoquímica
    da água e na composição da comunidade fitoplanctônica. Apesar da ausência de
    diferenças significativas entre os pontos e marés, os impactos antrópicos podem causar
    maiores interferências em longo prazo, sendo necessário monitoramento do corpo d’água
    visando à conservação do ambiente e dos múltiplos usos das águas do rio Água Doce. A
    atividade de pesca no Rio Água Doce se mostrou pouco atrativa para os jovens, porém
    bastante atrativas para as mulheres. O rio Água Doce tem grande importância para o
    desenvolvimento da região e das famílias de pescadores e, embora dejetos de lixo sejam
    descartados, os pescadores consideram a água de boa qualidade, ressaltando mudanças de
    coloração apenas em alguns períodos, associados ao fluxo de marés e épocas do ano,
    corroborando com os dados observados nas variáveis físicas, químicas e biológicas o que
    influencia diretamente na escolha de técnicas e apetrechos de pescas utilizados. A fiscalização
    e conscientização dos pescadores são importantes ferramentas de auxílio à conservação do rio
    Água Doce.

    Link de acesso à Sala: https://conferenciaweb.rnp.br/webconf/ivanilza-moreira-de-andrade

  • MICHEL SOSSAI SPADETO
  • Desempenho ambiental da produção de etanol de cana-de-açúcar
  • Orientador : ELAINE APARECIDA DA SILVA
  • Data: 19/05/2020
  • Mostrar Resumo
  • A produção de etanol tem se apresentado como alternativa para substituição de combustíveis de origem fóssil, entretanto, a cadeia produtiva do biocombustível, por utilizar recursos naturais, como terra e água, gera debates acerca da sustentabilidade ambiental do produto. O Maranhão, apesar de possuir características naturais interessantes para a produção de etanol de cana-de-açúcar e demanda pelo produto, possui apenas 5 empreendimentos que o produz, atendendo pouco menos de 50% de sua necessidade. A partir da caracterização dos processos de produção de duas unidades produtivas maranhenses (UP1 e UP2), foi possível levantar dados do período de 2014 a 2018 da produção agrícola e industrial do etanol hidratado produzido na região e avaliar o desempenho ambiental para produção de 1 metro cúbico do combustível relativo ao uso da terra, de fertilizantes, de óleo diesel e herbicidas. Com base na legislação brasileira existente foi feito um estudo da aplicabilidade das leis à cadeia produtiva do etanol de cana-de-açúcar, de forma a verificar seu alinhamento com a produção sustentável. Em média, a UP1 precisou de 0,26 ha de terra para produção de um metro cúbico de etanol hidratado, enquanto a UP2 precisou de 0,19 ha, demonstrando ser mais eficiente que a primeira, porém, com possibilidade de melhoraria para as duas, se comparadas à outras UPs do Brasil. Com relação às emissões de NH3 pela aplicação de Nitrogênio, a UP1 emitiu em média 1,47 kg/m3 enquanto a UP2 emitiu 2,03 kg/m3de etanol hidratado produzido, entretanto, a UP1 apresentou adubação abaixo da necessidade das plantas e a UP2 aplicou N em excesso. Com relação às emissões de CO2 do óleo diesel utilizado, a média foi de 107,24 kg e 123,26 kg por m3 de etanol hidratado produzido pela UP1 e UP2 respectivamente, demonstrando que a primeira foi mais eficiente na utilização do combustível. A utilização de herbicidas foi de 0,74 kg e 0,78 kg por m3 de etanol hidratado produzido respectivamente pela UP1 e UP2, números próximos às médias nacionais verificadas. No que tange ao aspecto legal, foi verificado que o Código Florestal brasileiro (Lei 12.651/12) estabelece a preservação da biodiversidade das propriedades, enquanto a Lei 12.305/10 exige a gestão dos resíduos gerados pelos empreendedores para minimizar os impactos ambientais proporcionado por suas operações. Essas e outras leis garantem a produção de etanol de forma sustentável no Brasil. Os dados regionais levantados por essa pesquisa podem ser úteis para tomada de decisão pelos empreendedores, por entidades publicas e para outras pesquisas. Já o estudo jurídico relacionado à sustentabilidade da produção do etanol pode ser útil para elaboração de políticas públicas locais específicas, para municípios ou estados que já possuam ou que venham a ter empreendimentos deste segmento dentro de suas fronteiras.

    Link da sala virtual: https://conferenciaweb.rnp.br/events/defesa-de-dissertacao-de-mestrado-ppg-desenvolvimento-e-meio-ambiente-ufpi-d80d0c7f-6e55-4a66-9555-f84a617f64f6

  • ANA KAROLINA MARQUES DE LIMA
  • ESTRUTURA DA COMUNIDADE DE MACROINVERTEBRADOS BENTÔNICOS EM CÓRREGOS URBANOS DE TERESINA
  • Orientador : PAULO ROBERTO RAMALHO SILVA
  • Data: 18/05/2020
  • Mostrar Resumo
  • O conhecimento da comunidade de macroinvertebrados bentônicos tem se destacado em estudos ecológicos e de biomonitoramento por apresentar uma caracterização ampla e integrada dos ecossistemas dulcícolas mediante as distintas variações ambientais. Neste sentido, objetivamos neste trabalho analisar a estrutura e distribuição da comunidade de macroinvertebrados bentônicos, em córregos localizados na área urbana da cidade de Teresina, Piauí, região Nordeste do Brasil. Para isso, foram realizadas doze coletas mensais para obter as variáveis bióticas e abióticas (uma coleta em cada riacho a cada mês, de Janeiro a Dezembro de 2019). Foram coletados um total de 6.611 organismos distribuídos em oito grandes grupos taxonômicos, com predomínio dos grupos Gastropoda e Insecta. O estudo demonstrou variações na riqueza e abundância dos organismos em relação aos pontos e aos meses de coleta, no entanto, não houve alterações significativas em relação à diversidade dos grupos encontrados. As variáveis limnológicas apresentaram importante influência sobre a distribuição e composição da comunidade. Na classificação dos grupos quanto à indicação da qualidade ambiental, houve o predomínio dos grupos considerados tolerantes e resistes à poluição, como por exemplo, a família Chironomidae, alguns táxons mais sensíveis foram muito raros (Calopterygidae). Em relação à avaliação da integridade do habitat, foi possível perceber uma forte influência das atividades antrópicas sobre os córregos, o que era esperado por estarem localizados em áreas urbanas. Estas atividades também parecem exercer importante papel, contribuindo para a estrutura da comunidade de macroinvertebrados bentônicos, encontrada.

    Link de acesso à Sala: https://conferenciaweb.rnp.br/webconf/paulo-ramalho

  • PÂMELLA BÁRBARA LUSTOSA
  • Saneamento básico: uma regulação em construção
  • Orientador : ELAINE APARECIDA DA SILVA
  • Data: 12/05/2020
  • Mostrar Resumo
  • O saneamento básico, por sua importância para a dignidade humana, saúde pública e meio ambiente, é um direito humano, cuja universalização é objetivo mundial, ao mesmo tempo em que é constituído por um grupo de serviços públicos, conforme a legislação brasileira: abastecimento de água, esgotamento sanitário, manejo de resíduos sólidos urbanos e manejo de águas pluviais e drenagem urbana. Esses serviços são de titularidade do município, que é responsável pelo planejamento, prestação, regulação e fiscalização, sendo apenas o planejamento indelegável. A regulação e fiscalização desses serviços é essencial e obrigatória, delegada pelos municípios à uma agência reguladora subnacional. O objetivo deste trabalho foi diagnosticar os desafios e perspectivas para a regulação e fiscalização dos serviços de saneamento básico em Teresina-PI e no Brasil, após mais de dez anos da aprovação da Política Nacional de Saneamento Básico. Para isso foram utilizadas a pesquisa documental; e a pesquisa de campo, na qual foram realizadas visitas à Agência Municipal de Regulação de Serviços Públicos de Teresina (Arsete), à Secretaria Municipal de Concessão e Parcerias (Semcop), e ao aterro municipal, de responsabilidade da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano e Habitação (Semduh). Durante as visitas, foram realizadas entrevistas semiestruturadas com representantes da entidade e dos órgãos. Também, foram utilizados dados secundários do IBGE e do SNIS. Constatou-se que a atividade regulatória no setor de saneamento, existente há mais de vinte anos, ainda está em construção, com ausência de transparência, desconhecimento por parte da população e insuficiência de normativos mínimos, sendo a Arsete um exemplo dessa realidade. Com o aumento de parcerias público-privadas na prestação dos serviços de saneamento, a importância da atividade regulatória aumenta e novos desafios se apresentam, com novos serviços sendo regulados, como é o caso dos resíduos sólidos urbanos. É necessário que as decisões políticas priorizem o caráter técnico dessas instituições, fortalecendo-as desde sua instituição, especialmente quanto à suas atribuições determinadas em legislação e contratos de concessão, para que não apenas existam, mas sejam efetivas.

    Link da Sala Virtual: https://conferenciaweb.rnp.br/events/defesa-de-dissertacao-de-mestrado-ppg-desenvolvimento-e-meio-ambiente-ufpi

  • KEICYANE ALVES DE SOUSA
  • Dinâmica espaço-temporal da clorofila-a nos reservatórios do semiárido piauiense
  • Orientador : GIOVANA MIRA DE ESPINDOLA
  • Data: 11/05/2020
  • Mostrar Resumo
  • A água é bem essencial para a existência da vida no planeta. A região do semiárido, área que mais sofre com a escassez de água, tem utilizado a construção de açudes, barragens e reservatórios como forma de conviver com a seca que assola a região. Nesse tipo de estrutura hídrica é comum a afloração de algas, resultado do processo de eutrofização. Ambientes altamente eutrofizado, têm seu uso, inviabilizado. A clorofila-a é o principal componente na identificação do processo de eutrofização. Sua determinação é feita por metodologias tradicionais, que necessitam de coletas in situ em vários pontos amostrais. Esse processo é lento, caro e muitas vezes inviável de ser praticado em larga escala. Nessa conjuntura, o sensoriamento remoto pode auxiliar o monitoramento da qualidade da água, através do uso de imagens de satélites. O objetivo do presente trabalho é discutir a viabilidade do monitoramento da dinâmica espaço-temporal da clorofila-a nos reservatórios de água inseridos no semiárido piauiense por meio da utilização do sensoriamento remoto. Para isso, foram estabelecidos os seguintes objetivos específicos: 1) Investigar de que modo a produção científica mundial tem retratado a temática. 2) Caracterizar os aspectos naturais e a interação da população local com os reservatórios. 3) Avaliar modelos de algoritmos de sensoriamento remoto já existentes na literatura, aplicando-os na área de estudo. 4) Desenvolver um algoritmo baseado em amostras in situ e no sensoriamento remoto para a região estudada; 5) Estudar sobre os impactos que a eutrofização causar na qualidade d’água. Os resultados permitiram conhecer como a temática é estudada em todo o mundo. As informações apresentadas, possibilitaram reconhecer, que a seca, fenômeno recorrente no semiárido piauiense e as condições ambientais locais, diminuem a capacidade volumétrica dos reservatórios, e, consequentemente, intensificam o processo de eutrofização. Além disso, foi possível verificar que a dinâmica temporal de atributos limnológicos, tem influência direta na qualidade da água. As amostragens in situ, mostraram que os reservatórios têm grande quantidade de clorofila-a. Tal percepção foi confirmada através dos algoritmos de estimativas de clorofila-a elaborados usando imagens de sensoriamento remoto. As imagens do satélite Sentinel-2 foram eficientes na espacialização dos resultados. Constatou-se o caráter cíclico do processo de eutrofização.

     

    LINK DA SALA VIRTUAL: https://conferenciaweb.rnp.br/webconf/giovana-mira-de-espindola

  • GIVANILSO CÂNDIDO LEAL
  • Comunidade de oomicetos (Oomycota) e a eutrofização nos rios Parnaíba e Poti, Teresina, PI
  • Orientador : JOSE DE RIBAMAR DE SOUSA ROCHA
  • Data: 06/05/2020
  • Mostrar Resumo
  • Os oomicetos (Oomycota) constituem um grupo de organismos zoospóricos com afinidade de características morfológicas e fisiológicas com os fungos, os quais pertenciam em classificações taxonômicas anteriores. Atuam como recicladores da matéria orgânica e parasitas de plantas, animais, fungos e outros oomicetos. No Brasil, são escassos os estudos desses organismos e pouco o conhecimento sobre como as populações se comportam nos ambientes. Contudo, estudos sobre oomicetos são bastante promissores, não apenas pela sua importância econômica podendo causar danos a diversas culturas agrícolas devido seu potencial de parasitismo, como também por apresentar potencial para uso na bioindicação, considerando sua sensibilidade às mudanças ambientais. O uso de organismos vivos como bioindicadores no auxílio a determinação da qualidade de ambientes aquáticos tem ganhado grande destaque com os avanços científicos e tecnológicos. Juntamente com as características físico-químicas verificadas a partir dos parâmetros adotados para análise da qualidade da água, o conhecimento do comportamento dos organismos que vivem nesses ambientes é de suma importância, pois é possível observar diretamente como os níveis de poluição podem impactar esses seres. Assim, foi realizado estudo das comunidades de oomicetos nos rios Parnaíba e Poti utilizando indicadores de Riqueza, sendo representada por 19 taxa distribuídos em oito gêneros, 13 taxa foram comuns nos dois rios. O rio Parnaíba obteve 17 taxa, com maior frequência para: Aphanomyces sp com 28%, Achlya sp. e Dictyuchus sp. com 11% cada e Pythiogeton uniforme com 10%. Achlya dubia (5%), A. proliferoides (1%), Brevilegnia megasperma (2%) e Pythiogeton utriforme (2%) foram exclusivos no rio Parnaíba. No rio Poti foram observados 15 taxa em seis gêneros, com maior frequência: Aphanomyces sp. (22%), Pythiogeton ramosum (19%) e Pg. uniforme (12%). Leptolegniella keratinophila e Plectospira myriandra foram exclusivas desse rio. Apesar da maior diversidade ter sido expressa no rio Parnaíba, grande parte dos seus isolados foram raros, com baixa frequência. Enquanto o rio Poti obteve mais espécies constantes durante as coletas. A caracterização nutricional dos isolados teve destaque na colonização de substratos orgânicos de origem celulósicos perfazendo um total de 71% e 69% nos rios Parnaíba e Poti respectivamente. Os substratos quitinosos não apresentaram colonização por oomicetos em ambos os rios. Dentre os exemplares isolados na pesquisa Achlya conspicua ganha destaque por ser a primeira citação para o Brasil e Brevilegnia megasperma como segunda citação para o país e primeira para o Piauí. Além disso, foi observado o nível de eutrofização dos rios nos pontos de coleta, dados de fósforo total e clorofila a em ambos os ambientes apresentaram valores superior ao preconizado na legislação do país. A partir desses dados foi determinado o Índice de Estado Trófico – IET desses ambientes, o rio Poti demonstrou maior índice, em pontos com intensa urbanização, chegando a ser classificado como supereutrófico. A correlação da riqueza dos oomicetos com as variáveis: temperatura, pH e IET não foram fatores limitantes na dinâmica dos oomicetos no rio Parnaíba; contudo, foi notória a interferência desses fatores como característica limitante da dinâmica dos oomicetos no rio Poti. Com isso, foi possível conhecer e entender a dinâmica dos oomicetos nesses ambientes, entender como o processo de eutrofização dos rios interferem nesses organismos e quão impactado esses ambientes estão devido a influência antrópica no meio. 

    Link de acesso à Sala:  https://conferenciaweb.rnp.br/webconf/jose-de-ribamar-de-sousa-rocha 

  • BRENO FERNANDO CUNHA DE FREITAS SOUSA
  • Captura e comércio ilegal de aves para fins de estimação em áreas no entorno de unidades de conservação no sul do Piauí
  • Orientador : WEDSON DE MEDEIROS SILVA SOUTO
  • Data: 30/04/2020
  • Mostrar Resumo
  • A captura e comércio de animais silvestres é considerada uma das maiores ameaças a biodiversidade nos trópicos atualmente. O Brasil é um dos países que apresenta a maior riqueza de espécies exploradas e ameaçadas por usos diretos por humanos. No Piauí, estudos que abordam sobre a caça, captura e comercialização de aves silvestres são escassos e pouco é compreendido sobre direcionadores e a operacionalização das cadeias de comercialização. Este trabalho trata da exploração da avifauna no Sul do Estado do Piauí, em áreas no entorno de Unidades de Conservação de Proteção Integral (Parques Nacionais) nos municípios de São Raimundo Nonato e Caracol. Nossos objetivos foram: (I) Analisar a dinâmica de captura e comercialização da avifauna silvestre; (II) Identificar as espécies-alvo preferenciais e as técnicas de captura, como também uma verificação dos principais aspectos socioeconômicos que influenciam tal atividade; e (III) Realizar um levantamento bibliográfico de toda a produção científica sobre caça e captura de aves silvestres para fins de estimação nas regiões Norte e Nordeste do Brasil. Essa dissertação está organizada em dois capítulos: O primeiro, estruturado em formato de artigo, é intitulado “Revisão geral sobre o tráfico e comércio de aves silvestres no Norte e Nordeste do Brasil: Desafios para a conservação” e apresenta todos os trabalhos científicos de cunho etnoornitológico produzidos nas regiões Norte e Nordeste do país nos últimos 21 anos. O segundo capítulo “Olhando através de gaiolas: Aspectos gerais da captura e comércio de aves na região de duas Unidades de Conservação da Caatinga brasileira” trata da exploração da avifauna silvestre no sul do estado do Piauí em dois municípios localizados no entorno de dois parques nacionais. No capítulo I foram compilados 49 trabalhos etnoornitológicos com um repertório de 267 espécies de aves exploradas como pets nas regiões Norte e Nordeste. Nós observamos que os estudos sobre captura e comércio da avifauna sofrem influência de áreas densamente povoadas, principalmente próximos aos pólos de pesquisa, assim como da malha viária, em detrimento da proximidade de áreas naturais com rica diversidade da avifauna. No capítulo 2 entrevistamos um total de 59 caçadores e criadores de aves residentes nos municípios de São Raimundo Nonato e Caracol. Foram reportadas 99 espécies da avifauna, pertencentes a 30 famílias, que são capturadas e utilizadas como pets nos municípios supracitados. Observamos uma mudança no contexto geral da caça nos locais pesquisados, em que a prática de captura e comercialização da avifauna é motivada atualmente sobretudo por questões comerciais e econômicas. Uma parcela expressiva dos entrevistados estão inseridos no mercado de compra e venda de aves, sustentando o tráfico ilegal para atender criadores em cidades circunvizinhas e até de outros Estados. Nossos resultados incrementam o banco de informações produzidas por outros trabalhos científicos sobre as atividades cinegéticas no Nordeste do Brasil, além de contribuir para um melhor entendimento da realidade das comunidades pesquisadas no que concerne ao uso e comercialização de aves como pets, auxiliando dessa forma na implementação de estratégias de conservação e planos de manejo para as espécies-alvo, como também de políticas públicas voltadas a melhoria da situação socioeconômica vivenciada pelas populações estudadas.

     

    Link de acesso a sala: https://conferenciaweb.rnp.br/conference/rooms/wedson-de-medeiros-silva-souto/invite

  • JEFFERSON LUCAS MATIAS SOUSA
  • DIVERSIDADE DA FLORA LENHOSA DAS RESTINGAS E DOS TABULEIROS DO NORDESTE: SEMELHANÇAS, USOS E AMEAÇAS
  • Data: 30/04/2020
  • Mostrar Resumo
  • A Região Nordeste do Brasil, possui um litoral com mais de três mil quilômetros de extensão. Ao longo desse litoral, encontram-se as restingas e os tabuleiros costeiros, formações vegetais datadas do Quaternário e Terciário, respectivamente. Não se conhece ao certo essas vegetações como um todo, no sentido de compartilhamento de espécies entre ambos os ecossistemas, bem como a origem dessas espécies, no que diz respeito aos Biomas. Portanto, o objetivo geral do presente estudo é comparar o grau de similaridade florística entre a flora lenhosa que ocorre nas restingas e nos tabuleiros costeiros da Região Nordeste e analisar a distribuição fitogeográfica das espécies encontradas, bem como analisar o histórico de pesquisas botânicas realizadas em tabuleiros no Brasil e verificar a evolução do uso dos solos no Distrito Irrigado Tabuleiros Litorâneos do Piauí. As metodologias utilizadas foram: pesquisa bibliográfica para obter o número de trabalhos científicos realizados nos tabuleiros do Brasil; análise do Índice de Vegetação por Diferença Normalizada para verificar a evolução territorial do Distrito Irrigado Tabuleiros Litorâneos do Piauí; índice Jaccard e escalonamento multidimensional não-métrico para mensurar a similaridade florística entre as restingas e tabuleiros do Nordeste, esses dados foram obtidos através de prévio levantamento bibliográfico para a montagem de uma lista de espécies bem como consulta ao portal Flora do Brasil 2020 para obter dados de ocorrência dessas espécies em Biomas brasileiros. Nos 13 estados que apresentam os tabuleiros litorâneos, foram encontrados 23 estudos nas últimas duas décadas. Artigos científicos (65,2%) e capítulos de livros (21,7%) foram o principal meio utilizado pelos pesquisadores para divulgarem seus resultados, sendo que nenhuma publicação foi encontrada tendo Estados da Região Norte como área de pesquisa. Foi constatado que a área destinada a agricultura no Distrito Irrigado Tabuleiros litorâneos do Piauí vem crescendo ao longo do tempo, muito embora tenha tido alguns anos de crescimento zero, os dados demonstram ainda que além do incremento de tamanhão, o Distrito apresenta também aumento de produtividade. Foram identificados através de pesquisa bibliográfica 72 pontos amostrais onde foram encontradas 1254 espécies de plantas lenhosas nas restingas e tabuleiros do Nordeste, essas espécies estão divididas em 471 gêneros e 101 famílias botânicas, Fabaceae foi a famílias mais frequente, ocorrendo em 100 % dos 72 pontos amostrais, seguida por Anacardiaceae (83,33 %), Malpighiaceae (81,94 %) e Myrtaceae (81,94 %). Os quatro gêneros mais frequentes foram Byrsonima (81,84 %), Ouratea (70,93 %), Anacardium (68,05 %) e Myrcia (66,66 %). As quatro espécies mais frequentes foram Anacardium occidentale (68,5 %), Guettarda platypoda (44,44 %), Manilkara salzmannii (43,05 %) e Eugenia punicifolia (40,27 %). Os dados demonstraram que a maioria das espécies vem da Mata Atlântica que teve também o maior número de espécies endêmica, o segundo Bioma com maior número de espécies endêmicas foi a Amazônia, corroborando com hipóteses que afirmam que esses dois Biomas já estiveram unidos. O dendrograma e o diagrama resultante do escalonamento multidimensional não-métrico desmontaram ainda que as restingas e tabuleiros do Nordeste formam um complexo mosaico onde há grande compartilhamento de espécies.

    Link da sala:  https://conferenciaweb.rnp.br/events/defesa-de-dissertacao-para-obtencao-do-titulo-de-mestre-em-desenvolvimento-e-meio-ambiente

  • ANA VALÉRIA COSTA DA CRUZ
  • O Extrativismo em Populações de Macaúba no Maranhão, Nordeste do Brasil
  • Orientador : CLARISSA GOMES REIS LOPES
  • Data: 29/04/2020
  • Mostrar Resumo
  • O extrativismo de recursos florestais não madeireiros (PFNM) é uma prática histórica realizada pelas populações humanas em todas as regiões e ecossistemas da Terra e reflete traços das culturas, ambientes e recursos presentes nestes locais. Os PFNM constituem-se por vezes recurso vital que proporciona segurança alimentar e renda para muitas comunidades extrativistas. No Brasil, a macaubeira (Acrocomia aculeata (Jacq.) Lodd. ex Mart.) é considerada uma das espécies de palmeiras mais notáveis, ocorrendo em diversos ecossistemas e possui diversas utilidades. Assim, a presente pesquisa buscou compreender a importância socioeconômica e cultural da macaúba para populações extrativistas que vivem numa região de Cerrado no Meio Norte do Brasil. O artigo 1 aborda a cadeia produtiva do azeite de macaúba, com enfoque para a caracterização desta atividade, assim como os desafios na comercialização deste fruto do Cerrado e suas potencialidades. O artigo 2 trata-se de um estudo etnobotânico com a comunidade extrativista quanto às áreas escolhidas para a colheita dos frutos, onde também foi avaliada duas populações da palmeira em ambiente florestal e não florestal a fim de identificar características que justificassem a preferência por estas áreas. A produção e comercialização do azeite de macaúba configura-se como uma alternativa de renda para essa parcela da população, apesar de ser “invisível” nas estatísticas municipais e estaduais e ser insuficiente para melhorar a condição socioeconômica local. Dessa forma, faz-se necessário a valorização do trabalho com a macaúba pelo poder público, a fim de criar meios para que os extrativistas ampliem seus produtos, acessem às tecnologias e melhorem as relações de comércio, aliados a conservação das palmeiras. Em relação às preferências de locais de coleta e aos critérios de extração, a predileção por áreas abertas em detrimento das florestais pode estar ligada unicamente à facilidade de acesso e não a características ecológicas das palmeiras e biológicas dos frutos.

     

    Link de acesso a sala: https://conferenciaweb.rnp.br/webconf/clarissa-gomes-reis-lopes

  • LUNA LANA XIMENES RODRIGUES
  • Análise morfométrica e ambiental de uma microbacia urbana em Teresina-PI
  • Orientador : CARLOS ERNANDO DA SILVA
  • Data: 28/04/2020
  • Mostrar Resumo
  • A urbanização rápida e desordenada sem o devido planejamento e desenvolvimento de uma infraestrutura adequada, especialmente a de saneamento, ocasiona consequências diretas ao espaço urbano, promovendo impactos negativos a qualidade dos recursos hídricos e a saúde da população. A Lei das Águas estabelece a bacia hidrográfica como unidade gestão dos recursos hídricos, visando o estudo de todos os aspectos qualitativos e quantitativos que interferem na sua dinâmica. Este trabalho objetivou realizar uma análise morfométrica e ambiental de uma microbacia urbana inserida na sub-bacia PE-09, na cidade de Teresina-PI. A microbacia foi delimitada e caracterizada quanto aos seus aspectos morfométricos, físicos, demográficos e de uso e ocupação das terras. A qualidade das águas da microbacia foi determinada com periodicidade mensal, em seis pontos de coleta, no período de dezembro de 2018 a novembro de 2019. Os resultados foram interpretados frente aos limites estabelecidos pela resolução CONAMA 357/2005 e ao Índice de Qualidade de Água - IQA (CETESB), observando a sazonalidade no período de estudo. A correlação entre a saúde pública e saneamento na microbacia foi realizada a partir da incidência de doenças de veiculação hídrica, que teve como base de dados as notificações de agravos disponibilizadas pela Fundação Municipal de Saúde da cidade. A caracterização da microbacia hidrográfica identificou uma área total de 184,76 ha, perímetro de 6.496 metros com densidade demográfica de 87,09 hab./há indicando uma região densamente ocupada e com baixa cobertura de rede de esgoto. Os aspectos morfométricos indicaram uma suscetibilidade da microbacia a eventos de enchentes e inundações. A qualidade da água revelou as variáveis E. coli, DBO, OD e fósforo total com a maior quantidade de valores em não conformidade com a legislação, tendo o ponto à montante da microbacia (P0) apresentado a maior degradação, devido este receber as águas de drenagem de uma área ausente de saneamento. O ponto de exutório da microbacia apresentou os melhores resultados de qualidade de água, demonstrando a capacidade de autodepuração do corpo hídrico. A análise do efeito da sazonalidade demonstrou melhoria da qualidade das águas durante a estação seca associada a redução dos valores de E. coli e DBO. Os aspectos de saúde na microbacia indicaram uma relação entre as condições ambientais e a incidência de doenças de veiculação hídrica, demonstrando uma vulnerabilidade da população residente na área quanto a essas doenças. Os resultados revelam que a incidência das arboviroses na microbacia decorre principalmente das condições de ocupação da área e para as doenças diarreicas agudas o fator determinante é a degradação da qualidade da água, que tem como fonte a carência de serviços de saneamento evidenciada na área. A região da microbacia demonstra necessidade de implantação de infraestrutura adequada com evolução dos serviços de saneamento, tendo em vista a melhoria da qualidade das águas e das condições ambientais da área.

    Local: https://conferenciaweb.rnp.br/webconf/carlos-ernando-da-silva

  • VICENTE DE PAULA SOUSA JUNIOR
  • VIABILIDADE DA IMPLANTAÇÃO DE PARQUES EÓLICOS E USINAS SOLARES NO PIAUÍ
  • Orientador : FRANCISCO FRANCIELLE PINHEIRO DOS SANTOS
  • Data: 03/03/2020
  • Mostrar Resumo
  • O presente estudo aborda a necessidade de utilização de fontes de energia renováveis para diversificação da matriz energética em busca de melhores práticas para atingir o desenvolvimento sustentável. O Brasil apresenta um histórico regulatório que promoveu a utilização de fontes renováveis e limpas. Atualmente é crescente o uso das fontes de energia solar e eólica. O estado do Piauí chama atenção pelo seu potencial e direcionamento de projetos do setor. No que se refere aos impactos ocasionados por essas fontes de energia, temos que o uso e ocupação da terra, poluição sonora, visual e interferência em sinal digital e analógico são os principais e considerados de baixo impacto. Utilizando-se do Geoprocessamento na análise espacial de fatores determinantes, procurou-se determinar a viabilidade sob os aspectos ambiental, social, econômico e técnico para implantação de usinas solares e parques eólicos no estado, constatou-se que em grande parte do território piauiense é viável a implantação desses empreendimentos. Contudo, existe a necessidade de uma segurança regulatória e planejamento que vai além de políticas públicas de incentivo com isenção de impostos e que considere a necessidade energética do estado, bem-estar da população local e manutenção das áreas de proteção de interesse ambiental, social e histórico. Uma maior diversificação e planejamento na localização dos empreendimentos são necessários por questões técnicas de sazonalidade e para que não concentrem a maioria dos projetos desse setor na região do Sudeste Piauiense, tendo em vista que dos 262 empreendimentos listados, 111 encontram-se em áreas consideradas inapropriadas, ocasionando assim um desenvolvimento desbalanceado do estado, que às vezes está contido em interesses de terceiros ao invés do desenvolvimento sustentável do estado. Ao final, o estudo lista 80 municípios do Estado localizados em todas as regiões com potencial e áreas viáveis para implantação de parques eólicos e usinas solares.

  • AIRTON JANES DA SILVA SIQUEIRA
  • AVES MIGRATÓRIAS DOS ESTUÁRIOS CARDOSO E CAMURUPIM, PIAUÍ, BRASIL: RIQUEZA, ETNORNITOLOGIA E IMPACTO TURÍSTICO
  • Orientador : ANDERSON GUZZI
  • Data: 10/02/2020
  • Mostrar Resumo
  •  

    A migração de aves é um fenômeno sazonal que leva todos os anos milhares de indivíduos a realizarem longas movimentações em busca de recursos e locais favoráveis à sua sobrevivência. No entanto, os impactos decorrentes da ação antrópicos têm tornado o futuro deste comportamento cada vez mais imprevisível. Dessa forma, o conhecimento das áreas de invernada, assim como os impactos aos quais as aves estão vulneráveis nesses locais é de suma importância para a conservação das espécies. Diante disto, este estudo teve como objetivo levantar e caracterizar as espécies de aves migratórias que invernam nos estuários dos rios Cardoso e Camurupim; analisar os impactos das atividades turísticas sobre suas populações e registrar o conhecimento etnoornitológico dos pescadores da comunidade de Macapá, situada próxima aos estuários. O levantamento da avifauna se deu através de pontos de escuta distribuídos ao longo dos estuários. Os impactos ocasionados pelo turismo foram analisados através da alteração de comportamentos das aves provocados pelas atividades turísticas, sendo consideradas diferentes zonas de impactos. Os dados etnoornitológicos foram coletados por meio de diálogos informais e formulários semiestruturados. Foram levantadas 19 espécies de aves migratórias distribuídas em duas ordens e três famílias. As espécies mais abundantes foram Charadrius semipalmatus, Calidris pusilla, Numenius hudsonicus e Arenaria interpres. Considerando o conhecimento tradicional, foram citadas 14 espécies de aves migratórias que invernam nos estuários, sendo estas mais abundantes entre os meses de novembro a março. Também foi consenso entre a maioria dos pescadores que houve redução na população de aves migratórias nas ultimas décadas, sendo o aumento do fluxo de pessoas, a caça e a perda de hábitat apontados como as principais causas para este declínio. As atividades turísticas que mais impactam as aves na perspectiva dos entrevistados foram: a prática do kitesurf, o passeio de banana boat e o passeio de barco. De acordo com as observações em campo, os distúrbios sobre as aves são ocasionados principalmente pela aproximação de turistas caminhando (66%) e pela prática de kitesurf (30%). Apesar do maior número de distúrbios serem ocasionados por pedestre, as aves se mostraram mais sensíveis ao kitesurf, visto que as reações de fuga foram registradas sempre acima de 60 metros. A área de estudo apresenta uma rica diversidade de aves migratórias, o que significa que a região é um importante local de parada para muitas espécies que migram através da Rota Atlântica. No entanto, as espécies vêm enfrentando distúrbios ocasionados pelo turismo na região, se fazendo necessária a implementação de medidas mitigatórias para garantir um cenário adequado para o futuro das espécies que invernam nos estuários Cardoso e Camurupim.


  • MARIA HORTENCIA BORGES DOS SANTOS
  • MERCADOS PÚBLICOS MUNICIPAIS DE PARNAÍBA COMO DIFUSORES ETNOBOTÂNICOS NO PIAUÍ
  • Orientador : ROSELI FARIAS MELO DE BARROS
  • Data: 07/02/2020
  • Mostrar Resumo
  • Os mercados são ambientes públicos designados para a comercialização de inúmeros
    produtos, entre eles as plantas, que devido às características associadas ao uso, como eficácia
    e baixo custo, resultam no extenso consumo de produtos à base de plantas. Objetivou-se
    analisar o conhecimento botânico tradicional de permissionários associados às espécies
    medicinais e ritualísticas em Mercados Públicos Municipais de Parnaíba, Piauí. Os dados
    foram coletados após a aprovação pelo Comitê de Ética em Pesquisas (CEP) da Universidade
    Federal do Piauí (UFPI) sob o N° 2.975.850 e com o parecer do cadastro no Sistema Nacional
    de Gestão do Patrimônio Genético e do Conhecimento Tradicional Associado (SISGEN), sob
    o N° ABB2F8B, e do Instituto Chico Mendes (ICMbio) N° 70722-9. Foram selecionados os
    mercados públicos Quarenta, Nossa Senhora de Fátima, Caramuru e Guarita. Nestes locais,
    entrevistaram-se todos os permissionários (n = 34) por meio de formulários semiestruturados.
    Para coleta das espécies vegetais, realizaram-se turnês-guiadas. As plantas foram coletadas,
    herborizadas e incorporadas ao Herbário Graziela Barroso (TEPB) da UFPI. Identificaram-se
    89 espécies vegetais, pertencentes a 54 famílias, com maior representatividade para Fabaceae
    (22,91%), seguidas de Malvaceae/Rubiaceae com 6,25%, respectivamente. Os sistemas
    corporais que apresentaram maior alocação por plantas mencionadas foram: Sinais e sintomas
    gerais com (168 citações) e Doenças do aparelho respiratório (89). Verificou-se que tanto
    plantas nativas (54,24%), quanto exóticas (45,76%) são comercializadas. As formas de
    preparo mais citadas pelos permissionários foram: infusão (42,92%), garrafada (16,96%),
    decocção (16,96%), decocção/garrafada (12,99%) e in natura (10,17%). Os hábitos das
    plantas evidenciaram que as árvores foram as mais representativas (44,55%), seguidas de
    ervas (30,65%), arbustos (15,44%) e subarbustos/trepadeiras (4,68%, cada). As espécies
    vegetais encontradas com mais frequência foram: aroeira (Myracrodruon urundeuva
    Allemão.); jucá (Libidibia ferrea (Mart. ex Tul.) L. P. Queiroz.) e jatobá (Hymenaea
    stigonocarpa Mart. ex Hayne.). Os resultados revelaram 66 espécies medicinais e 23
    ritualísticas, destas, 47 são nativas. As plantas usadas para tratar doenças respiratórias
    obtiveram destaque com 89 citações. Assim, nos Mercados Públicos de Parnaíba, Piauí, as
    espécies listadas contribuem na manutenção da cultura no uso de plantas para tratar
    enfermidades e na renda dos permissionários.

2019
Descrição
  • ELAYNE DE SILVA FIGUEREDO
  • A Inserção de Capital Transnacional e Implantações de Agroestratégias de Commodities na Mesorregião Sudoeste Piauiense
  • Orientador : GIOVANA MIRA DE ESPINDOLA
  • Data: 11/12/2019
  • Mostrar Resumo
  • O recente remodelamento dos eixos estruturais das dinâmicas espacial, social e comercial na mesorregião sudoeste piauiense são ocasionados por ações antrópicas advindas da expansão agrícola financiada por políticas desenvolvimentistas de esferas federais e estaduais e pela adentrada de capital internacional junto a apropriação da terra e da natureza por entidades internacionais, vem ocasionando intensas transformações espaciais na mesorregião sudoeste piauiense, com um destaque maior dado neste trabalho para a Região Geográfica Imediata de Uruçuí (RGI de Uruçuí). Assim, baseado em uma metodologia de análise sistêmica e interdisciplinar, associando dados de revisão bibliográfica, dados oficiais e uma metodologia experimental para processamento de dados geoespaciais na plataforma Google Earth Engine. Neste trabalho, foram analisados o processo de inserção de capital transnacional e das agroestratégias para avanço e consolidação do agronegócio, como uma versão moderna de apropriação fundiária e de composição de grandes latifúndios na mesorregião sudoeste piauiense. Assim como também, o mapeamento de uso e cobertura na RGI de Uruçuí. Os resultados encontrados neste trabalho destacam o atual crescimento em número e área de estabelecimentos agropecuários na mesorregião sudoeste piauiense, e em especial sobre a região semiárida piauiense, que através do avanço tecnológico passou a ser considerada como nova área de possível expansão de processos produtivos agrícolas. Além disso, confrontando os dados de localização dos empreendimentos agropecuários ligadas a empresas estrangeiras ao mapeamento de uso e cobertura da terra realizado para a RGI de Uruçuí, observou-se também a espacialização dos empreendimentos agropecuários e o impacto da adentrada desses empreendimentos frente a evolução da quantidade de hectares destinados a atividades agropecuárias, como é o caso dos municípios Baixa Grande do Ribeira e Uruçuí que entre os Censos Agropecuários de 2006 e 2017 apresentaram um crescimento respectivo de 129,7% e 65,2% em suas áreas agrícolas ocasionados pela adentrada dos empreendimentos Bunge Alimentos S.A. e Cantagalo General Grains S.A.

  • LORENA MOURA SANTANA
  • Praças de Teresina, Piauí: Diagnóstico, Usos e Qualidade do Espaço Urbano
  • Orientador : WILZA GOMES REIS LOPES
  • Data: 31/07/2019
  • Mostrar Resumo
  • As praças, uma das tipologias de espaços livres públicos urbanos, são locus da vida cotidiana e palco das mais diversas manifestações sociais. Atuam nas cidades como elementos organizadores da forma urbana ao unirem destinos importantes e atraírem pessoas e atividades para o seu perímetro e entorno. Concentram as principais iniciativas de arborização das metrópoles brasileiras contribuindo diretamente para a qualidade do espaço urbano, pois valorizam estética e ambientalmente o lugar em que estão inseridas. Motivada então pela discussão do espaço público como elemento fundamental para o desenvolvimento sustentável das cidades, esta pesquisa analisa os aspectos morfológicos, culturais e ambientais de praças de Teresina, Piauí, com a finalidade de compreender qual o papel que estes espaços exercem atualmente no tecido urbano da capital. Fazem parte desta pesquisa, oito praças teresinenses, localizadas nos bairros que integram as quatro regiões administrativas da cidade, onde as Superintendências de Desenvolvimento Urbano – SDUs, as gerenciam e mantêm. A metodologia da pesquisa consiste na aplicação multimétodos, que nos estudos urbanos, é fundamental para estudar as cidades, já que estas apresentam territórios cada vez mais plurais. Portanto, a operacionalização desta pesquisa contou com abordagens: a) quantitativas, ao levantar o número oficial de praças existentes em Teresina e a infraestrutura presente nas oito praças que compõem este estudo b) descritiva, ao caracterizar a situação geral das praças do recorte, descrever as atividades, usos e apropriações percebidas através da observação direta nos espaços e apresentadas na forma de mapeamento comportamental e c) qualitativa, por apresentar as percepções da pesquisadora sobre o mobiliário existente nas praças e a discussão qualidade proporcionada por estes espaços livres públicos para a dimensão da vida coletiva em Teresina, relacionando aspectos populacionais e de renda dos bairros em que estão inseridas. Dentre os resultados, constatou-se que as praças perderam sua função primeira de local de encontro, permanência e conexão com os demais espaços da cidade, por estarem vazias por longos períodos de tempo durante o dia. O comércio formal e informal que se instala nestas e nas proximidades, faz com que estes sejam lembrados pela população como lugares de passagem ou com fins específicos relacionados ao comércio alimentício, principalmente. A Prefeitura Municipal não possui o número oficial de praças da cidade, mas mantém um documento público intitulado “Teresina GEO” que atualiza, ao passo que são levantadas, o quantitativo e localização das áreas verdes existentes na capital, categoria que engloba praças. Não há identificação em seis dos oito espaços estudados. Há praças descaracterizadas ou sem manutenção. Todas são arborizadas e as sombras proporcionadas, garantem permanência em curtos espaços de tempo. Medo, violência e segregação são elementos que surgiram ao longo da pesquisa e que revelam ser importante a reflexão destes aspectos no que tange o distanciamento dos teresinenses aos espaços públicos em questão. Por fim, contatou-se que as praças localizadas em bairros com menor faixa de renda apresentam usos mais diversificados por serem os únicos equipamentos existentes para atividades de lazer, reuniões, apresentações e manifestações religiosas.

  • FRANCISCA KAREN RODRIGUES FERREIRA
  • DIVERSIDADE DE FORMIGAS (HYMENOPTERA: FORMICIDAE) NA FLORESTA NACIONAL DE PALMARES E REPRESENTAÇÕES SOCIAIS SOBRE A MIRMECOFAUNA DE ESTUDANTES DO ENSINO MÉDIO NO MUNICÍPIO DE ALTOS – PI
  • Orientador : PAULO ROBERTO RAMALHO SILVA
  • Data: 15/07/2019
  • Mostrar Resumo
  • Unidades de conservação têm sido criadas em todo o mundo com o intuito de controlar a degradação ocasionada por atividades antrópicas. A exemplo tem-se a Floresta Nacional de Palmares em Altos – PI. Entretanto, somente a proteção por meio de legislação não é suficiente para conter tais mudanças, necessitando de outras estratégias que aliem o ambiente e a sociedade, como o monitoramento dessas áreas e medidas educativas. As formigas são consideradas um grupo relevante no monitoramento de áreas naturais, uma vez que são sensíveis às mudanças ambientais, tornando-se um grupo importante para a caracterização da qualidade do ambiente. Além disso, as formigas interagem com o homem instituindo-se então ideias e concepções que formas representações sociais oriundas do contexto social, educacional e culturação no qual se estabeleceram estas interações. Diante do exposto, objetivou-se caracterizar as representações sociais dos estudantes do Ensino Médio da Unidade Escolar Cazuza Barbosa, em relação às formigas presentes em áreas urbanas e rurais de Altos – PI, Brasil, bem como identificar a mirmecofauna edáfica e arborícola em duas áreas sob diferentes condições de conservação na Floresta Nacional de Palmares. Em relação a Representações Sociais, foram aplicados questionários semiestruturados a estudantes do Ensino Médio da Unidade Escolar Cazuza Barbosa, bem como realizou-se aula prática sobre importância, coleta, identificação de formigas em áreas urbanas e rurais. O estudo faunístico ocorreu através da coleta sazonal de formigas na Floresta Nacional de Palmares, por meio da utilização de três métodos amostrais. Os dados foram analisados através de técnicas qualitativas e quantitativas por meio de softwares estatísticos. Os resultados indicam que 37,2% dos estudantes atribuíram expressões negativas as formigas. Entretanto, há o reconhecimento de funções ambientais realizadas por estes insetos. Sentimento pelas formigas, raiva, nojo e medo foram mencionados. Os estudantes também souberam identificar com nomes populares formigas dos gêneros Pheidole sp., Solenopsis sp., Atta sp., Camponotus sp., Professores/escola, a mídia e a família são as principais fontes de conhecimento sobre os formicídeos. Com base no levantamento faunístico na Floresta Nacional de Palmares, foram coletados 3.763 espécimes de formicídeos, pertencentes a 9 subfamílias, 20 gêneros e 75 morfoespécies. Myrmicinae é a subfamília com o maior número de representantes. A trilha Cedro apresentou a maior diversidade de formicídeos, sendo que o gênero Pheidole sp. foi o mais frequente. Quanto à sazonalidade, 56,4% das formigas foram coletadas no período seco, nos meses de setembro de 2017 e junho de 2018 e o pitfall arborícola com atrativo, o carboidrato (doce de goiaba) representou 50, 6%. Esse estudo demonstrou que conhecer a relação que os estudantes com as formigas é uma alternativa para propostas de educação ambiental, pois estes insetos são importantes recursos didáticos para ampliar a relação do homem com a natureza, sendo também uma oportunidade de construir afetividade com o ambiente, propiciando o surgimento de hábitos ecológicos. Em relação a coleta faunística, pode-se considerar a importância desse estudo no Piauí, uma vez que permitiu o reconhecimento do impacto de atividades antrópicas em áreas de conservação, bem como a caracterização e valorização da mirmecofauna piauiense.

  • JUSSARA GONÇALVES SOUZA E SILVA
  • Efeitos da Assistência Técnica e Extensão Rural nas atividades socioprodutivas das mulheres do Território dos Cocais - PI
  • Orientador : JAIRA MARIA ALCOBACA GOMES
  • Data: 28/05/2019
  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa avaliativa tem como objeto de estudo o Projeto Semeando o saber feminino e agroecológico no Território dos Cocais/PI, desenvolvido nos anos de 2015 – 2017 pela Organização Não Governamental - ONG Centro de Educação e Assessoria Ambiental – CEAA, financiado pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário - MDA e Ministério do Desenvolvimento Social e Combate a Fome – MDS, conforme a chamada pública 002/2014 (MDA/DPMRQ). O projeto inaugura, no estado do Piauí, a prestação de serviços de Assistência Técnica e Extensão Rural específica para mulheres com ações direcionadas a organização socioprodutiva exclusivamente de grupos femininos. A pergunta que orienta o estudo é: Quais efeitos a política de ATER proporcionou quanto a organização socioprodutiva agroecológica das mulheres beneficiadas pelo projeto? Partindo da hipótese que a Assistência Técnica e Extensão Rural para mulheres contribuem com a organização produtiva e a construção de saberes socioambientais. Trata-se de uma investigação do tipo ex post fact que contempla critérios de eficiência, eficácia e efetividade da Política Nacional de ATER – PNATER, Lei 12.188/2010, materializada no projeto citado. Nesse sentido, a pesquisa objetivou avaliar a política de ATER para mulheres rurais no âmbito do Território dos Cocais. Especificamente, delinear perfil socioprodutivo das mulheres rurais participantes do projeto; analisar a eficiência da política no uso dos recursos do projeto; verificar a eficácia no cumprimento dos princípios da PNATER; analisar a efetividade do projeto na continuidade dos grupos produtivos. A estratégia metodológica passa pelos aspectos da implementação da política analisando elementos que construíram saberes com as mulheres, mas também considera a visão das beneficiárias em 2018 e 2019, para compreender a contribuição da política na permanência de saberes e práticas produtivas, sociais, políticas e ambientais entre as mulheres atendidas. Os resultados constatam que a política foi eficiente no uso dos recursos e na execução das atividades propostas; foi eficaz nos processos educativos das práticas agroecológicas, proporcionou acesso a mercados de ciclo curto e institucionais e inseriu mulheres em espaços políticos, foi efetiva na constituição de grupos produtivos agroecológicos.  Entretanto, a quantidade elevada de famílias por agente de campo; a descontinuidade das ações de ATER tem inibido o fortalecimento dos grupos para comercializar em diferentes mercados; e a morosidade burocrática do Sistema Informatizado de Avaliação de ATER – SIATER são aspectos que comprometem a política

  • LUIS HENRIQUE DOS SANTOS SILVA SOUSA
  • Rumo à Ecologia Industrial: um estudo da simbiose em indústrias de Teresina
  • Orientador : ELAINE APARECIDA DA SILVA
  • Data: 27/05/2019
  • Mostrar Resumo
  • A troca e venda de resíduos, o compartilhamento de instalações de utilidades e de tratamento de materiais, caracteriza a prática da simbiose industrial (SI). A SI pretende responder ao desafio do desenvolvimento sustentável como uma das ferramentas da ecologia industrial (EI), que propõe a analogia entre sistemas naturais e industriais. Este trabalho objetiva identificar as potencialidades e a ocorrência de SI em indústrias de Teresina. Para isso, foram realizadas visitas técnicas em 33 empresas, das quais foram analisados os processos produtivos, entrevistados gestores, funcionários e pontuados critérios relacionados à potencialidade de SI, com base na proposta metodológica de Trama e Magrini (2017). Também foi elaborado um estudo cienciométrico com a utilização do Portal de Periódicos da CAPES, da base Web Of Science e do software VOSviewer. Com o programa SAS, foi realizada uma análise estatística multivariada a partir dos dados coletados em campo. O estudo cienciométrico permitiu inferir que a temática vem ganhando espaço na literatura científica e é protagonizada por pesquisadores norte americanos. A Avaliação do Ciclo de Vida (ACV) e Análise do Fluxo de Materiais (AFM) são as duas ferramentas mais utilizadas para estudo e análise da EI. A partir da pesquisa de campo e do cálculo do potencial de estabelecimento de SI, os setores estudados com melhor desempenho foram: o de fabricação de materiais elétricos (68,59%), pneumáticos (62,23%) e gráfico (61,08%). Partindo da análise de fluxo dos materiais e de casos da literatura, foram propostas mais de 40 relações de SI. O estabelecimento destas, deve levar em consideração aspectos os técnicos e de gestão das empresas que precisam ser adequados. Isto corrobora com valor de potencial de SI da amostra total (45,76%). A análise estatística multivariada, apontou no estudo de agrupamentos, a existência de quatro grupos de empresas, o maior deles comporta 18 unidades da amostra, sendo estas as que menos se adequam aos aspectos investigados. A análise de componentes principais indicou graficamente que a maior parte das empresas não vêm incorporando à suas operações as práticas de gestão ambiental estudadas pela pesquisa. Por fim, a análise de correlação das variáveis não apontou a existência de correlações fortes entre elas, mas indicou relação positiva entre a execução de atividades de troca/venda de subprodutos com a utilização de sistemas logísticos disponíveis e a existência de práticas ambientais. A pesquisa conclui que a SI não deve ser o passo seguinte para muitas empresas de Teresina, a priori, elas precisam incorporar a aspectos como: a Política Nacional de Resíduos Sólidos, logística reversa, produção mais limpa, entre outros.


  • MAYKON RODRIGUES DE BARROS MOURA
  • COMUNIDADE PIONEIRA DE HERBÁCEAS EM DUNAS NO LITORAL DO NORDESTE: COMPOSIÇÃO, ESTRUTURA, ANATOMIA ECOLÓGICA E PERCEPÇÃO AMBIENTAL
  • Data: 29/04/2019
  • Mostrar Resumo
  • Os ambientes costeiros do Brasil têm sido fortemente impactados por conta das ações antrópicas, onde ocorre uma perda de sua biodiversidade de forma desenfreada. No estado do Piauí, mesmo possuindo a menor faixa litorânea do país, possuí por toda sua extensão, fisionomia de restingas, caracterizada por dunas móveis e fixas, campos herbáceos, campos alagados e campos frutícetos. Objetivou-se estudar a comunidade de herbáceas que colonizam dunas do litoral do Piauí, suas estruturas anatômicas que permitem seu estabelecimento e manutenção, assim como, a percepção ambiental da população local acerca das dunas móveis ao seu redor. Foram escolhidos dois pontos de coleta botânica, sendo o primeiro nas proximidades da Praia do Coqueiro, considerada como dunas em processos de antropização, e o segundo ponto na estrada que leva à praia do Macapá e Maramar, sendo estas dunas não antropizadas. A coleta do material seguiu metodologias especificas para cada objetivo, onde, para as análises fitossociológicas seguiu-se o método de parcelas, para as análises anatômicas o material foi coletado e fixado em FAA (formaldeído 50%, ácido acético, álcool etílico 50%). Para a coleta de dados sociais, utilizou-se de entrevistas semiestruturadas, tendo formulários como veículo de obtenção de dados, fotos e observação participante. O material botânico coletado foi armazenado no Herbário Graziela Barroso (TEBP), da UFPI e o material anatômico no Laboratório de Biologia Vegetal da UESPI, Campus Heróis do Jenipapo. Foi obtido um total de 27 espécies de plantas, distribuídas em 14 famílias, com destaque para as famílias Fabaceae e Poaceae, que obtiveram a maior quantidade de espécies. Das espécies que apresentaram alto valor de importância, Richardia grandiflora Britton, e Euploca polyphylla (Lehm) J.I.M. Melo & Semir, foram utilizadas em análises de anatomia foliar, onde foi identificado estruturas que permitem seu estabelecimento e adaptação nestes ambientes, como elevada quantidade de tricomas, estômatos com variações quanto ao tamanho e posição na lâmina foliar, bainha de Kranz, entre outros. Quanto aos dados sociais, foi identificado que a população possui conhecimentos de como ocorre a formação das dunas, assim como métodos para retardar o seu avanço adentro da comunidade. Concluiu-se que os ambientes de restinga do litoral do Piauí possui uma vegetação relativamente semelhante aos demais estados da região Nordeste, onde também é possível identificar que estas vegetações, de alguma forma, apresentam adaptações significativas para a sua sobrevivência e manutenção neste ambiente. A população que vive nesta região tem ciência de que a preservação da vegetação nas dunas é de suma importância para que as mesmas não avancem para dentro da comunidade, sensibilizando-os assim, para uma maior aproximação e contato com a natureza. Com a conclusão desta pesquisa, é gerado dados para subsidiar planos de manejo e conservação para esta região.


  • AIESKA NATASHA SUDARIO DE OLIVEIRA
  • A GESTÃO AMBIENTAL PÚBLICA E A EXPLORAÇÃO DE AGREGADOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL NO MUNICÍPIO DE TERESINA, PI
  • Orientador : DENIS BARROS DE CARVALHO
  • Data: 28/03/2019
  • Mostrar Resumo
  • A extração mineral é uma atividade relevante para a humanidade, pois, além de fornecer distintos insumos importantes, ainda auxilia na manutenção das relações comerciais. Dentre os diversos grupos de minérios explorados existe um grupo que é empregado diretamente na construção civil, alguns representantes desse grupo são: a areia, o cascalho e o seixo. Para que esses minerais sejam retirados da natureza são utilizados diferentes modelos extrativistas que, em geral, causam alterações negativas ao meio ambiente, dos quais, pode-se destacar a perda da vegetação nativa, o afugentamento da fauna local, a inserção de elementos contaminantes na natureza e a desestabilização do solo. Para que a mineração seja promovida de modo equilibrado faz-se necessário que os procedimentos de execução dessas atividades sejam efetuados em conformidade com as normas de licenciamento ambiental e também com os padrões técnicos estabelecidos. A fim de que a mineração possa produzir benefícios para toda a coletividade, em particular, para a população local, a gestão pública fica responsável por realizar ações de controle e planejamento para o setor. Ao considerar a interface entre o Homem, a mineração e o meio ambiente relevante para o desenvolvimento local, essa pesquisa objetivou: descrever a gestão institucional da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Recursos Hídricos de Teresina - SEMAM para realizar as ações de controle do setor minerário local; e identificar a inserção da atividade minerária no planejamento elaborado para o município. Para fundamentar os capítulos a pesquisa foi realizada no portal de periódicos Coordenação de Aperfeiçoamento Pessoal de Nível Superior-CAPES e também em websites de livre acesso, inclusive nos sites oficiais de órgãos públicos. O levantamento utilizou palavras-chaves específicas ligadas à execução das atividades de extração mineral. Como resultado, observouse que, mesmo após o surgimento da legislação ambiental, houve reduzido avanço direcionado à exploração minerária que prioriza a proteção ecossistêmica; para o estudo de caso, referente à gestão da SEMAM, foram utilizados os processos administrativos, relacionados à mineração, abrigados na instituição, e dados disponíveis nos sites da prefeitura, bem como os procedimentos fiscalizatórios contidos no Ministério Público do Estado do Piauí/MP-PI. O estudo demonstrou que a secretaria possui acentuada fragilidade institucional ocasionada por distintos fatores, dentre eles, destacam-se passar por constantes mudanças de gestores, apresentar ausência regimento interno, e possuir equipe técnica e instrumentos tecnológicos insuficientes; e, por fim, para descrever o planejamento municipal, elaborado para a atividade minerária, foram lidas as agendas de meio ambiente de Teresina, de 2015 e 2030, suas correspondentes revisões e atualizações. O artigo detectou que a exploração minerária, apesar de representar uma atividade de importância municipal, foi retratada de forma reduzida no planejamento de Teresina. De modo geral o estudo identificou que a mineração é uma atividade efetuada desde a época da colonização do Brasil e permanece como um setor econômico de importância para o país. Contudo as ações de gestão, controle e planejamento para promover o equilíbrio socioambiental, disponibilizadas pelo poder público, são tidas como insuficientes para a realidade do país que é representada por seus governos municipais como o de Teresina.

  • HILEANE BARBOSA SILVA
  • AVALIAÇÃO SOCIOAMBIENTAL DA MICROBACIA DO PARQUE AMBIENTAL LAGOAS DO NORTE, TERESINA, PI
  • Orientador : CARLOS ERNANDO DA SILVA
  • Data: 25/03/2019
  • Mostrar Resumo
  • O crescimento de muitas cidades brasileiras não foi acompanhado por um planejamento e provisão de infraestruturas adequadas, o que acarretou em uma série de problemas sociais e ambientais. A região conhecida como Lagoas do Norte em Teresina-PI, é um exemplo de como esse fenômeno pode afetar a qualidade do ambiente urbano. Atualmente, a área é alvo de intervenção do Programa Lagoas do Norte (PLN) que busca requalificá-la quanto aos seus aspectos urbanos e ambientais. O Parque Ambiental Lagoas do Norte (PALN), ao qual abrange as lagoas do Cabrinha, do Lourival e Canal da Vila do Padre Eduardo, surgiu como um dos primeiros resultados deste programa. Este trabalho objetivou avaliar as condições socioambientais da microbacia onde está localizado o referido parque. A qualidade das águas das lagoas e canal foi determinada mensalmente a partir de seis pontos de coleta, no período de agosto de 2017 a julho de 2018. Interpretou-se os resultados frente ao Índice de Qualidade da Água e aos limites estabelecidos pela Resolução CONAMA 357/2005, considerando os aspectos de precipitação, de demografia, infraestrutura sanitária e de uso e ocupação do solo da microbacia. Os pontos de coleta foram agrupados por meio da análise hierárquica quanto à similaridade das variáveis de qualidade da água. A percepção dos moradores em torno da qualidade das águas das águas do parque foi investigada a partir de uma abordagem qualitativa, com uso de entrevistas semiestruturadas para coleta dos dados. A seleção dos participantes foi feita pelo método “bola de neve” e a análise das entrevistas por meio da técnica de Análise de Conteúdo. Os resultados indicam processo avançado de urbanização, baixa porcentagem de áreas verdes e ampla cobertura de rede esgoto. Os pontos monitorados atendem à legislação na maior parte das amostragens, sendo a menor conformidade apresentada pelo ponto a montante do canal que está próximo a uma área sem cobertura de rede de esgotamento sanitário. Neste ponto, também se verifica os menores valores de IQA, enquanto que as maiores médias foram associadas a Lagoa do Lourival, seguida da Lagoa do Cabrinha e ponto a jusante do canal, não sendo identificado variação significativa entre as estações seca e chuvosa. A análise hierárquica permitiu a associação dos pontos monitorados em três grupos distintos, consoante a interpretação da qualidade da água. A percepção dos moradores em relação as águas do parque se deu como resposta aos aspectos visuais, a exemplo das condições sanitárias da área, presença de vida aquática e nos usos atribuídos as lagoas, e percebem a Lagoa do Lourival como detentora de melhor qualidade das águas, indo de encontro com os resultados do monitoramento. O estabelecimento de um programa de monitoramento permanente da qualidade das águas se torna importante a fim de verificar a adequabilidade das lagoas para diversos usos, em especial para recreação de contato secundário, tendo em vista o potencial turístico da região.

  • OCIVANA ARAUJO PEREIRA
  • Influência da Usina Eólica Testa Branca I e III sobre a avifauna, Piauí, Brasil
  • Orientador : ANDERSON GUZZI
  • Data: 25/03/2019
  • Mostrar Resumo
  • A energia proveniente das usinas eólicas é uma energia renovável e limpa com danos ambientais relativamente baixos quando comparada a outras fontes de energia. Entretanto, como qualquer empreendimento humano, as usinas eólicas causam impactos na natureza, e os estudos ambientais que buscam compreender sua influência sobre a biodiversidade são necessários. O conhecimento da diversidade é importante para sua preservação, sendo a educação ambiental um instrumento para sua divulgação. Assim, o presente trabalho tem por objetivos caracterizar a dinâmica das espécies de aves presentes na área dos Parques Eólicos Testa Branca I e III, no município de Ilha Grande/PI e compreender como os docentes do Ensino Fundamental Maior das escolas do entorno dos parques eólicos trabalham a diversidade local da avifauna na Educação Ambiental. O estudo da composição da avifauna ocorreu entre fevereiro de 2017 e julho de 2018. Para o levantamento foi utilizado as metodologias de ponto de escuta e rede de neblina. Foram registrados 9136 contatos visuais e 74 capturas por rede de neblina, de aves pertencentes a 102 espécies. A região apresenta flutuação na diversidade de aves de acordo com a cobertura vegetacional e o ciclo sazonal; quatro colisões de indivíduos da família Cathartidae foram registradas, defendendo a ideia de que as aves de grande porte são mais suscetíveis a acidentes com aerogeradores e a presença de espécies bioindicadoras das condições ambientais reforçam a necessidade de planejamento na implantação e operação dos parques. Para levantar os dados da Educação Ambiental foram realizadas entrevistas com os docentes do ensino fundamental maior do Município de Ilha Grande/PI. Ao final das entrevistas percebeu-se que os professores têm pouco envolvimento com a Educação Ambiental, que ocorre dissociada das disciplinas da grade curricular. Mesmo com a grande diversidade de aves registrada na região, os professores apresentam pouco conhecimento sobre o grupo, o que se reflete na pouca utilização das aves nas atividades educacionais.

  • CLEITON OLIVEIRA CARDOSO
  • AVIFAUNA MIGRATÓRIA DO LITORAL PIAUIENSE: INFLUÊNCIA DOS FATORES ABIÓTICOS NO CICLO ANUAL DE MIGRAÇÃO E GUIA DE CAMPO ILUSTRADO
  • Orientador : ANDERSON GUZZI
  • Data: 25/03/2019
  • Mostrar Resumo
  • O Brasil é referência mundial em biodiversidade de aves por apresentar grande diversidade de ambientes. Além de favorecer a diversidade de espécies residentes, tais características também tornam o Brasil uma importante rota de migração para muitas espécies. Aqui são reconhecidas 1919 espécies de aves, das quais 120 são visitantes e 66 têm ocorrência pontual ou mesmo acidental, sendo admitidas como vagantes. O objetivo geral foi levantar as espécies de aves migratórias ocorrentes no litoral piauiense e elaborar um material paradidático voltado para o público infantil. As coletas de dados foram realizadas em 10 pontos do litoral do Piauí, sendo um ponto situado no município de Ilha Grande, sete pontos no município de Parnaíba e dois em Luis Correia. Foram realizados levantamentos quali-quantitativos das aves migratórias de abril de 2009 a fevereiro de 2016 a partir da observação com binóculos e captura com redes de neblina. O guia ilustrado para crianças foi elaborado a partir de desenhos feitos manualmente das espécies de aves migratórias do litoral piauiense. Foram registradas 82 espécies de aves migratórias pertencentes a 13 ordens e 28 famílias, sendo 41 migrantes intracontinentais, 26 espécies visitantes do hemisfério Norte, 14 nômades e uma vagante. Observou-se diferença significativa entre os diferentes pontos amostrais. As espécies migrantes intracontinentais apresentaram maior ocorrência entre os meses de janeiro a julho, as visitantes do hemisfério Norte são mais abundantes no mês de novembro, diminuindo sua ocorrência a partir do mês de março. As espécies nômades foram constantes durante todos os meses do ano.

  • DAIHANA SOLEDAD ARGIBAY
  • REGIME DE FOGO NO MOSAICO CAPIVARA-CONFUSÕES (PI-BRASIL)
  • Orientador : GIOVANA MIRA DE ESPINDOLA
  • Data: 22/03/2019
  • Mostrar Resumo
  • Os incêndios representam uma ameaça contra os ecossistemas ao redor do mundo e são um
    fenômeno recorrente em ecossistemas semiáridos sazonais. O estudo do regime de incêndios
    em áreas protegidas representa potencial conhecimento para o entendimento da dinâmica do
    fogo e ações estratégicas de manejo. Nesse sentido, avaliaram-se os padrões do fogo em áreas
    protegidas no ecótono semiárido de vegetações de Caatinga e Cerrado no nordeste do Brasil,
    caracterizando-se as dinâmicas espaço-temporais associadas com condições climáticas e
    ecológicas. O objetivo geral desta dissertação é analisar o regime de fogo no Mosaico
    Capivara-Confusões e entorno, no período 1999-2017, visando subsidiar políticas de controle
    e manejo de fogo para a Caatinga. Para a análise foi utilizada a série temporal das imagens
    Landsat (resolução 30 m) disponíveis nos últimos 19 anos, e teve por objetivos específicos: i)
    gerar um banco de dados dos incêndios identificando e delimitando as cicatrizes; ii) analisar
    os padrões espaciais, temporais, sazonais e anuais da ocorrência e recorrência dos incêndios;
    iii) analisar a evolução espectral da vegetação em áreas queimadas recorrentemente; iv) e
    propor ações de orientação dirigidas para o Manejo do Fogo em Unidades de Conservação da
    Caatinga. Os resultados mostraram que 47,74 % da área foi queimada durante o período, o
    Parque Nacional da Serra das Confusões teve 302.644 ha queimadas, o Parque Nacional da
    Serra da Capivara queimou 2.056 ha, e o corredor ecológico queimou 215.718 ha. 36,04% dos
    fogos registrados foram durante a estação seca média, quase nenhum fogo aconteceu na
    estação seca inicial, enquanto a estação seca tardia e a estação chuvosa tiveram dimensões
    queimadas similares. Os anos que mais área foi queimada estiveram relacionados com a
    acumulação de anos secos (2007) ou com ENSO (2010, 2012, 2015). Encontramos para o
    período de estudo um padrão de um ano úmido com pouca área queimada, seguido de um ano
    seco com grandes extensões de área queimada (1999-2001, 2008-2010, 2010-2012). Áreas de
    alta recorrência foram sempre perto de estradas, assentamentos ou cidades e os fogos foram
    muitas vezes limitados pela topografia. O intervalo de recorrência de fogo foi sempre maior
    que dois anos, o que significa que uma área que queimou um ano vai delimitar a área que irá
    queimar no ano seguinte. Os padrões que descrevemos aqui constituem o primeiro passo para
    o entendimento dos regimes do fogo na região para estabelecer direções com o fim de
    melhorar estratégias de manejo e orientar políticas de mitigação na área.

  • AMANDA REJALMA MORAES ANDRADE
  • PERCEPÇÃO DE MORADORES E COMERCIANTES EM RELAÇÃO À PERTURBAÇÃO AMBIENTAL NO AÇUDE GRANDE DO MUNICÍPIO DE CAMPO MAIOR/PI
  • Orientador : DENIS BARROS DE CARVALHO
  • Data: 18/03/2019
  • Mostrar Resumo
  •  

    O termo Percepção Ambiental pode ser definido como a compreensão do ambiente pelo homem, ou seja, o entendimento do meio em que está inserido. O estudo aprofundado desse tema torna-se fundamental para o entendimento das interrelações entre o homem e o ambiente em que vive, suas expectativas, satisfações e insatisfações, valores e condutas, como cada indivíduo percebe, reage e responde frente às ações sobre os sistemas ecológicos. Assim, o trabalho em questão teve como objetivo verificar a percepção que os moradores e comerciantes de Campo Maior - Piauí possuem em relação à perturbação ambiental sofrida pelo Açude Grande, localizado na zona urbana do município. Para tanto, realizou-se uma pesquisa descritiva de caráter qualitativo, em que os indivíduos que residem ou possuem comércio no entorno do açude foram submetidos à entrevistas guiadas por um formulário previamente estruturado. Na análise das entrevistas, observou-se que a maioria dos moradores consegue perceber a existência de impactos negativos gerados pela população local no manancial. No entanto, mesmo percebendo os impactos sofridos pela manancial, esses indivíduos não se vêm como agentes participantes no processo de perturbação, pois não identificam as ações realizadas por eles como sendo não ecológicas, e atribuem essa responsabilidade à outra parcela da população e aos governantes. Portanto, cabe aos gestores públicos, inicialmente, analisar a qualidade da água do açude, investigar como a comunidade relaciona-se com o meio ambiente, identificar os obstáculos existentes, para, assim, traçar um diagnóstico sócio-ambiental que possa fornecer subsídios para a criação de políticas públicas, ações e projetos de gestão ambiental e educação sanitária para a população deste município. população na execução desses projetos. 

  • PATRÍCIA DA SILVA SOUSA
  • FATORES QUE INFLUENCIAM O CONHECIMENTO DA FLORA NATIVA DE ALUNOS DO ENSINO MÉDIO DO PIAUÍ, BRASIL
  • Orientador : CLARISSA GOMES REIS LOPES
  • Data: 28/02/2019
  • Mostrar Resumo
  • A nova época vivida pela sociedade no mundo urbanizado e informatizado está levando a população a apresentar o que os pesquisadores conhecem como desconexão com a natureza, apontada como principal fator para problemas ambientais, tanto de cunho físico como social, fisicamente pela fragmentação de habitats, homogeneização e perda de diversidade de Fauna, mas principalmente de Flora nativa, e socialmente pela perda de conhecimento em relação às as espécies locais e sua importância para o meio ambiente, principalmente da população mais jovem. Logo, o objetivo deste estudo foi verificar se fatores socioeconômicos de Teresina, como também os diferentes níveis de urbanização em cinco cidades afetam o conhecimento sobre flora nativa de estudantes do Ensino Médio do Piauí. Os indivíduos participantes dessa pesquisa foram 409 estudantes do 3º ano do Ensino Médio de escolas públicas estaduais distribuídos nas cidades de Teresina, Demerval Lobão, Monsenhor Gil, Amarante e Floriano. Para a coleta de dados foram utilizados questionários semiestruturados e estímulos visuais, conjunto de fotografias de 20 plantas escolhidas pela pesquisadora, 12 espécies vegetais nativas e oito exóticas encontradas na região de estudo. Os dados foram analisados por dois métodos: estatística univariada não paramétrica (Teste U de Mann-Whitney) e estatística multivariada (Agrupamento, ACP, Análise de correspondência e GLM). Os dois métodos estatísticos foram executados no software R versão 3.5.1, com nível de significância 5% (p≤0,05). Como resultados pode-se observar que no município de Teresina os estudantes que convivem mais com o campo conhecem um maior número de espécies tanto nativas como exóticas. As aulas de Botânica não estão contribuindo para um maior aprendizado do conteúdo de plantas em um contexto geral, principalmente ao que se refere às espécies nativas.  Cinco plantas foram as mais conhecidas neste municípios: Anacardium ocidentale L., Psidium guajava L., Talisia esculenta (A.ST.-HIL.) RADLK., Mangifera indica L. e Malpighia emarginata DC, três exóticas e duas nativas. Espécies de importância estadual e municipal como a Carnaúba (Copernicia prinifera (Miller) H.E. Moore) e o Caneleiro (Cenostigma macrophyllum Tul.) apresentam pouco ou praticamente nenhum conhecimento por parte dos estudantes de Teresina. Na análise de agrupamento realizada para os cinco municípios obteve-se a divisão da área de estudo em dois grandes grupos (Teresina e Floriano/ Demerval Lobão, Monsenhor Gil e Amarante), devido os dados sócio demográficos (Densidade, PIB e IDHM), como demonstrado pela ACP. A análise de correspondência demonstrou que distribuição do conhecimento das espécies ocorreu de maneira distinta, conforme a distribuição dos municípios. Os testes de GLM evidenciaram um predomínio do gênero masculino no conhecimento de determinadas plantas, como também a probabilidade maior de estudantes que convivem com áreas rurais conhecerem espécies nativas, enquanto nas áreas urbanas a possibilidade aumenta para as exóticas. Esse estudo demonstrou que quanto maior for o processo de urbanização destas cinco cidades piauienses estudadas, maior será a perda de conhecimento para as espécies locais. Faz-se necessárias estratégias de priorização e divulgação das plantas nativas por meio da Educação Ambiental, no ambiente escolar, para que os jovens consigam entender a importância ímpar destas plantas para a biodiversidade regional. 

  • NATANAEL JOSE DA SILVA
  • PADRÕES DE DIVERSIDADE BETA EM ASSEMBLEIAS PLANCTÔNICAS (Cladocera, Copepoda, Rotifera e Oomycota) E PERCEPÇÃO AMBIENTAL DA POLUIÇÃO EM DOIS RIOS URBANOS
  • Orientador : JOSE DE RIBAMAR DE SOUSA ROCHA
  • Data: 27/02/2019
  • Mostrar Resumo
  • A eutrofização é um fenômeno associado ao enriquecimento de nutrientes em ambientes aquáticos decorrente, em grande parte, da ação antrópica. Esse processo causa vários efeitos sobre a biodiversidade aquática, estendendo-se até as populações humanas. Considerando-se este fenômeno  como uma interface entre o Homem e o meio ambiente, esta pesquisa objetivou: descrever os padrões de diversidade beta para assembleias de cladóceros, copépodes, rotíferos e oomicetos nos rios Parnaíba e Poti; testar as diferenças entre esses padrões; testar as relações da diversidade beta com as variáveis ambientais e o potencial bioindicador das espécies e verificar a percepção ambiental da poluição nos rios Parnaíba e Poti noticiada na mídia eletrônica. Para o estudo da diversidade beta foi empregada a abordagem SDR-Simplex, utilizando-se os índices de dissimilaridade de Jaccard e Sørensen (presença/ausência) para oomicetos e Ruzicka (abundância) para o zooplâncton. Em relação às assembleias de oomicetos, a diversidade beta espacial e temporal apresentou altas taxas, obtendo maior contribuição da substituição de espécies.  Apenas o padrão de diferença de riqueza diferiu entre os rios. A dbRDA mostrou relação significativa entre os componentes da diversidade beta e as variáveis ambientais. Para as assembleias de cladóceros, copépodes e rotíferos, houve alta diversidade beta, dominada pela diferença de abundância. Os padrões de substituição e diferença de abundância diferiram entre os rios e foi observada correlação significativa das variáveis ambientais com a diversidade beta e a diferença de abundância. O IndVal identificou 23 espécies como indicadoras, destacando-se as espécies Brachionus caudatus, Filinia terminalis e B. angularis. Para o estudo da percepção ambiental foi utilizada a técnica Análise de Conteúdo. Foram considerados quatro segmentos sociais: jornalistas, autoridades, especialistas e populares. Das notícias, 73% se referiram ao rio Poti, onde a eutrofização é acentuada. O segmento jornalístico teve maior participação (90%); o de populares, a menor (23%). A análise gerou três categorias – “percepção da eutrofização”, “impactos da eutrofização” e “saneamento”. As palavras-chave mais frequentes foram “aguapé” (31,8%), “poluição” (17%) e “esgoto” (14,3%). Dos impactos, a proliferação de aguapés e o surgimento de doenças se destacaram. Das soluções, foi destacada a ampliação da rede de esgotos, em todos os segmentos considerados.  A pesquisa revela que as condições ambientais em que se encontram os rios influenciam a distribuição e diversidade beta dos grupos de organismos estudados. As espécies indicadoras refletem os impactos da ação antrópica sobre estes ambientes. As formas de percepção da eutrofização nos rios restringem-se aos impactos visíveis, como a presença dos aguapés, cuja retirada é a principal solução apontada pelos grupos para o problema. Assim, tanto a diversidade beta como a percepção social são ferramentas importantes no estudo de ambientes impactados pela ação antrópica, fornecendo um entendimento ampliado do problema.

  • RAELSON FILIPY MARTINS SANTOS
  • MIRMECOFAUNA (HYMENOPTERA: FORMICIDAE) DE PRAÇAS DE ALTOS/PI E SUA PERCEPÇÃO POR TRANSEUNTES
  • Orientador : PAULO ROBERTO RAMALHO SILVA
  • Data: 22/02/2019
  • Mostrar Resumo
  • Uma das principais consequências do processo de urbanização é a fragmentação dos habitats que causam impacto sobre a riqueza e a abundância de espécies, diminuindo também a possibilidade de que estas obtenham sucesso de dispersão. Formigas formam um grupo capaz de indicar a qualidade do ambiente, pois a grande riqueza de espécies e de táxons especializados, o fato de serem facilmente amostráveis e separados em morfoespécies e sua sensibilidade às mudanças ambientais, as tornam importantes para estudos sobre biodiversidade. Além disso, a interação homem e formiga agregam representações sociais resultantes de um contexto sociocultural. Objetivou-se realizar levantamento da mirmecofauna (Hymenoptera: Formicidae) de espaços livres no perímetro urbano do município de Altos/PI, e as percepções que os transeuntes da Praça Cônego Honório possuem em relação às formigas. Foram realizadas quatro coletas de formicídeos no período entre setembro de 2017 a maio de 2018, utilizando iscas de sardinha em quatro praças: Tunica Almeida, Santa Inês, Ferroviários e Cônego Honório. Após a triagem e identificação, contabilizou-se 38.533 espécimes distribuídos em quatro subfamílias (Myrmicinae, Dolichoderinae, Formicinae e Ectatominae) e onze gêneros (Solenopsis – Westwood, 1840; Pheidole – Westwood,1839; Crematogaster – Lund, 183;, Atta – Fabricius,1804; Cephalotes – Latreille, 1802; Linepithema – Mayr, 1866; Dorymyrmex – Mayr, 1866; Azteca – Forel, 1878; Paratrechina – Motschousky, 1863; Camponotus – Mayr, 1861 e Ectatoma – Smith, 1858). Myrmicinae foi a subfamília com maior quantidade de indivíduos coletados, com um total de 86% e o gênero Solenopsis foi o mais abundante (53,2%). Apenas Paratrechina longicornis (Latreille, 1802) foi a única espécie identificada, visto que o material encontra-se em processo de identificação na Universidade Federal de Uberlândia.  Utilizando a série de Hill, Diagrama de Whittaker, índice de Shannon-Wiener e equitatividade, comprovou-se que a Praça dos Ferroviários possui elevada riqueza e abundância e a Praça Cônego Honório tem maior probabilidade de ocorrência de espécies raras e equabilidade. Foram aplicados questionários semiestruturados com os transeuntes e a análise ocorreu pelo método da análise de conteúdo. Os transeuntes possuem percepções negativas sobre este grupo de insetos, e boa parte dos problemas com eles estão relacionados ao ambiente doméstico. Os voluntários também notam que no período chuvoso há um aumento do número de formigas, e as experiências cotidianas foram citadas como principal fonte de informações sobre o táxon. Trabalhos envolvendo a família Formicidae são escassos e há a necessidade de mais estudos relacionados ao levantamento da mirmecofauna e de trabalhos sobre percepção em relação a estes organismos no Piauí.

  • ANDRÉIA DE CARVALHO SANTOS
  • Efeito da conversão de ecossistemas naturais sobre assembleias de borboletas e a percepção de professores sobre educação ambiental em áreas naturais protegidas
  • Orientador : PAULO ROBERTO RAMALHO SILVA
  • Data: 21/02/2019
  • Mostrar Resumo
  • Áreas naturais protegidas são consideradas a principal ferramenta de proteção da diversidade biológica e têm se destacado como espaços apropriados para a promoção da Educação Ambiental (EA). Florestas secas tropicais estão entre os ecossistemas mais ameaçados do mundo, contudo, são raramente protegidas, e pouco se sabe sobre sua biodiversidade. Além disso, o uso de áreas naturais protegidas para a EA é ainda frequentemente ignorado. Assim, este estudo teve como objetivo verificar como a conversão de ecossistemas florestais afeta a estrutura de assembleias de borboletas e avaliar a percepção de professores sobre EA em áreas naturais protegidas. No estudo, a perturbação ambiental levou a um aumento da diversidade beta, formando comunidades altamente aninhadas, e afetando principalmente espécies especialistas. Além disso, foi demonstrado que sistemas agrícolas mantem comunidades relativamente similares ao longo do tempo, enquanto ecossistemas florestais apresentam alta substituição de espécies. A percepção dos professores sobre o uso de áreas naturais protegidas para EA foi, em geral, positiva. Contudo, demonstraram menor apoio à prática efetiva de EA nessas áreas. Os resultados sugerem que o nível de relacionamento dos professores com a natureza não foi forte o suficiente para promover atitudes ambientais significativas, o que pode estar refletindo na forma como os professores veem o uso de áreas naturais para o ensino. Assim, dado o valor de florestas secas para a conservação, é sugerido que mais e maiores reservas são necessárias para a proteção da biodiversidade. Além disso, diante da relevância da interação com a natureza, é imprescindível que as pessoas a vivenciem, a fim de criar laços emocionais e estilos de vida ambientalmente responsáveis.

  • FABRICIO NEVES DE SÁ
  • Análise interdisciplinar do sistema de energia solar fotovoltaica do Instituto Federal do Piauí – Campus Floriano
  • Orientador : FRANCISCO FRANCIELLE PINHEIRO DOS SANTOS
  • Data: 18/02/2019
  • Mostrar Resumo
  • As fontes de energia renováveis, como a energia solar fotovoltaica (ESF), surgem como uma alternativa para amenizar a pressão sobre os recursos naturais. Sob o viés ambiental, a ESF apresenta baixos impactos durante sua operação e instalação, sendo importante ficar atento aos impactos na fabricação e no descarte dos módulos fotovoltaicos. A tendência é que os custos de implantação dessa forma de energia continuem diminuindo, apesar de ainda serem relativamente altos. O presente trabalho propõe-se a analisar o sistema fotovoltaico conectado à rede (SFCR) do Instituto Federal do Piauí, Campus Floriano, dentro dos aspectos ambientais e econômicos, bem como seus resultados no contexto educacional vinculado aos projetos de ensino, pesquisa e extensão. Para isso, foi realizado o monitoramento da produção e do consumo de energia do Campus, no primeiro ano, bem como o cálculo do CO2 evitado nesse período. Para a análise dos projetos, foram realizadas entrevistas com seus respectivos coordenadores, através de questionários, a fim de conhecer os resultados, assim como a influência da implantação do SFCR do Campus na criação desses projetos. Foi analisado, também, o conhecimento da comunidade acadêmica sobre a temática, também através de questionários. Verificou-se que no primeiro ano de operação (2016-2017), o SFCR produziu um total de 255.991 kWh, atendendo a 32,44% do consumo do Campus. A economia nesse período foi de R$ 84.047,09, gerando um Valor Presente Líquido de R$ 468.562,90 ao final da vida útil do sistema (25 anos) e payback estimado em 18 anos. Quanto ao benefício ambiental, o Campus deixou de emitir 123,44 toneladas de CO2 na atmosfera nesse primeiro ano de operação. No contexto do ensino, pesquisa e extensão, constatou-se que a implantação do SFCR do Campus influenciou a criação de diversos projetos. Quanto ao conhecimento da comunidade acadêmica acerca da temática da energia solar, observou-se que entre os cenários de professores e alunos, não houve tanta discrepância, exceto no quesito “funcionamento básico da ESF”, no qual os docentes apresentaram, em sua maioria, maior entendimento. Conclui-se que o investimento feito pela Instituição possui viabilidade econômica, apesar do alto tempo de retorno. É necessário que o IFPI continue com a política de fomento em pesquisa e extensão, o que pode trazer benefícios para a Instituição e a sociedade. É importante, também, que o Campus Floriano planeje o destino ambientalmente correto dos módulos fotovoltaicos ao final da sua vida útil.

2018
Descrição
  • ÉLISSA TAVARES DUARTE CAVALCANTE
  • A REALIZAÇÃO DE SIMBIOSE NO DISTRITO INDUSTRIAL DE TERESINA-PI
  • Orientador : FRANCISCO FRANCIELLE PINHEIRO DOS SANTOS
  • Data: 20/08/2018
  • Mostrar Resumo
  • Resíduos sólidos têm sido tema de debate em escala global por ser uma problemática crescente diante da finitude dos recursos naturais. A atual racionalidade predominante na ordem do fluxo de materiais provenientes do consumismo inconsciente corrobora para o aumento dos resíduos com o consumo exacerbado, a extração de recursos naturais sem pensar nas gerações futuras e uma produção focada no ganho econômico. As organizações, empresas públicas e privadas são responsáveis por mais de 50% dos resíduos gerados (BIN, 2015), por isso tem que reunir esforços para uma solução que não seja um descarte inapropriado. É preciso otimizar a utilização de materiais gerando ganhos econômicos, sociais e ambientais. O objetivo geral desta dissertação é analisar o processo de gestão dos resíduos sólidos do Distrito Industrial de Teresina, capital do Piauí a partir da institucionalização da Política Nacional de Resíduos Sólidos – PNRS (Lei 12.305/2010) e a adequação da responsabilidade empresarial. Os objetivos específicos são: analisar a gestão integrada de resíduos industriais; compreender o Distrito Industrial de Teresina-PI a luz da gestão de seus resíduos; caracterizar os mecanismos de gestão ambiental adotados pelas empresas; identificar a possibilidade de aplicação da simbiose industrial no Distrito Industrial de Teresina. Para isto, esta pesquisa utiliza como base os conceitos de ecologia industrial, com foco em uma de suas ferramentas, a simbiose industrial. Foi realizado um levantamento bibliográfico para base teórica e
    percepção da abordagem do tema pela comunidade científica tendo como principais autores desta pesquisa Barbieri (2007), Karkotli (2007), Oberlaender (2016).A pesquisa de campo foi realizada através de um levantamento de dados das empresas do Distrito e seus respectivos resíduos gerados, bem como a identificação das ferramentas para seu gerenciamento. Esta pesquisa avaliou a capacidade de realização de simbiose industrial, a partir de uma matriz de geração e recebimento de resíduos do DI de Teresina. Foram visitadas 20, das 82 empresas, de modo que se obteve uma amostra heterogênena que representasse cada ramo de atuação das empresas que compõem o Distrito Industrial. O Distrito Industrial tem 31 tipos diferentes de serviços e produtos, destacando-se a prestação de serviços de telemarketing, alimentos e construção civil. Foi aplicado questionário semi estruturado para levantamento dos tipos de resíduos gerados e a análise dos dados foi realizada utilizando planilhas para que se pudesse ter como resultado desta pesquisa um produto de uma matriz sistematiza que relaciona possíveis compradores com seus respectivos vendedores possibilitando a contemplação de futuras transações comerciais que venham a caracterizar uma simbiose industrial. Foi desenvolvido um ranking de sustentabilidade com as empresas participantes dentro de critérios sugeridos pela pesquisa. Observou-se grande potencial de se desenvolver simbiose industrial ao tempo que existe pouca preocupação dos gestores com as questões ambientais, e ainda as empresas que realizam ações de sustentabilidade não o fazem com objetivos
    estratégicos.

  • GABRIELA CAROLINE COELHO SILVA
  • POTENCIAL POLUIDOR DO EFLUENTE DA ALEVINAGEM DA TAMBATINGA (Colossoma macropomum x Piaractus brachypomus) E ALTERNATIVAS DE REUSO, EM NAZÁRIA-PI, BRASIL
  • Orientador : CARLOS ERNANDO DA SILVA
  • Data: 29/06/2018
  • Mostrar Resumo
  • Nos últimos anos, os estudos com foco ambiental têm se destacado em grandes centros de pesquisa do mundo, sobretudo, os referentes à água, que é um dos recursos essenciais à vida e que está sendo impactado pelo descarte indevido de efluentes domésticos e industriais, como os originados da aquicultura. Os setores de reprodução, alevinagem e engorda da aquicultura são responsáveis por lançar efluentes com cargas orgânicas, fósforos e compostos nitrogenados, que causam impactos nos ecossistemas aquáticos. A cadeia produtiva da aquicultura, no estado do Piauí, é completa e destaca-se o cultivo da espécie tambatinga (Colossoma macropomum x Piaractus brachypomus) pois adaptou-se de forma positiva ao manejo na região. O presente estudo teve como objetivo avaliar o potencial poluidor nos recursos hídricos dos efluentes da alevinagem e de seu reuso. Essa estação fornece alevinos de tambatinga subsidiado para os produtores aquícolas do estado do Piauí. Em 2017, operou, apenas, com 39% da sua capacidade produtiva, resultando em um total de 781.000 alevinos. Observou-se que os efluentes desse empreendimento público não recebem nenhum tipo de tratamento para seu descarte, sendo identificadas características físico-químicas e microbiológicas do efluente in natura. Foi analisada a variação da qualidade da água nas diversas etapas do manejo em 12 ciclos de produção da alevinagem, no período de janeiro a maio de 2017. Foram realizadas análises físico-químicas da água, tais como pH, fósforo total, demanda bioquímica de oxigênio (DBO), oxigênio dissolvido (OD), nitrato, temperatura, bem como análise microbiológica Escheria coli (E. coli). Observou-se que os efluentes da alevinagem de tambatinga são potencialmente poluidores quanto ao fósforo total, oxigênio dissolvido, nitrato, carga orgânica e o pH e, dependendo da capacidade assimilativa do corpo hídrico receptor, podem causar severos danos ambientais. Verificou-se na pesquisa que o reuso do efluentes da alevinagem de tambatinga na agricultura possui vantagem em oposição ao consumo da água do rio Parnaíba, na região de Nazária, principalmente quanto a presença dos nutrientes de fósforo e nitrato. Os resultados obtidos desse trabalho servem como um apoio para gestão dos usos múltiplos dos recursos hídricos pelos órgãos públicos.

  • JOANICE COSTA AMORIM
  • ETNOICTIOLOGIA E PLANTAS UTILIZADAS NA ATIVIDADE DE PESCA EM CASTELO DO PIAUÍ, PIAUÍ, BRASIL
  • Orientador : IVANILZA MOREIRA DE ANDRADE
  • Data: 27/03/2018
  • Mostrar Resumo
  • As comunidades tradicionais integram grupos de pessoas com culturas diferentes que possuem organização social própria, que se utilizam dos recursos naturais, bem como do meio cultural, social e religioso, realizando a transmissão de seus conhecimentos e práticas aos seus descendentes. Os pescadores artesanais fazem parte de uma dessas comunidades, fazendo uso do seu conhecimento para a prática da pesca, principalmente como meio de subsistência. O conhecimento da diversidade, preservação e conservação de peixes e plantas usadas por pescadores, e o registro e valorização do saber acumulado pelas populações, fornecem argumentos importantes à preservação destas comunidades e de seus habitats. Portanto, objetivou-se estudar o perfil socioeconômico dos pescadores associados à colônia de pescadores Z-9, levantar o conhecimento etnobotânico quanto à utilidade das plantas na atividade pesqueira e para os peixes do município de Castelo do Piauí e obter informações sobre as vivências, lendas contadas e a histórias de vida dos contos nos saberes locais. Foram realizadas entrevistas semiestruturadas utilizando as técnicas de “turnê-guiada” para coleta do material botânico e zoológico. Os métodos quantitativos utilizados foram Valor de Uso, índice de Shannon e o método de rarefação para o conhecimento etnobotânico e etnozoológico. Além do Fator de Consenso do Informante (FCI), Importância relativa (IR), e a Frequência Relativa e Absoluta. Dos 55 informantes, 52,7% são do gênero masculino e 47,3% feminino, com idade média de 45 anos. A maioria é adultos e casados ambos com 81,8% dos entrevistados. Registrou-se 64 espécies pertencentes a 54 gêneros e 30 famílias.  Fabaceae foi a família mais citada em número de espécies (12). Foram registradas nove categorias de usos, tais como, alimentícias para os peixes (42 espécies), confecção de apetrechos de pesca (13), daninhas (10), berçário (9), construção de embarcações (8), abrigo para desova (8), refúgio (5), tóxicas (5) e atrativas (4). Quanto ao VU podem ser destacadas Hymenachne amplexicaulis, Megathyrsus maximus e Urochloa mutica, apresentando mesmo valor de uso (VUgeral = 2,00; VUatual =1,60 e VUpotencial = 0,40). Os pescadores do município de Castelo do Piauí possuem conhecimento sobre lendas como as do Cabeça-de-Cuia, Mãe-d’água e Lobisomem, além das visagens com objetos voadores e relatos pessoais de suas histórias de vida. Quanto às espécies de peixes foram encontradas 49 espécies, distribuídos em 33 gêneros e 20 famílias, distribuídas em três categorias de uso, alimentícia, comercial e medicinal. Quanto ao uso dos peixes pelos entrevistados foram citados espécies consideradas medicinais (Potamotrygon signata (Garman, 1913)) e reimosas (Pseudoplatystoma fasciatum (Linnaeus, 1766)). Dessa forma, pode-se dizer que estes pescadores possuem um vasto conhecimento etnoictiológico e sobre a flora utilizada pelos peixes, o qual poderá ser usado para ajudar na preservação destes recursos, e contribuir com a melhoria das condições de trabalho.

  • SUELY SILVA SANTOS
  • IMPACTOS AMBIENTAIS DO PERÍMETRO IRRIGADO TABULEIROS LITORÂNEOS DO PIAUÍ SOBRE A AVIFAUNA
  • Orientador : ANDERSON GUZZI
  • Data: 27/03/2018
  • Mostrar Resumo
  • A diminuição de ambientes preservados devido à intensificação da agricultura desenfreada ameaça alterar ainda mais os ecossistemas, afetando diretamente as aves. Os impactos causados por esse tipo de empreendimento sobre a avifauna é um dos temas ambientais pouco estudado. Nesse contexto, objetivou-se identificar os impactos ambientais sobre a avifauna da área do Perímetro Irrigado Tabuleiros Litorâneos do Piauí - DITALPI no município de Parnaíba, e registrar os saberes etnoornitológicos e ambientais na comunidade Quilômetro 16. O levantamento foi quali-quantitativo. Para o levantamento da avifauna, utilizou-se o método de transecto linear. Além dos registros visuais e auditivos da avifauna, houve também a captura e anilhamento de alguns indivíduos. Os dados junto à comunidade foram coletados por meio de entrevistas semiestruturadas com residentes locais. Antes da execução, o trabalho foi aprovado no Comitê de Ética em Pesquisa Humana da UFPI/Parnaíba (CAAE 66836217.3.0000.5214). Ao fim dos quatro períodos amostrais foram registradas 140 espécies. A área possui uma composição avifaunística rica e diversa, sendo maioria das espécies residente, insetívora e apresenta baixa sensibilidade a alterações ambientais. No entanto, foram registradas espécies dependentes de ambientes florestais, migratórias, e com algum nível de ameaça. Quanto aos aspectos etnoornitologicos, resultados consistiram 71 pessoas entrevistadas 42 (70%) do gênero masculino e 24 (48%) do gênero feminino com idades entre 18 e 83 anos. Segundo entrevistados, na área de estudo foram contatadas 1493 aves que corresponde a 21 ordens, 35 famílias, 80 espécies. Os homens conhecem mais espécies da avifauna local do que as mulheres. Um percentual bastante representativo (77%) dos entrevistados reportou que o desmatamento foi o principal fator apontado para explicar a redução das aves na região. Em relação a implantação e ampliação do projeto, os entrevistados apontaram que teve aspectos positivos como geração de renda, no entanto considerando os aspectos ambientais os moradores reconhecem a degradação que esse crescimento ocasiona, como o declínio na quantidade de algumas aves e ausência de outros animais na região. Os resultados apontam que a área está sofrendo impacto ocasionado principalmente pela degradação ambiental, devido ao intenso desmatamento e ação antrópica. A população local também apresentou forte conhecimento em relação ao uso destes animais como: recurso trófico, medicinal, sócio afetivo e econômico. E que mesmo os moradores reconhecendo a existência de declínio na quantidade de algumas aves, a prática de manter as aves como animais de estimação, caça e o comércio é presente na região, indicando a importância de medidas mitigatórias e realização de estratégias de conservação.

  • PAULO GUSTAVO DE ALENCAR
  • Cajucultura no Semiárido piauiense: sistemas agrários e dinâmica espacial
  • Orientador : GIOVANA MIRA DE ESPINDOLA
  • Data: 23/03/2018
  • Mostrar Resumo
  • A cajucultura é reconhecida como uma das principais atividades econômicas para o Estado do Piauí, principalmente pela geração de trabalho, renda e divisas em situações adversas. O cajueiro é considerado uma planta resistente e adaptada ao Semiárido, onde localiza-se a área de estudo da presente pesquisa. A cajucultura tem passado por diversas crises que resultaram na redução da área plantada no Piauí. A atividade foi incluída como prioritária em ações de desenvolvimento sustentável coordenadas pelos governos do Estado para o território Vale do rio Guaribas. As ações institucionais atualmente têm sido pontuais e desarticuladas, e dificultam a viabilização das estratégias de recuperação da cajucultura. A presente pesquisa tem como objetivo geral avaliar a dinâmica da atividade da cajucultura nos municípios interligados pelas rodovias BR-020 e BR-230/316, visando a compreensão da sua importância para o desenvolvimento sustentável do Semiárido piauiense. São objetivos específicos discutir o conceito de agricultura sustentável para o Semiárido, levantar o histórico de introdução da atividade na área de estudo, realizar um diagnóstico dos sistemas agrários da cajucultura e fazer o mapeamento e a análise espaço-temporal da cajucultura na área de estudo. A metodologia pautou-se em uma análise sistêmica e interdisciplinar onde foram associados dados de pesquisa qualitativa obtidos em entrevistas e observações de campo, dados de revisão bibliográfica, dados de instituições oficiais e análise de dados espaciais e de sensores remotos. As discussões sobre a convivência com o Semiárido delimitam princípios, estratégias, diretrizes e tecnologias para o desenvolvimento territorial sustentável. A expansão da cajucultura para o Semiárido piauiense ocorreu com adoção de estratégias diferenciadas, com subsídios para as empresas e estimulo dos pequenos produtores por meio da rede de assistência técnica e oferta de crédito. A expansão dos pequenos e médios plantios ocorreram em função da expectativa de geração de renda. A instalação de agroindústrias para o processamento do pedúnculo em municípios da área de estudo tem gerado trabalho e renda nos diversos segmentos da cadeia produtiva. Os produtos agroindustrializados ainda são pouco diversificados e o mercado da matéria prima continua controlado pela rede de atravessadores. A concentração fundiária e a pulverização das terras dos agricultores familiares são entraves para o desenvolvimento de uma cajucultura sustentável. A dinâmica da atividade tem sido marcada pelo impacto inicial das áreas extensivas sobre a Caatinga, seguido de redução das áreas extensivas empresariais e expansão da cajucultura familiar, a substituição do cajueiro comum pelo anão-precoce, a disseminação do uso de agrotóxicos e a mecanização excessiva. O desenvolvimento da cajucultura dentro da perspectiva de desenvolvimento sustentável exige mudanças estruturais, como a desconcentração fundiária, e adoção de medidas que permitam o fortalecimento da agricultura familiar, como a disseminação das pesquisas científicas consolidadas, adequação das estratégias de concessão de crédito ao planejamento de desenvolvimento da cajucultura estadual, disponibilização de assessoria técnica e capacitação para os processos de gestão e produção orgânica e a adoção de sistemas produtivos mais diversificados e estáveis.

  • ILANA MARTINS RIBEIRO DE CARVALHO
  • SUSTENTABILIDADE NAS HABITAÇÕES DE INTERESSE SOCIAL: ANÁLISE DO RESIDENCIAL JACINTA ANDRADE, EM TERESINA, PIAUÍ
  • Orientador : WILZA GOMES REIS LOPES
  • Data: 23/03/2018
  • Mostrar Resumo
  • O crescimento populacional, associado ao intenso processo de urbanização, alterou de forma significativa a morfologia das cidades, tornando-as palco de graves problemas sociais, dentre eles o alto déficit por moradia. Diante deste quadro, foram elaboradas sucessivas políticas habitacionais que, apesar de contribuírem para a redução quantitativa do déficit por moradia, através de programas sociais como PAC e PMCMV, ainda se mostram incapazes de promover o acesso à adequado à habitação e à própria cidade. Diante do exposto, a presente pesquisa tem como objetivo analisar os efeitos gerados pela implantação de conjuntos habitacionais de interesse social, com enfoque no Residencial Jacinta Andrade, na cidade de Teresina. Buscou-se, inicialmente, reconhecer a relação entre as políticas habitacionais de interesse social e a produção do espaço urbano da capital, a partir de pesquisas bibliográfica e documental, utilizando-se também de imagens dos satélites Landsat 5 (1984-1993), Landsat 5 TM (1984-2002), Landsat 7 ETM+ (1999-2013) e Landsat 8 OLI (2013-2017), referentes ao período de 1984 a 2017. Em um segundo momento, buscou-se diagnosticar as necessidades e percepções dos moradores do Residencial Jacinta Andrade sobre as condições de moradia, infraestrutura e serviços urbanos locais, a partir da aplicação do formulário com 103 residentes. Constatou-se que, não obstante pequenas variações (em especial nas décadas de 1980 e 1990), grande parte dos conjuntos habitacionais construídos na cidade de Teresina foram locados na periferia urbana, onde o custo do solo é economicamente menor. As consequências são visualizadas no agravamento da segmentação e da desarticulação do espaço urbano, bem como na geração de gastos excessivos para o poder público, que precisa arcar com os altos custos da expansão da infraestrutura para atender à nova demanda. No caso do Residencial Jacinta Andrade, diagnosticou-se que, quanto ao aspecto “Moradia”, a avaliação dos residentes é positiva, ainda que tal resultado aparente estar relacionado à condição da propriedade como imóvel próprio, e não necessariamente quanto à sua capacidade de garantir conforto e qualidade de vida. Quanto à “Infraestrutura e Serviços urbanos” houve variações: questões como abastecimento de energia elétrica e serviços de coleta de lixo surpreenderam ao satisfazer a mais de 85% dos moradores, enquanto a segurança e disponibilidade de áreas de lazer foram avaliados negativamente por mais de 83% dos residentes. Assim, a análise do custo/benefício do empreendimento em solucionar, ou ao menos minimizar o déficit habitacional de Teresina, conforme apresentou-se na sua proposta de construção, envolve não apenas aspectos quantitativos relacionados à construção de grande quantidade de unidades de domicílio, mas também na capacidade do poder público de ofertar condições de moradia adequada e acesso às beneficies ofertadas pelas cidades.

  • VANESSA FERNANDA DA SILVA SOUSA
  • DIVERSIDADE TAXONÔMICA E FUNCIONAL DA VEGETAÇÃO LENHOSA DO JARDIM BOTÂNICO DE TERESINA E ANÁLISE DA PERCEPÇÃO AMBIENTAL
  • Orientador : ANTONIO ALBERTO JORGE FARIAS CASTRO
  • Data: 16/03/2018
  • Mostrar Resumo
  • A caracterização da estrutura da vegetação de um local e também a diversidade funcional de uma espécie ou comunidade de um determinado ambiente, constituem importantes estratégias de conservação ambiental, pois permitem uma maior compreensão sobre a estrutura, dinâmica, padrão e diversidade funcional existente dentro e entre as comunidades vegetais. Em unidades de conservação, além do conhecimento sobre a vegetação, a percepção dos visitantes em relação a estes espaços também constitui uma estratégia conservacionista eficiente, pois permitem compreender a interação do homem com o meio ambiente. Desse modo, o presente trabalho teve como objetivo caracterizar a estrutura da vegetação arbustivo-arbórea do Jardim Botânico de Teresina e também analisar os traços funcionais das espécies mais dominantes da área, buscando relacionar diversidade taxonômica e diversidade funcional. Objetivou-se também verificar a percepção ambiental dos professores que frequentam o Jardim Botânico de Teresina, elencando seus principais atrativos, aspectos negativos e sugestões de melhoria. Para a etapa de percepção realizou-se entrevistas semiestruturadas com os docentes. Para o levantamento florístico e fitossociologia, utilizou-se o método de parcelas. Já para o estudo da diversidade funcional realizou-se a análise de traços morfológicos, reprodutivos e vegetativos das espécies por meio de pesquisa bibliográfica. Os resultados demonstraram que a área é bastante diversa, tanto taxonomicamente quanto funcionalmente. O levantamento taxonômico registrou 2.107 indivíduos, distribuídos em 32 famílias, 57 gêneros. Destes, 63 (66,3%) foram determinados ao nível de espécie, 8 (8,3%) ao nível de gênero, 12 (12,6%) até o nível de família e 13 (13,6%) ainda não foram determinados botanicamente. Fabaceae e Myrtaceae foram as famílias mais representativas em número de espécies e de indivíduos e Parkia platycephala foi a espécie com maior Valor de Importância (VI). Funcionalmente a área se mostrou bastante diversa, apresentando uma riqueza funcional de 9,57 (Friq). A parcela dez a que teve a maior equitabilidade (Feve= 0,74), a parcela sete teve a maior divergência (Fdiv= 0,77). A parcela mais rica taxonomicamente (3) também foi a que apresentou a maior diversidade funcional (Rao=3.53). Traços como área foliar e densidade da madeira demonstraram que taxa de atividade fotossintética é alta entre as espécies e que as mesmas encontram-se bem adaptadas àquele ambiente. Já o estudo da percepção evidenciou que o JBotT é a primeira escolha dos visitantes se comparados a outros parques da cidade. A vegetação foi considerada o maior atrativo do parque pelos visitantes docentes. O apego e o senso de responsabilidade pelo parque são os sentimentos mais citados pelos visitantes.

  • ANÁRYA TERESA DE FREITAS ROCHA
  • ANÁLISE ESPACIAL DA OCORRÊNCIA DE LEISHMANIOSE VISCERAL E AS CONDIÇÕES DE VULNERABILIDADE SOCIAL E URBANA EM TERESINA – PI
  • Orientador : JOSE DE RIBAMAR DE SOUSA ROCHA
  • Data: 16/03/2018
  • Mostrar Resumo
  • A leishmaniose visceral (LV) é causada pelo protozoário Leishmania infantum e transmitida
    pelo vetor Lutzomyia longipalpis. A doença está relacionada com uma rede complexa de fatores,
    dentre eles, ambientias, scioeconomicos e de infraestrututa urbana. Neste estudo, objetivou-se
    analisar a associação dos fatores socioeconômicos e de infraestrutura urbana e a distribuição de
    fatores espaço-temporal da leishmaniose visceral no período de 2007 a 2016 na cidade de
    Teresina, Piauí. Foram utilizados para a análise o número de casos notificados de leishmaniose
    visceral residentes em Teresina. Os mapas de distribuição espaço-temporal foram elaborados
    utilizando os valores dos casos normalizados pela área do bairro. Os indicadores normalizados
    foram calculados e utilizados na construção de indicadores de vulnerabilidade de estrutura
    social, de estrutura domiciliar e de infraestrutura urbana, e a partir deles foi construído um
    índice de vulnerabilidade composto. O índice de Moran Gloral Bivariado foi utilizado para
    verificar a existência de autocorrelação espacial entre a incidência da leishmaniose visceral e
    os indicadores sintéticos e índice de vulnerabilidade, e para identificar a existência de clusters
    espaciais empregou-se o índice Moran Local Bivariado. Durante o período de estudo 754 casos
    de LV foram notificados, sendo 695 na área urbana e 54 na área rural. Foi observado um padrão
    espacial de distribuição difusa, atingindo as áreas centrais e periféricas da cidade. As condições
    de vulnerabilidade também se mantiveram homogeneamente distribuídas na área urbana de
    Teresina, e foi observado uma correlação entre a incidência da doença e precárias condições de
    vida, e clusters estatisticamente significativos entre a incidência e os indicadores sintéticos e o
    índice de vulnerabilidade. As metodologias utilizadas para analisar a nível espacial as condições
    de vulnerabilidade e o padrão de distribuição da doença são importantes para identificar as áreas
    mais suscetíveis e planejar as ações e estratégias de controle. Além disso torna-se necessário a
    realização de inquéritos entomológicos e sorológicos que demonstrem a distribuição das
    populações de vetor e de reservatórios nas áreas de maior registro da doença, bem como,
    estudos de infecção natural por Leishmania infantum

  • NESTOR DE CASTRO BRITO JÚNIOR
  • MOBILIDADE URBANA NA PERSPECTIVA DA SUSTENTABILIDADE: ESTUDO NA CIDADE DE TERESINA, PIAUÍ
  • Data: 02/03/2018
  • Mostrar Resumo
  • A circulação é fator indispensável no contexto urbano, pois o deslocamento das pessoas antecede e sucede todas as atividades desenvolvidas numa cidade. Contudo, tendo que vencer distâncias cada vez maiores, a população vê prejudicadas suas condições de mobilidade. A lei federal nº 12.587 institui as diretrizes da Política Nacional de Mobilidade Urbana, definindo a mobilidade urbana como condição em que os deslocamentos de pessoas e cargas se realizam no espaço urbano. Na mobilidade sustentável são avaliados fatores ligados ao planejamento urbano que têm impacto direto na decisão do indivíduo sobre sua forma de deslocamento. Teresina apresenta população estimada de 847.430 habitantes e área aproximada de 1.391,98 km², organizada em 123 bairros. Atualmente as ruas da capital enfrentam superlotação de veículos, tanto de carros, como motos, ônibus e bicicletas, que disputam espaço entre si e com pedestres, carroças, e barracas de ambulantes em alguns pontos. Este trabalho tem como objetivo geral analisar as condições de mobilidade urbana em Teresina, e como objetivos específicos: discutir o conceito de mobilidade urbana sustentável; avaliar a disponibilidade de dados públicos em órgãos relacionados ao objeto deste trabalho; comparar os resultados obtidos em Teresina com os de outras cidades brasileiras; identificar os pontos fortes e pontos fracos da cidade no tocante à mobilidade urbana sustentável. A metodologia baseia-se na adaptação do Índice de Mobilidade Urbana Sustentável (IMUS), tomando como base o ano de 2015. Teresina obteve um índice global de 0,425 − numa escala que varia de 0,00 a 1,00. Isso revela que a cidade, que está em fase de implantação de seu sistema de integração do transporte público por ônibus, bem como revisando seu Plano Diretor, ainda tem muito a avançar no quesito mobilidade urbana sustentável. Os pontos fortes observados, segundo os critérios do IMUS, são os Domínios Aspectos Sociais e Aspectos Políticos. Os pontos fracos, os Domínios Aspectos Ambientais, Infraestrutura de Transportes e Modos Não Motorizados. A principal dificuldade enfrentada foi a indisponibilidade, e/ou baixa qualidade dos dados, tanto em canais de comunicação quanto diretamente junto às instituições públicas. Há um déficit de cidadania, que transparece nas relações horizontais (indivíduo-indivíduo) e verticais (indivíduo-Estado), o que dificulta a implementação da Política Nacional de mobilidade Urbana.

  • MURYLLO DOS SANTOS NASCIMENTO
  • IMPACTOS AMBIENTAIS DA LINHA DE TRANSMISSÃO DELTA – TABULEIROS SOBRE A AVIFAUNA, PIAUÍ, BRASIL
  • Orientador : ANDERSON GUZZI
  • Data: 19/02/2018
  • Mostrar Resumo
  • Apesar dos benefícios que as linhas de transmissão proporcionam para as pessoas, elas afetam negativamente o meio ambiente, interferindo na vegetação, e consequentemente na fauna. As aves estão entre os vertebrados mais afetados por estes empreendimentos. Os objetivos desta pesquisa foram levantar e caracterizar a avifauna de áreas de influência direta de uma linha de transmissão (LT) e registrar a percepção dos moradores de comunidades rurais próximas à LT afim de identificar potenciais impactos causados pelo empreendimento sobre as aves. A área de estudo abrange pontos diretamente afetados pelo empreendimento, dentro do município de Parnaíba, no extremo norte do estado do Piauí. O levantamento foi quali-quantitativo. Para o levantamento da avifauna, utilizou-se o método de transecto linear. Além dos registros visuais e auditivos da avifauna, houve também a captura e anilhamento de alguns indivíduos. Os dados junto à comunidade foram coletados por meio de diálogos informais e formulários semiestruturados. Antes da execução, o trabalho foi aprovado no Comitê de Ética em Pesquisa Humana da UFPI/Parnaíba (CAAE 66902117.1.0000.5214). Foram levantadas na linha de transmissão, ao fim dos quatro períodos amostrais, 224 espécies de aves distribuídas em 25 ordens e 53 famílias. Em relação ao status, a maioria das espécies registradas na linha de transmissão são residentes (N=125; 56%). Quando a Frequência de Ocorrência (FO), a maioria das espécies levantadas (N=170; 76%) são consideradas raras. Considerando a dieta, os insetívoros (INS) foram os mais representativos (N=74; 33%). Onze espécies apresentam alta sensibilidade às alterações ambientais e oito estão categorizadas em algum nível de ameaça. Os moradores das comunidades Alto do Batista e Alto da Cruz, localizadas próximas às torres da LT, citaram 113 espécies de aves que, segundo os mesmos, são comumente vistas na região. As espécies mencionadas pelos moradores pertencem a 38 famílias e 20 ordens. A maioria dos entrevistados (56,7%; N=21) relatou que a LT afetou de alguma forma a avifauna local. Houve muitos relatos sobre o impacto de aves nas estruturas do empreendimento. Os populares também apresentaram forte conhecimento em relação à aspectos de caça, ao uso de espécies para fins medicinais e ao simbolismo que gira em torno destes animais. Apesar do impacto causado pela implantação da linha de transmissão, observa-se que a avifauna das áreas amostrais é diversa e numerosa. 

  • MÁRCIO LUCIANO PEREIRA BATISTA
  • ETNOCONHECIMENTO SOBRE ABELHAS NATIVAS (ANTHOPHILA, APIDAE: MELIPONINI) E PLANTAS MELITÓFILAS APRESENTADO PELOS MORADORES DA COMUNIDADE JOSÉ GOMES, CABECEIRAS DO PIAUÍ
  • Orientador : ROSELI FARIAS MELO DE BARROS
  • Data: 16/02/2018
  • Mostrar Resumo
  • O etnoconhecimento acerca da conservação da biodiversidade constitui um patrimônio das populações autóctones, uma vez que é transmitido pela oralidade, por meio de processos intergeracionais. A compreensão da ecologia básica dos meliponídeos é essencial para fundamentar o desenvolvimento e implementação de estratégias de conservação e técnicas de gestão que favoreçam os agricultores tradicionais. No planeta, a biodiversidade de abelhas é muito elevada, pois já foram descritas cerca de 20.000 espécies. O Brasil possui a maior diversidade de abelhas do mundo, sendo responsável por cerca de 10% do total existente no globo terrestre; dentre estas, aparecem as abelhas sem ferrão com 330 espécies, pertencentes à tribo Meliponini, dividida em 31 gêneros. Objetivou-se investigar os saberes, crenças, classificação e concepções sobre as abelhas nativas e as plantas melitófilas usadas e/ou conhecidas na comunidade José Gomes, Cabeceiras do Piauí/PI. Para isso, foram empregados os seguintes objetivos específicos: registrar o modo como a comunidade de José Gomes percebem as abelhas e constrói o domínio etnozológico “Inseto”; verificar os diferentes usos que os moradores de José Gomes fazem das abelhas nativas, apontando os benefícios que as espécies podem oferecer à comunidade local; identificar a sapiência dos residentes em relação à conservação das abelhas nativas; descrever como os indivíduos identificam e separam as espécies ocorrentes; e apontar o conhecimento dos residentes acerca dos tipos de plantas melitófilas existentes na comunidade. Foram entrevistados 43 moradores a respeito do conhecimento acerca das abelhas sem ferrão, por meio de formulário semiestruturado. Os meliponíneos foram capturados usando metodologia usual (rede entomológica e vasilhames distribuídos), sendo a coleta realizada no momento das turnês-guiadas com auxílio de 14 especialistas locais que se dispuseram a participar da captura. As abelhas foram observadas sobre as flores, em trilhas na mata, córregos e diretamente nos ninhos. Periodicamente, os vasilhames foram recolhidos e encaminhados ao Laboratório de Entomologia do Setor de Fitossanidade do Centro de Ciências Agrárias da Universidade Federal do Piauí, sendo os mesmos enviados para identificação na Universidade Federal da Bahia (UFBA). Do total das espécies amostradas, as mais abundantes foram Scaptotrigona sp1 (n=25), Trigona sp1 (n=17), Tetragona sp1 (n = 14), Trigona spinipes (Fabricius, 1793) (n = 13) e Partamona ailyae (Camargo, 1980 (n = 10). Para estimar a diversidade de abelhas sem ferrão coletadas na comunidade foi utilizado o índice de Shannon-Wiener (H’), alcançando nesta pesquisa um índice de H’ = 1,02. Para obter os dados referentes ao conhecimento sobre as plantas melitófilas, foi utilizado o método de listagem livre como meio para obter o conhecimento sobre as plantas pelos entrevistados. Quantitativamente, utilizou-se o Índice de Saliência de Smith, por meio do software ANTHROPAC 4.0. Foram identificadas 19 famílias com destaque para Anacardiaceae e Fabacea (n=5) cada,  Euphorbiaceae (n=4), Bixaceae (n=3); 32 gêneros, onde Citrus (n=2) e Spondias (n=3) apareceram com maior frequência; e 35 espécies, formando cinco rupturas ou saliências quanto ao domínio cultural destas plantas. O cajueiro (Anacardium occidentale L.) foi a espécie citada com maior frequência e apresentou a primeira ruptura da lista livre com índice de Smith 0,411. Constatou-se que os moradores da comunidade conhecem e classificam as abelhas sem ferrão e as plantas melitófilas pela sua morfologia e vivência na comunidade, porém quanto à forma de conservar este ecossistema os atores deixam a desejar. Desta forma, necessário se faz que a educação ambiental seja difundida na comunidade como forma de despertar nesta um melhor  manejo dos recursos naturais.

  • ANDRÉ BASTOS DA SILVA
  • Conhecimento ecológico tradicional do manejo da ictiofauna na comunidade de pescadores artesanais de Amarante, Piauí, Brasil
  • Orientador : CLARISSA GOMES REIS LOPES
  • Data: 16/02/2018
  • Mostrar Resumo
  • As interações entre seres humanos e os recursos pesqueiros remontam milhares de anos e consistem em uma conexão básica nas comunidades pesqueiras para fins de subsistência, segurança alimentar, economia e cultura. No entanto, esta relação trouxe fortes pressões sobre os estoques de peixes. Neste contexto, ressalta-se a necessidade de envolvimento das comunidades pesqueiras no processo de manejo da pesca, a partir conhecimento ecológico local dos pescadores. O principal objetivo deste estudo foi avaliar quais fatores socioeconômicos influenciam no conhecimento de pescadores artesanais sobre a diversidade da ictiofauna conhecida e localmente manejada na comunidade pesqueira de Amarante, no médio Parnaíba, Nordeste brasileiro. Entrevistas semiestruturadas e técnicas de observação direta e participante foram empregadas para coleta de dados. Estes foram analisados por estimadores de riqueza, estatísticas multivariadas e não-paramétricas. Um total de 70 pescadores artesanais participou desta pesquisa (41 homens e 29 mulheres) com idades entre 25 e 65 anos (média ± DP: 43,4 ± 9,07 anos). Entre estes entrevistados foram reconhecidas 61 espécies, variando de cinco a 53 (31,28 ± 9,71 espécies) por pescador entrevistado, com esforço amostral de 95,37% (Sobs/Jack 2) para 99,20% (Sobs/Chao 2), considerado satisfatório dado que as curvas de acumulação de espécies Chao 2 e Jack 2 atingiram suas respectivas assíntotas. As informações obtidas ratificaram a importância das ordens Characiformes e Siluriformes para a pesca artesanal na região neotropical, especialmente para o Brasil. A disparidade encontrada entre os números mínimo e máximo de espécies registradas nas entrevistas indica que o conhecimento sobre peixes não está distribuído de forma igual entre os pescadores. No geral, estima-se que os peixes mais citados sejam também os mais pescados na região, pois estes tendem a atrair mais atenção dos pescadores por serem mais frequentes nas pescarias, em feiras públicas ou nas residências. Observou-se que o conhecimento dos pescadores sobre a riqueza de espécies variou significativamente em função das variáveis socioeconômicas gênero, quantidade de turnos empregados ao dia e número de instrumentos utilizados na pesca. Estes fatores, da variável tempo de vivência na pesca, também exerceram influência no conhecimento da composição de espécies. Essas variáveis podem ser consideradas preditoras importantes na seleção dos pescadores para estratégias participativas de manejo e conservação dos recursos pesqueiros, reforçando a importância das comunidades locais.
  • NATHALIE BARBOSA REIS MONTEIRO
  • Avaliação ambiental em indústrias de brita
  • Orientador : ELAINE APARECIDA DA SILVA
  • Data: 15/02/2018
  • Mostrar Resumo
  • A mineração de brita é uma das atividades mais importantes para a economia de qualquer país, pois gera os insumos que abastecem as indústrias da construção civil. O setor produz as matérias-primas utilizadas na construção de moradias, estradas, pontes, obras de saneamento básico, além da fabricação de cimento e concreto. No entanto, é, também, uma atividade potencialmente impactante para o meio ambiente. Nesse estudo foram analisadas três indústrias de brita localizadas na região de Monsenhor Gil – PI, a fim de conhecer e avaliar os impactos ambientais e sociais causados pelas mesmas. Inicialmente, realizou-se a caracterização do segmento através da literatura científica e de documentos técnicos de órgãos ligados ao setor de mineração. No Portal de Periódicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), foram recuperados 354 artigos científicos relacionados à mineração de brita, dos quais, 75% foram selecionados para análise. Conforme observado, a preocupação com os impactos ambientais causados pela exploração mineral de brita tem avançado lentamente. Apenas 23% dos estudos analisados, abordam essa problemática de forma direta. A maioria dos trabalhos científicos está voltada à produção e utilização dos recursos minerais e seu melhor aproveitamento na indústria da construção civil. A produção brasileira de brita é equivalente à dos maiores produtores europeus, no entanto, em relação à produção científica, detém apenas 3% do total de artigos recuperados. Também, foram analisados os processos de licenciamento ambiental das três indústrias, a fim de verificar a sua efetividade em relação ao órgão ambiental licenciador, às indústrias e à sociedade. Desse modo, foram realizadas visitas in loco às indústrias, à Secretaria Estadual do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (SEMAR) e aoDepartamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), para a verificação dos estudos ambientais. Foi constatado que os relatórios ambientais possuem falhas na elaboração, como, a falta de uma equipe multidisciplinar e a presença de dados divergentes da realidade observada. Além disso, o custo com a reposição ambiental não é contabilizado no valor final do produto e as medidas mitigadoras propostas não começaram a ser implementadas em nenhuma das indústrias. Houve atraso, da SEMAR, na emissão das licenças dentro do prazo estabelecido pela lei e não há fiscalizações periódicas, tanto pelo órgão ambiental, quanto pelo DNPM. Destaca-se, ainda, que não foram requeridas audiências públicas e não há participação da comunidade nos projetos de educação ambiental, fatores que comprometem a efetividade do processo de licenciamento ambiental. Para avaliar ambientalmente a brita, e conhecer os impactos ambientais da produção desse mineral, foi utilizado o método Avaliação do Ciclo de Vida (ACV). Nesse estudo, foi feito o Inventário do Ciclo de Vida (ICV) da brita, a fim de contribuir com o Banco Nacional de Inventários do Ciclo de Vida (SICV Brasil), uma vez que não há banco de dados para o diabásio. Através da análise do ICV foi possível identificar que os maiores impactos estão relacionados a emissões atmosféricas, na fase de beneficiamento do produto, em função do uso de energia elétrica. Além disso, foi elaborada uma matriz de avaliação de impactos ambientais, baseada em Vásquez (2012), com o propósito de conhecer e mensurar os impactos causados pela atividade. Dessa análise, foi possível perceber que as etapas mais impactantes são a remoção da cobertura vegetal e as explosões de rocha, e os meios (físico/biótico/humano) mais afetados são: a qualidade do ar, o impacto visual e a saúde humana.

  • KAREN VELOSO RIBEIRO
  • Etnobotânica em quintais rurais de duas comunidades situadas no município de Amarante, Piauí, Brasil
  • Orientador : ROSELI FARIAS MELO DE BARROS
  • Data: 15/02/2018
  • Mostrar Resumo
  • Estudos etnobotânicos realizados em quintais vem oferecendo subsídios para a preservação de recursos genéticos e culturais, visto que a manutenção desses espaços é efetuada a partir do conhecimento e da prática tradicional dos mantenedores. Diante disso, objetivou-se investigar os saberes e práticas sobre o uso das espécies vegetais, presentes em quintais rurais de comunidades situadas no interior do município de Amarante/Piauí, assim como as estórias conhecidas e contadas pelos moradores da localidade. As comunidades rurais estudadas foram Buritirana e Recanto, situadas a 5km e 10km, respectivamente, da sede municipal. A pesquisa teve aprovação do Comitê de Ética e Pesquisa (CEP) da Universidade Federal do Piauí (UFPI), segundo o nº do Parecer 1.837.197, onde 100% dos atores foram entrevistados. A coleta dos dados foi realizada por meio de fotos, vídeos, áudios e das técnicas de “rapport”, observação participante, entrevistas semiestruturadas e turnê-guiada com os mantenedores dos quintais que apresentaram idade igual ou superior a 18 anos. Os materiais botânicos coletados, sob autorização dos mantenedores, seguiram o recomendado pela metodologia usual, sendo o voucher depositado no acervo do Herbário Graziela Barroso (TEPB) da UFPI. Os dados obtidos foram, inicialmente, inseridos em planilhas eletrônicas (Excel) e analisados qualitativamente, por meio de inferências percentuais descritivas, e quantitativamente pelos índices de Shannon-Wierner, Jaccard e Sorensen, além da construção de curvas de dispersão. Um número de 33 informantes participou voluntariamente da pesquisa (13 na comunidade Buritirana e 20 na comunidade Recanto), sendo 19 (57,6%) do gênero feminino e 14 (42,4%) do gênero masculino. Do total entrevistado, apenas seis (18,2%) são naturais da primeira comunidade; três (9,1%) da segunda comunidade e 10 (30,3%) da zona urbana do município de Amarante/Piauí. Os demais (42,4%) são oriundos de outros municípios do estado do Piauí e Maranhão morando em média a 16,7 anos nas localidades estudadas. Os quintais mostraram-se estruturalmente variados, multifuncionais e heterogêneos, nos quais não se constatou um padrão de organização e distribuição das espécies cultivadas. Foram amostradas 150 espécies de plantas, com destaque para a família botânica Fabaceae, que agrupou o maior número de espécies. A categoria de uso alimentícia foi a mais representativa. O índice de Shannon indicou alta diversidade (H’= 4,57), sendo a comunidade Buritirana mais diversa (H’= 4,45) em relação à comunidade Recanto (H’= 4,32). O índice de Jaccard mostrou alta similaridade entre as duas localidades estudadas. Não houve correlação entre área e número de espécies, entretanto, a idade do quintal com o número de espécies, se mostraram positivamente correlacionadas. As plantas aromáticas e condimentares somaram 13 espécies, incluídas em sete famílias botânicas, tendo Solanaceae e Lamiaceae como as mais representativas, constituindo-se predominantemente, em ervas (6). As espécies mais proeminentes foram Allium schoenoprasum L., Coriandrum sativum L. e Capsicum chinense Jacq. As plantas ocorrentes nos quintas das duas comunidades são equiparadas, demonstrando uma alta verossimilhança, dado este confirmado pelo índice de Sorensen (IS= 0,75). Geralmente são cultivadas em canteiros suspensos ou em utensílios. As partes das plantas hortícolas mais empregadas nos preparados caseiros são as folhas (46,1%), seguida de fruto (38,5%), casca (7,7%) e raiz (7,7%). São prontamente empregadas na culinária diária, podendo ainda ser utilizadas para fins medicinais. Obteve-se o relato de três lendas, sendo a do lobisomem a mais referenciada. Em relação aos mitos, o calendário lunar foi tido como um instrumento notadamente importante nas etapas de plantio e colheita de espécies vegetais como Coriandrum sativum L., Anacardium occidentale L., Vigna unguiculata (L.) Walp., entre outras. Superstições são utilizadas pelos moradores locais, como estratégia suplementar no manejo das plantas. Além disso, constatou-se que a população tem mantido a tradição dos rituais religiosos, apesar de ter detectado pouco envolvimento no empenho de sua realização. Conclui-se que os quintais rurais das comunidades asseguram a oferta e a disponibilidade de alimentos; que os quintais das duas comunidades são correlatos entre si e que a estruturação pode ser influenciada pela socioeconomia e uso potencial. O cultivo de especiarias é uma prática remota, notadamente marcada pela sua singularidade, tanto em produção quanto em manutenção. As hortaliças contribuem para o complemento nutricional das famílias, sendo igualmente usufruídas para acentuar o gosto e o aroma de diferentes pratos, além de atuar como fitoterápicos em virtude dos princípios ativos que as compõem. Na comunidade Buritirana há a crença em lendas, bem como saberes populares referentes a mitologias. Simpatias aprendidas com os mais velhos ainda estão sendo usadas na localidade estudada. A população tem mantido a tradição dos rituais religiosos. Contudo, os quintais estudados transpareceram-se dinâmicos, por se delinearem frente a aspectos estéticos, sociais, econômicos, simbólicos, culturais e ecológicos.

  • JOSÉ MARIA MARQUES DE MELO FILHO
  • Alterações sociais e ambientais decorrentes de projeto de intervenção urbana: uma análise sobre a implantação do rodoanel em Teresina – PI
  • Orientador : ANTONIO CARDOSO FACANHA
  • Data: 06/02/2018
  • Mostrar Resumo
  • O processo de urbanização brasileira teve seu apogeu com intensificação do processo de industrialização do país, influenciada, principalmente, pela política desenvolvimentista da década de 1950, durante o governo de Juscelino Kubitschek. Com a construção deste cenário econômico favorável, as indústrias difundiram-se pelo país, em consequência, houve uma maior demanda por infraestrutura urbana, visto que a grande maioria do contingente populacional passou a residir nas cidades. Muito embora, no início da década de 1990, o Brasil tenha apresentado uma nova realidade para tratar do planejamento urbano de forma mais democrática e participativa, temos ainda recorrentes deficiências. E quanto à questão ambiental frente ao planejamento da expansão urbana das cidades, os mecanismos de suporte e fiscalização, bem como as diretrizes para sua execução acabam sendo encarados, como simples cumprimento de ações burocráticas. Sendo assim, Partindo desses pressupostos, a presente pesquisa tem como questionamento orientador: Quais os desafios enfrentados na implantação de obras de infraestrutura viária, como é o caso do rodoanel de Teresina, buscando conciliar a expansão da cidade e a preservação ambiental? O objetivo geral desta pesquisa visa analisar as alterações sociais e ambientais decorrentes da implantação do rodoanel em Teresina, dando ênfase nas discussões sobre o processo, as ações na gestão da obra e os limites do planejamento urbano adotado pelo poder público. Sendo assim, a metodologia empregada para a realização dessa pesquisa consistiu nas seguintes etapas: 1) levantamento bibliográfico da literatura básica referente aos conteúdos de geografia urbana, o estudo das cidades, planejamento e gestão urbana, e o sobre a questão ambiental.  2) análise documental de registros oficias sobre o processo de expansão urbana da cidade de Teresina. 3) pesquisa de campo para caracterização e espacialização da área pesquisada. Por meio das análises realizadas percebeu-se que a implantação do rodoanel de Teresina foi realizada sem que houvesse, em muitos casos, uma maior atenção para as alterações ambientais decorrentes de sua instalação, e as medidas de planejamento e gestão apresentaram falhas na execução de suas ações. A partir dessa pesquisa constata-se que as deficiências apresentadas na elaboração e execução da obra rodoviária afetaram consideravelmente os assentados do entorno da intervenção urbana modificando o local onde vivem. Contatou-se também  que o estabelecido e regido na teoria, deixa de ser aplicado na prática. Quanto ao aspecto ambiental frente à expansão da cidade, as medidas tomadas para a sua mitigação revelam a fragilidade na adequação para a realidade e peculiaridades da obra em análise.

  • CRISTIANA DE SOUSA LEITE
  • ÍNDICE DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA PARA SALAS DE AULA DE INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR
  • Orientador : GIOVANA MIRA DE ESPINDOLA
  • Data: 01/02/2018
  • Mostrar Resumo
  • A sustentabilidade deve ser buscada por todas as organizações, principalmente pelas Instituições de Ensino Superior (IES), em razão de seu grande alcance e influência sobre a sociedade e o mercado de trabalho, além da educação ser a principal ferramenta para o desenvolvimento sustentável. O Governo Federal determinou que as instituições vinculadas à administração pública federal, entre elas as IES, elaborem e executem Planos de Gestão de Logística Sustentável (PLS) que sirvam como guias para práticas sustentáveis em pelo menos sete eixos temáticos, dentre os quais está a energia elétrica. Este insumo é o que apresenta maior impacto socioambiental em IES multicampi, sendo necessário ações que visem minimizar seu consumo e indicadores que permitam seu melhor gerenciamento. Uma das medidas para a eficiência energética é a etiquetagem das edificações, obrigatória desde 2014 para os prédios construídos ou reformados com recursos da União e possível através do atendimento aos Regulamento Técnico da Qualidade para o Nível de Eficiência Energética de Edificações Comerciais, de Serviço e Públicas (RTQ-C), classificando-as do nível A (mais eficiente) ao E (menos eficiente). Estes requisitos focam na melhoria da infraestrutura das edificações, mas não consideram o uso dos ambientes. Este trabalho tem, assim, como objetivo geraldesenvolver um índice que considere o uso do ambiente na avaliação da eficiência energética de salas de aula de IES, utilizando a Universidade Federal do Piauí (UFPI) como objeto de estudo. Para tanto, levantou-se as legislações vigentes que exigem a aplicação de eficiência energética em instituições de ensino e os PLS publicados por IES Federais, a fim de verificar as boas práticas adotadas por elas. Elaborou-se a Taxa de Utilização das Salas de Aula (TUSA), ferramenta que permitiu comparar o tempo de uso com o de disponibilidade das salas. Desenvolveu-se o Indicador de Uso do Ambiente (IUA), baseado no RTQ-C, que avalia a ocupação das salas a partir da quantidade de usuários, e relacionou-o com a eficiência energética dos sistemas de iluminação e climatização dessas salas, criando-se o Índice de Consumo Médio Relativo de Energia (ICMRE), o qual permite que a IES classifique suas salas, permitindo a identificação de quais ambientes precisam mais de intervenção para que possa priorizar seus investimentos. Além disso, definiu-se uma amostra probabilística das salas de aula da UFPI com 95% de precisão e estratificada por Centro de Ensino, na qual foram coletados dados que permitiram validar os indicadores e índice criados por sala, Centro e para a IES como um todo. Na UFPI, identificou-se baixos índices de eficiência com o ICMRE, com grande influência do IUA, refletindo a necessidade de serem executadas ações que visem a melhoria do índice de eficiência energética da IES. Sugeriu-se então, intervenções nas salas de aula utilizando como base as que apresentaram o melhor e o pior ICMRE, as quais permitiriam uma redução estimada de até 17% na energia consumida pelos sistemas de iluminação e climatização das salas e de 718,86 kg na emissão de dióxido de carbono resultante da geração e consumo de eletricidade, além de uma redução de até 60% no consumo per capita. Propôs-se, então, que estes indicadores e índice sejam inseridos no PLS e no Sistema Acadêmico das IES, para que possam ser acompanhados pela comunidade acadêmica, visando melhorar os índices de sustentabilidade das instituições e minimizar os impactos socioambientais resultantes do uso da energia. Ademais, sugeriu-se que trabalhos futuros foquem na viabilidade econômica das melhorias apresentadas, na validação dos índice e indicadores a partir da medição de energia e em índices semelhantes para outras áreas das IES, bem como outras organizações, uma vez que a melhoria do desempenho ambiental deve ser objetivo de todos.

  • TONY CÉSAR DE SOUSA OLIVEIRA
  • DIVERSIDADE TAXONÔMICA, FUNCIONAL E USO DE ESPÉCIES VEGETAIS EM UMA ÁREA PRO-PRETÉRITA DE CERRADO RUPESTRE SOB INFLUÊNCIA DO CÂNION DO POTI, NORDESTE DO BRASIL
  • Orientador : ANTONIO ALBERTO JORGE FARIAS CASTRO
  • Data: 12/01/2018
  • Mostrar Resumo
  • As pesquisas voltadas para a biodiversidade, têm analisado a diversidade
    biológica em todos os níveis e processos, buscando entender os fatores que
    levam a uma configuração, distribuição, quantificação e uso. No Brasil, um dos
    maiores centros de biodiversidade é o cerrado, presente em quatro das cinco
    regiões do país incluindo o Piauí, que apresenta uma rica diversidade. Uma das
    tipologias de cerrado presente no Piauí é o rupestre setentrional de baixa altitude
    do Nordeste. Parte dessa fitofisionomia, será afetada com a Construção da
    Barragem de Castelo, pois uma vez construída, não será possível observar as
    características originais dessa vegetação. Baseado nisso objetivou-se nesse
    estudo, analisar e comparar a composição, riqueza, diversidade, estrutura,
    funcionalidade ecológica e o uso de uma vegetação pro-pretérita de cerrado
    rupestre de baixa altitude no município de Castelo do Piauí. A amostragem da
    vegetação foi realizada através do Protocolo de Avaliação Fitossociológica
    Mínima (PAFM). Os parâmetros fitossociológicos da estrutura da comunidade
    foram obtidos através dos Softwares R e Mata Nativa, a comparação de
    diversidade taxonômica foi realizada através da série de Hill e o uso das espécies
    foi diagnosticado através de entrevistas com a comunidade local, sendo testado
    posteriormente a hipótese de aparência ecológica. Também foi analisada a
    percepção ambiental dos moradores em relação ao ambiente que será inundado,
    sendo estes dados analisados através do software Iramuteque. Para analisar a
    diversidade funcional, foram mensurados seis traços funcionais e aplicou-se o
    teste t para verificar se houve diferença entre valores das características
    funcionais entre ambientes. A diversidade de função entre as áreas foi calculada
    utilizando os índices: riqueza funcional, equitabilidade funcional e divergência
    funcional. A vegetação apresentou uma estrutura semelhante as outras áreas de
    cerrado rupestre de baixa altitude, porém diferenciou-se das áreas de cerrado
    rupestre de cotas altimétricas elevadas do Planalto Central. No levantamento
    fitossociológico apresentou 32 espécies com 29 gêneros pertencentes à 15
    famílias. A Qualea parvilflora, foi a espécie com maior densidade, dominância e
    frequência. Em relação aos usos econômicos das espécies, 73.7% das espécies
    encontradas no levantamento são uteis para a comunidade e a categoria
    madeireira foi a de maior destaque. A hipótese da aparência ecológica
    demonstrou uma relação negativa entre o uso e alguns parâmetros
    fitossociológicos. Observou que dentre as áreas estudadas o turnover vem
    atuando causando uma sobreposição de espécies. O estudo demonstrou ainda
    que a área que será inundada é uma das mais rica em número de indivíduos, a
    segunda mais rica taxonomicamente dentre os cerrados rupestres comparados,
    e possui características funcionais particulares, possuindo a maior diversidade
    funcional. Esse estudo demonstrou que essa fitofisionomia para o estado do
    Piauí é bastante importante devido a sua fragilidade, diversidade e
    funcionalidade, possuindo um grande número de espécies com potencial de uso
    atual e futuro. Além disso, observou-se que os atores sociais possuem um
    grande vínculo afetivo com essa comunidade, demonstrando um processo ativo
    de territorialização.

2017
Descrição
  • ANA CLÁUDIA SILVA CARVALHO
  • Qualidade de Vida: o acesso ao transporte público – ônibus – em Teresina-PI, como instrumento de autonomia para idosos
  • Orientador : DENIS BARROS DE CARVALHO
  • Data: 13/12/2017
  • Mostrar Resumo
  • Discussões sobre qualidade de vida e terceira idade estão crescendo devido ao aumento do número da população idosa no mundo, e compreender o processo de envelhecimento em vários aspectos, inclusive o do meio ambiente físico em que os idosos vivem, torna-se relevante. Pensando na promoção da qualidade de vida dos idosos, muitos programas de saúde e educacionais estão voltando-se para acolher essa demanda, e nesse contexto, as Universidades Abertas à Terceira Idade se destacam. Surge novo perfil de idoso, o qual é ativo no processo de envelhecimento e tem capacidade para desempenhar suas funções e potencialidades. Nesse sentido, emerge o questionamento: qual a avaliação que os idosos fazem do transporte público - ônibus – utilizado para o deslocamento de suas casas até as Universidades Abertas à Terceira Idade? Partindo desse questionamento, esse trabalho tem como objetivo analisar como as condições de mobilidade urbana mediada pelo transporte público – ônibus -  interfere na qualidade de vida dos idosos quanto à sua autonomia de locomoção, que frequentam a UNATI-PI, com idade a partir de 60 anos. Buscou-se identificar os locais, frequência e percepção das condições de deslocamento dos idosos, com ênfase para a UNATI-PI; mapear os trechos das linhas de ônibus utilizados pelos idosos para o deslocamento até a UNATI-PI, segundo os indicadores do formulário de qualidade dos transportes públicos adaptado de Ferraz e Torres; e avaliar a percepção do risco e das consequências de queda por parte dos idosos frequentadores da UNATI-PI. Este trabalho foi desenvolvido em duas partes. A primeira é composta por Introdução, Revisão Bibliográfica, Metodologia Geral e Referências, e a segunda, em forma de artigos, onde estarão os resultados. Concluiu-se com esta pesquisa que os locais que os idosos que deslocam-se para a UNATI-PI de ônibus frequentam, além da UNATI-PI são:  em primeiro lugar, locais que oferecem serviços comerciais, como banco, centro e feiras; em segundo, locais destinados a lazer: shoppings, visitas a familiares e amigos, participação em grupos de atividades físicas, centros de convivência, atividades do Serviço Social do Comércio - SESC, festas e clube; e em terceiro lugar, também com expressiva frequência, são as Igrejas. Os demais locais, como, serviços médicos, de saúde mental e trabalho, também foram mencionados. Sobre a percepção dos idosos acerca dos indicadores de qualidade de transporte público mais importantes, o estado da vias foi o critério mencionado mais vezes como importante, com 18% da amostra, seguido do comportamento dos operadores, frequência dos atendimentos e tempo de viagem, ambos com 14%. O critério confiabilidade, que refere-se ao cumprimento dos horários pelas empresas de ônibus, de acordo com Ferraz e Torres (2004), e representou 11% da amostra. O transporte coletivo ônibus é muito utilizado por idosos, seja por questões financeiras ou por facilidade de locomoção. Porém, o mesmo deixa muito a desejar quanto a satisfação das necessidades pessoais do grupo etário, assim como também, nas necessidades básicas para que se adeque as necessidades impostas pela idade da amostra.

     

  • MARINA FREIRE MIRANDA
  • QUALIDADE AMBIENTAL DE ESPAÇOS LIVRES DE USO COMUM EM CONJUNTOS HABITACIONAIS DE INTERESSE SOCIAL
  • Orientador : WILZA GOMES REIS LOPES
  • Data: 28/08/2017
  • Mostrar Resumo
  • A partir da década de 1950, o Brasil sofreu um intenso um processo de urbanização, devido à migração da A partir da década de 1950, o Brasil sofreu um intenso processo de urbanização, devido à migração da população do campo para as cidades em busca de melhor qualidade de vida, aumentando a demanda por água, energia, alimentos, transporte e moradias. Contudo, esse crescimento se deu de forma desordenada, trazendo inúmeras consequências ambientais. Nesse contexto, os conjuntos habitacionais de interesse social são concebidos em locais afastados dos centros, carentes de infraestrutura para atender a essa população e, também, sem levar em conta as características ambientais de cada lugar. Apesar da obrigatoriedade da reserva de 10% da área total desses conjuntos para as áreas verdes, observa-se que, em geral, as áreas destinadas a esse fim não são concebidas de modo a oferecer conforto e lazer aos seus usuários, visando apenas atender às exigências legais. Devido à importância das áreas livres para a melhoria ambiental e para a prática de atividades recreativas e convívio social, o presente trabalho tem como objetivo analisar a qualidade ambiental dos espaços livres de conjuntos habitacionais de interesse social, sob a luz do projeto e da legislação urbana, verificando sua importância na promoção do bem-estar e integração social de seus usuários, tendo como enfoque a cidade de Teresina, Piauí. A metodologia adotada consiste de pesquisa bibliográfica, mapeamento dos conjuntos habitacionais de interesse social em Teresina, coleta de documentos e comparação com os registros pós-ocupação, pesquisa de campo, mapeamento e cálculo das áreas verdes nos conjuntos e levantamento quali-quantitativo dos equipamentos e estruturas existentes. Os resultados da pesquisa confirmam que os conjuntos habitacionais de interesse social em Teresina são implantados em locais periféricos, priorizando o baixo custo da terra, cujos espaços livres não possuem infraestrutura e equipamentos que favoreçam o uso, privando seus moradores de locais para convivência e lazer. Os resultados do estudo proposto constituem uma contribuição para a discussão da importância dos espaços livres de uso comum na qualidade de vida da população e fornecerão subsídios para a elaboração de projetos de espaços livres com mais qualidade, nos aspectos de funcionalidade, estética e conforto, bem como em obediência às legislações pertinentes.

  • DEIMES DO NASCIMENTO GOMES
  • REINTRODUÇÃO DE AVES SILVESTRES: ECOLOGIA E UMA ABORDAGEM ETNOORNITOLÓGICA NO MUNICÍPIO DE CAXINGÓ, PIAUÍ
  • Orientador : ANDERSON GUZZI
  • Data: 17/07/2017
  • Mostrar Resumo
  • Reintrodução de aves surge como uma ferramenta útil na manutenção de espécies, principalmente aquelas ameaçadas de extinção pelo comércio ilegal de animais silvestres.O objetivo geral foi realizar a reintrodução e monitoramento dos espécimes coletados pelo IBAMA e das espécies nativas presentes na área de estudo, assim definir metas e evitar perdas de espécies; quanto aos objetivosespecíficos, realizou-se o inventário da avifauna local,registro dos saberes etnoornitologicos e ambientais da comunidade e dos alunos do ensino fundamental do entorno das áreas de soltura, município de Caxingó/PI. O estudo foi conduzido no município de Caxingó/PI, situado na microrregião do Litoral Piauienseem duas áreas de fazenda destinadas à soltura de aves pelo IBAMA, sendo uma contando com 350 ha, Santo Antônio e Alto dos Borges com cerca de 750 ha. A vegetação é representada por transições vegetal caatinga/cerrado. O presentetrabalho foi submetido àapreciação do Comitê de Ética em Pesquisa Humana da UFPI/Parnaíba. A técnica empregada para o levantamento das aves foi o ponto de escuta. O monitoramento foi realizado por meio das técnicas de transectos com inserção de ponto de escuta na área de estudo. O registro dos saberes etnoornitologicos e ambientais da comunidade e alunos, proseguiu com a aplicação na comunidade de formulários, que consiste em uma ferramenta de questões enunciadas como perguntas, em que o entrevistador estimula o entrevistado; aplicaçãode questionários semi-estruturados aos alunos, esta ferramenta difere do formulário, pois esta é respondida pelo entrevistado. A Amostra da comunidade consistiu em 51 indivíduos, já para o registro das atividades na escola utilizou-se de uma amostra de 74 alunos. Foram reintroduzidos 136 indivíduos pertencentes a 12 espécies. O levantamento registrou um total de 197 espécies de aves nas duas áreas. Os moradores relataram 95 etnoespécies pertencentes a 35 famílias. Os resultados permitiram através das percepções sobre o meio ambiente de alunos do 6º ao 9º ano do ensino fundamental, apontar na sua grande maioria para uma percepção naturalista, no entanto notou-se através de alguns dos indivíduos pesquisados que esta percepção naturalista não está tão desligada do contexto social, econômico, politico e cultural.

  • SANNY MARIA DOS MILAGRES GARCIA DO NASCIMENTO
  • Implementação das Diretrizes para o Desenvolvimento Econômico e Meio Ambiente do Plano Diretor de Teresina no período de 2010 a 2016.
  • Orientador : JAIRA MARIA ALCOBACA GOMES
  • Data: 30/05/2017
  • Mostrar Resumo
  • A elaboração de diretrizes que promovam o crescimento econômico e, ao mesmo tempo reduzam as pressões sobre o meio ambiente, tem sido o grande desafio para o planejamento de cidades no século XXI. O Plano Diretor (PD), definido como principal instrumento de planejamento urbano, pela Constituição Brasileira de 1988, e regulamentado pelo Estatuto da Cidade, em 2001, passou a atuar como orientador dos demais mecanismos de planejamento das cidades brasileiras. Esse estudo examinou as diretrizes de desenvolvimento econômico e meio ambiente do quinto PD do município de Teresina, capital do Estado do Piauí, o Plano Diretor Teresina Agenda 2015, no período de 2010 a 2016. Para tanto, foram selecionadas 30 diretrizes que recaem diretamente sobre o crescimento econômico e meio ambiente, sendo examinada a sua compatibilidade com o modelo de desenvolvimento sustentável e verificada a sua implementação, por meio de instrumentos regulatórios, econômicos e orçamentários. Para o cumprimento da análise, as diretrizes foram agrupadas em 12 blocos temáticos destinados à construção de um checklist quanto aos atendimentos desses temas pelos instrumentos selecionados. Os resultados mostraram que as diretrizes são compatíveis com o modelo de desenvolvimento sustentável, tendo sido identificado como fato determinante para essa articulação o fato de o PD ser oriundo de um plano de ação da Agenda 21 Local do município, elaborado em 2002. Quanto à execução, os resultados apontaram para o predomínio na legislação municipal de instrumentos do tipo regulatórios, quando comparados com a quantidade de instrumentos do tipo econômico, priorizando temáticas como a promoção de atividades e segmentos econômicos estratégicos para o município. Quanto a recursos, a verificação das peças orçamentárias dos exercícios 2014, 2015 e 2016 revelaram que se manteve no orçamento essa priorização, ao serem identificadas metas setoriais para todas os blocos temáticos que impulsionam o crescimento econômico e a ausência de metas setoriais para assuntos como esgotamento sanitário, poluição do ar e conservação dos rios. Em relação à execução do orçamento, os resultados indicaram que, em média, 20% do orçamento de ambas as dimensões foi executado no período analisado. No entanto, o poder público municipal destinou algum recurso para mais de 90% do programa de trabalho proposto para o meio ambiente nessa execução, utilizado em projetos/atividades como criação de parques ambientais, arborização da cidade e limpeza urbana (varrição e capinação), enquanto que para a dimensão econômica, 55% do plano de trabalho proposto não teve execução financeira. Concluiu-se que as diretrizes selecionadas foram implementadas parcialmente até o ano de 2016, com o atendimento de temáticas que versam sobre a promoção de atividades produtivas, fomento de pequenos negócios, arranjos produtivos locais, além de zoneamento ambiental, áreas verdes e gestão de resíduos sólidos do município. O diagnóstico dos resultados revelou que a articulação entre as diretrizes do PD promoveram a elaboração de instrumentos que possibilitaram planejar a cidade sob a perspectiva do estilo de desenvolvimento sustentável, embora não garantam a efetividade de construção de uma cidade sustentável.

  • FELIPE SOUSA QUEIROZ BARBOSA
  • CONHECIMENTO, DEPENDÊNCIA E POTENCIAL DE USO DE PLANTAS MEDICINAIS EM COMUNIDADE NO NORDESTE DO BRASIL
  • Orientador : ROSELI FARIAS MELO DE BARROS
  • Data: 22/05/2017
  • Mostrar Resumo
  • Durante o desenvolvimento da civilização humana, a relação entre o homem e as plantas sempre assumiu um caráter de interdependência, além delas terem sido decisivas na formação das populações no mundo, que  convivem ou conviveram com uma grande diversidade de espécies vegetais, desenvolvendo maneiras particulares de explorá-las para distintas finalidades, usando-as como alternativa de sobrevivência. Em comunidades rurais, a literatura muitas vezes atribuià existência de uma gama de plantas,exóticas ou nativas, que assumem a função de produtos que suprem as necessidades terapêuticas primárias destas populações, sendo por muitas vezes a única alternativa encontrada pelas pessoas.Na presente pesquisa,objetivou-se compreender a dinâmica da utilização de plantas medicinais e a dependência terapêutica exercida junto aos moradores da comunidade Corredores, localizada no município de Campo Maior, Piauí, Brasil. Como ferramentas metodológicas foram realizadas entrevistas semiestruturadas, listagem livre e turnês-guiadas; quantitativamente foram usados o Fator de Consenso dos Informantes (FCI) e a Importância Relativa (IR). A coleta botânica seguiu o preconizado por metodologia usual e todo material botânico foi depositado no Herbário Graziela Barroso (TEPB) da Universidade Federal do Piauí (UFPI).Do total de 35 entrevistados, 76,5% eram do gênero feminino. Registraram-se 44 espécies, distribuídas em21 famílias, sendo 54,6%consideradas nativas no país.  As famílias mais representativas em número de espécies foram: Fabaceae (5) e Euphorbiaceae/Anacardiaceae (3 cada). A espécie vegetal de maior importância relativa foi o mastruz (Chenopodium ambrosioides L.), com IR=2. Neoplasias (C00-D48) foi o sistema corporal de maior consenso para os moradores da comunidade, com FCI = 1,0. A rápida propagação de Morinda citrifolia L., popularmente conhecida como none, pode ser atribuída a este resultado. As doenças endócrinas, nutricionais e metabólicas (E00-E90) e as doenças do aparelho circulatório (I00-I99), apresentaram os dois menores consensos entre os informantes, 0,25 e nulo, respectivamente. Os resultados permitiram inferir que dependência terapêutica pode estar relacionada com a condição sócio-econômica e com a gravidade das doenças citadas pelas pessoas.
    Palavras-chave: etnobotânica, farmacopeia popular, etnomedicina, conhecimento tradicional
  • ERICA CECILIA DE SOUSA SOARES
  • Desenvolvimento urbano sustentável - uma visão do Programa Lagoas do Norte, Teresina, Piauí
  • Orientador : WILZA GOMES REIS LOPES
  • Data: 12/05/2017
  • Mostrar Resumo
  • As transformações espacial, social, econômica e ambiental, ocasionadas pela urbanização, tornaram-se objeto de preocupação e posteriormente geraram propostas de ações e intervenções, baseadas na compreensão do meio ambiente urbano, a partir de metodologias como o Desenvolvimento Urbano Sustentável. Teresina, capital do Piauí, assim como a maioria das cidades, apresenta altos preços da terra urbana servida de infraestrutura, dificultando, portanto, sua aquisição e resultando na ocupação de áreas irregulares e de risco, por parte da população mais pobre. Em atendimento ao Estatuto da Cidade, diversos programas passaram a ser desenvolvidos pela Prefeitura de Teresina, visando cumprir as diretrizes propostas na Teresina Agenda 2015. A criação do Programa Lagoas do Norte (PLN), propõe um conjunto de intervenções em 13 bairros da Zona Norte de Teresina, localizados na confluência dos rios Parnaíba e Poti, a partir de melhorias urbanas, da promoção do desenvolvimento socioeconômico e também ambiental. O PLN adquiriu uma abrangência para além da cidade de Teresina, entretanto, localmente, ainda existem muitas resistências e conflitos, entre moradores e prefeitura. A investigação do processo de implantação do PLN é importante para elucidar os motivos da contradição e, ao mesmo tempo, identificar os pontos positivos e negativos do PLN. Os questionamentos norteadores da pesquisa foram: O Programa Lagoas do Norte possui elementos do Desenvolvimento Urbano Sustentável? O Programa Lagoas do Norte apresentou transformações positivas para a cidade de Teresina? O objetivo geral da pesquisa foi analisar os sistemas, processos e produtos envolvidos na implantação da primeira fase do Programa Lagoas do Norte, à luz do Desenvolvimento Urbano Sustentável. A pesquisa realizada procurou compreender, como as cidades, os problemas urbanos, planejamento e gestão urbanos, e seus produtos se relacionam e se influenciam, a ponto de determinarem as diferentes configurações físicas e sociais que as cidades podem apresentar, a partir de intervenções urbanas implantadas. Utilizando como norteador, o Desenvolvimento Urbano Sustentável, e também, a proposta de análise de processos e produtos, analisou-se o processo de construção e execução do PLN, procurando encontrar elementos de planejamento urbano e sustentabilidade. A metodologia escolhida para realizar a pesquisa, abrangeu os princípios do Desenvolvimento Urbano Sustentável, contemplando na revisão bibliográfica, os temas – desenvolvimento espacial, estrutura urbana, urbanismo sustentável e habitação urbana, definindo-se assim as bases das análises. A partir de estudos referentes ao planejamento urbano e espacial de Teresina, as origens do PLN foram identificadas. A investigação sobre as regras urbanas, legislação, governança urbana e finanças urbanas, bem como a influência do maior órgão financiador do Programa, permitiu identificar e compreender as decisões tomadas pelo PLN e como essa relação influenciou os produtos. Analisando-se os requisitos ambientais, sociais, de governança e das habitações urbanas identificou-se os produtos do PLN e a relação destes com o Desenvolvimento Urbano Sustentável. Sobre o Desenvolvimento Urbano Sustentável, o PLN conseguiu contemplar alguns elementos, representados pelas melhorias no saneamento, nas condições habitacionais e ambientais, também, ao promover transformações na gestão pública, e de inserir a sustentabilidade na legislação, nas diretrizes, projetos e ações. Entretanto, outros elementos foram suprimidos ou ganharam um destaque menor, em especial os de cunho social, identificados pelos inúmeros conflitos entre moradores e Prefeitura, além de menores investimentos de recursos financeiros nessa área.

  • MARIELLY IBIAPINA MASCARENHAS
  • A ARQUITETURA DE TERRA NO CONTEXTO DA SUSTENTABILIDADE: análise de construções em Piracuruca-Piauí
  • Orientador : WILZA GOMES REIS LOPES
  • Data: 28/04/2017
  • Mostrar Resumo
  • O contexto atual impõe que a preocupação ambiental seja assunto recorrente levando a questionamentos éticos e práticos sobre as responsabilidades de cada um em relação ao ambiente natural. Dentre estas responsabilidades, destaca-se a interferência causada pelas construções humanas no meio ambiente. A partir das décadas de 1960 e 1970, a preocupação com o meio ambiente aumentou e foi impulsionada pelas mudanças climáticas e pelos alertas feitos, a exemplo do Relatório Brundtland que abordou temas como sustentabilidade e desenvolvimento sustentável, inevitavelmente, estimulando a elaboração de novos conceitos inter-relacionados como o de arquitetura sustentável e arquitetura vernácula, ligados à edificações de baixo impacto no meio ambiente e adaptadas ao clima e realidade locais, trazendo ainda uma representação cultural e de valor das tradições de um povo. Um dos materiais mais antigos do mundo e que está ligado a estes conceitos é a terra, que pode ser encontrada no patrimônio cultural de Piracuruca, Piauí, reconhecido como Conjunto Histórico e Paisagístico, pelo IPHAN, em 2012. O estudo questiona a possibilidade da arquitetura de terra de Piracuruca possuir características sustentáveis e aponta como hipótese a sustentabilidade do patrimônio em terra existente no município. Nesse viés, objetivou-se a análise das características da arquitetura de terra de Piracuruca relacionadas à sustentabilidade e, especificamente, o estabelecimento de panorama da arquitetura de terra do município; a identificação de características do patrimônio relacionadas ao paradigma da sustentabilidade, identificação de patologias presentes e análise das dificuldades inerentes à manutenção do patrimônio cultural local. A metodologia aplicada no estudo quantitativo-qualitativo envolve procedimentos técnicos de pesquisa bibliográfica, consulta a dados do IPHAN, visitas a campo, registros fotográficos e elaboração de gráficos de compilação dos dados atuais. Foi observada a predominância da técnica do adobe, dentre as edificações em terra existentes e a predominância do uso residencial, bem como uma redução do patrimônio em terra entre os anos de 1997 e 2016, além de inúmeras patologias nos imóveis estudados, as quais relacionam-se à perda do “saber-fazer” em terra, à falta de preservação, manutenção e a dificuldades de relacionamento entre proprietários e órgãos de preservação. Tal situação deflagra fragilidades da face sustentável de preservação do patrimônio em terra de Piracuruca.

     

  • TASSIO MARCILIO FRANCISCO GOMES
  • USO TRADICIONAL DE PLANTAS MEDICINAIS EM COMUNIDADE RURAL DO SEMIÁRIDO PIAUIENSE
  • Orientador : JOAO BATISTA LOPES
  • Data: 20/04/2017
  • Mostrar Resumo
  • Ao longo da história da humanidade, sempre existiu estreita relação entre o homem e as plantas, vinculada diretamente à sobrevivência, com papel decisivo na formação das populações no mundo. Nas comunidades tradicionais, assim como nas comunidades rurais, existe grande acervo de plantas nativas e cultivadas, que fornecem variados subprodutos que que açém de suprir as necessidades primárias dos habitantes dessas áreas, apresenta relevantes propriedades terapêuticas. O grande número de estudos ligados ao uso das plantas medicinais tornou a Etnobotânica, ramo de estudo da Etnobiologia, campo de interesse do meio científico, tanto pelo seu caráter holístico, interdisciplinar, como pela necessidade de compreender as nuances da inter-relação entre plantas e pessoas de culturas viventes. Objetivou-se levantar as espécies de uso terapêutico na comunidade rural Bezerro Morto, município de São João da Canabrava, região ecotonal do semiárido sul piauiense, Nordeste do Brasil, avaliando a sua importância, manipulação dos fitoterápicos, indicações de uso, versatilidade das plantas, bem como a existência de evidências de suporte da hipótese da Diversificação, além de identificar modelos de compartilhamento de conhecimentos tradicionais aplicados na comunidade. Realizaram-se entrevistas semiestruturadas com 24 informantes-chaves, maiores de 18 anos em 41 excursões a área de pesquisa, e paralelamente, efetuaram-se turnês-guiadas para coleta das plantas citadas, culminando na obtenção dos índices de Importância Relativa (IR), e do Valor de Uso (VU), com a distinção entre VUpotencial e VUatual. Identificaram-se 25 espécies, distribuídas em 23 gêneros, pertencentes a 18 famílias botânicas, nas quais foram descritas 34 indicações terapêuticas, em sua maioria, feitas por mulheres (62,5%) e agricultores. Quanto ao status, 52,8% foram de plantas exóticas. Com 10 citações a erva-cidreira (Lippia alba (Mill.) N. E. Br. ex P. Wilson) foi a espécie mais frequente nos relatos, assim como a família que mais se destacou foi Lamiaceae. Dentre as partes utilizadas a folha foi a mais citada 54,1%; plantas de hábito herbáceo foram mais usadas 34,8%, seguidas de subarbustos 25%, e árvores 19,4%. O chá (infuso) constitui-se a forma dominante de uso com 59,8%, e 97,2% destas utilizações representam recursos recém-coletados. A espécie que atingiu o maior valor de IR foi o quebra-pedra (Phyllanthus niruri L.) com IR=2,00, sendo que o maior VUatual=0,71 foi da erva-cidreira (Lippia alba (Mill.) N. E. Br. ex P. Wilson). Para o maior VUpotencial=0,08, a babosa (Aloe vera (L.) Burm. f.) e o quebra-pedra (Phyllanthus niruri L.) se sobressaíram. As maiores indicações de uso das plantas foram para gripe (15) e má digestão (12), e os sistemas corporais mais tratados foram o digestório (24) e respiratório (18). O compartilhamento do conhecimento no grupo familiar ocorre com base no modelo vertical (58,3%), apesar do intercâmbio intercultural, no entanto, a introdução de plantas não deve ser interpretada como a deterioração ou a aculturação do conhecimento tradicional, porém, representa o incremento do acervo ou das possibilidades terapêuticas do sistema médico tradicional. Observou-se pequena diversidade de espécies, porém, com o acúmulo do estoque de conhecimento das plantas, em que prevalecem as plantas exóticas, as quais possibilitam o incremento do espectro de saberes por serem utilizadas em doenças não ou pouco reativas às nativas, apoiando a hipótese da diversificação. As doenças mais tratadas com o uso de plantas medicinais são aquelas negligenciadas como comuns e causadas pela ineficiência das condições de saneamento básico e das práticas de higiene pessoal e da alimentação.

  • DEIMES DO NASCIMENTO GOMES
  • REINTRODUÇÃO MONITORADA DE AVES SILVESTRES APREENDIDAS PELO IBAMA
  • Orientador : ANDERSON GUZZI
  • Data: 17/04/2017
  • Mostrar Resumo
  • Reintrodução de aves surge como uma ferramenta útil na manutenção de espécies, principalmente aqueles ameaçadas de extinção, devido a vários fatores externos, caso dos antrópicos como o tráfico de animais silvestres e a deterioração do meio ambiente. O objetivo geral foi realizar a reintrodução e monitoramento dos espécimes coletados pelo IBAMA e das espécies nativas presentes na área de estudo, assim definir metas e evitar perdas de espécies que não posteriormente poderá não se adaptar na área, e registrar os saberes etnoornitologicos e ambientais da comunidade e alunos de ensino fundamental do entorno das áreas de soltura, município de Caxingó/PI, como ferramenta de extração de dados para auxiliar futuros planos de manejo e educação ambiental. O estudo foi conduzido no município de Caxingó/PI, situado na microrregião do Litoral Piauiense. O estudo foi conduzido em duas áreas de fazenda destinadas à soltura de aves pelo IBAMA, sendo uma contando com 350 ha, Santo Antônio e Alto dos Borges cerca de 750 ha. A vegetação é representada por transições vegetais caatinga/cerrado caducifólio e floresta ciliar de carnaúba/caatinga de várzea. Além de caatinga hiperxerófila e cerrado subcaducifólio. Antes da execução do trabalho o mesmo foi submetido ao crivo do Comitê de Ética em Pesquisa Humana da UFPI/Parnaíba (CAAE: 48855115.9.0000.5669).  Para a reintrodução foram utilizadas em primeira instância as instalações do IBAMA/Teresina, após a soltura o monitoramento foi realizado por meio de caminhadas em transectos e foi implantada a técnica ponto-de-escuta na área de estudo, utilizando binóculos, lunetas, máquinas fotográficas e gravadores. O registro dos saberes etnoornitologicos e ambientais da comunidade e alunos, seguiu-se com a aplicação de formulários (adultos) e questionários semi-estruturados (alunos). Amostra da comunidade consistiu 51 indivíduos considerando uma população de 70 moradores, e para registro das atividades na escola utilizou-se de uma amostra de 74 alunos, considerando um universo de 120 aproximadamente, isto se levando em consideração regras estatísticas. As identificações das espécies reportadas por moradores e alunos, como os registros da avifauna nativa foram auxiliados com guia de campo. Foram reintroduzidos 136 indivíduos pertencentes a 12 espécies. O levantamento registrou um total de 197 espécies de aves, distribuídas em 48 famílias pertencentes a 23 ordens. Os moradores relataram 95 etnoespécies pertencentes a 35 famílias abrangendo 25 residentes e 5 residentes e endêmica . Os principais atributos para nomear as espécies foram: canto, comportamento, morfologia, habitat e antropogênico. Os resultados permitiram através das percepções sobre o meio ambiente de alunos do 6º ao 9º ano do ensino fundamental, apontar na sua grande maioria para uma percepção naturalista, no entanto notou-se através de alguns dos indivíduos pesquisados que esta percepção naturalista não está tão desligada do contexto social, econômico, politico e cultural, caso dos papagaios onde alguns alunos durante a entrevista apontaram como animal de estimação. Os resultados apresentados indicam uma elevada riqueza biológica quanto etnoornitologico com suas peculiaridades, sendo assim os dados contribuírão com futuros planos de manejo e conservação da área.

  • LILIAN DE CASTRO MORAES PINTO
  • Ecoeficiência na produção sucroalcooleira no Piauí
  • Orientador : MARIA DO SOCORRO LIRA MONTEIRO
  • Data: 07/04/2017
  • Mostrar Resumo
  •  

    A procura por fontes alternativas de energia para substituir o uso de combustíveis fósseis evidenciou o etanol, biocombustível utilizado pelo Brasil desde 1975. Entretanto, a sustentabilidade da produção é questionada, devido aos impactos negativos causados pelo cultivo da cana de açúcar. O incentivo governamental para o crescimento do setor sucroenergético e a expansão do cultivo para regiões não exploradas do Nordeste despertaram para o estudo dos impactos ambiental e econômico dessa atividade no Piauí. Nesse sentido, questionou-se: a produção sucroalcooleira no Piauí se processa de forma ecoeficiente? Esta dissertação encerrou a hipótese de que a produção de açúcar e de álcool, por consumir grande quantidade de água e energia, emitir Gases de Efeito Estufa (GEE), gerar resíduos e requerer vastas dimensões de terra para o cultivo da matéria-prima, não se configura em uma gestão ecoeficiente. Com vistas a responder o problema e constatar ou não a hipótese, objetivou-se analisar elementos e indicadores de ecoeficiência na produção sucroalcooleira no estado do Piauí. Para tanto, especificamente, contextualizou-se historicamente o cultivo de cana de açúcar no Brasil, no Nordeste e no Piauí; circunstanciou-se a produção de álcool e de açúcar; examinaram-se indicadores de ecoeficiência de valor (lucro e quantidade do produto) e de influência ambiental (consumo de energia, emissões de GEE, geração de resíduos sólidos e uso do solo) para os processos de produção de açúcar e álcool no Piauí em 2015; e avaliou-se qualitativamente a produção sucroalcooleira no mesmo, a partir de análise interpretativa dos ecoindicadores. Como suporte teórico/metodológico deste estudo, empregou-se a norma ABNT NBR ISO 14045:2014, que envolveu Avaliação do Ciclo de Vida. Sendo assim, embasado no inventário do ciclo de vida do etanol e do açúcar no Piauí, a análise revelou que o sistema produtivo de açúcar apresentou maior ecoeficiência que o de álcool no tocante ao consumo de energia fóssil, emissões de GEE e geração de resíduos sólidos. Porém, detectou-se que o álcool foi mais ecoeficiente quanto ao uso do solo, em função do aproveitamento de resíduo do processamento da cana, o melaço, em parte do processo produtivo. Adicionalmente, evidenciou-se que todos os indicadores investigados revelaram baixo retorno financeiro, o que apontou que não obstante o reaproveitamento dos resíduos sólidos e líquidos, a produção de açúcar e de etanol no Piauí não foi ecoeficiente em 2015.

     

  • DARLANE FREITAS MORAIS DA SILVA
  • Diagnóstico florístico, fitossociológico e usos econômicos de uma área de cerrado ecotonal da planície litorânea do Piauí
  • Orientador : ANTONIO ALBERTO JORGE FARIAS CASTRO
  • Data: 17/03/2017
  • Mostrar Resumo
  • Os cerrados ecotonais da região setentrional do Piauí formam um complexo vegetacional heterogêneo, que apresenta uma significativa riqueza florística. Objetivou-se no presente estudo, contribuir com conhecimentos sobre a flora, a estrutura da vegetação e usos econômicos das espécies pelos moradores da comunidade do entorno, promovendo a consciência ambiental sobre a importância desse remanescente ecotonal. A pesquisa foi desenvolvida em uma área de cerrado ecotonal localizada na fazenda Mucambo Velho, adjacente a comunidade Pé-do-Morro, Município de Buriti dos Lopes, PI. O Protocolo de Avaliação Fitossociológica Mínima (PAFM) foi utilizado na amostragem da vegetação, sendo realizadas excursões ao campo para coleta de material botânico, que se encontra depositado nos acervos dos herbários TEPB da (UFPI) e UFP da (UFPE). Comparações de similaridades florísticas foram realizadas com outros levantamentos de áreas ecotonais da parte setentrional do Piauí, incorporados no banco de dados do FLORACENE, sendo realizadas também análises de solo e balanço hídrico climatológico. Entrevistas com a comunidade do entorno do cerrado ecotonal foram realizadas, com aprovação do Comitê de Ética em Pesquisa (CEP) da UFPI, sendo diagnosticado os usos econômicos dos recursos vegetais e também a hipótese da aparência ecológica foi testada. Após essas etapas foi desenvolvido o retorno da pesquisa para a comunidade, através de um curso para promover a consciência ambiental. No levantamento florístico amostrou-se 98 espécies, distribuídas em 85 gêneros e 35 famílias. A estrutura fitossociológica apresentou-se composta por 32 espécies, 29 gêneros e 15 famílias. A diversidade de Shannon (H’) e a equabilidade de Pielou (J’) foram respectivamente 2,25 nats.ind-1 e 0,65. As relações de similaridade florística apresentaram semelhanças com os levantamentos realizados no Complexo Vegetacional de Campo Maior, PI. Em relação aos usos econômicos das espécies, a categoria madeireira foi a que mais se destacou, com a hipótese da aparência ecológica demonstrando uma relação positiva e significativa entre o uso e alguns parâmetros fitossociológicos. A vegetação dos cerrados ecotonais possuem uma flora diversificada, com padrão de manchas em mosaico, semelhante as outras áreas de tensão ecológica da parte setentrional do Piauí, sendo o conjunto de informações obtidas no presente estudo, importantes para o planejamento da conservação e uso sustentável desses remanescentes.

  • ARTHUR SEREJO NEVES RIBEIRO
  • Perigo Aviário no Aeroporto Internacional Prefeito Dr. João Silva Filho e a Percepção Deste Risco Pela Comunidade Chafariz Em Parnaíba/PI
  • Orientador : ANDERSON GUZZI
  • Data: 06/03/2017
  • Mostrar Resumo
  • Risco aviário é a presença de aves com potencial de causar danos à aeronave
    durante sua operação. As colisões entre aeronaves e aves aumentaram com o
    crescimento da indústria da aviação resultando em danos materiais significativos e
    risco às vidas humanas. O uso de etnociências é fundamental para a melhor
    compreensão da temporalidade e das influências desses empreendimentos na
    sociedade, pois o conhecimento popular tem a capacidade de complementar o
    conhecimento científico. Percepção ambiental é uma ferramenta de pesquisa
    utilizada em áreas educacionais, sociais e ambientais para ampliar a qualidade de
    vida. Objetivou-se com este trabalho identificar as espécies de aves com maior risco
    de colisão com aeronaves no Aeroporto Internacional Prefeito Dr. João Silva Filho e
    compreender a percepção da comunidade a respeito da avifauna local e do risco
    aviário. A área de estudo escolhida compreendeu: o aeroporto da cidade de
    Parnaíba/PI/Brasil e a comunidade Chafariz, localizada na área de entorno do
    aeródromo. Procedimentos de aproximação, pouso e decolagem de aeronaves
    foram monitorados de forma a observar quais espécies de aves podem causar
    algum tipo de risco. As observações ocorreram três vezes por semana de abril de
    2015 a fevereiro de 2016. Utilizaram-se binóculos para visualização e câmera digital
    para registro fotográfico além de um manual de campo para assegurar a correta
    identificação das aves. A nomenclatura e a classificação das aves seguiram a lista
    brasileira mais recente. A metodologia de análise do risco aviário se baseou na
    criação de um ranque das espécies, apontando aquelas que são mais perigosas à
    aviação com o ranque mais alto. As principais análises estatísticas foram: frequência
    de ocorrência; análise de correspondência canônica e curva do coletor, A percepção
    da população sobre as aves e dos riscos foi obtido através de formulário
    semiestruturado com participantes maiores de 18 anos e tempo de residência igual
    ou superior a dois anos na região. No aeroporto verificou-se a existência de 29
    espécies de aves que realizaram 3199 interações durante 104 voos. A atividade
    mais frequentemente observada foi o voo próximo à pista. As espécies com maior
    ocorrência foram Coragyps atratus e Vanellus chilensis enquanto as de maiores
    escores foram Athene cunicularia e Caracara plancus. As mesmas espécies também
    figuram na lista brasileira como de maior risco aviário. Os moradores da comunidade
    Chafariz identificaram 80 espécies de aves, das quais 24 foram relatadas em
    declínio populacional. Dos 52 entrevistados, 73% desconheciam atividades das aves
    que os pusessem em risco. A interação entre aves e aviões mais citada foi o voo
    próximo à pista. Além disso, há pouca visibilidade das medidas de segurança
    adotadas pela INFRAERO. A comunidade local apresenta elevado conhecimento
    sobre as aves da região, mas em sua maioria não percebe o risco que a presença
    dessas aves traz à segurança aeroportuária e, por consequência, aos moradores do
    entorno do aeroporto. Pode ser verificada a existência de espécies que representam
    risco à aviação no local, mas há possibilidade de diminuição deste risco através da
    aplicação de medidas que diminuam a atratividade do aeroporto para as aves.

  • FRANCISCO DAS CHAGAS VIEIRA SANTOS
  • IMPACTOS AMBIENTAIS DO COMPLEXO EÓLICO DELTA DO PARNAÍBA SOBRE A AVIFAUNA E OS SABERES ETNOORNITOLÓGICOS NA COMUNIDADE LABINO, PIAUÍ, BRASIL
  • Orientador : ANDERSON GUZZI
  • Data: 06/03/2017
  • Mostrar Resumo
  • A implantação de uma usina eólica pode gerar de forma direta e indireta, impactos sobre a fauna, em especial sobre as aves. No entanto, esse tipo de impacto é um dos temas ambientais menos estudados. O objetivo geral foi levantar as espécies de aves que ocorrem na área do complexo Eólico Delta do Parnaíba, e registrar os saberes etnoornitológicos e ambientais na comunidade Labino, município de Ilha Grande/PI, área no entorno do complexo eólico. A área amostral é composta pela área diretamente afetada pelo empreendimento (ADA), distribuída nos Municípios de Parnaíba e Ilha Grande, ambos localizados no extremo norte do Estado do Piauí. O levantamento foi quali-quantitativo, e a área de estudo teve sua extensão dividida em quatro transectos lineares de 2,5 Km, aproveitando trilhas pré-existentes. Buscou-se o aproveitamento das áreas na procura de espécies de aves consideradas menos conspícuas. Foram utilizados binóculos (10X50) e um gravador com microfone direcional. Aliado a isso, foram coletados dados por meio de entrevistas semiestruturadas com residentes locais. A amostra consistiu de 150 pessoas, 76 (51%) do sexo masculino e 74 (49%) do sexo feminino) com idades entre 18 e 87 anos. Antes da execução, o trabalho foi aprovado no Comitê de Ética em Pesquisa Humana da UFPI/Parnaíba (CAAE 48477215.2.0000.5669). Espécies reportadas pelos entrevistados foram identificadas a nível específico, utilizando guia de campo e a lista de aves brasileiras do Comitê Brasileiro de Registros Ornitológicos. A riqueza de espécies estimada para o complexo eólico foi de aproximadamente 218 espécies, segundo o estimador Jackknife de Primeira Ordem (Jack1), ao passo que a riqueza observada foi de 186, demonstrando que aproximadamente 55% das espécies presentes na área foram registradas empregando as técnicas descritas para este estudo, ou seja, apenas 15% das espécies de aves ainda não foi registrado pelos métodos aplicados. A maioria das espécies registrada é residente, insetívora, apresenta baixa sensibilidade a alterações ambientais e não são associadas a ambientes florestais. Segundo entrevistados, na área de estudo ocorrem 97 espécies de aves pertencentes a 21 ordens e 40 famílias. Homens conhecem mais espécies da avifauna local do que as mulheres. Um percentual bastante representativo (n=68;45%) dos entrevistados reportou o consumo de aves nativas. Aramides cajaneus, Columbina squammata e Zenaida auriculata foram as espécies mais importantes, caçadas para fins de alimento. Um total de 48 espécies foram percebidas como tendo suas populações reduzidas nos últimos anos, principalmente Aramides cajaneus, Cacicus cela, Icterus jamacaii, Mimus gilvus, Turdus rufiventris entre outras. A retirada da vegetação foi a atividade realizada pelo complexo eólico que ofereceu maior impacto para as aves da região (n=111;74%). Os resultados indicam um baixo impacto causado pelo empreendimento na área de estudo, considerando a riqueza de aves registrada, e poderão fornecer estratégias que permitam a conservação biológica e cultural da avifauna regional.

  • FRANCYNARA PONTES ROCHA
  • DIVERSIDADE DE OOMICETOS (OOMYCOTA) E PERCEPÇÃO SOCIOAMBIENTAL DE PESCADORES DA BARRAGEM DO BEZERRO, JOSÉ DE FREITAS – PIAUÍ
  • Orientador : JOSE DE RIBAMAR DE SOUSA ROCHA
  • Data: 23/02/2017
  • Mostrar Resumo
  •  

    Esta pesquisa objetivou relatar a diversidade e distribuição de oomicetos na Barragem do Bezerro, José de Freitas, Piauí, com enfoque nos táxons com potencial patogênico e analisar a percepção socioambiental de pescadores do entorno da Barragem. Coletou-se amostras de água e solo, trimestralmente de Novembro/2015 a Novembro/2016, e em laboratório aplicou-se a técnica de iscagem múltipla. Para avaliar a distribuição dos organismos, utilizou índices ecológicos. Entrevistas com pescadores do entorno da barragem, foram realizadas, com auxílio de formulário semiestruturado, devidamente aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da UFPI (CAAE: CAAE/ 581 293 16.1. 0000.5214), que serviu de base para a delimitação do perfil da percepção dos pescadores. Foram identificados 20 táxons distribuídos em sete famílias: Leptolegniaceae (Plectospira myriandra Drechsler, Plectospira agama Drechsler, Leptolegniella Keratinophila Huneycutt), Myzocytiopsidaceae (Myzocytiopsis zoophthora (Sparrow) M.W. Dick), Pythiaceae (Globisporangium ultimum Drechsler, Globisporangium echinulatum V. D. Matthews, Globisporangium mamillatum Meurs), Pythiogetonaceae (Pythiogeton ramosum Minden, Pythiogeton dichotomum Tokun, Pythiogeton uniforme, A. Lund, Pythiogeton utriforme Minden), Saprolegniaceae (Achlya flagellata Coker, Achlya proliferoides Coker, Achlya americana Humphrey, Dictyuchus sterilis Coker , Brevilegnia sp., Aphanomyces Keratinophylus M. Ôkubo & Kobayasi. R.L, Aphanomyces helicoides Minden, Aphanomyces raphani J.B. Kendr.), Peronosporaceae (Phytophthora sp.) e Leptolegniellaceae (Leptolegniella keratinophila Huneycutt). Nove gêneros possuem potencial patogênico relatados na literatura. A predominância de espécies foi relatada no solo, e em substratos celulósicos. Os táxons Plectospira agama e Myzocytiopsis zoophthora foram primeira ocorrência para o Brasil. Os índices Riqueza e Constância apresentaram-se mais elevados em Fevereiro/2016 (2° coleta). A percepção dos pescadores do entorno apontou que a maioria dos pescadores do entorno da Barragem tem vasto conhecimento empírico sobre aspectos ecológicos, e manejo dos recursos naturais.  A implementação de programas de Educação Ambiental seria bastante benéfica para todos os utilitários da Barragem e para contribuir com as boas condições ambientais do local. Os pescadores, se mostram bastante receptivos a novos programas e ações que visem a preservação ambiental da Barragem do Bezerro.

  • JOSEANE LUSTOSA MACHADO
  • A “INVISÍVEL” DIVERSIDADE DE OOMICETOS (OOMYCOTA), USOS E QUALIDADE DA ÁGUA DO COMPLEXO AÇUDE JOANA EM PEDRO II, PIAUÍ
  • Orientador : JOSE DE RIBAMAR DE SOUSA ROCHA
  • Data: 21/02/2017
  • Mostrar Resumo
  • Este estudo objetivou identificar a diversidade de oomicetos, destacando as espécies patogênicas, além de analisar a qualidade e o uso da água do Complexo Açude Joana, Pedro II, Piauí e sua relação com a população utilitária. Para o estudo da diversidade de oomicetos utilizou-se a Técnica de Iscagem Múltipla, com identificação no Laboratório de Micologia/Fungos Zoospóricos da Universidade Federal do Piauí e posterior levantamento bibliográfico do potencial patogênico na literatura. Para a definição dos usos da água foram realizados levantamento bibliográfico de documentos oficiais e observação in loco. As análises físico-químicas e microbiológicas da água foram realizadas no Laboratório de Saneamento da UFPI. Aliado a essas análises, foram realizadas entrevistas com formulário semiestruturado com 27 informantes, aprovado pelo Cômite de Ética em Pesquisa da UFPI (CAAE: 55837616.5.0000.5214). Registrou-se 96 ocorrências de 24 táxons, com destaque para Dictyuchus sterile, Myzocytiopsis zoopthora e Plectospira gemmifera primeiras citações para o Brasil e Achlya americana e Brevilegnia subclavata como primeiras para o Piauí. Entre os táxons relatados, existem espécies com potencial patogênico para culturas agrícolas e peixes, que em condições de desequilíbrio ambiental e presença de espécies suscetíveis, podem interferir nos usos da água para irrigação e atividade de pesca. A qualidade da água conforme o IQA/CETESB está classificado de “Razoável” a “Ótimo”, contudo algumas variáveis apresentam valores superiores ao limite estabelecido pela Resolução CONAMA nº357/2005, especialmente o fósforo, um indicativo do lançamento de efluentes in natura nos corpos d’água. Esta realidade é constatada nas entrevistas realizadas, pois segundo os informantes, as águas estão “sujas” devido ao lançamento de efluentes e resíduos sólidos, que tem como destino final o açude Joana. Em relação aos micro-organismos, o tamanho reduzido não inviabiliza sua percepção. Os entrevistados não apresentam um conhecimento que os distinguem, mas sabem da existência de organismos “invisíveis” aos olhos, que podem ser benéficos para o ambiente, mas também podem provocar doenças. Este estudo revela que os recursos hídricos estão sendo utilizados de forma insustentável, gerando riscos para a saúde e para o desenvolvimento regional, compromentendo a biodiversidade, em especial dos micro-organismos, pois não compreendemos as relações estabelecidas entre estes e a água contaminada. É essencial a implantação de um sistema de esgotamento sanitário no município, bem como a sensibilização da população local para a conservação dos recursos naturais.

     

     

  • VANESSA MENEZES COSTA
  • Avaliação da Genotoxicidade e Mutagenicidade em Esgotos Tratados por Lagoas de Estabilização em Teresina-Piauí
  • Orientador : CLETO AUGUSTO BARATTA MONTEIRO
  • Data: 20/02/2017
  • Mostrar Resumo
  • Os esgotos domésticos e os efluentes industriais são as principais fontes de contaminação dos recursos hídricos, pois estes resíduos são frequentemente tóxicos e seu descarte inadequado pode degradar seriamente o ambiente. Os agentes poluidores podem causar danos aos organismos expostos, entre eles danos mutagênicos. Testes com plantas são frequentemente utilizados em monitoramento ambiental, e a espécie Allium cepa tem sido muito utilizada em avaliações do potencial tóxico de certos ambientes principalmente, os aquáticos. Os rios Poti e Parnaíba na cidade de Teresina-PI recebem expressivo volume de esgotos produzidos na zona urbana, além de serem receptores dos efluentes processados nas estações de tratamento de esgoto. A pesquisa tem como objetivo avaliar a toxicidade e o potencial genotóxico e mutagênico induzidas por efluentes de esgoto tratado por sistemas de lagoas de estabilização na cidade de Teresina – PI com a utilização do teste Allium cepa, bem como comparar os resultados obtidos da estação de tratamento de esgoto Leste que recebe além do esgoto domestico, o esgoto proveniente dos veículos Limpa Fossas, com os da estação de tratamento de esgoto do Pirajá que recebe apenas esgoto doméstico. Foram realizadas seis coletas, duas em 2015 e quatro em 2016, contemplando o período seco e chuvoso da região em quatro pontos: P1-Esgoto bruto; P2-Rio montante; P3-Efluente final e o P4-Rio jusante. Os resultados detectados pelas análises físico-químicas revelaram que as águas e efluentes coletados apresentaram elevadas concentrações de condutividade elétrica, detergentes e fósforo, principalmente nos pontos, P1 e P3, além dos altos teores de coliformes termotolerantes encontrados nas análises microbiológicas nas duas estações de tratamento de esgoto, os valores foram mais críticos no período seco. Todos os pontos do estudo apresentaram uma potencialidade genotóxica e mutagênica, pois foram capazes de induzir alterações no material genético do organismo-teste utilizado, além da diminuição do índice mitótico e inibição do crescimento das raízes, evidenciado principalmente nos pontos, P1 e P2 do período seco, com danos maiores identificados na estação de tratamento de esgoto Leste. Durante o período chuvoso o potencial genotóxico e mutagênico foi menor nas duas estações em relação ao período seco. Portanto, é possível que os resultados mais significativos encontrados na estação de tratamento de esgoto Leste podem ter sido induzidos em razão do lançamento de xenobióticos provenientes de outras fontes antropogênicas como as dos veículos Limpa Fossas, que descarregam os resíduos coletados nesta estação. Esses resíduos contém, possivelmente, uma mistura complexa de agentes causadores do efeito mutagênico, que possam estar comprometendo a eficiência do tratamento da estação de tratamento de esgoto Leste

  • MIRNA ANDRADE BEZERRA
  • CONTRIBUIÇÕES DO BIOMIMETISMO E ECODESIGN PARA A SUSTENTABILIDADE
  • Data: 14/02/2017
  • Mostrar Resumo
  • Os impactos ambientais negativos das atividades humanas tem gerado crescente demanda pelo desenvolvimento de produtos sustentáveis com a finalidade de atender a legislação ambiental, as demandas dos clientes e as tendências de mercado. Dessa forma, é notável a tendência à melhoria do desempenho ambiental dos produtos por meio da inovação e o envolvimento interdisciplinar para gerar processos produtivos mais eficientes. Esta pesquisa envolve dois conceitos distintos, biomimetismo e ecodesign, como alternativas para a sustentabilidade. Na prática, o primeiro é uma tentativa de usar a inteligência evolutiva presente na natureza para melhorar produtos e processos. Neste trabalho, a sua abordagem foi realizada no âmbito educacional a partir da análise de livros texto do PNLD conferindo se há aplicação deste conceito e indicação de formas de inclusão deste conhecimento nas aulas de biologia e nos próprios livros, atendendo o requisito demandado pelos documentos do MEC que é a interdisciplinaridade. O conceito de biomimética e exemplos da sua aplicação foram achados em quatro livros selecionados para avaliação. O segundo termo caracteriza-se pela inclusão de critérios ambientais desde a fase de projeto do produto, considerando os impactos gerados durante todo o seu ciclo de vida. Sendo assim, a partir da norma ABNT NBR ISO 14006:2011, foram elencados pontos de intervenção e orientações que permitem a implantação do ecodesign em uma indústria moveleira de Teresina – PI. A análise do processo produtivo de todos os móveis e mais especificamente três modelos de cadeiras escolares permitiu a identificação de problemas como a destinação de resíduos sólidos, alguns deles perigosos, encontrados nas etapas de fabricação, principalmente, pintura e montagem. Estes conceitos, embora tenham matrizes diferentes, possuem pontos de integração em que o primeiro se utiliza das formas da natureza para desenvolver produtos sustentáveis, e o segundo contempla já no projeto e desenvolvimento de produtos a inspiração na natureza, colocando em foco aspectos ambientais importantes para redução de impactos negativos na produção, havendo uma troca mútua e relevante no ponto em que eles se encontram.

2016
Descrição
  • WANESKA MARIA DE VASCONCELOS MEDEIROS
  • AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DA ÁGUA DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO LONGÁ, ESTADO DO PIAUÍ/BRASIL
  • Orientador : CARLOS ERNANDO DA SILVA
  • Data: 20/12/2016
  • Mostrar Resumo
  • Este estudo teve como objetivo avaliar a qualidade das águas superficiais da bacia hidrográfica do rio Longá no Estado do Piauí, Brasil. Sete pontos foram monitorados com base na proximidade de estações meteorológicas e acessibilidade, para obter melhores caracterizações espaciais e de ocupação da bacia hidrográfica. As amostras de água foram coletadas mensalmente (01/2015-12/2015). Foram medidos Temperatura, pH, Turbidez, Condutividade Elétrica, Sólidos Totais, Fósforo Total, Nitrato, Oxigênio Dissolvido, Demanda Bioquímica de Oxigênio (DBO) e Escherichia coli (E. coli). Os resultados foram avaliados individualmente e comparados aos padrões brasileiros para águas doces de classe 2, conforme Resolução nº 357/2005 do Conselho Nacional do Meio Ambiente (CONAMA). Os dados foram avaliados utilizando-se análises multivariadas (agrupamento e análise de componentes principais - ACP). As variáveis E. coli, pH, turbidez, nitrato, DBO e condutividade elétrica variaram entre os dois períodos analisados (seco e chuvoso). As varáveis DBO, E. coli estiveram em desacordo com os padrões do CONAMA nos pontos urbanos P2, P3 e P5, devido à poluição difusa observada no período chuvoso. O agrupamento mostrou uma tendência espacial, apresentando dois grupos distintos (rural e urbano). Os resultados para o IQA classificaram as águas como de qualidade “ÓTIMA” a “REGULAR”. Os pontos P2 e P6 estiveram com maior frequência na categorização "ÓTIMA", com 50% e 58,3%, respectivamente. O ponto P3 foi o único que esteve na categorização "Regular", com a frequência de 8,3%. A ACP identificou quatro componentes principais que explicaram uma variação de 58,64% nos dados. A Componente 1 (CP1) refletiu uma contribuição de poluentes relacionados à poluição difusa de áreas agrícolas e urbanas. A CP2 foi fortemente associada à poluição, especialmente por esgoto doméstico não tratado. As outros CPs também refletiram pressões de atividades antropogênicas nos corpos de água.

  • RAQUEL KAROLINE CARVALHO DE SOUSA
  • DIAGNÓSTICO DA GESTÃO AMBIENTAL NA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ COM ÊNFASE NO PLANO DE GESTÃO DE LOGÍSTICA SUSTENTAVÉL

  • Orientador : DENIS BARROS DE CARVALHO
  • Data: 09/08/2016
  • Mostrar Resumo
  •  

     

    O desenvolvimento sustentável e a gestão ambiental têm sido discutidos em diversas esferas da sociedade, dentre as quais na gestão de organizações, e ganho cada vez mais espaço na gestão pública. O Governo Federal tem implantado e exigido de suas empresas várias práticas de gestão ambientalmente corretas, sendo que as universidades públicas necessitam, por força de sua complexidade administrativa e social, servir de exemplo às outras instituições neste aspecto. A problemática envolvida nesta pesquisa foi de Diagnosticar a Gestão Ambiental da Universidade Federal do Piauí com ênfase no Plano de Gestão de Logística Sustentável, que foi criado através da instrução IN 10 do MPOG de 12/11/2012 que normatizou o Decreto 7.746, sendo um regulamento criado e exigido pelo governo federal que tem o objetivo a inserção de ferramentas e cultura institucionais baseadas no desenvolvimento ambiental sustentável. Os objetivos específicos foram: 1). Verificar a existência de políticas de gestão ambiental na Universidade Federal do Piauí; 2) identificar as atitudes ambientais praticadas pela UFPI; 3) Mapear os Planos de Gestão de |Logística Sustentável das Universidades Federais do Nordeste; 4). Recomendar ações para implantação do PLS na UFPI. Este foi um estudo documental e descritivo. A pesquisa teve uma abordagem qualitativa e a coleta de dados foi realizada em três etapas: A primeira constitui uma pesquisa documental e bibliográfica sobre o tema estudado, a segunda foi a Mapeamento dos Planos de Gestão de Logística Sustentável das Universidades Federais do Nordeste, com este estudo foi verificado diferenciações nas formatações, estruturações e nos modelos utilizados, nos PLS encontrados e falta de algumas estruturas obrigatórias. A terceira etapa foi o Diagnóstico da Gestão Ambiental na Universidade Federal do Piauí com ênfase no Plano de Gestão de Logística Sustentável, no qual foi possível confirmar que está IES não tem o PLS e que possui, pequenas ações de gestão ambiental, mas ainda muito incipientes como a coleta de lixo seletiva, redução de impressoras e consumo de toner e algumas atividades relacionadas a qualidade de vida no ambiente de trabalho com a realização de ginástica laboral para seus servidores e curso de capacitações.

     

     

  • LARA CARVALHO DE OLIVEIRA
  • PERCEPÇÃO E VULNERABILIDADE SOCIOAMBIENTAL: ESTUDO NOS BAIRROS OLARIAS E SÃO JOAQUIM, TERESINA, PIAUÍ

  • Orientador : WILZA GOMES REIS LOPES
  • Data: 21/07/2016
  • Mostrar Resumo
  •  

    Partindo do pressuposto de que o homem, individual ou coletivamente, estabelece importantes relações com o ambiente sócio-físico no qual está inserido, e que estas relações são de extrema importância para a sua sobrevivência, esta pesquisa tem como objetivo analisar, por meio da percepção de seus habitantes, como os moradores da Avenida Boa Esperança, que corta os bairros São Joaquim e Olarias, se relacionam com o ambiente em que vivem. Os objetivos específicos são: discutir sob a ótica da educação ambiental o Programa Lagoas do Norte, implantado na região; caracterizar a área de estudo, quanto ao perfil socioeconômico dos moradores, aspectos físico-naturais e infraestrutura física existente; analisar aspectos afetivos, simbólicos e funcionais da relação entre moradores e o entorno; verificar as percepções dos moradores acerca de problemas socioambientais locais e riscos relacionados; e investigar como os moradores lidam com os problemas socioambientais e riscos do lugar. A pesquisa apresenta metodologia qualitativa, e engloba pesquisa documental, realização de entrevistas não estruturadas com os moradores, às quais são analisadas segundo a técnica de Análise de Conteúdo, e anotações em diário de campo referentes às visitas ao local. Os resultados parciais indicam a existência de forte vínculo entre os moradores e o entorno, assim como de um sentimento de comunidade. Percebe-se também um clima de insegurança decorrente das ameaças de remoção das famílias, que tem impactado diretamente na vida dos moradores e na dinâmica do lugar.


      

  • WESLLEY MAYCON NERIS BATISTA
  • ANÁLISE DA GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS: ESTUDO DE CASO NO MUNICÍPIO DE JOSÉ DE FREITAS – PI

  • Orientador : DENIS BARROS DE CARVALHO
  • Data: 03/06/2016
  • Mostrar Resumo
  • O desenvolvimento desordenado dos espaços urbanizados tem provocado ao longo do tempo o desencadeamento de diversas problemáticas ambientais. A gestão ineficiente dos resíduos sólidos se encaixa hoje nessas problemáticas em diversos municípios brasileiros, sobretudo aqueles de menor porte. O grande desafio se encontra nas melhorias desses sistemas de gestão e a busca por algo que englobe, se não a solução destes problemas, pelo menos a mitigação destes. A lei federal nº 12.305/2010, que intitula e dispõe sobre a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) define limites temporais para algumas situações como: eliminação e/ou remediação de lixões, destinação ambientalmente adequada dos resíduos e representa uma mudança de paradigmas em diversos setores da sociedade brasileira. A lei da PNRS propõe ambiguamente a reformulação de alguns paradigmas sócio – ambientais, bem como a criação de outros novos, uma vez que, a mesma defini critérios e orientações a serem seguidas por diferentes entes da sociedade e atribui responsabilidades múltiplas quanto ao gerenciamento dos diversos resíduos, a chamada responsabilidade compartilhada. Foi definido como campo de estudo a gestão de resíduos sólidos urbanos no município de José de Freitas, em função das particularidades inerentes a gestão de resíduos no município, bem como em função deste participar da Região Integrada de Desenvolvimento (RIDE) Grande Teresina. O município possui uma estimativa de geração diária próxima à 13,7 T apresentando assim uma taxa de geração per capta em torno de 0,63kg/hab/dia. Seus resíduos são acondicionados em uma área de lixão apresentando limitações como falta de monitoramento, presença de animais, manejo inadequado, percolação de chorume em solo, entre outros fatores. Este trabalho tem como objetivo principal analisar a eficiência da gestão de resíduos sólidos urbanos implementada no município de José de Freitas e complementarmente analisar documentos e materiais que subsidiem o cumprimento do município quanto as suas obrigações ligadas à gestão de resíduos. Nos estudos observou - se a ineficiência das ações praticadas pelo sistema de gestão executado atualmente, revelando deficiências estruturais (falta de capacitação profissional, monitoramento de áreas de lixões, manejo inadequado e áreas inadequadas, ações mínimas de educação ambiental) no que tange a integração da temática nos diversos setores que compõem a prefeitura municipal. Observou – se também um quadro deficitário quanto ao número e nível de qualificação dos agentes que trabalham com a temática no município. Surge assim, a necessidade de reformulação do sistema e um diagnóstico preciso dos setores e dos agentes envolvidos, permitindo assim um prognóstico mais preciso do município frente as questões inerentes à gestão de resíduos, bem como as responsabilidades estabelecidas em normativas legais.

  • JANETE BARROS DA SILVA
  •  DIVERSIDADE DE OOMICETOS (Oomycota) E CONSERVAÇÃO NO PARQUE NATURAL MUNICIPAL LAGOA DO SAMBICO, TIMON - MA

  • Orientador : JOSE DE RIBAMAR DE SOUSA ROCHA
  • Data: 24/05/2016
  • Mostrar Resumo
  • Os organismos zoospóricos podem ser encontrados com distribuição cosmopolita em diferentes tipos de substratos. Apresentam flagelos em suas estruturas de reprodução sexuada e/ou assexuadas. Eles podem ser parasitas de algas, peixes, plantas e crustáceos. A pesquisa teve como objetivos principais: caracterizar o Parque Natural Municipal Lagoa do Sambico, Timon, Maranhão no seu aspecto ecológico e ambiental, levantar a diversidade de Oomicetos presente na lagoa, destacando aqueles com potencial patogênico às plantas e animais e avaliar a percepção dos moradores do entorno. São poucos os relatos com estes organismos, sendo que neste local o estudo é pioneiro. A pesquisa é de natureza quantitativa, qualitativa e bibliográfica, com uma análise criteriosa da realidade que se apresenta. Como partes práticas e experimentais, foram realizadas cinco coletas, bimestrais, de Agosto/2014 a Maio/2015 em quatro pontos distintos da área e um formulário semiestruturado foi aplicado. A pesquisa foi aprovada no Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Piauí, sob o número: CAAE/435 893 15.5. 0000.5214, em observância a Resolução 466/2012, de pesquisa com humanos. A técnica utilizada para o isolamento e descrição dos Oomicetos consiste na iscagem dos fungos por meio de diferentes substratos. As frequências de ocorrências foram calculadas segundo escala de Braun-Blanquet e índice de similaridade de Sorensen. Fatores abióticos como a temperatura também foram avaliados além de abundancia e riqueza das espécies. Com o estudo foram identificados 16 espécies de Oomicetos pertencentes a cinco famílias: Olpidiopsidaceae, Pythiaceae, Pythiogetonaceae, Leptolegniaceae e Saprolegniaceae. As espécies Olpidiopsis aphanomyces Cornu, Saprolegnia luxurians Bhargava & G. C. Srivast e Aplanopsis terrestris Hohnk são descritas como primeiras citações para o Brasil. A análise da temperatura mostrou um indicativo para o aparecimento ou não dos Oomicetos, no período chuvoso houve maior ocorrência, no mês de fevereiro, com 13 isolamentos distintos, onde foi verificada maior riqueza. As análises estatísticas mostraram que o Índice de Similaridade de Sorensen foi significativo, sete táxons foram considerados similares aos períodos chuvosos e de estiagem. A abundância foi maior no período chuvoso, com 57 isolamentos. A percepção ambiental dos moradores do entorno é limitada, porém reconhecem que a água da lagoa não pode ser utilizada por causa da poluição. Segundo a literatura especializada nem todos os Ooomicetos encontrados apresentaram potencial patogênico, os gêneros Aphanomyces, Pythiogeton, Pythium, Achlya e Saprolegnia possuem representantes de importantes patógenos para plantas e animais. O parque precisa ser revitalizado para que os moradores do entorno não continuem sofrendo com o problemas ambientais existentes, como odor e acúmulo do lixo, provocando doenças e contaminação na água da lagoa.  É necessário incrementar esforços para informar e sensibilizar a população sobre as questões ambientais.

  • MARIA DO AMPARO DE MOURA MACÊDO
  •  

    DIVERSIADE DE OOMICETOS E A SUSTENTABILIDADE NO ASSENTAMENTO MUTUM

  • Orientador : JOSE DE RIBAMAR DE SOUSA ROCHA
  • Data: 24/05/2016
  • Mostrar Resumo
  • Estudo realizado no assentamento Mutum, Demerval Lobão – Piauí que objetivou levantar os organismos zoospóricos do Filo Oomycota correlacionando-os com parâmetros ambientais e destacando aqueles com potencial fitopatógeno, bem como a percepção dos moradores sobre o uso dos agrotóxicos. Para a identificação e classificação dos oomicetos utilizou-se o método de isolamento múltiplo. Este estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa (CEP) da Universidade Federal do Piauí (UFPI), sendo a coleta de dados sociodemográficos e de percepção obtidos pela aplicação de formulário semiestruturado com 25 informantes da comunidade, que concordaram em assinar o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (TCLE). Quanto à diversidade de oomicetos foram identificados 20 taxas, pertencentes a cinco famílias: Leptolegniaceae, Leptolegniellaceae,Pythiogetonaceae, Pythiaceae e SaprolegniaceaeDuas espécies foram relatadas como primeira citação para o Brasil:Brevilegnia longicaulis Johnson e Saprolegnia luxurians Bhargava et Srivastava. A comunidade de oomicetos foi mais abundante no período de estiagem e com maior incidência no solo, sendo a abundancia favorecida pela diminuição da temperatura e aumento da precipitação. Os moradores que trabalham nas culturas irrigadas não usam adequadamente EPIs e não descartam corretamente as embalagens vazias de agrotóxicos, enumerando como benefícios a eliminação de pragas e ervas daninha que impedem o crescimento das culturas, além de reduzir a mão de obra. Contudo, compreendem os impactos à saúde, ao solo e aos recursos hídricos. Assim, as informações apresentados colaboram com o conhecimento da distribuição geográfica dos oomicetos e a influência de parâmetros ambientais na ecologia desses organismos, além de contribuir com os moradores do assentamento com informações quanto à existência dos oomicetos e os riscos com o uso de agrotóxicos, alertando sobre a importância da preservação e conservação dos recursos hídricos.

     

     

     

  • CONCEIÇÃO DE MARIA MARTINS FEITOSA
  • O TRABALHO DE FORMAÇÃO DE PESQUISADORES COMO CONTRIBUIÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO LOCAL DE DOCENTES PESQUISADORES DE PÓS-GRADUAÇÃO: O CASO DO CORPO DOCENTE DO MESTRADO EM DESENVOLVIMENTO E MEIO AMBIENTE DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ.

  • Orientador : DENIS BARROS DE CARVALHO
  • Data: 23/05/2016
  • Mostrar Resumo
  • Esta dissertação está dividida em três partes: introdução, artigos e considerações finais. Os artigos são dois: A formação de pesquisadores como produção do corpo docente de programas de pós-graduação: uma análise do MDMA/UFPI a partir do currículo Lattes e da Plataforma Sucupira, que, utilizando principalmente dados do Currículo Lattes, investiga o trabalho de formação de pesquisadores como indicador de produção do corpo docente do MDMA/UFPI e Meio Ambiente, solidariedade intergrupal e a inserção regional do Mestrado em Desenvolvimento e Meio Ambiente da Universidade Federal do Piauí: uma análise a partir da Plataforma Sucupira, no qual – a partir de questões sobre, a temática ambiental, a solidariedade intergrupal e a inserção regional, é feita uma análise do Relatório do MDMA/UFPI apresentado à CAPES em 2014 através da Plataforma Sucupira. Em síntese os principais resultados foram: a) O MDMA/UFPI tem como principal contribuição ao desenvolvimento regional a formação de docentes em todos os níveis de ensino, com predominância do nível superior. Isso esgota o seu envolvimento com o ensino básico, que não é direto como propugna o Documento da Área Ciências Ambientais; b) O corpo docente permanente do MDMA/UFPI é reduzido, com a presença de pouca diversidade de áreas de graduação; c) A trajetória dos professores pesquisadores do MDMA/UFPI é disciplinar, sendo que o interesse é a capacitação em práticas interdisciplinares resulta de iniciativa pessoal de cada docente;d) os mestres orientados pelo Corpo Docente do MDMA/UFPI estão em trajetória acadêmica dinâmica e se vinculando ao Ensino Superior, o que permite que eles possam desenvolver atividades de pesquisa e de docência.

  • ANDERSON FONTENELE VIEIRA
  • TURISMO E SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL NA COMUNIDADE DE BARRA GRANDE, CAJUEIRO DA PRAIA, PIAUÍ (PI)

  • Orientador : JOSE LUIS LOPES ARAUJO
  • Data: 12/05/2016
  • Mostrar Resumo
  • A comunidade de Barra Grande, destino turístico localizado no município de Cajueiro da Praia, Piauí, na Área de Proteção Ambiental (APA) do Delta do Parnaíba foi objeto de investigação deste estudo. O turismo nesta região cresceu nas últimas décadas gerando mudanças, como: a) a implementação de políticas desse setor em todas as esferas governamentais, que incidem diretamente na área; b) construção de empreendimentos hoteleiros; c) chegada de estrangeiros e brasileiros de outros estados interessados em empreender e residir na comunidade; d) aumento da especulação imobiliária; e, e) participação dos moradores em alguma atividade, que tenha relação com o turismo. Contudo, o processo de turistificação em Barra Grande potencializou problemas existentes e trouxe consigo impactos negativos transformando a região. Dessa forma, o presente trabalho teve como objetivo geral - analisar os impactos ambientais do turismo em Barra Grande, considerando indicadores de sustentabilidade ambiental. E, como objetivos específicos: caracterizar o turismo desenvolvido no contexto da comunidade de Barra Grande; identificar os impactos do turismo ao meio ambiente gerados pelos meios de hospedagem, utilizando os indicadores ambientais de saneamento propostos pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE, em 2012; e, apresentar a realidade dos serviços de infraestrutura básica referentes à água, tratamento de dejetos, coleta e destinação do lixo local. A metodologia adotada constou de pesquisa bibliográfica e documental sobre os temas: turismo e meio ambiente, políticas públicas, desenvolvimento sustentável e indicadores de sustentabilidade. A coleta dos dados foi realizada, por meio, da aplicação de formulários de entrevistas semiestruturadas e específicas, com o Secretário de Turismo e Meio Ambiente e com os proprietários ou gestores de 21 pousadas, abordando os três indicadores ambientais propostos. Posteriormente, os resultados destes indicadores foram aplicados utilizando a metodologia PER (Pressão-Estado-Resposta), adotada pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico - OECD, apresentando os agentes que geram pressão (impactos) ao meio natural, qualificando o estado desse meio e a existência de iniciativas de reposta da gestão local. Quanto aos resultados, constatou-se que, a realidade dos serviços de infraestrutura básica é bastante precária e que os impactos ambientais dos meios de hospedagem somado a de outras atividades, influenciam diretamente no desequilíbrio do sistema ambiental da região estudada. Por fim, espera-se que os dados possam contribuir no planejamento turístico, além de construir elementos para novas abordagens de pesquisa sobre a viabilidade e adesão de segmentos turísticos sustentáveis, no contexto do estado do Piauí ou de outras regiões do Brasil, permitindo reprodutibilidade desse estudo e de modelos de gestão, com foco para efetividade da sustentabilidade nos destinos.

  • EVADILSON DA SILVA COSTA
  • "Comissões de Meio Ambiente e Qualidade de Vida nas Escolas: desafio de Educação Ambiental como política educacional no município de Caxias – MA."

  • Orientador : DENIS BARROS DE CARVALHO
  • Data: 12/05/2016
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho é uma investigação a respeito das Comissões de Meio

    Ambiente e Qualidade de Vida – COM- VIDA’s como política educacional no

    município de Caxias no Estado do Maranhão que procurou, analisar as contribuições

    e práticas que as mesmas dão para o fortalecimento da Educação Ambiental nas

    escolas. Na tentativa de responder tal pretensão, o trabalha apresentou duas

    questões norteadoras que são: de que forma é possível identificar as contribuições

    que as Comissões de Meio Ambiente e Qualidade de Vida – COM-VIDA’s dão a

    Educação Ambiental para tornar-se uma política educacional? Identificando as

    contribuições dessas comissões para a educação ambiental, é possível mensurar

    que as práticas desenvolvidas por elas, nas escolas, fortalecem a Educação

    Ambiental formal? Destaca-se ainda a utilização do método qualitativo, que norteou

    todo o processo investigativo, correlacionando com referenciais teóricos a fim de dar

    consistência ao trabalho. Justificado pela crescente implantação das COM-VIDA’s e

    algumas práticas desenvolvidas nas inúmeras instituições de ensino no Brasil,

    despertou o interesse pela a temática a qual submete o presente trabalho para

    qualificação no Mestrado Acadêmico em Desenvolvimento e Meio Ambiente da

    Universidade Federal do Piauí.




  • CLARISSA FLÁVIA SANTOS ARAÚJO
  • ASSENTAMENTO RURAL CAMPESTRE NORTE FRENTE À EXPANSÃO DO AGRONEGÓCIO SUCROENERGÉTICO NO ESTADO DO PIAUÍ.

  • Orientador : MARIA DO SOCORRO LIRA MONTEIRO
  • Data: 29/04/2016
  • Mostrar Resumo
  •  A expansão dos monocultivos de cana-de-açúcar, acentuado, sobretudo, em função da expansão da produção de etanol nos anos 2000, em virtude da busca por novas fontes de energias “limpas e renováveis” e da criação dos motores flex fuel, tem reconfigurado as formas de apropriação de terras em diversas regiões brasileiras. Em decorrência dessa expansão, os assentamentos rurais têm se inserido nos mercados a partir da instalação/ampliação de canaviais. Assim, faz-se imprescindível analisar as alternativas e rumos das experiências de reforma agrária, integradas ao agronegócio sucroenergético no Piauí. Em função desse contexto, questiona-se: Quais as consequências sociais, econômicas, político/institucionais e ambientais da produção de cana-de-açúcar no Assentamento Rural Campestre Norte e as interfaces da integração do assentamento com o agronegócio sucroenérgetico? Tendo em vista essa problemática, as hipóteses centram-se em que, a implantação e ampliação do plantio da cana-de-açúcar nos assentamentos rurais implica em: divisão interna entre os assentados que participam ou não da produção açucareira, dificultando as alternativas de participação, de inclusão e de organização social nos assentamentos; do ponto de vista econômico, os assentados se reproduzem através da renda advinda das parcerias com as usinas, conformando a submissão às lógicas e práticas produtivas engendradas pelo capital agroindustrial, além da redução da produção direcionada ao autoconsumo, acarretando numa reconfiguração territorial do agronegócio em detrimento da agricultura familiar, consequentemente gerando perda de autonomia econômica e política dos assentados; em relação a dimensão ambiental, o uso intensivo do solo tem ocasionado perda de produtividade, compactação e processos de degradação. Nesse sentido, objetivou-se investigar as consequências sociais, econômicas, político/institucionais e ambientais da produção de cana-de-açúcar no Assentamento Rural Campestre Norte, situado em Teresina-PI, a partir da parceria com o agronegócio sucroenergético. Como suporte teórico/metodológico deste estudo de natureza qualiquantitativa, utilizaram-se os métodos estatístico, experimental, além de entrevistas, questionários e análises de amostras de solo. Como resultados da pesquisa, verificou-se que os assentados se reproduzem, através da renda advinda da “parceria” com a Usina Comvap Açúcar e Álcool Ltda., e caracterizam-se como produtores de cana-de-açúcar, submetendo-se às lógicas e práticas produtivas engendradas pela empresa, que estabelece relações de poder, o que tem acarretado uma reconfiguração territorial do agronegócio em detrimento da agricultura familiar.

     

     

  • JORGE HENRIQUE E SILVA JÚNIOR
  • IMPACTOS AMBIENTAIS DA CADEIA PRODUTIVA DO POLO CERÂMICO DO POTI VELHO EM TERESINA, PIAUÍ

  • Orientador : JOAO BATISTA LOPES
  • Data: 20/04/2016
  • Mostrar Resumo
  • O Arranjo Produtivo Local (APL) caracteriza um grupamento de organizações situadas em determinada localidade, ligadas por meio de variáveis comuns como agentes econômicos, políticos e sociais. O Pólo Cerâmico do Poti Velho, localizado na Zona norte de Teresina, Piauí, apresenta características de arranjo produtivo local, pois comporta várias empresas e profissionais, que produzem e vendem peças artesanais em cerâmica. Neste sentido, este trabalho busca caracterizar a cadeia produtiva do Polo Cerâmico do Poti Velho e avaliar os indicativos de um Arranjo Produtivo Local (APL). A metodologia fundamentou-se em abordagem qualitativa, envolvendo entrevistas semiestruturadas e observações diretas. Foram entrevistados 36 funcionários, distribuídos em 34 lojas. As atividades realizadas pelos artesãos do Poti Velho na produção das peças de artesanato em cerâmica contemplam aspectos socioeconômicos e políticos, em que os artesãos atuam no mesmo setor, mantendo vínculos produtivos e institucionais, centrado em estratégias competitivas a fim de melhorar o desempenho do empreendimento. Este tipo de atuação vem proporcionando benefícios diretos ou indiretos aos produtores, na busca novas tecnologias e mercados, tanto interno como externo. O trabalho do Polo Cerâmico do bairro Poti Velho em Teresina, Piauí, mostrou importantes aspectos indicativos de um APL, que é fundamental para o desenvolvimento da região do Poti Velho. Diversas famílias, do próprio Poti Velho e de bairros adjacentes, dependem financeiramente da atividade. O processo produtivo necessita, ainda, de inovações, para o seu crescimento e desenvolvimento, cabendo ao poder público e órgãos de financiamento desenvolverem ações junto às empresas que compõe o Polo Cerâmico do Poti Velho, visando a melhoria da atividade.

  • LAERCIO DE SOUSA SARAIVA
  • Diversidade de oomicetos (oomycota), potencial patogênico e manejo na piscicultura em Teresina – PI

  • Orientador : JOSE DE RIBAMAR DE SOUSA ROCHA
  • Data: 29/03/2016
  • Mostrar Resumo
  • Nos últimos anos a piscicultura passou a ser uma atividade largamente executada em todo o mundo, no Brasil esta atividade tem se destacado e gerado resultados significativos em âmbito social e econômico. No entanto, a piscicultura manifesta problemas que podem interferir na sua sustentabilidade, dentre os quais se destacam as ictiopatologias ocasionadas por microrganismos do filo Oomycota. Esta pesquisa objetivou determinar as espécies de oomicetos em criatórios de peixes em Teresina, PI, relacionar sua ocorrência e diversidade com os fatores abióticos das fazendas de piscicultura e avaliar o potencial patogênico das espécies encontradas. Foram realizadas coletas bimestrais de solo e água em seis pontos nos taludes dos viveiros de criação de peixes, no período de julho de 2014 a maio de 2015 das quais obteve-se 301 isolamentos distribuídos em 19 táxons, sendo Aplanopisis terrestris Höhnk a primeira citação para o Brasil e Brevilegnia longicaulis Johnson, a segunda. Nesta pesquisa Pythiogeton ramosum e Aphanomyces Keratinophilus foram as espécies mais abundantes. Da análise dos fatores ambientais, observou-se que as fazendas de piscicultura atendem às normas ambientais preconizadas pelo CONAMA, no entanto, alguns fatores como a temperatura e o potencial hidrogeniônico podem estar relacionados à ocorrência e distribuição das populações de Oomicetos, sendo o monitoramento desses fatores importante para a manutenção do equilíbrio ecológico em viveiros de piscicultura. Quanto a investigação de espécies parasitas, não houve registro de parasitoses causadas por Oomicetos nos viveiros de piscicultura, porém foram encontradas espécies com potencial patogênico, o que deve servir de alerta para os piscicultores de Teresina, uma vez que muitos representantes desse grupo de microrganismos apresentam nicho diversificado e estão adaptados a vários ecossistemas. Esses dados serviram de base para a promoção da educação ambiental ligadas às técnicas de cultivo piscícola, e evidenciam a importância de serem mais estudos sobre a ecologia e diversidade de Oomicetos nos ecossistemas, com o intuito de investigar as alterações que podem ocasionar nas relações com outros seres vivos e no ambiente.

     

  • ANELIO IBIAPINO DA ROCHA
  • AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DA ÁGUA NO RIO PARNAÍBA NA ZONA URBANA DE TERESINA-PI USANDO OS MÉTODOS IQA CLÁSSICO E LÓGICA FUZZY

  • Orientador : CLETO AUGUSTO BARATTA MONTEIRO
  • Data: 28/01/2016
  • Mostrar Resumo
  • A cidade de Teresina, capital do estado do Piauí, Brasil, possui o privilégio de está localizada entre dois rios (Parnaíba e Poti) com abundante oferta de água. A qualidade destas águas está diretamente ligada ao uso e ocupação do solo e principalmente ao nível de infraestrutura de esgotamento sanitário existente na cidade. Neste sentido, a compreensão e alcance do desenvolvimento sustentável passam pela gestão de recursos hídricos e o controle da qualidade da água faz parte deste processo. O presente estudo tem como objetivo avaliar a qualidade da água no Rio Parnaíba, na zona urbana do município de Teresina-PI, baseado na analise comparativa entre os procedimentos que utilizam os métodos do IQA clássico e da lógica Fuzzy. Esta pesquisa foi desenvolvida com dados coletados em seis pontos no Rio Parnaíba no trecho compreendido dentro do perímetro urbano de Teresina, entre julho de 2011 e dezembro de 2014. Verificou-se que o índice de qualidade da água (IQA) clássico da NSF ao longo do período pesquisado vem alternando o seu nível de qualidade entre as categorias “bom” e “regular” a depender da época do ano. Esta mudança é ocasionada, principalmente, pela alteração dos valores das variáveis Coliformes Termotolerantes, Fósforo Total e Turbidez que se encontram respectivamente com 30,20%, 34,29% e 22,04% do total de amostras analisadas (245 amostras) fora dos limites máximos preconizados pela Resolução CONAMA n° 357/2005. Também observou-se a influência da precipitação (chuva) e vazão do rio, em que no período de aumento desses dados o IQA clássico apresenta tendência em diminuir o seu valor, comprovados por meio da matriz de correlação de Pearson. Na comparação entre os métodos de IQA clássico da NSF e os obtidos pela lógica Fuzzy (IQATRITRAP e IQAGAUSS) percebeu-se que os dados oriundos do Fuzzy são mais restritivos, ou seja, rigorosos, apontando para um valor menor. Da aplicação da lógica Fuzzy, apenas o IQAGAUSS mostrou-se totalmente viável, seguro e sensível às mudanças dos valores que compõem o IQA clássico da NSF do Rio Parnaíba. A partir desse cenário, destaca-se a necessidade de que seja mantido o monitoramento da qualidade da água do Rio Parnaíba, como ferramenta de gestão, para verificar se os resultados e tendências encontrados nesta pesquisa se manterão no futuro, contribuindo para o desenvolvimento de políticas públicas de recursos hídricos direcionados à manutenção da qualidade de água por meio da indução e incentivo de ações de governo no referido manancial.

  • SANTINA BARBOSA DE SOUSA
  • USO, CLASSIFICAÇÃO E REPRESENTAÇÃO AMBIENTAL DE MACROFUNGOS EM UMA REGIÃO DE CAATINGA, NORDESTE DO BRASIL

  • Orientador : JOSE DE RIBAMAR DE SOUSA ROCHA
  • Data: 21/01/2016
  • Mostrar Resumo
  •  

    RESUMO

     

    A presente pesquisa objetivou registrar o conhecimento local e diversidade dos macrofungos conhecidos e/ou utilizados em uma região de Caatinga, no intuito de colaborar com a preservação e conservação da biodiversidade ali existente, bem como, contribuir com o resgate, a valorização e a manutenção da cultura tradicional local. Realizou-se 56 entrevistas (23 homens e 33 mulheres), com formulário semiestruturado acompanhado de cheklist-entrevista para coleta de dados etnomicológicos, com os remanescentes do antigo Zabelê. Procedeu-se a técnica “turnê-guiada” com informantes-chave para as coletas micológicas. O material biológico coletado foi identificado e incorporado no Laboratório de Micologia da Universidade Federal do Piauí e, todas as informações dos dados foram submetidas às análises qualitativas e quantitativas através do programa Freelist e Pilesorte Multidimencional Scaling do Antropac Software, programa Statistica 8.0 e Valor de Uso (VU). Foram reconhecidas 08 espécies distribuídas em 12 nomes vernaculares de macrofungos de ocorrência em plantas e solo, sendo mais citadas as “orelhas-de-pau” de ocorrência em plantas pertencente à família Ganodermataceae com citaçõesnas categorias que mata planta e uso medicinal. A maioria dos informantes os classificam como diferentes de plantas e animais. A diversidade observada está diretamente relacionada a variável climática, distribuída em substratos vegetais e solo. As atribuições ecológicas foram bem descritas quanto à decomposição da matéria orgânica. Retrataram memórias da infância onde os fungos eram utilizados como objeto lúdico nas brincadeiras. Registraram-se espécies de fungos de uso medicinal para os sistemas digestivo, reprodutor, tegumentar e anticancerígeno.  Pequena parcela da comunidade faz ou fez uso dos fungos, onde parte destes está apenas na memória. Não houve diferença significativa entre o conhecimento em idosos e adultos, porém acrescentou novas informações entre os jovens, quanto ao conhecimento detalhado, os idosos apresentam mais detalhes nas informações dadas do que adultos e jovens, destacando-se maior atribuição para a natureza, seguida de uso como medicamento. O conhecimento local acerca da biodiversidade pode contribuir no processo de conservação da Caatinga, visto que a comunidade apresenta algum tipo de conhecimento a respeito dos macrofungos, tal conhecimento é importe no auxílio para o entendimento do dinamismo das espécies em questão. Assim, destaca-se a importância da inserção dos mesmos nas ações que se destinem a este fim ou que envolvam mais em projetos desenvolvidos na área, sendo uma alternativa de conciliar a manutenção da biodiversidade e da cultura local, já que se trata de remanescentes de áreas protegidas, como o Parque Nacional Serra da Capivara, criadas para atender a necessidade de preservar a biodiversidade.

     





  • JULIANA CARDOZO DE FARIAS
  • Etnozoologia e Etnobotânica na Comunidade Lagoa da Prata, no Município de Parnaíba, Piauí

  • Orientador : PAULO ROBERTO RAMALHO SILVA
  • Data: 15/01/2016
  • Mostrar Resumo
  • A Etnobiologia investiga a relação existente entre as populações humanas e os recursos naturais. Esta etnociência tem vários ramos dentre eles a Etnozoologia e Etnobotânica. O presente estudo investigou o conhecimento sobre abelhas (Himenópteros) e espécies botânicas na comunidade Lagoa da Prata, no município de Parnaíba, Piauí. A metodologia qualitativa utilizada foi por meio da observação direta, entrevistas com formulários semiestruturados, “turnês-guiadas”, registros fotográficos, gravações e anotações no diário de campo. As metodologias quantitativas adotadas para as espécies vegetais foram o Valor de Uso (VU), Fator de Consenso do Informante (FCI), Importância relativa (IR) e o test Qui-quadrado. As abelhas foram coletadas de acordo com as normas etnoentomólogicas de conservação de museus e incorporados ao Laboratório de Fitossanidade do Centro de Ciências Agrárias (CCA) da Universidade Federal do Piauí (UFPI) no Campus Ministro Petrônio Portela. Quanto às espécies botânicas foram coletadas, identificadas, herborizadas e incorporadas ao Herbário Graziela Barroso (TEPB) da Universidade Federal do Piauí (UFPI). Este projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa (CEP) da Universidade Federal do Piauí (UFPI). Os dados foram coletados entre os meses de junho de 2014 a novembro de 2015, sendo entrevistados 174 moradores (48% homens e 52% mulheres), incluídos em 91 famílias, com idade entre 18 e 94 anos. Os entrevistados têm conhecimento da importância da apifauna para o meio ambiente e sua relação com as plantas com flores. Assim 98,44% disseram que as abelhas são importantes. Foram mencionadas 13 etnoespécies de abelhas. Em relação às espécies botânicas, registou-se 164 espécies vegetais, distribuídas em 12 categorias de uso. As categorias de uso medicinal (44,01%), alimentícia (40,15%) e repelente/inseticida (6,24%), apresentaram um maior percentual de citações. Anacardium occidentale L. obteve o maior Valor de Uso (VU=0,35). As espécies Cesalpinia ferrea Mart.  e  Plectranthus amboinicus (Lour.) Spreng. tiveram uma maior diversidade de uso medicinal  (IR=2), e através do fator de consenso informante (FCI) verificou-se um maior consenso entre os informantes para o conjunto de plantas usadas no tratamento de transtornos dos olhos e ouvidos (FCI= 1). Do total de espécimes botânicas, 17 foram mencionadas como inseticidas/repelentes, distribuídas em 17 gêneros e 15 famílias. A análise do teste Qui-quadrado mostrou que não houve diferença significativa observada no conhecimento de plantas repelentes associadas ao gênero (P= 0,9944), renda (P= 0,4876), e transmissão do conhecimento (P=0,6510), evidenciando dessa forma uma similaridade entre a distribuição do conhecimento e as variáveis testadas. A coleta de dados destacou o conhecimento local sobre as etnoespécies e a relação cultural da população com as plantas utilizadas na comunidade Lagoa da Prata, no município de Parnaíba, Piauí.

     

     

     

     

     

     






  • IRINEU CAMPÊLO DA FONSECA FILHO
  •  "CONHECIMENTO E USO DE RECURSOS MADEIREIROS EM COMUNIDADES RURAIS DO MUNICÍPIO DE ANGICAL DO PIAUÍ, NORDESTE DO BRASIL"

  • Orientador : ROSELI FARIAS MELO DE BARROS
  • Data: 11/01/2016
  • Mostrar Resumo
  •  O estudo etnobotânico parte do princípio de que as populações rurais possuem  conhecimento sobre o uso de alta diversidade de recursos vegetais para diverso leque de propósitos. Esse conhecimento pode oferecer aos cientistas modelos de uso sustentável, baseados no argumento de que essas populações sabem usar e conservar os recursos biológicos. Dentre essa variedade de usos, nesse estudo destaca-se a extração de madeira para fins domésticos, utilizada para atender as necessidades das populações locais, tais como construções rurais e domésticas, confecção de ferramentas de trabalho e uso como fonte de energia. Objetivou-se avaliar, por meio do conhecimento tradicional, o uso dos recursos vegetais como fonte de recursos madeireiros no domínio cerrado pela população local em duas comunidades rurais no município de Angical do Piauí/PI, uma delas considerada com mais contato com a urbanização e outra com menos contato urbano, podendo contribuir na conservação e uso sustentável dos mesmos. As comunidades estudadas foram Chapada do Hamilton, com 11 famílias residentes, e Novo Horizonte, com 22 famílias residentes, sendo a última considerada com mais contato com a urbanização. O universo amostral da pesquisa foi constituído por todos os domicílios, que tinham morador no momento das visitas, totalizando 28 entrevistas (11 residentes no assentamento Chapada do Hamilton e 17 residentes na comunidade Novo Horizonte). Foi realizada uma visita em cada domicílio, dando-se cada domicílio, preferência para o responsável pela coleta da madeira e/ou  chefe de família residentes nas comunidades estudadas. Foram realizadas entrevistas semiestruturadas para obtenção dos dados socioeconômicos dos moradores das comunidades e informações sobre o uso, conhecimento, preferências e coleta de plantas como fonte de recursos madeireiros da região e, para verificar as espécies que são efetivamente usadas no dia a dia, foi usada a técnica de inventário in situ. No total foram apontadas 62 espécies identificadas, distribuídas em 28 famílias,  utilizadas nas categorias de uso construção, tecnologia e fitocombustível. Com destaque para as famílias Mimosaceae (8 espécies), Fabaceae e Caesalpiniaceae (7), Anacardiaceae, Arecaceae, Bignoniaceae e Combretaceae (4 cada). A categoria construção apresentou maior número de espécies citadas no total, com 55 espécies, em comparação com as categorias tecnologia e fitocombustível, com 40 e 28 espécies citadas, respectivamente. Na comunidade Chapada de Hamilton, a espécie com maior valor de uso na categoria construção foi Terminalia fagifolia. Mart. (chapadeiro), na categoria tecnologia foi Handroanthus impetiginosus (Mart. ex DC.) Mattos (pau-d'arco roxo) e na categoria fitocombustível, Parkia platycephala Benth. (faveira). Na comunidade Novo Horizonte, a espécie que obteve maior valor de uso na categoria construção foi Mimosa caesalpiniifolia  Benth. (unha-de-gato), na categoria tecnologia Handroanthus impetiginosus (Mart. ex DC.) Mattos (pau-d'arco-roxo) e na categoria fitocombustível Anadenanthera colubrina (Vell.) Brenan (angico-preto). Foi verificado que as populações das duas comunidades conhecem ampla diversidade de espécies fornecedoras de madeira, porém, usam menor quantidade de espécies, e preferem quantidade menor ainda, não sendo detectado variações significativas no conhecimento, preferência e uso entre as comunidades estudadas.

     

     

     

     

  • MARIA BERNADETE DE CARVALHO BEZERRA
  •  

    PERCEPÇÃO SOCIOAMBIENTAL DA COMUNIDADE DA PEDRA DO SAL ACERCA DA IMPLANTAÇÃO DO COMPLEXO EÓLICO DELTA DO PARNAÍBA NA APA DELTA DO PARNAÍBA/PI

  • Orientador : ANDERSON GUZZI
  • Data: 11/01/2016
  • Mostrar Resumo
  • Com a grave crise ambiental, a humanidade se dá conta da finitude dos recursos e ameaça de

    extinção da própria espécie. Muitos teóricos asseveram que o cerne da crise ambiental

    alicerça-se na crise da percepção. Com isso, verifica-se seu despertar para as causas da

    referida crise e necessidade da construção de uma sociedade sustentável e ambientalmente

    correta. Para tanto, é imprescindível o estudo da percepção socioambiental em busca do

    entendimento de como as pessoas se relacionam com a natureza. Nesse contexto, observa-se

    que a diversificação da matriz energética é essencial, pois se sabe que a energia eólica é uma

    fonte limpa. Assim, compreende-se a importância dos sistemas eólicos, uma vez que estes

    poderão reduzir a necessidade de se construir usinas baseadas em fontes poluentes, ao mesmo

    tempo em que contribui para a manutenção da diversificação da matriz elétrica brasileira.  No

    entanto, na sua fase de implantação não se deve esquecer as comunidades do entorno, uma

    vez que são diretamente afetadas na fase de implantação do complexo eólico, bem como dos

    impactos decorrentes deste. Os procedimentos metodológicos utilizados para evidenciar os

    impactos socioambientais, assim como a percepção da comunidade da Pedra do Sal, foram:

    aplicação de questionários com questões abertas e fechadas, confecção de banco de dados no

    programa Excel e composição de mapas, gráficos e quadros. O universo da pesquisa se

    constitui de 980 moradores da comunidade da Pedra do Sal, com uma amostra de 150

    pesquisados. Teve como objetivo geral descrever e analisar a percepção socioambiental da

    comunidade afetada pelos impactos socioambientais decorrentes da implantação do Complexo

    Eólico Delta do Parnaíba na cidade de Parnaíba/PI. E como objetivos específicos: Descrever e

    analisar a organização do espaço após a implantação do Complexo Eólico Delta do Parnaíba;

    Estudar os Estudos de Impacto Ambiental para a implantação do Complexo Eólico Delta do

    Parnaíba na cidade de Parnaíba/PI; Identificar quais os impactos socioambientais são

    percebidos pela comunidade afetada em decorrência da implantação dos parques eólicos;

    Investigar como a comunidade percebe a implantação dos parques eólicos em uma APA –

    Área de preservação ambiental; Verificar a percepção socioambiental por gênero, faixa etária,

    profissão e escolaridade. Descrever as possíveis mudanças na relação da comunidade com o

    lugar onde os parques eólicos foram instalados. O estado da arte mostra que são diversos os

    autores que aprovam e consideram a energia eólica como uma fonte alternativa e limpa para o

    país, mas que também afirmam e comungam da certeza que durante a fase de implantação e

    operação dos sistemas eólicos os impactos, sobretudo os negativos, são significativos, em que

    se pode citar: a supressão da vegetação, o aplainamento de dunas, o soterramento de lagoas,

    assim como a insatisfação e indignação da maior parcela da comunidade. Tais impactos

    comprometem a sustentabilidade dos ambientes, assim como o modo de vida das

    comunidades.


2015
Descrição
  • ELINARA SOARES BARROS DE SOUSA
  • AMBIENTALIZAÇÃO CURRICULAR DOS CURSOS DE  JORNALISMO DAS UNIVERSIDADES DO PIAUÍ.

  • Orientador : DENIS BARROS DE CARVALHO
  • Data: 22/12/2015
  • Mostrar Resumo
  •  

    A pesquisa tem como objetivo geral apreender como é realizada a ambientalização curricular dos cursos de Jornalismo das duas universidades do Piauí: Estadual (campi Teresina e Picos) e Federal. Para tanto foi realizada uma pesquisa de campo como método e a análise documental e entrevista como técnica de pesquisa. Foram analisados os quatro eixos da universidade: ensino, pesquisa, extensão e gestão através da análise dos projetos de pesquisa e extensão produzidos pelos professores e os Trabalhos de Conclusão de Curso dos discentes das duas instituições e entrevistas com as três coordenadoras dos cursos. Além disso, foram realizadas 20 entrevistas com docentes das duas universidades, buscando perceber como os professores abordam a questão ambiental nas disciplinas da grade curricular, além de analisar a percepção dos mesmos sobre a competência e avaliação quanto ao conceito de desenvolvimento sustentável abordado nas Diretrizes Curriculares para o curso de Jornalismo. As hipóteses levantadas no início da pesquisa foram as seguintes: os professores que ministram disciplinas específicas dos cursos não abordam a questão ambiental em suas aulas; a ambientalização curricular dos cursos de Jornalismo ofertados pelas universidades no Piauí ocorre de modo incipiente; as novas diretrizes curriculares dos cursos de Jornalismo não apreenderam a importância das questões ambientais para a formação do profissional de jornalismo. Diante dos dados obtidos, percebe-se que ainda é insuficiente a abordagem da temática ambiental na formação dos profissionais de jornalismo nas duas universidades analisadas. Conclui-se que cursos de Comunicação Social/habilitação em Jornalismo não podem ser considerados ambientalizados e constatou-se que os docentes abordam a temática ambiental eventualmente em suas aulas, mas que não há preocupação de formar criticamente os alunos sobre o assunto. 

     

     

     





     


  • OSVALDO AUGUSTO VASCONCELOS DE OLIVEIRA LOPES DA SILVA
  • VIABILIDADE TECNICO-ECONÔMICA DE PROJETOS DE EFICIENCIA ENERGÉTICA NAS SALAS DE AULA DA UFPI

  • Orientador : FRANCISCO FRANCIELLE PINHEIRO DOS SANTOS
  • Data: 21/12/2015
  • Mostrar Resumo
  •  

    Segundo dados da Empresa de Pesquisa Energética, no ano de 2023, o Brasil passará a ter 216 milhões de habitantes e consumirá 689 TWh no ano, o que representará, aproximadamente, 20% a mais da energia gerada no Brasil em 2013, causando impactos socioambientais. Porém, se utilizarmos mais eficientemente a energia que produzimos, estaremos protegendo o meio ambiente e usufruindo ainda de outros benefícios. Nas universidades, não é diferente. Esse trabalho tem como objetivo geral o fornecimento de ferramentas para os gestores da Universidade Federal do Piauí e instituições de ensino de forma geral analisarem a Viabilidade Técnico-econômica da implantação de Projetos de Eficiência Energética nas salas de aula, uma vez que as instituições de ensino devem ser exemplo de sustentabilidade para toda a comunidade e incentivar mudanças concretas na realidade social articulando três eixos: edificações, currículo e gestão. O método utilizado considera que a economia de energia somente é conseguida quando as mesmas atividades são realizadas ou os mesmos produtos ou serviços são fornecidos com menor consumo de energia, dividido em duas partes: Diagnóstico Energético da Universidade Federal do Piauí e o Diagnóstico Energético das salas de aula. Dessa forma, utilizou-se como objetos de estudo o Campus Universitário Ministro Petrônio Portela, por ser o maior e mais antigo da instituição, e duas salas de aula do Centro de Tecnologia desse mesmo campus por já possuir estudos de Eficiência Energética. Ao término dos estudos, pôde-se fazer o levantamento das despesas com Energia Elétrica, identificar perdas que poderiam ser evitadas com a atuação de um Sistema de Gestão Energética e sugerir um modelo de Gestão do Uso de Energia para a universidade. Além disso pôde-se fazer o diagnóstico energético das salas de aula e sugerir Projetos de Eficiência Energética direcionados aos Sistemas de Climatização e Iluminação, com as intervenções propostas encaradas como Projetos de Investimento de Aderência Estratégica, cujas viabilidades foram avaliadas, destacando a necessidade da análise conjunta das intervenções e da adoção de critérios de sustentabilidade nos editais de licitação, uma vez que a fase inicial do Ciclo de Vida das edificações é decisiva para determinar o seu potencial de economia de energia, além da sensibilização da comunidade acadêmica e do gestores para as questões ambientais, atingindo os objetivos da pesquisa.

     

     

     

     
  • BRUNNA LARYELLE SILVA BOMFIM
  • INSETOS E PLANTAS INSETICIDAS: PERCEPÇÃO DA COMUNIDADE SUSSUAPARA, MUNICÍPIO DE NAZARÉ  DO PIAUÍ, PI, BRASIL

  • Orientador : PAULO ROBERTO RAMALHO SILVA
  • Data: 23/10/2015
  • Mostrar Resumo
  • O estudo das relações do homem com a natureza é abordado na área conhecida como Etnobiologia e se subdivide em diversas áreas como: Etnobotânica, Etnoecologia, Etnotaxonomia, Etnozoologia e Etnoentomologia, dentre outras. o trabalho teve como objetivo apresentar a percepção sobre insetos e o conhecimento sobre plantas inseticidas na comunidade Sussuapara, Nazaré do Piauí, PI, bem como levantar outras formas naturais utilizadas pela comunidade no controle de insetos.A pesquisa foi aprovada pelo Comitê de Ética e Pesquisa (CEP) da Universidade Federal do Piauí (UFPI), sob o número CAAE: 36813514.6.0000.5214, e solicitada assinatura  do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (TCLE). Para coleta de dados, foram realizadas entrevistas, com auxílio de formulários semiestruturados, contendo questões abertas e fechadas, com a população. Foram entrevistadas 48 famílias, totalizando 89 moradores, sendo escolhido até três membros de cada família (o pai, a mãe e um filho maior de 18 anos). Para análise dos dados de uso dos insetos pela população foi utilizado o Nível de Fidelidade (FL) e a Prioridade de Ordenamento (ROP). O Fator de importância e da espécie (IVs) foi utilizado para as espécies citadasna categoria de pragas .  Para as espécies citadas como bioinseticidas e repelentes calculou-se o Valor de Uso (VU). Os entrevistados citaram que os insetos são animais pequenos (81%) e voam (23%). 100% dos informantes afirmaram que alguns insetos são nocivos, 97% informaram espécies consideradas pragas, 68% citaram que os insetos são seres que causam nojo. Apenas 4% afirmaram que os insetos são importantes na natureza. Em relação ao uso de insetos ou produtos de insetos no tratamento de emfermidade, o mel de abelha aparece com 95,5% das citações (FL= 0,93, ROP = 0,9). Dentre as espécies consideradas pragas destacam-se a lagarta (Lepidoptera) (IVs = 0,9 e a formiga (Hymenoptera) (IVs = 0,7). Nenhuma entrevistado citou o uso de insetos na alimentação, porém de mel de abelha foi reportado 95% dos entrevistados. A maioria dos entrevistados (60%) disse não conhecer nenhuma planta para uso no combate a insetos. No entanto, 36% dos entrevistados apontaram ao menos uma espécie vegetal que conheciam ou utilizavam como repelente. No total foram citadas 14 espécies utilizadas como repelentes. A espécie mais citada (66%) foi o alecrim (Lippia origanoides Kunth), apresentando também maior Valor de Uso (VU= 0,4). A fumaça da folha foi a principal forma de utilização, sendo apontada em 93% dos casos. A fumaça de esterco bovino e água quente também foram citadas como outras formas naturais no comate a insetos. Independente do uso ou conhecimento acerca de plantas com efeitos inseticidas, 77% citaram o inseticida sintético como principal forma de combate a insetos em suas casas e 100% citaram uso de inseticida sintético em suas plantações. Notou-se que a comunidade Sussuapara percebe os insetos, porém a maioria não conhece ou utilizaplantas inseticidas e/ou outras formas naturais no combate a insetos, aderindo ao uso de inseticidas sintéticos, os quais podem trazer malefícios à população local, bem como ao meio ambiente.
     
  • GABRIELA SILVA NORONHA
  • GESTÃO AMBIENTAL DAS HOSPEDARIAS DOMICILIARES DE SANTO AMARO DO MARANHÃO – PARQUE NACIONAL DOS LENÇÓIS MARANHENSES

  • Data: 23/09/2015
  • Mostrar Resumo
  • Santo Amaro do Maranhão tem grande potencial turístico em função das belezas naturais do Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses. Dentro desse contexto, as hospedarias domiciliares de Santo Amaro do Maranhão surgiram da necessidade de acomodar, inicialmente, vendedores ambulantes, servidores públicos e pesquisadores. Com o início das filmagens de “Casa de Areia”, em 2004, não havia pousadas ou hotéis suficientes para atender à demanda da equipe de produção. Dessa forma, algumas famílias disponibilizaram suas casas para acomodar parte dos colaboradores do filme. Assim, o município começou a desencadear a atividade turística. O turismo evidencia a possibilidade do desenvolvimento socioeconômico para o município, porém é fundamental que exista um planejamento para a gestão ambiental, imprescindível dentro do espaço territorial onde estão inseridos esses empreendimentos, ou seja, em uma unidade de conservação. Por essa razão, a pesquisa teve como objetivo geral analisar a gestão ambiental das hospedarias domiciliares do município de Santo Amaro do Maranhão, e, como específicos: identificar as características geoambientais da área onde se inserem as hospedarias familiares; conhecer a percepção dos proprietários das residências e dos gestores municipais a respeito do turismo e da questão ambiental; identificar quais formas de gestão ambiental são utilizadas pelos proprietários das hospedarias familiares em relação ao consumo da água, de energia e à geração de resíduos sólidos. Foi realizada a revisão teórica relacionada aos temas de gestão ambiental, turismo e Parque Nacional, além de hospedagens domiciliares, tomando como a base a leitura encontrada em livros, artigos científicos, dissertações e teses que tinham a temática com a gestão ambiental. O método utilizado para pesquisa foi do tipo exploratório, envolvendo levantamento bibliográfico e pesquisa de campo, com amostra constituída pelos residentes nos 10 domicílios, que tornaram suas casas hospedarias. Foram aplicados formulários semiestruturados, junto às famílias, com questões abertas e fechadas, objetivando colher dados relativos à faixa etária e a condições econômicas sociais (escolaridade, experiências profissionais, renda, relação com o turismo, e outras). Os proprietários das hospedagens domiciliares percebem a problemática ambiental, destacando que o município não oferece nenhum tipo de ação comprometida para resolver problemas básicos como o destino lixo, saneamento básico, destino dos resíduos sólidos lançados nos principais recursos hídricos do município, o que pode inevitavelmente comprometer o patrimônio natural e consigo o desenvolvimento socioeconômico para a região. Por mais que queiram contribuir com a gestão ambiental nas suas hospedarias, são limitados pela ausência de políticas básicas ambientais. Percebem a importância da conservação dos recursos naturais para garantir o desenvolvimento do turismo no município, e a educação ambiental priorizada para todas as linhas de atuação da gestão municipal. Além disso, já poderiam ser estabelecidos projetos que evitasse impactos negativos, pois o turismo comunitário é incentivado como uma das principal alternativa de renda para o município. do turismo.

  • CAMILA MARQUES MATON
  •  

    A INSERÇÃO DA MULHER CAMPONESA NA ATIVIDADE APÍCOLA DA COMUNIDADE DE MOREIRA-PI

  • Orientador : MAY WADDINGTON TELLES RIBEIRO
  • Data: 18/09/2015
  • Mostrar Resumo
  •  

     O objetivo desta dissertação é a busca por uma compreensão antropológica das relações de gênero na atividade apícola que vem sendo desenvolvida em uma comunidade do semiárido do Piauí. Tendo por base alguns conceitos de campesinato e sustentabilidade, buscaremos um diálogo entre o espaço geográfico apícola e as relações de gênero que lá se estabelecem. Com ênfase na Comunidade Moreira a 18 Km de Simplício Mendes-PI, será analisado  os diversos papéis exercidos por  mulheres e de que forma se dá a inserção destas na atividade apícola. A pesquisa está direcionada para a observação do dinâmica econômica local provocada pela atividade buscando saber se o envolvimento da mulher no trabalho apícola promove alterações no seu papel social. Busca-se, ainda, registrar as alterações na percepção ambiental destas mulheres a partir de seu envolvimento na atividade. Assim, tendo como referência metodológica a pesquisa de campo com seus fundamentos de observação, registros de imagens e entrevistas, buscar-se-á mapear as relações sociais locais e as alterações vividas, de forma a conferir como a mulher desenvolve seu papel de mulher diante dos mais variados  “afazeres”, seja ele na agricultura ou na apicultura. Pretendemos constatar de quais formas a atividade apícola contribui para o empoderamento das mulheres visto que as leva a ultrapassar o espaço que tradicionalmente lhes tem sido socialmente delimitado, permitindo que desenvolvam novas formas de se portar e enxergar o mundo que a elas se apresenta.
     




  • AMANNDA MENEZES DE OLIVEIRA
  •  

    Análise da gestão de resíduos no setor privado da construção civil: estudo na cidade de Teresina, Piauí

  • Orientador : WILZA GOMES REIS LOPES
  • Data: 14/08/2015
  • Mostrar Resumo
  •  

    O deslocamento populacional do campo para as cidades em um curto espaço de tempo, resultou em um dos mais preocupantes problemas atuais e ambientais, que é a geração de resíduos sólidos. A indústria da construção civil tem papel fundamental no desenvolvimento econômico e espacial das cidades, contudo, a ineficiência de alguns processos produtivos a fazem uma grande geradora de resíduos. A Resolução do CONAMA N° 307/02 alterada pela Resolução CONAMA N° 448/2012, dispõe sobre as diretrizes para a gestão de resíduos da construção civil, por motivos ambientais e econômicos, existe uma necessidade crescente de procedimentos para aproveitamento desses materiais, que são considerados potencialmente recicláveis. Na pesquisa foram abordados aspectos da gestão de resíduos da construção civil no setor privado em Teresina-PI, em que os objetivos foram caracterizar os resíduos de forma qualitativa, a fim de diagnosticar as classes mais presentes durante o processo construtivo, outro objetivo foi a quantificação dos resíduos Classe A gerados na cidade de Teresina. A metodologia utilizada baseou-se em visitas aos locais das obras, em um período de seis meses com frequência quinzenal, através de checklist previamente elaborado, foi possível obter dados relacionados à classificação dos resíduos gerados. Para a quantificação dos resíduos foram desenvolvidas duas etapas, na primeira foram levantadas informações acerca da coleta de resíduos Classe A, já a segunda etapa consistiu em estimar a quantidade dos resíduos coletados, tomou-se como referência o capacidade estimada da caçamba estacionária. As obras se encontravam em fases distintas do processo construtivo, o que foi permitido perceber a variabilidade de resíduos gerados nas obras entre si. Após toda coleta de dados e análise destes, constatou-se que os resíduos presentes nas obras tinham classes em comum, contudo, as obras não dispunham de equipamentos de coletas suficientes para uma efetiva segregação de resíduo na fonte, além de todo processo de gerenciamento funciona como medida corretiva e não preventiva. Após a conversão para uma única unidade de medida, e obtido o volume geral desses resíduos gerados por mês, foi realizada uma projeção, através de média aritmética, acerca do gerado anualmente e uma estimativa correspondente ao volume por habitante/ano, habitante/mês e habitante/dia. Por fim, o terceiro artigo analisou o entorno das áreas de disposição final de resíduos da construção no Município, considerando os aspectos ambientais e sociais, foi realizado levantamento com administração pública e empresas coletoras, identificação e mapeamento dos pontos de disposição, descrição e análise do entorno A falta de locais para disposição final pode ser considerada como um dos fatores para o surgimento de áreas de disposição irregulares, que ocorrem sem nenhum tipo de controle ou fiscalização. Com base nos resultados obtidos com a dissertação, conclui-se que, há ausência de iniciativa do Poder Público em oferecer condições para que a gestão de resíduos da construção civil ocorra de forma adequada, em contrapartida, percebe-se que no setor privado, as iniciativas que são tomadas voluntariamente acabam entrando no comodismo, e as empresas construtoras sem ter a obrigação de cumprir medidas básicas para que a gestão de resíduos, acabam mascarando as etapas de gerenciamento.

  • EULLER MARTINS PAIVA
  •  

    A EVOLUÇÃO DO LICENCIAMENTO DAS ATIVIDADES DE DRAGAGEM DE AREIA DO RIO POTI EMTERESINA

  • Orientador : CARLOS ERNANDO DA SILVA
  • Data: 16/07/2015
  • Mostrar Resumo


  • O rio Poti atravessa extensa área da cidade de Teresina e vem sofrendo com os mais diversos tipos de degradação ambiental há considerável tempo, particularmente com a atividade de extração de areia no seu leito. Os impactos diretos mais perceptíveis causados pela extração são o desmatamento de vegetação ecotonal na área de preservação ambiental para instalação de bacias receptoras de areia, a compactação do solo pelo trânsito de veículos pesados (tratores e caminhões), o lançamento de poluentes oleosos oriundos dos motores das máquinas e alteração do ecossistema do leito do rio. O instrumento de gestão ambiental a disposição do poder público para mitigação desses impactos ambientais e otimização do uso dos recursos naturais é o Licenciamento Ambiental. Este trabalho visa estudar a gestão e o licenciamento ambiental da atividade minerária de extração de areia no leito do rio Poti em Teresina, Estado do Piauí, quanto a sua evolução e diagnóstico presente. Para tanto, foi feita uma pesquisa junto aos entes públicos partícipes do histórico do licenciamento dessa atividade e uma pesquisa de campo em cada uma das unidades de dragagem existentes no rio Poti. Discutiu-se sobre a repercussão das recentes alterações na legislação ambiental no licenciamento das atividades de dragagem, a partir da Lei Complementar n° 140/2011 e da Lei Federal n° 12.651/2012, o novo Código Florestal. Os resultados apontam que houve uma evolução nas ferramentas de gestão empregadas no licenciamento da dragagem, mas que existem atualmente diversas irregularidades nos empreendimentos que devem ser remediadas pelo órgão municipal através da gestão das licenças e das renovações. Existem recentes alterações normativas que ainda não estão sendo consideradas nesse processo.

  • DANIEL DE ARAÚJO MARÇAL
  •  

    IMPACTO DOS EFLUENTES TRATADOS NA  ETE-PIRAJÁ SOBRE A QUALIDADE DAS ÁGUAS DO RIO PARANAÍBA, TERESINA-PI

  • Orientador : CARLOS ERNANDO DA SILVA
  • Data: 30/06/2015
  • Mostrar Resumo
  • Resumo:


    Entre os usos múltiplos dos corpos hídricos o lançamento e diluição de efluentes merecem atenção e acompanhamento adequado por parte dos órgãos gestores, através do monitoramento dos efluentes e avaliação do impacto na qualidade da água do corpo receptor. Esta pesquisa teve como objetivo avaliar o impacto do lançamento do efluente da ETE-Pirajá sobre a qualidade da água do rio Parnaíba, contemplando a avaliação da eficiência do sistema de tratamento do esgoto; verificação do potencial de assimilação de cargas poluidoras pelo corpo receptor considerando as vazões mínimas e médias; avaliação da qualidade da água a montante e jusante do ponto de lançamento do efluente; avaliação da conformidade dos parâmetros de qualidade frente aos requisitos das resoluções CONAMA 357/05 e 430/11. A área de estudo abrangeu a ETE-Pirajá, localizada na zona norte de Teresina, e o trecho do rio Parnaíba ao montante e a jusante do lançamento dos efluentes da ETE. Como subsídios para avaliação da eficiência do sistema de tratamento e da qualidade da água realizou-se coletas de campo e análises laboratoriais de amostras do esgoto doméstico e da água do rio, durante um período de 12 meses. Foram determinadas as vazões médias e mínimas do rio Parnaíba através da elaboração da curva de permanência. Para avaliação do impacto do lançamento, foram quantificadas as cargas do efluente e do rio a montante e jusante do lançamento, em termos de DBO e Coliformes. A avaliação do tratamento na ETE-Pirajá demonstrou eficiência global adequada para remoção de matéria orgânica e limitada para coliformes. Para possibilitar uma maior eficiência do sistema fazem-se necessárias melhorias na operacionalização dos aeradores e retirada periódica do lodo acumulado no fundo das lagoas. O lançamento do efluente atendeu as condições estabelecidas pela Resolução CONAMA 430/1. As concentrações registradas para as variáveis de qualidade da água atenderam aos parâmetros estabelecidos pela CONAMA 357/05 para rios Classe II, com exceção dos coliformes que ultrapassaram os limites durante a metade do monitoramento em decorrência de poluição difusa. Através do cálculo do IQA e da quantificação das cargas do rio, constatou-se que o lançamento do efluente pela ETE-Pirajá não resulta em impacto significativo sobre a qualidade da água rio Parnaíba. A poluição difusa na zona urbana de Teresina, principalmente o lançamento de esgoto bruto, representam os maiores impactos ambientais para a redução da qualidade da água.

     

     

  • CARLA DLIJANNE FORTES SILVA MACÊDO
  •  

    ANÁLISE SOCIOECONÔMICA E AMBIENTAL DA CADEIA PRODUTIVA DO COCO BABAÇU (Orbignia phalerata, Mart.) EM ESPERANTINA - PI

  • Orientador : JAIRA MARIA ALCOBACA GOMES
  • Data: 29/05/2015
  • Mostrar Resumo

  • Historicamente, o babaçu desempenha um papel fundamental na economia do Estado do Piauí e na reprodução sociocultural das famílias que exploram o coco consorciado à pequena produção de alimentos e criação DE ANIMAIS. No espaço rural, é marcante a presença da atividade de extração do babaçu, tendo o município de Esperantina uma grande extensão de babaçual e uma tradicional exploração do recurso, cujos produtos e subprodutos caracterizam-se como principal fonte de renda e subsistência para muitas família. Nesse cenário, questionou-se se a atividade produtiva do babaçu está promovendo a melhoria das condições de vida da população, na exploração, em especial das mulheres quebradeiras de coco, contribuindo para o desenvolvimento da cadeia produtiva, um melhor aproveitamento integral do produto e a preservação dos babaçuais no município. Nessa perspectiva, analisou-se o desenvolvimento da cadeia produtiva do coco babaçu do município de Esperantina, especificamente a quantidade e o valor da produção de babaçu no período de 2004 a 2013, modelar essa cadeia; identificar a existência de organização no âmbito das quebradeiras de coco e as atuações que ocorrem a apontar as tecnologias disponíveis para a exploração e comercialização. Os procedimentos metodológicos utilizados na pesquisa estão baseados em Castro et al (1998), consistindo em análise diagnóstica e em revisão de literatura sendo desenvolvidas pesquisas de campo e levantamentos das áreas com potencial produtivo do babaçu, para verificar os pontos de exploração no município de Esperantina, seus agentes produtores e os subprodutos extraídos do fruto. Também se fizeram coleta e interpretação de dados secundários sobre a produção, a exemplo de seu valor, obtidos em consultas a sítios oficiais de informação sobre a Produção da Extração Vegetal e da Silvicultura (PEVS) do Instituto de Geografia e Estatística (IBGE) e do Centro de Pesquisas Econômicas e Sociais do Piauí (CEPRO). Conclui-se que em Esperantina o conhecimento das organizações como MIQCB, dos órgãos estaduais e de produtores e comercializadores especializados tornou a cidade mais competitiva na produção e comercialização do babaçu, destacando-se em nível  regional. Os principais produtos comercializados em Esperantina são óleo, azeite, sabão, artesanato e farelo/torta com grande participação do MIQCB na produção e comercialização dos produtos do babaçu, apesar de, na exploração, ocorrerem diversos gargalos, como a baixa produtividade da amêndoa entre as quebradeiras e a ausência  de políticas públicas que viabilizem melhoramentos na atividade.

     

  • MARIA BEATRIZ DIAS COUTINHO
  •  

    O SABER AMBIENTAL E EPISTEMOLÓGICO NO ENSINO: CONCEPÇÕES E PRÁTICAS NO LIVRO DIDÁTICO DE BIOLOGIA

  • Orientador : GERSON ALBUQUERQUE DE ARAUJO NETO
  • Data: 19/05/2015
  • Mostrar Resumo
  •  

     
     
    RESUMO
     
    A presente pesquisa buscou analisar como a questão ambiental vem sendo abordada nos livros didáticos, e neste constructo verificar a relevância social desse material de ensino para o meio ambiente. A investigação foi orientada por dimensões, que envolvem o saber ambiental, a interdisciplinaridade e a sustentabilidade. O objetivo geral da pesquisa foi analisar o saber ambiental existente nos livros didáticos de Biologia e a interdisciplinaridade frente ao compromisso com um saber ambiental complexo para a formação do sujeito ecológico. O caminho metodológico dessa pesquisa se iniciou com a escolha de cinco livros de Biologia de autores diferentes. Foram extraídos 26 capítulos para a análise. Neste contexto, o processo metodológico escolhido não foi linear e para chegar à decisão de como fazer análise do referido material seguiu-se trajetória da análise de conteúdo na perspectiva de Bardin.  Os capítulos escolhidos foram analisados inicialmente pela leitura crítica e em seguido feito recortes dos contextos analisados nos capítulos. O processo metodológico contou com a formação de unidades de registros e posterior formação de unidades temáticas. Essas unidades temáticas foram categorizadas em abrangente, representativas e inexpressivas, obedecendo a uma tabela de valores. A categoria abrangente mensurou a presença de um saber Ambiental e interdisciplinaridade existente no livro didático. Os resultados do livro A, apresenta-se como o livro que estar na categoria adequado dentro dos itens: saber ambiental, interdisciplinaridade e sustentabilidade. O livro C e E se configura como sendo possuidor de um saber ambiental e interdisciplinar, se enquadram dentro da categoria Plausível e a sustentabilidade  na categoria adequada, os livros B e D são simplistas, possuem uma interdisciplinaridade e um saber ambiental de forma mais silenciada. Para a dimensão sustentabilidade, o livro B é plausível e o livro D é simplista.
     
     
     
  • KELLY NAYARA CUNHA DOS SANTOS
  • PERCEPÇÃO DO VALOR AMBIENTAL DAS ABELHAS (Hymenoptera Apidae) DOS  APICULTORES DO SERTÃO PIAUIENSE

  • Orientador : MAY WADDINGTON TELLES RIBEIRO
  • Data: 14/05/2015
  • Mostrar Resumo
  •  

    PERCEPÇÃO DO VALOR AMBIENTAL DAS ABELHAS (Hymenoptera, Apidae) DOS APICULTORES DO SERTÃO PIAUIENSE.


    As abelhas são insetos com grande importância socioambiental, essenciais ao bem estar do meio ambiente por serem o mais importante grupo de polinizadores, prestadores, portanto, de serviços ecossistêmicos à população. No entanto, pesquisas indicam que estes insetos vêm sofrendo declínio no número de indivíduos em várias partes do mundo. Concomitantemente temos que a realização da atividade apícola possui relevância, no ponto de vista ambiental, por atender aos critérios ecológico, social e econômico, contribuindo assim para o desenvolvimento sustentável. No Brasil o Projeto de Lei nº 792/2007 surge com o intuito de regulamentar o uso dos serviços ambientais (ecossistêmicos), onde se enquadram os serviços prestados por abelhas, bem como definir e estabelecer o pagamento pelo uso desses serviços. A realização da apicultura possibilita o estreitamento da relação abelha-homem, contribuindo positivamente para a formulação das percepções sobre o meio ambiente. Então, a opinião de autoridades políticas, que vem sendo discutidas em altas instâncias, e de especialistas em torno do valor dos serviços ecossistêmicos impulsionaram a realização desta pesquisa, ao passo que a partir dela possa ser traçado um comparativo entre a percepção dos apicultores e a discussão especializada. Essa pesquisa trouxe como resultado a confecção de dois artigos, cujos objetivos foram analisar a percepção dos apicultores sobre a importância, bem-estar, satisfação e andamento das atividades apícolas e registrar a percepção desses apicultores quanto à importância e variedades de abelhas existentes na região estudada. A pesquisa foi desenvolvida com os apicultores da comunidade Moreira, Simplício Mendes-PI, região semiárida onde os apicultores encontram-se organizados em associativismo. Foram entrevistados todos os apicultores moradores de Moreira associados (25 indivíduos) a COMAPI – Cooperativa Mista dos Apicultores de Simplício Mendes-PI, além disso, durante as visitas foram realizadas anotações em diário de campo. Os resultados indicaram a grande satisfação dos apicultores com a atividade e associaram a importância das abelhas e apicultura no aumento da renda. Entretanto, quase todos os apicultores afirmaram não ter condições de sobreviver somente da apicultura, inclusive devido as grandes perdas de enxames que ocasionam a diminuição da produção de mel, atribuindo tal fato à seca. Os apicultores também mencionaram uma diminuição na quantidade de abelhas nativas, além da modificação/diminuição da flora apícola. Por fim, destaca-se o reconhecimento dos apicultores sobre o valor ecológico e social das abelhas, inclusive a realização da polinização, mesmo que algumas percepções ainda não estejam tecnicamente estabelecidas.

     

     

     

     

     
  • RITA DE CÁSSIA DE SANTANA TEIXEIRA
  • O TRABALHO DO CONSELHO DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR NO PIAUÍ: CONTROLE  SOCIAL, DESENVOLVIMENTO E MEIO AMBIENTE

  • Orientador : DENIS BARROS DE CARVALHO
  • Data: 27/04/2015
  • Mostrar Resumo
  • A merenda escolar no Brasil é regida pelo Programa Nacional de Alimentação Escolar - PNAE, um dos maiores programas de alimentação escolar do mundo, coordenado pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação - FNDE. Com intuito de complementar a alimentação diária dos alunos, e resguardar uma necessidade biopsicossocial, o programa conta com o Conselho de Alimentação Escolar – CAE, para acompanhar e fiscalizar seu funcionamento. Uma das exigências do programa é que 30% da merenda escolar seja fornecida pela agricultura familiar, indígena ou quilombola, medida que visa o fortalecimento da economia local, manutenção da cultura alimentar e preservação do meio ambiente. Além disso, acompanhada de uma oferta de alimentação saudável, ecológica e que desenvolve, tem-se a obrigatoriedade da Educação Alimentar e Nutricional, que deve reforçar os bons hábitos alimentares, para que estes sejam assimilados e transmitidos à sociedade, uma forma de garantir a saúde através da educação. Com isso, o presente trabalho buscou saber se o CAE está atuando de forma eficiente para permitir o sucesso do programa. O trabalho foi divido em 3 etapas: “estado da arte”, entrevista com os presidentes dos CAE’s municipal e estadual de Teresina e análise de documentos. O estado da arte mostrou que a maior parte dos trabalhos sobre alimentação escolar ainda enfocam os aspectos nutricionais. Apesar da crescente produção científica, em comparação com a produção mundial, o Brasil ainda pouco pesquisou sobre a merenda escolar, e essa diferença também é perceptível se feita uma comparação por regiões. Na pesquisa feita com os dois presidentes, percebeu-se uma diferença na execução do programa nas duas redes de ensino, pois no município, a compra é feita pela secretaria e distribuída para as escolas, o que permite mais facilmente a execução correta do PNAE, já no estado, como cada escola é autônoma, verificou-se a dificuldade de seguir a exigência dos 30%. Outros problemas foram detectados, como: falta de estrutura para o CAE do estado; falta de estrutura nas escolas; recurso insuficiente; fraudes; corrupção e má administração. Na 3ª etapa do trabalho, são poucos documentos disponibilizados para fiscalização por parte da população, esta que se faz necessária, uma vez que foi observada a presença de irregularidades em municípios do Piauí quando à documentação da merenda escolar.

     

  • MARIA DE FATIMA SOUSA SILVA
  • PERCEPÇÃO E EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO CONTEXTO DO RIO ITAPECURU EM CAXIAS-MARANHÃO

  • Orientador : GUSTAVO SOUZA VALLADARES
  • Data: 22/04/2015
  • Mostrar Resumo
  •  

    RESUMO

     

    Diante da crise civilizatória, a humanidade precisa compreender que o meio ambiente necessita de cuidados e de medidas para amenizar a problemática ambiental. A escassez dos recursos naturais encaminha cada vez mais à humanidade a crise planetária. O ensino de Educação Ambiental é compreendido hoje como aquele que desenvolve competências e atitudes em prol do meio ambiente e do indivíduo. Esta pesquisa foi realizada em Caxias – MA, cidade privilegiada pela presença do rio Itapecuru. Embora esse recurso hídrico tenha muita importância para a cidade e para todo o estado, a forma como ele vem se apresentando, em decorrência do desprezo do poder público e da população, denuncia cada dia sua extinção, caso não haja outra forma de intervenção. O estudo objetivou analisar a percepção dos alunos e professores sobre a problemática no contexto sócio-histórico e ambiental do rio Itapecuru em Caxias.  A investigação foi realizada em duas escolas públicas dessa cidade. Como estratégia metodológica, optou-se por uma escola próxima e outra distante do rio; a mostra totalizou 108 alunos do 6º ano e 20 professores das respectivas escolas. A pesquisa é de caráter quantiqualitativo; na metodologia, apropriou-se dos instrumentos para a construção dos dados dos alunos: produção de desenhos, representando o rio Itapecuru e aplicação de questionários fechados. Quanto aos professores, utilizamos questionários estruturados semiabertos. Na análise dos dados recorreu-se à técnica de análise de conteúdo.  Para identificar as concepções dos investigados sobre  meio ambiente, estabeleceu-se como parâmetro três categorias: naturalista, antropocêntrica e contemporânea. Ao final do trabalho, conclui-se que os alunos da escola distante do rio demonstraram ter maior percepção da problemática em relação aos alunos da escola próxima do rio; no entanto, em aspectos gerais, o nível de conhecimento dos alunos ainda é considerado baixo sobre a temática. Quanto aos professores, apresentaram apenas duas tendências de visões de meio ambiente: contemporânea e naturalista, com predomínio da última.

     

     

  • JOSELITO FELIX SILVA FILHO
  • GESTÃO DA ENERGIA ELÉTRICA BASEADA EM INDICADORES DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA: CONSUMO SUSTENTÁVEL DE ENERGIA EM ESCOLAS PÚBLICAS MUNICIPAIS DE TERESINA

  • Orientador : JOAO BATISTA LOPES
  • Data: 14/04/2015
  • Mostrar Resumo
  •  

    A pesquisa foi desenvolvida em escolas da rede pública municipal da cidade de Teresina - Piauí, para reduzir os desperdícios com energia elétrica e avaliar técnicas e indicadores de eficiência energética visando dar sustentabilidade a gestão da energia elétrica nestas escolas do ensino fundamental. Foram desenvolvidas atividades de levantamento do estado-da-arte sobre metodologias de gestão de indicadores de eficiência energética, estudos de técnicas de apoio à decisão multicritério (Multi Criteria Decision Aid – MCDA), definido os indicadores de eficiência energética para avaliar a aplicação da metodologia e determinar um ranking de escolas com potencial para eficiência energética. Por fim, com base num diagnóstico energético levantado em campo, foi realizado um desenho de plano de ações de eficientização energética para escolas públicas municipais selecionadas, concluindo sobre a viabilidade econômica do plano de ações de eficientização energética e seus impactos energéticos, ambientais e sociais, sob o ponto de vista de sustentabilidade. Para atingir estes objetivos, foi realizado levantamento das escolas públicas existentes na área urbana de Teresina, junto a Secretaria Municipal de Educação de Teresina, envolvendo localização, acesso e quantidade de escolas, num total de 103 escolas. Um questionário foi definido com vistas a levantar dados físicos da edificação, horários de funcionamento e operação, infraestrutura e equipamentos existentes, instalações elétricas e a quantidade de professores, funcionários e alunos, os quais foram utilizados na construção dos indicadores de eficiência energética. Foram levantados dados de consumo de energia elétrica, por escola para os últimos doze meses. Aplicado a metodologia de decisão multicritério com auxílio do software Macbeth e encontrado a função matemática geral que proporciona uma classificação ou ranking de escolas, considerando seu potencial de eficiência energética para cada uma delas. Testou-se a metodologia em 12 escolas com características diversas, inclusive em relação à posição no ranking, para aferir a aplicabilidade da metodologia Multi Criteria Decision Aid frente a metodologia da Agência Nacional de Energia Elétrica, cujos resultados positivos são apresentados na conclusão final. Assim, o gestor dos programas de eficiência energética da concessionária local, ou o gestor da educação municipal, ou mesmo o diretor de cada unidade de ensino fundamental terão subsídios para iniciar o desenvolvimento de planos de ações em eficiência energética.

     

     

     

     

     

  • NATALIA ALVES LIMA
  • EFICIÊNCIA E ÍNDICE DE ESTADO TRÓFICO DE LAGOAS DE ESTABILIZAÇÃO NO TRATAMENTO DE EFLUENTES DE MATADOURO BOVINO

  • Orientador : CLETO AUGUSTO BARATTA MONTEIRO
  • Data: 31/03/2015
  • Mostrar Resumo
  •  

       


    Objetivous-se avaliar a eficiência do sistema de tratamento adotado por um matadouro bovino por meio de análises físico-químicas e microbiológicas das águas residuárias do matadouro assim como, classificar as lagoas de estabilização presente no tratamento adotado de acordo com seu grau de trofia. A pesquisa foi realizada no município de Teresina-PI. As amostras foram coletadas nas saída das instalações e na saísda das três lagoas facultativas que copoem o sistema de tratamento. O sistema de lagoas de estabilização em série apresentou uma eficiência total de remoção de 99,12% da DBO e 94,95% para DQO. Para turbidez sólidos totais, fósforo total, nitrato, nitrito e coliformes termotolerantes a efiêcia de remoção foi de 93,44: 83,21: 18,07: 90,73: 91,02: e 97,89% respectivamente. O sistema de lagoas de estabilização em série mostrou uma eficiência satisfatória na remoção de matéria orgânica.



  • DIOGO AUGUSTO FROTA DE CARVALHO
  • A AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DA ÁGUA PARA CONSUMO HUMANO NA ZONA URBANA DE CAMPO MAIOR-PI

  • Orientador : CLETO AUGUSTO BARATTA MONTEIRO
  • Data: 30/03/2015
  • Mostrar Resumo
  • A zona urbana do município de Campo Maior – PI, localizado a 84 km de Teresina,

    com uma população de 33.521 mil habitantes, é servida pelo Sistema de Abastecimento

    de Água e Esgoto (SAAE), cuja fonte de suprimento d’água para consumo humano é o

    manancial subterrâneo da bacia hidrográfica do Parnaíba, composto pelo aquífero Poti-
    Piauí. Devido ao risco de alteração inerente à áreas urbanas, tal aquífero necessita de

    avaliação e monitoramento contínuos, posto que existe o risco de contaminações que

    pode comprometer a qualidade da água para o consumo humano, seja em decorrência da

    própria composição pedológica da região e/ou problemas na captação, no

    armazenamento e distribuição, deixando a população suscetível a doenças de veiculação

    hídrica. O objetivo desta pesquisa foi avaliar a qualidade da água para consumo humano

    na zona urbana no município de Campo Maior – PI, com base no monitoramento

    realizado nos meses de janeiro a junho de 2014, verificar a relação da qualidade com o

    sistema de abastecimento utilizado, seu nível de manutenção, a situação higiênica dos

    estabelecimentos e a existência de fontes pontuais e difusas de poluição e relacioná-las

    com a educação ambiental na gestão dos recursos hídricos municipais. Em oito locais de

    amostragem na zona urbana, foram avaliados nove parâmetros de qualidade, sendo dois

    físicos (turbidez e condutividade), cinco químicos (nitrito, nitrato, amônia, pH e

    alcalinidade) e dois biológicos (coliformes totais e E.coli). Os resultados das análises

    foram comparados mediantes as especificações da Portaria 2914/2011 do Ministério da

    Saúde, que dispõe sobre os procedimentos de controle e de vigilância da qualidade da

    água para consumo humano e seu padrão de potabilidade. Para a interpretação dos

    dados obtidos, realizaram-se estudos complementares de análise dos valores máximo e

    mínimo, média, mediana, desvio-padrão e testes não-paramétricos de correlação entre as

    variáveis obtidas (qui-quadrado, correlação de Spearman e teste de Wilcoxon) além de

    levantamento geológico e populacional da região. Constatou-se que apenas o parâmetro

    microbiológico apresentou não conformidade com as especificações da Portaria, sendo

    que os coliformes termotolerantes indicaram presença em 47,9% das amostras e E.coli,

    presente em 37,5% do total de amostras. Observou-se também correlação negativa entre

    o pH e condutividade; e entre a turbidez e o nitrito, mas observou-se uma correlação

    positiva entre a alcalinidade e nitrito; e entre E.coli e pH. Foi verificada associação entre

    a presença de coliformes e E.coli com os casos de diarreia observados durante o período

    monitorado. Constatou-se ainda que o sistema de captação, reservação e distribuição da

    água são, na maioria dos pontos selecionados para a coleta, mal conservados e

    desprovidos de higienização periódica. A captação ocorre por meio de bombas

    submersas que frequentemente ficam inativas devido às oscilações de energia elétrica. A

    distribuição da água para consumo humano dá-se, na maior parte da área estudada, por

    meio de tubulação de cimento-amianto antigo e deteriorado, que provoca perdas de até

    60% do volume produzido, além da possível ocorrência de eventos contaminantes pelo

    consumo da água distribuída, devido à presença de coliformes fecais na água analisada.

    Há necessidade de medidas preventivas e corretivas de educação ambiental mais

    rigorosas nos sistemas de abastecimento de água de Campo Maior - PI, principalmente

    na troca da tubulação de cimento-amianto por Policroreto de vinila e ações de educação

    ambiental na reservação e consumo como possível fonte de contaminação.

    Palavras-chave: Qualidade da água. Consumo Humano. Portaria 2914/2011.

     



     

  • LEANDRO JOSE RIBEIRO BATISTA
  •  

    PNEUS (IN) SERVÍVEIS: AÇÕES E LIMITAÇÕES DO GERENCIAMENTO NA CIDADE DE TERESINA/PI

  • Orientador : MARIA DO SOCORRO LIRA MONTEIRO
  • Data: 25/03/2015
  • Mostrar Resumo
  • Os problemas relacionados aos resíduos sólidos se agravaram de maneira acentuada nas cidades, em virtude do crescimento da população e da economia. Dessa forma, a preocupação com a destinação de pneus aumenta em função de seu formato e durabilidade, uma vez que a maior parte dos pneus inservíveis descartados é relegada a locais ambientalmente inadequados. Nesse contexto, foi concebido o conceito de responsabilidade compartilhada pelo ciclo de vida dos produtos, gerando assim um ciclo de responsabilidades entre a sociedade e as instituições públicas e privadas, o que despertou para o estudo sobre o manejo do pneu inservível. Assentado nessa configuração questionou-se: como se desenvolve o manejo de pneu inservível em Teresina, com vistas à construção de uma cidade sustentável? Com base nessa problemática, a hipótese assenta-se em que o gerenciamento de pneus inservíveis implementado na cidade de Teresina não contribui para a sustentabilidade local. Diante do exposto, analisou-se como se processa o gerenciamento dos pneus inservíveis da cidade Teresina nos aspectos socioeconômicos e ambientais. Para tanto, especificaram-se os arranjos legais, institucionais e administrativos que estabelecem o manejo de pneu inservível; identificaram-se os agentes responsáveis pelo gerenciamento dos pneus inservíveis em Teresina; investigaram-se as ações dos gestores do município de Teresina para o manejo de pneus inservíveis e verificaram-se as ações dos agentes privados sobre o manejo de pneus inservíveis. Esta pesquisa caracteriza-se como qualitativa e descritiva analítica, com foco na observação e interpretação da realidade sob investigação. Dessa forma, escolheram-se os participantes de acordo com a posição que ocupam no processo de responsabilidade compartilhada instituída pela Resolução 416/09 e pela Lei 12.305/10. Nessa perspectiva, a definição da amostra foi por acessibilidade. A partir do contato com os participantes e suas instituições e as informações obtidas nas entrevistas, constatou-se que o gerenciamento de pneus inservíveis implementado na cidade de Teresina não contribuiu para a sustentabilidade local, constatando a ineficácia do processo de gerenciamento nos aspectos socioeconômicos e ambientais. Ressalta-se, ainda, que a prática do poder público estava pautada em uma visão reducionista e distante do real objetivo das propostas do planejamento urbano.

     

     

     





  • CARLOS VANGERRE DE ALMEIDA MAIA
  • DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL DA PREVALÊNCIA DE ENTEROPARASITÁRIA  E CONDIÇÕES SOCIOSSANITÁRIAS  EM LIMOEIRO DO NORTE-CE

  • Orientador : GUSTAVO SOUZA VALLADARES
  • Data: 17/03/2015
  • Mostrar Resumo
  • As parasitoses intestinais se constituem como indicador socioeconômico de uma

    comunidade, sendo sua ocorrência agravada por carência de políticas públicas eficazes

    ao seu combate, subnotificações e/ou por aspectos sanitários e educacionais deficitários.

    Em Limoeiro do Norte – CE, buscou-se, através de dados secundários, oriundos do

    Hospital Regional Dr. Deoclécio Lima Verde (HRDLV) e do Sistema de Informação a

    Atenção Básica (SIAB), traçar a Prevalência de Parasitoses Intestinais (PPI) em

    usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) do município e relações com variáveis

    socioambientais que pudessem se constituir como fator de proteção a este evento, sendo

    utilizados os percentuais de atendimento por serviços de saneamento básico e os

    aspectos educacionais de famílias inseridas em territórios delimitados e adstritos a

    Unidades Básicas de Saúde (UBSs), cuja representação foi proporcionada pelo uso do

    geoprocessamentoo. Para esta pesquisa, delimitou-se uma série histórica compreendida

    entre os anos 2009 e 2013. Constatou-se prevalência de 20,9% dos usuários do SUS que

    realizaram exames parasitológico de fezes no período, maior ocorrência de

    monoparasitismo pelo teste de Qui-quadrado (X²) (p < 0,05), sendo os adultos e os

    homens os mais acometidos. A Zona Rural foi a região municipal onde o evento foi

    mais frequente pelo X² (p < 0,05), se configurando com como área de risco quando

    comparada a Zona Urbana (p < 0,05; Razão de Prevalência = 1,4). Observou-se

    diferença estatisticamente significativa entre a prevalência ao longo dos anos (p < 0,05),

    com redução de 2,6% ao ano (p <0,05), através de Regressão Linear Simples. A fim de

    averiguar se fatores sociossanitários intervêm no enteroparasitismo, através das

    variáveis que representem o acesso de famílias ao Serviço de Abastecimento de Água

    (SAA), Serviço de Esgotamento Sanitário (SES), Coleta de Resíduos Sólidos (CRS),

    indivíduos entre 7 e 14 anos na escola (ESC) e maiores de 15 anos alfabetizados

    (ALFA), foi gerado um indicador composto denominado Perfil Sociossanitário dos

    Territórios (PST), cuja pontuação advém da soma dos percentuais dessas variáveis

    contidas no Relatório dos Consolidados das Famílias Cadastradas, que alimentam o

    SIAB, podendo atingir, no máximo, 500 pontos. Constatou-se que em todos os anos, o

    indicador se comportou como fator de proteção, uma vez que o valor da correlação de

    Pearson foi negativo para todos. Em 2010, a correlação obteve seu maior valor, sendo

    inversamente proporcional e estatisticamente significativo (r = -0,69; p = 0,009).

    Através de Análise de Componentes Principais (ACP), aferiu se as variáveis eram

    adequadas ao modelo, o que foi confirmado pela medida Kaiser-Meyer-Olkin (KMO) e

    pelo Teste de esfericidade de Batlett (p < 0,01). Assim, pode-se aventar que o SIAB

    pode ser uma útil ferramenta em estudos que busquem relacionar condições

    socioambientais e prevalência enteroparasitária, tomando como base os territórios

    adstritos das UBSs.


  • SARA ZILANDA LIMA DA SILVA
  •  

    LABORATÓRIO CENTRAL DE SAÚDE PÚBLICA DR. COSTA ALVARENGA: UMA PROPOSTA DE APLICABILIDADE DA FERRAMENTA DE PRODUÇÃO MAIS LIMPA.

     

  • Orientador : MARIA ALEXSANDRA DE SOUSA RIOS
  • Data: 16/03/2015
  • Mostrar Resumo
  • A humanidade tem passado por profundas modificações desde suas primeiras

    organizações. Com o advento da Revolução Industrial (Século XIX) e a passagem do

    processo de produção para larga escala essas mudanças foram refletidas também no

    ambiente natural em que os seres estavam inseridos. Para tentar emitir um alerta, a

    natureza começa a reagir de maneira não muito positiva, a exemplo de chuvas ácidas,

    alagamentos, enchentes pontuais e o mais recente, escassez de água potável em algumas

    regiões. Tentando corrigir ou minimizar essas investidas, grupos isolados se

    organizaram em prol do meio ambiente e suas questões iniciam um processo de

    conscientização que atinge a todos, através dos meios de comunicação, conferências e

    encontros internacionais e o importante elo entre diversas nações. Um aclame em favor

    das questões ambientais é produzido e dá-se início a diversas ações com esse fim.

    Apesar disso, algumas instituições, a exemplo de empresas e prestadores de serviços,

    não conseguiram visualizar uma ponte entre a preservação dos recursos naturais e o

    progresso de seus empreendimentos e almejando alcançar essa esfera da sociedade, foi

    que em 1994, com uma iniciativa conjunta entre a Organização das Nações Unidas para

    o Desenvolvimento Industrial (UNIDO), e o Programa das Nações Unidas para o Meio

    Ambiente (UNEP), lançaram o Programa dos Centros Nacionais de Produção mais

    limpa (National Cleaner Production Centres – NCPC), com o intuito de promover

    práticas de Produção mais limpa em países não desenvolvidos e em desenvolvimento,

    práticas estas que incluem a aplicação de uma estratégia técnica, econômica e ambiental

    integrada aos processos e produtos, a fim de aumentar a eficiência, minimizar resíduos e

    emissões, com vistas a benefícios ambientais, de saúde ocupacional e econômico. O

    Lacen-Piauí, é um laboratório de saúde pública que desempenha suas funções de

    maneira excelente, pois tem um foco na precisão dos resultados de seus exames e na

    transparência de suas atividades. E tentando contribuir para a eficiente realização das

    ações do referido laboratório frente às questões ambientais, que o presente trabalho foi

    proposto, com o objetivo de analisar as atividades do laboratório, a partir da ferramenta

    de Produção Mais Limpa (P+L), alcançando melhorias no desempenho ambiental na

    execução de suas atividades desenvolvidas. O modelo de P+L utilizado foi o proposto

    pelo Centro Nacional de Tecnologias Limpas-CNTL (2003). Para respaldar as

    interferências, fez-se uso da Educação Ambiental com o intuito de conscientizar os

    envolvidos e assim angariarem-se parceiros.

     

  • DAYANNE BATISTA SAMPAIO
  • "A CARNE É FRACA? " PERCEPÇÃO DOS IMPACTOS AMBIENTAIS DA PRODUÇÃO E CONSUMO ALIMENTAR

  • Orientador : DENIS BARROS DE CARVALHO
  • Data: 13/03/2015
  • Mostrar Resumo
  • Os padrões de produção e consumo representam uma das temáticas necessárias para a

    reflexão acerca da relação entre sociedade e ambiente. Nesse contexto, insere-se o

    campo da alimentação porque constitui um campo de disputas específicas e apresenta

    dilemas relativos à produção e distribuição de alimentos nas sociedades

    contemporâneas. Atenta-se para a alimentação enquanto tomada de decisão que influi

    coletivamente, pois ultrapassa a esfera privada das preferências individuais,

    recomendações nutricionais e médicas, passando a atuar na esfera pública. Sendo

    também um cidadão, o consumidor torna-se agente ambiental nas suas práticas

    alimentares. Nesta pesquisa, essa relação com o consumo e com o exercício da

    cidadania ambiental e a prática alimentar foi aprofundada a partir da discussão sobre o

    consumo de carnes. Partiu-se do reconhecimento de que as carnes possuem grande

    representação no processo de alimentação humana. A perspectiva aqui proposta abarcou

    elementos socioculturais, religiosos, econômicos e éticos que possibilitaram um enfoque

    ambiental. Objetivou-se, pois, analisar a(s) percepção(ões) de consumidores sobre os

    impactos ambientais da produção e do consumo de carnes. Participaram desta pesquisa,

    consumidores que inserem carne na sua dieta alimentar. Todos foram esclarecidos a

    respeito da pesquisa e convidados a assinar o Termo de Consentimento Livre e

    Esclarecido (TCLE) de forma individual e em grupo. Optou-se pela técnica de grupo

    focal como ferramenta primeira e pela entrevista individual em profundidade como

    complemento na obtenção das informações, as quais passaram pela Análise de

    Conteúdo Temática. Verificou-se que os participantes não se posicionam como cidadãos

    nas suas práticas alimentares e no consumo de carnes e apontam o mercado como

    grande influenciador no processo perceptivo, dificultando o olhar reflexivo-sensível e a

    reação do consumidor perante as forças do mercado. Constatou-se uma visão

    egocêntrica em relação ao consumo de carnes, prevalecendo a preocupação com a saúde

    tanto para o consumo quanto para o não consumo ou sua redução. Observou-se que os

    consumidores não reconheciam a discussão sobre consumo sustentável e não percebiam

    o consumo de carnes como gerador de impactos ambientais. Em relação a propostas

    politizadoras como a “Segunda sem Carne”, apresentaram-se algumas contradições

    quanto à sua importância e algumas resistências à sua implementação, bem como a

    desconsideração da tríplice que fundamenta a campanha. Verificou-se ainda, uma visão

    egocêntrica em relação à questão ambiental e, portanto, uma percepção dissociada do

    ambiente. Por fim, espera-se que esta pesquisa possibilite uma reflexão sobre o

    exercício da cidadania no contexto das práticas alimentares e do consumo de carnes e

    que sejam realizadas ações voltadas à construção de uma percepção ambiental, pois, a

    partir do seu pensar no espaço e vivê-lo no tempo, das suas percepções sobre a 

    realidade, os sujeitos podem manifestar sua leitura sobre o mundo e reorientar-se nessa

    relação.

     

     

  • NAYARA DANNIELLE COSTA DE SOUSA
  • A PERCEPÇÃO DA POLUIÇÃO E O IMPACTO SOBRE OS ORGANISMOS

    ZOOSPÓRICOS NO RIO POTI, TERESINA – PI.

     

     

     

  • Orientador : JOSE DE RIBAMAR DE SOUSA ROCHA
  • Data: 25/02/2015
  • Mostrar Resumo
  • A proteção à saúde pública é a exigência primordial para que se tenha uma boa qualidade de água. Portanto, o monitoramento e avaliação da qualidade da água é um dos principais instrumentos para execução da política de planejamento e gestão de recursos hídricos. A degradação dos ecossistemas aquáticos gera grande perda de biodiversidade. Então, para que a sociedade tenha uma maior compreensão da necessidade de uma boa qualidade da água o processo de participação social precisa estar afinado com as necessidades reais da população. O rio Poti tem grande influência na vivencia da população local e com isso, observa-se o impacto diante da qualidade das águas do rio dentro do perímetro urbano na cidade de Teresina – PI, afetando assim, a ecologia do rio e sua microbiota, e dentre elas as populações de organismos zoospóricos. Esta pesquisa objetivou contribuir para sociedade e comunidade científica, relacionando a qualidade da água do rio Poti no perímetro urbano de Teresina – PI com o conhecimento da diversidade das populações de organismos zoospóricos. Assim foram realizadas coletas bimestrais de solo e água em seis pontos a margem do rio Poti no período de Agosto/2013 a Agosto/2014. Para o isolamento dos organismos zoospóricos foi utilizada a técnica da iscagem múltipla. Obteve-se 185 isolamentos de organismos zoospóricos distribuídos em 36 táxons. O filo Blastocladiomycota apresentou 4 táxons e Chytridiomycota com 17 táxons, sendo que Cladochytrium setigerum Karling e Catenaria anguillulae Sorokīn, são as primeiras citações para o Piauí e Monoblepharella taylorii (Sparrow) Sparrow como a primera citação para o Brasil, ambos Reino Fungi e filo Oomycota (Reino Stramenopila) com 15 táxons registrados. Os resultados dos índices de Abundância (A) e Frequência (F%) dos organismos zoospóricos sugerem que a ocorrência e distribuição das populações podem ser independentes das condições abióticas, como a temperatura (ºC) e Índice de qualidade de água – IQA devido a um teste de comparação de médias (Teste de Shapiro-Wilk, Teste de Lavene, ANOVA, Teste de Tukey e Correlação de Pearson) que indicou uma correlação sem significância estatística. O processo de degradação ambiental observado no rio Poti, perímetro urbano de Teresina, na recepção de efluentes sem tratamento é preocupante tanto pela importância social que o rio representa quanto pela degradação ambiental e o desequilíbrio que vem sofrendo. Este trabalho também buscou tratar do tema poluição no rio Poti dentro do perímetro urbano de Teresina relacionado com a informação ambiental em sítios eletrônicos, podendo constatar representatividade na mídia eletrônica local com 79 publicações nos três sites locais pesquisados, e que o problema ambiental é colocado como noticia nestas publicações, mas ainda não apresentam soluções e com pouca fundamentação teórica sobre o tema. Ainda pode ser percebido que o aumento de número das reportagens coincide com o mesmo período de aumento dos problemas ambientais no rio. Então é necessário a promoção nos indivíduos a formação em Educação Ambiental. E assim, torna-se essencial a continuação das pesquisas que abordem o tema da percepção ambiental.

     

     


     

  • JOSÉ RODRIGUES DE ALMEIDA NETO
  •  

    ETNOBOTÂNICA E ETNOENTOMOLOGIA EM COMUNIDADES RURAIS DA SERRA DO PASSA-TEMPO, CAMPO MAIOR-PI

  • Orientador : ROSELI FARIAS MELO DE BARROS
  • Data: 24/02/2015
  • Mostrar Resumo

  • O diverso uso das plantas é bastante difundido no Brasil, dadas as suas características

    culturais e riqueza vegetal, especialmente nos espaços rurais. A pesquisa foi realizada nas

    comunidades rurais Nova Vida e Passa-Tempo, situadas na Serra do Passa-Tempo, uma área

    de transição cerrado/caatinga no município de Campo Maior, estado do Piauí.  O proposito do

    estudo foi: levantar as plantas medicinais, suas partes e as formas de uso pelos moradores das

    comunidades; conhecer o domínio cultural de plantas inseticidas e repelentes e a existência de

    consenso desse conhecimento; verficar como são conhecidos e percebidos os insetos pelos

    entrevistados.  No período entre julho de 2013 a agosto de 2014, através do método de

    entrevistas por residência, formulários semiestruturados e listra livre foram aplicados em

    todas as casas (n=31) das duas comunidades, perfazendo 63 entrevistados, dos quais, quatro

    desses eram surdos-mudos, que para tal, foi necessário o auxilio de uma intérprete local.

    Realizaram-se turnês-guiadas para as coletas botânicas que foram depositadas no Herbário

    Graziela Barroso da Universidade Federal do Piauí. Coletas também foram procedidas para a

    captura dos insetos, e os espécimes identificados foram incorporados ao Laboratório de

    Fitossanidade da mesma instituição. Um total de 74 espécies de plantas medicinais foi citado,

    usadas por meio de 14 preparações como: azeite, banho, cataplasma, decocto, garrafada,

    inalação, infusão, in natura, lambedor, maceração, pó, suco, tintura e vinho-medicinal. A

    espécie Chenopodium ambrosioides L. apresentou uma maior diversidade de uso medicinal

    obtendo o valor máximo do índice de importância relativa (IR=2), e através do índice de fator

    de consenso informante (FCI) verificou-se um maior consenso entre os informantes para o

    conjunto de plantas usadas no tratamento de doenças da pele e do tecido subcutâneo (FCI=

    0,67).  Verificou-se também que os entrevistados definem o domínio cultural de plantas

    repelentes e inseticidas pelo critério de uso, plantas utilizadas para espantar ou matar insetos

    respectivamente. Ao todo, 18 espécies pertencentes ao domínio de plantas repelentes e

    inseticidas foram citadas, que através do índice de saliência de Smith (IS) e das obeservações

    feitas em campo como indicações e formas de uso, foi possível apontar cinco rupturas desse

    conhecimento. A espécie com maior saliência cultural foi Azadirachta indica A. Juss. , que

    juntamente com Croton campestres A. St. Hil foram definidas pela análide de consenso

    cultural (CC) como as espécies que definem o consenso desse domínio dentro das comunides.

    Na análise de escalonamento multidimensional (MDS) do grupo de entrevistados foi possível

    visualizar dois grupos bem definidos, um formado por 29 entrevistados e outro por apenas um

    definido a partir do seu conhecimento.  Na análise do grupo de plantas, visualizaram-se pelo

    MDS cinco agrupamentos definidos pelo critério de uso dessas espécies. Um total de 62

    animais foi citado na etnocategoria inseto, dos quais, 28 não pertencem à classe Insecta. Tal

    motivo repousa na forma como os entrevistados percebem esses animais, que em geral é de

    forma negativa, como organismos portadores de alguma nocividade, causadores de injúrias,

    ofensas, e perturbações, o que corrobora a hipótese da ambivalência entomoprojetiva. No

    entanto, os insetos também foram adjetivados como animais bons, pois em geral possuem

    alguma função ou valor atribuído. Na visão dos entrevistados, os insetos podem prever

    situaçãoes futuras, ou seja, entomoáugures. Viu-se também que aspectos relacionados a

    biologia desses animais são percebidos pelos informantes. Entende-se que as comunidades

    estudadas possuem um rico conhecimento etnobiológico, no que se refere a plantas

    medicinais, repelentes e inseticidas e o direcionado aos insetos. As plantas bioativas indicadas

    no estudo necessitam ser testadas fitoquimicamente para dar segurança a esses às

    comunidades rurais.


  • HERICA MARIA SARAIVA MELO
  • CONSUMO SUSTENTÁVEL: O AGIR AMBIENTALMENTE CONSCIENTE DOS PROFESSORES DO COLÉGIO TÉCNICO DE TERESINA/UFPI

  • Orientador : DENIS BARROS DE CARVALHO
  • Data: 05/02/2015
  • Mostrar Resumo
  • A presente dissertação versa sobre discursos, práticas e atuação dos professores acerca do consumo sustentável e foi elaborada sob a forma de três artigos científicos. A pesquisa utilizou entrevistas em profundidade com dezoito professores do Colégio Técnico de Teresina, escola técnica vinculada à Universidade Federal do Piauí. O primeiro artigo teve como objetivo identificar as preocupações ambientais e as percepções dos professores acerca das consequências adversas dos seus atos de consumo. O segundo artigo caracterizou as práticas de consumo dos professores, analisando convergências e divergências entre o discurso e a prática de consumo. Os resultados, interpretados por meio da análise qualitativa de conteúdo, indicaram que predomina a visão antropocêntrica na relação com o meio ambiente, sendo que este é percebido como recurso e como problema. Verifica-se que a intenção de agir nem sempre se reflete em ação e que as preocupações dos professores ainda são baseadas em eventos que afetam somente a si próprios e em curto prazo. Considera-se que a prática de consumo nem sempre é coerente com o discurso ambientalmente responsável, pela existência de elementos motivacionais (falta de interesse, comodidade) e contextuais (restrições de tempo, cultura, aspectos financeiros). O terceiro artigo ampliou essa discussão do consumo, analisando os discursos dos professores no modo operacional, na cotidianidade do espaço escolar. Tendo em vista os resultados dos dois artigos anteriores que apontaram, respectivamente: i) predominância da visão antropocêntrica na relação com o meio ambiente; ii) aspectos da racionalidade econômica em detrimento da ecológica; procurou-se, neste último artigo, apontar as práticas de educação ambiental e as possibilidades de inserção do tema “consumo” nas disciplinas ministradas pelos professores entrevistados. Por último, na conclusão, ressalta-se a importância da ampliação da percepção de si para o mundo e o fortalecimento da participação dos docentes na esfera pública como promotores para uma sustentabilidade global. Percebe-se a importância da conscientização e do incentivo à mudança de valores e de comportamentos de consumo e, ao mesmo tempo, a necessidade de políticas públicas que invistam na formação docente em prol do enfrentamento de uma realidade socioambiental que se evidencia em crise.

     

     

     
     
     

     

     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     

     
     
     
     
     
     
     
     

     

     
     
     
     
  • EVANGELINA DA SILVA SOUSA
  • CONTRATAÇÕES PÚBLICAS SUSTENTÁVEIS NA ADMINISTRAÇÃO FEDERAL: UM ESTUDO NA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ

  • Orientador : DENIS BARROS DE CARVALHO
  • Data: 05/02/2015
  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa se propôs a analisar a relação entre os instrumentos convocatórios e os relatórios de gestão da Universidade Federal do Piauí quanto à existência de critérios de sustentabilidade ambiental. A investigação possui abordagem qualitativa, e foi desenvolvida através de um estudo de caso. A coleta de dados foi realizada em três etapas. A primeira consistiu na pesquisa documental referente a 45 (quarenta e cinco) editais de licitação e relatórios de gestão referentes ao triênio 2011-2013. A segunda etapa compreendeu a aplicação de um questionário com perguntas abertas e fechadas com agentes requisitantes de compras, e na terceira foram realizadas entrevistas semiestruturadas com servidores de nível tático e estratégico da Instituição. Os dados foram analisados através das técnicas de análise de conteúdo e do discurso. Com a análise dos resultados, percebeu-se que apenas nas aquisições do Núcleo de Tecnologia da Informação são inseridos critérios ambientais nas especificações técnicas dos objetos licitados, além de exigidos certificados ambientais como ISO 14001 e certificados de uso racional de energia EPEAT e Energy Star, além de seguirem o padrão  RoHS (Restriction of Hazardous Substances) garantindo que os equipamentos não possuem metais pesados em sua composição, assegurando baixo impacto ambiental. Os demais editais analisados mostraram que as licitações realizadas não cumprem a finalidade legal de promover o desenvolvimento sustentável, nem a função social, pois o critério utilizado é apenas o econômico, posto que a proposta selecionada como mais vantajosa é aquela que detém o menor valor de aquisição, negligenciando, assim, os critérios ambientais. Conclui-se que a Universidade Federal do Piauí não possui um plano de ação que estimule a prática de contratações sustentáveis, e que a Instrução Normativa nº 01/2010 que legitima a inserção de critérios ambientais nas compras públicas nos editais de licitação não é aplicada efetivamente.

     

     

     

2014
Descrição
  • GILMAR DA SILVA COSTA FILHO
  •  

     

    REUSO DOS EFLUENTES DA PRODUÇÃO DE TILÁPIA (OREOCHROMIS NILOTICUS) NA PRODUÇÃO DE VEGETAIS EM AGRICULTURA FAMILIAR

  • Orientador : JOAO BATISTA LOPES
  • Data: 05/09/2014
  • Mostrar Resumo
  •  

    Reuso dos efluentes da produção de tilápia (Oreochromis niloticus) na produção de

    vegetais em agricultura familiar.

    Resumo - A produção sustentável de alimento vem sendo discutida com ênfase no volume de

    água necessária no cultivo de alimentos na agricultura. A região nordeste, apesar de potencial

    turístico tem convivido ciclicamente, com relatos de seca que tem preocupado a comunidade e

    despertado a academia na busca de novos mecanismos de produção sustentável de alimentos. O

    Piauí apesar da pequena faixa litorânea de 66 km vem mostrando o interesse na piscicultura, seja

    de forma extensiva ou por meio da aquicultura familiar. Assim, estudos recentes apontam o reuso

    da água e otimização dos resíduos da piscicultura e sua utilização como importante alternativa na

    agricultura, especialmente a familiar. No entanto, poucos experimentos foram realizados no

    Estado do Piauí com esta perspectiva, fato que fundamenta e justifica esta pesquisa,

    desenvolvida para avaliar o cultivo sustentável de alface, rúcula e tomate cereja a partir da água

    residual do cultivo de tilápias, com e sem o uso de compostagem. No cultivo dos peixes, foram

    utilizadas quatro densidades (0, 11, 14 e 26 peixes por tanque), sendo o nível zero (controle),

    proveniente de fonte de água não residual do sistema de piscicultura, associados com e sem o

    uso de compostagem no tratamento de solo. Os peixes foram amostrados nos dias de cultivo 0,

    30, 60 e 90 dias por meio da biometria (peso e tamanho) e a qualidade de água foi monitorada

    semanalmente. Para o cultivo de alface, retirou-se amostra de solo para analise antes e depois do

    cultivo com as diferentes fontes de água. As alfaces foram distribuídas em parcelas com vinte

    plantas. Como resultados, a densidade da água residuária não interferiu no peso das plantas nem

    na proporção de folhas mortas, enquanto o cultivo com o uso da compostagem, tanto para o peso

    das plantas como para a taxa de folhas mortas os valores foram superiores ao do cultivo sem o

    uso de compostagem. No cultivo consorciado de rúcula e de tomate em baldes para avaliar o

    desempenho produtivo cultivado em consórcio, irrigado com efluentes de piscicultura ou água

    clara, foi feito um experimento em delineamento inteiramente casualizado, com dois tratamentos e

    12 repetições. Os tratamentos foram representados pelas fontes de água utilizadas para a

    irrigação, ou seja, efluente de piscicultura e água clara. Foram determinadas as seguintes

    variáveis: massa fresca da raiz, massa fresca da planta, massa seca da parte aérea e a matéria

    seca da parte aérea do tomateiro; massa fresca e diâmetro do tomate; massa da planta, altura da

    maior folha, a massa seca das folhas e matéria seca das folhas de rúcula. Não houve diferença

    significativa no desempenho produtivo das plantas em função do tipo de água usada na irrigação.

    Nos estudos realizados, o uso de efluentes de piscicultura para irrigação de vegetais é

    recomendado, uma vez que não é necessário uso de fertilizantes químicos e o sistema de

    reciclagem de nutrientes é ambientalmente correto, atendendo às exigências atuais da agricultura

    moderna.

     

     

     

     

  • OTÁVIA CARACAS CÂMARA
  • aspectos DO PROCESSO DE EUTROFIZAÇÃO DO Rio POTI EM TERESINA- PIAUI

  • Orientador : CARLOS ERNANDO DA SILVA
  • Data: 09/07/2014
  • Mostrar Resumo
  • O objetivo dessa pesquisa consiste emavaliar o nível de eutrofização que o rio Poti sofre em Teresina - PI, classificando o seu estado trófico, relatando os principais gêneros de microalgas presenteno processo de eutrofização do rio, correlacionando com o índice de precipitação. O estudo compreende a porção mais a jusante da bacia hidrográfica do rio Poti, no município de Teresina, PI. Com 6 pontos de monitoramento ao longo de 35 km do rio, sendo a parte mais a montante caracterizada por uma região com baixo índice de urbanização, adentrando-se à malha urbana até o encontro com o rio Parnaíba. O monitoramento aconteceu de setembro de 2012 a novembro de 2013 com periodicidade mensal, as coletas foram  realizadas na parte central do rio. As amostras coletadas são armazenadas e preservadas de acordo com as recomendações para cada variável de qualidade.   Os parâmetros  físico-químicos e biológicos foram pré-definidos para análise do grau de trofia e qualidade das águas, através do IET (Índice do Estado Trófico) e IQA (Índice de Qualidade de Água) . As técnicas analíticas utilizadas estão preconizadas no Standard Methods for the Examination of Water and Wastewater, 19th ed (APHA; AWWA; WPCF, 1995).Os parâmetros analisados sofreram grandes alterações, isso se deu ao fato de se tratar de um ambiente aquático que sofre constantes modificações em seu percurso, provocadas pelas atividades antrópicas e naturais. Os resultados obtidos mostram que o índice de precipitação influenciou nos parâmetros estudados. Aanalise  do IET no trecho do rio Poti estudadoclassificoucomo hipereutrófico, os resultados indicaram que o maior índice ocorreu no ponto 5 no mês de novembro de 2012 (129,4) ; na avaliação da qualidade da água verificou-se uma tendência para os pontos 1, 2, 3, 4 e 5 um índice regular com exceção do ponto 0. As principais microalgas encontradas são do dos gêneros Chlorophyta Ankistrodesmus e Microspora e de Cyanobacteria Oscillatoria, produtoras de toxinas e clorofila - a.Conclui -se com isso que ao passar pela área urbana de Teresina o rio sofre maior degradação, isso pode ser explicado pela grande quantidade de efluentes lançados sem tratamento.

    .


  • POLYANA SOUZA PEREIRA
  • A CONTRIBUIÇÃO DAS MARISQUEIRAS PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL NO MUNICÍPIO DE LUÍS CORREIA/PIAUÍ

  • Orientador : JOSE LUIS LOPES ARAUJO
  • Data: 26/06/2014
  • Mostrar Resumo
  • A grande maioria das comunidades litorâneas do Brasil tem como principal atividade socioeconômica a pesca artesanal que representa o modo de vida de pessoas que vivem nas áreas costeiras. A pesquisa foi realizada no município de Luís Correia, devido à forte presença das mulheres da comunidade Beira Mar, na atividade. As pescadoras fundaram a Associação de Marisqueiras e Filetadeiras de Luís Correia e se reúnem toda semana para a cata de mariscos no litoral do Piauí. Possuem uma maneira racional de coleta, que respeita o ciclo biológico dos mariscos, a conservação e renovação deste recurso na natureza. Utilizando apenas as mãos, escolhem os mariscos maiores e fazem ainda um rodízio das áreas de coleta. Receberam e recebem apóio de órgãos como a Prefeitura Municipal de Luís Correia, a Universidade Federal de Piauí, a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas, CODEVASF, MPA, entre outros. Alguns programas também colaboram para que possam desenvolver a mariscagem como (Pronaf) Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar. Este auxiliou o fornecimento de crédito para que algumas mulheres pudessem comprar canoas. Esse estudo tem como objetivo fundamental analisar a importância da atividade marisqueira para o desenvolvimento sustentável do município de Luís Correia, a partir da catação realizada pelo grupo de mulheres que formam a Associação das Marisqueiras. Os procedimentos metodológicos utilizados para a coleta de dados foram, a aplicação de formulários com perguntas estruturadas e semi-estruturadas, observação direta e diário. Alguns aspectos socioeconômicos foram destacados, como o baixo nível de escolaridade que impede as mulheres de conseguirem uma atividade remunerada e resolvem se associar para pescar e receber os benefícios dos pescadores. Apresentaram idade variando entre 24 e 34 anos em 36,6% das entrevistadas, 53,4% afirmaram ser apenas donas de casa, as moradias em 90% dos casos são de alvenaria, todas cobertas por telha cerâmica e mais da metade dos domicílios tem disponível abastecimento de água e energia. Os resultados apresentados contribuirão para gerar subsídios teóricos voltados para a pesquisa sobre pescadoras no Estado. Dessa forma o estuda demonstra, a partir do conceito de desenvolvimento sustentável, que as pescadoras garantem com a coleta de mariscos uma simplória renda além de outros benefícios, que lhes garantem melhorias na qualidade de vida e por realizarem a atividade de maneira consciente, conseguem manter a diversidade biológica e a conservação do ecossistema em que trabalham. PÁGINAS: 69

  • ELIANE DE AQUINO LIMA BRANDÃO
  •  

    SUSTENTABILIDADE DE ÓLEOS LUBRIFICANTES AUTOMOTIVOS EM POSTOS DE REVENDA DE COMBUSTÍVEIS DE TERESINA-PI

  • Orientador : JOSE DE RIBAMAR DE SOUSA ROCHA
  • Data: 26/06/2014
  • Mostrar Resumo
  •  

    Os óleos lubrificantes, ao desempenharem a função de proteger as superfícies metálicas

    móveis dos motores, após o uso se degradam a ponto de não mais ser útil neste

    processo, pois acumulam resíduos da combustão dos hidrocarbonetos, dos aditivos de

    sua formulação, metais pesados extraídos das peças e blocos dos motores através dos

    atritos e substâncias formadas pela oxidação e degradação térmica. São essenciais para

    o desenvolvimento das atividades industriais e humanas, que dependem de motores para

    sua execução. No entanto, torna-se um resíduo contaminado e perigoso, que pode causar

    danos à saúde pública e ao meio ambiente. O óleo lubrificante usado e contaminado

    (OLUC), ao passar por um processo de rerrefino volta a ser fonte da matéria prima

    principal, o óleo lubrificante básico, podendo ser utilizado em nova formulação dos

    óleos lubrificantes. A Resolução No 362 de 2005 do CONAMA, estabelece que a

    categoria dos processos tecnológicos industriais, chamada genericamente de rerrefino,

    corresponde ao método ambientalmente mais seguro para a reciclagem do OLUC. Este

    trabalho teve como objetivo analisar a sustentabilidade e a percepção ambiental dos

    trabalhadores que desempenham a atividade de troca de óleos lubrificantes automotivos

    em postos de revenda de combustíveis (PRC) na cidade de Teresina. O Estado do Piauí

    ainda não conseguiu atingir a cota de coleta de OLUC para o rerrefino (ANP, 2014).

    A pesquisa revelou que dos estabelecimentos visitados e entrevistados, apenas 36,36%

    destinam o OLUC única e exclusivamente para o rerrefino, os resíduos provenientes

    das atividades de troca de óleo ainda estão com destinos ambiental e economicamente

    irregulares, ou seja, estão sendo encaminhados para o lixo comum. A saúde e a

    segurança do trabalhador ainda encontram uma série de riscos pela ausência de uso dos

    equipamentos de proteção individual - EPIs, pela estrutura inadequada do ambiente

    de trabalho e pela forma incorreta de gerenciamento do OLUC por parte destes

    estabelecimentos. Portanto, para a solução destes problemas, o estado do Piauí precisa

    urgentemente elaborar uma política eficaz contemplando o gerenciamento do OLUC

    e seus respectivos resíduos, melhorar as condições do processo de logística reversa e

    responsabilidade compartilhada de seus resíduos, colaborando assim com a preservação

    dos recursos naturais e melhor qualidade de vida das presentes e futuras gerações.

     

     

  • LUCAS OLIVEIRA BRAGA
  •  MONITORAMENTO DE MOSCAS-DAS-FRUTAS (DIPTERA, TEPHRITIDAE) E PERCEPÇÃO ENTOMOLÓGICA EM UMA COMUNIDADE RURAL NO MUNICÍPIO DE UNIÃO (PI)

  • Orientador : PAULO ROBERTO RAMALHO SILVA
  • Data: 30/05/2014
  • Mostrar Resumo
  •  

     

    Os insetos por sua grande adaptabilidade, evidenciada por sua presença e abundância nos mais diferentes ecossistemas têm importância direta ou indireta para as sociedades humanas, sendo objeto de estudo dos mais variados campos da ciência. Na agricultura, dentre as pragas incidentes de interesse econômico destacam-se as moscas-das-frutas (Tephritidae) dentro da fruticultura brasileira, uma das principais atividades do país, onde estudos ecológicos são a base para o manejo ecológico eficiente. Do ponto de vista etnobiológico as moscas-das-frutas, bem como os demais insetos, interagem com o homem, participando dos aspectos cognitivos do mesmo. A interação do homem com a natureza durante atividades cotidianas como em populações rurais proporciona uma relação mais próxima com a fauna. A Etnoentomologia parte de uma visão interdisciplinar para desvendar a lógica existente por trás dos conhecimentos, crenças, taxonomia e sistemática desenvolvidos sobre a entomofauna. Diante da escassez de estudos ecológicos e etnobiológicos no estado do Piauí, objetivou-se em uma comunidade rural no município de União/PI: identificar as espécies de tefritídeos, frutíferas hospedeiras e parasitóides associados; realizar análise faunística dos tefritídeos; caracterizar a flutuação populacional relacionada aos elementos metereológicos; determinar a composição do etnodomínio “inseto”; levantar os usos relacionados aos insetos; registrar a classificação folk local; registrar o conhecimento tradicional entomológico existente. O estudo faunístico ocorreu através da coleta de frutos em pomares domésticos e mata de cocais, e da instalação de armadilhas-pet, na comunidade Novo Nilo durante o período de um ano. A partir das moscas-das-frutas e parasitóides emergidas dos frutos em laboratório calculou-se os índices de infestação e parasitismo. Já dos indivíduos coletados nas armadilhas foi realizada a análise faunística e a flutuação populacional dos tefritídeos, esta última foi estatisticamente comparada aos elementos metereológicos. No estudo etnoentomológico foram realizadas entrevistas com auxílio de formulários semiestruturados, com questões abertas e fechadas com os moradores locais, testes projetivos com fotografias e espécimes coletados, turnês-guiadas, registros fotográficos e conversas informais; foram também calculados índices de usos relacionados aos insetos na comunidade. Das 14 espécies de frutíferas coletadas, apenas cinco hospedeiras foram constatadas, observando-se a infestação predominante de A. obliqua sobre cajá (S. mombin L.) e umbú (S. tuberosa Arr. Cam.), e A. zenildae em goiaba (P. guajava L.). A cajazeira e o umbuzeiro foram considerados hospedeiros primários de A. obliqua Macquart, 1835 em função da elevada infestação obtida. Dos frutos emergiram três espécies de parasitóides: D. areolatus (Szépligeti, 1911), O. bellus Gahan 1930 e U. anastrephae (Viereck, 1913) com elevada incidência em frutos de Spondias. Seis espécies de moscas-das-frutas  foram capturadas: A. obliqua Macquart, 1835, A. zenildae Zucchi, 1979, A. fraterculus Wieldemann, 1830, A. serpentina Wieldemann, 1830, Anastrepha sp.1 e Anastrepha sp.2. A caracterização faunística apontou A. obliqua como espécie predominante, obtendo-se baixo índice de diversidade de Shannon (0,92), o que indica a existência de condições limitantes. A flutuação populacional mostrou-se associada à disponibilidade de frutos hospedeiros e, também, aos fatores climáticos: precipitação pluvial (mm), umidade relativa (%), temperatura média (ºC) e temperatura máxima (ºC). A partir das entrevistas etnobiológicas com moradores, constou-se um amplo etnodomínio “inseto” composto tanto de animais pertencentes como não pertencentes através de uma visão predominantemente negativa, mas também existindo contradições quanto à percepção positiva ou negativa, corroborando com a hipótese da ambivalência entomoprojetiva. Na percepção dos entrevistados, observou-se a associação das moscas à transmissão de doenças, e embora a forma adulta das moscas-das-frutas não tenham sido diferenciada das demais moscas, sua fase larval no interior dos frutos, de nome vernacular bicho-da-goiaba, foi objeto de repulsa, participando da cognição dos entrevistados na explicação de sua origem, sendo a geração espontânea a mais relatada.  O principal uso dos insetos é o medicinal e lúdico, do mel da abelha (Apis mellifera L., 1758) e das libélulas (Odonata). Destacou-se também o consumo de larvas de coleópteros (Pachymerus nucleorum Fabricius, 1792) presentes nos frutos de palmeiras e um novo registro de uso medicinal da barata (Periplaneta americana L., 1758). Na classificação folk desenvolvida são utilizados critérios morfológicos, comportamentais e ecológicos. Na descrição dos insetos pertencentes à categoria Insecta se destacou por uma maior riqueza de informações o grupo dos himenópteros (abelhas, marimbondos e cavalo-do-cão), responsáveis por artropodoses, sendo identificadas sete etnoespécies de abelhas e dez de marimbondos, e como pragas de lavouras locais: formiga saúva (Atta spp), lagarta-do-milho (Spodoptera frugiperda Smith, 1797) e pulgão (Aphididae). Portanto, observou-se na região a predominância ecológica de A. obliqua por sua especialização às frutíferas S. mombin e S. tuberosa, hospedeiros primários dos mesmos. Esses hospedeiros pelo elevado índice de parasitismo por D. areolatus e O. bellus obtido têm potencial como repositórios naturais no controle biológico. Constatou-se influência dos fatores climáticos na flutuação populacional dos tefritídeos, principalmente nos períodos de baixa umidade relativa e elevadas temperaturas. O conhecimento entomológico tradicional local se mostrou relevante, evidenciando a interação da população com a entomofauna local nas suas atividades cotidianas, destacando-se o uso medicinal e riqueza de informações biológicas e ecológicas.

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

  • FRANCISCA MARIA COSME DE CARVALHO
  • PRODUÇÃO ARTESANAL DE PEÇAS EM ARGILA DA COMUNIDADE DOS POTES: IMPORTÂNCIA SOCIOECONÔMICA, CULTURAL E AMBIENTAL À LUZ DOS CONHECIMENTOS TRADICIONAIS.

  • Orientador : JOSE LUIS LOPES ARAUJO
  • Data: 30/05/2014
  • Mostrar Resumo
  •  

    Analisar o papel da produção artesanal de peças em argila da Comunidade dos Potes no Município São João da Varjota/PI, a partir da discussão dos conhecimentos tradicionais como ingredientes para uma atividade econômica geradora de sustentabilidade, é o objetivo geral desta pesquisa. Os objetivos específicos são: 1) Medir as áreas de extração de argila e estimar o volume das reservas na comunidade e áreas adjacentes com vistas à elaboração de propostas de planejamento ambiental; 2) Caracterizar a argila quanto às suas propriedades física, química e térmica; 3) Diagnosticar o processo de produção considerando os aspectos socioeconômicos e ambientais e 4) Verificar se existem riscos para a preservação dos hábitos, costumes e tradições e para a continuidade da atividade pelas novas e futuras gerações. O quadro teórico para a estruturação conceitual que dá sustentação ao desenvolvimento da pesquisa inclui a conceituação e caracterização de artesanato em argila detalhando sua importância socioeconômica, ambiental e cultural; a análise das concepções de desenvolvimento local, sustentável e etnodesenvolvimento e a descrição de populações tradicionais, detalhando suas categorias, seu papel para a conservação ambiental a partir da perspectiva da etnoconservação. A metodologia inclui as abordagens qualitativa e quantitativa e como procedimentos metodológicos entrevista semiestruturada e narrativa, aplicação de formulários e questionários e trabalho de campo para coleta de dados primários com doze moradores da comunidade; pesquisa de dados secundários em instituições públicas, privadas e ONGs; coleta de amostras de argila com base nos métodos da pesquisa experimental; marcação dos pontos de extração de argila com uso de equipamento de GPS e coleta de amostras (quatro) para análises química, física e térmica. Os dados foram classificados, tabulados e organizados para permitir melhor interpretação. Os resultados parciais apontam no sentido de confirmar a hipótese de que a atividade artesanal da Comunidade dos Potes encontra-se em situação de pouca eficiência produtiva e econômica. Em relação à conservação ambiental, a comunidade usa os recursos naturais e seus conhecimentos tradicionais para a produção de peças em argila, mas de forma que não se caracteriza como superexploração e causadora de danos irreversíveis ao meio ambiente. Podemos afirmar que dadas certas condições estruturais, esta comunidade pode desempenhar um importante papel na conservação dos recursos naturais locais.

     

     

     

     

     

     

     

     

     

  • VERA LUCIA DOS SANTOS COSTA
  • CONTRIBUIÇÃO DO CRÉDITO E DO SERVIÇO ECOSSISTÊMICO PARA A CONSERVAÇÃO DA CARNAÚBA (Copernicia prunifera (Mill.) H. E. Moore) NO NORDESTE BRASILEIRO" 

     
  • Orientador : JAIRA MARIA ALCOBACA GOMES
  • Data: 30/05/2014
  • Mostrar Resumo

  • A carnaúba (Copernicia prunifera (Mill.) H. E. Moore) tem prestado importante

    contribuição à economia nordestina e é uma palmeira que desempenha funções

    ambientais vitais ao equilíbrio ecológico. Este estudo analisou duas formas que, por

    meio das quais, pode-se incentivar a conservação da espécie: o crédito ofertado ao

    segmento e o seu estoque de carbono. O estudo foi dividido em dois artigos, o primeiro

    tem por objetivo geral analisar as operações de crédito contratadas pelo Banco do

    Nordeste do Brasil (BNB) e Banco do Brasil (BB) no período de 2007 a 2012,

    verificando sua contribuição para a conservação da espécie. Os objetivos específicos

    consistem em: analisar as operações e valores contratados por esses bancos nos Estados

    e municípios onde há extração de pó e produção de cera de carnaúba, estimar a taxa de

    crescimento do valor e do número operações e verificar a atuação do BNB no Piauí para

    a conservação da carnaúba. O BNB e o BB forneceram os dados secundários,

    realizaram-se visitas técnicas e entrevistas semiestruturadas, em municípios do Piauí a

    fim de se analisar a atuação do BNB nesse estado. Fez-se deflação dos valores de

    crédito pelo Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI) e calculou-se a

    taxa de crescimento. O crédito foi ofertado no Ceará, Piauí, Maranhão e Rio Grande do

    Norte, tendo como fontes de financiamento o Fundo Constitucional de Financiamento

    do Nordeste (FNE), a Caderneta de Poupança Rural, o Tesouro Nacional e Recursos

    Internos. Houve aumento dos valores e do número de operações ao longo do período.

    Verificou-se que BNB, atua no Piauí, de acordo com a legislação e que os extrativistas

    estão preocupados com a conservação da espécie. O segundo artigo teve por objetivo

    geral estimar o estoque de carbono presente na espécie, a fim de fornecer subsídios para

    o incentivo à sua conservação. Os objetivos específicos consistem em: estimar o

    estoque de carbono presente no estipe da através da quantificação da biomassa, verificar

    se existe diferença na média do estoque de carbono entre carnaúbas situadas em áreas

    distintas. O experimento foi realizado na fazenda Itans onde se fez a amostragem por

    parcelas em duas áreas distintas, uma onde a carnaúba não é predominante e está

    associada com outras espécies (área I) e outra com predomínio de carnaúbas (área II).

    Utilizou-se uma equação alométrica para calcular a biomassa, a partir da qual se

    estimou o estoque de carbono em cinquenta por cento desta, e realizou-se o teste-t para

    comparar as médias do estoque de carbono. Estimou-se o estoque de carbono em 14,71

    kg.ha-1, sendo que carnaúbas situadas em áreas distintas têm diferença significativa na

    média.



     

     

  • MARIA GRACELIA PAIVA NASCIMENTO
  •  

    ETNOBOTÂNICA E ETNOZOOLOGIA EM COMUNIDADES PESQUEIRAS DE PARNAÍBA E CAJUEIRO DA PRAIA, PIAUÍ

  • Orientador : ROSELI FARIAS MELO DE BARROS
  • Data: 29/05/2014
  • Mostrar Resumo

  • O Piauí possui 66 km de extensão de litoral, a menor dentre os Estados litorâneos brasileiros. O conhecimento da diversidade vegetal, o potencial alimentício, caracterização biológica, germinação e manejo de algumas espécies são necessários para o uso sustentado destas, tanto através do extrativismo como no cultivo. Entretanto, estudos sobre as espécies animais e vegetais de uso tradicional do litoral piauiense ainda são escassos. O conhecimento acerca da etnobotânica e da etnozoologia deve ser considerado, visto à importância para a conservação e preservação dos recursos naturais e da cultura local, valorizando assim, a participação das comunidades nos planos de manejo, considerando que estes municípios estão inseridos na APA do Delta do rio Parnaíba. Objetivou-se comparar, identificar e diagnosticar as potencialidades etnobotânicas e etnozoológicas em comunidades pesqueiras nos municípios litorâneos piauienses, Cajueiro da Praia e Parnaíba, a fim de subsidiar meios e estratégias de conservação das espécies utilizadas, contribuir para o conhecimento da flora e fauna piauiense, bem como incentivar o resgate do conhecimento popular. O desenvolvimento da pesquisa para o projeto proposto foi realizado com pescadores arteaenais, através de entrvistas semiestruturadas, utilizando as técnicas de “bola-de-neve” e “turnê-guiada”  para coleta botânica e zoológica. Utilizou-se o Valor de Uso, e para o conhecimento etnobotânico por gênero e faixa etária, o índice de Shannon e o método de rarefação. Foram registradas 116 espécies pertencentes a 48 famílias sendo as mais  representativas em número de espécies: Fabaceae (13) e Lamiaceae (8), alocadas em seis categorias. A categoria de uso mais representativa foi medicinal, sendo a espécie Plectranthus barbatus Andrews (boldo) a que apresentou o maior valor de uso (0,27), seguido por Ximenia americana L., (ameixa) (0,24). O índice de Shannon mostrou que o conhecimento está melhor distribuído quanto ao gênero,  entre os homense e na faixa etária entre os  adultos. Quanto nivelado o conhecimento através da rarefação, verificou-se que não há diferença significativa quando equiparado o conhecimento por gênero. Quanto a Etnoictiologia, registrou-se 50 espécies, pertencentes a três categorias de uso, sendo a mais representativaalimentícia (98%). Mugil curema (Valenciennes, 1936) (saúna) e Conodon nobilies (Linnaeus, 1758) (coró) foram as mais citadas. Dasyatis guttata (Bloch & Schneider, 1801)  arraia) e Thichiurus lepturus Linnaeus, 1758 (espada) apresentaram  o maior VU (0,058) cada. Quanto ao conhecimento por genêro, as mulheres obtiveram (H'=3.20039), enquanto os homens (H'3.37892) mostrando que há diferença entre ambos. A faixa etária que demostrou ter maior conhecimento acerca da ictiofauna foram os adultos que apresentaram diversidade média esperada de H'=2,85104. Os resultados apontam para ainda fortalecem a importância de se preservar a biodiversidade da flora e ictiofauna do litoral piauiense. A divulgação dos resultados constituirá em uma alternativa para que os moradores das comunidades possam utilizar-se dos recursos naturais da melhor forma possível, incentivando o uso sustentável destes recursos tão importantes para todos os seres vivos.

     

     

  • OTÁVIA CARACAS CÂMARA
  • aspectos DO PROCESSO DE EUTROFIZAÇÃO DO Rio POTI EM TERESINA- PIAUI

  • Orientador : CARLOS ERNANDO DA SILVA
  • Data: 27/05/2014
  • Mostrar Resumo
  • O objetivo dessa pesquisa consiste emavaliar o nível de eutrofização que o rio Poti sofre em Teresina - PI, classificando o seu estado trófico, relatando os principais gêneros de microalgas