Notícias

Banca de DEFESA: MARIVETE RIBEIRO ALVES

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MARIVETE RIBEIRO ALVES
DATA: 30/03/2022
HORA: 15:30
LOCAL: AMBIENTE VIRTUAL
TÍTULO: RETRATOS CANTADOS: IMAGENS DAS VELHICES NA MEMÓRIA MUSICAL BRASILEIRA.
PALAVRAS-CHAVES: IMAGENS;VELHICES;MÚSICA
PÁGINAS: 174
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Sociologia
RESUMO:

O presente estudo visa, de forma geral, compreender as diversas imagens sobre o velho, velhice e o processo de envelhecimento, verificando como são percebidos pela sociedade, por intermédio da música brasileira. A música é um veículo de transmissão de ideias que possibilita a compilação de ideias e interpretações, sendo um elemento cultural que pode ser usado como recurso para compreender os aspectos sociais. Neste sentido, a presente pesquisa tem como objetivos específicos: analisar, ao longo de cada década, quais foram os retratos cantados e as produções de sentidos atribuídos acerca das velhices que ficaram registrados na memória musical brasileira; identificar a multiplicidade de formas de envelhecer na música brasileira no lapso 1930-2020; pensar criticamente na construção da imagem do velho, da velhice e do processo de envelhecimento em nossa sociedade através das canções brasileiras compostas entre 1930-2020; promover uma reflexão sobre as questões sociais, e conexões entre os as letras das melodias e as vivências presentes na realidade social. Apesar do crescimento significativo desta população na atualidade, e de inúmeros estudos e pesquisas que exploram o assunto, existe ainda uma imagem distorcida do idoso associada a fatores negativos, sendo o imaginário social do envelhecimento e velhice atravessado por estereótipos e estigmas vivenciados pelo idoso no seu cotidiano, assim como preconceitos ancorados na sociedade. Com base nessas informações, surgem os seguintes questionamentos: quais as produções de sentidos atribuídos à imagem da velho/velhice e processo de envelhecimento que permeiam os diversos imaginários sociais cantados pela música brasileira entre as décadas de 1930 a 2020? No cancioneiro popular nacional existiria uma imagem pré-estabelecida socialmente para o idoso ao longo do século XX e XXI? Já que a literatura aponta que a imagem da velhice no Brasil foi estigmatizada por muitos anos considerada como algo ruim. Assim, a relevância da proposta do presente trabalho é buscar romper barreiras e preconceitos concernentes à velhice, no sentido de desconstruir a imagem do idoso marcada pela dependência física e ausência de papéis sociais, visto que não corresponde à vivência de todos os longevos. Trata-se de uma pesquisa bibliográfica e documental de caráter qualitativo. O método utilizado na pesquisa é o acesso às velhices pela via dos textos musicais. Imagens das velhices sendo influenciada pela análise interpretativa das letras das músicas adotada por outras pesquisas, quanto pela Análise de Discurso, e do pensamento de Max Weber (1998) por meio da sociologia da música. Os sujeitos da pesquisa são as músicas populares brasileiras, que foram selecionadas a partir de: cancioneiro popular nacional, músicas que abordassem o tema velho/velhice/envelhecimento; seguindo o recorte histórico, cronologicamente compreendido entre os anos (1930- 2020) e o grau de proximidade e familiaridade com a obra de arte explorada. O primeiro capítulo da pesquisa aborda o envelhecimento/velhice como um processo bio-psico-sociofisiológico e cultural, vital, universal, multifatorial. O segundo capítulo problematiza a visão positivista estabelecida pela ciência, apontando a música como um método alternativo para pesquisar a temática, visando desconstruir com a visão homogeneizadora do envelhecimento e com o pensamento negativo concernente a essa fase. A partir das análises das músicas brasileiras, compreende-se as diversas imagens sobre o velho, a velhice e o processo de envelhecimento, a saber: É uma fase da vida que apresenta várias facetas e preconceitos associados à sua imagem; velhices devem ser pensadas, sócio-historicamente e de forma plural e “Envelhecer é um processo multidimensional. Durante as interpretações dos versos buscou-se enfatizar a multiplicidade de formas de envelhecer, alertando para importância de se agregar qualidade de vida aos anos adicionais.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - CASSANDRA MARIA BASTOS FRANCO - ICF
Presidente - 1167589 - FRANCISCO DE OLIVEIRA BARROS JUNIOR
Interno - 4221710 - MARIA ROSANGELA DE SOUZA
Notícia cadastrada em: 07/03/2022 10:36
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb04.ufpi.br.instancia1 30/09/2022 06:47