Notícias

Banca de DEFESA: MARCELO PRADO SANTIAGO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MARCELO PRADO SANTIAGO
DATA: 17/04/2019
HORA: 09:00
LOCAL: Auditório PPGEnf
TÍTULO: NARRATIVAS DE MULHERES SOBRE O USO DE PLANTAS MEDICINAIS NO PERÍODO GRAVÍDICO-PUERPERAL
PALAVRAS-CHAVES: Plantas medicinais; Gravidez; Saúde da mulher
PÁGINAS: 78
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Enfermagem
RESUMO:

O relacionamento e o interesse humano no meio ambiente, e especialmente vegetais, remonta a milhares de anos. A gravidez é um período em que a mãe está disposta a usar qualquer meio para garantir uma boa gravidez, incluindo o uso de plantas medicinais, às vezes indistintas. Esta pesquisa tem como objetivo descrever o conhecimento que as mulheres detêm a cerca da promoção da saúde com o uso de plantas medicinais e analisar a forma de uso de plantas medicinais/fitoterápicos por mulher e suas implicações para os cuidados básicos de saúde durante o período gravídico-puerperal. É um estudo de abordagem qualitativa, tipo exploratório descritivo, utilizando o método narrativa de vida, de Daniel Bertaux. Teve como participantes da pesquisa foram 12 puérperas internadas em um maternidade pública de referência da cidade de Teresina-PI. Utilizou-se a entrevista como técnica de produção de dados, por meio de um formulário para obtenção de informações sociodemográficas, culturais e gineco-obstétricas e da pergunta norteadora "Fale-me a respeito de sua vida que tenha relação com o usos de plantas medicinais na gravidez, parto e puerpéio". Os resultados compreenderam a caracterização das participantes e as narrativas de vida das mulheres sobre as formas de uso das plantas medicinais e fitoterápicos no período gravídico-puerperal, emergindo assim quatro categorias temáticas: uso das plantas medicinais e fitoterápicos no período gravídico-puerperal, indicação empírica sobre a utilização de plantas medicinais/fitoterápicos; emoções e sentimentos de mulheres a cerca do uso de plantas medicinais no período gravídico-puerperal; plantas medicinais usadas como meio abortivo por mulheres. A principal forma de uso de plantas medicinais relatada por meio de "chá", utilizando para os mais diversos fins (calmante, indutor da contração uterina, analgésico, anti-inflamatório, profilático contra infecções, ansiolítico, depurativo sanguíneo, abortivo). As indicações empíricas, realizados por familiares, principalmente mães e avós, foram predominantes neste estudo. Os sentimentos de confiança e medo na utilização das plantas medicinais foram os mais relatados, assim como o arrependimento na realização da interrupção da gravidez, por meio do uso de plantas medicinais. Esse estudo possibilita a caracterização do panorama das participantes em relação à forma de como as plantas medicinais foram e são utilizadas no período gravídico-puerperal. Característica que auxilia a fomentar o planejamento de ações que devem ser elaboradas para definir melhor critério e a melhor forma de uso das plantas medicinais na gravidez, uma vez que esta ação possui benefícios e malefícios, e ficou caracterizado que nem todas as mulheres possuem o conhecimento necessário para identificar a melhor forma de utilizar plantas medicinais na gestação.

  

 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 6422171 - INEZ SAMPAIO NERY
Interno - 1350197 - FERNANDA VALERIA SILVA DANTAS AVELINO
Interno - 1167659 - SILVANA SANTIAGO DA ROCHA
Externo ao Programa - 1512631 - LIVIO CESAR CUNHA NUNES
Notícia cadastrada em: 05/04/2019 11:18
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 02/10/2022 23:32