Notícias

Banca de DEFESA: THAYANNE TORRES COSTA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: THAYANNE TORRES COSTA
DATA: 08/03/2024
HORA: 14:00
LOCAL: Sala 121 do prédio do PPGAN
TÍTULO: Qualidade nutricional e de cozimento dos grãos de cultivares de feijão-mungo verde (Vigna radiata (L.) R. Wilczek)
PALAVRAS-CHAVES: Feijão moyashi; composição centesimal; tempo de cozimento; processamento térmico.
PÁGINAS: 67
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Ciência e Tecnologia de Alimentos
SUBÁREA: Ciência de Alimentos
RESUMO:

O feijão-mungo verde (Vigna radiata (L.) R. Wilczek) é uma pulse rica em proteínas, com um  percentual médio em torno de 20 a 24%, além de vitaminas e minerais. O objetivo deste estudo  foi avaliar a qualidade nutricional e de cozimento dos grãos de cultivares de feijão- mungo  verde. Foram determinados nos grãos crus e cozidos das cultivares BRS Esperança (Embrapa),  Ouro Verde MG-2 (EPAMIG), BRSMG Camaleão (EPAMIG e Embrapa), IAC-VR211 (IAC)  e Mungo Chin (AVRDC) de feijão-mungo verde a composição centesimal (umidade, cinzas,  lipídeos, proteínas, amido e fibras alimentares totais (FAT), o valor energético total (VET) e os  teores dos minerais ferro (Fe) e zinco (Zn), além dos seus tempos de cozimento. A umidade foi determinada por gravimetria em estufa a 105 °C. As análises de cinzas foram feitas por  incineração em mufla a 550 ºC. Os lipídeos foram determinados pelo método de Soxhlet. O teor  de proteínas foi analisado pelo método de macro Kjeldahl. O amido foi determinado pelo  método ISI 27-1e com adaptações. O teor de fibras alimentares totais foi determinado de forma  indireta por diferença, assim como o teor de carboidratos. O VET foi obtido através da soma  das calorias multiplicados pelos fatores de conversão de Atwater. Os teores de Fe e Zn foram  determinados por digestão nitro-perclórica e leitura em espectrofotômetro de absorção atômica  de chama. O tempo de cozimento foi determinado utilizando-se o cozedor de Mattson, obtido  como o valor médio do tempo de perfuração da 1ª, 7ª e 13ª haste. Todas as análises foram  realizadas em triplicata. Os resultados obtidos foram expressos em base seca, como média ±  desvio-padrão. As médias entre cultivares e entre grãos cru e cozido foram comparadas pelos testes de Tukey e t de Student (p<0,05), respectivamente. Após a cocção, observou-se aumento  nos teores de umidade, lipídeos, proteínas, amido e VET, bem como diminuição nos teores de  cinzas, carboidratos, FAT, Fe e Zn. As cultivares apresentaram as seguintes médias gerais nos  grãos crus e cozidos, respectivamente: umidade: 3,65 e 5,64 g 100 g-1; cinzas: 3,56 e 1,98 g 100 g-1; lipídeos: 0,52 e 1,37 g 100 g-1; proteínas: 22,42 e 22,59 g 100 g-1; carboidratos: 69,84 e  68,40 g 100 g-1; amido: 39,65 e 63,38 g 100 g-1; FAT: 23,97 e 9,79 g 100 g-1; VET: 373,76 e  376,36 Kcal 100 g-1; Fe: 5,34 e 4,49 mg 100 g-1; e Zn: 4,19 e 3,85 mg 100 g-1. A cultivar BRS  Esperanças apresentou o menor tempo de cozimento, seguida da Ouro Verde MG-2. Apesar  do processamento térmico provocar reduções em alguns nutrientes, as cultivares ainda  mantiveram teores satisfatórios de macro e micronutrientes nos grãos cozidos. A cultivar Ouro  Verde MG-2 apresentou a melhor qualidade nutricional antes e após a cocção. Essas cultivares  podem ser utilizadas pela população para consumo na forma cozida, em preparações ou como  ingrediente no enriquecimento de produtos alimentícios.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 5724569 - AMANDA DE CASTRO AMORIM SERPA BRANDAO
Externo à Instituição - LUANNE MORAIS VIEIRA GALVÃO - IFPI
Presidente - 300.580.403-82 - MAURISRAEL DE MOURA ROCHA - EMBRAPA
Interno - 1555913 - STELLA REGINA ARCANJO MEDEIROS
Notícia cadastrada em: 05/03/2024 16:43
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 18/06/2024 06:29