Notícias

Banca de DEFESA: LIRIANE ANDRESSA ALVES DA SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LIRIANE ANDRESSA ALVES DA SILVA
DATA: 13/09/2022
HORA: 14:00
LOCAL: REMOTO
TÍTULO: ASSOCIAÇÃO ENTRE O CONSUMO DE MICRONUTRIENTES IMUNOMODULADORES E ANTIOXIDANTES E A CARGA VIRAL EM PACIENTES COM COVID-19 ATENDIDOS EM UNIDADES BÁSICAS DE SAÚDE
PALAVRAS-CHAVES: COVID-19. Micronutrientes. Carga viral. Ingestão de alimentos. SARS-CoV- 2.
PÁGINAS: 75
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Ciência e Tecnologia de Alimentos
RESUMO:

A infecção ocasionada pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, denominada por COVID-19, ainda
não possui uma terapia medicamentosa específica, por isso, a procura de potenciais estratégias
antivirais protetoras e terapêuticas é de urgente interesse. A vitamina D, vitamina C e o zinco
são conhecidos por suas propriedades imunomoduladoras, antivirais e antioxidantes, sendo
capazes de modular a imunidade antiviral e regular a resposta inflamatória, podendo contribuir
na prevenção ou tratamento da doença. Portanto, o objetivo deste estudo foi avaliar o consumo
alimentar de micronutrientes imunomoduladores e antioxidantes e sua relação com a carga viral
de pacientes com COVID-19 em tratamento ambulatorial. A partir dos resultados encontrados,
elaborou-se um artigo original, que compõe esta dissertação. Trata-se de um estudo transversal
realizado com 101 pacientes, ambos os sexos, atendidos em duas Unidades Básicas de Saúde
da Cidade de Teresina, Piauí, com diagnóstico de COVID-19 confirmado pelo teste RT-PCR,
realizado entre 3 a 7 dias de sintomas gripais. O estado nutricional global e a classificação do
risco cardiometabólico pela medida da circunferência da cintura foram determinados segundo
as recomendações da Organização Mundial de Saúde. Os participantes inclusos foram divididos
em três clusters, de acordo com a classificação da carga viral, sendo eles: ACV (alta carga viral),
MCV (média carga viral) e BCV (baixa carga viral). Nos clusters ACV e BCV mais de metade
dos participantes de pesquisa eram do sexo masculino (53,0% e 52,9%, respectivamente),
enquanto no cluster MCV houve predomínio do sexo feminino (61,1%). Para quase dois terços
dos participantes de todos os clusters o diagnóstico de COVID-19 foi confirmado com 3 a 4
dias de sintomas gripais. O consumo alimentar de energia, macronutrientes e vitamina D,
vitamina C e zinco foi realizado pelo método do Recordatório de 24 horas em dois dias não
consecutivos. A carga viral foi determinada de acordo com o valor de limiar de Ct ou ciclo
obtido para cada gene. O consumo dos micronutrientes imunomoduladores vitamina C,
vitamina D e zinco não apresentou correlação com a carga viral do SARS-CoV-2, mas houve
associação entre a carga viral e o estado nutricional global. Considerando o papel
imunomodulador e antioxidante dos micronutrientes estudados e sua importância para o curso
e tratamento de doenças infecciosas, conclui-se que é possível que as vitaminas C e D e o zinco
possam auxiliar em novas estratégias de prevenção e tratamento para o novo coronavírus.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - JANYERSON DANNYS PEREIRA DA SILVA - NASSAU
Interno - 1642393 - KAROLINE DE MACEDO GONCALVES FROTA
Presidente - 1167710 - MARIA DO CARMO DE CARVALHO E MARTINS
Externo ao Programa - 474.194.153-15 - SUZANA MARIA REBELO SAMPAIO DA PAZ - USP
Notícia cadastrada em: 01/09/2022 14:26
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 04/12/2022 02:03