Notícias

Banca de DEFESA: ALANA RAFAELA DA SILVA MOURA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ALANA RAFAELA DA SILVA MOURA
DATA: 17/01/2022
HORA: 10:00
LOCAL: Videoconferencia
TÍTULO: Estilo de vida associado ao risco de síndrome metabólica em adultos e idosos: Inquérito de Saúde Domiciliar no Piauí (ISAD, PI)
PALAVRAS-CHAVES: Síndrome Metabólica; Fator de Risco; Saúde Pública.
PÁGINAS: 68
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Ciência e Tecnologia de Alimentos
RESUMO:

MOURA, A. R. S. Estilo de vida associado ao risco de síndrome metabólica em adultos e idosos: Inquérito de Saúde Domiciliar no Piauí (ISAD, PI). 2021. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Alimentos e Nutrição, Universidade Federal do Piauí, Teresina-PI.

 

Introdução: A identificação precoce de fatores comportamentais envolvidos na patogênese da síndrome metabólica é uma estratégia fundamental para a prevenção e tratamento dessa doença. Objetivo: Analisar a associação entre pelo menos um dos fatores de risco da Síndrome Metabólica com o estilo de vida em adultos e idosos de Teresina, Piauí. Metodologia:Estudo transversal, de base populacional onde foram selecionados adultos (1248) e idosos (360), de ambos os sexos, residentes em Teresina, Piauí. Os dados foram coletados por meio do software Epicollect 5® (Imperial College London) em aplicativo móvel (celular) mediante utilização de questionários estruturados aplicados por entrevistadores treinados. Para o diagnóstico da Síndrome Metabólica foram utilizados os critérios estabelecidos pela NCEP ATP III. O software STATA (versão 14.0) foi utilizado para análise estatística. O teste do qui-quadrado de Pearson foi usado para avaliar a associação entre as variáveis de parâmetros antropométricos, perfil lipídico e estilo de vida segundo grupo etário (adultos e idosos). Calculou-se a razão de prevalência (RP), com intervalo de confiança de 95% (IC 95%), estimado pela regressão de Poisson, para medir a força de associação entre as variáveis de estudo e com a presença de pelo menos um fator de risco da doença. O nível de significância adotado para os testes foi de p < 0,05. A presente pesquisa foi submetida e aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa da UFPI sob o número 2.552.426. Resultados:A Síndrome Metabólica e a presença de pelo menos um fator de risco esteve mais presente nos idosos, 38% e 81%, respectivamente. Os fatores de risco mais alterados foram: circunferência da cintura (48,1%), pressão arterial sistólica elevada (52,1%), glicemia de jejum elevada (28,6%) e triglicerídeos elevados (60,4%) nos idosos e, nos adultos o HDL-colesterol (27,7%). Os hábitos que apresentaram menor chance de ter pelo menos um fator de risco para a Síndrome Metabólica entre os adultos e idosos foram o consumo de suco de frutas natural de 1 a 3 vezes por semana (0,93), o uso de tabaco atual diariamente, tanto na análise bruta quanto ajustada (0,80) e os níveis de atividade física irregularmente ativo e ativo/muito ativo (0,86), que quando ajustado aumentou para (0,89) no último. O hábito de ingerir bebida alcoólica frequentemente/ocasionalmente teve (1,08) vezes maior chance e quando ajustado aumentou (1,10). Conclusão: A presença de pelo menos um fator de risco da Síndrome Metabólica em adultos e idosos apresentou alta prevalência, sendo esse um resultado que merece um sinal de alerta para a população de Tererina – PI, pois apenas esse quesito ja é capaz de trazer prejuízos para a saúde, principalmente a nível de comprometimento cardiovascular.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1167579 - CECILIA MARIA RESENDE GONCALVES DE CARVALHO
Externo ao Programa - 1957715 - IVONE FREIRES DE OLIVEIRA COSTA NUNES
Interno - 1642393 - KAROLINE DE MACEDO GONCALVES FROTA
Externo à Instituição - SUZANA MARIA REBELO SAMPAIO DA PAZ - UFPI
Notícia cadastrada em: 04/01/2022 19:10
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb07.ufpi.br.instancia1 04/12/2022 02:05