Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: SARAH DE MELO ROCHA CABRAL

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: SARAH DE MELO ROCHA CABRAL
DATA: 29/04/2021
HORA: 12:00
LOCAL: Via Remota
TÍTULO: Consumo alimentar de micronutrientes e transtornos mentais comuns em adolescentes escolares brasileiros
PALAVRAS-CHAVES: Adolescente; Depressão; Ansiedade; Micronutrientes.
PÁGINAS: 161
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Nutrição
RESUMO:

CABRAL, S.M.R. Consumo alimentar de micronutrientes e transtornos mentais comuns em

adolescentes escolares brasileiros. Tese (Doutorado em Alimentos e Nutrição), Universidade
Federal do Piauí-UFPI, Teresina-PI, Brasil,2021.
Os Transtornos mentais comuns são um conceito criado para caracterizar estados de
sofrimento psíquico de ansiedade e depressão e representam a oitava e nona causa de doença e
incapacidade entre todos os adolescentes, respectivamente, afetando o trabalho e a frequência
escolar. Evidências sugerem que deficiências de micronutrientes estão associados ao aumento
da vulnerabilidade aos transtornos mentais. O estudo teve como objetivo estimar a associação
do consumo insuficiente de vitaminas A, C, E, B12 e zinco na patogênese dos transtornos
mentais comuns em adolescentes brasileiros que participaram do Estudo de Riscos
Cardiovasculares em Adolescentes de fevereiro de 2013 a novembro de 2014. A amostra
correspondeu ao número de estudantes que responderam ao recordatório alimentar de 24 horas
e ao questionário que abordou aspectos da saúde mental (71.971). Foram utilizados o teste qui
quadrado de Pearson, para avaliar a existência de associação entre as variáveis do estudo, e a
Razão de Chance (Odds ratio), com intervalo de confiança de 95%, para medir a força de
associação entre elas. Realizou-se análise de regressão logística multivariada entre a variável
dependente (transtornos mentais comuns) e o consumo insuficiente de micronutrientes (modelo
bruto) e, em seguida, ajustou-se pelas variáveis sociodemográficas: sexo, tipo de escola e faixa
etária (modelo ajustado). As variáveis que apresentaram significância estatística nos modelos
brutos e ajustados compuseram o modelo final. O nível de significância adotado foi de 5%.
Significantes associações entre a existência de transtornos mentais comuns e o consumo
insuficiente de vitaminas A, B12 e zinco foram observadas. Em modelo bruto de regressão
logística multivariada, indivíduos que consumiram uma quantidade insuficiente de fontes
alimentares de zinco tiveram maiores chances de apresentarem transtornos mentais, enquanto
consumidores de quantidade insuficiente de vitamina A apresentaram menores chances.
Quando o modelo foi ajustado por sexo, tipo de escola e faixa etária, o consumo insuficiente de
vitamina A manteve a relação do modelo bruto enquanto o zinco perdeu a significância. Além
disso, foi observado que mulheres e adolescentes entre 15 e 17 anos foram os mais prováveis
de possuírem transtornos mentais comuns. Em análises do modelo final, foi observado que o
consumo insuficiente de zinco retornou a apresentar significância de associação com
transtornos mentais comuns, sendo o elemento que, quando consumido em pequenas
quantidades, mais influenciou a variável transtornos mentais comuns. Portanto, verificou-se
7que o consumo insuficiente de vitamina B12 e zinco influencia a presença de depressão e
ansiedade em adolescentes.

MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 041.631.633-60 - ANA RAQUEL SOARES DE OLIVEIRA - UFPI
Interno - 423582 - BETANIA DE JESUS E SILVA DE ALMENDRA FREITAS
Interno - 1167579 - CECILIA MARIA RESENDE GONCALVES DE CARVALHO
Externo ao Programa - 1859186 - FAUSTON NEGREIROS
Externo ao Programa - 423621 - LUCIA CRISTINA DOS SANTOS ROSA
Presidente - 423298 - MARIZE MELO DOS SANTOS
Externo ao Programa - 474.194.153-15 - SUZANA MARIA REBELO SAMPAIO DA PAZ - USP
Notícia cadastrada em: 29/04/2021 10:04
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb07.ufpi.br.instancia1 04/12/2022 08:13