Notícias

Banca de DEFESA: SÂMIA LUIZA COÊLHO DA SILVA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: SÂMIA LUIZA COÊLHO DA SILVA
DATA: 25/03/2021
HORA: 08:00
LOCAL: Videoconferência
TÍTULO: O PROCESSO DE DESINSTITUCIONALIZAÇÃO EM SAÚDE MENTAL NO PIAUÍ E O CONTEXTO DE PARTICIPAÇÃO DA FAMÍLIA: UMA ANÁLISE DO PERÍODO DE 2005 A 2018
PALAVRAS-CHAVES: Desinstitucionalização. Saúde Mental. Família(s). Transtornos Mentais. Cidadania.
PÁGINAS: 280
GRANDE ÁREA: Ciências Sociais Aplicadas
ÁREA: Serviço Social
SUBÁREA: Serviço Social Aplicado
ESPECIALIDADE: Serviço Social da Saúde
RESUMO:

A reforma psiquiátrica, enquanto orientadora da política pública, tida como um movimento iniciado no Brasil na década de 1970, atualmente encontra-se conjecturada com a apresentação de produtos voltados à atenção psicossocial em detrimento do modelo hospitalocêntrico. No contexto reformista, a desinstitucionalização se conforma como um desses produtos e se caracteriza por implicar novos contextos de vida para as pessoas com transtorno mental, bem como para seus familiares e pretende mobilizar como atores os sujeitos sociais envolvidos, modificar as relações de poder entre os usuários e as instituições e produzir diversas ações de saúde mental substitutivas à internação no hospital psiquiátrico. Ademais, a literatura sobre a desinstitucionalização demonstra incipiência em investimentos referentes ao aspecto avaliativo, sobretudo, no que concerne a parceria entre Estado-família nesse processo e que necessita ser trazida ao âmbito do conhecimento. Nesse diapasão, o presente trabalho objetivou analisar a parceria Estado-família no processo de desinstitucionalização em saúde mental no contexto piauiense, no período de 2005 a 2018, tendo por objetivos específicos: traçar um perfil sóciodemográfico dos atores envolvidos no processo de desinstitucionalização no Piauí; mapear as necessidades da família no processo de desinstitucionalização piauiense, as correlacionando com o suporte com que é contemplada pelo Estado; apreender a desinstitucionalização a partir de estudos de casos e de especificidades apresentadas no processo desinstitucionalizante no Piauí e identificar as tendências do processo de desinstitucionalização, na direção desfamiliarizante e familista.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - ELLAYNE KAROLINE BEZERRA DA SILVA - FAEPI
Externo à Instituição - IZABEL HERIKA GOMES MATIAS CRONEMBERGER - UNIFSA
Presidente - 423621 - LUCIA CRISTINA DOS SANTOS ROSA
Interno - 1232990 - SOFIA LAURENTINO BARBOSA PEREIRA
Interno - 1167645 - SOLANGE MARIA TEIXEIRA
Notícia cadastrada em: 15/03/2021 10:39
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 24/04/2024 12:30