Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: ANA BENEDITA MENESES DE CARVALHO COELHO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ANA BENEDITA MENESES DE CARVALHO COELHO
DATA: 05/07/2023
HORA: 17:30
LOCAL: Sessão Online
TÍTULO: INCLUSÃO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA PSICOSSOCIAL NO MERCADO DE TRABALHO FORMAL: UM ESTUDO NOS CENTROS DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL EM TERESINA
PALAVRAS-CHAVES: Inclusão. Pessoa com deficiência psicossocial. Trabalho.
PÁGINAS: 141
GRANDE ÁREA: Ciências Sociais Aplicadas
ÁREA: Serviço Social
RESUMO:

A inclusão de pessoas com deficiência psicossocial no mercado de trabalho formal atendida nos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) em Teresina é discutida neste estudo. Nessa conjuntura, buscou-se analisar as condições em que as pessoas com deficiência psicossocial atendidas pelos CAPS de Teresina - PI são inseridas no mercado de trabalho formal. Como objetivos específicos, identificar o papel do CAPS nos processos de preparação, encaminhamento e monitoramento da pessoa com deficiência psicossocial ao mercado de trabalho; caracterizar os aspectos sociodemográficos das pessoas com deficiência psicossocial que ingressam e permanecem no mercado de trabalho formal; verificar as características da inclusão no mercado de trabalho a partir de aspectos profissionais (ocupações, faixa salarial e tipo de vínculo empregatício); propor sugestões para a reformulação da política de inclusão da pessoa com deficiência psicossocial no mercado de trabalho formal. Trata-se de uma pesquisa empírica de cunho qualitativo, pautada nos principais autores sobre a temática. Como instrumentos foram utilizados a observação participante e entrevistas semi-estruturadas, com questões abertas e flexíveis, onde todos os princípios éticos foram respeitados. Seus participantes foram usuários, gestores e equipe técnica dos CAPS bem como outros atores externos. Conclui-se que são muitos os obstáculos e dificuldades encontrados no processo - tanto por parte da equipe de profissionais envolvidos no GTR- Grupo de Geração de Trabalho- quanto pelos usuários e demais atores envolvidos na execução dessa política, entre eles: desinformação acerca da Lei de Cotas, da existência de programas e projetos de inserção dos usuários por parte das empresas, famílias, vulnerabilidade social, preconceito, estigmatização pelo diagnóstico, qualificação profissional incompleta dos usuários, não alinhamento das atividades/ações no serviço, fragilidade de articulação entre as políticas públicas existentes,falta de monitoramento após a inserção dos usuários; falta de envolvimento da Gerência de Saúde Mental nas ações do GTR para traçar novos processos de trabalho junto às equipes técnica dos CAPS para que os técnicos de referência de cada usuário possa se envolver neste processo de trabalho. Faz-se necessário, urgentemente, que a lei de Cotas seja reformulada para estipular um percentual específico para a deficiência psicossocial, uma vez que da maneira que se encontra tem causado prejuízos para esse segmento, pois no momento do cumprimeto, por parte das empresas ,do que estipula a lei elas optam pelas pessoas com outras deficiências em detrimento da psicossocial.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 823.563.003-68 - ANA KEULY LUZ BEZERRA - UFPI
Externo à Instituição - IZABEL HERIKA GOMES MATIAS CRONEMBERGER - UNIFSA
Interno - 423621 - LUCIA CRISTINA DOS SANTOS ROSA
Notícia cadastrada em: 21/06/2023 14:20
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb04.ufpi.br.sigaa 14/04/2024 11:15