Notícias

Banca de DEFESA: ANA VITÓRIA DE SOUSA SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ANA VITÓRIA DE SOUSA SILVA
DATA: 08/08/2023
HORA: 14:00
LOCAL: Auditório da Pós-Graduação do CCHL
TÍTULO: TRANSFORMANDO O LUTO EM LUTA: UM ESTUDO ACERCA DA ATUAÇÃO DE MULHERES NEGRAS NO MOVIMENTO FEMINISTA FRENTE POPULAR DE MULHERES CONTRA O FEMINICÍDIO NO PIAUÍ
PALAVRAS-CHAVES: Feminismo negro. Feminicídio. Políticas públicas. Mulheres negras.
PÁGINAS: 145
GRANDE ÁREA: Ciências Sociais Aplicadas
ÁREA: Serviço Social
RESUMO:

A expressão da questão social feminicídio é caracterizada pela misoginia, ou seja, pelo ódio à mulher e perpetuado em razão das desigualdades existentes entre homens e mulheres. Assim, o assassinato de mulheres ocorre por motivações de gênero, entretanto, as mortes por esta violência extrema estão concentradas entre a população feminina negra, que em sua maioria são as que menos conseguem ter acesso às políticas de proteção. Desde o início, em que os movimentos feministas se organizavam para as primeiras mobilizações no Brasil, foi transmutado o paradigma que considerava a violência doméstica como algo pertencente ao âmbito privado, havendo o deslocamento deste problema social para o âmbito público, assim, o feminismo constitui-se como um meio político de expor a dinâmica da conjuntura social, como forma de impulsionar a criação de políticas públicas. Sabe-se que a sociedade brasileira, fundada a partir do colonialismo, carrega até hoje a herança histórica da colonialidade, desse modo, o racismo e a desigualdade de classes impactam negativamente em relação aos casos de violência extrema de gênero, logo, é relevante a presença do feminismo negro nos espaços de poder, bem como nas instituições responsáveis pela formulação de políticas públicas, pois o uso da teoria interseccional faz-se com mulheres negras, a partir das vivências destas com a comunidade, assim ressalta-se a relevância de se produzir ciência a partir da militância feminista negra, como uma forma de descolonizar conhecimentos. Esta pesquisa poderá contribuir para a visibilidade e relevância do movimento feminista Frente Popular de Mulheres Contra o Feminicídio e para a criação de políticas públicas para as mulheres no enfrentamento ao feminicídio no Piauí.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 021.722.997-23 - ELAINE FERREIRA DO NASCIMENTO - UFPI
Interno - 1133769 - OLIVIA CRISTINA PEREZ
Externo à Instituição - ROSANGELA APARECIDA HILÁRIO - UFRO
Notícia cadastrada em: 17/07/2023 15:07
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 21/04/2024 21:13