Notícias

Banca de DEFESA: MARINA SENA LOPES DA SILVA SACCHETTO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MARINA SENA LOPES DA SILVA SACCHETTO
DATA: 19/07/2013
HORA: 15:00
LOCAL: Auditório do Curso de Odontologia - bloco 10
TÍTULO:

HEPATITE B: ANÁLISE DA SITUAÇÃO VACINAL E SOROCONVERSÃO EM ACADÊMICOS DE ODONTOLOGIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ


PALAVRAS-CHAVES:

estudantes de odontologia, hepatite B, esquema de imunização, imunologia


PÁGINAS: 39
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Odontologia
SUBÁREA: Clínica Odontológica
RESUMO:

A hepatite viral B (HB) constitui um dos mais importantes problemas de saúde pública em todo o mundo. Nas estimativas da Organização Mundial de Saúde (OMS) cerca de 2 bilhões de pessoas já contraíram a doença em algum momento da vida . Atualmente, há cerca de 350 milhões de portadores crônicos no mundo e aproximadamente 1 milhão de pessoas morrem anualmente pela doença (Damme PV; Herck KV, 2006). No Brasil, 1% a 3% da população são infectados cronicamente pelo vírus da hepatite B (VHB)( Osti C e Marcondes-Machado J,2009).Dentistas têm um risco até 10 vezes maior de se tornarem um portador de hepatite B do que um cidadão comum (Araújo MVW e Adreana S.,2002). Para diminuir o risco de infecção pelo VHB, recomenda-se que estudantes de odontologia, dentistas e auxiliares recebam a imunização e usem equipamentos de proteção individual para prevenir a infecção por via sanguínea durante os procedimentos odontológicos (Ammon A, Reichart PA, Pauli G,2005).No entanto, cerca de 10% dos indivíduos normais não produzem o anticorpo de superfície anti-hepatite B (anti-HBs) depois de receber um curso padrão de vacinação. Assim, é muito importante que estudantes de odontologia, dentistas e auxiliares façam o teste pós-vacinação até 6 meses após a última dose. (Resende VLS et al, 2010). Diante disso, esse estudo tem como principal foco avaliar a situação vacinal e a soroconversão à vacina contra Hepatite B dos acadêmicos de odontologia da Universidade Federal do Piauí (UFPI) que já iniciaram a prática clínica e estão, portanto, sujeitos à contaminação pelo vírus.   Para cada indivíduo que concordar em participar do estudo, será aplicado um questionário contendo questões referentes ao seu conhecimento em relação à Hepatite B. Após a aplicação do questionário, o estudante será submetido à coleta de sangue para pesquisa dos marcadores:  HBsAg, Anti-HBc Total e Anti-HBs. A análise desses marcadores permitirá avaliar o status imunológico dos estudantes. Após a conclusão desse projeto, será possível avaliar se os estudantes de odontologia da UFPI possuem os conhecimentos necessários para evitar a transmissão da Hepatite B durante o atendimento odontológico. Além disso, será possível o constatar se os acadêmicos estão seguindo o protocolo completo de imunização/proteção. Os resultados serão de grande impacto, já que é muito importante a conscientização dos acadêmicos de odontologia, futuros profissionais, sobre as medidas que podem evitar a transmissão dessa doença.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1167676 - SIMONE SOUSA LOBAO VERAS BARROS
Interno - 423338 - LUCIA DE FATIMA ALMEIDA DE DEUS MOURA
Interno - 1300913 - MARIA CANDIDA DE ALMEIDA LOPES
Interno - 1790736 - MARINA DE DEUS MOURA DE LIMA
Externo ao Programa - 1167764 - TELMA MARIA EVANGELISTA ARAUJO

Notícia cadastrada em: 10/07/2013 18:18
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb04.ufpi.br.instancia1 27/09/2022 07:29