Dissertações/Teses

2024
Descrição
  • KELLYANE FOLHA GOIS MOREIRA
  • FORMULAÇÃO DE BIGEL VAGINAL À BASE DE ÓLEO ALLIUM SATIVUM L. E CLOTRIMAZOL: CARACTERIZAÇÃO, MUCOADESIVIDADE E ATIVIDADE ANTIFÚNGICA
  • Orientador : FERNANDO LOPES E SILVA JUNIOR
  • Data: 23/07/2024
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A candidíase vulvovaginal está associada a diferentes espécies do gênero Candida. O tratamento da candidíase recorrente pode ser desafiador e apresentar dificuldades, como tratamentos insuficientes, resistência aos antifúngicos, fatores de risco não controlado e diagnóstico difícil. O Allium sativum L. (alho) possui atividades antimicrobiana, antifúngica, antisséptica, antiviral, anti-inflamatória e  antioxidante. Objetivo:Avaliar o bigel à base de óleo de Allium sativum L. para entrega de clotrimazol e avaliação da antifúngica contra cepas de Candida albicans. Método: Inicialmente, foi desenvolvido novos bigeis à base de óleo de A. sativum L. e clotrimazol, que foram caracterizados pelos seguintes métodos: características físico-químicas das formulações, validação da metodologia analítica para quantificação do clotrimazol por espectrofotometria UV-Vis, determinação do potencial irritante das formulações cosméticas através dos ensaios da membrana cório-alantoide, estudos de estabilidade, estudos de atividade antifúngica in vitro e estudos de mucoadesividade vaginal porcina. Resultados: Quanto a avaliação das características organoléticas e físico-químicas, observou-se que as propriedades iniciais (cor, aspecto, textura) permaneceram consistentes ao longo do ciclo de avaliação. Ao analisar a textura com o clotrimazol comercial, notou-se sua progressiva liquefação, influenciando os resultados com aumento do desvio padrão e do coeficiente de variação, enquanto os bigéis (com e sem fármaco) exibiram estabilidade, resultando em consistência e baixa variação nos resultados obtidos. O método de quantificação do clotrimazol foi validado. A formulação creme comercial e o bigel com fármaco não representam um risco de irritação significativo quando aplicados à mucosa vaginal. O bigel à base de óleo de Allium sativum com clotrimazol, evidenciou uma Concentração Inibitória Mínima de 8 μg/mL contra Candida albicans. A liberação acumulada do fármaco em função do tempo revela um perfil típico de liberação controlada, com uma fase inicial de "burst" seguida por uma liberação sustentada. O bigel com fármaco mostrou adesividade à mucosa vaginal porcina comparável ao creme vaginal comercial, sugerindo ser uma alternativa viável e eficaz para administração intravaginal. Conclusão: O bigel à base de óleo de Allium sativum L. para entrega de clotrimazol demonstrou estabilidade, precisão analítica e baixo risco de irritação mucosa, exibindo atividade antifúngica promissora. O fármaco não apenas demonstrou adesividade comparável à do creme vaginal comercial, mas também apresentou vantagem numérica em termos de adesividade à mucosa vaginal porcina. Essa superioridade sugere que o bigel pode oferecer uma aplicação mais prolongada e eficiente do fármaco, potencialmente resultando em melhores resultados terapêuticos.

  • NATHALY MARQUES SANTOS
  • FATORES ASSOCIADOS AO ALEITAMENTO MATERNO EXCLUSIVO DOS RECÉM-NASCIDOS INTERNADOS EM UNIDADES NEONATAIS
  • Orientador : MARCIA TELES DE OLIVEIRA GOUVEIA
  • Data: 28/06/2024
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O leite materno é uma fonte ideal de nutrientes para o recém-nascido, é recomendado que a amamentação seja iniciada na sala de parto e mantenha-se exclusiva nos seis primeiros meses de vida, sendo uma prática eficaz na diminuição da morbimortalidade infantil. Visando oferecer apoio técnico de forma sistemática e integrada às maternidades prioritárias para qualificação das práticas de gestão e atenção ao recém-nascido, incluindo as políticas voltadas para promoção do aleitamento materno, o Ministério da Saúde criou a “Estratégia Qualineo”. Objetivo: Analisar os fatores associados ao aleitamento materno exclusivo dos recém-nascidos internados nas Unidades Neonatais a partir da implantação da Estratégia QualiNeo nos anos de 2021 e 2022. Método: Trata- se de um estudo observacional, transversal e retrospectivo. Foi realizado no Núcleo de Vigilância de Óbito Materno e Neonatal de uma maternidade pública referência em alta complexidade de Teresina. A população é composta pelos recém-nascidos internados em unidades neonatais, cujos dados foram coletados a partir das fichas de monitoramento do cuidado neonatal no período de janeiro de 2021 a dezembro de 2022. A análise dos dados foi realizada no software Stata®️, versão 14. Sendo utilizado o teste do qui- quadrado de Pearson e calculada a razão de prevalência, estimada pela regressão de Poisson. O nível de significância adotado para os testes foi de p<0,05. Esse estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa sob o Parecer n° 5.705.974. Resultados: Quanto ao perfil das mães dos recém-nascidos, 48,1% tinham idade entre 20 a 29 anos e, destas 49,9% tiveram recém-nascidos que estavam em aleitamento materno exclusivo na alta. Em relação a cor da pele, 81,5% se auto declaravam pardas, 88,6% tinham escolaridade igual ou superior a 8 anos. 3,5% fumavam, 2,9% informaram ter usado bebida alcoólica semanalmente na gestação e 1,6% faziam uso de drogas ilícitas. Em relação ao perfil dos recém-nascidos, destaca-se que 52,3% são do sexo masculino, 51,3% nasceram com peso igual ou acima de 2500g e 42,2% tinham idade gestacional de 34 a 36 semanas no nascimento. Todas as variáveis citadas tiveram p<0,05. As variáveis idade da mãe (p= 0,027) e uso de esteroide antenatal (p<0,001) tiveram associação significativa com o aleitamento materno exclusivo. O cálculo da razão de prevalência identificou como fatores que aumentam a probabilidade do recém-nascido ter alta em aleitamento materno exclusivo: a mãe ter usado esteroide neonatal, recém-nascido ser do sexo feminino, idade gestacional acima de 31 semanas, não ter sido reanimado, não ter utilizado ventilação com máscara, balão ou cânula, ter tido um Apgar no 1° e 5° minuto igual ou maior que 7, clampeamento do cordão umbilical a partir de 1 minuto, internação na UCINCa e o contato pele a pele ser no primeiro dia de vida. Conclusão: Os fatores maternos e neonatais estão relacionados com a taxa de aleitamento do recém-nascido no momento da alta. Evidenciando a importância de uma assistência integrada e de qualidade durante o pré-natal, parto e a continuidade do cuidado no ambiente hospitalar. Portanto, é preciso a realização de novos estudos com o intuito de aprimorar intervenções eficazes e apoio ao aleitamento materno exclusivo.

  • BRISA CRISTINA RODRIGUES CARDOSO MAGALHAES
  • INSTRUMENTO SOBRE CONHECIMENTO, HABILIDADE E ATITUDE DE ENFERMEIROS ACERCA DA PREVENÇÃO E MANEJO DA HEMORRAGIA PÓS PARTO
  • Orientador : FERNANDO LOPES E SILVA JUNIOR
  • Data: 25/06/2024
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A Hemorragia Pós-Parto é uma causa importante de morbimortalidade materna no mundo. A maioria das mortes causadas por hemorragia pós-parto podem ser evitadas. Objetivo: Elaborar um instrumento para avaliação do conhecimento, habilidade e atitude de enfermeiros acerca da prevenção e manejo da hemorragia pós-parto Método: Trata-se de um estudo metodológico, desenvolvido em três etapas. A primeira etapa consistiu na revisão bibliométrica (1) seguida da extração do conteúdo das recomendaçõoes da OPAS (2) e elaboração do instrumento (3). Resultados: Dos 238 artigos selecionados, apenas 15 destas foram incluídas no estudo para determinação dos itens do instrumento, a maioria apresentou como aspecto metodológico a abordagem quantitativa e o tipo de estudo mais frequente foi o transversal (45,9%), seguido pela revisão de literatura (13,7%). As temáticas mais comuns foram as estratégias de prevenção da Hemorragia Pós-Parto e a produção foi oriunda de instituições universitárias em âmbito nacional/internacional, centralizada no EUA e identificou-se ainda pouca abrangência da temática. Na segunda etapa, elaborou-se os itens que compuseram a primeira versão do instrumento com base nas recomendações da Organização Pan-Americana da Saúde para prevenção e manejo da hemorragia pós-parto. Conclusão: Destaca-se a relevância deste estudo por meio da possibilidade de contribuição para a prática clínica e científica da enfermagem, por meio de um instrumento que subsidia o adequado registro das condutas de enfermagem frente as hemorragias pueperais. Espera-se que o produto desenvolvido seja validado como uma ferramenta de apoio para organização da assistência, buscando compartilhar e ampliar o cuidado à puérpera. Por fim, espera-se que este estudo possa contribuir com a comunidade acadêmica, científica e no direcionamento da assistência à esse público.

  • POLYANA COUTINHO BENTO NERI
  • PRÁTICA DE ENFERMEIROS NO CUIDADO DO RECÉM-NASCIDO PRÉ-TERMO: UMA ANÁLISE À LUZ DA SALUTOGÊNESE
  • Orientador : HERLA MARIA FURTADO JORGE
  • Data: 24/06/2024
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A prematuridade é uma das principais causas de morte neonatal. Enfrentar as mortes evitáveis de recém-nascidos e reduzir a mortalidade neonatal consiste em uma das metas propostas pelos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável para 2030. O enfermeiro contribui com a promoção da adaptação do recém-nascido prematuro ao ambiente adequado através da observação do quadro clínico, manutenção do equilíbrio térmico, luz, umidade, monitoramento dos sinais vitais, som e estímulos cutâneos. Objetivo: Compreender as práticas que o enfermeiro realiza com o recém-nascido pré-termo usando o senso de coerência para fortalecer o significado do cuidado. Percurso metodológico: Estudo qualitativo, fundamentado nos pressupostos teóricos da salutogênese. A coleta de dados foi realizada no período de fevereiro a março de 2024 por meio de entrevista semiestruturada com 23 enfermeiros que realizam o cuidado do recém-nascido pré-termo nas unidades de cuidado intensivo, semi-intensivo e convencionais de uma maternidade de referência do estado do Piauí. Os dados foram organizados por meio do software Interface de R pour L Analyses Multidimensionnelles de Textes L de Questionnaires (IRAMUTEQ®) e a análise foi realizada à luz da teoria da salutogênese. Resultados: Na Classificação Hierárquica Descendente, obteve-se um aproveitamento do corpus textual, formando cinco classes, cujos vocábulos têm associação estatisticamente relevante 81.17% (p<0,0001). A prática dos enfermeiros será apresentada considerando os três conceitos principais do Sentido de Coerência (compreensibilidade, capacidade de gerenciamento e significância) descritos na teoria da salutogênese de Aaron Antonovsky. Nessas categorias evidenciaram que os enfermeiros tem a capacidade de entender, gerenciar e encontrar significado no seu ambiente do trabalho, a partir de ações de planejamento e tomada de decisões partilhadas com vistas à melhoria da qualidade de vida destes. Outrossim, identifica-se uma preocupação em ter um ambiente organizado, previsível e ordenado no cuidado do recém-nascido prematuro, mesmo estando inseridos em ambientes de cuidados intensivos, intermediários e convencionais. Considerações finais: Os achados desse estudo evidenciaram que a rotina de cuidados com recém-nascido prematuro, os fatores estressores do ambiente hospitalar e sociais como o relacionamento com a equipe multiprofissional e os pais são relevantes para determinação do senso de coerência dos enfermeiros neonatologistas.

  • ANA PAULA CARDOSO COSTA
  • SAÚDE MENTAL DE ENFERMEIROS PÓS-PANDEMIA DA COVID-19: INDICADORES DE SOFRIMENTO MENTAL, DEPRESSÃO, ANSIEDADE E ESTRESSE
  • Orientador : CLAUDETE FERREIRA DE SOUZA MONTEIRO
  • Data: 21/05/2024
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: no contexto da COVID-19, enfermeiros foram reconhecidamente expostos a situações de impacto em sua saúde mental. São fundamentais estudos que identifiquem agravos psicológicos nesses profissionais após instauração do cenário pandêmico. Objetivo: avaliar a saúde mental de enfermeiros pós-pandemia da COVID-19. Métodos: estudo transversal, desenvolvido conforme diretrizes do Strengthening the Reporting of Observational Studies in Epidemiology, em um hospital de Teresina, Piauí, Brasil, com 138 enfermeiros. O critério de inclusão foi atuar na instituição de saúde no período da pandemia da COVID-19. Foram excluídos os enfermeiros não localizados, que estavam de férias ou afastamento durante a coleta de dados. A coleta de dados ocorreu de setembro de 2023 a março de 2024, por meio de questionário para dados sociodemográficos, econômicos, ocupacionais, práticas em relação à COVID-19, hábitos de vida e condições de saúde; do Self-Reporting Questionnaire e Escala de Depressão, Ansiedade e Estresse. Para processamento das informações, adotou-se o software Statistical Package for the Social Science, versão 20.0. Resultados: Observou-se o sofrimento mental em 39% da amostra. Em 3,6% dos enfermeiros verificou-se sintomas de depressão leve e 1,4% depressão severa. Em 5,1% dos casos a ansiedade classificou-se como leve, 4,3% moderada e 0,7% severa. O estresse, em 2,2% dos casos foi classificado na categoria leve e 1,4% moderada. Enfermeiros que apresentaram dificuldades para dormir durante atuação na linha de frente possuem 3,1 vezes mais chances de sofrimento mental (IC=1,177- 8,213), e aqueles com diagnóstico de agravo mental possuem 5,2 vezes mais chances de apresentar sofrimento mental (IC=1,682-16,607), em comparação aos que não afirmaram essas variáveis. Trabalhadores que relacionaram a manifestação de sinais e sintomas durante atuação da linha de frente à escassez de equipamentos de proteção individual possuem 0,05 vezes mais chances de sintomas depressivos, (IC=0,005-0,743), aqueles que não praticavam atividade física apresentaram 20,1 vezes mais chances de apresentar sintomas depressivos (IC=1,465-276,54), e os que estavam em acompanhamento psicológico/psiquiátrico têm 0,03 vezes mais chances de sintomatologia depressiva (IC=0,002-0,587), quando comparados aos profissionais que não mencionaram essas variáveis. Enfermeiros que afirmaram sonolência ao longo do dia na linha de frente possuem 7,9 vezes mais chances de apresentar sintomas ansiosos (IC=1,193-53,079), os que relacionaram a ausência de apoio da instituição à manifestação de sinais e sintomas durante atuação na linha de frente têm 4,1 vezes mais chances de sintomas ansiosos (IC=0,695-25,215), e os que afirmaram possuir diagnóstico de algum agravo mental possuem 11,9 vezes mais chances de reportar sintomas ansiosos (IC=1,828-77,789), quando comparados aos que não afirmaram essas questões. Enfermeiros que referiram ausência de apoio da instituição relacionada à manifestação de sinais e sintomas possuem 13,5 vezes mais chances de apresentar sintomas de estresse (IC=1,049-175,63), e os que relacionaram sinais e sintomas à falta de confiança na pesquisa e ciência têm 23,4 vezes mais chances de sintomas de estresse (IC=1,842-298,916), em comparação aos que não mencionaram essas variáveis. Conclusão: os indicadores de saúde mental dos enfermeiros refletem aspectos individuais e questões relacionadas à atuação na linha de frente contra a COVID-19, que apontam para a necessidade de cuidado a esses profissionais no pós-pandemia.

  • MARIANA PEREIRA BARBOSA SILVA
  • PERCEPÇÃO DA IMAGEM CORPORAL POR IDOSAS COM CÂNCER DE MAMA SUBMETIDAS À MASTECTOMIA
  • Orientador : MARIA DO LIVRAMENTO FORTES FIGUEIREDO
  • Data: 07/05/2024
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O câncer de mama é uma doença que mais acomete a mulher idosa. A mastectomia é o tratamento mais utilizado, é considerada uma mutilação que acarreta alterações físicas e emocionais, principalmente relacionadas à imagem corporal. Nesta perspectiva, visto o aumento de casos de câncer de mama e mastectomia nesse grupo populacional mostra-se relevante investigar essa problemática para subsidiar o cuidado de enfermagem. Objetivo: Compreender a percepção da imagem corporal por idosas com câncer de mama submetidas à mastectomia. Método: Trata-se de um estudo de natureza qualitativa baseado na hermenêutica dialética de Minayo com a interpretação dos achados acerca da percepção da imagem corporal das participantes da investigação apoiada nos conceitos teóricos de Merleau Ponty. O estudo foi realizado em uma instituição de referência para tratamento oncológico na cidade de Teresina-PI durante o mês de setembro de 2023. Participaram da pesquisa 20 idosas mastectomizadas acometidas pelo câncer de mama, que se encontravam em tratamento pós-cirúrgico em seguimento ambulatorial, com procedimento realizado há pelo menos seis meses, sem limitações cognitivas no Mini Exame do Estado Mental (MEEM). Foi aplicado o formulário para a coleta dos dados sociodemográficos, econômicos e clínicos, na sequência o roteiro de entrevista semiestruturado, as quais foram gravadas e posteriormente transcritas, permitindo a formulação de quatro categorias temáticas. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Piauí, por meio do parecer No 6.209.201. Resultados e discussão: Identificou-se a predominância de idosas casadas, com faixa etária de 60 a 69 anos e ensino fundamental  incompleto, a maioria são aposentadas, o tempo de cirurgia varia entre 6 meses a 17 anos, 9 realizaram mastectomia na mama direita, 8 na mama esquerda e 3 em ambas as mamas. As quatro categorias temáticas foram denominadas: A descoberta do câncer de mama; Os sentimentos vivenciados frente à mastectomia; As experiências do procedimento cirúrgico; Percepções da imagem corporal por idosas mastectomizadas. Considerações finais: Os achados deste estudo evidenciaram que para a maioria das idosas o corpo mudou com a retirada da mama, algumas relatam dificuldade em aceitar a perda da mama, impactando negativamente na percepção da imagem corporal, em se olhar no espelho, sentimentos de deformação, mutilação, isolamento, vergonha, bem como depressão e a necessidade de acompanhamento psicológico. Algumas idosas fazem uso do sutiã e/ou prótese externa, minimizando a sequela da imagem corporal e garantindo uma melhor aparência e autoestima, em contrapartida algumas idosas referiram não sentir a falta da mama lidando de forma satisfatória sem a mesma. Diante disso, o estudo foi relevante pois permitiu compreender as percepções da imagem corporal de idosas mastectomizadas, frente à importância de se discutir sobre a saúde mental nessa população, a fim de minimizar os impactos ocasionadas pela mesma, bem como servirá para o embasamento de novas pesquisas sobre a temática e permitiu a elaboração de uma proposta de plano de cuidados de enfermagem.

  • MIRNA ELIZABETH BENEGAS VILLAMAYOR
  • SITUAÇÃO LABORAL DE CUIDADORES FORMAIS DE IDOSOS DURANTE A PANDEMIA COVID-19 NA CIDADE DE ASUNCIÓN, PARAGUAI
  • Orientador : MARIA DO LIVRAMENTO FORTES FIGUEIREDO
  • Data: 30/04/2024
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Nos últimos anos, a estrutura familiar sofreu modificações, como a inserção da mulher no mercado de trabalho, a redução no número de filhos e a diminuição do número de familiares disponíveis para serem cuidadores, tornando evidente a dependência de idosos devido à redução do apoio familiar. Houve então a necessidade de contratar cuidadores formais para o cuidado domiciliar. Objetivo: Descrever a situação laboral de cuidadores formais de idosos dependentes em domicílio na cidade de Asunción, Paraguai, durante a pandemia COVID-19. Métodos: Estudo descritivo com abordagem qualitativa realizado com 25 cuidadores formais de idosos dependentes em domicílio de Asunción, Paraguai. Os dados foram coletados entre junho e dezembro de 2022 por meio de um roteiro de entrevista semiestruturado. As gravações foram transcritas e submetidas à análise temática. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética da Facultad de Enfermeria y Obstetricia da Universidad Nacional de Asunción. Resultados: Compuseram o estudo 25 participantes, sendo a maioria (n=24) do sexo feminino, com idade entre 31 e 45 anos. Quanto a escolaridade, nove possuíam ensino médio. Nenhum relatou ter feito curso voltado para o cuidado do idoso. As três categorias temáticas formadas foram denominadas: Relações de trabalho do cuidador de idosos na pandemia; Relações do cuidador com a família da pessoa idosa; O isolamento da pessoa idosa na pandemia. Considerações finais: O presente estudo revela a realidade enfrentada pelos cuidadores formais de idosos dependentes em domicílio, destacando os desafios, necessidades e demandas existentes nesse contexto. A compreensão dessas questões é fundamental para promover políticas públicas e de saúde mais eficazes para atender tanto os idosos dependentes quanto seus cuidadores, reconhecendo a importância desse trabalho não regulamentado como uma profissão crucial na assistência aos idosos.

  • RAVENA DE SOUSA ALENCAR FERREIRA
  • ELABORAÇÃO DE MANUAL PARA A PRÁTICA DE ENFERMEIROS NO PRÉ-NATAL DE ALTO RISCO
  • Orientador : HERLA MARIA FURTADO JORGE
  • Data: 11/04/2024
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A gestação é considerada de alto risco quando existe a probabilidade de um resultado adverso para a mulher ou para o filho, estando relacionada à presença de fatores de risco. A assistência pré-natal constitui importante estratégia recomendada para melhorar os resultados maternos e neonatais durante a gravidez. No âmbito das tecnologias em saúde, os manuais constituem em instrumentos que contribuem para a prática de enfermeiros e são capazes de nortear ações de cuidados em diferentes cenários Objetivo: Elaborar um manual para a prática do enfermeiro no pré-natal de alto risco. Método: Trata-se de uma pesquisa qualitativa, realizada em um Instituto de Perinatologia Social, vinculado a uma maternidade de referência para o estado do Piauí, localizado em Teresina. Participaram do estudo seis enfermeiras que realizam assistência ao pré-natal de alto risco. Os dados foram coletados no período de maio a junho de 2023 por meio da observação participante e quatro oficinas temáticas, que seguiram o Processo Quatro Erres (4Rs) seguindo as suas fases de Reconhecimento, Revelação, Repartir e Repensar. Para a organização e interpretação dos dados realizou-se a técnica de análise de conteúdo de Bardin. Resultados: A partir da análise de conteúdo, emergiram as seguintes categorias temáticas: (1) Perfil sociodemográfico e profissional das participantes (2) Reconhecimento e revelação da prática de enfermeiras no pré-natal de alto risco: o que as oficinas temáticas revelam. (3) Repartir: das oficinas a construção do manual. (4) Repensar: Exequibilidade do manual e feedback sobre as oficinas. Considerou-se as potencialidades e fragilidades do serviço, com destaque para atividades educativas, registro de doenças de notificação compulsória, supervisão da assistência e cardiotocografia. Emergiram novas perspectivas pautadas em um modelo que visa a organização e qualificação da Atenção Ambulatorial Especializada. Considerações finais: a construção compartilhada do manual possibilitou identificar e compreender as potencialidades, limitações e fragilidades no processo assistencial. Possibilitou aprimorar o manual e a discussão das possibilidades para nortear a prática dos enfermeiros.

  • LOISLÁYNE BARROS LEAL
  • ROTEIRO PARA CONSULTA DE ENFERMAGEM A PESSOAS COM DIABETES MELLITUS E HIPERTENSÃO PÓS PANDEMIA DA COVID-19
  • Orientador : ANA ROBERTA VILAROUCA DA SILVA
  • Data: 11/04/2024
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A COVID-19 causada pelo vírus SARS-CoV-2 constitui um problema de saúde pública ao impor grandes desafios, que continuam emergindo e requerendo cada vez mais de conhecimentos, inovações tecnológicas e investimentos. Embora ultrapassada a fase da pandemia, a doença ainda traz uma gama de desfechos relacionados ao período pós-covid, que comprometem a saúde. Objetivo: Construir e validar um roteiro para consulta de enfermagem a pessoas com diabetes e/ou hipertensão pós pandemia da covid-19. Método: Trata-se de um estudo metodológico, desenvolvido de julho de 2021 a fevereiro de 2024, embasado na Teoria da Intervenção Práxica de Enfermagem em Saúde Coletiva (TIPESC) e no modelo psicométrico de Pasquali. O instrumento foi estruturado em dois domínios, a saber dados de identificação e captação da realidade objetiva, e a validação abordou aspectos referentes ao conteúdo e a aparência. A amostra foi composta por 21 enfermeiros, subdivididos em dois grupos: juízes teóricos e juízes técnicos. Os dados foram coletados entre os meses de maio a setembro de 2023, por meio de questionário eletrônico e analisados mediante estatística descritiva e inferencial. A concordância entre os juízes foi verificada através do cálculo do Índice de Validade de Conteúdo (IVC) e a confiabilidade avaliada por meio do alfa de cronbach. Na análise qualitativa, as sugestões dos juízes foram analisadas de forma descritiva. Esta pesquisa foi aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Piauí, com parecer n° 5.394.186, de 2022. Resultados: Dentre os participantes houveram 13 juízes teóricos e 08 juízes técnicos, com representatividade da amostra abrangendo as cinco regiões brasileiras. Todos os domínios do roteiro para consulta obtiveram IVC geral > 0,80, apenas o domínio I apresentou alfa de Cronbach < 0,80 (0,704), porém o valor mínimo aceitável para o alfa é em torno de 0,70, sendo esse valor influenciado pelo número de itens que compõem a escala. Conclusão: O roteiro foi considerado válido em conteúdo e aparência para a coleta de dados durante a consulta de enfermagem, podendo proporcionar autonomia, apoio técnico e respaldo ao enfermeiro, colaborando na melhoria da qualidade da assistência. 

  • ANA DANÚSIA IZIDÓRIO RODRIGUES DE ARAÚJO
  • INSULINACAST: PODCAST COMO FERRAMENTA DE EDUCAÇÃO EM SAÚDE NA ADMINISTRAÇÃO DE INSULINA
  • Orientador : ANA ROBERTA VILAROUCA DA SILVA
  • Data: 10/04/2024
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Conhecer a técnica adequada de preparo e administração de insulina conforme as recomendações da Sociedade Brasileira de Diabetes é primordial para o alcance das metas glicêmicas e melhoria na qualidade de vida das pessoas que necessitam diariamente das injeções. A educação voltada para a autogestão do Diabetes Mellitus é o processo de facilitação de conhecimentos, habilidades e capacidades necessárias ao autocuidado da doença. Nesse contexto, compreende-se a importância da construção do podcast uma vez que se faz necessário explicações com embasamento científico voltadas para administração de insulina. Objetivo: Construir tecnologia digital para fornecer informações que orientem na administração de insulina. Método: A pesquisa contará com subestudos, estando assim divididos: subestudo 1: Revisão de escopo sobre as tecnologias educativas de administração de insulina em pessoas com diabetes; subestudo 2: Roteirização e validação de tecnologia educativa e subestudo 3: Avaliação da tecnologia educativa com os usuários. Portanto, é metodológico, descritivo e transversal. A etapa de validação foi realizada por meio eletrônico e a de avaliação de forma presencial com usuários de insulina com idade entre 20 e 59 anos, cadastrados no serviço de saúde do município de Picos-Piauí, durante os meses de setembro de 2023 a fevereiro de 2024. A análise estatística foi feita pelo índice de validação, alfa de Cronbach e kappa e aprovado no Comitê de Ética e Pesquisa através de parecer de número 5.394.178. Resultados: Os achados dos subestudos mostraram que o Insulinacast foi validado com êxito ao apresentar valor de Alfa de Cronbach de 0,918 na validação de conteúdo, 0,909 na validação de design e em relação a avaliação pela classificação dos escores, verifica-se que o material é superior para o questionário SAM cuja média é de 88,07% e para o questionário SUS é excelente, visto que apresenta média de 78,25%, tornando a tecnologia avaliada positivamente pelo público-alvo. Conclusão: A partir do exposto, conclui-se que o desenvolvimento dessa tecnologia educacional, bem como sua validação proporciona à população informações claras e objetivas a respeito da insulinoterapia, uma vez que a contribuição dos juízes enriquece o estudo e a avaliação pelo público-alvo propicia o reconhecimento da sua importância.

  • LYNARA SILVA DE OLIVEIRA
  • PREVALÊNCIA DE SOLIDÃO EM PESSOAS IDOSAS RESIDENTES EM INSTITUIÇÕES DE LONGA PERMANÊNCIA
  • Orientador : ANA MARIA RIBEIRO DOS SANTOS
  • Data: 04/04/2024
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Durante o processo fisiológico do envelhecimento, é possível observar as alterações que levam à diminuição da capacidade funcional e que estão diretamente ligadas a capacidade de execução de uma vida independente e autônoma. Quando essas condições são desfavoráveis, são procuradas alternativas para a garantir a assistência necessária, surgindo as Instituições de Longa Permanência para Idosos como uma saída para essa situação, o que favorece o aumento dos problemas associados à retirada dessa pessoa idosa do convívio familiar, como a solidão e o isolamento. Objetivo: Analisar a prevalência de solidão em pessoas idosas residentes em instituições de longa permanência no município de Teresina-PI. Método: Trata-se de um estudo transversal analítico, desenvolvido em instituições de longa permanência localizadas no município de Teresina-PI, com uma população de 296 pessoas idosas e os gestores das instituições participantes, sendo a amostra constituída por 59 pessoas idosas residentes nessas instituições, bem como oito gestores. O estudo desenvolveu-se no período de abril de 2022 a fevereiro de 2024. Adotou-se como instrumentos na coleta de dados formulário para a caracterização dos dados administrativos da instituição e formulário de caracterização sociodemográfica da pessoa idosa. Além disso, foi utilizada a Escala de Depressão Geriátrica (GDS-15), o Índice de Katz e a Escala de Solidão (UCLA-BR, versão 03). Foi realizada a análise descritiva e inferencial, aplicaram -se Teste de Kolmogorov Smirnov, Teste Exato de Fisher, Teste paramétrico ANOVA e teste não-paramétrico Kruskal Wallis. Em todas as análises adotou-se o nível de significância de p<0,05. Este estudo obteve aprovação pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Piauí, com o parecer de 6.159.505. Resultados: Verificou-se que entre as 59 pessoas idosas residentes em instituições de longa permanência, 59,3% não apresentaram solidão. No entanto, a prevalência do nível elevado de solidão foi encontrada em 25,4%, e 15,3% apresentou nível moderadamente elevado. Quanto ao Índice de Katz, 69,5% são independentes, 15,3% possui dependência moderada e 15,3% é muito dependente. Para a GDS-15, 47,5% apresentam não apresentaram depressão, 44,1% possui depressão leve e 8,5% possui depressão severa. Os fatores associados à solidão foram insônia (p=0,017) uso de antiemético (p=0,039), a condição de depressão avaliada pela GDS-15 (p=0,028), e as características administrativas e assistenciais das instituições de longa permanência (p=0,036). Conclusão: Evidenciou-se que ainda é alto o percentual encontrado de pessoas idosas que são consideradas solitárias. Além disso, ao ser associada à depressão, apresentou significância estatística, o que torna imprescindível a aplicação de intervenções efetivas para a melhora de saúde mental desse público e no desenvolvimento de políticas públicas voltadas a estas população, como forma de evitar os desfechos clínicos adversos, bem como o investimento em atividades recreativas e de lazer, que gerem vínculos afetivos importantes entre os residentes.

  • MICHELLE SANTOS MACÊDO
  • PRÁTICA DE AUTOCUIDADO E FATORES ASSOCIADOS EM PESSOAS COM HANSENÍASE NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE
  • Orientador : TELMA MARIA EVANGELISTA DE ARAUJO
  • Data: 27/03/2024
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: A hanseníase é uma doença dermatoneurológica que afeta primariamente os nervos periféricos e a pele, como também pode acometer outros órgãos de forma sistêmica, produzindo sequelas e incapacidades. OBJETIVO: analisar fatores associados à prática de autocuidado de pessoas com hanseníase na Atenção Primária à Saúde em um município do Piauí. MÉTODO: Estudo transversal desenvolvido nas Unidades Básicas de Saúde e Equipe de Saúde no Sistema Prisional de um município piauiense, com o universo de casos de hanseníase notificados no Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN), no período de janeiro de 2019 a dezembro de 2023 (N=133). A coleta de dados ocorreu de outubro a dezembro de 2023, por meio da aplicação de um formulário, previamente validado, bem como a partir de dados secundários obtidos do SINAN. Os dados foram analisados com o uso do software Statistical Package for Social Science (SPSS) versão 26.0. Na análise descritiva foram utilizadas distribuição de frequências e medidas de posição e dispersão. Para estudar a associação entre as variáveis categóricas e a variável dependente utilizou-se o teste quiquadrado com correção de Yates e exato de Fisher. No estudo das práticas de autocuidado, como variável resposta aplicou-se a análise de regressão logística, buscando explicar quais fatores estariam ligados à prática insatisfatória da população do estudo. Foram utilizados dois processos: o modelo logístico bivariado e o multivariado. O Oddis Ratio (OR) obtido foi ajustado para todas as variáveis analisadas no modelo bivariado, com significância fixada em 20%. No modelo multivariado, foram mantidas apenas as variáveis com valores de p iguais ou inferiores a 0,05. RESULTADOS: Predominou o sexo masculino (54,1%), faixa etária 20 a 59 anos (62,4%), casados (60,9%), com renda entre um a dois salários mínimos. A atitude frente ao cuidado foi positiva em 98,5% dos participantes. Na classificação das práticas de autocuidado dos três segmentos: face, mãos e pés, observou-se que em nenhum deles foi satisfatória. No cuidado da face apenas 4,5% foram satisfatórias, das mãos 12,8% e dos pés, 5,3%. As práticas insatisfatórias foram negativamente associadas com as úlceras plantares e palmares (ORa=0,90; p=0,05) e com a presença de neurites (ORa=0,41; p= 0,04). CONCLUSÃO: Observou-se dissonância entre a atitude e a prática de autocuidado dos participantes do estudo, com atitudes positivas e práticas insatisfatórias. Tomando-se o autocuidado em hanseníase como essencial à prevenção de sequelas e outros transtornos, considera-se a necessidade dos profissionais de saúde desenvolverem orientações contínuas e sistemáticas bem como mecanismo de monitoramento do autocuidado para pessoas com hanseníase, com vistas à melhoria da qualidade de vida.  

  • ODALINA DEL CARMEN MARTÍNEZ JIMÉNEZ
  • FADIGA E ABSENTEÍSMO DE PROFISSIONAIS DE ENFERMAGEM EM UMA UNIDADE DE QUEIMADOS E CIRURGIA RECONSTRUTIVA DO PARAGUAI
  • Orientador : LIDYA TOLSTENKO NOGUEIRA
  • Data: 28/02/2024
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A fadiga e o absenteísmo são resultados de vários fatores, como sobrecarga de trabalho, pressão psicológica e políticas organizacionais deficientes. Isso afeta os processos de trabalho, prejudicando a assistência e causando danos à saúde física e psicossocial do trabalhador. Objetivo: Analisar a relação entre fadiga e o absenteísmo no trabalho de profissionais de enfermagem de um hospital especializado em queimaduras no Paraguai. Método: Estudo transversal, analítico e censitário, realizada em hospital de queimaduras no Paraguai. Dos 148 profissionais de enfermagem do hospital, seis foram excluídos pelos critérios de elegibilidade, totalizando 142 participantes. Os dados foram coletados por meio de um questionário dividido nas dimensões sociodemográficas, acadêmicas, familiares e laborais incluindo dados sobre fadiga e absenteísmo. Utilizou-se também o Check List Individual Strength (CIS), validade e adaptado para o espanhol paraguaio. Os dados foram processados e analisados no software SPSS® (Statistical Package for the Social Sciences) - versão 23.0 para Windows. Os dados foram analisados com estatística descritiva e inferencial. Na estatística inferencial, foi realizado o teste exato de Fisher. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa do Laboratório Central de Saúde Pública, sob o código CEI-LCSP No 265/201222. Resultados: Predominaram mulheres (74,6%) e graduados em enfermagem (71,1%). A maioria (66,9%) tinha emprego permanente, com 28,8% com 7 e 10 anos de experiência. Um total de (22,5%), registrou duas faltas nos últimos 6 meses, 55,6 % justificadas por problemas de saúde pessoal. Quanto ao período de sono 50,7% dos participantes relataram dormir menos de 5 horas por dia. Um total de 47,9% dos participantes estavam moderadamente fatigados. Houve associação significativa entre a percepção sobre fadiga e absenteísmo (p=0,003). Participantes com absenteísmo apresentaram maior percepção de fadiga: 93,1% "fadigado" e 86,8% "moderadamente fadigado". Houve associação significativa entre fadiga e nível acadêmico (p=0,026), com maior fadiga entre graduados (71,3%). Também houve associação entre absenteísmo e causas de afastamento (p<0,001), sendo 66,9% devido a problemas de saúde pessoal. Conclusão: Os profissionais de enfermagem vivenciaram elevados níveis de fadiga e tempo de sono reduzido. Ainda, o absenteísmo foi associado a problemas de saúde. Observou-se associação estatística entre trabalhadores com maiores níveis de absenteísmo e a percepção de fadiga. Destaca-se a necessidade de intervenções sobre os fatores envolvidos na fadiga e no absenteísmo do pessoal de enfermagem, com ênfase nas condições trabalhistas como multiempregos e sobrecarga de trabalho. Há necessidade de estudos com distintas abordagens metodológicas sobre fatores organizacionais e individuais e que podem influenciar na presença da fadiga e do absenteísmo.

  • ESTEFFANY VAZ PIEROT
  • CONHECIMENTO DOS ENFERMEIROS SOBRE A PREVENÇÃO E MANEJO DE LESÃO POR PRESSÃO EM UNIDADES DE TERAPIA INTENSIVA
  • Orientador : FERNANDA VALERIA SILVA DANTAS AVELINO
  • Data: 26/02/2024
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: As unidades de terapia intensiva desempenham um papel crucial na assistência de saúde a pacientes em estado crítico. No entanto, o ambiente complexo e a condição de saúde dos pacientes nessas unidades aumentam a vulnerabilidade à ocorrência de complicações, como a lesão por pressão. Essa condição compromete a integridade da pele e pode ter impactos negativos na evolução clínica do paciente, prolongar a hospitalização e aumentar os custos associados aos cuidados de saúde. Nesse contexto, os enfermeiros desempenham um papel fundamental na prevenção e no manejo eficazes das lesões por pressão em unidades de terapia intensiva, tornando essencial compreender o nível de conhecimento desses profissionais. Objetivo: Verificar o conhecimento dos enfermeiros sobre a prevenção e manejo de lesão por pressão em unidades de terapia intensiva. Método: Trata-se de um estudo transversal analítico. A pesquisa foi realizada em unidades de terapia intensiva para adultos em três hospitais públicos localizados em Teresina, no Estado do Piauí. A amostra foi composta por 67 enfermeiros envolvidos na prestação de cuidados intensivos a pacientes adultos, durante o período de coleta de dados, em julho de 2023, por meio do instrumento Teste de Conhecimento sobre Lesão por Pressão de Caliri-Pieper, composto de 41 questões sobre avaliação, classificação e prevenção de lesões por pressão. A análise de dados ocorreu por meio da estatística descritiva, frequências absolutas e relativas para as variáveis categóricas, medidas de tendência central e de variabilidade para as numéricas. Foi realizado o teste Kolmogorov-Smirnov para verificar a normalidade dos dados. Para comparação da pontuação média a respeito do conhecimento sobre lesão por pressão foram usados os testes não-paramétricos Mann de Whitney e Kruskal-Wallis. Foi utilizado o programa Statistical Package for social Science versão 22.0, para a análise estatística, com base nos princípios descritivos e inferenciais. O nível de significância adotado foi de 5%. A pesquisa obteve aprovação do Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Piauí via Plataforma Brasil, parecer número: 6.159.459. Resultados: Os resultados evidenciaram que de um grupo de 67 entrevistados, 85,1% (32,26 ± 3,41) eram mulheres, 28,4% (32,00 ± 4,19) com idades abrangendo os intervalos de 31 a 35 anos e 28,4% (32,63 ± 2,79) mais de 40 anos, 26,9% (32,17 ± 2,73) com um período de experiência profissional entre 5 e 10 anos. A maior parte dos entrevistados 73,1% (32,53 ± 3,29) possuía uma especialização como seu nível mais alto de formação e 59,7% (33,38 ± 2,80) estudaram em instituições de ensino superior pública. Os resultados deste estudo indicaram que, em relação ao número total de respostas corretas, o conhecimento dos enfermeiros teve a média de 79%. A leitura do Guia Internacional de Prevenção e Tratamento de Úlcera por Pressão foi associada a um maior conhecimento sobre lesão por pressão e observou-se uma diferença significativa nas médias de conhecimento entre as diferentes categorias de anos na prática nas três unidades de terapia intensiva. Conclusão: A associação entre a leitura do Guia Internacional de Prevenção e Tratamento de Úlcera por Pressão e um maior conhecimento sobre o tema sugere a relevância de fontes de informação especializadas na capacitação dos profissionais. Além disso, a variação nas médias de conhecimento entre as unidades de terapia intensiva indica possíveis disparidades na formação e atualização dos enfermeiros em diferentes ambientes de trabalho.

  • SAYONNARA FERREIRA MAIA
  • CONSTRUÇÃO E VALIDAÇÃO DE AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM SOBRE CANULAÇÃO DE FISTULA ARTERIOVENOSA PARA TÉCNICOS DE ENFERMAGEM
  • Orientador : LIDYA TOLSTENKO NOGUEIRA
  • Data: 26/02/2024
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Os processos que envolvem os acessos vasculares para hemodiálise têm risco de ocasionar eventos adversos graves ao paciente renal crônico. Assim, espera-se que os profissionais envolvidos com a terapia dialítica sejam adequadamente preparados para o correto manuseio de fistulas arteriovenosas. Nesse aspecto, o técnico em enfermagem comumente realiza a canulação da fistula arteriovenosa, que exige habilidade e conhecimento técnico, entretanto, sua formação comumente não oferece tal preparo. Objetivo: Construir e validar um ambiente virtual de aprendizagem para capacitar os técnicos de enfermagem sobre canulação da fistula arteriovenosa para hemodiálise Método: Estudo metodológico de construção e validação de curso online, baseado no modelo ADDIE e teoria Cognitiva da Aprendizagem Multimídia norteou a elaboração dos objetos de aprendizagem. A validação abordou os aspectos pedagógicos e navegabilidade, com juízes de Enfermagem em Nefrologia e Informática, sendo selecionados 14 da Enfermagem e 12 de Informática. Os dados foram coletados entre agosto de 2022 e dezembro de 2023 por meio de questionário eletrônico e analisados mediante estatística descritiva e inferencial. A concordância dos peritos foi definida por meio do percentual de concordância e do teste binomial. Na análise qualitativa, as sugestões dos juízes foram analisadas de forma descritiva. Esta pesquisa foi aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Piauí, com parecer n° 5.397.305, de 2021. Resultados: o curso foi intitulado Venocurso, hospedado no Moodle, com cinco unidades teóricas estruturadas com textos digitais, vídeos instrucionais de curta duração (três a cinco minutos) e exercícios de aprendizagem. Na validação de conteúdo, O S-CVI global atribuído por juízes enfermeiros foi de 0,95. Quanto aos juízes da informática, obteve-se S-CVI global de 0,85. Conclusão: A tecnologia foi considerada válida como ferramenta de ensino-aprendizagem para o público-alvo e poderá auxiliar na construção de propostas.

  • CAMILA EVANGELISTA DE SOUSA CAMPELO
  • INDICADORES DA ESTRATÉGIA QUALINEO ASSOCIADOS AO ÓBITO NEONATAL: ESTUDO TRANSVERSAL
  • Orientador : MARCIA TELES DE OLIVEIRA GOUVEIA
  • Data: 23/02/2024
  • Mostrar Resumo
  • Com o avanço dos programas e políticas públicas em saúde surgiram modificações na assistência ao recém-nascido com o objetivo de reduzir índices de morbimortalidade neonatal. Foi criado em 2017 pelo Ministério da Saúde a Estratégia QualiNeo para reduzir a mortalidade neonatal e qualificar a assistência ao RN. Essa dissertação objetivou analisar os indicadores de cuidado neonatal da Estratégia Qualineo em uma maternidade de referência nos anos de 2021 a 2022. Trata-se de um estudo analítico, transversal e retrospectivo com análise das fichas de monitoramento neonatal de janeiro de 2021 a dezembro de 2022. A pesquisa foi realizada em uma maternidade pública de referência em alto risco na capital do Estado do Piauí, no Núcleo de Vigilância de Óbito Materno e Neonatal da instituição. A amostragem foi não probabilística sequencial, com a coleta de dados secundários das fichas de monitoramento do cuidado neonatal da Estratégia Qualineo. Foram incluídos os dados das fichas digitadas no período definido para o estudo. Os dados foram organizados e analisados no Software Stata ® (Statacorp, College Station, Texas, USA), versão 14. Utilizou-se o teste do qui-quadrado de Pearson para avaliar a associação entre as variáveis do estudo, e calculado a razão de prevalência com intervalo de confiança de 95%, estimado pela regressão de Poisson para medir a força de associação entre a variável dependente (óbito neonatal) e variáveis independentes. O nível de significância adotado para os testes foi de p<0,05. Esta pesquisa teve aprovação pelo Comitê de Ética em Pesquisa com número de parecer: 5.706.053. Das fichas analisadas, 47,2% das mães apresentaram idade entre 20 a 29 anos. Quanto a cor da pele e escolaridade, 81,3% eram autodeclaradas pardas e 88,4% informou possuir oito anos ou mais de estudo. 96% das mulheres fumavam, 32,7% possuíam diagnóstico de hipertensão arterial (p=0,005), 14,6% tiveram gestação múltipla (p=0,033), 13,3% eram bolsa rota com tempo <18 horas e 49,9% precisaram utilizar esteroide antenatal (p=0,036). O tipo de parto teve associação significativa com a variável dependente (p<0,001); 73,9% tiveram cesárea e, deste quantitativo 20,1% dos recém-nascidos foram a óbito. Dos neonatos, 52,6% eram do sexo masculino, 43,4% nasceram pesando entre 1500 a 2499 g, 35,6% com idade gestacional entre 34 a 36 semanas e 39,4% necessitaram de manobras de reanimação ao nascer. No que se refere ao Apgar no 1º e 5º minuto de vida, 36,7% e 9,5% atingiram Apgar maior ou igual a 7, respectivamente. 79,8% dos neonatos tiveram clampeamento imediado do cordão umbilical ao nascer, 50,3% necessitaram de medidas para evitar hipotermia, 51% internaram na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal e 40,1% tiveram infecção precoce. Quanto ao uso de antibiótico, 20,4% dos neonatos iniciaram medicação nas primeiras 48 horas de vida. Houve associação significativa com todas as variáveis neonatais com o desfecho óbito (p<0,05). O cálculo da razão de prevalência identificou como fatores que aumentam a probabilidade do óbito neonatal: ausência de hipertensão arterial e gestação múltipla, sexo do recém-nascido indeterminado, peso ao nascer ≤999g, idade gestacional menor que 30 semanas, a não internação nas unidades de cuidados intermediários convencionais e canguru, e o uso de antibiótico nos dois primeiros dias de vida. Conclui-se com isso que os fatores associados à mortalidade neonatal estiveram relacionados com aspectos maternos e neonatais. O estudo revelou a necessidade de assistência qualificada durante o pré-natal e parto, além da realização de novos estudos para o desenvolvimento de intervenções eficazes para redução dos índices de óbito no neonato.

  • PEDRO VITOR MENDES SANTOS
  • NECESSIDADES DE APRENDIZAGEM SOBRE OS MÉTODOS NÃO FARMACOLÓGICOS UTILIZADOS NO TRABALHO DE PARTO E PARTO: DESENVOLVIMENTO DE INSTRUMENTO
  • Orientador : HERLA MARIA FURTADO JORGE
  • Data: 21/02/2024
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: O uso dos métodos não farmacológicos promove o alívio da dor e promoção do conforto da parturiente e consiste em uma tecnologia de cuidado baseado em conhecimentos estruturados, mas que não necessitam de equipamentos sofisticados para sua utilização. Tendo em vista o crescimento e a ampla utilização desses métodos durante o trabalho de parto, e o impacto positivo dessas práticas, empiricamente comprovadas, faz-se necessário elaborar e validar um instrumento para avaliação das necessidades de aprendizagem sobre os métodos não farmacológicos utilizados no trabalho de parto e parto. OBJETIVO: Desenvolver um instrumento para identificação das necessidades de aprendizagem sobre os métodos não farmacológicos utilizados no trabalho de parto e parto. MÉTODO: Trata-se de um estudo metodológico, desenvolvido em três etapas. A primeira etapa consistiu na revisão de escopo (1) seguida do desenvolvimento do instrumento para a identificação das necessidades de aprendizagem dos graduandos acerca dos métodos não farmacológicos no trabalho de parto (2) e a validação do referido instrumento de instrumento para a identificação das necessidades de aprendizagem dos graduandos acerca dos métodos não farmacológicos no trabalho de parto (3). RESULTADOS: Os resultados foram apresentados em dois artigos científicos, sendo respectivamente: Educational technologies on non-pharmacological methods in labor: a scoping review (artigo 1) e Construção e validade de conteúdo de um instrumento para avaliação das necessidades de aprendizagem sobre os métodos não farmacológicos (artigo 2). CONCLUSÃO: Foi possível mapear as evidências acerca das tecnologias educacionais sobre os métodos não farmacológicos utilizados no Trabalho de parto e parto, bem como desenvolver e validar o instrumento proposto.

  • PAULA OLIVEIRA SANTOS
  • EVIDÊNCIAS DE VALIDADE DE UMA CARTILHA PARA PREVENÇÃO DA INFECÇÃO PUERPERAL
  • Orientador : ANDREIA RODRIGUES MOURA DA COSTA VALLE
  • Data: 20/02/2024
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: a infecção puerperal é a terceira causa de morte materna no Brasil e no mundo. Sua ocorrência é diretamente ligada as condições de saúde e da forma como o cuidado a gestantes é oferecido no pré-natal, parto e pós-parto. OBJETIVO: analisar as evidências de validade de uma cartilha educativa para prevenção da infecção puerperal em gestantes atendidas na atenção primária. MÉTODO: Estudo metodológico, realizado nas seguintes fases 1) elaboração do projeto de desenvolvimento e submissão ao Comitê de Ética e Pesquisa (CEP); 2) levantamento bibliográfico; 3) elaboração do material educativo; 4) qualificação ou validação do material por especialistas e gestantes. Os juízes foram selecionados através da Plataforma Lattes e meio da técnica de amostragem do tipo “bola de neve”. A seleção da amostra do público-alvo se deu por conveniência. A coleta de dados ocorreu em dois momentos: primeiro com os juízes especialistas: enfermeiros obstetras, enfermeiros especialistas em infecções relacionadas a assistência e designers gráficos, para validação de conteúdo, aparência, e adequabilidade, o contato se deu por e-mail e/ou WhatsApp; e o segundo momento com o público-alvo, foi realizado com gestantes atendidas na atenção primária de Teresina-PI. Para a análise, foi utilizado o índice de validade de conteúdo (IVC). Para avaliação da aparência e compreensão foram utilizados 3 instrumentos validados na literatura: o Instrumento de Validação de Conteúdo Educacional em Saúde (IVCES), Suitability Assessment of Materials (SAM) e o instrumento para validação de aparência de tecnologias educacionais em saúde (IVATES) para o público-alvo. Este estudo foi aprovado pelo comitê de ética em pesquisa com o parecer de número 6.238.353. RESULTADOS: A cartilha, intitulada: “Infecção Puerperal, Vamos conhecer”, foi elaborada com linguagem simples e direta, com um layout que favorece na compreensão das informações contidas no material, sendo dividida em oito tópicos: 1. Conceito; 2. Fatores de Risco; 3. Cuidados Gerais; 4. Cuidados após o parto normal; 5. Cuidados após a cesárea 6; Cuidados com as mamas; 7) Sinais de alarme; 8) Orientações de onde procurar ajuda. Na avalição do conteúdo e aparência, obteve-se um IVC de 93,1% para os juízes enfermeiros obstetras, para os especialistas em IRAS, o IVC foi de 94,9%. Os juízes designers gráficos consideraram a tecnologia como superior, atingindo um percentual de 95,4% considerado como superior pelo SAM. A participação do público-alvo apoiou a compreensão e aparência da tecnologia, através o IVATES e atingindo valor de 91% com resultado considerado excelente. CONCLUSÃO: o percentual de concordância entre os avaliadores atingiu valores satisfatórios para a finalização do material educativo.

  • AMANDA DELMONDES DE BRITO FONTENELE FERNANDES
  • INSTRUMENTOS QUE AVALIAM A QUALIDADE DE VIDA EM ADULTOS COM ESTOMIAS DE ELIMINAÇÃO: REVISÃO SISTEMÁTICA COSMIN
  • Orientador : GRAZIELLE ROBERTA FREITAS DA SILVA
  • Data: 19/02/2024
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: “estomia” é uma abertura cirúrgica que permite a comunicação entre um órgão interno e o meio externo. As estomias de eliminação são as mais encontradas na prática clínica. A qualidade de vida é um construto bastante discutido e difícil de ser definido, pois envolve não apenas fatores relacionados à saúde, como também outras dimensões importantes da vida das pessoas. Objetivo: analisar metodologicamente estudos que investigaram as propriedades psicométricas (confiabilidade, capacidade de resposta e validade) de instrumentos de qualidade de vida para pessoas com estomias de eliminação. Método: trata-se de revisão realizada de acordo com a diretriz para revisões sistemáticas de Patient-Reported Outcome Measures (PROMs) do Consensus-based Standards for the selection of health Measurement Instruments (COSMIN), desenvolvida em 10 etapas. As informações foram reportadas conforme os itens do Preferred Reporting Items for Systematic Reviews and Meta-Analyses (PRISMA 2020). O protocolo foi registrado no International Prospective Register of Systematic Reviews (PROSPERO) - CRD42022320642 e publicado posteriormente. As buscas na literatura foram realizadas nas bases de dados Embase, MEDLINE via Pubmed, CINAHL complete, Web of Science, PsycINFO, LILACS, BDEnf, IBECS via BVS, e nas bases de literatura cinzenta: ProQuest, DART Europe e ResearchGate, sem restrição de tempo e idiomas. Para avaliação da qualidade metodológica dos estudos incluídos e das propriedades de medida dos PROMs, utilizou-se checklist de risco de viés e os critérios de boas propriedades de medida, ambos propostos pelo COSMIN, respectivamente. A qualidade da evidência dos resultados foi avaliada pelo Grading of Recommendations Assessment, Development and Evaluation (GRADE) adaptado pelo COSMIN. Resultados: a busca inicial identificou 3.099 trabalhos. No total, foram incluídos 19 estudos referentes ao desenvolvimento e/ou validação de 6 PROMS específicos para pessoas com estomias de eliminação. Para a maioria dos PROMs, poucas propriedades psicométricas foram avaliadas. As propriedades de medida mais frequentemente relatadas foram a validade estrutural, consistência interna e teste de hipótese. No entanto, a validade transcultural, o erro de medida e a validade de critério não foram investigadas em nenhum dos estudos, e a capacidade de resposta foi realizada apenas em um. As propriedades de medida da maioria dos instrumentos tiveram resultados sufientes (58,33%), de acordo com o COSMIN. A qualidade da evidência das propriedades de medida foi: alta (30,55%), moderada (25%), muito baixa (11,11%), baixa (5,55%) e em 27,77% não teve evidência, de acordo com o GRADE. Conclusão: esta revisão sistemática oferece uma visão geral dos PROMs existentes que medem a QVRS dos pacientes com estomias de eliminação e suas propriedades psicométricas. Os PROMs geralmente possuem um baixo nível de validação. O instrumento OSTOMY-Q foi o que apresentou mais propriedades psicométricas avaliadas, porém o COH-QOL- OQ foi o mais utilizado, sendo suas evidências de validade apresentadas em 10 estudos distintos com uma qualidade de evidência classificada de moderada a alta e índices suficientes para a maioria das propriedades de medida. Enfatiza-se a necessidade de estudos futuros para acumularmos evidências de validade PROMs existentes.

  • JOSÉ FORTUNA DA SILVA
  • DISABILITY ADJUSTED LIFE YEARS POR ACIDENTE VASCULAR CEREBRAL EM PAÍSES DA ÁFRICA CENTRO-SUL SUBSAARIANA: TENDÊNCIA GLOBAL BURDEN DESEASE 2010 – 2019
  • Orientador : JOSE WICTO PEREIRA BORGES
  • Data: 15/02/2024
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O Acidente Vascular Cerebral (AVC) é uma das principais causas de morbidade e mortalidade em África. Apesar das altas taxas de mortalidade por AVC na África, pouco se sabe sobre o impacto da doença nos anos de vida ajustados por incapacidades. DALY (anos de vida ajustados por incapacidade) é uma métrica muito importante e consistente nos estudos de saúde pública, expressa os anos de vida perdidos por morte prematura e avalia os anos de vida vividos com incapacidade. Objetivo geral: analisar a tendência temporal de anos de vida ajustados por incapacidades por Acidente Vascular Cerebral nos países da África Centro-Sul Subsaariana. Método: Estudo ecológico analítico de series temporais realizado com base o Global Burden Disease 2019. Os países analisados foram: Angola, Congo, República Democrática do Congo, Gabão, República Centro Africana e Guiné Equatorial. Os DALY foram analisados a partir das variáveis país, sexo e fatores de risco metabólicos (pressão arterial sistólica alta, IMC alto, Glicemia alta, disfunção renal e LDL alto). Os dados foram importados para planilha excel, posteriormente foram analisados descritivamente por meio do número absoluto e percentual de DALY. Para demarcar a tendência, foi realizada Regressão de Prais- Winster no programa estatístico Stata. Resultados: a prevalência de morte por AVC, por sexo, na África Centro-Sul Subsaariana entre 2010 e 2019 apresenta uma tendência crescente ao longo dos anos. O DALYs por AVC nos países estudados para mulheres e homens é maior na República Democrática do Congo (63.7%) e menor na Guiné Equatorial (0,5%) em 2010 e (0,6%) em 2019. Quanto ao DALY causado por AVC atribuídos a fatores de risco metabólicos, na região da África Centro Sul Subsaariana, observou-se uma leve redução nos anos de 2010 e 2019. Conclusão: O estudo possibilitou analisar os anos de vida ajustados por incapacidades por Acidente Vascular Cerebral em seis países que compõem a região Centro Sul da África Subsaariana. A tendência de anos de vida ajustados por incapacidades por AVC na região da África Centro Sul Subsaariana foi decrescente nas mulheres e estacionária nos homens nos últimos nove anos. Os sistemas de saúde dos países estudados precisam de maiores investimentos devido o impacto negativo que o DALY por AVC causa nas comunidades da região estudada. Por isso, é essencial que os gestores de serviços da saúde dos países daquela região, adotem políticas públicas com base nos estudos epidemiológicos que visem a melhoria da qualidade de saúde das populações. Neste contexto, estudos futuros são essenciais para se determinar os principais fatores associados a anos de vida ajustados por incapacidades na região da África Centro sul Subsaariana nos últimos anos.

  • ROGÉRIO EPOLUA CHISSAMBA
  • INFECÇÕES RELACIONADAS À ASSISTÊNCIA À SAÚDE: Percepção de Profissionais de Enfermagem em Kuito - Angola
  • Orientador : MARIA ELIETE BATISTA MOURA
  • Data: 15/02/2024
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: As Infecções Relacionadas à Assistência à Saúde - IRAS aumentam a morbimortalidade e os custos, especialmente em países subdesenvolvidos como Angola. A equipe de enfermagem desempenha papel vital na prevenção e controle das infecções em serviços de saúde, requerendo ações urgentes para enfrentar esse desafio. Objetivo: caracterizar os participantes do estudo quanto aos aspectos sociodemográficos; descrever a percepção dos profissionais de Enfermagem sobre as de Infecções Relacionadas à Assistência à Saúde; compreender como a percepção dos profissionais de Enfermagem influenciam na prevenção e controle das Infecções Relacionadas à Assistência à Saúde. Metodologia: Estudo exploratório, de abordagem qualitativo, realizado em um dos Hospitais do Cidade do Kuito-Bié em Angola, com 20 enfermeiros e 10 técnicos de Enfermagem, de ambos os sexos. Os dados foram produzidos no mês de setembro de 2023, por meio de um roteiro de entrevista semiestruturado, processados no software IRaMuTeQ e analisados pela Classificação Hierárquica Descendente. A comunicação dos resultados do estudo obedeceu às diretrizes para relatórios de pesquisa de natureza qualitativa disponível no Consolidated criteria for reporting qualitative research (COREQ). O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética do Ministério da saúde de Angola com o n° parecer: 36/ C.E.M.S/2023. Resultados: Os resultados do estudo foram apresentados em seis classes semânticas, a saber: Classe 4 - Assistência de Enfermagem no Controle das IRAS; Classe 5 - Jornada de Trabalho dos profissionais de Enfermagem; Classe 1 - Medidas de Precaução Padrão para o Controle das IRAS; Classe 2 - Condições de trabalho e escassez de materiais; Classe 3 - Pouco conhecimento dos profissionais relacionado às IRAS; Classe 6- Falta de uma Política de Prevenção e Controle das Infecções Relacionadas à Assistência à Saúde. Conforme o Dendograma, a relação entre as Classes revelou que os profissionais de Enfermagem de Kuito – Angola percebem as IRAS associadas a qualidade da assistência de Enfermagem prestada com a adoção das precauções padrão e medidas de prevenção de infecção, dependente das condições e jornada de trabalho oferecidas. O pouco conhecimento dos profissionais de Enfermagem para a prevenção e controle de infecções em serviços de saúde pode estar relacionado com a escassez de conteúdos, relacionados ao tema, na formação desses profissionais e a falta de uma política pública nacional para a prevenção e controle de infecções. Conclusão: Os profissionais de Enfermagem percebem as IRAS como um parâmetro para a assistência de Enfermagem de qualidade e apontam a necessidade da instalação de uma política pública Nacional em Angola, para a vigilância epidemiológica de infecção nos serviços de saúde, com a observação sistemática e contínua de sua ocorrência e de sua distribuição entre pacientes e dos eventos e condições que afetam o risco de sua ocorrência, com vistas à execução oportuna das ações de prevenção e controle.

  • MARIA KAROLAYNE DE ARAÚJO PEREIRA
  • TECNOLOGIAS EDUCACIONAIS PARA PROFISSIONAIS DA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE SOBRE PRESCRIÇÃO DE ANTIMICROBIANOS: REVISÃO SISTEMÁTICA
  • Orientador : ANDREIA RODRIGUES MOURA DA COSTA VALLE
  • Data: 15/02/2024
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A resistência antimicrobiana é considerada um problema global de saúde pública que afeta a utilização dos antibióticos, além de ser responsável por consequências na segurança do paciente em todo o mundo. Esse problema vem ganhando grande destaque no âmbito da Atenção Primária à Saúde, uma vez que há um reconhecimento frente ao maior número de prescrição de antibióticos e o seu uso com base em conhecimentos empíricos da população. Diante disso é necessário a expansão do conhecimento em saúde, principalmente quando promovido por meios atrativos e de fácil acesso como as tecnologias educacionais. Objetivo: Analisar a efetividade das tecnologias educacionais na prescrição de antimicrobianos por profissionais da Atenção Primária à Saúde. Método: Trata-se de uma Revisão Sistemática da Literatura de estudos do tipo Ensaio Clínico Controlado Randomizado submetida a publicação do protocolo na plataforma International Prospective Register of Systematic Reviews (PROSPERO) da York University, com número de registro CRD42024504630. Para guiar a elaboração da pergunta de pesquisa foi utilizado o acrônimo PICOS, e delineado o problema de pesquisa: Qual a efetividade de tecnologias educacionais em comparação com nenhuma intervenção ou com intervenções baseadas em metodologias de ensino tradicionais utilizadas por profissionais na Atenção Primária à Saúde no uso de antimicrobianos? Adotou-se como critérios de inclusão: Profissionais de saúde, ensaio clínico com grupo intervenção com uso de tecnologias educacionais e grupo controle com prevenção padrão de saúde. Não serão adotadas restrições quanto ao idioma e ano de publicação. A pesquisa teve início em outubro de 2023. A coleta de dados aconteceu nas bases de dados: PubMed/MEDLINE, CINAHL (Cummulative Index to Nursing and Allied Health Literature), Embase, LILACS (Literatura Latino-americana e do Caribe em Ciências da Saúde), Biblioteca Virtual em Saúde (BVS), SCOPUS, Cochrane Library (The Cochrane Central Register of Controlled Trials - CENTRAL), Web of Science e ERIC (Educational Resources Information Center), Google Scholar, Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações (BDTD), Catálogo de Teses & Dissertações – Capes e Open Grey e ProQuest Dissertations and Theses (PQDT). Os dados dos estudos foram extraídos em ficha padronizada e a avaliação do risco de viés foi realizada pelo instrumento RoB 2. Resultados: Foram identificados 763 estudos, desses sete artigos foram selecionados para extração de dados e síntese qualitativa. Obteve-se um valor de κ=0,823 para o coeficiente Kappa na análise de concordância entre os avaliadores. As tecnologias educacionais encontradas estiveram relacionadas a livretos, seminários interativos, workshop, programas de treinamentos, cursos online e programas multifacetados. 85.7% dos estudos apresentaram um alto risco de viés, principalmente quando se referiu a “desvios das intervenções pretendidas”. Conclusão: Ao fornecer acesso rápido a informações atualizadas, promover a compreensão de conceitos complexos e facilitar a colaboração entre profissionais, as tecnologias educacionais se destacam como aliadas valiosas na busca pela redução do uso inadequado de antimicrobianos, com destaque para a prescrição adequada e na prevenção da resistência antimicrobiana. 

  • KAUAN GUSTAVO DE CARVALHO
  • EFEITO DE INTERVENÇÃO EDUCATIVA EM AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM SOBRE PÉ DIABÉTICO NO CONHECIMENTO DE ENFERMEIROS DA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE
  • Orientador : LIDYA TOLSTENKO NOGUEIRA
  • Data: 07/02/2024
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O diabetes mellitus é uma disfunção metabólica crônica de origem múltipla, que acarreta diversas alterações no metabolismo da glicose. Devido sua cronicidade, o descontrole do perfil glicêmico torna suscetível ao aparecimento de diversas complicações, como o desenvolvimento do pé diabético. Diante de inconsistências na educação continuada, faz-se necessário a intervenção educativa para a capacitação adequada dos enfermeiros, visto que o conhecimento insuficiente desses profissionais pode afetar a qualidade da assistência e ocasionar lacunas na prestação dos cuidados. Objetivo: Avaliar o efeito de intervenção educativa em Ambiente Virtual de Aprendizagem sobre pé diabético no conhecimento de enfermeiros da Atenção Primária à Saúde. Método: Trata-se de um estudo quase-experimental, de grupo único, do tipo antes e depois, realizado com 114 enfermeiros da Atenção Primária à Saúde de Teresina, Piauí entre agosto a dezembro de 2023. A amostra foi não probabilística por cotas. Os dados foram coletados a partir do questionário sociodemográfico e profissional e Questionário de Investigação do Conhecimento de Enfermeiros sobre Pé Diabético (QICEPeD). A intervenção educativa foi realizada a partir do Ambiente Virtual de Aprendizagem pe.diabetico.net, o qual foi estruturado em aulas teóricas e práticas e abordou a prevenção e o tratamento do pé diabético. Os dados coletados foram tabulados no Microsoft Excel 2016 e analisados no Statistical Package for Social Science (SPSS) versão 22. Foi aplicada estatística descritiva, medida de posição média, frequência absoluta e percentual. Para análise inferencial foi aplicado o teste de McNemar e o tamanho do efeito calculado pela estimativa d de Cohen. O nível de significância adotado foi de 5%, com intervalos de confiança de 95%. A pesquisa recebeu aprovação do Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Piauí sob parecer de número 5.179.989. Resultados: Houve um aumento de 31,9% no conhecimento depois da intervenção educativa, média geral de acertos depois da intervenção foi de 98,8 (87,2%), com efeito grande (d = 1.820) para intervenção educativa. Depois da intervenção o número de acertos aumentou em todas as questões do QICEPeD, com acréscimo significativo de 29,8% para aos sinais de sintomas da neuropatia anatômica; 17,1% para neuropatia motora; locais de aplicação do teste com monofilamento 10 g para 39,3% (Hálux); 43,9% (primeiro metatarso); 43,8% (terceiro metatarso) e 48,6 (quinto metatarso), 67,4% do número recomendado de aplicações dos testes, 40,4% para periodicidade de avaliação dos pés de acordo com a classificação de risco, 21,9% para diminuição da sensibilidade nos pés, 11,4% em relação a ulcera nos pés; 12,2% para amputação; 8,7% para desconhecimento sobre medidas de autocuidado aumentou, 9,7% para uso de calçados inadequados; 19,3% para falta de capacitação/treinamento e 24,6% para falta de instrumentos em relação ao pré-teste. Conclusão: A intervenção educativa em Ambiente Virtual de Aprendizagem, antes e depois, aumentou o conhecimento teórico-prático dos enfermeiros da Atenção Primária à Saúde acerca da assistência às pessoas com diabetes mellitus, evidenciada pelo aumento significativo da média de acertos, especialmente nas questões relacionadas à avaliação clínica do pé em risco. 

  • JÉSSICA MYKAELLA FERREIRA FEITOSA
  • ANÁLISE ESPACIAL E EPIDEMIOLOGICA DOS CASOS DA COVID-19 DE UM HOSPITAL DE ENSINO EM TERESINA
  • Orientador : MARIA ZELIA DE ARAUJO MADEIRA
  • Data: 31/01/2024
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: A pandemia causada pelo SARS-CoV-2 revelou a importância da saúde global. Visto a morbidade e mortalidade causada pela COVID-19, se torna importante o conhecimento da dimensão dessa infecção, para conhecer o perfil de saúde e as áreas de risco em que a população se encontra, para auxiliar na formulação de medidas de saúde pública e asseguração de gestão apropriada. OBJETIVO: Este trabalho destina-se a analisar o perfil epidemiológico e a distribuição espacial dos casos de COVID-19 em um hospital de ensino, e especificamente, traçar o perfil sociodemográfico e epidemiológico dos casos, identificar os principais fatores associados aos óbitos por COVID-19, elaborar um mapa de distribuição espacial dos casos e mapear a ocorrência desses casos. MÉTODO: Para tal, realizou-se uma pesquisa epidemiológica, utilizando-se o estudo retrospectivo no Hospital de Ensino do município de Teresina – PI. Realizou-se um levantamento de dados no período de março de 2020 a agosto de 2022, a amostragem foi do tipo censitária onde incluiu-se para análise 620 casos de pacientes infectados por coronavírus. Os dados foram submetidos a processo de digitação, utilizando-se planilhas do aplicativo Microsoft Excel, sendo posteriormente exportados e analisados no software R, versão 4.2.2, dentre os testes estatísticos utilizados na pesquisa têm-se: o teste de Shapiro-Wilk, o teste de Bartlett, o teste qui-quadrado para tendência, o teste qui-quadrado de Pearson e o teste de Mann-Whitney. A caracterização da amostra em relação aos fatores sociodemográficos, clínicos, resultados dos testes da COVID-19 e comorbidades foram descritas por meio de frequências absolutas e percentuais e apresentados por meio de tabelas de frequências e a para mapear a distribuição espacial dos casos foi construído um mapa de Kernel (mapa de calor). RESULTADOS: Os resultados da análise sociodemográfica apontaram maior prevalência de indivíduos do sexo masculino, com idade entre 60 a 69 anos, com baixa escolaridade e a maioria se autodeclarando pardos. Na análise das variáveis de saúde, houve primazia de indivíduos internados em UTI, notificados como Síndrome Respiratória Aguda Grave, em uso de ventilação mecânica e com tempo de internação de até 10 dias, tendo a maioria alta hospitalar e outra grande parte, óbito pela doença. No que diz respeito às comorbidades, houve maior prevalência da hipertensão arterial seguida do diabetes mellitus e da obesidade. Quanto à distribuição espacial houve predomínio na zona Sul do município, sendo também distribuídos entre as zonas Norte, Central e Sudeste. CONCLUSÃO: Assim, esse estudo trouxe valiosa contribuição ao meio acadêmico e assistencial, trazendo a importância do desenvolvimento clínico-epidemiológico dos perfis de saúde, isto permite a compreensão da evolução da doença, e consequentemente, ao direcionamento de decisões clínicas. Com isso, espera-se que este estudo contribua para o planejamento da distribuição de recursos de saúde, levando em conta as áreas de maior vulnerabilidade.

  • THAIS ALEXANDRE DE OLIVEIRA
  • ESTRATÉGIAS DE ENFRENTAMENTO DA PANDEMIA DA COVID-19 NO ESTADO DO PIAUÍ
  • Orientador : MARIA ELIETE BATISTA MOURA
  • Data: 29/01/2024
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O advento da pandemia por COVID-19 trouxe à população mundial um misto de sentimentos quanto às relações sociais e de trabalho e essas emoções foram concomitantes às medidas novas, rápidas, oscilantes em complexidade e constantemente mutáveis de ações em saúde, viabilizando estratégias de planejamento assistencial e gestor de emergência, com o máximo de qualidade e no tempo mais hábil possível para atender às necessidades imediatas da população. Objetivo: analisar a influência das estratégias de enfrentamento da pandemia da COVID-19 na Rede Pública de Saúde do Estado do Piauí, no desfecho dos casos e óbitos, descrevendo o perfil piauiense dos casos e óbitos de COVID-19; sistematizando os atos normativos adotados como estratégias de enfrentamento do Estado do Piauí no combate à COVID-19; delineando sobre o plano de contingência de enfrentamento do Piauí à pandemia de COVID-19; e correlacionando as estratégias de enfrentamento da pandemia da COVID-19, no Estado do Piauí com os casos e óbitos na rede de saúde do Estado. Metodologia: Trata-se de um estudo descritivo, documental, ecológico e de abordagem quanti- qualitativa, sob análise de atos normativos, bem como dados dos casos e óbitos nos sistemas de informação gerados pela Secretaria de Estado da Saúde do Piauí (SESAPI) e DATASUS nos anos de 2020 a março de 2022 no tocante as estratégias de enfrentamento e situação de saúde na pandemia COVID-19 no Piauí. Os dados foram processados pelos softwares SPSS® e IRAMUTEC® e analisados por tabulação e representação em tabelas e gráficos, quantitativamente, por meio do software Excel®, correlação de Spearman e regressão linear e qualitativamente, pelo método de Classificação Hierárquica Descendente (CHD). Resultados: Os resultados revelaram picos dos casos no primeiro semestre de cada ano, com faixa etária de 20 a 39anos; 56,2% em pardos; 57,6% em mulheres; 84,9% por critério laboratorial; mortalidade com diminuição ao após o pico em 2021, sendo 95,6% ocorridas nos hospitais; 55,2% do sexo masculino, idosos, 60,9% de cor parda; 42,1% casados e com baixa escolaridade. Dos 92 atos normativos, 93,5% foram decretos, com maioria em 2020, no primeiro semestre; a CHD resultou em 3 classes, sendo o segmento 1 representado pelas medidas sociossanitárias de enfrentamento à COVID-19 no Estado do Piauí, subdividida nas classes 1, protocolos técnicos operacionais de prevenção e combate à COVID-19 no Piauí (46,16%) e 2, Bases Estratégicas do Piauí de distanciamento social contra a COVID-19 (21,64%); e o segmento 2, representado pelas deliberações sócio- econômicas no enfrentamento da COVID-19 no Estado do Piauí, na qual contém a classe 3, gerenciamento dos serviços e atividades econômicas piauienses no combate à COVID-19 (32,2% de significância). Conclusão: As ações determinadas nas leis, decretos, normas instrucionais e plano de contingência foram tomadas como certas para a situação de emergência que o mundo se encontrava e implementadas para início da pandemia, sendo as demais ações liberadas ou bloqueadas mediante o comportamento da curva epidemiológica quanto ao número de casos e óbitos. Logo, as estratégias influenciaram à princípio no desfecho dos casos, mas ao longo do tempo foram influenciadas pelo perfil epidemiológico.

2023
Descrição
  • RUTH SUELLE BARROS FONSECA
  • CONSTRUÇÃO E VALIDAÇÃO DE PROTOCOLO DE AÇÕES EDUCATIVAS PARA PROMOÇÃO DA SAÚDE DO CUIDADOR INFORMAL DE PESSOAS IDOSAS DEPENDENTES
  • Orientador : MARIA DO LIVRAMENTO FORTES FIGUEIREDO
  • Data: 20/12/2023
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O cuidado informal constituiu uma realidade expressiva no Brasil, sendo caracterizado pelo envolvimento de membros familiares que ao assumirem a responsabilidades do cuidar, tornam-se vulneráveis para ansiedade, pressão, estresse e sobrecarga. Diante desses impactos, torna-se fundamental o desenvolvimento e a implementação de estratégias educacionais voltadas para adaptação ao papel e para promoção da sua condição de saúde, do autocuidado e da qualidade de vida. Objetivo: Construir e validar um protocolo sobre ações educativas para a promoção da saúde de cuidadores informais de pessoas idosas dependentes na perspectiva do Modelo Promocional da Saúde de Nola Pender. Método: Estudo multimétodos, desenvolvido em duas etapas: 1 - Revisão integrativa com busca e seleção nas bases MEDLINE, CINAHL, Web of Science, SCOPUS, LILACS e BDENF. A amostra foi constituída por 10 estudos primários que analisaram as estratégias educacionais para promoção da saúde do cuidador informal de idosos dependentes; 2 - Estudo metodológico delineado em por três polos de análise: teórico, empírico e analítico. Na avaliação do conteúdo e aparência, participaram 07 profissionais da saúde, selecionados por conveniência. Utilizou-se um formulário eletrônico para coleta de dados e a escala Likert para fins de consenso. A análise foi estruturada no Índice de Validade de Conteúdo. O parecer favorável foi emitido pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Piauí. Resultados: O estudo de revisão evidenciou que as iniciativas para promoção da saúde do cuidador informal envolvem a terapia cognitivo-comportamental, de aceitação e de compromisso, assim como a ativação comportamental, técnicas baseadas em mindfulness, abordagem multidisciplinar e psicoeducação. A valorização da crença, a promoção da atividade física e o fortalecimento de grupos de suporte e apoio social também apresentaram reflexos positivos no enfrentamento de eventos estressores relacionados às demandas do cuidar. Esses resultados subsidiaram a construção e validação do protocolo educacional, que em sua versão final apresentou evidências de validade do conteúdo (0,93) e na aparência (0,85), demonstrando precisão, clareza e adequação para mensuração dos objetivos propostos. Conclusão: O cuidado informal ao idoso dependente foi descrito como condição geradora de morbidade e o desenvolvimento e a avaliação de intervenções educacionais representaram mecanismos válidos e eficazes para o enfrentamento dos eventos estressores relacionados às demandas do cuidar. Foi desenvolvida um recurso educacional com evidências de validade, precisão e sensibilidade favorável a promoção da saúde do cuidador informal do idoso dependente. Novos estudos são fundamentais avaliar seus efeitos na população-alvo.

  • MAYLA ROSA GUIMARÃES
  • DEPRESSÃO, ANSIEDADE E ESTRESSE ENTRE PROFISSIONAIS DA SAÚDE PÓS PANDEMIA DE COVI D 19: PREVALÊNCIA E FATORES ASSOCIADOS
  • Orientador : MARCIA ASTRES FERNANDES
  • Data: 20/12/2023
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A COVID-19, causada pelo vírus Sars-CoV-2, é uma doença nova que se instalou em todo o mundo, de forma devastadora e tornou-se um desafio para todo o sistema mundial de saúde, especialmente para os profissionais de saúde, gerando preocupação com a saúde mental. Além disso, os desafios enfrentados pelos profissionais da saúde, da linha de frente, podem ser um gatilho para o desencadeamento ou a intensificação de sintomas de ansiedade, depressão e estresse. Objetivo: Analisar a prevalência de ansiedade, depressão e estresse e sua relação com fatores associados entre profissionais da saúde pós-pandemia COVID-19. Método: Trata-se de um estudo exploratório-descritivo, transversal, de abordagem quantitativa, realizado em um hospital público de referência para o gerenciamento de casos moderados e graves de COVID-19 em Teresina-PI, com 201 profissionais da saúde, dentre médicos, enfermeiros, fisioterapeutas e técnicos de enfermagem, de ambos os sexos, com carga horária semanal de trabalho igual ou superior a 24 horas e que prestaram atendimento de no mínimo três meses às pessoas infectadas, seja em modalidade hospitalar ou intensiva. A coleta de dados foi realizada no período de julho a setembro de 2023, por meio de um formulário contendo dados sociodemográfico, ocupacionais e clínicos, além da utilização da Escala de Depressão, Ansiedade e Estresse (DASS 21). Para a elaboração do banco de dados, empregou-se o software Microsoft Office Excel e adotou-se a técnica de validação por meio da digitação em planilha com dupla entrada. Subsequentemente, as informações foram transferidas para o programa Statistical Package for the Social Sciences (SPSS), versão 26.0. A análise descritiva contemplou medidas de posição, como média e mediana, e medidas de variabilidade, como desvio padrão, amplitude, máximo e mínimo, para as variáveis quantitativas. Já para as variáveis categóricas, foram utilizadas a frequência absoluta e relativa. Para a análise inferencial, foi conduzido o teste de Kolmogorov-Smirnov para verificar a normalidade da amostra. A associação entre variáveis qualitativas foi avaliada por meio do teste Qui-Quadrado (X²) de Pearson. Para as variáveis quantitativas não paramétricas, foi empregado o teste de comparação U de Mann-Whitney. Posteriormente, utilizando o teste de WALD, realizou-se uma regressão logística binária. As variáveis foram inseridas no modelo por meio do método enter, sendo considerada significativa a inclusão das variáveis independentes com um critério de p<0,05. Os Odds Ratio (OR) foram calculados com intervalos de confiança de 95%. A pesquisa foi aprovada, conforme atestado pelo Parecer 5.637.826 do Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Piauí (CEP/UFPI). Resultados: Após análise dos dados, os resultados foram divididos em três manuscritos. O primeiro: “Saúde mental pós-COVID-19 de profissionais da saúde em hospital universitário”, evidenciou que dos participantes da pesquisa, 56,3% apresentaram sinais de depressão, 76,6% de ansiedade e 42,7% de estresse, variando entre leve e extremamente severo. Além disso, observou-se que as variáveis “raça”, “Em qual setor você trabalha(ou)?” e “Como você considera sua carga de trabalho no setor COVID-19?” foram fatores de proteção para o estresse. O segundo: “Autopercepção de saúde de profissionais da saúde pós-COVID-19 e fatores associados” mostrou que as variáveis associadas a autopercepção de saúde foram religião (p=0,023), setor que trabalhou durante a pandemia (p=0,014) e contrato de trabalho (p=0,050). Além disso, o estudo revelou que ser da religião católica foi um fator protetor para melhor autopercepção de saúde (p=0,004; OR[IC95%]=0,174[0,053-0,572]); e trabalhar no setor enfermaria COVID-19 durante a pandemia aumentou em 2,961 para autopercepção de saúde regular (p=0,004; OR[IC95%]=2,961[1,402-6,255]). O terceiro: “Suporte social e percepção de saúde autorreferidos por profissionais da saúde no período pós-COVID-19: estudo analítico”, revelou que ter um relacionamento bom com o chefe/supervisor foi associado a uma melhor autopercepção de saúde (OR=0.122, IC95%=[0.101-0.455], p=0.018) e ter um relacionamento muito bom apresentou ainda maior associação (OR=0.267, IC95%=[0.117-0.610], p=0.002). Conclusão: É inegável dizer que a presença da COVID-19 exacerbou desafios já presentes no ambiente profissional dos profissionais de saúde. Aspectos físicos, emocionais e estruturais, em conjunto com as mudanças na saúde devido à COVID-19, contribuíram para a deterioração da saúde mental desses profissionais, especialmente problemas relacionados a ansiedade, seguindo da depressão, bem como de fatores associados.

  • MARIANA DE FATIMA BARBOSA DE ALENCAR
  • ADAPTAÇÃO TRANSCULTURAL E EVIDÊNCIAS DE VALIDADE DE CONTEÚDO DO “NCDR CATHPCI RISK SCORE” NO BRASIL
  • Orientador : ODINÉA MARIA AMORIM BATISTA
  • Data: 20/12/2023
  • Mostrar Resumo
  • Introdução : No Brasil, o Infarto Agudo do Miocárdio é a principal causa de morte entre as doenças cardíacas. Nesta perspectiva, a aplicação de instrumentos validados para a predição de risco serve para orientar e facilitar o diagnóstico de IAM em serviços de urgências cardiológicas. O NCDR CathpPCI Risk Score apresenta um modelo unificado de estimativa de risco, atual e de possível aplicação a beira leito do paciente para todos os casos de Intervenção coronária percutânea. Objetivo: Realizar tradução com adaptação transcultural e validação do conteúdo para o Brasil do NCDR CathPCI Risk Scor).Método: Trata-se de uma pesquisa metodológica com abordagem quantitativa que visa traduzir, adaptar para o português brasileiro e validar o conteúdo do Escore de Risco de Mortalidade no pré-operatório de pacientes submetidos a intervenção coronária percutânea (NCDR CathPCI Risk Score).As etapas para adaptação transcultural: tradução do instrumento, síntese das versões, retro-tradução, revisão da síntese por experts, pré-teste e versão final. Após a adaptação transcultural o instrumento foi submetido a validação do conteúdo com um comitê de especialistas. aprovado pelo CEP/ UFPI (Parecer 5.890.981). Resultados: Produziu-se uma versão final culturalmente adequada ao contexto brasileiro para que possa ser validada e utilizada no Brasil. Na tradução inicial o instrumento “NCDR Cath PCI Risck Score” foi traduzido da língua inglesa para a língua portuguesa falada no Brasil; os tradutores elaboraram consensualmente uma versão de síntese das traduções (T12) em língua portuguesa. A T12 foi enviada para retrotradução para dois outros tradutores, um americano e outro inglês. O pré-teste foi conduzido com um grupo de 30 especialistas. Desses, seis (6) eram médicos e vinte e quatro (24) enfermeiros, dos estados: Piauí, Maranhão, Ceará, Rio de Janeiro, São Paulo, Pernambuco, Brasília, Goiás e Paraná. A partir das sugestões realizadas pela população alvo, realizou-se modificação nos itens 8; 9; 9,1; 10 e 10.1.Com a conclusão do Pré-teste chegou-se a uma versão final adaptada do escore e deu seguimento com validação de conteúdo. Todos os critérios dos escores de Índice de Validade de Conteúdo (IVC) tiveram média acima de 0,90. Conclusão: A partir de todo o processo de etapas, conclui-se que pode-se considerar o escore adaptado e adequado ao contexto nacional. Manteve as equivalências semânticas, idiomáticas, conceituais e experienciais em relação a versão original. A versão brasileira apresentou valores satisfatórios de indice de validade de conteúdo.

  • ELIANA SOLEDAD EULACIO AULET
  • ANÁLISE BIBLIOMÉTRICA GLOBAL DE PESQUISAS SOBRE Ascaris lumbricoides E A SUA RELAÇÃO COM AS PRÁTICAS DE ENFERMAGEM ASSOCIADAS À EDUCAÇÃO EM SAÚDE
  • Orientador : DANIELA REIS JOAQUIM DE FREITAS
  • Data: 15/12/2023
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Aproximadamente 1,5 bilhão de pessoas estão infectadas com helmintos transmitidos pelo solo em todo o mundo. Essas infecções costumam afetar as comunidades mais pobres, sendo prevalentes em crianças debilitadas tanto nutricionalmente, como fisicamente. Dessa maneira, estima-se que 820 milhões de pessoas estejam infectadas com Ascaris lumbricoides, e as infecções por ascaridíases seja superior a 1,33 milhão. A infecção pelo referido patógeno é preocupante, uma vez que pode levar à morbidade por prejudicar o consumo de nutrientes, assim como a digestão e a absorção em função da obstrução intestinal. Saber o que tem se pesquisado a respeito do tema é importante para pensar em passos futuros sobre controle e prevenção do helminto e sua patologia. Objetivo: avaliar a participação internacional na pesquisa sobre A. lumbricoides visando dar evidência a temática e associar estes resultados às práticas de enfermagem relacionadas à educação em saúde, a fim de ajudar a identificar aspectos importantes da doença causada por este patógeno e para traçar intervenções educativas nas comunidades, bem como obter subsídio para a realização de pesquisas futuras. Método: Trata-se de um estudo descritivo, bibliométrico com abordagem quantitativa, realizado em cinco passos, sendo estes: designer da pesquisa, compilação de dados bibliométricos, análise dos dados, visualização dos dados e interpretação dos resultados. Para recuperação de dados foi realizada a busca de artigos científicos no banco de dados Web of Science ™ (WoS) no dia 05 de novembro de 2023. Utilizou-se como termo de busca “Ascaris lumbricoides”. A busca resultou primeiramente em 1 034 documentos e após a filtragem das pesquisas primárias restaram 740 artigos, os quais tiveram todas as informações disponíveis baixadas no formato de arquivo de texto para análise com o Software RStudio Desktop, vinculado ao Software R (v.4.2.1). Para análise utilizou-se pacote Bibliometrix R e sua interface web gráfica complementar ao pacote, o Biblioshiny, assim como, o Software VOSviewer. Resultados e Discussão: Foram analisados 740 artigos a respeito de Ascaris lumbricoides, publicados entre 1945 e 2023, em 324 revistas científicas; Parasitology, Transactions of the Royal Society of Tropical Medicine and Hygiene e Experimental Parasitology foram os periódicos que ocuparam as primeiras colocações de publicação a respeito do tema, e o Journal of Cell Biology teve o artigo mais citado até hoje. Observou-se que os anos que mais produziram foram 2010 e 2011, ambos com 17 artigos, com o pico de citações sendo de 510 por ano, ocorrendo em 2013. Os Estados Unidos estão no topo do ranking de produção de artigos, sendo também o país que mais realizou colaborações, e o Brasil está em segunda colocação; isto provavelmente se deve ao fato de ser um dos países mais afetados pelo parasito. Chama a atenção o número de publicações com o tema A. lumbricoides – apenas 740 artigos em 78 anos – um número bastante reduzido se comparado com outros temas de pesquisa. Os artigos em sua maioria trabalham a epidemiologia de Ascaris e a doença que causa, e principalmente em crianças, palavra que aparece como palavra-chave e palavra-chave mais. Conclusão: Por meio dessa análise bibliométrica foi possível identificar as tendências globais de pesquisa sobre A. lumbricoides, e foi demonstrado que existe pouca pesquisa sobre o tema, embora seja um dos parasitos mais prevalentes em populações vulneráveis do ponto de vista socioeconômico, e em crianças. A longo prazo, os dados obtidos podem subsidiar a realização de novas pesquisas e a elaboração de estratégias que visem tanto prevenção, como o controle e manejo de casos de infecções pelo parasito, de maneira contínua, através da educação em saúde; para este quesito, os profissionais de enfermagem são fundamentais, pois são os principais agentes dispersores do conhecimento para evitar doenças como a ascaridíase na população de baixa renda. Através de ações educativas, enfermeiros podem fornecer subsídios à população para ampliar seu conhecimento acerca da doença e mudar hábitos de higiene e comportamentos, aderindo às medidas preventivas, promoção da saúde e redução de agravos em relação à ascaridíase.

  • AMANDA ALVES DE ALENCAR RIBEIRO
  • MOTIVAÇÕES POTENCIAIS PARA A EVASÃO UNIVERSITÁRIA E A RELAÇÃO COM SINTOMAS DE DEPRESSÃO, ANSIEDADE E ESTRESSE ENTRE GRADUANDOS DE ENFERMAGEM
  • Orientador : MARCIA ASTRES FERNANDES
  • Data: 14/12/2023
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Dificuldades no processo de adaptação à dinâmica do ensino superior podem impactar de forma negativa na saúde mental, no bem-estar, no desenvolvimento psicossocial e/ou na formação profissional dos universitários durante a graduação. Em decorrência, esses alunos podem apresentar quedas acentuadas nos padrões de envolvimento acadêmico e potencialmente, desistirem de permanecer no curso superior. Objetivo: Analisar as motivações potenciais para a evasão universitária e a relação com os sintomas de depressão, ansiedade e estresse entre graduandos em Enfermagem. Método: Estudo transversal, de abordagem quantitativa, realizado com graduandos em Enfermagem de uma universidade pública do nordeste brasileiro. Os dados foram coletados por meio dos instrumentos: Questionário Sociodemográfico, Escala de Motivos para Evasão no Ensino Superior e Escala de Depressão, Ansiedade e Estresse. Foram incluídos alunos do 1º ao 9º período, com matrícula ativa no curso de graduação em enfermagem. Excluiu-se os alunos com matrícula ativa, mas em situação de trancamento/afastamento. Resultados: Participaram do estudo 179 estudantes. Dos sete domínios motivacionais analisados, cinco apresentaram dominância do eixo ‘muito forte’ e foram considerados motivos potenciais relevantes para a intenção de abandonar o curso superior: Vocacionais (72,1%), Falta de suporte (69,8%), Institucionais (69,3%), Carreira (59,8%) e Desempenho acadêmico (38,5%). A análise das relações entre os escores das Escalas DASS-21 e M-ES mostrou correlações significativamente positivas entre os eixos avaliados, com variação de intensidade (fraca e moderada). Para a variável ‘Depressão’, os fatores ‘Interpessoais’ (rs=0,335; p<0,001), ‘Vocacionais’ (rs=0,326; p<0,001) e ‘Institucionais’ (rs=0,300; p<0,001) apresentaram correlação positiva moderada. Para a ‘Ansiedade’, houve correlação positivamente fraca com seis dos sete domínios motivacionais. Para o ‘Estresse’, todos os coeficientes indicaram o padrão de correlações positivas fracas. Discussão: Os desfechos encontrados neste estudo revelam que, embora em intensidade oscilante (fraca e moderada), os motivos para a evasão universitária e os sintomas de ansiedade, depressão e estresse se correlacionam significativamente. Dos sete domínios de motivos analisados, seis apresentaram MFR nulos. Esse resultado sugere que todos as motivações, em caráter multidimensional, têm alguma força de impacto na intenção do estudante em abandonar o curso de graduação. Conclusão: Demonstra-se que os motivos, contextos e fatores preditivos devem ser analisados de forma complementar para o entendimento abrangente do complexo fenômeno da evasão universitária.

  • NANIELLE SILVA BARBOSA
  • WORKAHOLISM, SINTOMAS ANSIOSOS, DEPRESSIVOS, ESTRESSE E QUALIDADE DE VIDA EM ENFERMEIROS DA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA
  • Orientador : MARCIA ASTRES FERNANDES
  • Data: 13/12/2023
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: o workaholism faz referência a um padrão crônico de alto investimento no trabalho, sendo atribuído às jornadas de longas horas e como uma obsessão incontrolável. Enfermeiros estão expostos a situações que podem levar a esses comportamentos disfuncionais no trabalho, ampliando os riscos ao bem-estar físico e mental, bem como quedas representativas na satisfação com a Qualidade de Vida. Objetivo: analisar a correlação entre workaholism, sintomas ansiosos, depressivos, estresse e Qualidade de Vida em enfermeiros da Estratégia Saúde da Família. Método: estudo transversal com 142 enfermeiros da Estratégia Saúde da Família de Teresina, entre novembro de 2022 e abril de 2023, por meio de instrumento autoaplicável composto por questões relacionadas ao perfil sociodemográfico, ocupacional e clínico, a Dutch Work Addiction Scale, a Depression, Anxiety and Stress Scale - Short Form e a versão abreviada do Instrumento de Avaliação de Qualidade de Vida da Organização Mundial de Saúde. Os dados coletados foram analisados no Statistical Package for Social Science versão 26. Foi aplicada estatística descritiva exploratória, medida de posição média, intervalo de confiança, medida de dispersão, frequência absoluta e relativa. Para análise inferencial foi aplicado o teste X² (qui-quadrado) com correção de Yates, teste de normalidade Kolmogorov-Smirnov e Teste U de Mann-Whitney. O teste de correlação de Sperman foi utilizado para analisar a relação entre os escores. Para as variáveis que apresentaram significância, aplicou-se o modelo de regressão logística para calcular a razão de chance. O nível de significância adotado foi de 5%, com intervalos de confiança de 95%. A pesquisa recebeu aprovação do Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Piauí sob parecer de número 5.637.815. Resultados: o aumento do escore de Trabalho Excessivo aumentou em 25,2% sintomas de depressão, 27,7% sintomas de ansiedade e 42,5% sintomas de estresse; o aumento do escore de Trabalho Compulsivo aumentou em 33% sintomas de depressão, 32,2% sintomas de ansiedade e 42,9% sintomas de estresse; o aumento do escore de Vício em Trabalho aumentou em 31% sintomas de depressão, 32,1% sintomas de ansiedade e 45,7% sintomas de estresse. O aumento do escore de Trabalho Excessivo diminuiu em 27,5% os escores do domínio físico, em 37% os escores do domínio psicológico, em 34,5% os escores do domínio relações sociais, em 26,7% os escores do domínio meio ambiente e em 35,8% o escore global; o Trabalho Compulsivo diminuiu em 16,5% os escores do domínio físico, em 36,7% os escores do domínio psicológico, em 42,7% os escores do domínio relações sociais, em 24,8% os escores do domínio meio ambiente e em 34,6% o escore global; o Vício em Trabalho diminuiu em 24,6% os escores do domínio físico, em 39,3% os escores do domínio psicológico, em 40,5% os escores do domínio relações sociais, em 27,7% os escores do domínio meio ambiente e em 37,7% o escore global. Conclusão: foi evidenciado que o aumento dos escores de Trabalho Excessivo, Trabalho Compulsivo e Vício em Trabalho aumentou os escores dos sintomas de depressão, ansiedade e estresse e diminuiu os escores dos domínios da Qualidade de Vida.

  • VERBENIA CIPRIANO FEITOSA SILVA
  • ADESÃO AO TRATAMENTO DA SÍFILIS GESTACIONAL: ESTUDO METODOLÓGICO PARA DESENVOLVIMENTO DE VÍDEO EDUCATIVO
  • Orientador : ROSILANE DE LIMA BRITO MAGALHAES
  • Data: 12/12/2023
  • Mostrar Resumo
  • A sífilis é uma infecção sexualmente transmissível que atinge homens e mulheres, e quando ocorre na gestação pode ser transmitida da mãe para o feto caso não seja tratada, chamada de transmissão vertical. Considerando a magnitude do problema principalmente em gestantes além da consulta de pré-natal, há necessidade da realização de intervenções que favoreçam a adesão ao tratamento da sífilis gestacional com vista a redução da transmissão vertical. Tem-se como objetivo construir e validar uma tecnologia, do tipo vídeo educativo, acerca da adesão ao tratamento da sífilis entre gestantes. Trata-se de um estudo metodológico para a construção de tecnologia e validação por juízes e população alvo. Os dados gerados pelas validações de conteúdo foram analisados por meio da estatística descritiva através do software SPSS versão 20.0 para confecção de gráficos e tabelas. Na validação de conteúdo, a análise dos dados será realizada por meio da aplicação do teste binomial, uma vez que o uso do índice de validade de conteúdo em pequenas amostras de experts pode resultar em valores tendenciosos. A análise estatística foi descritiva e exploratória a partir dos percentuais das categorias de respostas das variáveis. Durante o processo de construção e elaboração do conteúdo do roteiro e do storyboard foi baseado nos manuais do Ministério da Saúde, utilizou-se uma cena fictícia, com falas, ambiente e elementos audiovisuais comuns para o público-alvo, apoiar-se em cenas reais praticados nos serviços de saúde. O processo de validação de conteúdo e aparência foi rigorosamente respeitado, nesse estudo foi realizado em duas etapas com 22 juízes especialistas, para garantir que o conteúdo final alcance o seu objetivo final em incentivar a adesão ao tratamento adequado. Durante esse processo a frequência de IVC foi superior ou igual a 0,90, e mesmo assim, foram acatadas as poucas sugestões para melhoria do produto final. Considera-se que o estudo possibilitou identificar práticas de cuidado e necessidades dos profissionais enfermeiros para melhor conduzir o processo de planejamento e implementação durante o pré-natal no manejo preventivo da sífilis. 

  • ANDRÉA PEREIRA DA SILVA
  • QUALIDADE DE VIDA E FATORES ASSOCIADOS PÓS-COVID-19 NA POPULAÇÃO GERAL DO PIAUÍ
  • Orientador : ROSILANE DE LIMA BRITO MAGALHAES
  • Data: 11/12/2023
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A COVID-19 é uma infecção respiratória aguda causada pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2) que rapidamente se espalhou pelo mundo, desenvolveu doenças respiratórias graves com registros elevados de morbimortalidade. Uma proporção substancial de pessoas com a doença desenvolve sequelas pós-agudas que podem impactar de maneira significativa a qualidade de vida entre aqueles que tiveram a infecção. Objetivo: avaliar a qualidade de vida das pessoas que tiveram COVID-19 e os fatores relacionados. Método: Trata-se de estudo descritivo, transversal, com abordagem quantitativa, realizado no Estado do Piauí, Brasil. A população do estudo foi constituída por pessoas da população geral que tiveram diagnostico confirmado para a COVID-19 pelo menos uma vez, de ambos os sexos, com idade igual ou maior a 20 anos e inferior a 60 anos, vacinados ou não contra a COVID-19 e que fazem parte dos territórios das Regionais de Saúde Estado do Piauí. Assim, 264 participantes compuseram a amostra do presente estudo. O estudo atendeu os aspectos éticos sob número do parecer: 4.122.120. Realizou-se a coleta de dados, por meio de um instrumento elaborado pelos pesquisadores, composto por variáveis sociodemográficas, clinicas e para avaliar a qualidade de vida foi utilizado o EuroQol 5 (EQ-5D-5L). O instrumento de coleta de dados foi enviado virtualmente por meio de um link web, para acesso ao formulário online disponível no Google Forms, para preenchimento individual. Cabe ressaltar que, antes do participante acessar o formulário online propriamente dito, foi disponibilizado o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido, para leitura e aceite. Resultados: Na amostra total de 264 participantes, predominou o sexo feminino (73,9%, n=195), com escolaridade mínima de graduação ou pósgraduação (75,4%, n=199), cor parda (63,6%, n=168), professava a religião católica ou evangélica (86,4%, n=228), não possuía união estável (61,7%, n=163) e tinha situação laboral ativa (72,7%, n=192). As características preditoras relacionadas à classificação do domínio mobilidade evidenciou, associação com as seguintes obesidade (p=0,015), imunossupressão (p=0,041), doença cardíaca crônica (p<0,001), diabetes tipo 2 (p<0,001), hipertensão (p=0,003). No bloco das sequelas, houve associação estatisticamente significativa da classificação da qualidade de vida no domínio mobilidade com: dificuldade respiratória (p=0,046), lesões pulmonares (p=0,007), dor no peito (p=0,014) e ansiedade (p=0,032). Conclusão: A qualidade de vida da população e o estado geral foram afetados pela COVID-19, as sequelas pós-COVID-19 são frequentes e associam-se com os domínios mobilidade, ansiedade/depressão, dor e desconforto que também encontra-se comprometidos após a infecção pelo vírus. As sequelas e efeitos da COVID-19 longa permitem a formulação de estratégias de reabilitação para pacientes pós-COVID-19.

  • INARA VIVIANE DE OLIVEIRA SENA
  • DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE PARA PREDIÇÃO CLÍNICA DA GRAVIDADE DA COVID- 19
  • Orientador : DANIELA REIS JOAQUIM DE FREITAS
  • Data: 09/12/2023
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A infecção pelo coronavírus SARS-CoV-2 (COVID-19) pode causar complicações graves, que são eventualmente seguidas por falência de múltiplos órgãos, em que é exigida a hospitalização para tratamento e acompanhamento adequados. Portanto, o crescimento de técnicas impulsionadas por Inteligência Artificial (IA) para identificar os riscos epidemiológicos com antecedência será a chave para melhorar a previsão, prevenção e detecção de futuros riscos graves à saúde global. Objetivo: O objetivo geral do estudo é desenvolver um software assistencial para a predição da gravidade da COVID-19 em pacientes internados. Método: Trata-se de uma pesquisa metodológica embasada na aplicação da mineração de dados e aplicação de IA em bancos de dados de saúde, o estudo seguiu duas fases: a primeira para construção do algoritmo; para segunda fase, foi utilizada a metodologia do Design Instrucional Orientado a Dados. O presente estudo teve como fonte dos dados casos hospitalizados por Síndrome Respiratória Aguda Grave notificados no Sistema de Informação da Vigilância Epidemiológica da Gripe de um hospital sentinela do Piauí. Foi realizada a conversão do arquivo recebido em .dbf (data base file – arquivo de banco de dados) para um arquivo.csv (comma separeted value – valor separado por vírgula) no Microsoft Excel 2003 e posteriormente, o modelo foi manuseado na linguagem Python v. 3.9.2, utilizando a biblioteca que melhor se adequou aos dados. A pesquisa obteve aprovação do Comitê de Ética da Universidade Federal do Piauí, com parecer Nº 5.940.426 e Certificado de Apresentação para Apreciação Ética n. 64059522.4.0000.5214. Resultados e Discussão: Foram utilizados dados de 1385 notificações: desses, ~0,05% (8/1385) casos foram previamente classificados pelo padrão-ouro como “Leve”, ~8% (116/1385) foram classificados como “Moderado”, ~70% (966/1385) foram classificados como “Grave” e ~21% (295/1385) notificações foram classificadas como “Críticas”. As perguntas relacionadas a UTI, saturação de oxigênio e se o paciente tinha recebido vacina contra o COVID-19, foram as que mais influenciaram proporcionalmente para a classificação, sendo os casos críticos os mais bem avaliados pela aplicação, cujo algoritmo foi treinado com 75% da amostra e testado com 25%, com acurácia e precisão acima de 98%. Os dados obtidos neste estudo estão de acordo com outros estudos propostos na literatura, sendo que em apresenta uma performance de maior precisão, além de ser o único software de predição para COVID-19 no Brasil criado no momento. O software criado posssui uma interface web amigável, intuitivo e de fácil manuseio. Conclusão: Conclui-se que o software preditivo pode colaborar na classificação de gravidade dos pacientes e por conseguinte, auxiliar na organização de serviços de saúde em situações de crise, além de ter o potencial de fornecer subsídios acerca das relações das variáveis disponíveis nas fichas de notificações e propor intervenções de saúde pública mais eficazes. 

  • ÍTALO ARÃO PEREIRA RIBEIRO
  • QUALIDADE DO SONO E CONSUMO DE PSICOTRÓPICOS POR PROFISSIONAIS DA SAÚDE DA LINHA DE FRENTE DE CUIDADOS AOS PACIENTES COM COVID-19
  • Orientador : MARCIA ASTRES FERNANDES
  • Data: 29/11/2023
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: identificada pela primeira vez na cidade de Wuhan e reconhecida, em 11 de março de 2020, pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como pandemia, a infecção pelo Coronavírus Disease 2019 (COVID-19) foi considerado problema de alta magnitude por exigir a restruturação do atendimento em diferentes contextos e níveis de atenção. No contexto epidemiológico, as projeções apontaram que desde o início da pandemia 151.376 profissionais de saúde tiveram diagnóstico confirmado para a doença, com destaque para a equipe de enfermagem que concentrou 46,9% dos registros de notificação. Nessa perspectiva, os profissionais de saúde que atuaram na linha de frente para o enfrentamento da pandemia, além de apresentarem maiores riscos para contaminação, foram vulneráveis ao desenvolvimento ou à intensificação de comorbidades psicopatológicas como, distúrbios no padrão de sono, sintomas de ansiedade e de depressão, o que, por consequência, pode ter influenciado para busca e aumento do consumo de substâncias psicotrópicas como estratégia para uma boa qualidade do sono, sensação de relaxamento e redução dos níveis de ansiedade e depressão. Objetivo: avaliar a qualidade do sono e o consumo de psicotrópicos por profissionais da saúde da linha de frente de cuidados à pacientes com COVID-19. Método: pesquisa analítica-observacional, transversal, desenvolvida em dois centros referenciais para o gerenciamento dos casos moderados e graves de COVID-19 em Teresina – PI, no período de janeiro a maio de 2023. Aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Piauí (CEP/UFPI) emitido sob processo número 4.122.120. A amostra foi constituída por 224 profissionais da saúde, dentre médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, técnicos e auxiliares de enfermagem, de ambos os sexos, com carga horária semanal de trabalho igual ou superior a 24 horas e que prestaram atendimento de no mínimo três meses às pessoas infectadas, seja em modalidade hospitalar ou intensiva. Para a coleta dos dados foi utilizado um questionário para caracterização sociodemográfica, ocupacional, clínica, consumo de psicotrópicos e padrão do sono, elaborado pelos próprios pesquisadores, além do instrumento de Índice da Qualidade do Sono de Pittsburgh (IQSP). Para a construção do banco de dados foi utilizado o software da Microsoft Office Excel, sendo as informações transportadas, posteriormente, para o programa Statistical Package for the Social Sciences (SPSS) versão 26.0. A análise descritiva foi expressa por medidas de posição (média e mediana) e de variabilidade (desvio padrão, amplitude, máximo e mínimo) para as variáveis quantitativas e pela frequência absoluta e relativa para as categóricas. Para análise inferencial, foi realizado o teste de Kolmogorov-Smirnov para análise e verificação da normalidade da amostra. Para avaliar a associação existente entre as variáveis qualitativas, foi utilizado o teste Qui-Quadrado (X2) de Pearson. Em seguida, foi utilizado o teste de comparação U de Mann-Whitney para as variáveis quantitativas não paramétricas (não normais). Posto isso, com base na análise do p-valor dos testes listados, usou-se a regressão logística binária utilizando-se o teste de WALD. As variáveis foram inseridas no modelo por meio do método enter, variáveis foram inseridas em bloco único, considerando significância estatística p<0,05 como critério para inclusão das variáveis independentes. Foram calculados Odds ratio (OR) com intervalos de confiança de 95%. Resultados: com análise dos dados, foi possível dividir os resultados em três manuscritos que evidenciam os principais achados dessa pesquisa: o primeiro “Preditores da má qualidade do sono em profissionais da saúde: análise no cenário da COVID-19”, apresenta a ansiedade, dificuldades para dormir, tristeza, cansaço mental, cansaço físico, estresse, angústia, frustração, alteração no padrão de sono e sonolência ao longo do dia, como aspectos ligados a má qualidade do sono desses profissionais durante a pandemia, trazendo a variável “estado de saúde muito bom antes de exercer função laboral no setor COVID-19” como fator de proteção; o segundo “Fatores associados ao consumo de psicotrópicos entre profissionais de saúde de serviços hospitalares na pandemia COVID-19”, demonstra que a substância mais consumida foram os ansiolíticos por 22,5% (n=55) dos participantes, sendo os técnicos de enfermagem a categoria que apresentou maior consumo dessa e das demais substâncias. 19,2% (n=47) dos profissionais afirmaram que passaram a consumir substâncias psicotrópicas após início do trabalho no setor COVID-19; e 15,1% (n=37) utilizavam dessas substâncias especificamente para dormir. As variáveis “manifestar interesse em buscar ajuda ou tratamento psicológico, mas não procuraram ajuda” (OR: 5; IC95%: 2,43-10,27, p < 0,000) e “manifestar interesse e procurar ajuda” (OR: 16,4; IC95%: 7,53-36,01, p < 0,000) apresentaram associação com o consumo de psicotrópicos entre profissionais de saúde. Já as variáveis “religião católica” (OR: 0,15; IC95%: 0,04-0,57, p = ,005), “religião evangélica” (OR: 0,13; IC95%: 0,03-0,59, p = 0,008) e “grau de exigência emocional moderado” (OR: 0,35; IC95%: 0,00-0,27, p < 0,001) foram fatores de proteção; o terceiro “Relação da qualidade do sono com o consumo de psicotrópicos entre os profissionais de saúde na pandemia COVID-19” revelou que, as variáveis “já usou, mas não usa atualmente”; “usa atualmente”; “ter usado antidepressivo”; “ter usado ansiolítico”; “ter usado tranquilizante”; “ter usado psicotrópicos com prescrição/orientação médica”; “ter usado psicotrópicos com orientação própria/automedicação”; “ter usado as substâncias em decorrência de depressão”; “ter usado as substâncias em decorrência de ansiedade”; “ter usado as substâncias em decorrência de medo de se infectar com a COVID-19”; “ter usado as substâncias em decorrência de estresse”; “ter usado as substâncias em decorrência de exaustão”; “ter usado as substâncias em decorrência de cansaço mental”; “ter usado as substâncias em decorrência de cansaço físico”; “ter feito uso de substâncias para dormir a noite”; “ter feito uso de substâncias para alívio emocional/sentimental”; “ter feito uso de substâncias em momentos de crise de ansiedade”; “ter feito uso das substâncias antes de trabalhar no setor da COVID-19” e “aumento do uso/dose após o início do seu trabalho no setor da COVID-19” foram independentemente associadas a ter problemas com o sono. Conclusão: a pandemia COVID-19 potencializou diversos transtornos e perturbações já existentes no ambiente laboral dos profissionais da saúde. Aspectos mentais, físicos, emocionais e até mesmo exercer suas funções durante a pandemia, foram algumas das situações associadas à má qualidade do sono e condicionantes ao consumo de substâncias psicotrópicas, como estratégia de manutenção e equilíbrio desses agravos, o que, denotou a ausência ou escassez de cuidados voltados para prevenção e manutenção do bem-estar e saúde dos profissionais de saúde durante esse período.

  • ANTÔNIA SYLCA DE JESUS SOUSA
  • CONSTRUÇÃO, VALIDAÇÃO E AVALIAÇÃO DE UM PODCAST COMO TECNOLOGIA EDUCACIONAL PARA PREVENÇÃO DE SÍNDROME METABÓLICA EM ADOLESCENTES
  • Orientador : ELAINE MARIA LEITE RANGEL ANDRADE
  • Data: 22/11/2023
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A síndrome metabólica é um problema de saúde global, prevalente nos adolescentes e, portanto, a adoção precoce de estilo de vida saudável, como dieta adequada e prática regular de atividade física, preferencialmente desde a infância são componentes básicos da sua prevenção. As tecnologias educacionais digitais podem ser bastantes atraentes para abordar a prevenção da síndrome metabólica em adolescentes, pois essa população as utiliza diariamente para comunicação, interação, socialização e obtenção de informações de saúde. Dentre as tecnologias educacionais digitais temos os podcasts, recursos fáceis de serem acessados pelas pessoas em tempo e lugar preferidos. Objetivo: construir, validar e avaliar um podcast para prevenção de síndrome metabólica em adolescentes. Método: Estudo metodológico realizado no período de junho de 2022 a novembro de 2023, após aprovação pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Piauí sob o parecer nº 5.521.057 em três etapas. Etapa 1: pré-produção - adaptação do conteúdo de uma cartilha para construção do storyboard do podcast com base nos princípios da Teoria Cognitiva da Aprendizagem Multimídia e validação de conteúdo por 22 enfermeiros experts em saúde de adolescentes usando o Instrumento de Validação de Conteúdo Educacional em Saúde. Etapa 2: produção - ajustes no storyboard e gravação do podcast. Etapa 3: pós-produção: validação de aparência por 12 enfermeiros experts em construção de tecnologia educacional por meio de um instrumento validado e avaliação com o público-alvo utilizando o Instrumento de Avaliação de Podcast Educativo.Os dados foram analisados no software R, versão 4.2.3, sendo calculado o Índice de Validade de Conteúdo, o Alpha de Cronbach, índice V de Aiken e seus intervalos de confiança, considerados válidos para valores ≥ 0,80, ≥ 0,70 e ≥ 0,81, respectivamente. Resultados: O podcast possui dois episódios em formato de screencast, com duração de dois minutos e cinquenta e oito segundos (2:58s) e três minutos e cinquenta e sete segundos (3:57s), disponíveis na plataforma digital YouTube, que foram baseados na Cartilha educativa “Síndrome metabólica: como me prevenir?”. O Índice de Validade de Conteúdo global do storyboard foi de 0,985 e de aparência foi de 0,985, com valores do α Cronbach de 0,896 e 0,901, respectivamente. Na avaliação com o público-alvo, o V de Aiken foi maior do que 0,81 para 18 dos 20 itens do Instrumento de Avaliação de Podcast Educativo. Considerações finais: O podcast pode ser considerado válido quanto ao conteúdo e aparência pelos experts e bem avaliado com o público-alvo no incentivo a prevenção e orientação acerca de doenças crônicas como a Síndrome metabólica.

  • ANA RAQUEL BATISTA DE CARVALHO
  • COINFECÇÃO MICROBIANA E DESFECHO DE PACIENTES INTERNADOS COM SARS-CoV-2
  • Orientador : MARIA ELIETE BATISTA MOURA
  • Data: 13/11/2023
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O surgimento da síndrome infecciosa ocasionada pelo coronavírus da Síndrome Respiratória Aguda Grave 2 (SARS-CoV-2) e sua disseminação se tornou um grande desafio mundial. Em pacientes com infecção por COVID-19, observa-se o número expressivo daqueles que necessitam de internação em das Unidades de Terapias Intensivas (UTI), bem como do uso de ventilação mecânica. Associado a esse quadro, verifica-se também o aumento do acometimento de pacientes por infecções por Staphylococus aureus nesse ambiente, sendo que estas trazem um maior agravamento em relação ao desfecho clínico dos pacientes. Objetivo: Analisar as características clínicas, a ocorrência de coinfecção e o desfecho de pacientes com a COVID-19. Metodologia: Trata-se de um estudo epidemiológico, analítico do tipo caso-controle, realizado de maneira retrospectiva, que será reportado de acordo com a declaração da iniciativa Strengthening the Reporting of Observational Studies in Epidemiology (STROBE). O estudo foi realizado em um hospital universitário localizado na região nordeste do Brasil. Pacientes adultos (≥18 anos), de ambos os sexos admitidos no hospital, no período de 15 de março de 2020 (data do primeiro caso de COVID-19 em Teresina) a 31 de dezembro de 2021, diagnosticados com COVID-19, qualificaram-se para inclusão neste estudo. Ressalta-se que foram excluídos desta pesquisa os pacientes que não apresentem informações confirmando o diagnóstico e os pacientes que não possuam o desfecho nos seus prontuários. Todos os dados foram coletados dos prontuários eletrônicos presentes no sistema do referido hospital. A coleta foi realizada com o auxílio de um formulário, subdivido em cinco partes. Os dados coletados foram submetidos à codificação apropriada e digitados em banco de dados, mediante a elaboração de um dicionário (code book) utilizando o Software Microsoft Excel. Por conseguinte, o banco de dados será submetido ao processo de validação por dupla digitação e, posteriormente, exportados para o Statistical Package for the Social Sciense (SPSS) para a realização da análise estatística. A significância estatística será definida como erro tipo I menor que 0,05 (p<0,05). Algumas associações de interesse serão verificadas utilizando o teste qui-quadrado e Teste Exato de Fisher, adotando o nível de significância de p<0,05. Além disso será verificada associações por meio de análise multivariada com Odds Ratio. Os resultados serão apresentados por meio de tabelas e gráficos, com objetivo de facilitar a interpretação. Destaca-se que todos os pontos éticos citados na Resolução de nº 466 de 2012 do Conselho Nacional em Saúde, que regulamenta pesquisa envolvendo seres humanos, foram seguidos. Resultados: Foram identificados 1.023 registros no ano de 2020, e 853 registros no ano de 2021, foram aplicados os critérios de inclusão e exclusão, e posteriormente foi realizado o cálculo estatístico onde foram selecionados 413 prontuários com teste de PCR positivos para COVID-19.

  • ROSÂNGELA NUNES ALMEIDA
  • REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DAS AÇÕES DE PREVENÇÃO E CONTROLE DA COVID-19 ELA- BORADAS POR USUÁRIOS DA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA
  • Orientador : DANIELA REIS JOAQUIM DE FREITAS
  • Data: 09/11/2023
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: A pandemia permitiu refletir sobre a organização das ações na Estratégia Saúde da Família para a diminuição da COVID-19, impactando diretamente na qualidade das ações de prevenção e controle da doença. Assim, necessitou ser reorganizada para proporcionar maior resolutividade dos problemas. OBJETIVOS: Apreender as representações sociais elaboradas por usuários da Estratégia Saúde da Família sobre as ações de prevenção e controle da COVID-19. MÉTODO: Trata-se de um estudo descritivo e exploratório, com abordagem qualitativa, fundamentado na Teoria das Representações Sociais e guiado pelo Consolidated Criteria for Reporting Qualitative Research (COREQ). Participaram do estudo 35 pessoas usuárias da atenção primária à saúde. A coleta de dados ocorreu entre fevereiro a março de 2023, por meio de uma entrevista individual, onde foi aplicado um instrumento composto de duas partes. Os discursos foram transcritos no software Microsoft Word produzindo um corpus textual com todas as respostas dos participantes em um único arquivo de texto. O processamento foi realizado com o software Interface de R pour les Analyses Multidimensionnelles de Textes et de Questionnaire (IRaMuTeQ) por meio de uma classificação hierárquica descendente e a análise discursiva das classes foi realizada com auxílio do aporte teórico e metodológico da Teoria das Representações Sociais. RESULTADOS: O dendrograma apresentou como resultado, oito classes lexicais, sendo estas: “meios de comunicação”, “fonte do saber”, “favoráveis às medidas”, “álcool e uso de máscaras”, “início da pandemia”, “vacina e vacinação”, “medidas de estilo antigo” e “higiene das mãos”, distribuídas em dois eixos temáticos, que avaliaram as fontes e os posicionamentos de saberes sobre a temática em questão. Ademais, caracterizou-se os participantes do estudo quanto o perfil sociodemográfico. Descreveu-se o saber de pessoas usuárias da Estratégia Saúde da Família sobre as ações de prevenção e controle da COVID-19. Discutiu-se como as representações sociais sobre prevenção e controle da COVID-19 puderam influenciar nas ações dos participantes do estudo e foram identificadas as fontes do saber deles quanto às medidas de prevenção e controle da COVID-19. CONCLUSÃO: Evidenciou-se que as representações sociais são fundamentais para aproximação do conhecimento científico ao senso comum elaborado por usuários da Estratégia Saúde da Família, contribuindo para o desenvolvimento eficaz de práticas sociais capazes de prevenir e controlar a COVID-19.
    Palavras-chave: .

  • BÁRBARA SANDRA PINHEIRO DO SANTOS
  • PERCEPÇÃO DOS COORDENADORES DE IMUNIZAÇÃO SOBRE O CONTROLE DA INFECÇÃO POR COVID-19 COM O AVANÇO DA VACINAÇÃO
  • Orientador : DANIELA REIS JOAQUIM DE FREITAS
  • Data: 06/11/2023
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a COVID-19 é causada pelo vírus SARS-CoV-2 e gera infecções respiratórias desde formas assintomáticas a graves e letais. A transmissão da COVID-19 ocorre, principalmente, por gotículas respiratórias, aerossóis e da mucosa nasal, oral e conjuntiva de pacientes infectados. A OMS buscou orientar os governos a implementarem intervenções não farmacológicas (INF), que consistiram em medidas de alcance individual (lavagem das mãos, uso de máscaras e restrição social), ambiental (limpeza rotineira de ambientes e superfícies) e coletiva (com restrição ou suspensão do funcionamento de escolas e universidades, locais de convívio comunitário, transporte público, com foco em ambientes que geravam aglomeração de pessoas). Objetivo: Conhecer as medidas implementadas e as mais eficazes para controle da COVID-19 na percepção dos coordenadores de imunização e Compreender os impactos da vacinação para controle da COVID-19 e flexibilização das medidas preventivas na percepção dos coordenadores de imunização. Método: Trata-se de um estudo descritivo com abordagem qualitativa. Foram coletados informações de 50 formulários semiestruturados preenchidos pelos Coordenadores Municipiais de Imunização através do Google Forms e a análise dos dados ocorreu por meio da técnica de análise de conteúdo de Bardin (2011).Resultados: Três categorias emergiram da análise dos relatos: medidas implementadas para o controle da infecção por COVID-19 na percepção dos coordenadores de imunização; impactos da vacinação para controle da COVID-19 e flexibilização das medidas preventivas e medidas mais eficazes para o controle da COVID-19. Considerações finais: O estudo possibilitou conhecer as medidas implementadas e as mais eficazes para controle da COVID-19 na percepção dos coordenadores de imunização, além de compreender os impactos da vacinação para controle da COVID-19 e flexibilização das medidas preventivas na percepção dos coordenadores de imunização, sendo identificados como medidas preventivas e protetivas: higienização das mãos com alcóol e ou sabão, uso de máscaras cirurgicas, N95 e ou de tecidos, isolamento social, distanciamento social nos principais ambientes públicos e domiciliares, higienização de locais públicos e privados com sanitização recorrente, testagem rápida para diagnóstico precoce, barreiras sanitárias com profissionais de saúde capacitados para orientação das principais medidas protetivas e a vacinação que objetiva a proteção da população. Assim, compreendeu-se, segunda a percepção dos coordenadores de imunização, que avanço da vacinação foi essencial para o controle da COVID-19 e possibilitou o retorno gradativo das atividades comerciais e econômicas com restrições de funcionamento. Além do mais, foi necessário orientar a população sobre a importância de acreditar na ciência e na efetividade da vacinação contra a COVID-19, com base nos resultados sobre a diminuição do número de casos e de óbito, para melhorar a adesão de parcela da população ainda resistente e que não tomou a vacina, a fim de continuar com o controle da COVID-19.

  • NERIS VIOLETA GONZÁLEZ PÉREZ
  • ESTRATÉGIAS DE ENFRENTAMENTO PARA A PANDEMIA COVID-19 NO URUGUAI
  • Orientador : MARIA ELIETE BATISTA MOURA
  • Data: 26/10/2023
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A pandemia produzida pelo vírus SARS-CoV-2 caracterizada por uma síndrome respiratória aguda grave e causadora da doença chamada Covid-19, começou em dezembro de 2019, na China, na cidade de Wuhan. Rapidamente se espalhou pelo mundo com transmissão comunitária sustentada e exponencial, até ser declarada pandemia em março de 2020 pela Organização Mundial da Saúde e Emergência Nacional de Saúde no Uruguai em 13 de março de 2020. Objetivos: Identificar estratégias, políticas, normas sanitárias e científicas de enfrentamento da pandemia de Covid-19 no Uruguai, desde que a Emergência Nacional de Saúde foi decretada em 13 de março de 2020 até o 10 de abril de 2021; refletir sobre a implementação das diretrizes estratégicas de combate à Covid-19 nas dimensões técnica, política e sanitária durante a Emergência em Saúde. Método: Estudo documental, qualitativo, descritivo e transversal. Os passos seguidos foram; Seleção da comunicação a ser estudada; seleção de categorias, subcategorias e unidade de análise; recolha de dados; processamento e análise. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética da Universidade da República do Uruguai-CENUR pelo Exp:311170-000102-22. Resultados: As estratégias políticas foram identificadas e incluídas no estudo de acordo com os critérios de inclusão; para a categoria estratégias políticas; Decretos 1, Resoluções 1 e 11 Setores para os quais são definidas múltiplas medidas; para a categoria Estratégias Normativas; Ordenanças 24, Resoluções 9 e 2 decretos e para a categoria estratégias científicas 23 Recomendações. No processo da pandemia no Uruguai, reconhece-se a existência de mais de uma racionalidade nas estratégias de interpretação da realidade, mas com pontos coincidentes e complementares, com um processo de diagnóstico e respostas de ação. As estratégias desenvolvidas pelos cientistas agrupados no Grupo Assessor Cientifico Honorário foram a busca exaustiva e rigorosa de conhecimento nacional e internacional e a entrega de evidências científicas ao governo do Uruguai durante o processo de Emergência Nacional de Saúde para orientar a tomada de decisões políticas para combater a epidemia de Covid-19. As estratégias de regulação sanitária desenvolvidas pelo Ministério da Saúde Pública foram apresentadas por meio da elaboração de um quadro de normas legais específicas de ação para o controle do plano geral de atenção e recuperação à saúde da população nas esferas pública e privada no contexto da pandemia de Covid-19. As estratégias de políticas públicas desenvolvidas pelo governo durante a Emergência Sanitária Nacional significaram um processo decisório moldado por situações internas e externas que foram tomadas no curso de um processo temporário. Conclusões: As políticas de atenção à saúde no Uruguai, no cenário da Covid-19, foram aplicadas por meio de normas legais do Estado, gestão de recursos financeiros e persuasão à população. Na busca de relações entre categorias estratégicas, políticas, regulação sanitária e científica, encontra-se a abordagem de temas semelhantes, a proximidade temática e o tratamento simultâneo que potencializaram o processo de implementação de políticas e normas no país.

  • ADÃO BAPTISTA CASSOMA CHIMUANJI
  • REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DE PROFISSIONAIS DE ENFERMAGEM SOBRE A PREVENÇÃO DE INFECÇÕES NA ASSISTÊNCIA À SAÚDE EM ANGOLA
  • Orientador : DANIELA REIS JOAQUIM DE FREITAS
  • Data: 26/10/2023
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Conforme a Organização Mundial da Saúde (OMS), a cada 100 pacientes em hospitais de cuidados intensivos, sete pacientes em países de alta renda e 15 pacientes em países de baixa e média renda irão adquirir pelo menos uma das Infecções Relacionadas à Assistência à Saúde (IRAS) durante sua internação hospitalar. Face ao exposto, em Angola, as IRAS constituem de igual modo um desafio que não foge à regra da problemática universal, tendo em conta alguns pressupostos ligados a inexistência de legislação para a institucionalização do Programa Nacional de Controle de Infecção Hospitalar. Objetivo: Apreender as representações sociais elaboradas por profissionais de enfermagem em Angola sobre a prevenção de infecções relacionadas à assistência à saúde. Metodologia: Trata-se de um estudo, qualitativo, exploratório-descritivo, fundamentado na Teoria das Representações Sociais de Serge Moscovici. A presente pesquisa foi realizada com 46 profissionais da equipe de enfermagem, a saber: 20 enfermeiros e 26 técnicos de enfermagem assistencialistas. O cenário do estudo foi uma instituição de que presta cuidados em saúde, de maneira público-privada, localizada na cidade de Luanda, Angola. A coleta foi realizada de junho a julho de 2023, em sala adequada, reservada de maneira individual, respeitando a privacidade dos profissionais que aceitaram participar. Foi utilizado o Software IRaMuTeQ para o processamento dos dados, escolhendo-se a análise multivariada conhecida Classificação Hierárquica Descendente (CHD) ou método de Reinert e a análise fatorial de correspondência. Resultados: O IRaMuTeQ realizou a divisão do corpus em 271 (82,62%) seguimentos classificados, de um total de 328 segmentos de textos, que geraram dois eixos temáticos principais e 6 classes: Eixo Temático 1: A prevenção de IRAS e a interface com a formação, que contém as classes - Classe 5: Estratégias efetivas para a prevenção de IRAS e Classe 4: Fonte do saber sobre a prevenção de IRAS. Já o Eixo temático 2: Organização das ideias sobre a prevenção de IRAS, contando com: Classe 3: A higienização das mãos e a prevenção de IRAS; Classe 1: Descrição de fatores que impedem a prevenção de IRAS; Classe 2: Medidas conhecidas e implementadas para a prevenção de IRAS e Classe 6: Saberes dos profissionais sobre as IRAS. Considerações Finais: Foi demonstrada a importância da formação contínua dos profissionais sobre IRAS e sobre as medidas de prevenção, assim como, desvelou-se a importância que os participantes atribuem a higienização das mãos e a utilização de equipamentos de proteção invidiais, representando essas medidas como indispensáveis para a prevenção e controle de infecções durante os cuidados aos pacientes.

  • AMANDA LÚCIA BARRETO DANTAS
  • AVALIAÇÃO DE APLICATIVO MÓVEL SOBRE ALEITAMENTO MATERNO PARA ENFERMEIROS
  • Orientador : SILVANA SANTIAGO DA ROCHA
  • Data: 17/10/2023
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Os investimentos em tecnologias que aproximam as pessoas, em  particular os enfermeiros e que tenham bases de dados confiáveis é promissora para a área da saúde, possibilitando a disseminação de conhecimento de forma rápida, direcionada e objetiva. Objetivo: Avaliar aplicativo móvel sobre aleitamento materno para enfermeiros. Método: Trata-se de estudo multimétodos, composto por três subestudos: 1. Necessidades de aprendizagem de enfermeiros sobre aleitamento materno: uma revisão de escopo. Adotou-se a estratégia PCC, sendo “P” a População (enfermeiros), “C” o Conceito (conhecimento) e “C” o Contexto (amamentação). As buscas foram realizadas independentemente por dois revisores, em março e abril de 2022, nas bases de dados National Library of Medicine; Scopus; Biblioteca Virtual em Saúde e Web of Science. Subestudo 2. Conhecimento de enfermeiros sobre o aleitamento materno em uma maternidade de referência do Piauí. Estudo transversal descritivo com abordagem quantitativa, realizado com 80 enfermeiros assistencialistas que atuam em uma maternidade de referência em alta complexidade no estado do Piauí, através de preenchimento de formuláriojá validado sobre seu conhecimento a respeito do aleitamento materno. Subestudo 3. Desenvolvimento e avaliação de aplicativo móvel denominado Padrão Ouro sobre aleitamento materno para enfermeiros. Estudo metodológico, utilizando as cinco fases do Design Instrucional Contextualizado (DIC) para desenvolvimento e validação do aplicativo sobre Aleitamento Materno, com base na teoria da aprendizagem multimídia, criada por Richard Mayer. A pesquisa foi aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Piauí com o número do parecer 5.854.128, sendo iniciada somente após aprovação. Resultados: Após identificar as lacunas do conhecimento de enfermeiros sobre aleitamento maternos nos dois primeiros subestudos, foi organizado o storyboard do aplicativo e seu cadastro em página teste que funciona como sítio de navegação neste. O aplicativo foi dividido em seis unidades de conteúdo e avaliado por 23 juízes do conhecimento em aleitamento materno, com Coeficiente de Validade de Conteúdo total de 0,97, fornecendo evidência satisfatória na validação do conteúdo. O coeficiente alfa de Cronbach apresentou confiabilidade moderada do instrumento conforme os juízes. Após análise de sugestões, foi acatada a inclusão de uma unidade sobre medicamentos e interação com aleitamento materno no storyboard do aplicativo. Conclusão: Mostrou-se que o Padrão Ouro é pertinente e apresenta
    conteúdo adequado para garantir a aquisição de conhecimentos sobre o tema. O uso de tecnologias mostra-se cada vez mais oportuno no campo das ciências, em especial, da enfermagem, como oportunidade de ser canal de comunicação, formação continuada que permite a qualificação daqueles que fazem bom uso destas, através de busca intencional e focada em conteúdos específicos, assim como contribuem para que seus desenvolvedores possam otimizar as tecnologias, a partir do retorno dos seus usuários. 

  • FABIOLA JAZMIN CACERES NAVARRO
  • AUTOMEDICAÇÃO DE GESTANTES ATENDIDAS NA ATENÇAO PRIMARIA Á SAÚDE DE GUAÍRA, PARAGUAI
  • Orientador : FERNANDA VALERIA SILVA DANTAS AVELINO
  • Data: 27/09/2023
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O consumo indiscriminado de medicamentos durante o período gestacional, leva a eventos futuros indesejados tanto para a saúde da mãe quanto para o bebê. Objetivo: Investigar o uso de medicamentos e sua relação para a saúde de gestantes atendidas na Estratégia Saúde da Família de Guaíra, Paraguai. Método: Estudo transversal, exploratório, com abordagem quantitativa, realizado em 15 unidades de saúde da família. A amostra de foi composta por 200 gestantes que frequentavam as unidades de saúde para acompanhamento pré-natal. A coleta de dados ocorreu entre setembro e novembro do ano de 2022, através da aplicação de um questionário estruturado, após a anuência do Ministério da Saúde do Paraguai. Os dados foram organizados e tabulados no Microsoft Excel e analisados por meio da estatística descritiva e inferencial no programa SPSS. Resultados: O desenvolvimento desta pesquisa evidenciou os diversos fatores envolvidos para que as gestantes se automediquem. Os resultados deste estudo podem ser utilizados como material norteador nas Unidades de Saúde da Família no ambulatório de pré-natal para que toda a equipe de saúde da família possa utilizar para que ainvestigação possa contribuir com o conhecimento atual e que possa ser uma contribuição importante para a saúde pública em Paraguai. Uma proposta para melhorar essa prática de automedicação seria através da educação constante das gestantes em cada consulta de pré-natal, bem como a organização de clubes de gestantes onde se ensine sobre os riscos da automedicação em qualquer pessoa, mas com mais ênfase. em mulheres grávidas.Verificou-se que a maioria das gestantes tinham entre 35 a 40 anos, eram provenientes da zona rural, tinham união estável, eram donas de casa e possuíam com casa própria. Quanto ao uso de medicamentos durante o período gestacional, a maior parte relatou consumir somente medicamentos prescritos pelo médico. Em relação à frequência e o motivo que os levaram à automedicação, 28% relataram que tinham os medicamentos em casa e 10% fizeram o uso por motivo de cefaléia, gripe e febre. As gestantes relataram que os medicamentos eram retirados na farmácia hospitalar das Unidades de Saúde da Família e 85% das gestantes afirmaram ter recebido alguma orientação sobre automedicação, 52,5% desconheciam o risco da automedicação e 97,5% não indicaram a automedicação para outras pessoas.Conclusão:O estudo forneceu um diagnóstico situacional do risco que a automedicação acarreta, em gestantes. Tendo ainda mais em conta os efeitos teratogênicos que alguns medicamentos podem produzir.   Em relação aos fatores sociodemográficos, é importante destacar que na faixa etária entre 20 e 40 anosqual é a idade reprodutiva de uma mulher, a maioria é proveniente da zona rural, estão em união estável, ensino fundamental incompleto com casa própria. Em relação ao perfil clínico e medicamentoso podemos concluir que a idade gestacional que mais consultou foi de 12 semanas, frequentam mais as unidades de saúde da família por residirem na zona rural, a maioria afirmou ter recebido orientações sobre automedicação durante a gravidez mas que desconhecem os riscos, foi detectado um único caso com incidentena automedicação mas que pode ser controlado em tempo hábil foram detectadas 30 gestantes que se automedicaram durante a gravidez. Na descrição das características medicamentosas das gestantes que se automedicam, detectou-se que a maioria se automedica uma vez ao mês e que o faz porque tem em casa e a cefaléia foi o principal sintoma que motivou elas se automedicarem.

  • RUTIELLE FERREIRA SILVA
  • PROTOCOLO CLÍNICO DE RASTREIO DA SARCOPENIA EM IDOSOS NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE: elaboração e avaliação
  • Orientador : MARIA DO LIVRAMENTO FORTES FIGUEIREDO
  • Data: 21/08/2023
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O envelhecimento promove diversas alterações fisiológicas que resultam em declínio gradual da massa e da força muscular, condição denominada de sarcopenia. Uma doença crônica que impacta de forma considerável sobre a morbimortalidade e a qualidade de vida da população idosa. Diante disso, torna-se primordial dispor de um protocolo para rastrear os idosos com maior risco de desenvolver a doença. Objetivo: Construir e avaliar a qualidade do protocolo clínico de enfermagem para rastrear a sarcopenia em idosos na atenção primária à saúde. Método: Trata-se de um estudo metodológico desenvolvido em duas etapas. Na primeira, foi realizada a construção do protocolo, utilizando-se as recomendações proposta pela da Gerência de Ensino e Pesquisa do Grupo Hospitalar Conceição. Para tal, foi realizado a elaboração de uma revisão sistemática e metanálise. Já a segunda etapa comtemplou a avaliação da qualidade do protocolo, por quatro experts em enfermagem gerontológica, utilizando o instrumento Appraisal of Guideline for Research & Evaluation II. Resultados: A revisão sistemática com metanálise foi construída com base na análise de 27 ensaios clínicos randomizado, evidenciando que a suplementação nutricional pode ser eficiente para aumentar a massa muscular e a prática de exercício físico poderá atuar positivamente na força muscular e no desempenho físico. O protocolo foi desenvolvido mediante um processo rigoroso de construção e avaliação da qualidade. Em todos os domínios do instrumento de avaliação da qualidade, o protocolo obteve pontuações condizentes com o desenvolvimento de uma diretriz de alta qualidade, alcançando 90,2% no domínio - Escopo e finalidade, 86,1%2 no domínio - Envolvimento das partes interessadas, 77,6% no domínio - Rigor do desenvolvimento, 100% no domínio - Clareza da apresentação, 86,4% no domínio – Aplicabilidade, e 100% no domínio - Independência editorial. Na avaliação global do protocolo, três especialistas atribuíram uma pontuação 6 e o outro o avaliou com 5 pontos. Todos os juízes afirmaram recomendar o uso do protocolo na prática clínica. Conclusão: O protocolo de rastreio da sarcopenia em idosos é um instrumento relevante para a prática clínica da enfermagem, configurando-se como uma ferramenta de alto impacto para identificar precocemente o risco e a evidência de sarcopenia, com a finalidade de preservar a autonomia e independência da pessoa idosa, de modo que possa envelhecer na ausência de quedas e com QV.

  • PRISCILA MARTINS MENDES
  • TECNOLOGIA EDUCACIONAL SOBRE A PARTICIPAÇÃO ATIVA DO PACIENTE NO CUIDADO SEGURO: CONSTRUÇÃO E VALIDAÇÃO
  • Orientador : FERNANDA VALERIA SILVA DANTAS AVELINO
  • Data: 11/08/2023
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A participação do paciente é um conceito multidimensional oriundo do movimento de consumo generalizado na década de 1960, que envolvem a tomada de decisão, a automedicação, o automonitoramento, a educação do paciente e o estabelecimento de metas. As iniciativas de envolver o paciente no seu próprio cuidado não são recentes e ganharam destaque quando a Organização Mundial da Saúde (OMS) lançou em 2005, o programa “Paciente pela Segurança do Paciente”. Seguindo a tendência mundial, o Brasil adotou o mesmo programa em dezembro de 2012 e com o reforço da Portaria nº 529/2013, que institui o Programa Nacional de Segurança do Paciente (PNSP) destaca que um dos cinco objetivos específicos é “pacientes, familiares e acompanhantes são parceiros nos esforços para a prevenção de eventos adversos em serviços de saúde do Brasil. Considerando que o envolvimento e a capacitação do paciente são, talvez, a ferramenta mais poderosa para melhorar a segurança do paciente. Objetivo: construir e validar um vídeo educativo para pacientes hospitalizados sobre a participação ativa para um cuidado seguro. Método: estudo metodológico para construção de um vídeo educativo “Paciente Ativo, Paciente Seguro”, a partir dos 12 Princípios da Teoria Cognitiva da Aprendizagem Multimídia, utilizando animação e narração em áudio. A validação de conteúdo foi realizada por 22 juízes especialistas por meio da aplicação do Instrumento de Validação de Conteúdo Educacional. Os dados foram analisados pelo Índice de Validação de Conteúdo. O projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Piauí sob o parecer nº 5.680.053. Resultados: o vídeo possui 10 minutos e 30 segundos e contemplou uma breve introdução sobre a temática, a abordagem das seis metas internacionais de segurança do paciente: identificação correta do paciente, comunicação efetiva, medicamento seguro, cirurgia segura, prevenção de infecção – higiene de mãos, prevenção de quedas e prevenção de lesão por pressão. Durante o vídeo, o paciente é incentivado a participar do seu cuidado, como uma forma de contribuir com a sua própria segurança e da equipe. Dos 18 itens avaliados pelos juízes, 15 tiveram concordância unânime, com IVC de 1,0. Os itens “linguagem adequada ao público-alvo”, “linguagem apropriada ao material educativo” e “informações corretas” foram julgados como inadequados com IVC = 0,955. Os juízes especialistas fizeram uma série de sugestões relevantes para a segunda versão do roteiro e adequação para elaboração da animação com áudio. Conclusão: o vídeo foi considerado válido quanto ao conteúdo de acordo com a avaliação de juízes especialistas na área de enfermagem.

  • MIRIANE DA SILVA MOTA
  • ANÁLISE DOS COMPONENTES DA REDE DE ATENÇÃO DE PESSOAS COM HIPERTENSÃO E SUA ASSOCIAÇÃO AO ATRIBUTO DE INTEGRALIDADE
  • Orientador : JOSE WICTO PEREIRA BORGES
  • Data: 26/07/2023
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: As Redes de Atenção à Saúde das pessoas com Doenças Crônicas, como na Hipertensão Arterial Sistêmica, são arranjos organizativos que buscam garantir a integralidade do cuidado por meio da assistência integral, promoção de saúde e prevenção de complicações. Essa pesquisa surge pela necessidade de avaliação do contexto das redes de atenção à saúde das pessoas com HAS no Piauí, estruturada por linhas de cuidados prioritárias que possibilitam a disposição dos serviços direcionados à integralidade do cuidado. Objetivo: Analisar os componentes da RAS para pessoas com hipertensão no Piauí, Brasil, e sua associação com o atributo de integralidade da Atenção Primária a Saúde por meio da Pesquisa Nacional de Saúde. Método: Trata-se de estudo transversal descritivo realizado a partir de dados secundários da Pesquisa Nacional de Saúde em 2019, na unidade federativa do Piauí, com amostra de 147 pessoas que autorrelataram diagnóstico de HAS. Realizou-se análise estatística descritiva e exploratória dos dados, bivariada com aplicação de testes de associação e multivariada com a aplicação de uma regressão logística. A pesquisa utilizou dados secundários públicos da PNS 2019, realizada pelo IBGE, não exigindo, portanto, a submissão específica ao Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Piauí. Resultados: Não houve associação entre as variáveis sociodemográficas e a integralidade dos serviços disponíveis e prestados. Para integralidade dos serviços disponíveis, destacaram-se como fatores de proteção o local de atendimento, atendimento pelo mesmo médico, realização de exame de sangue e encaminhamentos para especialistas; práticas integrativas e internar por hipertensão; e a obtenção do medicamento no "aqui tem farmácia popular". Como fator de risco, o atendimento no SUS; o uso de medicamento para hipertensão e pagar pelo medicamento. Na integralidade dos serviços prestados, os fatores de proteção foram o encaminhamento para especialistas; prática integrativa e internar por hipertensão; o uso do medicamento para hipertensão e o medicamento obtido no “aqui tem farmácia popular”. Os fatores de risco foram o local de atendimento, atendimento no SUS, atendimento pelo mesmo médico e exame de sangue; e o pagamento pelo medicamento da hipertensão. Para integralidade dos serviços disponíveis, destacaram-se como fatores de risco para usuários hipertensos que pagam pelos medicamentos, e aumentaram as chances de se ter integralidade entre aqueles que obtiverem entre os serviços prestados da APS seu medicamento pelo programa “aqui tem farmácia popular” e a prática integrativa e complementar do cuidado. Conclusão: Os resultados encontrados ressaltam a importância de levar em consideração os aspectos relacionados à estrutura operacional da rede de atenção à saúde, abrangendo seus diversos componentes, no planejamento e na organização dos serviços destinados às pessoas com hipertensão arterial. Destacando a importância da realização de novos estudos que realizem novas análises da rede em suas diversas possibilidades, visando aprimorar o cuidado oferecido às pessoas hipertensas.

  • ERICA JORGIANA DOS SANTOS DE MORAIS
  • EFEITO DE UMA INTERVENÇÃO EDUCATIVA PARA IDENTIFICAÇÃO DA VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER
  • Orientador : ROSILANE DE LIMA BRITO MAGALHAES
  • Data: 12/06/2023
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A violência contra a mulher é considerada um fenômeno socialmente complexo. Para a compreensão dos problemas e intervenções associadas à violência contra a mulher, optou-se por utilizar uma tecnologia educativa no intuito de alertar o público feminino sobre os sinais de violência. Objetivos: Avaliar os efeitos de uma intervenção educativa validada no processo de identificação da violência contra a mulher. Métodos: Estudo transversal, quase-experimental, do tipo grupo único, antes e depois, realizado em Unidades Básicas de Saúde, Centro/Norte de Teresina – PI, no período de março até maio de 2022, após aprovação do CEP da Universidade Federal do Piauí. A amostra foi composta por 111 mulheres da Atenção Básica, e descontinuidade de seis participantes. Estatísticas descritivas foram utilizadas para análise exploratória das variáveis sociodemográficas e econômicas, aspectos comportamentais das mulheres e parceiros, crenças sobre violência contra a mulher antes e após a intervenção educativa e à avaliação dos fatores de risco para a violência contra a mulher aplicada somente após a intervenção. Para comparar os escores das crenças de acertos no pré e pós-intervenção foi utilizado o Teste de Kappa. Devido a não-normalidade da amostra (p<0,01), a diferença entre soma das respostas certas do instrumento foi analisada pelo teste não-paramétrico Wilcoxon. Foram considerados estatisticamente significantes os testes que apresentaram p<0,05. Resultados: As participantes tinha média de idade de 36-45 anos (28,6%), pardas (87,6%), católicas (58,1%), em união estável (53,3%) há mais de 10 anos (32,4%), com filhos (75,2%), além do parceiro, coabitam com os filhos (67,6%), a escolaridade de ensino médio completo foi mais observada nas participantes (54,3%) quanto nos parceiros (53,3%), porém recebem menos (41,9%) quando comparado com seus companheiros (62,9%) uma renda financeira individual de 1-2 salários mínimos. Relataram serem etilista (38,1%), porém fazem uso apenas socialmente (72,7%). O uso de drogas não foi constatado na maioria das participantes (98,1%). As mulheres relataram que seus parceiros têm média de idade entre 36-45 anos (29,5%), perderam a virgindade com 17-18 anos (35,2%) com uso de preservativo (56,2%). Com parceiros atuais, a maioria não utiliza camisinha (51,4%) e consideravam-se heterossexual (96,2%). Em relação aos exames de IST, já realizaram testes para HIV (88,6%), sífilis (86,7%) e hepatite B (88,6%) e relataram terem sofrido com algum tipo de violência (41%). Na avaliação das crenças das mulheres verificou-se que apenas 15 mulheres obtiveram acertos inferiores a 60% na pré-intervenção. Após a intervenção educativa, as participantes apresentaram aumento na fase pós-intervenção de 58,1% a 98,1%. Com relação aos domínios na avaliação dos fatores de risco para a violência contra a mulher, foi possível verificar com clareza que comportamentos graves já estão acontecendo por parte dos parceiros através das frequências. Conclusão: O alertômetro foi considerado um material educativo efetivo para ser utilizado na desmistificação das crenças em mulheres vítimas de violência e uma estratégia de identificação da violência em mulheres atendidas na Atenção Primária à Saúde.

  • EUGENIO BARBOSA DE MELO JUNIOR
  • DESENVOLVIMENTO E VALIDAÇÃO DE UM APLICATIVO VOLTADO À MINIMIZAÇÃO DA HESITAÇÃO VACINAL
  • Orientador : TELMA MARIA EVANGELISTA DE ARAUJO
  • Data: 31/05/2023
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: Dentre as estratégias de promoção e proteção da saúde, a prevenção de doenças se constitui como um dos pilares fundamentais do sistema público de saúde brasileiro, no qual a vacinação representa uma das medidas de prevenção primária com melhor custo-efetividade. As coberturas vacinais brasileira vêm sofrendo queda significativa relacionada, dentre outros fatores, à hesitação vacinal, definida como o atraso em aceitar ou a recusa das vacinas, apesar de sua disponibilidade nos serviços de saúde. O desenvolvimento de novas tecnologias tem sido impulsionado pela busca por inovações que provoquem mudanças na rotina das pessoas. Logo, um aplicativo para smartphones, voltado à educação em saúde de seus usuários pode minimizar a hesitação vacinal. OBJETIVO: construir e validar um aplicativo para dispositivos móveis, que minimize a hesitação vacinal entre pais, mães ou responsáveis por crianças menores de cinco anos de idade. MÉTODO: Estudo desenvolvido em duas fases: Fase 1 – Revisão de escopo, conduzida de acordo com a estrutura metodológica proposta por Joanna Briggs Institute; A amostra foi constituída por 18 artigos e a síntese dos resultados foi descritiva. 2 – Estudo metodológico, de desenvolvimento de aplicativo. As avaliações da qualidade técnica e do desempenho funcional do aplicativo, realizada por 27 juízes, subdivididos nas áreas de saúde, tecnologia da informação e design, seguiram as recomendações da ISO/IEC 25010. A população alvo, composta por 8 enfermeiros e 81 usuários, que também participaram do processo de validação. A análise dos dados foi realizada por meio da estatística descritiva e inferencial. Nesta, utilizou-se o Alpha de Cronbach, o Coeficiente de Correlação Intraclasse e o Índice de Validade de Conteúdo, com o uso dos softwares Microsoft Excel® e Statistical Package for the Social Sciences, versão 20.0. Foram respeitados os aspectos éticos e o estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Piauí, sob parecer nº 5.254.667/2022. RESULTADOS: Na revisão de escopo os principais fatores relacionados à hesitação vacinal foram desinformação e fake news, efeitos adversos; eficácia, segurança das vacinas e crenças religiosas. Os resultados do estudo metodológico evidenciaram adequação, ou seja, escores “muito apropriado” ou “completamente apropriado”, em todas as características avaliadas, por todos os grupos de avaliadores. A confiabilidade medida pelo alfa de cronbach foi 0,90, a concordância interavaliadores (CCI) igual a 0,89 e a o IVC global, 0,92. Os enfermeiros(as) responsáveis técnicos(as) pelas salas de vacina e os usuários dos serviços, indicaram que o aplicativo apresentou 100,0% e 95,1% de adequação, respectivamente. CONCLUSÃO: O aplicativo VacinAção, fruto deste trabalho, foi considerado adequado em relação à sua qualidade técnica e ao seu desempenho funcional, se configurando como potencial instrumento de informação e educação em saúde, tópicos importantes e indispensáveis a serem trabalhados, para o efetivo combate à hesitação vacinal.

  • ERICA DE ALENCAR RODRIGUES
  • FLUXOS ASSISTENCIAIS INTERMUNICIPAIS DA HANSENÍASE NO ESTADO DO PIAUÍ: PADRÕES CLÍNICO-EPIDEMIOLÓGICOS, DIAGNÓSTICO, HOSPITALIZAÇÕES E ÓBITOS
  • Orientador : TELMA MARIA EVANGELISTA DE ARAUJO
  • Data: 29/05/2023
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: a hanseníase é uma doença infecciosa crônica primariamente neural, que embora tenha cura microbiológica possui alto poder de gerar incapacidade física. Algumas complicações culminam em hospitalizações e até mesmo o óbito, caso não haja um cuidado integral e longitudinal às pessoas acometidas, mesmo após o término da poliquimioterapia. A Atenção Primária deve ser resolutiva, não havendo necessidade de deslocamento para atendimento de maior complexidade em outros municípios na maioria dos casos. OBJETIVO: analisar os padrões clínico-epidemiológicos e os fatores associados aos fluxos assistenciais intermunicipais relacionados ao diagnóstico, hospitalização e óbito por hanseníase no estado do Piauí. MÉTODO: estudo transversal analítico, realizado com pessoas residentes no estado do Piauí e acometidas pela hanseníase no período de 2001 a 2020, utilizando-se dados secundários obtidos no DATASUS. Caracterizou-se o perfil sociodemográfico e clínico dos casos identificados, com análise da magnitude de casos novos, óbitos e internação hospitalar por hanseníase. Os fluxos intermunicipais foram descritos utilizando-se mapas e verificada a proporção de casos diagnosticados, hospitalizados e que foram a óbito por hanseníase dentro e fora do município de residência. Para confecção dos mapas, utilizou-se o programa qGis 2.18 e para as análises estatísticas o STATA, versão 11.0. A associação entre diagnóstico, óbito e hospitalização fora do município de residência e as características clínicas e sociodemográficas dos casos de hanseníase foi verificada utilizando-se estatística inferencial por meio de Odds Ratio. As variáveis que apresentaram valor fixado de p≤ 0,20 foram submetidas à regressão logística múltipla, com significância fixada em 5%. RESULTADOS: pessoas que vivem na zona rural e periurbana das cidades (ORa=3,73; IC=3,22-4,32; ORa=5,06; IC 95%=2,50-10,24) e que têm grau I e II de incapacidade (ORa=1,51; IC 95%=1,07-1,80; OR=1,39; IC 95%=1,07-1,80) têm maior chance de diagnóstico fora do município de residência. Houve significância estatística quanto ao modo de detecção por encaminhamentos (ORa=4,87; IC 95%=3,22-7,37), demanda espontânea (ORa=3,03; IC95%=2,00-4,60) e exame de contato (ORa=3,23; IC95%=1,87-5,55). O sexo feminino apresentou maior chance de hospitalização e óbito fora do município de residência (ORa=2,12, IC95% 1,23-3,66; ORa=3,74, IC 95%=1,68-8,36). Algumas faixas etárias foram significativas para as hospitalizações, em especial entre 0 e 14 anos (ORa=6,09; IC 95%=1,16 a 31,94). Em relação aos óbitos, houve significância principalmente para o local de ocorrência em hospitais (ORa=61,02, IC95%=18,31-203,39). Os fluxos foram predominantes para determinados municípios, sendo que a região com maior chance de diagnóstico fora do município de residência foi o Semiárido (ORa=1,93; IC95%=1,56-2,39). Quanto às hospitalizações, houve significância para ocorrência fora do município de residência na quase totalidade das regiões do estado. CONCLUSÃO: este estudo possibilita a visualização de áreas críticas de dificuldade de acesso em cada região, a influência das caraterísticas clínicas e sociodemográficas nesses atendimentos, bem como ratifica a necessidade de inclusão dos hospitais regionais como referência secundária, conforme posto na linha de cuidado para pessoas com hanseníase do estado, principalmente na região dos Cerrados. A melhora do acesso aos atendimentos implica em fortalecer a Atenção Primária e estruturar os serviços de saúde do estado para atender às necessidades de internações, que devem ser mais raras.

  • JORDAN AUGUSTO MOTA ARAGÃO
  • REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DE PREVENÇÃO E CONTROLE DE INFECÇÕES RELACIONADAS À ASSISTÊNCIA À SAÚDE ELABORADAS POR CUIDADORES INFORMAIS DE PACIENTES DOMICILIARES
  • Orientador : ANDREIA RODRIGUES MOURA DA COSTA VALLE
  • Data: 22/05/2023
  • Mostrar Resumo
  • OBJETIVO: Compreender as Representações Sociais de prevenção e controle de infecções relacionadas à assistência à saúde elaboradas por cuidadores informais de pacientes domiciliares. MÉTODOS: Trata-se de um estudo descritivo e exploratório, de abordagem qualitativa, guiado à luz da Teoria das Representações Sociais. O estudo foi realizado no Hospital de Urgência de Teresina, localizado na cidade de Teresina, capital do estado do Piauí, por meio de entrevistas com cuidadores informais de pacientes domiciliares atendidos pela Equipe Multiprofissional de Atenção Domiciliar do município. Os dados foram processados com auxílio do software IRAMUTEQ (Interface de R pour lês Analyses Multidimensionnelles de Textes et de Questionnaires), e organizados por meio do método da Classificação Hierárquica Descendente, sendo analisados posteriormente à Luz da Teoria das Representações Sociais. RESULTADOS: O processamento dos dados gerou 4 classes que guiaram os processos formadores das Representações Sociais: Classe 1 – Fontes de Consulta Sobre Cuidados ao Paciente Domiciliar; Classe 2 – Mecanismos de Prevenção e Controle de Infecções Relacionadas à Assistência à Saúde Utilizados pelos Cuidadores Informais; Classe 3 – Saberes dos Cuidadores Informais Sobre Prevenção e Controle de Infecções Relaciondas à Assistência à Saúde; e Classe 4 – Entendimento dos Cuidadores Informais sobre Infecções Relaciondas à Assistência à Saúde. Os cuidadores informais buscaram informações sobre cuidado ao paciente domiciliar nos profissionais que atuaram durante a internação hospitalar, na equipe multiprofissional de atenção domiciliar e da estratégia saúde da família e na plataforma de compartilhamento de vídeos Youtube. A classe 1 apresenta como a informação sobre cuidados é aprendida e consolidada. As representações de infecções relacionadas à assistência à saúde foram construídas a partir de conceitos apreendidos e familiarizados, através do seu processo de objetivação e aderidos ao cotidiano do grupo pelo processo de ancoragem. As classes 3 e 4 ilustram a objetivação de novos conceitos, e a classe 2 o processo de ancoragem deste conteúdo. CONSIDERAÇÕES FINAIS: Conclui-se que os cuidadores buscam por informações sobre cuidado, prevenção e controle de infecções com profissionais de saúde, porém, ainda têm muitas dúvidas a respeito do assunto, elaborando representações bastante heterogêneas e demonstrando muita insegurança na interface prática.

  • CAMILA HANNA DE SOUSA
  • CARACTERÍSTICAS DE LESÕES DE PÉ DIABÉTICO EM PACIENTES HOSPITALIZADOS
  • Orientador : JOSE WICTO PEREIRA BORGES
  • Data: 09/05/2023
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: As úlceras diabéticas geraram comprometimento com os pés, sendo consideradas umas das principais causas de amputações, perda de mobilidade e alterações neurológicas que comprometem a qualidade de vida, interferindo socialmente com o indivíduo, família e o sistema de saúde. OBJETIVO: Caracterizar as lesões de pé diabético em pacientes hospitalizados e verificar a existência de associação com variavéis sociodemográficas e clínicas. METÓDOS: Estudo observacional, analítico e transversal realizado em um hospital da rede pública, com 44 participantes com Diabetes Mellitus (DM) e que apresentavam feridas nos pés. A coleta de dados ocorreu nos meses de setembro a novembro de 2022, por meio de entrevista, exame clínico, aplicação de testes de sensibilidade e avaliação das características das lesões. Os dados foram tabulados no Microsoft Excel 2016 e processados no Statistical Package for the Social Sciences-SPSS versão 26.0 utilizando estatísticas descritivas e inferenciais. Na análise bivariada, aplicado-se o teste estatístico Teste Exato de Fisher com nível de significância de 95%. Esta pesquisa é aprovada junto ao Comitê de Ética e Pesquisa com o número de parecer: 5.602.846, obedecendo às normas da Resolução 466/16 do Conselho Nacional de Saúde. RESULTADOS/DISCUSSÃO: dos participantes do estudo 52,3% moravam na zona urbana, desses 68,2% moraram em uma cidade circunvizinha da cidade polo na qual possui a unidade de referência de atendimento hospitalar; 68,2% dos participantes eram do sexo masculino, 59,1% com ≥60 anos, 68,2% eram casados ou viviam em união estável, 38,6% possuíam ensino fundamental incompleto, 63,6% eram aposentados, e 70,5% possuíam uma renda de um a dois salários mínimos. A tempo de diagnóstico do DM foi de maior/igual a 6 anos para 56,8% dos participantes. O uso de medicamentos orais foi o tipo de tratamento predominante 54,5%. O pé esquerdo obteve a maior presença de lesões com 52,3%, que estavam localizadas no antepé (73,9%). A localização das lesões no pé direito foi na região do mediopé e/ou retropé (27,8%). Em relação a neuropatia, a sensação protetora foi ausente em 72,2% do pé direito e 95,7% no esquerdo. O grau de comprometimento das lesões de acordo com o sistema SINBAD foi de alto risco para 54,5% dos participantes. Apesar de as lesões identificadas serem complexas, não foram observadas associações do grau das lesões com as características sociodemográficas e clínicas e características. CONCLUSÃO: As características das lesões de pé diabético de pacientes hospitalizados mostraram lesões complexas, com alto grau de risco para amputações. A ausência de pacientes com baixo risco de amputação homogeneizou os participantes em risco moderado e alto, interferindo na busca de associações que explicassem as lesões. As lesões complexas encontradas mostraram que é fundamental a adoções de medidas de prevenção e promoção da saúde no âmbito da Atenção Básica que evite o desenvolvimento dessas e agravamento dessas lesões e consequente tratamento em âmbito hospitalar desses pacientes.
     

  • JEFFERSON ABRAÃO CAETANO LIRA
  • CONSTRUÇÃO E VALIDAÇÃO DE INTERVENÇÃO EDUCATIVA EM AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM SOBRE PREVENÇÃO E MANEJO DO PÉ DIABÉTICO PARA ENFERMEIROS DA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE
  • Orientador : LIDYA TOLSTENKO NOGUEIRA
  • Data: 05/05/2023
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: o pé diabético é uma síndrome caracterizada pela presença de infecção, ulceração e/ou destruição de tecidos profundos associados às anormalidades neurológicas e à doença vascular periférica em pessoas acometidas pelo diabetes mellitus. A falta de capacitação e de  educação continuada, atreladas à indisponibilidade de instrumentos para avaliação adequada dos pés, são alguns dos entraves que dificultam a qualidade da assistência de enfermagem às pessoas com diabetes mellitus na Atenção Primária à Saúde. Assim, o Ambiente Virtual de Aprendizagem é um recurso da Educação a Distância importante para a educação continuada de profissionais. Objetivo: construir e validar intervenção educativa em ambiente virtual de aprendizagem sobre prevenção e manejo do pé diabético para enfermeiros da Atenção Primária à Saúde. Método: estudo multimétodos dividido em dois subestudos: revisão sistemática e metanálise e estudo metodológico. A revisão sistemática e metanálise foi elaborada segundo as recomendações da colaboração Cochrane e das diretrizes do Preferred Reporting Items for Systematic Review and Meta-Analysis Protocols. O levantamento bibliográfico foi realizado nas bases de dados MEDLINE via PubMed, CINAHL, Web of Science, Scopus, Embase, Central Cochrane, BDENF, índice bibliográfico LILACS, biblioteca eletrônica Scielo e na literatura cinza. A amostra foi constituída de 11 ensaios clínicos controlados randomizados. O risco de viés foi avaliado pela ferramenta Revised Cochrane risk-of-bias tool for randomized trials e a certeza da evidência pelo Grading of Recommendations Assessment, Development and Evalution. A síntese dos resultados foi realizada de forma descritiva e pela metanálise. O estudo metodológico para construção do ambiente virtual de aprendizagem seguiu as etapas adaptadas de Chee et al., (2014). A validação abordou os aspectos pedagógicos e a usabilidade, com peritos de Enfermagem em Estomaterapia e Informática, sendo selecionados 29 peritos de Enfermagem em Estomaterapia e cinco de Informática. A amostra foi por conveniência e obedeceu aos critérios de Fehring. Os dados foram coletados por meio de questionário sociodemográfico e profissional e dos instrumentos Learning Object Review Instrument e do Guia para análise do Design e Interface. Os dados foram analisados mediante estatística descritiva e inferencial. A concordância dos peritos foi definida por meio do percentual de concordância e do teste binomial. Esta pesquisa foi aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Piauí, com parecer n° 5.179.989, de 2021. Resultados: na revisão sistemática e metanálise, as tecnologias educativas predominantes foram os treinamentos e as orientações verbais, destacando-se as tecnologias leve-duras. Na comparação com o cuidado usual, as tecnologias educativas apresentaram fator de proteção para prevenção da incidência de úlcera diabética (RR=0,40; IC 95%=0,18-0,90; p=0,03) e a avaliação de certeza da evidência foi baixa. As tecnologias educativas também tiveram fator de proteção para prevenção da incidência de amputação em membros inferiores (RR=0,53; IC 95%=0,31-0,90; p=0,02) e a certeza da evidência foi muito baixa. O estudo metodológico foi realizado após a revisão sistemática e metanálise, sendo construído o ambiente virtual de aprendizagem Pé diabético.net, que foi elaborado em cinco módulos, com videoaulas expositivas e práticas, box saiba mais, fórum e quiz. Na validação pedagógica, a média total do percentual de concordância foi de 97%. A qualidade do conteúdo, o alinhamento de objetivos de aprendizagem, a motivação, utilização de interação e conformidade padrão apresentaram percentual de concordância de 100% pelos peritos (p<0,001). Na validação da usabilidade, 95% dos itens tiveram percentual de concordância de 100%. As recomendações dos peritos foram acatadas quase em totalidade. Conclusão: as tecnologias educativas leve-duras, como as orientações verbais estruturadas, jogos educativos, aula expositiva, treinamentos teórico-práticos, vídeo educativo, folder, álbum seriado e desenhos lúdicos, e as tecnologias duras, a exemplo do calçado terapêutico, palmilhas, termômetro digital de infravermelho, kits de cuidados com os pés, aplicativo de telemedicina e telefone móvel, foram efetivas para prevenção e tratamento da úlcera diabética, porém, estudos mais robustos são necessários. O ambiente virtual de aprendizagem Pé diabético.net foi considerado válido com elevado percentual de concordância entre os peritos e poderá ser uma ferramenta útil para a educação continuada de enfermeiros da Atenção Primária à Saúde.

  • AMANDA KAROLINY MENESES RESENDE FORTES
  • DESENVOLVIMENTO DE ÁLBUM SERIADO PARA PROMOÇÃO DO CONTATO PELE A PELE APÓS O NASCIMENTO
  • Orientador : HERLA MARIA FURTADO JORGE
  • Data: 04/04/2023
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O contato pele a pele durante a primeira hora de vida do recém-nascido, é uma prática baseada em evidências científicas, que consiste em colocar o bebê desnudo sobre o tórax ou abdômen da mãe ou do pai. Objetivo: Desenvolver um álbum seriado para a promoção do contato pele a pele após o nascimento com base na Teoria da Adaptação de Callista Roy. Métodologia: Trata-se de uma pesquisa metodológica, com alicerce na Teoria e no Modelo de Adaptação de Callista Roy, seguiu-se as quatro etapas propostas por Echer (2005): Levantamento Bibliográfico (Revisão Integrativa); Submissão ao Comitê de Ética (Parecer n. 5.303.180); Construção da Tecnologia (Diagnóstico Situacional – com entrevistas semiestruturadas; elaboração do Roteiro/Storyboard); Validação do instrumento, por juízes expertises e avaliação pelo público-alvo, no período de dezembro de 2022 a janeiro de 2023. A validação de conteúdo e aparência foi realizada por 13 juízes profissionais enfermeiros especialistas, 11 juízes profissionais enfermeiros assistênciais, três juízes técnicos com experiencia em design e, 22 gestantes. A seleção dos especialistas se deu por bola de neve, foram aplicados os critérios de Fehring (adaptado), os convites foram enviados por e-mail, com formulário via Google Form, com questionários de caracterização sociodemográfica, e os instrumentos: Suitability Assessment of Materials (SAM), Pasquali (Adaptado) e instrumentos para ilustrações (adaptado), por escala Likert. A avaliação com público-alvo, ocorreu com cálculo amostral recomendado pela literatura e critérios de inclusão previamente definidos. Os dados obtidos foram analisados pelo SPSS versão 21.0, calculando-se estatística descritiva, o Indice de Validade de Conteúdo e a concordância das respostas ao instrumento, a análise inferencial foi pelo Coeficiente alfa de Cronbach. Resultados: Os resultados desta pesquisa foram estruturados em três artigos: 1. “Tecnologias educacionais para a promoção do contato pele a pele entre mãe e recém-nascido na primeira hora de vida: revisão integrativa”, ao qual, as tecnologias educacionais foram consideradas como ferramentas de transformação do cuidado (grupos de discussão/grupo focal, palestras e vídeos educativos), e abodaram como principalmente, a implantação desse cuidado ambiente hospitalar. 2. “Conhecimento de gestantes sobre o contato pele a pele: interface com a Teoria de Callista Roy”, contemplou a investigação de estímulos e a análise comportamental dos modos adaptativos, destacaram-se, os estímulos focais (informações insuficientes no pré-natal) e prevaleceram diagnósticos do modo físico-fisiológico. 3. “Construção e validação de álbum seriado: contato pele a pele na primeira hora de vida”, na etapa de construção aplicou-se as evidências científicas, o diagnóstico situacional, a Teoria da Adaptação de Callista Roy e na etapa de validação, obteve-se constatado pelo IVC Global do álbum seriado de 0,998. Assim como, a concordância geral de 88,72, e a consistência interna calculada pelo Alfa de Cronbach, de 0,776, validando o álbum seriado quanto ao conteúdo e aparência. Conclusão: O desenvolvimento e validação do álbum sobre uma temática ainda pouco explorada no pré-natal, construído junto ao público-alvo, com rigor teórico-científico embasado em uma Teoria de Enfermagem e em evidências científcas atuais, caracterizam o estudo como inovador e válido para ser aplicado em todo território nacional.

  • GERARLENE PONTE GUIMARÃES SANTOS
  • EFETIVIDADE DE INTERVENÇÃO EDUCACIONAL NO ESTRESSE PARENTAL EM UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA NEONATAL: ESTUDO QUASE EXPERIMENTAL
  • Orientador : MARCIA TELES DE OLIVEIRA GOUVEIA
  • Data: 31/03/2023
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A experiência de ter um filho internado em uma Unidade de Terapia Intensiva pode ser vivenciada pelos pais sob fortes emoções; gera traumas e prejudica o vínculo parental. Objetivo: Avaliar a efetividade de uma intervenção combinada na redução do estresse materno durante a internação do recém-nascido. Método: Estudo prospectivo, quase experimental, do tipo antes e depois, com único grupo, realizado em uma Unidade de Terapia Intensiva Neonatal de um hospital público do estado do Piauí. Compuseram a amostra 50 mães e seus recém-nascidos. Os dados foram coletados por questionários estruturados, em dois momentos, utilizando-se a Teoria da Consecução do Papel Materno, a Parent Stressor Scale: NICU (PSS:NICU) e uma intervenção combinada intra-momento. A coleta de dados ocorreu entre outubro de 2021 a junho de 2022, os mesmos foram analisados pelo software (SPSS); para o desfecho principal, utilizou-se o teste de Wilcoxon. Para as variáveis categóricas, frequência absoluta (n) e relativa (%); para as variáveis numéricas, medianas e interquartis. Para as análises bivariadas, utilizou-se correlações de Pearson, Spearman e para as multivariadas, a regressão múltipla. Adotou-se significância estatística, para o valor de p menor ou igual a 0,05. O projeto recebeu aprovação do Comitê de Ética em Pesquisa Humana da Universidade Federal do Piauí, com o parecer número 4.717.319 e cadastro no Registro Brasileiro de Ensaios Clínicos (RBR-9w7kspz). Resultados: A idade variou entre 15 a 37 anos, pardas (56%), casada/união estável (80%), católicas e na segunda ou mais gestações (60%), parto vaginal e dois ou mais filhos vivos (52%) e gestação não planejada (54%). O estresse materno obteve pontuação total maior na pré-intervenção, mediana/interquartil 2,82 (2,26 – 3,39), dentre as subescalas, a “alteração no papel parental” alcançou maior nível de estresse, 4,00 (3,37 – 4,40), seguido “sons e imagens” 2,50 (1,30 – 3,20) e “aparência e comportamento” infantil, 2,07 (1,67 – 2,78). Houve diferença estatística intra momentos nas três subescalas e no estresse geral (p<0,000). O estresse foi associado à idade materna, à raça e ao estresse vivenciado no ano anterior ao parto; obteve-se modelo de regressão [F (2,47) – 5,772; p <0,006, R2=0,296). Além do mais, outras variáveis correlacionaram-se ao estresse geral, a idade materna e o APGAR no 5º minuto. O estresse na subescala imagens e sons, correlacionou-se ao APGAR 1º e 5º minuto e na subescala “aparência e comportamento” correlacionou-se a anos de casados. O acompanhamento guiado e diário, ocorreu em 100% das participantes, alcançou mediana/interquartil 8 (7 – 10). Dentre os cuidados mais prestados pela mãe, estavam o toque seguro, conversar/cantar, troca de fraldas, limpeza do coto umbilical e posição canguru. Considerações Finais: A intervenção combinada reduziu de maneira efetiva e positiva os níveis de estresse nas três subescalas e no estresse geral. Recomenda-se fortemente a promoção de intervenções direcionadas à mãe de recém-nascidos internados em Unidade de Terapia Intensiva, que possam acolher, dialogar e estimular a parentalidade, além do mais a ampliação de outros estudos com amostras mais abrangentes que incentiva o protagonismo materno no exercício parental, de modo que se promova acolhimento e orientação da equipe multiprofissional.

  • IVANA CAVALCANTE DE SOUSA BRUSSA
  • ESTRUTURA, PROCESSO E RESULTADO NO ATENDIMENTO EMERGENCIAL ÀS TENTATIVAS DE SUICÍDIO EM TEMPOS DE PANDEMIA COVID-19
  • Orientador : LIDYA TOLSTENKO NOGUEIRA
  • Data: 28/02/2023
  • Mostrar Resumo
  • A tentativa de suicídio configura-se como emergência psiquiátrica e integra a Lista Nacional de Notificação Compulsória de Doenças, Agravos e Eventos de Saúde Pública. As autoridades sanitárias e a comunidade científica evidenciam o aumento da incidência, prevalência e mortalidade durante a pandemia COVID-19, assim como têm destacado a necessidade da avaliação dos indicadores de estrutura, processo e resultado como importante estratégia para prevenção e controle. Objetivo: Avaliar as modificações impostas pela pandemia COVID-19 nos resultados clínicos e nas dimensões de estrutura e processo durante o atendimento emergencial às tentativas de suicídio. Método: Estudo avaliativo desenvolvido em duas etapas: 1 – Estudo transversal analítico com 443 registros assistenciais de pacientes que buscaram atendimento emergencial após tentativa de suicídio entre os anos de 2019 a 2021. A caracterização dos participantes foi realizada após análise dos registros de violência autoprovocada na ficha do Sistema de Informação de Agravos de Notificação; 2 – Estudo transversal analítico com 28 profissionais especializados para atendimento às tentativas de suicídio. Para tanto foi utilizado um formulário próprio que permitiu avaliar e comparar a estrutura, o processo e o resultado antes e durante o cenário pandêmico. A análise foi realizada com base nos princípios da estatística descritiva e inferencial. O estudo obteve aprovação emitida pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Piauí, sob processo número 4.866.443. Resultados: Apesar de serem registrados 443 casos de violência autoprovocada no período estudado, os resultados demonstraram redução considerável das notificações, sobretudo após o ano de 2020, em que foi decretado o estado de emergência global imposto pela pandemia COVID-19 e pelas suas medidas de enfrentamento. Ainda, verificou-se que o comportamento de risco predominou no sexo feminino (58,24%), com faixa etária de 20 a 34 anos (44,47%), autodeclaradas pardas (56,21%), solteiras (59,82%), de baixa escolaridade (20,10%) e com deficiência e/ou transtorno prévio (49,66%), dentre eles as desordens mentais e comportamentais. A comparação dos indicadores antes e durante a pandemia demonstrou redução do número de profissionais idosos (60,7%), melhoria no quadro de reserva técnica (42,9%), aumento da supervisão técnica (21,4%) e crescimento significativo da equipe de enfermagem (p=0,001). Mesmo com esses avanços, foi expressiva a frequência de participantes que consideraram inadequadas as instalações físicas (75,0%) e leitos com baixa acessibilidade (60,7%), bem como que desconheciam os protocolos clínicos e o organograma institucional (28,6%). No processo e resultado, os avanços compreenderam a aumento dos indicadores de identificação do paciente (82,1%), triagem (67,9%), percepção de agilidade clínica (28,6%), reunião entre equipe (35,7%), registros assistenciais e notificações (64,3%). Conclusão: Apesar das melhorias identificadas, as dimensões estrutura e o processo ainda apresentam limitações significativas, requerendo a estruturação de políticas públicas e linhas de cuidados como alternativas válidas, seguras e efetivas para a melhoria dos indicadores de tentativas de suicídio e da qualidade assistencial.

  • IVANA CAVALCANTE DE SOUSA BRUSSA
  • ESTRUTURA, PROCESSO E RESULTADO NO ATENDIMENTO EMERGENCIAL ÀS TENTATIVAS DE SUICÍDIO EM TEMPOS DE PANDEMIA COVID-19
  • Orientador : LIDYA TOLSTENKO NOGUEIRA
  • Data: 28/02/2023
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A tentativa de suicídio configura-se como emergência psiquiátrica e integra a Lista Nacional de Notificação Compulsória de Doenças, Agravos e Eventos de Saúde Pública. As autoridades sanitárias e a comunidade científica evidenciam o aumento da incidência, prevalência e mortalidade durante a pandemia COVID-19, assim como têm destacado a necessidade da avaliação dos indicadores de estrutura, processo e resultado como importante estratégia para prevenção e controle. Objetivo: Avaliar as modificações impostas pela pandemia COVID-19 nos resultados clínicos e nas dimensões de estrutura e processo durante o atendimento emergencial às tentativas de suicídio. Método: Estudo avaliativo desenvolvido em duas etapas: 1 – Estudo transversal analítico com 443 registros assistenciais de pacientes que buscaram atendimento emergencial após tentativa de suicídio entre os anos de 2019 a 2021. A caracterização dos participantes foi realizada após análise dos registros de violência autoprovocada na ficha do Sistema de Informação de Agravos de Notificação; 2 – Estudo transversal analítico com 28 profissionais especializados para atendimento às tentativas de suicídio. Para tanto foi utilizado um formulário próprio que permitiu avaliar e comparar a estrutura, o processo e o resultado antes e durante o cenário pandêmico. A análise foi realizada com base nos princípios da estatística descritiva e inferencial. O estudo obteve aprovação emitida pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Piauí, sob processo número 4.866.443. Resultados: Apesar de serem registrados 443 casos de violência autoprovocada no período estudado, os resultados demonstraram redução considerável das notificações, sobretudo após o ano de 2020, em que foi decretado o estado de emergência global imposto pela pandemia COVID-19 e pelas suas medidas de enfrentamento. Ainda, verificou-se que o comportamento de risco predominou no sexo feminino (58,24%), com faixa etária de 20 a 34 anos (44,47%), autodeclaradas pardas (56,21%), solteiras (59,82%), de baixa escolaridade (20,10%) e com deficiência e/ou transtorno prévio (49,66%), dentre eles as desordens mentais e comportamentais. A comparação dos indicadores antes e durante a pandemia demonstrou redução do número de profissionais idosos (60,7%), melhoria no quadro de reserva técnica (42,9%), aumento da supervisão técnica (21,4%) e crescimento significativo da equipe de enfermagem (p=0,001). Mesmo com esses avanços, foi expressiva a frequência de participantes que consideraram inadequadas as instalações físicas (75,0%) e leitos com baixa acessibilidade (60,7%), bem
    como que desconheciam os protocolos clínicos e o organograma institucional (28,6%). No processo e resultado, os avanços compreenderam a aumento dos indicadores de identificação do paciente (82,1%), triagem (67,9%), percepção de agilidade clínica (28,6%), reunião entre equipe (35,7%), registros assistenciais e notificações (64,3%). Conclusão: Apesar das melhorias identificadas, as dimensões estrutura e o processo ainda apresentam limitações significativas, requerendo a estruturação de políticas públicas e linhas de cuidados como alternativas válidas, seguras e efetivas para a melhoria dos indicadores de tentativas de suicídio e da qualidade assistencial.

  • SÔNIA MARIA DE ARAÚJO CAMPÊLO
  • PROTAGONISMO DOS NÚCLEOS DE SEGURANÇA DO PACIENTE DURANTE O ENFRENTAMENTO DA PANDEMIA DA COVID 19
  • Orientador : FERNANDA VALERIA SILVA DANTAS AVELINO
  • Data: 28/02/2023
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Mundialmente a pandemia da COVID-19 equacionou nas ambiências dos sistemas de saúde mais fragilidades em relação à segurança em saúde. Nesse sentido, as atribuições do Núcleo de Segurança do Paciente ganham lentes de aumento, sobretudo quando se fala na gestão do contexto organizacional na saúde para enfrentamento dos desafios postos. De acordo com o referencial teórico de Donabedian, a avaliação da qualidade da assistência em saúde pode subsidiar a tomada de decisão em relação às práticas ou serviços de saúde, principalmente, em momentos de crises como uma pandemia. Objetivos: Analisar a atuação dos Núcleos de Segurança do Paciente no município de Teresina frente a pandemia da COVID-19 relacionadas às dimensões de estrutura, processos e resultados para a segurança do paciente nos serviços de saúde. Método: Estudo realizado em duas etapas: 1. Revisão integrativa da literatura; 2. Estudo qualitativo, fundamentado no modelo de avaliação da qualidade em saúde “estrutura-processo-resultado” de Donabedian, realizado com 20 profissionais do Núcleo de Segurança do Paciente de três hospitais e uma maternidade, por meio de um roteiro de entrevista semiestruturado, no período de março a maio de 2022. Os dados foram processados no software IRaMuTeQ e analisados pela Classificação Hierárquica Descendente. A comunicação dos resultados do estudo obedeceu às diretrizes para relatórios de pesquisa de natureza qualitativa COREQ. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa de acordo n° parecer: 5.254.160. Resultados: A revisão integrativa em cinco bases de dados recuperou 25 estudos sobre estratégias de segurança do paciente implementadas em ambiente hospitalar durante a pandemia da COVID-19. Com relação ao estudo qualitativo, foram apresentados em cinco classes semânticas, a saber: Classe 1 – Eventos Adversos Identificados pelo Núcleo de Segurança do Paciente durante a pandemia da COVID-19; Classe 2 – Complicações evidenciadas pelo Núcleo de Segurança do Paciente durante o enfrentamento da pandemia COVID-19; Classe 3 – Estratégias utilizadas pelo Núcleo de Segurança do Paciente durante a pandemia da COVID-19; Classe 4 – Processos de trabalho desenvolvido pelo Núcleo de Segurança do Paciente durante a pandemia da COVID-19; Classe 5 – Reestruturação do Núcleo de Segurança do Paciente durante o enfrentamento da COVID -19. À luz do referencial teórico, à princípio, os Núcleos de Segurança do Paciente não estavam estruturados para o enfrentamento da pandemia, então, eles foram se adaptando à medida que os eventos adversos foram surgindo, por meio de estratégias de segurança do paciente. Durante o curso da pandemia, o núcleo criou processos e gerenciou ações para garantir a segurança do paciente e, rapidamente, o serviço foi reestruturado para atender às demandas causadas pela pandemia. É importante destacar que esse modelo de avaliação da qualidade em saúde é cíclico e não, necessariamente, inicia com a estruturação do serviço, como podemos observar nesse estudo. Considerações finais: As estratégias de segurança do paciente foram a luz para condução de uma assistência de qualidade em meio à escuridão que a pandemia se apresentou. Os Núcleos tiveram que se adaptar muito rápido às demandas e sua atuação foi condizente com as necessidades e especificidades de cada cenário. No protagonismo desse serviço destacam-se a atuação do enfermeiro, as práticas assistências pioneiras para compor políticas públicas de segurança do paciente e, principalmente, as vidas salvas.

  • EUKALIA PEREIRA DA ROCHA
  • REPRESENTAÇÕES SOCIAIS ACERCA DA SAÚDE MENTAL DE ENFERMEIROS E MÉDICOS DE NÚCLEOS INTERNOS DE REGULAÇÃO NO CONTEXTO DA COVID-19
  • Orientador : MARCIA ASTRES FERNANDES
  • Data: 28/02/2023
  • Mostrar Resumo
  • A pandemia da COVID-19 causada pelo novo coronavírus é um desafio à saúde pública, considerada pela Organização Mundial da Saúde como uma emergência em saúde pública, devido seu alto potencial de transmissibilidade. O crescente número de casos, e a alta demanda por leitos hospitalares têm levado profissionais da saúde a apresentar significativos níveis de desgaste físico e emocional. A Política Nacional de Atenção Hospitalar é responsável pela organização dos leitos hospitalares no Brasil, uma competência de enfermeiros, médicos e outros trabalhadores que atuam nos Núcleos Internos de Regulação. Estudos apontam que o aumento da demanda por leitos hospitalares está entre as causas do aumento de sintomas de depressão, ansiedade e estresse entre enfermeiros e médicos na pandemia. Trata-se de estudo descritivo-exploratório de abordagem qualitativa e guiada pela Teoria das Representações Sociais. O estudo objetivou compreender as representações sociais de enfermeiros e médicos atuantes em Núcleos Internos de Regulação (NIRs), acerca das implicações na saúde mental, no contexto da pandemia por COVID-19. Utilizou-se questionário sociodemográfico para caracterização dos participantes, escala DASS-21 para identificação dos níveis de depressão, ansiedade e estresse, e roteiro-guia para condução de entrevista-semiestruturada. Foi realizada análise descritiva dos dados sociodemográficos e da escala DASS-21. Utilizou-se o software Iramuteq para identificação dos termos evocados. Foram identificadas as seguintes classes: Classe 1: Percepção dos participantes quanto as funções do NIR; Classe 2: Percepção dos trabalhadores quanto a sua rotina no NIR; Classe 3: Percepção dos trabalhadores acerca da pandemia; Classe 4: Sentimentos e emoções vivenciados por trabalhadores do NIR durante a pandemia. Classe 5: O trabalho na pandemia. Classe 6: Aprendizados resultantes da pandemia. Estas contêm os seguintes elementos: funções essenciais do NIR durante a pandemia de COVID -19; rotina dos NIRs no contexto da pandemia; reflexões sobre a vida, os sentimentos e emoções vividos pelos profissionais; necessidades, sentimentos e atitudes; sentimentos que emergiram perante o surgimento de novos casos; aprendizados perante a pandemia. Espera-se com o presente estudo apresentar as subjetividades envolvidas na percepção de enfermeiros e médicos no contexto da pandemia de COVID -19. Como contribuição espera-se desenvolver subsídios para o desenvolvimento de estratégias de atenção a saúde mental do trabalhador em contexto de crise e pós-crise. Palavras-chave: 

  • EDUARDO MAZIKU LULENDO
  • PRÁTICAS SEXUAIS E FATORES ASSOCIADOS À EXPOSIÇÃO AO HIV EM HOMENS QUE FAZEM SEXO COM HOMENS IMIGRANTES ANGOLANOS: UM ESTUDO INTERNACIONAL
  • Orientador : TELMA MARIA EVANGELISTA DE ARAUJO
  • Data: 27/02/2023
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A epidemia causada pelo Vírus da Imunodeficiência Humana/Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (HIV/Aids) entre Homens que fazem Sexo com Homens (HSH) vem crescendo em diferentes países e os migrantes internacionais enfrentam iniquidades na saúde que os expõem a um risco maior de contrair o HIV. Objetivo Geral: Analisar as práticas sexuais e fatores associados à exposição ao HIV em HSH imigrantes angolanos. Objetivos Específicos: Identificar as características sociodemográficas dos imigrantes angolanos do estudo; descrever as práticas sexuais da amostra estudada, estimar o índice HIRE (Risco de Incidência de HIV para HSH), da amostra segundo a classificação em alto e baixo; determinar as variáveis associadas ao alto índice HIRI; Predizer como as variáveis independentes explicam o alto índice HIRI. Método: Realizou-se um estudo analítico, transversal, envolvendo 287HSH imigrantes angolanos. A coleta de dados ocorreu entre Setembro de 2020 a Fevereiro de 2021, com a aplicação de um formulário online. A análise descritiva incluiu frequências absolutas e relativas. Na análise bivariada foi utilizado o teste Qui-quadrado de Pearson (X2), para associar as variáveis qualitativas explicativas com a variável resposta do estudo. Para explicar o efeito conjunto das variáveis preditoras sobre a variável desfecho (alto índice HIRI) foi utilizada a Regressão Logística Múltipla (RLM), por meio de Odds Ratio.A significância estatísitica foi fixada em 5%. Resultados: O alto índice HIRI foi verificado em 76,8% da amostra. As variáveis que apresentaram associação estatisticamente significativa ao alto índice HIRI, foram, parceiro conhecido/repetido (p=0,028), fazer sexo sem preservativo (p=033), prática Chemsex (p=0,047),número de parceiros com quem foi passivo sem preservativo nos últimos 30 dias (p=0,036), e nos últimos 06 meses (p=0,047). Conclusão: A maior parte da amostra estudada apresentou alto risco de contaminação ao VIH, sugerindo a necessidade de implementação de políticas de saúde sexual que incluam a prevenção combinada ao HIV, voltadas aos homens imigrantes que fazem sexo com homens.

  • AZÍZ MOISÉS CARVALHO DUAILIBE
  • PREVALÊNCIA DA COVID-19 E FATORES ASSOCIADOS NO ESTADO DO PIAUÍ
  • Orientador : MARIA ELIETE BATISTA MOURA
  • Data: 23/02/2023
  • Mostrar Resumo
  • Segundo dados divulgados pela Organização Mundial da Saúde em 14 de agosto de 2020, a síndrome causada pelo vírus conhecido como COVID-19 é a pandemia mais devastadora que o mundo enfrenta neste século. No Brasil, o primeiro caso foi confirmado em fevereiro, e séries de ações foram tomadas para conter e retardar a progressão da doença. Em 3 de fevereiro de 2020, o país declarou uma emergência de saúde pública antes mesmo de o primeiro caso ser confirmado. No Piauí, altas taxas de letalidade foram registradas entre hospitais com desfechos para COVID-19, principal-mente no interior do estado, sugerindo que as disparidades regionais na saúde são um fator nos des-fechos hospitalares. Objetivo: Investigar a prevalência da COVID-19 e os fatores associados, no Es-tado do Piauí. Método: Trata-se de um estudo transversal, descritivo, retrospectivo, de natureza epi-demiológica e quantitativa. Foram estudadas todas as notificações de casos de Covid-19 no Estado do Piauí, no período de janeiro a dezembro de 2021 e incluídas no Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde – DATASUS e PAINEL COVID-19 PIAUÍ sob suporte do DATASTUDIO-PIAUÍ. A variável dependente foi a confirmação de COVID-19, comorbidades e suporte de oxigênio. As variáveis independentes foram os fatores sociodemográficos, e fatores clínicos. Os fatores socio-demográficos compreenderam: sexo, todas as faixas etárias, raça, município de residência. Com re-lação aos fatores clínicos, analisou-se: uso de suporte ventilatório. Por tratar-se de dados secundários, de domínio público e sem a identificação dos participantes, dispensou-se a aprovação do Comitê de Ética em Pesquisa com Seres Humanos, conforme Resolução nº 510, de 7 de abril de 2016, do Con-selho Nacional de Saúde (CNS). Resultados: No estado do Piauí apresentou 56,03% de casos do SARS-CoV-2 em pessoas que se denominavam pardas e 14,98% de pessoas que se denominavam brancas. Em relação à comorbidades, 59,46% dos casos confirmados eram pacientes que apresenta-vam comorbidades, em relação à idade, o Estado apresentou maior número de casos na faixa etária de 20 a 49 anos, 17,66%, diferentemente do que foi observado na Capital, que apresentou maior números de casos em pacientes com mais de 71 anos, 25,29%, e 17,99% para faixa etária entre 61 a 70 anos. Foram analisado aos dados referentes ao estado do Piauí e Capital, a maioria dos pacientes precisou de suporte, embora não invasivo (56,77%). E em segundo lugar estão aqueles que não pre-cisaram de suporte ventilatório, com 20,81%. Observa-se que apenas 15,28% precisaram recorrer ao suporte invasivo. Conclusão: A Capital apresentou o maior número de casos na faixa etária de 20 a 49 anos o que destoa em relação ao estado do Piauí que as faixas etárias evidenciam uma tendência progressiva para o número de pacientes em relação à faixa etária. O número de pacientes que possu-íam alguma comorbidade se revelou 18,92% maior comparativamente às pessoas plenamente saudá-veis. Um dado que se refletiu na necessidade de suporte ventilatório, pois estabelecendo um cruza-mento dos dados do DATASUS, é possível afirmar que todas as pessoas com comorbidades precisa-ram recorrer ao suporte ventilatório.

  • MARIANA MESQUITA SILVA
  • INTENÇÃO MATERNA DE AMAMENTAR: ANÁLISE DE INTERVENÇÃO EDUCATIVA POR TELEFONE
  • Orientador : GRAZIELLE ROBERTA FREITAS DA SILVA
  • Data: 17/02/2023
  • Mostrar Resumo
  • A mulher decide a forma que pretende alimentar seu filho ainda durante a gestação. Frente a isso torna-se necessária a captação precoce dessas mulheres pelos serviços de saúde para iniciarem intervenções para promoção da amamentação ainda no acompanhamento pré-natal. Objetivo: Avaliar a eficácia da intervenção educativa por telefone na IMA. Método: Trata-se de um estudo quase-experimental do tipo antes e depois, analítico, prospectivo com abordagem quantitativa de grupo único. A população do estudo é constituída por gestantes que estão no terceiro trimestres de gestação cadastradas nas unidades básicas e dois municípios piauienses as quais formaram o grupo único. A primeira fase se iniciou pela identificação das gestantes que atendam aos critérios de inclusão da pesquisa por meio de consulta aos prontuários e livro de registro de pré-natal. Inicialmente as gestantes foram abordadas nas unidades básicas de saúde durante a realização da consulta de pré-natal. No segundo momento foi aplicado a intervenção que consiste no envio via Whatsapp® Mensseger de um pacote de mensagens de texto e figuras (PMTF) acerca dos fatores de risco para o desmame precoce no período neonatal. Desse modo, a presente intervenção visa identificar inicialmente a intenção materna em amamentar e agir de modo a antecipar as principais dificuldades relacionadas ao aleitamento materno que influenciarão na intenção ou não de iniciar e manter a amamentação. A última etapa da intervenção se caracteriza pelo seguimento da intervenção ao longo do tempo, no 1ºe 3º mês do lactante. Nesse momento foi realizado ligações em cada mês supracitado e aplicado a escala IFI para aferir se a intenção verificada no início sofreu influência da intervenção prévia. Sendo possível a partir da reaplicação desse instrumento avaliar a ocorrência ou não da efetividade da intervenção. Resultados: observa-se que a intervenção educativa foi efetiva ao evidenciar um aumento exponencial dos itens da escala IFI nos momentos investigados e que dentre as características, a idade, nível de escolaridade, estado civil, renda familiar e realização de atividade remunerada são fatores que estão diretamente ligados a intenção materna de amamentar e a duração e exclusividade do aleitamento materno. Conclusão: a intervenção mostrou-se efetiva ao abordar as principais dificuldades, ainda na gestação, durante consulta de pré-natal evidenciando fragilidades que podem ser contornadas. Logo, tal instrumento apresenta potencial de ser usado como padrão nos serviços de saúde a fim de identificar as gestantes com baixa intenção e permitir intervir prontamente.

  • DANILA BARROS BEZERRA LEAL
  • ASPECTOS RELACIONADOS À NOTIFICAÇÃO DA COVID-19 NO MUNICÍPIO DE PICOS-PIAUÍ
  • Orientador : ANDREIA RODRIGUES MOURA DA COSTA VALLE
  • Data: 07/02/2023
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: a covid-19 provocou grandes impactos na saúde mundial, devido ao seu amplo espectro clínico, alta transmissibilidade, desconhecimento de tratamento e dificuldade de controle, necessitando de um monitoramento real dos casos para conseguir identificar pontos em comum e então formar a epidemiologia da doença. Objetivo: avaliar aspectos relacionados à notificação de casos suspeitos ou confirmados de covid-19. Método: trata-se de um estudo de caso transversal analítico, nas instituições públicas de saúde de Picos-Pi, que atendem casos de covid-19. Todos os profissionais que atuam na notificação da covid-19 compuseram a amostra, totalizando 42 participantes. Após aprovação em comitê de ética, a coleta de dados aconteceu de março a abril de 2022, e os dados foram coletados por meio de questionário auto aplicado. Em seguida, foram organizados no Microsoft Excel® e submetidos à análise estatística com o R Project for Statistical Computing versão 4.1.0. Resultados: os resultados referentes ao perfil sociodemográfico e ocupacional dos profissionais, que realizavam a notificação, mostraram que a maioria era do sexo feminino (90,5%) e todos eram enfermeiros. Na avaliação de conceitos do protocolo de notificação de covid-19 (prazo, compulsoriedade, notificação de todos os casos, momento para notificar), 61,9% responderam adequadamente quando indagado sobre o prazo da notificação de covid-19. A notificação de todos os casos foi escolhida por 73,8%. Sobre à compulsoriedade da notificação de covid-19, 88,1% dos profissionais responderam afirmativamente. Sobre a prática da notificação de covid-19, 45,2% dos participantes afirmaram levar 10 minutos ou mais para notificar; 35,7% consideram a ficha de notificação extensa e 33,7% dos participantes julgaram realizar o preenchimento em menos de cinco minutos. Ainda foi questionada sobre a disponibilidade de tempo para realizar a notificação, e uma maior parte dos profissionais (52,4%) consideraram ter pouco tempo para realizar a notificação. 59,5% dos participantes afirmaram ter recebido capacitação sobre covid-19, porém menos da metade dos participantes referiram ter recebido capacitação específica sobre a notificação de covid-19 (45,2%). As razões mais referidas para o preenchimento da ficha de notificação foram: ajuda a traçar estratégias para implantar programas de prevenção (34%) e ajuda a identificar o número de casos (27,8%). Foi unânime a resposta sobre a população ser beneficiada com a notificação e dentre os benefícios mais indicados pelos participantes foram: ajuda a traçar estratégias para implantar medidas de proteção contra a covid-19 (22,5%) e ajuda a identificar o número de casos de covid-19 no meu município (22,0%). Sobrecarga de trabalho foi considerado o principal obstáculo para a notificação. Conclusão: é necessário investimento para fortalecer as ações de vigilância em saúde, propondo ações de educação em saúde, a fim de melhorar a produção do dado, consequentemente melhorar a informação gerada e assim, subsidiar melhores planejamentos na saúde, que garantirão melhores condições de saúde.

  • FERNANDA FERREIRA DE MORAIS
  • DESENVOLVIMENTO DO CONTEÚDO DE UMA TECNOLOGIA MHEALTH PARA O ACOMPANHAMENTO DA CONSULTA PRÉ-NATAL
  • Orientador : HERLA MARIA FURTADO JORGE
  • Data: 30/01/2023
  • Mostrar Resumo
  • As tecnologias móveis em saúde, mobile health, são avaliadas como medicina ou saúde pública praticada por meio de dispositivos móveis, como telefones celulares, aparelhos de monitoramento de pacientes, assistentes pessoais digitais e outros dispositivos sem fio. A saúde móvel foi reconhecida pela Organização Mundial como um potencial estratégia para as práticas de saúde, beneficiando a incorporação desse artefato de forma cada vez mais frequente. Objetivo: Descrever o desenvolvimento de uma tecnologia mHealth, do tipo aplicativo móvel, para o acompanhamento da consulta pré-natal. Metodologia: Trata-se de um estudo metodológico por meio das três etapas: diagnóstico situacional da produção cientifica e tecnológica na temática, desenvolvimento de uma tecnologia mHealth, do tipo aplicativo móvel, , validação por juízes especialistas.

  • ANDREIA KARLA DE CARVALHO BARBOSA CAVALCANTE
  • AVALIAÇÃO DA CULTURA DE SEGURANÇA EM UNIDADES DE TERAPIA INTENSIVA: UM ESTUDO LONGITUDINAL
  • Orientador : LIDYA TOLSTENKO NOGUEIRA
  • Data: 20/01/2023
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A cultura de segurança proporciona o aprendizado organizacional desde incidentes, notificação de erros e resolução dos problemas relacionados à segurança do paciente, mediada pelos núcleos de segurança do paciente. Objetivo: Comparar a cultura de segurança em Unidades de Terapia Intensiva, na perspectiva dos profissionais de saúde, antes e depois da implantação do núcleo de segurança. Método: Estudo multimétodos, desenvolvido em três etapas: 1 - Revisão integrativa com busca e seleção nas bases CINAHL, Web of Science, MEDLINE, LILACS e IBECS com amostra de 13 artigos que analisaram as contribuições das tecnologias digitais para a segurança do paciente no contexto hospitalar; 2 - Estudo transversal, analítico, tendo 320 participantes em 2016, por meio do Hospital Survey on Patient Safety Culture, faz parte da dissertação da Pós-graduação em Enfermagem da UFPI intitulada “Avaliação da Cultura de segurança em hospital de ensino”. 3 - Pesquisa analítica, delineamento longitudinal desenvolvida com 66 profissionais cinco anos depois, com nova coleta de dados na mesma instituição e com o mesmo instrumento, envolvendo exclusivamente os participantes das UTIs do estudo anterior, considerando a nova realidade da criação dos núcleos e a pandemia de COVID-19. Para comparar a cultura de segurança nos dois períodos, foi aplicado o Teste ANOVA de duas vias (Two-way ANOVA) nas amostras que atenderam ao pressuposto de normalidade, ou o Teste de Friedman, quando violaram os pressupostos de normalidade. Pesquisa aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Piauí. Resultados: A revisão evidenciou que as contribuições das tecnologias digitais são expressivas na literatura internacional, resultando na comunicação adequada, gerenciamento de riscos, redução de custos e tempo de atendimento, prática de medicação segura e registro de eventos adversos. No Brasil, os softwares, smartphone e/ou suporte telefônico ainda são limitados, demonstrando necessidade de tecnologias válidas, de fácil acesso e ampla disponibilidade. Nas etapas dois e três do estudo predominou o sexo feminino, tempo de trabalho e na unidade com 21 anos ou mais, carga horária semanal de 20 a 39 horas, maioria técnicos de enfermagem, com interação ao paciente, tempo de trabalho na especialização de 16 anos ou mais, prevalecendo a pós-graduação. Quanto as dimensões do instrumento, manteve-se moderadas nos períodos, a mais próxima da área de melhoria em 2016 “Expectativas e ações do supervisor” e “Trabalho em equipe na unidade”, em 2021, “Trabalho em equipe na unidade” e “Aprendizado Organizacional”. A nota de segurança do paciente, permaneceu regular e, houve um aumento na subnotificação de eventos mesmo após a implantação do núcleo. O índice de cultura de segurança nas etapas, destacou que as dimensões com diferenças estatísticas significativas foram: "Resposta não punitiva ao erro", "Abertura da comunicação" e "Expectativas e ações que promovam SP". O Alfa de Cronbach do instrumento variou em 2016 de 0,799 a 0,855 e em 2021 de 0, 828 a 0,874. Conclusão: Para ter cultura de segurança é necessário fundamentar estratégia e ações que priorize a promoção e a prevenção de segurança do paciente entre gestores e profissionais de saúde aliado as tecnologias no serviço.

  • ANDRÉA PINTO DA COSTA RAMOS
  • ASPECTOS EMOCIONAIS DE INDIVÍDUOS COM DOENÇAS INFLAMATÓRIAS INTESTINAIS À LUZ DA QUALIDADE DE VIDA.
  • Orientador : GRAZIELLE ROBERTA FREITAS DA SILVA
  • Data: 13/01/2023
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: As Doenças Inflamatórias Intestinais são distúrbios autoimunes que evidenciam uma resposta imunológica escassa ou acentuada, as duas principais categorias de doenças que a caracterizam são a Doença de Crohn e a Retocolite Ulcerativa. Tem-se como manifestações clínicas mais frequentes da doença: diarreia muco-sanguinolenta, acompanhada de cólicas intestinais, urgência evacuatória, tenesmo, e sintomas sistêmicos como febre, inapetência, astenia e emagrecimento. Acometem com mais frequência adolescentes e jovens adultos, contudo podem surgir em qualquer faixa etária. Fatores psicológicos exercem grande influência no curso das DII e na capacidade de adaptação do indivíduo. Através do estudo de aspectos emocionais, a psicologia da saúde trabalha para melhorar o ajustamento face às doenças inflamatórias a fim de que se possa enfrentar da melhor forma as limitações que essas doenças impõem e desfrutar de melhores condições de vida e saúde. Objetivo: Correlacionar o domínio aspectos emocionais do Inflammatory Bowel Disease Questionnaire com os dados sociodemográficos e clínicos dos pacientes com DII. Metodologia: O delineamento do estudo é transversal e quantitativo. O cenário da pesquisa foi o Hospital Universitário – Universidade Federal do Piauí, cidade de Teresina, Estado do Piauí. A amostra é não probabilística por conveniência, com um total de 80 participantes. Para coleta de dados utilizou-se formulário para caracterização dos aspectos sociodemográfico, econômico e clínico dos pacientes com DII e o Inflammatory Bowel Disease Questionnaire (IBDQ). Os resultados estão sendo apresentados por meio de gráficos e tabelas no programa Microsoftware Excel 2016 e Statistical Package for the Social Sciences-SPSS (Versão 26). Para a caracterização dos dados amostrais serão realizadas análises descritivas com valores de frequências relativas e absolutas, percentuais, medianas, médias e variabilidade de desvio padrão. A correlação entre as variáveis do IBDQ será verificada por meio do Teste Exato de Fisher. Resultados: Os resultados do IBDQ na amostra estudada, a QV foi boa, sendo que a amostra contou com total de 80 pacientes com DII, a maioria do sexo masculino com idade acima de 40 anos, consideram-se pardos, em sua maioria estãosolteiros/separados/divorciados, possuem ocupação profissional, estudaram entre 5-10 anos, consideram-se católicos. Conclusão: A qualidade de vida dos pacientes é considerada boa e a média±Dp do domínio emocional é de 60,40±12,97

2022
Descrição
  • ANTONIA MAURYANE LOPES
  • FATORES SOCIODEMOGRÁFICOS E CLÍNICOS RELACIONADOS À QUALIDADE DE VIDA DE PACIENTES COM DOENÇA INFLAMATÓRIA INTESTINAL
  • Orientador : GRAZIELLE ROBERTA FREITAS DA SILVA
  • Data: 30/12/2022
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: As doenças Inflamatórias Intestinais provocam impacto na qualidade de vida. Objetivo: Avaliar a qualidade de vida em associação com as variáveis sociodemográficas e clínicas de pacientes com Doença Inflamatória Intestinal. Método: Estudo transversal, realizado entre abril de 2021 e outubro 2022, no ambulatório e no centro de infusão de imunobiológicos do Hospital Universitário do Piauí, com 105 pacientes com doença inflamatória intestinal. Utilizou-se de formulário para caracterização sociodemográfica, clínica e o Inflammatory Bowel Diasease para avaliação da qualidade de vida. Utilizaram-seda análise univariada descritiva, do teste de Shapiro-Wilk, teste Qui-quadrado de Pearson, teste t de Student, ou Análise de variância e teste Z de Kolmogorov- Smirnov e da regressão de Logística Múltipla com razão de chance ajustada. O critério de significância ou permanência das variáveis foi a associação em nível de 5% (p˂0,05). Utilizou-se os softwares Statistical Package for the Social Science (SPSS), versão 20.0 e R-Projc, versão 4.2.2. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética com número: 1.847.126. Resultados/discussão: Na avaliação geral, a qualidade de vida dos pacientes com doença Inflamatória intestinal do estudo apresentou-se como regular e os fatores sociodemográficos com cor de pele negra (p=0,006), menor tempo de estudo (p=0,47), dona de lar (p=0,009), renda menor abaixo de um salário (p=0,016) e residem em áreas rurais (p=0,094) caracterizaram-nos com pior qualidade de vida. Quanto aos aspectos clínicos, a presença de dor abdominal (p=0,028) e necessidade de cirurgia (p=0,015) e acometimento pela covid-19 foram indicadores que pioraram a qualidade de vida O estudo mostrou que o fator idade não interferiu na qualidade de vida do grupo (p=0,612&gt;0,05). Os pacientes com pior qualidade de vida foram: os que realizaram cirurgias, acometidos pela covid-19 e os que se vacinaram com a vacina pfizer. Não houve associação significativa com dados relacionados à covid-19; tratamento medicamento, e entre escore geral da qualidade de vida com fatores sistêmicos, intestinais, emocionais e sociais. Os pacientes com doença de Crohn realizaram mais cirurgias, abandonaram o tratamento e tiveram pior qualidade de vida geral e nos aspectos sistêmicos, intestinais, emocionais e sociais, comparados com retocolite ulcerativa (p=0,019&lt;0,05). Os pacientes do estudo com retocolite ulcerativa em uso de Ustequimumabe possuíam pior qualidade de vida, esses pacientes possuíam comorbidades associadas, utilizavam mais o vedozulimumab e procuravam mais serviço de nutrição, mas grande parte foi acometida pela covid-19. Os pacientes com DII de cor de pele negra, desempregados, dona do lar, renda baixa possuem mais chances de ter qualidade de vida pior. Conclusão: Os fatores Sociodemográficos e clínicos das pessoas com doença inflamatória intestinal interferem na qualidade de vida e apresentaram-se com qualidade de vida regular, sendo que os com Doença de Crohn tiveram pior qualidade de vida, quando comparados com os de Retocolite ulcerativa.

  • BIANCA ANNE MENDES DE BRITO
  • RELAÇÃO ENTRE DEPENDÊNCIA DE SMARTPHONE, PROFISSIONALISMO E COMUNICAÇÃO INTERPESSOAL EM ENFERMEIROS DE INSTITUIÇÕES HOSPITALARES
  • Orientador : ELAINE MARIA LEITE RANGEL ANDRADE
  • Data: 22/12/2022
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A dependência de smartphones é responsável por provocar diversos problemas sociais e de saúde, neste sentido este estudo foi proposto. Objetivo: analisar a relação entre dependência de smartphones, profissionalismo e comunicação interpessoal em enfermeiros de instituições hospitalares, controlados por fatores sociodemográficos, acadêmicos, laborais e uso de smartphone. Método: estudo analítico, correlacional e quantitativo, realizado em três hospitais públicos de alta complexidade no Piauí, no primeiro semestre de 2022. A amostra foi obtida por sorteio e constituída por 183 enfermeiros e para coleta de dados foram utilizados os seguintes instrumentos: caracterização sociodemográfica, a escala Smartphone Addiction Inventory (SPAI) e a escala de autoavaliação sobre profissionalismo e comunicação interpessoal entre enfermeiro e paciente. Os dados foram analisados por meio de estatísticas descritivas, frequências, percentuais, medidas de tendência central e dispersão. O nível de significância adotado foi 0,05. Resultado: A maioria dos enfermeiros era do sexo feminino 141 (77%) e a média de idade foi de 39 anos. No que se refere a raça 110 (60,1%) se autodeclararam pardos. Cento e vinte e seis (68,9) eram católicos. Cento e treze (61,7%) eram casados ou tinham união estável. A média do tempo de formação dos enfermeiros foi de 12,9 anos. Cem (54,6%) trabalham em instituição estadual, com tempo de serviço na profissão médio de 11,9 anos e 81 (44,3%) trabalham em unidades de internação. Cento e sessenta e oito (91,8%) enfermeiros usavam o smartphone para comunicação com pessoas da instituição hospitalar durante o turno de trabalho e 139 (76%) para comunicação com familiares. A prevalência global da adição de smartphone entre os enfermeiros das instituições hospitalares foi de 26 (14,2%), (complemento em construção). Conclusão: Concluiu-se que há necessidade de construir intervenções educativas para uso racional de smartphones dentro e fora das instituições hospitalares e desenvolver políticas públicas de promoção da saúde e prevenção da dependência de smartphones e fatores relacionados.

  • OTONIEL DAMASCENO SOUSA
  • ANÁLISE EPIDEMIOLÓGICA DA COVID-19 NO ESTADO DO MARANHÃO
  • Orientador : MARIA ELIETE BATISTA MOURA
  • Data: 21/12/2022
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: o novo vírus causador da COVID-19, doença que matou milhares de pessoas mundo a fora, acomete principalmente os pulmões de forma aguda e grave. Este patógeno é descrito como um beta coronavírus que possui material genético composto por Ácido ribonucleico (RNA) de fita simples. Objetivo: Analisar o perfil epidemiológico de casos confirmados e óbitos por tipo de comorbidades de COVID-19 no Estado do Maranhão. Método: trata-se de um estudo transversal, descritivo, retrospectivo, de natureza epidemiológica e quantitativo. Foi realizado tendo como base o número de notificações de casos e óbitos confirmados por COVID-19 no Estado do Maranhão, constantes do Boletim Epidemiológico de 31 de dezembro de 2021. Os dados foram agrupados no Software Excel®, no qual foi realizada a análise descritiva e relatvia em números e percentual. Resulatdos: os dados apresentados no boletim epidemiológico demonstraram que a maioria dos casos confirmados foi no sexo feminino, na faixa etária entre 30 a 39 anos, pardos. Quando se analisou os dados referentes aos óbitos, observou-se que a maior ocorrência se deu entre os homens, em idosos com mais de 70 anos, em pardos e a maioria com presença de comorbidades, dentre as quais as de maior registro de óbitos por Covid-19 foram: a Hipertensão arterial, Diabetes mellitus e cardiopatias. Conclusão: apesar de mais de dois anos de pandemia pela COVID-19, ainda há muitas lacunas sobre a doença que precisam ser preenchidas. É importante conhecer os fatores que influenciam na incidência, prevalência e prognóstico da doença para que as ações governamentais sejam tomadas.

  • KELVYA FERNANDA ALMEIDA LAGO LOPES
  • REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA COVID-19 ELABORADAS POR IDOSOS
  • Orientador : MARIA ELIETE BATISTA MOURA
  • Data: 16/12/2022
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A COVID-19, como um grave problema de saúde pública para o idoso, à luz da Psicologia Social, incorporada à Teoria das Representações Sociais (TRS), ressalta que as questões sociais mudam em um determinado contexto, como os processos sociais são preservados ou inovados a partir de fatos novos e como esses processos se inserem no cotidiano social. Objetivos: Analisar a produção científica internacional sobre a COVID-19 em idosos; Apreender as Representações Sociais (RS) da COVID-19 elaboradas por idosos; Descrever o conhecimento cotidiano de idosos e a utilização destes para a prevenção da COVID-19; Analisar como as RS de idosos influenciam na vulnerabilidade e adoecimento pelo coronavírus. Método: Estudo realizado em duas etapas: 1. Estudo bibliométrico; 2. Estudo exploratório, qualitativo, fundamentado na TRS de Serge Moscovici, realizado na Estratégia Saúde da Família de Teresina-PI, com 30 idosos, de ambos os sexos, por meio de um roteiro de entrevista semiestruturado, no período de novembro de 2021 a maio de 2022. Os dados foram processados no software IRaMuTeQ e analisados pela Classificação Hierárquica Descendente. A comunicação dos resultados do estudo obedeceu às diretrizes para relatórios de pesquisa de natureza qualitativa disponível no Consolidated criteria for reporting qualitative research (COREQ). O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa de acordo n° parecer: 4.718.165. Resultados: Foram identificados 218 registros de publicações, em periódicos distintos da Web of Science, escritos por autores que possuem vínculos com 722 instituições, localizadas em 48 países. Os resultados do estudo exploratório foram apresentados em seis classes semânticas, a saber: Classe 5 – Implicações psicossociais provocadas pela COVID-19; Classe 1. Conhecimento dos idosos relacionado a gravidade da COVID-19; Classe 4. Formas de representar a COVID-19; Classe 3. O combate ao coronavírus por meio da vacina; Classe 6. Mudanças de atitudes e comportamentos para combater a COVID-19; Classe 2. Estratégias de enfrentamento a COVID-19. Essas classes revelaram que os idosos se ancoram nas implicações psicossociais, centradas na representação que eles mantêm sobre a doença, em torno da tristeza e do medo, da relação da doença aos aspectos de perigo e gravidade e que mesmo em meio ao medo da morte, as novas atitudes devem permanecer para a prevenção, com os cuidados de higiene e isolamento. As RS dos idosos mostraram que a vacina é a medida preconizada que viabiliza a proteção contra o coronavírus somado a lavagem das mãos e uso contínuo da máscara e álcool em gel. Considerações finais: A análise bibliométrica dos estudos, mostra indicadores positivos sobre a dinâmica e a evolução da informação científica e tecnológica sobre o tema. As RS dos idosos sobre a COVID-19 são ancoradas nos sentimentos de tristeza e medo, considerando-a como uma doença perigosa e grave. O conhecimento cotidiano dos idosos sobre a COVID-19 tem relação com os cuidados de higiene com destaque para a lavagem das mãos, uso do álcool gel e máscaras, isolamento social, associado a vacina contra o coronavírus como um meio importante de combater a doença. Assim, os idosos objetivaram a COVID-19 com mudanças de atitudes e comportamentos para atender ao distanciamento social, o isolamento compulsório e a adoção de medidas preventivas vistas como estratégias positivas utilizadas no enfrentamento da vulnerabilidade e adoecimento pela doença.

  • LUÍS FELIPE OLIVEIRA FERREIRA
  • APRENDIZAGEM BASEADA EM EQUIPES ONLINE SOBRE O CUIDADO COM ESTOMIA INTESTINAL DE ELIMINAÇÃO: CONSTRUÇÃO E VALIDAÇÃO
  • Orientador : ELAINE MARIA LEITE RANGEL ANDRADE
  • Data: 15/12/2022
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A construção do conhecimento do graduando de Enfermagem sobre estomias intestinais de eliminação é imperativa para sua formação a fim de que a assistência perioperatória garanta cuidados seguros que vão desde a prevenção de complicações até a reabilitação. Neste contexto, um objeto virtual de aprendizagem, que utiliza metodologia centrada no estudante pode promover autonomia e proatividade em relação a temática. Objetivo: Construir e validar o conteúdo educacional de um objeto virtual fundamentado na Aprendizagem Baseada em Equipe Online como recurso no ensino de estudantes de Enfermagem sobre o cuidado às pessoas adultas com estomia intestinal de eliminação. Método: Estudo metodológico, com abordagem quantitativa de dados, para construção e validação do conteúdo educacional de um objeto virtual de aprendizagem sobre o cuidado às pessoas com estomias intestinais de eliminação. As necessidades de aprendizagem sobre estomias intestinais de eliminação foram identificadas entre os meses de maio a julho de 2022, remotamente, por meio da aplicação de um questionário com 19 itens baseados em recomendações para os cuidados às pessoas adultas com estomias intestinais de eliminação. Uma equipe de desenvolvedores se reuniu durante quatro reuniões semanais remotas de um Grupo de Estudo, Pesquisa e Extensão em Tecnologias da Informação e Comunicação de uma Universidade Federal da região Nordeste do Brasil, em agosto de 2022, para construção do conteúdo educacional do storyboard. A validação do conteúdo educacional do storyboard pelos experts na temática foi realizada de outubro a novembro de 2022. Os dados coletados durante a identificação das necessidades foram analisados por meio de estatística descritiva e inferencial e os referentes a validação do conteúdo educacional do storyboard do objeto virtual de aprendizagem pelos experts foram analisados pelo Índice de Validação de Conteúdo. Resultados: Dos 19 itens das recomendações do Consenso Brasileiro de cuidado às pessoas adultas com estomias intestinais de eliminação, apenas 5 eram conhecidos pelos estudantes de Enfermagem (percentual de respostas 4 e 5 maior ou igual a 75%). Um dos itens menos conhecido pelos estudantes de Enfermagem foi a demarcação do local da estomia 40,6%. Houve associação com significância estatística entre a modalidade de ensino e o conhecimento das recomendações do Consenso Brasileiro de cuidado às pessoas adultas com EIE, p-valor (0,04), com uma razão de chances de 1,05. Conclusão: A partir da identificação das necessidades de aprendizagem foi possível verificar que os estudantes de Enfermagem desconhecem a maior parte das recomendações do Consenso Brasileiro de Cuidados às Pessoas Adultas com Estomia Intestinal de Eliminação da Sociedade Brasileira de Estomaterapia. Neste sentido, o objeto virtual de aprendizagem poderá contribuir de forma positiva para a divulgação das referidas recomendações entre esse público-alvo de forma colaborativa, permitindo a construção do conhecimento pelo estudante a partir de conteúdo educacional validado por experts na temática.

  • NATÁLIA MARIA FREITAS E SILVA MAIA
  • CONSTRUÇÃO E VALIDAÇÃO DE APLICATIVO MÓVEL SOBRE HISTÓRIA DAS ENTIDADES DE CLASSE DA ENFERMAGEM BRASILEIRA
  • Orientador : BENEVINA MARIA VILAR TEIXEIRA NUNES
  • Data: 13/12/2022
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A aprendizagem sobre as entidades de classe da enfermagem brasileira e sua história torna-se importante no percurso formativo do enfermeiro ao favorecer a construção da identidade profissional, bem como o resgate das lutas e das conquistas de espaço da profissão pelas lideranças da enfermagem. Nesse contexto, os aplicativos móveis sobre as entidades podem se constituir como recurso tecnológico para o ensino-aprendizagem de enfermagem. Estes aplicativos favorecem o protagonismo do aluno e podem facilitar a aprendizagem por ir ao encontro de uma geração fortemente conectada ao mundo digital. Objetivo: construir e validar um aplicativo móvel para apoiar o processo de ensino e aprendizagem sobre a história das entidades de classes da enfermagem brasileira. Métodos: Trata-se de estudo multimétodos, desenvolvido em 3 etapas, com aprovação pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Piauí (nº de protocolo 4.218.772). Na primeira etapa, dois estudos de revisão integrativa foram realizados. Um estudo abordou as tecnologias educacionais para o ensino de história da Enfermagem e o outro as contribuições das entidades de classe para profissionalização da enfermagem à luz das concepções freidsonianas. Na segunda etapa, estudo exploratório-descritivo foi desenvolvido para caraterização dos estudantes de Enfermagem, da proficiência digital e da aprendizagem sobre a história das entidades de classe da enfermagem brasileira. Na terceira etapa, estudo metodológico foi realizado para construção e validação de conteúdo de um aplicativo móvel para apoiar o ensino e aprendizagem sobre a história das entidades de classe da enfermagem brasileira. Resultados: O estudo de revisão sobre as tecnologias educacionais identificou uma lacuna quanto ao uso de aplicativos móveis como recurso tecnológico no ensino de história da enfermagem. A revisão integrativa sobre as contribuições das entidades de classe para profissionalização da enfermagem possibilitou delinear o conteúdo e auxiliar a fase exploratória de dados, que deu suporte e subsidiou estruturação do aplicativo. No estudo exploratório-descritivo, os estudantes são em sua maioria (83,9%) do sexo feminino, com média de idade de 20 anos, (55,4%) pardos, (94,6%) que não trabalham, (92,9%) de baixa renda e (73,2%) que residem com pais. Quanto à proficiência digital básica (PDB), o grau médio foi considerado baixo (3,43). Os conteúdos elencados acerca das entidades de classe foram considerados imprescindíveis e muito importante. Diante desses resultados, o aplicativo móvel Enfentidades foi construído e validado seu conteúdo quanto aos objetivos, a estrutura/apresentação e a relevância, por um conjunto de sete especialistas. Conclusão: O Enfentidades representa uma experiencia pioneira para o ensino de história das entidades de classe da enfermagem, uma vez que não se observou na literatura a produção de tecnologia móvel com essa finalidade. Desse modo, é um recurso tecnológico que possibilita aos estudantes de enfermagem a modalidade de ensino-aprendizagem chamada m-learning.

  • LEYLA GERLANE DE OLIVEIRA ADRIANO
  • DESENVOLVIMENTO DE PROTOCOLO INTERPROFISSIONAL NO CUIDADO PRÉ-NATAL ESPECIALIZADO DE UM CENTRO DE ATENÇÃO MATERNO INFANTIL
  • Orientador : HERLA MARIA FURTADO JORGE
  • Data: 12/12/2022
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O cuidado pré-natal contribui para a prevenção de doenças, redução de riscos, promoção da saúde, e diminuição de mortes materna e infantil. Consiste em um cuidado singularizado por meio do manejo adequado de fatores de riscos e monitoramento clínico até o final da gestação. Entende-se que a equipe de saúde precisa estar articulada e preparada para identificar os possíveis fatores de riscos, sejam eles, clínico, socioeconômico ou emocional, ou seja, na sua total integralidade. Objetivos: Desenvolver um protocolo para sistematizar o cuidado interprofissional das gestantes atendidas em um Centro de Atenção Especializado Materno Infantil. Método: Trata-se de uma pesquisa qualitativa pautada no referencial metodológico da Pesquisa Convergente Assistencial (PCA), realizada em um Centro de Atenção Especializado Materno Infantil- CAEMI. A coleta de dados ocorreu no período de março a novembro de 2022. Constitui-se população da pesquisa os profissionais que fazem parte da equipe multiprofissional do referido serviço. A coleta de dados se deu por meio de Observação Participante, e oficinas temáticas utilizando o processo denominado Quatro Erres, norteadas com o uso de um roteiro. Para análise dos dados, será adotado a técnica de análise de conteúdo de Bardin, e uso do Software Interface de R pour les Analyses Multidimensionnelles de Textes et de Questionnaires (Iramuteq), para auxiliar na codificação e análise dos dados. O estudo foi aprovado pelo Comitê de ética e Pesquisa sob parecer n° 5.303.026, CAAE:54377221.0.0000.5214. Para a revisão Integrativa de literatura a busca dos artigos ocorreu nos meses de janeiro a fevereiro de 2022 mediante a busca nas bases de dados LILACS, BDENF, SCOPUS, CINAHL, WEB OF SCIENCE e MEDLINE totalizando em 19 artigos. Resultados: evidenciou-se na revisão integrativa uma assistência fragmentada, sem a participação de forma compartilhada da equipe multiprofissional; com maior assistência a nível intermediário realizado apenas pelo profissional médico em alguns serviços. Identificou-se nas oficinas a fragilidade da assistência como a ausência do protocolo, a indisponibilidade de algumas especialidades que se fazem necessárias para o acompanhamento das gestantes de alto risco, a realização de exames, e a falta da articulação entre a Atenção Terciária com a Especializada. Conclusão: concluiu-se a necessidade de utilização de protocolos assistenciais, direcionados para a rotina de trabalho de modo a ampliar os olhares e diálogos no planejamento do cuidado. Destaca-se que as oficinas temáticas se configuraram como uma grande estratégia metodológica afim de provocar as mudanças, e por meio dos saberes e das experiências dos profissionais fosse possível a construção compartilhada do protocolo.

  • FRANCISCO JOÃO DE CARVALHO NETO
  • SITUAÇÃO VACINAL ENTRE PESSOAS COM DIABETES MELLITUS ATENDIDAS NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE
  • Orientador : ANA ROBERTA VILAROUCA DA SILVA
  • Data: 07/12/2022
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O Diabetes Mellitus (DM) interfere significativamente na efetividade do sistema imune inato e adaptativo das pessoas que vivem com essa morbidade, principalmente quando descompensado, tornando-as mais suscetíveis a determinadas doenças infecciosas, ou potencializando a gravidade de suas manifestações clínicas. É importante a atualização do cartão vacinal para infecções imunopreveníveis como uma estratégia fundamental de proteção da saúde e de promoção da qualidade de vida. Objetivo: Analisar a situação vacinal entre pessoas com DM na Atenção Primária à Saúde. Método: Estudo transversal analítico que foi realizado em 25 Estratégias de Saúde da Família da cidade de Picos, PI. A população foi composta por 2564 pessoas com (DM) e a amostra de 274 pessoas. Utilizou-se o cálculo de amostra para população finita, estratificado por proporção para definição do número de participantes. A variável dependente foi a situação vacinal e as independentes foram as sociodemográficas e clínicas. A coleta de dados aconteceu aplicando o formulário de coleta durante as Consultas do Enfermagem à pessoa com (DM), para os participante elegíveis e também por visitas domiciliares, fazendo-se a análise do cartão vacinal. Obteve-se autorização da Secretaria Municipal de Saúde de Picos-PI e aprovação do Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Piauí, sob número de parecer: 5.036.594. Considerando o contexto pandêmico, foram adotadas medidas de prevenção padrão em saúde durante todas as atividades da pesquisa. Resultados: a maioria não possuía nenhuma dose de hepatite B (69,1%); para a vacina contra a influenza, 75%, tinha a DU; a maioria não tinha esquema vacinal contra: difteria e tétano (64,6%); febre amarela (74,3%); tríplice viral (82,3%), pneumocócica (87,9%) e varicela (87,9%). A maior parte apresentou esquema completo para a COVID-19 (68,5%). Quanto ao local de recebimento da vacina, as UBS foram os mais citados (62%). Acerca da
    análise da associação entre o perfil sociodemográfico e clínico em relação ao esquema vacinal completo dos usuários com DM atendidos nas ESF, notou-se que houve associação estatística significativa entre a vacina da influenza e a idade (p<0,001; OR=0,395), religião católica (p=0,010; OR=6,275), renda (p=0,00; OR=0,321) e etilismo (p=0,003; OR=0,394); dT e o tempo convivendo com o DM (p=0,028); tríplice viral (p=0,002), tipo de DM (p<0,001), tipo de tratamento medicamentoso (p=0,005) e exercício físico (p=0,039); febre amarela e tipo de DM (p=0,010), COVID-19 e idade (p=0,007), tipo de DM (p=0,043) e o tempo convivendo com o DM (p=003). No que diz respeito à adesão vacinal das pessoas com DM para as vacinas hepatite b, dT e COVID-19 (esquema vacinal completo), observou-se uma baixa completude vacinal para as vacinas hepatite B e dT. A vacina contra a COVID-19 foi a que apresentou melhor adesão, pois 86,6% concluíram o esquema vacinal. Conclusão: Constatou-se baixas taxas de cobertura e adesão vacinais para as vacinas recomendadas pelo PNI para as pessoas com DM, deixando-as vulneráveis a vários processos infecciosos imunopreveníveis, morbimortalidade, com agravamento da qualidade de vida. Necessita-se que o aconselhamento seja reforçado entre pos profissionais de saúde e que esses passem a recomendar as vacinas que esse público tem direito.

  • TATYANNE SILVA RODRIGUES
  • CONSTRUÇÃO E VALIDAÇÃO DE VÍDEO EDUCATIVO PARA MOTOCICLISTAS ACERCA DO NÍVEL DE ATENÇÃO NO TRÂNSITO
  • Orientador : ANA MARIA RIBEIRO DOS SANTOS
  • Data: 06/12/2022
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Os acidentes de trânsito representam um grave problema de saúde pública mundial, sendo as motocicletas, os veículos mais envolvidos nas ocorrências e responsáveis pelas principais causas de lesões, incapacidades e mortes em faixas etárias jovens. Nesse sentido, ações preventivas no cenário do trânsito devem ser executadas em caráter emergencial, e uso de tecnologias digitais, como vídeo, por serem de fácil acesso, possibilita maior adesão e compressão do tema proposto. Objetivos: O objetivo geral é construir e validar vídeo educativo acerca do nível de atenção dos motociclistas no trânsito. Método: Estudo metodológico, no qual ocorreu a construção de vídeo educativo acerca do nível de atenção no trânsito, por meio das fases de pré-produção, produção e pós-produção. A validação do vídeo foi realizada por 22 juízes especialistas e a avaliação por 22 motociclistas profissionais. Para coleta dos dados, utilizaram-se instrumentos validados: Instrumento de Validação de Conteúdo Educacional para validação para os juízes e Instrumento de Validação de Aparência de Tecnologia Educacional em Saúde. O critério para validação foi concordância superior a 80%, analisada por meio do índice de validação de conteúdo e teste binomial. O projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Piauí (parecer nº 5.241.921). Resultados: O vídeo foi construído a partir dos princípios da Teoria Cognitiva da Aprendizagem Multimídia, composto por animação digital e narração em áudio, possuiu 7 minutos e 52 segundos e contemplou dicas voltadas: foco e a concentração; uso de equipamentos de proteção; visibilidade nas vias; uso de álcool ou outras substâncias na condução; condução com sono; cuidados com os pedestres, ciclistas e outros veículos; excesso de velocidade e manobras arriscadas; e ultrapassagem e uso da sinalização com setas. Os itens avaliados pelos juízes especialistas obtiveram IVC superior a 0,8, de forma que o vídeo foi considerado válido quanto aos objetivos, estrutura/apresentação e relevância. Na avaliação dos motociclistas, todos os itens do instrumento foram avaliados positivamente. Conclusão: O vídeo foi considerado válido quanto ao conteúdo, por juízes, e avaliado positivamente quanto aparência pelos motociclistas, de forma que consiste em uma tecnologia educativa frente ao nível de atenção no trânsito. 

  • GABRIELA OLIVEIRA PARENTES DA COSTA
  • CONSUMO DE ÁLCOOL E OUTRAS DROGAS ENTRE ADOLESCENTES DOS ENSINOS MÉDIO E TECNOLÓGICO DURANTE A PANDEMIA DA COVID-19
  • Orientador : FERNANDO LOPES E SILVA JUNIOR
  • Data: 05/12/2022
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O consumo nocivo de álcool e outras drogas é considerado um problema de saúde pública, haja vista que três milhões de óbitos no mundo estão relacionados ao uso. Os adolescentes relatam drogar-se para experimentar novas sensações, para alívio de emoções indesejadas, para ser aceito pelos amigos, entre outros motivos. Objetivo: Avaliar o consumo de bebidas alcoólicas e outras drogas entre adolescentes do ensino médio/tecnológico durante a pandemia da COVID-19. Metodologia: Trata-se de um estudo do tipo multimétodos, consistindo em uma revisão bibliométrica com análise da produção científica sobre o consumo de drogas entre adolescentes, com amostra de 495 artigos publicados na Scopus; uma revisão sistemática de estudos observacionais sobre os impactos do consumo dessas substâncias na saúde mental dos adolescentes, com artigos publicados na Medline/Pubmed, Bireme e Web of Science; e um estudo observacional, transversal, que avaliou o consumo de drogas adolescentes em três cidades do Maranhão, entre adolescentes de 14 a 18 anos, através do Alcool Use Disorders Identification Test e do Drug Use Screening Inventory. Os dados foram analisados no software Statistical Package for the Social Science. Resultados: Na Scopus, 2014 e 2018 foram os anos com maior número de publicações, destacando-se Kann e Ross com maior número de citações e os Estados Unidos com maior número de publicações. De acordo com a revisão sistemática, dentre os impactos causados pelo uso de drogas, estão à evasão escolar, sentimentos de solidão, dificuldade para dormir e ideação suicida. O estudo observacional, transversal, foi realizado entre 342 adolescentes, sendo as drogas mais utilizadas o álcool, os analgésicos, a maconha, os tranquilizantes e o tabaco, respectivamente. Houve predominância do consumo de álcool entre adolescentes com mais de 16 anos, do sexo feminino, pretos, cursando o terceiro ano do ensino médio, morando em casa de alvenaria, residindo com até cinco pessoas, com responsável empregado e recebendo renda maior que um salário. O consumo de substâncias nos últimos 12 meses, apresentou semelhanças entre os sexos e maior consumo entre brancos. Com relação aos problemas envolvendo álcool, dois (0,58%) adolescentes necessitam de intervenção breve e monitoramento e seis (1,75%) de encaminhamento para serviço especializado. Considerações finais: Nos últimos anos, pesquisadores têm relacionado o uso de drogas à saúde mental, abordando problemas como ansiedade, depressão e ideação suicida. O impacto desse consumo interfere diretamente no desenvolvimento e comportamento dos adolescentes. As drogas mais consumidas entre os adolescentes pesquisados foram o álcool, o tabaco, a maconha, drogas consideradas mais baratas e de fácil acesso, tendo as taxas mais elevadas entre o sexo feminino. Observou-se ainda, que o início precoce de drogas está relacionado ao uso de duas ou mais substâncias ao final da adolescência. Desta forma, é necessário atentar-se para o consumo de drogas lícitas, uma vez que são preditoras para o uso de substâncias ilícitas. Diante dos resultados, existem lacunas importantes a serem preenchidas no tocante ao aumento do uso de substâncias entre adolescentes no período da pandemia da COVID-19, visto que há divergência entre as evidências encontradas.

  • FRANCISCA ALINE AMARAL DA SILVA
  • LUTAS SIMBÓLICAS PARA CONSOLIDAÇÃO DA ENFERMAGEM NO HOSPITAL GETÚLIO VARGAS
  • Orientador : ANA MARIA RIBEIRO DOS SANTOS
  • Data: 29/11/2022
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A história do Hospital Getúlio Vargas faz parte da história da saúde no Piauí, pois por um período de tempo ele foi a única instituição para tratamento da população. As primeiras enfermeiras laicas que chegaram ao hospital no ano de 1959, desencadeou o afastamento progressivo das irmãs religiosas que atuavam no cuidado de enfermagem. Em 1973 quando foi criado o curso de Graduação em Enfermagem na Universidade Federal do Piauí. Objetivos: Apresentar o cenário da assistência à saúde no Piauí quando da inauguração do Hospital Getúlio Vargas; descrever como ocorreu a chegada das enfermeiras laicas no Hospital Getúlio Vargas a partir do ano de 1959; analisar as lutas simbólicas das enfermeiras laicas para a consolidação da Enfermagem profissional no Hospital Getúlio Vargas entre os anos de 1959-1973. Método: trata-se de um estudo no campo da História, no âmbito da História Social e História Cultural e como domínio foram definidos a História da Saúde e a História das Instituições de Saúde, para a historicização da Enfermagem. O cenário foi o Hospital Getúlio Vargas. Os critérios de inclusão: ser profissional de enfermagem que exerceu atividade na instituição durante o período do estudo. A produção dos dados foi embasada na História Oral Temática, segundo Meihy. As entrevistas foram conduzidas a partir de um roteiro semi-estruturado e tiveram duração média de 60 minutos. Foram utilizados no estudo fontes documentais, hemerográficas, conográficas e orais. A análise dos dados ocorreu com a linearidade temática e cronológica para construção da narrativa histórica embasada nos conceitos de capital simbólica, habitus, campo, lutas simbólicas e violência simbólica do sociólogo Pierre Bourdieu. O projeto foi submetido e aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Piauí com CAAE no 34218920.1.0000.521, com também submetido e aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Instituição coparticipante com CAAE no 34218920.1.3001.5613. Resultados: Em resposta aos objetivos foram criados três capítulos. No primeiro capítulo foram apresentados a conjuntura social, política, saúde e educacional da Capital e do Estado do Piauí no qual percebeu-se que embora os Governantes almejassem o desenvolvimento da Capital a falta de recursos associados aos hábitos e costumes interioranos dificultavam essa modernização. O segundo capítulo apresentou a evolução do cuidado de Enfermagem Hospitalar no Estado até o momento do retorno nas primeiras enfermeiras a regressarem ao Piauí, como também os desafios relacionados ao processo de formação e o regresso destas enfermeiras formadas. O terceiro capítulo evidenciou as dificuldades de adaptação das enfermeiras laicas ao ambiente hospitalar do Hospital Getúlio Vargas, como também as lutas empreendidas por estas para que o espaço da enfermagem fosse respeitado e consolidado; incluindo também a saída progressiva das religiosas do Hospital. Considerações Finais: A História da Enfermagem Piauiense confunde-se com a História do Hospital Getúlio Vargas, foram necessários o investimento significativo de capital simbólico por parte das jovens que saíram de seu Estado para buscar formar-se enfermeiras como também a elaboração de estratégias para adentrar e assegurar o espaço da Enfermagem na Instituição.

  • JOSÉ FRANCISCO RIBEIRO
  • FORMULAÇÃO E CARACTERIZAÇÃO DE EMULGEL TÓPICO DE MANTEIGA DE BACURI (Platonia insignis Mart.) E PIROXICAM PARA O TRATAMENTO DA ARTRITE: Ensaios pré-clínicos
  • Orientador : MARIA DO LIVRAMENTO FORTES FIGUEIREDO
  • Data: 25/11/2022
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: Artrite é um termo usual para vários tipos de doenças artríticas, que estão enumeradas a diversos fatores, como doenças degenerativas e autoimunes. É definida como inflamação crônica de uma ou mais articulações. A epidemiologia mostra que a incidência aumenta com o aumento da idade. As plantas constituem uma via potencialmente importante para a obtenção de novos agentes terapêuticos para doenças inflamatórias agudas e crônicas. Muitos óleos e manteigas detêm propriedades farmacológicas tais como analgésica, espasmolítica e anti-inflamatória, como a manteiga da semente de bacuri. OBJETIVO: Avaliar a atividade farmacológica do emulgel tópico de manteiga de bacuri (Platonia insignis Mart.) e Piroxicam em modelo de artrite experimental. METODOLOGIA: A princípio obteve-se os emulgéis de manteiga de bacuri e Piroxicam, que foram caracterizados pelos seguintes métodos: determinação das características físico-químicas, organolépticas, validação de método de quantificação de Piroxicam e liberação in vitro em sistema de difusão fechado. Para o ensaio farmacológico foram utilizados ratos Wistar (150-210 g), machos e fêmeas. A avaliação da atividade anti-inflamatória da manteiga de bacuri foi investigada em modelos de artrite experimental induzido por: cristais de urato monossódico, carragenina, histamina, prostaglandina e Zymosan. RESULTADOS: Quanto à avaliação das características dos emulgéis foi observado: pH e espalhabilidade com diferenças significativas (p < 0,05) antes e depois do ciclo gelo/degelo; os emulgéis suportaram aos testes de resistência a centrifugação; a quantificação do Piroxicam em emulgel foi adequadamente validada; a liberação in vitro em sistema de difusão automático não exibiu diferença significativa (p > 0,05) entre os valores das formulações. Quanto aos ensaios farmacológicos foi possível observar: os emulgéis não apresentaram toxicidade (p < 0,05); o emulgel de Piroxicam (5 mg/Kg) inibiu o edema tibiotársica induzido por cristais de urato monossódico (p< 0,05); também o emulgel de Piroxicam inibiu o edema de pata induzido por carragenina nas doses de 0,25; 0,50; 1 mg/kg (p < 0,05). Quanto ao pré-tratamento utilizando-se emulgel de Piroxicam e emulgel de bacuri (0,5mg/Kg) em edema de pata induzido por histamina e prostaglandina houve redução significativa em ambas as formulações (p < 0,05). O emulgel de Piroxicam (62%) e emulgel de manteiga de bacuri (32%) foram capazes de modular o edema tibiotársica induzido por Zymosan. CONCLUSÃO: Os emulgéis de Piroxicam e bacuri foram adequadamente validados, conforme características organolépticas, físico-químicas e liberação in vitro em sistemaf echado. A princípio, o teste de toxicidade revelou que as formulações não exibiram toxicidade. O emulgel de Piroxicam inibiu o edema de pata induzido por sais de urato monossódico e carragenina na dose de 0,5 mg/Kg. Os emulgéis de Piroxicam e manteiga de bacuri se mostraram eficazes como pré-tratamento nos modelos de artrite induzidos por histamina e prostaglandina em ratos Wistar, enquanto a artrite induzida por Zymosan teve maior inibição com emulgel de Piroxicam. Portanto, surge uma opção para a introdução de um medicamento com potencial de uso tópico no manejo da artrite.

  • NISLEIDE VANESSA PEREIRA DAS NEVES
  • REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA PANDEMIA DA COVID-19 ELABORADAS POR CLIENTES ONCOLÓGICOS
  • Orientador : MARIA ELIETE BATISTA MOURA
  • Data: 22/11/2022
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O homem como um ser sócio-histórico em sua relação com a natureza, suas ações e atitudes estão constantemente permeadas pelas relações sociais estabelecidas em determinado contexto. A pandemia da COVID-19, como objeto social, constituiu o foco deste estudo pelo seu impacto na sociedade. Objetivos: Caracterizar os sujeitos da pesquisa quanto aos aspectos sociodemográficos e clínicos, apreender as representações sociais elaboradas por clientes oncológicos sobre a pandemia da COVID-19 e analisar como as representações sociais elaboradas por clientes oncológicos influenciam na vulnerabilidade e adoecimento causado pelo SARS-CoV-2. Método: Trata-se de uma pesquisa exploratória, de abordagem qualitativa, com base na Teoria das Representações Sociais realizada em um hospital filantrópico, localizado na cidade de Teresina-PI. Os dados foram produzidos por meio de um roteiro de entrevista semiestruturado, no período de agosto a setembro de 2021. Participaram da pesquisa 20 clientes oncológicos, de ambos os sexos, com idade igual ou superior a 18 anos, que estavam realizando tratamento oncológico na instituição. O processamento dos dados foi desenvolvido por meio do software IRaMuTeQ e analisados pela Classificação Hierárquica Descendente (CHD). A comunicação dos resultados do estudo obedeceu às diretrizes para relatórios de projetos de pesquisa de natureza qualitativa disponível no Consolidated criteria for reporting qualitative research (COREQ). O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa de acordo n° parecer: 4.718.165. Resultados: A Teoria das Representações Sociais aplicada na pesquisa sobre o fenômeno da pandemia da COVID-19 possibilitou edificação de conceitos, explicações e afirmações que se originam no cotidiano através das comunicações interindividuais e do conhecimento socialmente elaborado e compartilhado. Os resultados foram apresentados por meio da nuvem de palavras que mostrou a COVID-19 como um desafio para os clientes oncológicos que necessitam adotarem as medidas de prevenção, como o distanciamento social, o uso de máscara, álcool gel e também precisam sair de casa para continuar o tratamento oncológico nas instituições de saúde. A partir do Dendograma foram apresentadas as cinco classes e suas descrições, a saber: 1. Mudanças ocorridas após início da pandemia da COVID-19; 2. Dificuldades encontradas pelos clientes oncológicos com o início da pandemia da COVID-19; 5. Medo da infecção por SARS-CoV-2 e a pandemia COVID-19; 3. Medidas de prevenção da pandemia da COVID-19, como a classe mais significativa; 4. Conhecimento dos clientes oncológicos acerca da pandemia da COVID-19. Conclusão: Os aspectos psicossociológicos envolvidos na pandemia da COVID-19, que considera a vivência dos clientes oncológicos, enquanto fenômenos de produção e organização de conhecimentos de sujeitos sociais possibilitou o entendimento da pandemia na interface dos condicionantes psicológicos, sócio-culturais e psicossociais, mostrando que a pandemia da COVID-19 impactou a vida dos clientes oncológicos pela vulnerabilidade e adoecimento e trouxe consequências acerca das relações sociais, mudanças na qualidade de vida e no enfrentamento do câncer. Palavras-chave: 

  • MARIANNE ROCHA DUARTE DE CARVALHO
  • SIGNIFICADO DO CUIDADO COMA DOR DE RECÉM-NASCIDOS PARA PROFISSIONAIS DE SAÚDE: construção de uma matriz teórica
  • Orientador : SILVANA SANTIAGO DA ROCHA
  • Data: 09/11/2022
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Os recém-nascidos internados em Unidades Neonatais são expostos diariamente a procedimentos invasivos que apesar de ocasionar dor e desconforto, são necessários para garantir o suporte diagnóstico e terapêutico. Após a identificação e mensuração da dor, devem ser instituídas estratégias adequadas para minimização e/ou controle, sendo esta uma responsabilidade da equipe multiprofissional. Objetivo: Construir uma matriz teórica a partir da compreensão do universo de significados relacionados ao cuidado de profissionais de saúde com a dor de recém-nascidos em Unidade de Terapia Intensiva Neonatal. Métodos: Estudo qualitativo, desenvolvido à luz das premissas da Teoria Fundamentada nos Dados, tendo como referencial teórico o Interacionismo Simbólico e que teve como cenário a Unidade de Terapia Intensiva Neonatal de uma maternidade pública de referência em Teresina, Piauí. Participaram do estudo 17 profissionais entre enfermeiros, técnicos de enfermagem, fisioterapeutas e médico, que compuseram os três grupos amostrais. Para produção dos dados, foram realizadas entrevistas semiestruturadas guiadas por um roteiro de perguntas abertas que ocorreram entre os meses de setembro de 2021 a maio de 2022. O processo de codificação aberta, axial e integração foi realizado durante a coleta e análise dos dados, que ocorreu de forma concomitante e comparativa. Resultados: Os significados atribuídos pelos profissionais fizeram emergir o fenômeno central: Redefinindo o cuidado ao RN submetido a procedimentos que ocasionam dor e/ou desconforto no contexto da UTIN, ao qual estão relacionadas nove categorias: Refletindo sobre a rotina de cuidados visando a tomada de decisão e manejo da dor; desvelando a dimensão subjetiva do cuidado com a dor neonatal; reconhecendo as fragilidades do processo de cuidar; decodificando a linguagem do RN para identificar a experiência dolorosa; modelando o modo de agir dos profissionais diante da dor; desenvolvendo a colaboração interprofissional; percebendo o protagonismo da enfermagem no cuidado com a dor neonatal; deliberando novas práticas para o gerenciamento da dor; destacando a educação permanente como ferramenta potencializadora do cuidado. Considerações finais: Os profissionais de saúde devem redefinir o cuidado com o RN, rompendo com as velhas formas de agir, buscando a apreensão de conhecimentos para alicerçar boas práticas, além de manter e reforçar o envolvimento com seus pares pois estes são fatores imprescindíveis na qualidade da assistência prestada nas unidades neonatais.

  • ISABELA MARIA MAGALHÃES SALES
  • ACOMPANHAMENTO DO RECÉM-NASCIDO NA TERCEIRA ETAPA DO MÉTODO CANGURU NA ATENÇÃO BÁSICA: UMA MATRIZ TEÓRICA
  • Orientador : SILVANA SANTIAGO DA ROCHA
  • Data: 07/10/2022
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: a terceira etapa é primordial para a garantia dos cuidados ao bebê no domicílio, uma vez que ele dá continuidade ao que foi iniciado no ambiente hospitalar, principalmente por meio da Atenção Básica, momento em que os enfermeiros avaliam as fragilidades e potencial necessidades que os pais e filhos podem apresentar no domicílio. A partir desse diagnóstico, reforçam as orientações e avaliam as condições maternas quanto aos aspectos ginecológicos e psicológicos. Entretanto, a participação dos enfermeiros da atenção básica no Método Canguru ainda é retraída e o cuidado ao bebê prematuro e/ou de baixo peso rodeado de inseguranças e incertezas. Objetivo: construir uma matriz teórica explicativa a partir dos significados atribuídos ao acompanhamento dos recém-nascidos prematuros e/ou de baixo peso na terceira etapa do Método Canguru na Atenção Básica pelos enfermeiros. Metodologia: utilizou-se a abordagem qualitativa, tendo como referencial metodológico a Teoria Fundamentada nos Dados e o interacionismo simbólico como referencial teórico. A amostra pode ser considerada intencional, composta por 8 enfermeiros da Atenção Básica. Os dados foram obtidos por meio de entrevistas em profundidade, realizadas entre 14 de dezembro de 2021 e 28 de março de 2022. As entrevistas foram gravadas com consentimento dos participantes e transcritas na ntegra, totalizando 1 hora, 3 minutos e 49 segundos de entrevista. Em seguida, procedeu-se as codificações sistemáticas e a elaboração de categorias preliminares com seus respectivos códigos. Os participantes foram selecionados por meio da experiência com recém-nascidos, bem como, conhecimentos e habilidades teórico-práticas para lidar com esse público. Este estudo possui consentimento do Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Piauí e dos locais do estudo, parecer n. 4.971.432. Resultados: os dados trouxeram a materialização de uma categoria central: desafiando-se na assistência ao RN prematuro e/ou de baixo peso na Atenção Básica diante dos limites da continuidade no atendimento e na operacionalização de rotinas assistenciais individualizadas; cinco categorias iniciais: Reconhecendo a rotina assistencial; Percebendo os recém-nascidos prematuros e/ou de baixo peso; Entendendo o sistema de referência e contrarreferência; Compreendendo os entraves na eficácia do Método Canguru na Atenção Básica; Criando estratégias para endossar o Método Canguru na Atenção Básica; e 15 subcategorias: Generalizando a rotina assistencial; Especificando a rotina assistencial; Desvelando a importância do Método Canguru ao recém-nascido prematuro e/ou de baixo peso; Revelando a visão do enfermeiro; Afirmando as necessidades individuais; Apresentando as limitações da funcionalidade do sistema; Afirmando a importância da continuidade da assistência; Enfatizando a restrição das visitas domiciliares; Priorizando o serviço especializado; Responsabilizando o hospital; Expressando a incipiência do enfermeiro; Revelando os sentimentos e dificuldades das mães no cuidado ao recém-nascido; Buscando ações inovadoras; Utilizando a comunicação; Envolvendo equipe multiprofissional; que, unidas, formam o arcabouço explicativo do fenômeno. Conclusão: a matriz ilustrou, através da análise sistemática e contínua dos dados emergidos das falas dos participantes, desafiando-se na assistência ao RN prematuro e/ou de baixo peso na Atenção Básica diante dos limites da continuidade no atendimento e operacionalização de rotinas assistenciais individualizadas.

  • ANTONIO WERBERT SILVA DA COSTA
  • ENSINO REMOTO NA FORMAÇÃO EM ENFERMAGEM: COMPREENSÃO A LUZ DE PIERRE LÉVY
  • Orientador : BENEVINA MARIA VILAR TEIXEIRA NUNES
  • Data: 09/09/2022
  • Mostrar Resumo
  • Considerações iniciais: O ensino remoto em enfermagem foi uma realidade vivenciada pelas instituições de ensino no mundo, a partir da emergência em saúde causada pela pandemia Covid-19. A rápida organização e implementação dessa modalidade de ensino levou os professores e estudantes de enfermagem a vivências na cibercultura, até antes, não experimentadas, cujas experiências não tiveram seus impactos dimensionados e requerem compreensão. Objetivo: Compreender as experiências docentes e discentes com o ensino remoto na graduação em Enfermagem, por meio da visão de cibercultura de Pierre Lévy. Método: Estudo analítico de abordagem qualitativa. O cenário foi um curso de Bacharelado em Enfermagem de uma instituição de ensino pública, contando com a participação de cinco docentes e 20 discentes. A produção dos dados ocorreu no período de novembro de 2021 a janeiro de 2022, por meio de entrevistas semiestruturadas realizadas em uma plataforma de videoconferências. Os dados foram processados separadamente para discentes e docentes, com auxílio do software Interface de R pour les Analyses Multidimensionnelles de Textes et de Questionnaires, por meio da Classificação Hierárquica Descendente, produzindo classes que possibilitaram uma análise e definição de categorias temáticas por meio de compreensão de sentidos, com o apoio da visão de Cibercultura de Pierre Lévy. A pesquisa foi aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Piauí sob parecer nº 5.017.821. Resultados: A Classificação Hierárquica Descendente distinguiu seis classes interpretativas do corpus dos discentes e dos docentes. Essas classes originaram três categorias temáticas para compreensão das experiências docentes e discentes. A compreensão docente perpassou: O planejamento para o ensino remoto em enfermagem; Tensões e conciliações diante da indissociabilidade do ciberespaço e o espaço doméstico no ensino de enfermagem; A construção de uma cibercultura no ensino de enfermagem. A compreensão discente perpassou: Ensino de enfermagem entre o virtual e o presencial; Os desafios da estrutura para o ensino remoto; Percepções sobre o ensino tradicional e remoto. As experiências se mostraram entrelaçadas e intercambiantes, estruturando o processo de ensino aprendizagem na dialética das tensões, conflitos e recomendações para continuidade. Considerações Finais: A organização do ensino remoto ocorreu de maneira rápida e insuficiente, desconsiderando as particularidades do momento e as individualidades dos alunos e professores. A compreensão fundamentada em Pierre Lévy deixa claro a necessidade da cibercultura no meio educacional, porém com a introdução das tecnologias adequadas e desenvolvimento de técnicas para manuseio.

  • ÁLLAMY DANILO MOURA E SILVA
  • EFEITO DE STORYTELLING NA APRENDIZAGEM SOBRE O HISTÓRICO E A INSTITUCIONALIZAÇÃO DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE: ENSAIO CLÍNICO RANDOMIZADO
  • Orientador : ANDREIA RODRIGUES MOURA DA COSTA VALLE
  • Data: 23/08/2022
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Ao considerar as atuais mudanças no processo de ensino-aprendizagem, entende-se que o ensino em enfermagem ainda se apresenta, em alguns aspectos, fragmentado e pouco direcionado às singularidades e realidades apresentadas pelo Sistema Único de Saúde. Objetivo: Avaliar o efeito de storytelling na aprendizagem de estudantes de enfermagem sobre o histórico e a institucionalização do SUS. Método: Trata-se de um estudo multimétodos, constituído por pesquisa metodológica e Ensaio Clínico Randomizado (ECR). No estudo metodológico, ocorreu construção e validação do conteúdo de storytelling e de um instrumento de coleta de dados sobre o histórico e a institucionalização do SUS. 14 juízes especialistas participaram do processo de validação do conteúdo da história e do instrumento. Os dados foram analisados pelo Índice de Validação de Conteúdo (IVC) e teste binomial. O ECR teve amostra de 48 discentes, randomizados com taxa de 1:1, em Grupo Intervenção (GI) (n=24), que participou da aula com storytelling, e Grupo Controle (GC) (n=24), que participou da aula tradicional, ambas remotamente. O desfecho foi avaliado por meio do instrumento Teste de Verificação de Aprendizagem (TVA), construído e validado para este fim. A coleta de dados ocorreu em duas turmas de graduação em enfermagem e em três momentos: 1o – pré-teste e aplicação das intervenções; 2o – pós-teste imediato; 3o - pós-teste após 15 dias. A homogeneidade entre os grupos foi verificada pelos testes t de Student para amostras independentes, U de Mann-Whitney, Qui-quadrado para proporção e exato de Fischer. Na comparação intragrupo, utilizaram-se os testes t de Student para amostras dependentes e McNemar. Na comparação intergrupo, empregaram-se os testes Q Cochran, Qui-quadrado para proporção e exato de Fisher. Considerou-se nível de significância de 5% e intervalo de confiança de 95%. O projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Piauí, com o parecer no 4.987.149, e cadastrado no Registro Brasileiro de Ensaios Clínicos (RBR-4d93q84). Resultados: O storytelling foi estruturado a partir do referencial de Vogler (1998) com as etapas para a escrita de histórias significativas. O conteúdo da história e do instrumento de coleta de dados, contemplou o contexto histórico de saúde pública brasileira até a institucionalização do SUS. O storytelling foi considerado válido quanto aos objetivos, estrutura/apresentação e relevância, já que os itens avaliados pelos juízes especialistas alcançaram IVC superior a 0,8. Na avaliação do instrumento de coleta de dados (TVA), os experts consideraram válido quanto à objetividade, compreensão e relevância, com IVC 0,92. Na análise intragrupo, os GI e GC tiveram aumento significativo da aprendizagem sobre o histórico e a institucionalização do SUS no pós-teste (GI e GC: <0,001). Na comparação intergrupo, as proporções das pontuações iguais ou superiores a 70% do instrumento TVA foram semelhantes no pré-teste e no pós-teste imediato (p=0,125), enquanto no pós-teste após 15 dias, a proporção de acertos do questionário no GI foi estatisticamente superior à do GC (p=<0,001). Conclusão: Storytelling revelou um efeito positivo e duradouro na aprendizagem sobre o histórico e a institucionalização do SUS. A estratégia metodológica promoveu um espaço de ensino e aprendizagem dinâmico e participativo, a ser incorporado no processo de mudanças de paradigmas para a formação de enfermeiros.

  • SOCORRO ADRIANA DE SOUSA MENESES BRANDÃO
  • INFECÇÃO LATENTE PELO MYCOBACTERIUM TUBERCULOSIS EM PROFISSIONAIS DE SAÚDE DA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE
  • Orientador : TELMA MARIA EVANGELISTA DE ARAUJO
  • Data: 28/07/2022
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A tuberculose é uma doença infecciosa, com transmissão aérea ocorrendo  a partir da inalação de aerossóis oriundos das vias aéreas, expelidos pela tosse, espirro ou fala de doentes com tuberculose pulmonar ou laríngea. Somente pessoas com essas formas de tuberculose ativa transmitem a doença. Objetivo: analisar a ocorrência e fatores associados à infecção latente tuberculosa entre profissionais de saúde da atenção primária à saúde. Métodos: Trata-se de um estudo multi-método, composto por três subestudos: 1.Revisão Integrativa – cuja finalidade analisar na literatura científica os fatores associados a infecção latente tuberculosa em profissionais da Atenção Primária à Saúde.2. Estudo metodológico - que possibilitou o alcance do objetivo do estudo de adequação e validação do instrumento da pesquisa; 3. Estudo epidemiológico analítico, sobre os fatores associados à ILTB em profissionais de saúde. Resultados: Na revisão integrativa foi possível identificar os fatores relacionados a ILTB nos profissionais da APS. No estudo metodológico de validação ao final de duas rodadas de avaliação obteve-se um instrumento com 49 itens, com índice de validade de conteúdo = 0,9; Interrater Agreement = 1,000 e índice de positividade na avaliação semântia com a população alvo =100%, o que indicou compreensão do instrumento, não havendo necessidade de novas alterações. As análises dos dados do estudo transversal apontaram que a prova tuberculínica em 84,3% participantes nunca havia sido realizada. No presente estudo obteve-se, 21,8% de testes reatores. Houve associação estatisticamente significativa da prevalência de positividade da PT com variáveis como o tabagismo, ter contato com pacientes hospitalizados, uso e frequência inadequados dos EPIs, entre os profissionais da atenção primária à saúde. Conclusão: A prevalência estimada de infecção latente por M. tuberculosis entre os trabalhadores de saúde avaliados foi de 21,8%. Considerando que o município do estudo não adota estratégia de realização de exames periódicos dos profissionais de saúde em relação à ILTB, sugere-se mudanças nas ações de avaliação, monitoramento e tratamento adequado para pessoas sob o risco de ILTB.

  • CLEIDIANE VIEIRA SOARES CABRAL
  • EVIDÊNCIAS CIENTÍFICAS SOBRE A SAÚDE MENTAL DE PROFISSIONAIS DE ENFERMAGEM NO CONTEXTO DA PANDEMIA DA COVID-19
  • Orientador : ANDREIA RODRIGUES MOURA DA COSTA VALLE
  • Data: 20/07/2022
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A pandemia da COVID-19 ocasionou elevadas taxas de morbidade e mortalidade mundialmente, afetando a população geral e os profissionais da saúde, dentre eles os trabalhadores de enfermagem. O cenário pandêmico exige dos profissionais um elevado esforço físico e emocional à frente da assistência, ficando mais vulneráveis aos impactos psicológicos, acarretando assim problemas de saúde mental. Objetivo: Analisar a dinâmica das evidências científicas sobre a saúde mental de profissionais de Enfermagem no contexto da pandemia da COVID-19 no Brasil. Método: Trata-se de uma revisão integrativa de literatura, a partir do mnemônico PICo. A busca de dados ocorreu de janeiro a fevereiro de 2022, no interstício 2020-2021, nas bases de dados Literatura Latino Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (LILACS); Medical Literature Analysis and Retrieval System Online (MEDLINE); Web of Science; Cumulative Index to Nursing and Allied Health Literature (CINAHL); e, Base de Dados de Enfermagem (BDENF). Utilizou-se os seguintes descritores controlados: (Enfermeiras e Enfermeiros, Enfermagem, Assistentes de enfermagem; Saúde Mental; Infecções por Coronavírus, COVID-19 e SARS-CoV-2) seus respectivos indexados no Medical Subject Headings (MeSH) e Títulos CINAHL; e descritores não-controlados: (Técnicos de Enfermagem, Auxiliar de Enfermagem e Covid-19) e seus equivalentes em inglês, os quais foram cruzados entre si pelos operadores OR e/ou AND. Foram incluídos os artigos primários que apresentaram a saúde mental de profissionais de Enfermagem no contexto da pandemia da COVID-19 no Brasil em qualquer idioma. Os critérios de exclusão foram: monografias, dissertações, teses, editoriais, relatórios, artigos de revisão e artigos de jornal. Na análise dos dados utilizou-se as fases de redução de dados, exibição de dados, comparação de dados, desenho e verificação da conclusão. A apresentação dos dados foi a partir de quadros, gráficos e categorias. Resultados: Dos 224 estudos encontrados, 14 compuseram a amostra desta revisão. Os artigos publicados estavam nos idiomas inglês e português, sendo a maioria em inglês, além disso, o ano com maior número de publicações foi 2021. A maioria estava indexada em revistas da área de saúde, com predominância do periódico Revista Brasileira de Enfermagem e Escola Anna Nery. Os estudos foram agrupados e, posteriormente discutidos, a partir de três categorias. Conclusão: As evidências científicas sobre a temática revelaram que a exposição dos profissionais de enfermagem tem sugerido um impacto negativo na sua saúde mental. A produção científica foi vasta e heterogênea, cujos aspectos mais discutidos pelos autores foram: a elevada prevalência de sofrimento mental, fatores de risco e de proteção para a saúde mental, como os individuais, coletivos e institucionais e, medidas preventivas de apoio e promoção da saúde mental, ofertadas pelos serviços de saúde.

  • DANIEL DE MACÊDO ROCHA
  • CONSTRUÇÃO E VALIDAÇÃO DE APLICATIVO MÓVEL PARA IDENTIFICAÇÃO, CLASSIFICAÇÃO DE RISCO E PREVENÇÃO DO COMPORTAMENTO SUICIDA
  • Orientador : LIDYA TOLSTENKO NOGUEIRA
  • Data: 20/07/2022
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O comportamento suicida constitui fenômeno complexo e multidimensional, que envolve a expressão de atos intencionais de autoagressão e que em virtude das limitações assistenciais e a subnotificação apresenta grandes impactos individuais, coletivos, sociais, econômicos e de saúde. Diante disso, a incorporação de tecnologias de saúde na prática assistencial como de aplicativos móveis pode constituir instrumento facilitador da sistematização do trabalho e favorecer o rastreio, o gerenciamento e o monitoramento de risco, assim como possibilitar acolhimento, planejamento de cuidados, avaliação de resultados e de desempenho profissional. Objetivo: Construir e validar um aplicativo móvel para identificação, classificação de risco, encaminhamento especializado e prevenção do comportamento suicida. Método: Estudo multimétodos, desenvolvido em três etapas: 1 - Estudo de revisão integrativa da literatura sobre as tecnologias desenvolvidas para gerenciamento do risco de suicídio; 2 - Caracterização de pacientes com comportamento suicida, busca de fatores associados e necessidades de cuidados durante o atendimento emergencial; 3 - Construção e validação de um aplicativo móvel para identificação, classificação de risco e prevenção do comportamento suicida. A análise dos dados foi realizada com base nos princípios da estatística descritiva e inferencial. Este estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Piauí e o parecer favorável foi emitido por meio do processo número 4.444.303. Resultados: O estudo de revisão evidenciou que as iniciativas tecnológicas para prevenção do suicídio são expressivas na literatura internacional, configurando-se como instrumentos favoráveis à identificação, classificação e gestão o risco, assim como na efetivação das políticas públicas em saúde mental. No Brasil, esses recursos ainda são limitados, demonstrando a necessidade de tecnologias válidas, de fácil acesso e ampla disponibilidade. A análise do perfil dos atendimentos emergenciais indicou a expressão do comportamento pela ideação, planejamento e tentativa de suicídio, bem como a subnotificação do problema e os impactos impostos pela pandemia da Covid-19 no nível de sofrimento mental. Esses resultados subsidiaram a construção e validação do conteúdo e da aparência de um aplicativo móvel para reconhecimento precoce do problema, classificação do risco, prevenção e direcionamentos necessários. Os indicadores de concordância e de confiabilidade foram satisfatórios, demonstrando evidências de validade, precisão, objetividade, clareza e adequação para mensuração dos objetivos propostos. Conclusão: Considerando as limitações tecnológicas para prevenção do suicídio no contexto brasileiro, assim como suas potencialidades para otimização do processo de trabalho, foi desenvolvida uma tecnológica móvel com evidências de validade, confiabilidade, precisão e sensibilidade para estimar e classificar o estado de risco, assim como para propor os cuidados e direcionamentos assistenciais necessários. Novos estudos são fundamentais avaliar seus efeitos nos indicadores epidemiológicos, assistenciais e laborais.

  • ISAURA DANIELLI BORGES DE SOUSA
  • INDICADORES DE SAÚDE E QUALIDADE DE VIDA DE SERVIDORES DE UMA INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR: MODELO TEÓRICO DE NOLA PENDER
  • Orientador : MARCIA TELES DE OLIVEIRA GOUVEIA
  • Data: 14/07/2022
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Este estudo teve como objetivo geral analisar os indicadores de saúde e a qualidade de vida dos servidores de uma Instituição de Ensino Superior. Método: É uma pesquisa descritiva-analítica, com abordagem quantitativa que utilizou a Teoria da Promoção da Saúde de Nola Pender como Referencial Teórico. Foi realizada com servidores públicos de instituição de ensino superior da região Nordeste do Brasil. Foram avaliadas variáveis socioeconômicas, estilo de vida, laborais e de qualidade de vida. A coleta dos dados inicial foi realizada a partir da compreensão sobre o levantamento do perfil dos afastamentos para tratamento de saúde por meio do sistema específico para tal registro. A coleta de dados posteriori foi realizada por meio de dois questionários: um para identificar e avaliar os indicadores de saúde, como a realização de atividades físicas, a alimentação e o tabagismo; e um para avaliar a qualidade de vida. Foram calculadas estatísticas descritivas. Na análise inferencial, foram adotadas como variáveis dependentes as duas medidas sumárias, conforme orientações dos desenvolvedores do instrumento. As variáveis independentes quantitativas foram categorizadas, utilizando-se a mediana como referência para o ponto de corte. Foram utilizados os testes de Kolmogorov-Smirnov, e t de Student; e foi realizado o teste ANOVA. Foram consideradas significativas as diferenças com p<0,05. Por se tratar de um subprojeto, o estudo foi previamente apreciado e aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa. Resultados: Em relação aos afastamentos, os transtornos mentais e comportamentais foram responsáveis por maior duração do tempo médio dos afastamentos, sendo os homens os que apresentaram afastamentos mais duradouros quando comparados às mulheres. Em relação às atividades físicas, os servidores praticavam atividade física regular nos últimos dois anos, com duração de pelo menos 120 horas semanais, com orientações de médicos externos à instituição, e com iniciativa própria para práticas de atividade física regular. Sobre a alimentação, os servidores apresentaram aumento de peso nos últimos dois anos, embora se alimentaram de forma mais saudável, e foram acompanhados por profissionais de saúde não médico para a melhora da alimentação e controle do peso. Para qualidade de vida obteve-se escore global entre 25,8 e 84,7 pontos, com média (±desvio padrão) de 62,0 (±15,2) pontos. O componente com menor valor médio foi o mental, sendo observados menores valores em vitalidade e saúde mental. O componente físico apresentou menores escores médios de qualidade de vida em dor e estado geral da saúde. No componente mental foram verificadas diferenças estatisticamente significativas no sexo e idade, sendo o sexo feminino e idade inferior a 40 anos apresentando menores valores médios de qualidade de vida. Não foram encontrados resultados importantes para análise do tabagismo, 10 visto a pesquisa ter uma amostra mínima de fumantes. Conclusão: O estudo apontou que a enfermagem dispõe de um diagrama próprio, que provou ser objetivo, de entendimento clado, prático e abrangente. O Modelo de Promoção da Saúde de Nola Pender se configura como uma possibilidade de reorientação das estratégias voltadas para a saúde ocupacional. É imprescindível que a instituição estudada implemente atividades de promoção à saúde, voltadas à prática regular de exercícios físicos, melhora da alimentação, controle do peso e tabagismo. 

  • VANESSA MOURA CARVALHO DE OLIVEIRA
  • CONSTRUÇÃO E VALIDAÇÃO DE UM INSTRUMENTO PARA AVALIAÇÃO DO CONHECIMENTO SOBRE HEPATITE B ENTRE ENFERMEIRO
  • Orientador : ROSILANE DE LIMA BRITO MAGALHAES
  • Data: 05/07/2022
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: A hepatite B constitui um grave problema de saúde global, pois possui elevados indicadores epidemiológicos o que reforça a necessidade de ampliar o conhecimento do profissional de saúde, como estratégia importante para redução do agravo e efetivação das políticas públicas de saúde direcionadas para prevenção e controle da doença. OBJETIVO: Construir e validar um instrumento para avaliação do conhecimento sobre hepatite B entre enfermeiros. MÉTODO: Trata-se de um estudo metodológico para a construção e validação do instrumento “Avaliação do conhecimento sobre hepatite B entre enfermeiros”. As seguintes etapas foram desenvolvidas: elaboração do instrumento, validação de conteúdo e aparência com juízes especialistas, validação semântica com a população alvo e etapa empírica (estudo de campo com a população alvo). Foram realizadas análises descritivas. E os valores atribuídos pelos juízes, em cada avaliação, foram descritos e obtidos por meio do Índice de Validade de Conteúdo (IVC), Média e Desvio-Padrão. Para averiguar a fidedignidade do instrumento de pesquisa por meio da consistência interna, foi realizada a técnica alfa de Cronbach e a estimativa de confiabilidade composta (CC). Foi realizada Análise Fatorial Exploratória para descrição da estrutura fatorial do instrumento. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em pesquisa da Universidade Federal do Piauí, com parecer de número 4.856.711. RESULTADOS: Os itens do instrumento foram construídos a partir da literatura. A primeira versão do instrumento continha 46 itens. O processo de validação de conteúdo e aparência da primeira versão do instrumento foi realizado com sete juízes apresentando escore global satisfatório do IVC (>0,80) nas duas análises. A validação semântica foi realizada por 20 enfermeiros. O escore de concordância foi considerado adequado, quando teve resultado (1,00). Um total de 205 enfermeiros participaram da etapa empírica. A confiabilidade geral da escala foi de α = 0,772. Após a AFE, os autovalores maiores ou iguais a um (1,00) demonstraram a existência de sete fatores, a saber: F1 – Prevenção, identificação e tratamento; F2 – Aspectos gerais da hepatite B; F3 – Monitoramento da hepatite B; F4 – Fases e imunização contra hepatite B; F5 – Marcadores sorológicos da hepatite B; F6 – Transmissão da hepatite B e F7 – Detecção da hepatite B. Todos os componentes apresentaram índices acima de 0,6 para a confiabilidade composta. CONCLUSÃO: A validação de conteúdo e aparência e a análise das propriedades semânticas do instrumento foram consideradas satisfatórias. A confiabilidade geral e a confiabilidade composta do instrumento foram consideradas como aceitáveis. Dessa forma, recomenda-se a realização de novas análises com populações maiores para verificação das propriedades psicométricas do instrumento, assim, mais evidências sobre a consistência interna dos seus itens sejam avaliadas. 

  • RAYLA MARIA PONTES GUIMARÃES COSTA
  • PROCESSOS TRANSICIONAIS DE PESSOAS QUE CONVIVEM COM SEQUELAS DE HANSENÍASE: UMA PESQUISA-CUIDADO
  • Orientador : MARCIA ASTRES FERNANDES
  • Data: 29/06/2022
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A hanseníase representa um grave problema de saúde pública por causar danos neurais que geram incapacidades físicas, podendo evoluir para deformidades e, assim, comprometer a qualidade de vida das pessoas, demandando mudanças e adaptação à nova situação. Objetivos: Compreender a significação acerca dos processos transicionais que incidem na adaptação de pessoas que convivem com sequelas de hanseníase pela pesquisa-cuidado; descrever os processos transicionais vivenciados pelas pessoas com sequelas de hanseníase; apreender as estratégias de enfrentamento diante do processo de transição de pessoas que convivem com sequelas de hanseníase para o alcance da qualidade de vida. Método: Trata-se de uma pesquisa-cuidado com abordagem qualitativa. A pesquisa-cuidado permitiu ao enfermeiro pesquisar e cuidar ao mesmo tempo. Sendo assim, a pesquisa-cuidado desenvolveu-se em cinco etapas: aproximação com o objeto de estudo; encontro da pesquisadora (cuidadora) com o ser pesquisado (cuidado); estabelecimento das conexões da pesquisa, teoria e prática do cuidado; afastamento dos seres pesquisador e pesquisado; e análise do apreendido. A pesquisa foi realizada no Hospital Colônia do Carpina em ParnaíbaPI, nosocômio público estadual, que funciona como uma instituição de longa permanência. Os participantes foram 24 pessoas que convivem com sequelas da hanseníase. Os critérios de inclusão foram: apresentar sequelas permanentes com diferentes graus de incapacidades decorrentes da hanseníase, e ter disponibilidade e interesse em participar do estudo. Foram excluídos aqueles que estiveram ausentes da instituição durante o período da coleta de dados. Foi utilizado um roteiro com perguntas abertas para a entrevista semiestruturada. A pesquisa foi cadastrada na Plataforma Brasil para apreciação do Comitê de Ética em Pesquisa (CEP) da Universidade Federal do Piauí – UFPI, que obteve aprovação sob número CAAE: 43128721.5.0000.5214. A análise dos dados foi realizada pelo software Iramuteq, programa gratuito e de fonte aberta, criado por Pierre Ratinaud. Realizou-se um único corpus e analisou-se por meio da nuvem de palavras, Análise de Similitude e Classificação Hierárquica Descendente. Resultados: As respostas da entrevista foram organizadas em um único corpus, sendo identificadas por linhas de comando compostas pelas informações sociodemográficas, diagnóstico e sequelas da hanseníase, mudanças que ocorreram em decorrência da hanseníase, bem como, os processos transicionais vivenciados. Os resultados foram apresentados em quatro eixos temáticos: significação acerca dos processos transicionais; descrição dos processos transicionais; apreensão das estratégias de enfrentamento dos processos transicionais; e terapêuticas de enfermagem à luz da Teoria de Transição mediada pela pesquisa-cuidado. Detalha-se a vulnerabilidade do ser em transição, o impacto da hanseníase na vida pessoal, familiar e social, tendo a espiritualidade e a religiosidade como condição facilitadora do processo transicional e, ainda, o fim das transições de modo saudável com a aceitação da condição de saúde. Considerações Finais: Espera-se que o estudo contribua para promoção de ações de cuidado transicional e estimule a implementação de políticas de promoção da saúde mental do público-alvo, com vistas à melhoria da qualidade de vida e do bemestar. Por fim, verificou-se que esta pesquisa confirmou a tese de que a Teoria de Transição no cuidado transicional de pessoas que convivem com sequelas de hanseníase, mediada pela pesquisa-cuidado, favorece a identificação dos significados que incidem na adaptação e no alcance da qualidade de vida. 

  • LUANA RUTH BRAGA CAMPOS
  • PAPEL DA ESCOLA NO ENFRENTAMENTO DA VIOLÊNCIA SEXUAL: sentimentos de adolescentes escolares
  • Orientador : MARCIA ASTRES FERNANDES
  • Data: 18/05/2022
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Violência sexual (VS) é um fenômeno sociocultural que afeta crianças de todo mundo. No panorama global, o abuso é relatado por um a cada oito jovens. Estatísticas nacionais apontam como o segundo maior tipo de violência entre indivíduos na faixa etária dos 10 aos 14 anos, sendo frequente sua ocorrência ou o relato da vivência no ambiente escolar. Não obstante, a oferta de educação sexual nas instituições de ensino ainda enfrenta diversas resistências, dificultando o acesso de crianças e adolescentes às informações sobre a VS. Objetivo: Analisar os sentimentos dos adolescentes escolares sobre violência sexual e o papel da escola no enfrentamento. Método: Estudo descritivo e exploratório, com abordagem qualitativa. A produção de dados foi embasada através de um questionário semiestruturado com adolescentes escolares de quatro unidades de ensino da rede estadual do Piauí, no município de Teresina. Na análise dos dados das entrevistas, utilizou-se da Classificação Hierárquica Descente (CHD) do software IRAMUTEQ® sob aporte teórico das Representações Sociais. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Piauí, sob o parecer de número 4.343.397, e obteve parecer favorável da instituição coparticipante. Resultados: Participaram 22 adolescentes escolares que integram a rede escolar da SEDUC-PI. Sendo 21 alunos cursando Ensino Médio e um 8º ano pelo Ensino de Jovens e Adolescentes (EJA). Idades variando entre 18 e 19 anos, desses, 16 do sexo feminino e seis do sexo masculino. A cor autorreferida majoritariamente foi parda, seguida de preta e branca. Quanto a situação conjugal, 21 estudantes declararam-se solteiros e um casado. Quanto a possuir filhos, nenhum referiu possuir. Observou-se que em sua maioria a estrutura familiar é composta por diversas figuras. A renda variou em um a cinco saláriosmínimos, cinco entrevistados informaram contribuir na renda familiar. Foram identificadas 99 Unidades de Contexto Elementar classificadas em 129 segmentos de texto que representam 76,74% do corpus. Os resultados apresentam-se em seis classes: Classe 1- Vivências da Violência Sexual por adolescentes escolares - nessa classe houve 14,1% de aproveitamento do corpus total. Na Classe 2- Consequências na vida das vítimas de Violência Sexual - houve 16.16% de aproveitamento do corpus total. Na Classe 3- Dificuldades de comunicação sobre sexualidade e VS nas escolas - nessa classe houve 20,2% de aproveitamento do corpus total. Na Classe 4- Impactos da vivência com a Violência sexual na saúde mental das vítimashouve 15,15% de aproveitamento do corpus total. Na Classe 5- Percepções da Violência Sexual por adolescentes escolares- houve 18,18% de aproveitamento do corpus total, e por fim, a Classe 6 - Lacunas na oferta de educação sexual nas escolas - houve 16,16% de aproveitamento do corpus total. Considerações finais: Evidenciou-se a presença das violências sexuais na vida de adolescentes em seu cotidiano e como é necessário enfrentá-la. Compreendeu-se que mesmo se tratando do espaço escolar, há uma significante ausência de informação. Foi possível verificar que as consequências psicossociais da violência sexual contra crianças e adolescentes são muitas. Embora notório a necessidade de apoio e atendimento especializado, constatou-se que a maioria das vítimas tomam a vivência como algo comum e momentâneo e não buscam redes de enfrentamento para essa injúria. Espera-se que a pesquisa em tela possa contribuir com subsídios para a elaboração de ações e políticas de amparo e prevenção às crianças e adolescentes vítimas de VS. 

  • ANDRESSA GISLANNY NUNES SILVA MOTA
  • UTILIZAÇÃO DO PROTOCOLO DE ALERTA DE DETERIORAÇÃO PRECOCE NA SEGURANÇA DO PACIENTE
  • Orientador : FERNANDA VALERIA SILVA DANTAS AVELINO
  • Data: 11/05/2022
  • Mostrar Resumo
  • Este estudo irá contribuir não só com a prática do cuidar ao paciente pelo Enfermeiro, mas também para servir de estímulo para alavancar mais pesquisas a respeito do escore de NEWS e ampliar o acervo teórico sobre o assunto. Objetivo: Adaptar o protocolo da NEWS para a segurança do paciente em estado crítico. Metodologia: Trata-se de um estudo metodológico, que se refere às investigações e desenvolvimento dos métodos de obtenção, organização e análise dos dados, foi realizada uma Revisão Integrativa da Literatura (Fase I). Posteriormente, foi adaptado o protocolo (Fase II) e por último elucidação das possíveis consequências dessa adaptação (Fase III). Fase I: A Revisão Integrativa da Literatura respondeu a questão de pesquisa “Quais são as evidências científicas disponíveis na literatura relacionadas a utilização de um escore de alerta precoce padronizado em pacientes admitidos em unidades hospitalares num estado avançado de deterioração clínica?”, e foi elaborada por meio da estratégia Pico: População/Problema, Interesse e Contexto (PICo), em três bases de dados, com descritores controlados e não controlados que foram cruzados com marcador booleano “AND” e “OR”, após aplicação dos critérios de inclusão e exclusão, leitura de títulos e resumos e leitura de texto completo, a amostra ficou composta por 22 artigos, que foram analisados de forma descritiva e sintetizados em quadros na área de Enfermagem. Fase II: O Protocolo de NEWS foi totalmente adaptado a segurança do paciente onde incluiu-se objetivos, atribuições da equipe multidisciplinar, organização do sistema de códigos e recurso disponíveis para a implantação do protocolo. Fase III: Diversos são os benefícios e consequências da implantação do protocolo sendo eles a nível de alteração nos índices de mortalidade e transferências para UTI, melhoria na relação e comunicação da equipe multidisciplinar, atendimento mais rápido e organizado, falhas na ativação dos TRRs, implicações econômicas e pessoais. Conclusão: O protocolo de NEWS adaptado a segurança do paciente é uma excelente ferramenta para avaliar e prevenir deterioração complicações clínicas clínica hospitalar, analisar a qualidade da assistência e contribui para a tomada de decisão para prevenção de deterioração clínica do paciente.

  • MARIA JOARA DA SILVA
  • REALIDADE LABORAL DE CUIDADORES FORMAIS DE IDOSOS DEPENDENTES NO DOMICÍLIO EM TEMPOS DE COVID-19
  • Orientador : MARIA DO LIVRAMENTO FORTES FIGUEIREDO
  • Data: 06/05/2022
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Considerando que nos últimos anos, houve a diminuição do número de familiares disponíveis para serem cuidadores, ficando evidente que o problema da dependência de idosos tornou-se relevante. Surge desta forma, a necessidade de contratação de cuidadores formais. Com isso, tendo em vista a pandemia COVID-19 vivenciada, tem-se uma preocupação cada vez mais presente entre os cuidadores que monitoram pessoas na faixa etária após 60 anos. Objetivos: Dicutir as condições de trabalho dos cuidadores formais de idosos dependentes no domicílio frente a pandemia COVID-19; Descrever a situação socioeconômica, de saúde e de dependência dos idoso cuidado; Caracterizar os cuidadores formais de idosos dependentes no domicílio quanto aos aspectos sociodemográficos e de qualificação para o cuidado de idosos dependentes; Descrever os modos de cuidar, entraves e desafios enfrentados pelos cuidadores formais de idosos dependentes no domicílio frente a COVID-19; Levantar as demandas e necessidades dos cuidadores formais no cotidiano dos idosos dependentes, especialmente, diante da Pandemia COVID-19; Analisar a realidade vivenciada por cuidadores formais de idosos dependentes no domicílio em tempos de COVID-19. Metodologia: Trata-se de um estudo descritivo com abordagem qualitativa. O cenário do estudo foram domicílios da zona urbana de Teresina. Incuíram-se cuidadores formais, com idade superior a 18 anos, que tivessem pelo menos 6 meses de experiência no cuidado ao idoso dependente e que vivenciaram a pandemia em seu trabalho. Os dados foram coletados no período de novembro a dezembro de 2021, por meio de contato telefônico, com roteiro de entrevista semiestruturado, as quais foram gravadas e posteriormente transcritas, permitindo a formulação de três categorias temáticas. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética da Universidade Federal do Piauí, por meio do parecer Nº 5.044.146. Resultados: Compuseram o estudo 25 participantes, nos quais a maioria (n=24) era do sexo feminino, com idade entre 41 e 59 anos. Quanto a escolaridade, 11 possuem ensino técnico, sendo que, do total, apenas 9 relataram ter feito algum curso voltado para o cuidado do idoso. As três categorias temáticas foram denominadas: Entraves e desafios enfrentados pelos cuidadores formais frente à COVID-19; Demandas e necessidades dos cuidadores formais frente à COVID-19; Realidade vivenciada por cuidadores formais frente à COVID-19. Considerações finais: Os achados deste estudo evidenciaram a realidade laboral vivenciada pelos cuidadores formais de idosos dependentes domiciliados diante da pandemia COVID-19, na qual se tem a precariedade desta atividade ocupacional tanto no tocante a baixa escolaridade dos cuidadores, bem como a fragilidade das capacitações no país, além do reduzido número de contratos trabalhistas regulares. Todos os entraves e desafios, demandas e necessidades que interferem na realidade vivenciada por esses cuidadores deve-se ter a devida relevância pelas famílias dos idosos, pois, do contrário, pode-se gerar consequências negativas sobre a dinâmica de relações de cuidado e preservação da saude do binômio cuidador-idoso.

  • ROSA JORDANA CARVALHO
  • IMPLICAÇÕES NA SAÚDE MENTAL DE ADOLESCENTES ESCOLARES VÍTIMAS DE VIOLÊNCIA SEXUAL
  • Orientador : MARCIA ASTRES FERNANDES
  • Data: 04/05/2022
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A Violência Sexual contra adolescentes é muito prevalente na sociedade brasileira e é preditora de impactos negativos em sua saúde mental. Essas consequências são expandidas para outras áreas da vida como escola, relações familiares e sociais, saúde física e desesperança frente ao futuro, de modo que reduz sistemicamente sua qualidade de vida e pode culminar em morte por meio do suicídio. Objetivos: Tem como objetivo geral analisar as implicações de Violência Sexual na saúde mental de adolescentes escolares. Metodologia: Estudo descritivo com abordagem qualitativa, exploratório, realizado em com quatorze adolescentes matriculados no Ensino Médio de quatro escolas da zona urbana da rede estadual de ensino do Piauí e que foram vítimas de Violência Sexual. A coleta de dados ocorreu no período de Setembro a Dezembro de 2021, por meio de um roteiro de entrevista semiestruturado, cujos depoimentos foram gravados e transcritos e, posteriormente, processado pelo software IRAMUTEQ, com organização do conteúdo léxico pela Classificação Hierárquica Descendente e Análise de Similitude. A pesquisa seguiu todas as diretrizes e normas da Resolução 466/2012 do Conselho Nacional de Saúde. Resultados: Por meio da Análise de Similitude foi gerada uma representação gráfica das palavras mais frequentes e outras a elas relacionadas que constituem temáticas específicas como falta de apoio, solidão, impactos na saúde mental e enfretamento ineficaz. Já na Classificação Hierárquica o corpus teve retenção de 80, 83% e se dividiu em seis classe cujos nomes e aproveitamento são, respectivamente: Classe 6- Impacto da Violência Sexual na saúde mental dos adolescentes escolares (17, 95%); Classe 1: O sofrimento solitário e o medo do revelar a Violência Sexual sofrida (16, 67%); Classe 4: Repercussão da Violência Sexual na vida dos adolescentes escolares (19,87%); Classe 5: Solidão, isolamento e traumas: influência da Violência Sexual no comportamento das vítimas (13, 46%); Classe 2: Violência Sexual: conhecimentos e vivências de adolescentes escolares (16, 67%) e Classe 3: Violências: entendimento e vivências de adolescentes escolares (15, 38%). Conclusão: Espera-se que o estudo em tela contribua para a compreensão do impacto que a Violência Sexual causa na saúde mental das vítimas, bem como sirva para ampliar o debate sobre esse crime lamentável, a fim de subsidiar o planejamento de ações e estratégias de prevenção e promoção da saúde das pessoas afetadas.

  • NIRVANIA DO VALE CARVALHO
  • EFETIVIDADE DO MODELO DE MELHORIA NA PREVENÇÃO DE INFECÇÕES RELACIONADAS À ASSISTÊNCIA À SAÚDE EM TERAPIA INTENSIVA
  • Orientador : GRAZIELLE ROBERTA FREITAS DA SILVA
  • Data: 29/04/2022
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O Modelo de Melhoria e suas ferramentas organizacionais foram projetados para gerar mudanças na qualidade das organizações. A aplicação do Modelo de Melhoria para a redução de infecções relacionadas a assistência à saúde (IRAS), em Unidade de Terapia Intensiva (UTI), busca aquisição de novas práticas e mudanças de estratégias já realizadas pela equipe multiprofissional. Tais ações visam melhorar a adesão aos protocolos relacionados à melhoria, consequentemente, diminuir infecções e aprimorar a qualidade das práticas já existentes por meio de testes, implementação e mensuração de resultados. Ao estudar a efetividade da implementação do Modelo de Melhoria e sua estrutura projetada para a prevenção de IRAS, obteve-se uma sistematização organizacional para o cotidiano da UTI. Objetivo: Avaliar a efetividade de protocolos assistenciais baseados no Modelo da Melhoria para o controle e prevenção de IRAS em Unidades de Terapia Intensiva. Método: Pesquisa avaliativa, longitudinal e retrospectiva, realizada em hospital público de alta complexidade do Piauí. Utilizaram-se os registros das ações de implementação do Modelo de Melhoria entre janeiro de 2017 e abril de 2021. O levantamento dos dados ocorreu nos bancos de dados da Comissão de Controle de Infecção Hospitalar e do Núcleo de Qualidade em Saúde e Segurança do Paciente, referente aos indicadores de estrutura, processos e resultados pertinentes ao controle e prevenção das IRAS de duas UTIs. A análise foi realizada por meio de estatística descritiva, e as associações entre as variáveis pelo teste de Mann-Whitney (Wilcoxon rank-sum test), Teste do Qui-quadrado estimando a Odds Ratio (OR), intervalo de confiança de 95% e valor p<0,005. A presente pesquisa foi aprovada pelo Comitê de Ética e Pesquisa da Universidade Federal do Piauí e da instituição coparticipante com os pareceres: 5.017.659 e 5.099.660, respectivamente. Resultados: Durante e após a aplicação das ferramentas de mudança na UTI, ciclos de PDSA (Plan-Do-Study-Act) e os diagramas direcionadores, observou-se nos indicadores de estrutura, o aumento do número de capacitações e do uso de solução alcóolica (p=0,002), potencializado com o advento da pandemia pela COVID-19. Nos indicadores de processo, a adesão à higienização das mãos foi de 76%, houve aumento das medianas na adesão aos itens dos protocolos de inserção, e manutenção dos dispositivos invasivos para a prevenção de IRAS. Nos indicadores de resultado, a redução das taxas foram: IRAS total (p= 0,001), Infecção Primária de Corrente Sanguínea Laboratorialmente confirmada associada ao Cateter Venoso Central (p=0,002), Infecção do Trato Urinário associada ao cateter (p<0,001) e Pneumonia Associada à Ventilação Mecânica (p=0,006) após a intervenção do Modelo de Melhoria na UTI. Conclusão: O Modelo de Melhoria contribuiu de forma inovadora para a adesão aos Protocolos de Controle e Prevenção das IRAS, possibilitando a avaliação dos indicadores de estrutura, processo e resultado, levando a uma redução das taxas de densidades de incidência que ocorreram na terapia intensiva.

  • FRANCISCA DAS CHAGAS SHEYLA ALMEIDA GOMES BRAGA
  • VALIDAÇÃO DE HISTÓRIA EM QUADRINHOS SOBRE INCONTINÊNCIA URINÁRIA PARA ADULTOS
  • Orientador : GRAZIELLE ROBERTA FREITAS DA SILVA
  • Data: 12/04/2022
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: A incontinência urinária é definida, pela International Continence Society, como a perda involuntária de urina. OBJETIVO: Validar História em Quadrinhos para adultos sobre incontinência urinária. MÉTODO: Estudo metodológico para construção de História em Quadrinhos, em três etapas: pré-produção, produção e pós-produção. A coleta de dados foi em dois momentos: primeiro com os juízes especialistas: enfermeiros estomaterapeutas com expertise na área de incontinência urinária para validação de conteúdo e aparência, e designer gráficos e/ou marketing, para validação da adequabilidade, o contato se deu por e-mail e/ou WhatsApp, e o segundo momento com o público-alvo, usuários atendidos em ambulatório de ginecologia e urologia de Hospital Universitário de Teresina- PI para avaliação da aparência e compreensão. Foram utilizados três instrumentos validados na literatura. A amostra foi constituída de 24 juízes e 60 pessoas do público-alvo. Os juízes foram selecionados por meio da técnica de amostragem do tipo “bola de neve”. A seleção da amostra do público-alvo foi por conveniência, e teve como critérios de inclusão: ser do sexo feminino ou masculino, aguardando consulta nas especialidades supracitadas, idade a partir de 18 anos no momento da entrevista, e de exclusão: pessoas com deficiência cognitiva que inviabilize responder ao questionário. Os juízes foram classificados quanto aos critérios de expertise de Benner, Tanner e Chesla. Para a análise utilizou-se o Alfa de Cronbach, o índice de validade de conteúdo, e o teste binomial para verificar se a proporção de concordância foi, estatisticamente, igual ou superior ao ponto de corte estabelecido de 0,80. O estudo foi aprovado pelo comitê de ética em pesquisa com o parecer de número: 5.027.844. RESULTADOS: Na validação do conteúdo educacional e aparência obteve-se respostas, adequada e parcialmente adequada de no mínimo 88,3% dos juízes. Consolidados os índices de concordância entre os juízes variou de 88,2% a 100%, foi obtido Alfa de Cronbach igual a 0,945. Na validação da adequabilidade o cálculo do índice atingiu 95% de adequação no total, classificando-se como superior. CONCLUSÃO: O percentual de concordância entre os avaliadores atingiu valores satisfatórios para a finalização do material educativo.

  • CLEIDIANE MARIA SALES DE BRITO
  • PROMOÇÃO DA SAÚDE DE CUIDADORAS INFORMAIS IDOSAS NA PERSPECTIVA DE NOLA PENDER
  • Orientador : MARIA DO LIVRAMENTO FORTES FIGUEIREDO
  • Data: 08/04/2022
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O Brasil passa por um acelerado processo de envelhecimento populacional, semelhante ao que já ocorreu nos países desenvolvidos, especialmente, no continente europeu, porém, na realidade nacional o envelhecer vem se dando, acompanhado de fragilidades e dependências que exigem a necessidade de cuidadores, missão frequentemente assumida por familiares, destacando-se a predominância de cuidadores informais do sexo feminino, de meia idade e até idosas. Evidenciando à feminização da responsabilidade do cuidado do idoso no domicílio. Objetivo: Avaliar a adoção dos comportamentos promotores de saúde por idosas cuidadoras de idosos dependentes no domicílio, mediante a implementação do Plano de ação embasado no Modelo de Promocional da Saúde de Nola Pender, na perspectiva da enfermagem gerontológica. Metodologia: Utilizou-se para investigar este fenômeno uma abordagem qualitativa do tipo compreensiva com o método da pesquisa intervenção junto a 22 idosas cuidadoras de seus familiares idosos dependentes, as quais constavam nos cadastros de Equipes da Estratégia Saúde da Família da zona urbana do município de Parnaíba – Piauí. Devido o isolamento social os dados foram coletados pela própria pesquisadora de forma remota, por meio da utilização de dispositivos móveis (tablets, celulares) através das plataformas digitais, para gravação de voz e de vídeos. No período de fevereiro a agosto de 2021 se deu a coleta de dados, que posteriormente, foram transcritos e digitados no word para processamento do corpus textual no software IRAMUTEQ, subsequentemente analisado pela Classificação Hierárquica Descendente. Resultados: As 22 idosas cuidadoras tinham a idade entre 60 a 78 anos, a maioria era casada, parda, católica, com ensino médio completo. Com renda familiar que variava entre 1 e 2 salários-mínimos. Estas cuidadoras tinham residência própria, de alvenaria, com água tratada e canalizada, fossa séptica e energia elétrica. A maior parte das mulheres apresentava Índice da Massa Corpórea acima dos parâmetros de normalidade, algum tipo de deficiência visual e pelo menos uma doença crônica. Constata-se que a maioria das idosas cuidadoras reside com seus cônjuges ou com os filhos. Quanto ao tempo de cuidado dispensado aos idosos dependentes identificou-se uma variação de 04 meses até 20 anos, de dedicação integral ou dedicação parcial. Em relação às ações de cuidar verificaram-se muitas dificuldades e inseguranças das cuidadoras frente as fragilidades físicas e emocionais dos idosos dependentes, demonstrando carências orientacionais acerca dos cuidados do idoso e de si mesma. A segunda etapa da investigação se deu após a implementação do plano de ação motivacional, aplicado remotamente junto às cuidadoras idosas, verificando-se que as participantes da intervenção educativa adotaram os comportamentos promotores de saúde, tornando-se empoderadas nas suas práticas diárias ao cuidar das pessoas idosas dependentes sob sua responsabilidade e de si mesma. Conclusão: Conclui-se que, mesmo remotamente, é possível implementar um plano de ação motivacional capaz de compartilhar saberes e práticas que potencializem o aprendizado e adoção de comportamentos promotores de saúde e qualidade de vida, tanto para cuidadoras idosas como para aqueles(elas) que estão sob seus cuidados. Outra evidencia do estudo, referese a adequação e a aplicabilidade do plano de intervenção motivacional baseado no Modelo Promocional de Saúde de Nola Peder, pois, as respostas das participantes na segunda etapa da investigação mostram a adesão a novos comportamentos promotores de saúde capazes de superar minimamente as dificuldades enfrentadas na atenção as pessoas idosas dependentes cuidadas no domicílio. 

  • PRISCILLA DANTAS ALMEIDA
  • CONSUMO DE MÍDIAS SEXUALMENTE EXPLÍCITAS E AS PRÁTICAS DE RISCO AO HIV/AIDS
  • Orientador : TELMA MARIA EVANGELISTA DE ARAUJO
  • Data: 23/03/2022
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Entender a dinâmica, a tendência da infecção pelo Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV) e o comportamento da população dentro dos novos espaços de socialização nos ambientes virtuais, se caracteriza um importante cenário para estudo. Um componente novo tem preocupado estudiosos e autoridades de saúde, no que diz respeito à expansão do HIV/Aids, que são as mídias sexualmente explícitas (MSE). Objetivo geral: analisar a associação do consumo de mídias sexualmente explícitas nas práticas sexuais de risco ao HIV/Aids na população brasileira. Método: Trata-se de um estudo analítico, transversal, online e de abrangência nacional desenvolvido com 854 participantes das cinco regiões do Brasil, em quatro etapas: revisão da literatura com a produção de um revisão de escopo, análise prévia dos fatores associados ao sexo sem uso de preservativos em consumidores de MSE, validação do instrumento de pesquisa e o estudo transversal para alcance do objetivo da tese. Para avaliar se o tamanho da amostra do estudo foi satisfatório, uma análise de poder foi realizada pelo software G*Power 3.1. A coleta de dados ocorreu de novembro de 2021 a fevereiro de 2022. Os dados coletados foram analisados no software Statistical Package for the Social Sciences SPSS® 26.0. Para avaliar os fatores relacionados ao envolvimento com práticas de risco, utilizou-se a regressão logística, com o estimador robusto da matriz de covariâncias. Os modelos foram ajustados para cada variável independente e um p<0,20 foi adotado como critério para prosseguir com o modelo multivariado. Foram apresentados os valores de Odds Ratio (OR) brutos e ajustados, intervalos de confiança (IC 95%) e a significância do Teste de Wald com valor de p<0,05. Resultados: A revisão de escopo identificou a influência das mídias quanto ao comportamento sexual de risco e a múltiplas parcerias sexuais. A análise prévia revelou associação estatisticamente significante do uso de preservativos com o tipo de cenas que prefere (p = 0,03), tipo de pornografia que assiste influenciando nas suas relações sexuais (p = 0,017) e número de cenas vistas por semana (p = 0,05). O estudo metodológico de validação verificou que o IVC do instrumento adaptado foi satisfatório para os domínios de saúde sexual (93,4%) e práticas sexuais (94,2%), enquanto os itens referentes ao consumo de MSE obtiveram IVC de 100,0% para ambos os critérios. As análises dos dados do estudo transversal apontaram que 558 (65,3%) informaram ter o hábito de ver pornografia. Identificaram-se chances aumentadas para o envolvimento em prática sexual de risco em: ser do sexo masculino (ORa=1,36 vezes); orientação sexual LGBTQIA+ (ORa=1,44); hábito de ver pornografia (ORa=1,47); menos de 12 anos no primeiro contato com a pornografia (ORa=2,74); entre outras variáveis. Conclusão: Os resultados mostraram que o consumo de MSE está associado as práticas sexuais de risco ao HIV entre os brasileiros. Entende-se que é oportuno a utilização de estratégias pelas produtoras que demonstrem nas cenas o uso de medidas preventivas ao HIV/Aids, bem como a inclusão nas políticas de saúde de ações que promovam a interface das novas formas de prevenção e o compartilhamento das MSE no ambiente virtual. 

  • ANA ANGÉLICA OLIVEIRA DE BRITO
  • CAUSAS EXTERNAS NA POPULAÇÃO IDOSA ATENDIDA PELO SERVIÇO PRÉ-HOSPITALAR MÓVEL DE URGÊNCIA
  • Orientador : ANA MARIA RIBEIRO DOS SANTOS
  • Data: 25/02/2022
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O aumento da idade tem influência direta na elevação da vulnerabilidade física e mental da população, tornando as pessoas idosas mais suscetíveis à ocorrência de agravos por causas externas. Diante do aumento desses eventos em idosos e da importância da assistência imediata para definição de um bom prognóstico, o atendimento pré-hospitalar móvel possui relevância ao garantir os primeiros cuidados ainda no local do evento, com impacto na redução de internações e óbitos. Objetivo: Analisar os atendimentos por causas externas na população idosa realizados pelo serviço pré-hospitalar móvel de urgência e o desempenho de índices prognósticos na população idosa atendida por causas externas pelo serviço préhospitalar móvel de urgência. Método: Pesquisa observacional de coorte retrospectiva, descritiva, analítica, com uso de dados secundários realizada de maio a setembro de 2021 no Serviço de Atendimento Móvel de Urgência e no Núcleo de Eventos Vitais da Fundação Municipal de Saúde de Teresina, Piauí. A população do estudo foi 1.972 registros de atendimento pré-hospitalar de idosos vítimas de causas externas realizados no período de janeiro de 2019 a dezembro de 2020. A amostra foi censitária. Adotou-se como instrumentos para coleta de dados formulários elaborados a partir das informações contidas na Ficha de Atendimento Pré-Hospitalar e Declaração de óbito e os índices prognósticos Revised Score Trauma (RTS), New Trauma Score (NTS), Mechanism, Glasgow Coma Scale, age and pressure (MGAP) e Glasgow Coma Scale, age and pressure (GAP). Foi realizada análise descritiva e inferencial mediante aplicação dos testes Qui-quadrado e Teste Exato de Fisher. Adotou-se nível de significância de p<0,05. Também foram avaliados valores percentuais de sensibilidade, especificidade, acurácia, valor preditivo positivo e negativo das ferramentas prognósticas. Este estudo obteve aprovação pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Piauí, com parecer 4.659.163. Resultados: A prevalência das causas externas em idosos foi de 12,2% no período analisado. A maioria era do sexo feminino, na faixa etária de 60 a 69 anos e sem suspeita de uso de bebida alcoólica. No que se refere às ocorrências atendidas, a maioria foi realizada pela unidade de suporte básico, no turno da manhã e na zona urbana da cidade. A escala de coma de Glasgow e avaliação pupilar foram as avaliações mais realizadas e a verificação da glicemia e imobilização de extremidades os procedimentos mais executados. A maioria dos idosos foram encaminhados para o hospital de referência de trauma da cidade e apresentaram baixo risco para mortalidade. Os idosos que evoluíram para óbito representaram 2,7% da população. O RTS apontou que 9,3% da população idosa não apresentava indicação de encaminhamento para centro de trauma. O NTS, MGAP e GAP apresentaram baixa sensibilidade e alta especificidade para mortalidade. Conclusão: Os dados apresentados permitem repensar a importância do atendimento prestado pelo serviço, principalmente, por demonstrar a necessidade de organizar adequadamente a assistência ao idoso vítima de causa externa. Acredita-se que este estudo possa contribuir para ampliação do conhecimento sobre a temática para que se possa traçar medidas para prevenção e controle desses agravos, além de direcionar para melhoria da qualidade do atendimento à população idosa.

  • INGRID MOURA DE ABREU
  • INTERVENÇÃO EDUCATIVA SOBRE SEGURANÇA DO PACIENTE EM AMBIENTE HOSPITALAR: UMA AVALIAÇÃO QUALITATIVA
  • Orientador : FERNANDA VALERIA SILVA DANTAS AVELINO
  • Data: 23/02/2022
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O uso de estratégias educativas foi apontado como um elemento facilitador para superar os desafios e promover a segurança do paciente. Nesse cenário, o entendimento sobre os mecanismos de ação e condições do contexto que contribuem ou prejudicam o desenvolvimento de intervenções é pertinente e tem papel fundamental na compreensão da implementação, suas implicações e fatores associados a obtenção do resultado para a segurança do paciente. Visto que possibilita uma instigação mais profunda de condições estruturais e sociais envolvidas. Objetivo: Analisar a influência do contexto na implementação e resultados de um curso de formação complementar sobre segurança do paciente, entendido como uma intervenção educativa em ambiente hospitalar. Trajetória metodológica: Trata-se de uma pesquisa com abordagem qualitativa do tipo exploratório-descritiva que foi desenvolvida com profissionais de enfermagem vinculados a um hospital estadual, localizado no município de Floriano- Piauí. A produção de dados ocorreu em três etapas: A primeira etapa ocorreu por meio de entrevistas individuais semiestruturadas com uma amostra de 22 participantes do estudo; a segunda ocorreu com a aplicação de uma intervenção educativa por meio de um curso de formação complementar denominado “Segurança do paciente: Noções Básicas e Estratégias de Promoção” aplicado a 74 profissionais; e a terceira com a realização de três Grupos Focais, com amostra de 19 participantes. A análise qualitativa dos dados foi realizada com auxílio do software IRAMUTEQ, para análise de conteúdo foi adotada a técnica de análise temática. A coleta de dados ocorreu após autorização pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Piauí e de acordo com os preceitos éticos das pesquisas que envolvem seres humanos. Resultados: Das análises emergiram cinco categorias: a primeira com a descrição dos participantes; a segunda “Significados, percepções e comportamentos: identificando o contexto simbólico para a segurança do paciente”, a qual originou as subcategorias “Contexto simbólico na perspectiva dos profissionais de enfermagem sobre segurança do paciente” e “Segurança do paciente nas vivências e experiências”; a terceira “Suporte organizacional para a segurança do paciente: entendendo a base relacional e o contexto institucional”; a quarta “Instrumentalizar para a segurança do paciente: contexto material” e a quinta “A intervenção educativa no processo de construção do conhecimento e boas práticas relacionadas à segurança do paciente”. Conclusão: O estudo permitiu analisar a influência dos contextos simbólico, institucional/relacional e material na implementação e resultados da intervenção educativa sobre segurança do paciente em ambiente hospitalar, demonstrando que existe uma relação de dependência entre eles e a importância do seu fortalecimento em conjunto para obtenção de sucesso em processos de melhoria da qualidade e segurança do paciente. 

  • ANIZIELLY MARIA DE JESUS FERREIRA DOS SANTOS
  • DESENVOLVIMENTO DE OBJETO VIRTUAL DE APRENDIZAGEM ACERCA DA COMUNICAÇÃO EFETIVA PARA GRADUANDOS DE ENFERMAGEM
  • Orientador : FERNANDA VALERIA SILVA DANTAS AVELINO
  • Data: 26/01/2022
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A comunicação efetiva é um dos focos da ampliação das discussões acerca da segurança do paciente. Anualmente cerca de 138 milhões de pessoas são afetadas por erros no processo assistencial e dentre os fatores que mais acarretam esses problemas estão as falhas no processo comunicacional entre os profissionais da equipe. Um processo falho de comunicação é atribuível em mais de 30% dos casos de lesão de alta gravidade. Frente a isso, a relevância e a complexidade do processo comunicativo no cuidado em saúde, faz-se necessário reforçar o aprendizado acerca das de estratégias de comunicação eficaz, a partir de metodologias ativas e tecnologias educacionais inovadoras. Objetivo: Desenvolver e avaliar um Objeto Virtual de Aprendizagem sobre comunicação efetiva para ensino da segurança do paciente a graduandos de enfermagem. Método: Estudo metodológico em conformidade com o Design Instrucional, desenvolvido em cinco etapas sistematizadas. A fase de desenvolvimento foi constituída pelo levantamento das necessidades de aprendizagem juntamente com o nível de proficiência digital dos graduandos de enfermagem e uma revisão integrativa sobre as tecnologias de comunicação efetiva no cuidado em enfermagem. Quanto a fase de avaliação da qualidade de conteúdo do OVA os juízes em segurança do paciente puderam verificar através do instrumento Learning Object Review Instrument 2.0 (LORI) itens referentes a qualidade de conteúdo, alinhamento com os objetivos de aprendizagem, feedback e adaptação, motivação, design de apresentação, interação e usabilidade, acessibilidade e conformidade com as normas. A avaliação de conteúdo baseou-se nas especificações elencadas em cada item analisado pelos juízes, e essas especificações foram utilizadas para calcular o percentual de concordância entre eles. Já a avaliação da aprendizagem do público-alvo foi verificada por meio do instrumento de avaliação para material didático hipermídia com itens referente à aprendizagem, eficiência, retenção, estrutura, erro, satisfação e recomendação. Baseado na análise feita pelos graduandos de enfermagem nas especificações dos itens pertinentes a eles, e posteriormente calculado o percentual de concordância do grupo. Resultado: O OVA é integrado por dois módulos de ensino que englobam hipertextos, vídeos, história em quadrinhos, caça palavras, palavras cruzadas, desafios de quiz chats, fórum, e sala de conferência. Hospedado no ambiente virtual Moodle pode ser acessado por meio do link: https://avaspteme.moodlecloud.com/login/index.php. A tecnologia foi avaliada por 9 juízes especialistas e 32 participantes do grupo de público-alvo com uma média no Percentual de Concordância de 95,8% e 89,7% respectivamente e Percentual de Concordância médio total de 92,75 %. As recomendações foram em sua maioria atendidas. Conclusão: O OVA encontra-se desenvolvido, implementado e avaliado cumprindo os requisitos propostos, mostrando-se ser uma ótima ferramenta para otimizar o ensino sobre a comunicação efetiva na segurança do paciente a graduandos de enfermagem.

2021
Descrição
  • MARLY MARQUES REGO NETA
  • REPRESENTAÇÕES SOCIAIS SOBRE A COVID-19 POR DISCENTES DE ENFERMAGEM E A INTERFACE COM A PREVENÇÃO
  • Orientador : DANIELA REIS JOAQUIM DE FREITAS
  • Data: 22/12/2021
  • Mostrar Resumo
  • OBJETIVO: Apreender as representações sociais elaboradas por discentes de enfermagem sobre a COVID-19 e compreender como as representações sociais se relacionam com a prevenção da infecção pela SARS-Cov-2. MÉTODO: Trata-se de um estudo descritivo e exploratório, com abordagem qualitativa, realizado com discentes de enfermagem de Universidade Federal do Piauí. coleta de dados ocorreu em setembro de 2021 por meio de uma entrevista individual pela plataforma de reuniões e videoconferências Google Meet, onde foi aplicado um instrumento composto de duas partes. Os discursos foram transcritos no software Microsoft Word produzindo um corpus textual com todas as respostas dos participantes em um único arquivo de texto. O processamento foi realizado com o software Interface de R pour les Analyses Multidimensionnelles de Textes et de Questionnaire (IRAMUTEQ) por meio de uma Classificação Hierárquica Descendente e analise discursiva das classes foi realizada com auxílio do aporte teórico e metodológico da Teoria das Representações Sociais. RESULTADOS: Participaram do estudo 23 discentes de enfermagem. O dendrograma apresentou como resultado cinco classes, sendo estas: a percepção dos discentes de enfermagem sobre as medidas de prevenção a COVID-19; saber dos discentes de enfermagem sobre a COVID-19; medidas de prevenção da COVID-19 utilizadas pelos discentes de enfermagem; importância da formação em enfermagem para a prevenção da COVID-19 e meios de informação onde foram obtidos os conhecimentos sobre a COVID-19. CONCLUSÃO: A presente pesquisa evidenciou dados relevantes sobre a correlação da pandemia com os discentes de enfermagem, demonstrando suas percepções, o saber e ações (práticas) principalmente sobre as medidas de prevenção. Além disso, teve como principal resultado a origem desse saber, o qual foi obtido principalmente por meio dos meios de comunicação social como televisão, pela internet e redes sociais, bem como por meio do curso de enfermagem e artigos científicos, além de órgãos governamentais de saúde, impactando em suas representações sociais e gerando desde o saber sobre a COVID-19 até reflexões sobre a própria profissão. 

  • RAYLANE DA SILVA MACHADO
  • EVIDÊNCIAS DE VALIDADE DA VERSÃO BRASILEIRA DA DEATH ATTITUDE PROFILE REVISED (DAP-R) NA ENFERMAGEM
  • Orientador : GRAZIELLE ROBERTA FREITAS DA SILVA
  • Data: 20/12/2021
  • Mostrar Resumo
  • As atitudes frente à morte em profissionais da enfermagem têm sido objeto de múltiplos estudos por influenciarem na tomada de decisão, no comportamento e na assistência prestada a indivíduos em fim de vida. Em pesquisas internacionais, destaca-se o uso da Death Attitude Profile Revised (DAP-R) por ser uma escala multidimensional que avalia atitudes negativas, positivas e neutras, sendo baseada na análise conceitual de aceitação da morte. Buscando-se a aplicabilidade dessa escala na prática e na pesquisa, objetivou-se analisar as evidências de validade da versão traduzida e adaptada da DAP-R para o português brasileiro, em estudantes e profissionais da enfermagem. Estudo metodológico, composto por verificação da validade baseada na estrutura interna, análise de confiabilidade e validade baseada nas relações com medidas externas em uma amostra não probabilística de 696 profissionais e estudantes de enfermagem. A coleta de dados ocorreu de forma eletrônica entre os meses de janeiro a agosto de 2021. Os dados foram organizados, tabulados e tratados a partir de planilhas eletrônicas Google Docs, software Factor e SPSS. Para validade baseada na estrutura interna foi realizada Análise Fatorial Exploratória (AFE). A validade convergente foi determinada por meio da análise de correlações entre as subescalas da DAP-R e destas com a Templer’s Death Anxiety Scale (DAS), sendo feito cálculo do ρ de Spearman. A confiabilidade e a consistência interna foram verificadas por meio do coeficiente de correlação interclasse, do alfa de Cronbach e da Confiabilidade Composta. A DAP-R na versão brasileira foi composta por 4 fatores que explicaram 60,6% da variância total. Na AFE os itens de Medo da Morte se uniram aos itens de Evitar a Morte gerando um fator único com 12 itens. A dimensão Aceitação Natural ficou reduzida a 3 itens, Aceitação como Transcendência (9 itens) e Aceitação como fuga (5 itens). A dimensão Medo da Morte e Evitar a Morte se correlacionou positivamente com os escores da DAS e Aceitação Natural se correlacionou negativamente. Os índices de ajuste do instrumento foram bons ( 2= 795,92, gl = 296; p<0,001;  2 /gl = 2,69, RMSEA = 0,053; CFI = 0,965; TLI = 0,954). Os níveis de cargas fatoriais, comunalidades e discriminação dos itens foram adequados, bem como a estabilidade e a replicabilidade do instrumento para outras populações. A versão brasileira do instrumento apresentou boa consistência interna (CC>0,80; α de 0,67 a 0,88), níveis elevados de medidas de qualidade e efetividade das estimativas dos fatores do modelo (FDI>0,91; ORION > 0,84; EPDT>90,0%). Este é um indicativo de um modelo bem definido com fontes de evidências adequadas para verificação das atitudes frente à morte na enfermagem brasileira. 

  • MYCHELANGELA DE ASSIS BRITO
  • ELABORAÇÃO E VALIDAÇÃO DE UM CHECKLIST SOBRE COMUNICAÇÃO EFETIVA PARA SEGURANÇA DO RECÉM-NASCIDO NA UNIDADE NEONATAL
  • Orientador : SILVANA SANTIAGO DA ROCHA
  • Data: 17/12/2021
  • Mostrar Resumo
  • Falhas na comunicação entre os profissionais de saúde precisam ser discutidas, pois colaboram para um cuidado descontinuado e um tratamento inadequado, tornando-se uma preocupação atual no que tange à segurança do paciente hospitalizado na Unidade Neonatal. Ademais, os estudos evidenciam que a adoção de medidas de intervenção como o uso de checklist, promove a melhoria da comunicação e diminui a ocorrência de erros, o que o torna um instrumento importante no alcance da qualidade e da segurança do atendimento. Objetivou-se desenvolver um checklist para comunicação efetiva entre os profissionais de saúde para promoção da segurança do recém-nascido hospitalizado na Unidade Neonatal. Utilizou-se a Psicometria a partir do Modelo de Pasquali e o Guidelines for Developing Evaluation Checklists: the checklists development checklist como referencial teóricometodológico do estudo. Trata-se de uma pesquisa metodológica, desenvolvida em duas etapas: a primeira correspondeu a fase de construção do checklist e a segunda a de validação. A etapa 1 foi constituída de três fases: (1) dimensão teórica, norteada por uma revisão integrativa; (2) dimensão operacional norteada a partir de elementos identificados na revisão integrativa, as especificidades da Unidade Neonatal, além do estabelecido pelas Metas Internacionais da Segurança do Paciente e as recomendações do Programa Nacional de Segurança do Paciente – primeira versão; (3) dimensão empírica, com a participação de 15 enfermeiros atuantes na Unidade Neonatal de um Hospital Regional do interior do Piauí que avaliaram os itens, a aplicabilidade na prática assistencial e a execução de melhorias no checklist a partir da experiencia profissional (segunda versão). Na etapa 2 foi utilizada a validação de conteúdo por juízes especialistas, selecionados por meio de amostragem bola de neve, através da Plataforma Lattes, com atuação em neonatologia, tecnologias em saúde e/ou enfermagem, segurança do paciente e estudos de validação. Identificou-se 19 especialistas e a coleta de dados foi realizada de forma online, constando os seguintes documentos: carta convite, Termo de Consentimento Livre e Esclarecido, instrumento de caracterização, checklist construído e formulário de avaliação dos atributos: objetividade, clareza, simplicidade e relevância propostos por Pasquali, com espaços para sugestões, inclusão/exclusão e modificação de itens. Todos os dados foram digitados no Microsoft Excel versão 2110. A análise estatística de concordância foi feita através do Content Validity Ratio (Razão de Validade de Conteúdo proposto por Lawshe). Foram considerados válidos os itens que obtiverem proporção de concordância mínimo de 0,737. Quanto à concordância, foi considerado um escore de 0,80. Após duas rodadas de avaliação pelos juízes especialistas, a versão final do checklist foi finalizada com um índice de validade de conteúdo de 0,948, possuindo 64 itens distribuídos em 31 na categoria “Procedimentos”, 23 em “Checagem” e 30 itens em “Anotação de Enfermagem”. Portanto, o checklist para comunicação efetiva entre os profissionais de enfermagem para segurança do paciente na Unidade Neonatal foi considerado válido pelos juízes especialistas e poderá contribuir na redução de incidentes e eventos adversos em um dos momentos mais importantes da transição de cuidados na assistência de enfermagem ao recém-nascido na Unidade Neonatal. 

  • MARILYSE DE OLIVEIRA MENESES
  • RELAÇÃO DA ADICÇÃO AO SMARTPHONE COM SINTOMAS DE ANSIEDADE, DEPRESSÃO, ESTRESSE, QUALIDADE DO SONO E RENDIMENTO ACADÊMICO EM GRADUANDOS DE ENFERMAGEM
  • Orientador : ELAINE MARIA LEITE RANGEL ANDRADE
  • Data: 17/12/2021
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: Os smartphones oferecem diversas funcionalidades ao toque da ponta dos dedos, mas o uso excessivo destes dispositivos eletrônicos pode gerar adicção ao smartphone e estar associada a outras variáveis como depressão, ansiedade, estresse, qualidade de sono e rendimento acadêmico que precisam ser investigadas entre graduandos de Enfermagem brasileiros. OBJETIVO: Verificar a relação da adicção ao smartphone com sintomas de ansiedade, depressão, estresse, qualidade do sono e rendimento acadêmico em graduandos de Enfermagem. MÉTODO: Estudo quantitativo, descritivo e correlacional, realizado nos campus da capital e do interior de duas Instituições de Ensino Superior (IES) (A e B) públicas do Piauí. A população foi composta por todos os graduandos de Enfermagem (n= 1145) das instituições de ensino superior A (n= 844) e B (n= 301). A amostra foi obtida por conveniência e constituída de 206 graduandos de Enfermagem que atenderam aos seguintes critérios de inclusão: ter idade igual ou superior a 18 anos no momento da coleta de dados e possuir smartphone. E como critérios de exclusão: não preencher todos os itens dos instrumentos. Para coleta de dados foram utilizados os seguintes instrumentos: Questionário sociodemográfico, acadêmico, de hábitos de vida e padrões de uso de smartphone, Depression, Anxiety and Stress Scale-DASS-21; Pittsburgh Sleep Quality Index (PSQI); Smartphone Addiction Inventory (SPAI), via Google forms, disponibilizado por meio de redes sociais (Instagram, Whatsapp e Email) e Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas (SIGAA). Após a coleta, os dados obtidos foram codificados para elaboração de dicionário e realizada dupla digitação em planilhas do Excel. Em seguida, os dados foram avaliados para detecção de possíveis erros e quando detectados foram corrigidos e exportados para o software Statistical Package for social Sciences (SPSS) versão 22.0 e analisados. Estatísticas descritivas e inferenciais, ao nível de significância de 5% foram utilizadas. RESULTADOS: A prevalência global da adicção ao smartphone foi de 129 (62,6%). Os estudantes apresentaram sintomas moderados a extremamente graves de depressão 64,6, ansiedade 64,5% e estresse 63,1%, Na classificação da qualidade do sono, 162 (78,6%) foram classificadas como maus dormidores. O índice de rendimento acadêmico variou entre 6,0 e 9,7.Na análise bivariada, a adicção ao smartphone se relacionou com duração de uso do smartphone em um dia típico (p=0,004), sintomas de depressão (p<0,001), ansiedade (p<0,001), estresse (p<0,001) e pontuação global da qualidade do sono (p<0,001) e. (Tabela 10). Após a análise multivariada permaneceram no modelo final as variáveis sintomas de depressão (p<0,005) e ansiedade (p<0,005). CONCLUSÃO: A adicção ao smartphone se relacionou com sintomas de depressão (p<0,005) e ansiedade (p<0,005). Esta descoberta fornecerá informações adicionais sobre os problemas de saúde relacionados a adicção ao smartphone e construção de políticas públicas de prevenção desse problema e dos fatores de risco relacionados.

  • LARISSA ALVES DE ARAÚJO LIMA
  • RELAÇÃO ENTRE CONSUMO DE BEBIDAS ALCÓOLICAS E SINTOMAS DEPRESSIVOS
  • Orientador : CLAUDETE FERREIRA DE SOUZA MONTEIRO
  • Data: 16/12/2021
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O alcoolismo e a depressão são graves problemas de saúde pública, visto a alta prevalência de ambos e os malefícios que provocam à pessoa, família e coletividade. Encontram-se entre os transtornos psiquiátricos mais comuns e, que quando associados apresentam maior gravidade e pior prognóstico. Em 2010, a Organização Mundial de Saúde divulgou a meta de reduzir o consumo nocivo de álcool em 10% até 2025, por meio da adoção de propostas para alterações em dez áreas de atuação política, dentre elas: Facilitar o acesso à triagem, intervenções breves e tratamento para os transtornos por consumo de substâncias como parte do sistema nacional de saúde, incluindo uma capacitação dos profissionais da saúde. Objetivo: analisar o consumo de álcool e sua relação com sintomas depressivos em adultos assistidos na Atenção primária à saúde. Método: Trata-se de um estudo analítico de delineamento transversal realizada em 11 Unidades Básicas de Saúde de Teresina, Piauí. A amostra foi composta por 389 participantes em idade adulta, 20 a 59 anos. Os dados foram coletados por meio de questionário sociodemográfico para identificar o perfil dos participantes, o Alcohol use desorders indetification teste como método de avaliação do consumo de álcool, Inventário de depressão de Beck para verificar a presença de sintomas depressivos e Escala de Desesperança de Beck. As análises descritivas e inferencial com o programa Statistical Package for Social Sciences versão 26.0. Resultados: O perfil apresenta maioria do sexo feminino, em idade adulta-jovem, com companheiro e filhos, cor parda, vivendo com até dois salários mínimos, sem emprego e com prática religiosa. Aproximadamente, 41% consumiram álcool nos últimos 12 meses, com 20,4% apresentando consumo que varia de risco até dependência e 28,6% consomem bebidas alcóolicas na forma “beber pesado episódico”. Os homens possuem 3,308 vezes mais chances de apresentar um consumo de bebidas alcóolicas de risco em relação às mulheres, a prática religiosa reduz em 5,73 vezes a chance de uma possível dependência em bebidas alcóolicas. Porém, sofrer discriminação aumenta em 5,34 vezes as chances de uma possível dependência e consumir outras substâncias aumenta em 3,19 vezes a chance de desenvolver um consumo de risco e em 9,37 vezes as chances de desenvolver uma dependência química. Encontrou-se associação significativa entre a forma de beber e os seguintes sintomas depressivos: sentir-se fracassado, perda do prazer; sentimento de culpa; sentir-se decepcionado consigo mesmo, sentimento de inferioridade, perda de interesse pelas pessoas, dificuldade na tomada de decisões, parecer pior que antes e insônia. Não foi encontrada correlação entre os escores das escalas utilizadas. Conclusão: A hipótese levantada nesta tese foi confirmada, visto que a presença dos sintomas depressivos leva ao desenvolvimento de padrões de consumo de álcool mais intensos. Com destaque para a presença de sintomas mínimos/leves que levam ao maior consumo. Diante desse desfecho, é primordial a implementação de ferramentas para rastreamento, detecção precoce do consumo de risco, bem como, identificar precocemente os sintomas depressivos mesmo que leves durante o atendimento aos usuários da APS. Sugere-se também, a obrigatoriedade do uso de instrumentos que possam identificar esses fatores, bem como um treinamento para os profissionais saberem com assistir e tratar esses pacientes. 

  • EMANOELLE FERNANDES SILVA
  • COVID-19 ENTRE PROFISSIONAIS DA SAÚDE: FATORES ASSOCIADOS À ATUAÇÃO NA ASSISTÊNCIA
  • Orientador : ROSILANE DE LIMA BRITO MAGALHAES
  • Data: 16/12/2021
  • Mostrar Resumo
  • A COVID-19, doença provocada por um coronavírus, tem alta transmissibilidade e pode desenvolver complicações graves. Fazem parte do grupo de risco para a infecção os profissionais da saúde devido a própria atividade laboral. Esta dissertação objetivou analisar os fatores associados a infecção pelo SARS-CoV-2 entre profissionais da saúde em relação a atuação na assistência, isolamento social e plano de contingência no estado do Piauí. Trata-se de um transversal analítico que adotou a técnica Snowball Sampling e o método de amostra não probabilística. Incluiu-se profissionais da saúde atuantes na assistência no estado no período da pandemia da COVID-19 há pelo menos três meses, da rede pública e/ou privada, idade mínima igual ou superior a 18 anos, independente do status sorológico para COVID-19. A coleta de dados foi realizada em ambiente virtual, com questionário validado quanto forma e conteúdo. Realizou-se análise descritiva simples, medidas de tendência central e o teste do Qui-quadrado ou Exato de Fisher. Esta pesquisa foi aprovada no Comitê de Ética em Pesquisa com número de parecer: 4.122.120. A amostra foi composta de 204 profissionais, percebe-se elevada prevalência da COVID-19 nessa população (88;43,1%), a regional de Teresina concentrou a maioria dos casos. Não houve associações significativas com as variáveis sociodemográficas. Enfermeiros foram os que mais tiveram COVID-19 (76;85,4%). Profissionais com atuação em postos e/ou enfermarias, tanto na rede pública e privada, foram os que mais testaram positivo (39;52,7%, p=0,148) e (13;48,1%, p=0,282), respectivamente. Possuir mais de um vínculo empregatício teve associação significativa com a variável dependente (p=0,032). Atuar na atenção básica pode representar um possível fator de proteção contra a COVID-19 (p=0,011). A condição de saúde mais frequente nos profissionais que tiveram diagnóstico para COVID-19 foi a obesidade (16; 18,2%, p=0,007). Verificou-se participação em aglomerações com mais de dez pessoas tanto externo (101;49,5%, p=0,408) como interno (107;52,5%, p=0,366) ao ambiente de trabalho. Compartilhar sala de descanso com outros profissionais, sem o uso da máscara, por mais de 15 min foi associado como fator de risco para a doença (p=0,015). Assim como realizar swab nasal/oral 40 (45,5%, p=0,048) e aspiração de tubo endotraqueal 23 (26,1%, p=0,041). Em relação aos Equipamentos de Proteção Individual, a ausência de óculos de segurança ou óculos muito grandes esteve associado como possível fator de exposição (p=0,029). Evidenciou-se que a azitromicina (70;79,5%) e ivermectina (64;72,7%) foram as medicações usadas com mais frequência para o tratamento. A prevalência de complicações relacionadas a COVID-19 também foi elevada (22;10,8%), sendo arritmias a mais relatada (11;12,5%), internação hospitalar foi associada com complicações da doença (p=0,003). Concluiu-se que os fatores associados a infecção pelo SARS-CoV-2 estiveram relacionados a própria atividade assistencial sendo associados a procedimentos, local de atuação e adoção das medidas de segurança. Os profissionais estiveram envolvidos em comportamentos de risco como a participação em aglomerações e uso de profilaxia contra a COVID-19. Houve alta adesão a vacina e ao uso dos EPI de forma geral como fatores de proteção. Ressalta-se que o estado estruturou e seguiu, dentro das condições de cada município, o Plano de Contingência do Estado. 

  • RÔMULO VELOSO NUNES
  • PRÁTICAS SEXUAIS E PREDISPOSIÇÃO AO USO DA PROFILAXIA PRÉ-EXPOSIÇÃO AO HIV POR HOMENS DE 50 ANOS E MAIS QUE FAZEM SEXO COM HOMENS
  • Orientador : TELMA MARIA EVANGELISTA DE ARAUJO
  • Data: 15/12/2021
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A disseminação do vírus da imunodeficiência humana (HIV) representa um problema de saúde pública que ataca desproporcionalmente algumas populações específicas, como os homens que fazem sexo com outros homens, representando 49% das novas infecções pelo vírus na Europa Ocidental, Central e na América do Norte. Objetivo Geral: Analisar as práticas sexuais e a predisposição ao uso da profilaxia pré-exposição (PrEP) em homens com idade igual ou superior a 50 anos que fazem sexo com homem. Objetivos Específicos: Identificar as características sociodemográficas da amostra do estudo, predizer como as variáveis independentes explicam o alto índice HIRI(risco de contaminação pelo HIV), determinar as variáveis associadas à predisposição ao uso da PrEP nos participantes do estudo. Método: Realizou-se estudo analítico, transversal, envolvendo 718 HSH a partir de 50 anos de idade. A coleta de dados ocorreu entre setembro de 2020 a fevereiro de 2021, com a aplicação deum formulário online.A análise descritiva incluiu frequências absolutas e relativas. Para explicar as variáveis dependentes, índice de contaminação (Alto/Baixo) e predisposição ao uso de PrEP (sim/não) foram realizadas análises bivariadas e multivariadasutilizando-se a Odds Ratio bruta (ORb) e ajustada (ORa). A significância estatísitica foi fixada em 5%. Resultados: O alto índice HIRI foi verificado em 38,71% da amostra, enquanto a predisposição ao uso de PrEP em 58,07%. A escolaridade, o conhecimento sobre a Profilaxia Pós-Exposição (PEP), gozar fora, sexo grupal, adoção de posição sexual passiva e versátil, prática de fisting, bareback e o chemsex, foram variáveis significativas para o aumento das chances de contaminação pelo HIV. As variáveis associadas ao aumento da predisposição ao uso da PrEP foram a faixa etária, o sexo com penetração, o conhecimento da PEP, o alto índice HIRI e o diagnóstico de sífilis. Conclusão: O alto índice HIRI foi verificado em parcela significativa da amostra, enquanto pouco mais da metade se mostrou predisposta a usar a PrEP, evidenciando-se por um lado, que determinados comportamentos sexuais, com ênfase para o chemsex, aumentam o índice HIRI. E por outro, que aqueles HSH que já conhecem a têm as chances de predisposição ao uso da PrEP aumentadas, o que sinaliza que ações de educação em saúde, com o uso de técnicas e estratégias que alcancem os HSH, especialmente com 50 anos ou mais, são primordiais para a elevação das taxas de predisposição.  

  • CAMYLLA LAYANNY SOARES LIMA
  • SENTIMENTOS E EMOÇÕES DE TRABALHADORES DE ENFERMAGEM FRENTE À PANDEMIA POR COVID-19
  • Orientador : BENEVINA MARIA VILAR TEIXEIRA NUNES
  • Data: 14/12/2021
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A preocupação com a saúde mental da população se intensifica durante uma crise social. A pandemia da COVID-19 pode ser descrita como uma dessas crises, a qual tem se caracterizado como um dos maiores problemas de saúde pública internacional das últimas décadas. Porém com o desdobramento da pandemia observou-se que a COVID-19 vai muito além dos sintomas clássicos como tosse, febre e mialgia. Estudos passaram a identificar a presença de sentimentos negativos, sintomas de insegurança, depressão, ansiedade e estresse frente à pandemia na população geral e, em particular, nos profissionais da saúde. Objetivo: Compreender os sentimentos e emoções dos trabalhadores de enfermagem que atuam no Centro de Atendimento para Enfrentamento à COVID-19. Referencial temático: Entende-se por emoção uma interpretação dos estímulos externos e os sentimentos como respostas da interpretação orgânica das emoções, onde as emoções e os sentimentos possuem uma relação com o comportamento humano, podendo ser vistos como desencadeador motivacional no indivíduo ou como gatilhos de sofrimento psíquico. Metodologia: Trata-se de um estudo qualitativo. A produção de dados foi embasada através de um questionário semiestruturado com 14 profissionais de enfermagem. Na análise dos dados das entrevistas, utilizou-se da Classificação Hierárquica Descente (CHD) do software IRAMUTEQ®. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Piauí, sob o parecer de número 4.416.170, e obteve parecer favorável sobre da instituição coparticipante. Resultados: Foram identificadas 291 Unidades de Contexto Elementar classificadas em 233 segmentos de texto que representam 81.10% do corpus. Os resultados apresentam-se em seis classes: Classe 1- A emoção “nojo” no contexto da pandemia por COVID-19– nesta classe os trabalhadores de Enfermagem apontam o nojo como uma emoção negativa, principalmente nas suas relações sociais. Na Classe 4- O impacto negativo da pandemia por COVID-19 nas relações sociais dos trabalhadores de enfermagem frente a pandemia-aonde percebeu-se a influência das emoções principalmente nas relações conjugais. Na Classe 5-O preconceito e o isolamento social- nessa classe os profissionais viam o isolamento como reflexo do preconceito da população. Na Classe 3- Influência das emoções e sentimentos no cuidar em Enfermagem no contexto da pandemiaobservou-se a ambivalência das emoções na assistência de Enfermagem. Na Classe 2- Apoio emocional e as relações interpessoais entre a equipe de enfermagem no processo de cuidar no contexto da pandemia-observou-se a importância do apoio interprofissional e por fim na Classe 6- Sofrimento psíquico de trabalhadores de enfermagem da linha de frente- viu-se o sofrimento dos profissionais como fruto do processo de trabalho. Conclusão: Compreenderam-se as emoções e sentimentos de profissionais de enfermagem da linha de frente, no atendimento a pacientes com suspeita de COVID-19 como resultantes do processo de trabalho, do sofrimento psíquico e das estratégias de enfrentamento desses profissionais frente à pandemia por COVID19. Espera-se que esse estudo possa auxiliar a gestão pública a desenvolver políticas de atenção à saúde emocional dos trabalhadores de Enfermagem. 

  • JACIANE SANTOS MARQUES
  • PERSONALIDADE E RISCO CARDIOVASCULAR EM PESSOAS COM DIABETES TIPO 2 NA ATENÇÃO PRIMÁRIA: uma revisão sistemática
  • Orientador : FERNANDO LOPES E SILVA JUNIOR
  • Data: 06/12/2021
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O Diabetes Mellitus é uma das doenças crônicas mais complexas do ponto de vista psicológico, pois os aspectos psicológicos, incluindo o tipo de personalidade pode influenciar em um pior prognóstico da doença fomentando o surgimento de complicações. Assim, as doenças cardiovasculares representam uma importante complicação macrovascular e principal causa de morte no DM. Objetivo: Analisar as evidências científicas sobre a associação entre a personalidade e risco cardiovascular em pessoas com Diabetes tipo 2 na Atenção Primária. Metodologia: Trata- se de uma Revisão sistemática da literatura com protocolo registrado no International Prospective Register of Systematic Reviews (CRD42020207429) e elaborada de acordo com a ferramenta Preferred Reporting Items for Systematic Reviews and Meta-Analyses, de modo a responder à pergunta de pesquisa: existe associação entre a personalidade e os fatores de risco cardiovascular em pessoas com Diabetes Mellitus tipo 2 na Atenção Primária à Saúde? A estratégia de busca utilizou os componentes do PICo, com levantamento de evidências científicas nas bases MEDLINE (via PubMed), Web of Science, Scopus, LILACS, Embase e PsycINFO com os descritores: Diabetes Mellitus, Type 2; Personality; Cardiovascular System; Risk Factors e Primary Health Care. Além de uma pesquisa adicional na lista de referências dos estudos selecionados. Foram incluídos estudos primários observacionais conduzidos com a população adulta (≥18 anos) de ambos os sexos que possuem Diabetes tipo 2 que investiguem a associação entre os traços de personalidade e os fatores de risco cardiovascular no contexto da Atenção Primária em português, inglês e espanhol e sem restrição quanto a data de publicação. Os dados foram extraídos de forma padronizada e a qualidade do risco de viés dos estudos avaliada pela escala Newcastle-Ottawa. Todas as etapas foram realizadas por dois revisores de forma independente. Resultados: Foram incluídos sete estudos, publicados entre 1998 e 2019, sendo a maioria originários dos Estados Unidos com predominância de estudos transversais. O tamanho da amostra variou de 95 a 15029 participantes, sendo maioria composta pelo sexo feminino e idade variando entre 8,67 e 69,8 anos. Com relação ao suporte financeiro, apenas um estudo não recebeu esse tipo de apoio para a condução da pesquisa. Todos os estudos analisados foram de revistas internacionais, indexadas e com revisão por pares. Quanto a qualidade metodológica, os estudos transversais apresentaram baixa qualidade, caracterizando alto risco de viés. Os resultados apontaram que os traços de personalidade em pessoas que vivem com diabetes tipo 2 está relacionado a sofrimento emocional, pior percepção de saúde, sintomas depressivos, menos apoio social, e que pessoas que têm a personalidade tipo D têm a tendência a ter um estilo de vida negativo. Além disso, verificou- se que pessoas com boa saúde cardiovascular são afetadas por fatores de risco psicossociais. Conclusão: Os traços de personalidade impactam na adesão a comportamentos de saúde, os quais influenciam no desenvolvimento de complicações cardiovasculares, sendo um tema que merece maiores investigações, a fim de acrescer as análises dessas relações, bem como qualificar o atendimento a esta população de acordo com as necessidades de saúde.

  • MAYARA MACÊDO MELO
  • SINTOMAS ATÍPICOS DA INFECÇÃO PELO SARS-COV-2 ENTRE PESSOAS COM COVID-19 EM UMA CAPITAL DO NORDESTE DO BRASIL
  • Orientador : DANIELA REIS JOAQUIM DE FREITAS
  • Data: 24/11/2021
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A infecção pelo vírus SARS-CoV-2 que ocasiona a Coronavirus Disease 2019 (COVID-19) se disseminou velozmente pelo mundo, configurando um cenário pandêmico, sendo atualmente um grave problema de saúde pública que intriga e desafia pesquisadores. O primeiro caso da COVID-19 confirmado no Brasil foi registrado no dia 26 de fevereiro de 2020, e no estado do Piauí foi registrado o primeiro caso suspeito no mesmo mês, sendo notificado o primeiro caso da doença confirmado em março do mesmo ano. A história natural da doença vem sendo escrita com o tempo, com a realização de estudos e observações clínicas sendo paulatinamente apontadas, de modo que em meados de dezembro de 2019 os sinais e sintomas clássicos da infecção por SARS-CoV-2 eram temperatura corporal igual ou superior a 37,8 ºC, tosse, dor muscular e dispneia. Outros sintomas nesta ocasião eram tratados como atípicos. Objetivo: Analisar os sintomas atípicos da COVID-19 apresentados por pacientes atendidos em um hospital de referência do estado do Piauí. Método: estudo transversal, de caráter documental com abordagem exploratória descritiva. Realizado no município de Teresina com amostra de 708 prontuários de pacientes assistidos em um hospital de referência no combate à COVID-19 no estado do Piauí, no período de fevereiro de 2002 a fevereiro de 2021. Destes, 303 foram analisados e apenas 100 tiveram suas informações encontradas no sistema SIVEPGripe. Para análise estatística, utilizou-se software Statistical Package for the Social Sciences, versão 22.0. Foi realizado análise univariada e bivariada. Resultados: Com dados da pesquisa pode-se inferir que a maioria dos pacientes internada por COVID-19 no hospital estudado são do sexo masculino (60,8%) sendo estes idosos (58,5%) e prevalência da cor parda (70%), ), com escolaridade do ensino Fundamental 1º ciclo com 10.8% (n=28), entretanto, esta variável apresentou alto percentual ignorado com 62,3% (n=162), o que sugere a subnotificação do dado. Pode-se também observar que maioria dos pacientes atendidos são oriundos do interuor do estado 65,4% (n=170), e os demais tinham como procedência Teresina. No que concerne a ocupação desses indivíduos, não eram trabalhadores da saúde e 46,7% (n=121). Entretanto a literatura aponta que os sintomas mais comumente referidos são: febre, tosse seca, cansaço, infecção pulmonar e dificuldade respiratória, porém, alguns indivíduos que manifestaram a doença também podem apresentar coriza, cefaleia, diarreia, congestão nasal e dor de garganta; as bronquiectasias, consolidação lobar, escavação pulmonar e nódulos centrolobulares são considerados sintomas atípicos apresentados em pessoa acometidas pela COVID-19. Conclusão: A prevalência de sintomas atípicos caracterizou-se com maior evidência com mialgia e cefaleia, que atualmente já são considerados sintomas clássicos da doença, entretanto este achado é reflexo da desatualização da ficha de notificação para a doença. Palavras-chave: COVID-19. Sintomas Clínicos. Sintomas Atípicos.

  • KEROLAYNE LAIZ BARBOSA DE MORAIS ARRAIS
  • CONSTRUÇÃO DE UM PROTOCOLO DE BOAS PRÁTICAS DE ENFERMAGEM NO CUIDADO DE FERIDAS ONCOLÓGICAS
  • Orientador : GRAZIELLE ROBERTA FREITAS DA SILVA
  • Data: 13/08/2021
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Os cuidados direcionados às lesões oncológicas são específicos e diferentes daqueles recomendados para feridas de outras etiologias. Frente a isto, a relação das boas práticas de enfermagem e o uso de guias de prática clínica se fazem necessários por possibilitarem melhores impactos na qualidade de vida dos pacientes. Método: Trata-se de um estudo metodológico, desenvolvido em quatro etapas. Na primeira, referente a fase preparatória, ocorreu a priorização e seleção do foco do protocolo com formação do grupo elaborador e identificação de conflito de interesse. Na segunda ocorreu a formulação do guia de prática clínica, com a definição de alcances e objetivos, formulação de perguntas, identificação e graduação dos resultados, socialização dos alcances e objetivos com listas de perguntas e resultados do protocolo. Na terceira, realizou-se o desenvolvimento do protocolo, na qual houve a busca de guias e materiais sobre a temática na literatura cinzenta baseados em evidências e a avaliação da qualidade destes materiais com consequente construção do conjunto de evidências. Para o mapeamento do conjunto de evidências cientificas foi realizado uma Scoping review baseados no método de Joana Briggs Institute . Na quarta etapa os indicadoresdo protocolo foram definidos e houve a redação do protocoloO presente estudo obteve a aprovação do comitê de ética (847.126). Resultados: O protocolo intitulou-se “Protocolo de Boas Praticas de Enfermagem no cuidado de pacientes com Feridas Oncológicas”, composto por 62 paginas, palhetas de cores nos tons de azul, preto, branco, amarelo e laranja. A totalidade de ilustrações foi de 10 figuras e 12 quadros e o seu conteúdo se dividiu em seis capitulos seguindo uma ordem cronológica. O protocolo apresenta de inicio uma breve apresentação, seguida da explicitação da finalidade, justificativa, abrangência, importância dos conteudos discutidos, suasconsequências, objetivos e as vantagens de sua aplicabilidade. O primeiro capitulo retrata as feridas oncológicas , na tentativa de aproximar ainda mais o leitor sobre o tema, bem como dar bases solidas para o entendimento e construção do seu conhecimento. O segundo capitulo que aborda a SAE para pacientes oncológicos, visando colaborar no oferecimentos de cuidados integrais e de qualidade a estes pacientes , já que engloba todas as fases do atendimento. O capitulo três referente a avalição do paciente com ferida oncológicas de forma suscinta e objetiva identificas as recomendações e intervenções a serem realizadas nesta etapa, a fim de que a assistência seja eficiente e ágil. O capitulo seguinte que aborda a avaliação da ferida, retrata de forma especifica as informações essenciais para uma correta avaliação bem como os critérios de curativos para estas lesões. O capitulo cinco faz referências aos cuidados básicos que devem ser efetuados com feridas tumorais, dispostos em um quadro no qual a sua justificativa de uso e recomendações a serem aplicadas são abordados. O ultimo capitulo faz menção aos cuidados especificos para feridas oncológica, os quais estão correlacionados com os principais sinais e sintomas, sejam eles fisicos ou psicossociais, dispostos em quadros contendo seu manejo clinico com recomendações e intervenções. Este protocolo foi criado tendo como base o mais elevado nivel de evidência e recomendação segundo a classificação de OXFORD. Conclui-se que este protocolo é um instrumento necessário a prática clinica tendo em vista a severidade da estatistica negativa sobre a qualidade de vida dos paciente com feridas tumorais e os desafios encontrados pelos proprofissionais durante o cuidado prestado, o qual encontra-se permedado por dúvidas e passivel de erros.

  • RAIANA SOARES DE SOUSA SILVA
  • ELABORAÇÃO E AVALIAÇÃO DE CONTEÚDO EDUCATIVO SOBRE REANIMAÇÃO NEONATAL PARA AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM
  • Orientador : SILVANA SANTIAGO DA ROCHA
  • Data: 19/07/2021
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A redução da mortalidade infantil é um dos objetivos do milênio e isso chama atenção para a realização de pesquisas que subsidiem intervenções capazes de contornar o problema. Dessa forma, há a necessidade de aprimorar o conhecimento dos enfermeiros que atuam em sala de parto quanto a reanimação neonatal. Em vista disso, entende-se ser de grande relevância a elaboração e avaliação de um ambiente virtual de aprendizagem sobre essa temática. Visto isso, questionou-se: O ambiente virtual de aprendizagem sobre reanimação neonatal é considerado válido para ser utilizado com enfermeiros que atuam em sala de parto? Objetivos: Avaliar um ambiente virtual de aprendizagem sobre reanimação neonatal para enfermeiros que atuam em sala de parto. Metodologia: Estudo de desenvolvimento metodológico que foi desenvolvido em 4 fases: análise, design, desenvolvimento e avaliação. A análise foi realizada com a identificação das necessidades de aprendizagem, por meio de uma revisão integrativa da literatura e definidos os objetivos educacionais. No design foi definido os conteúdos e os elementos utilizados. Na fase do desenvolvimento foram desenvolvidos os conteúdos pelas pesquisadoras e o ambiente virtual de aprendizagem ainda será desenvolvido pelo profissional de informática. A avaliação do conteúdo foi realizada por 09 juízes especialistas. Para coleta dos dados utilizou-se o Instrumento de Validação de Conteúdo Educacional em Saúde. Esse estudo foi aprovado pelo Comité de Ética e Pesquisa da Universidade Federal do Piauí com o Parecer 4.021.113 e foi realizado atendendo os aspectos éticos da resolução 466/12 do Conselho Nacional de Saúde. Resultados: A partir dos achados da revisão integrativa da literatura foram elencadas as necessidades dos enfermeiros sobre reanimação neonatal em sala de parto. O conteúdo foi categorizado e organizado em Módulos e Unidades. No Módulo 1 as médias de IVC dos critérios do IVCES variaram de 95% (objetivos) a 100% (relevância). Quanto aos objetivos, o menor índice referiu-se à adequação ao processo de ensino-aprendizagem, com 75%. Na seção de estrutura e apresentação, o item referente às informações necessárias obteve IVC abaixo do recomendado (75%). Todos os itens da seção relevância apresentaram IVC máximo (100%). Considerando-se a totalidade de critérios do instrumento, o IVC final foi de 97,2%. No Módulo 2, os valores médios de IVC atingiram valores máximos nos três domínios: objetivos, estrutura e apresentação, e relevância, atingindo o IVC final de 100%. Conclusão: O conteúdo do ambiente virtual de aprendizagem sobre reanimação neonatal para enfermeiros que atuam em sala de parto foi considerado válido.

  • IVANA MAYRA DA SILVA LIRA
  • FORÇA DE TRABALHO DA ENFERMAGEM OBSTÉTRICA EM CAPITAL DO NORDESTE BRASILEIRO
  • Orientador : MARCIA TELES DE OLIVEIRA GOUVEIA
  • Data: 11/06/2021
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A inserção da enfermagem obstétrica diretamente na cena do processo do parto e nascimento tem um importante engajamento para a realização de uma assistência à saúde materna e neonatal eficaz. Para que seja possível realizar intervenções em todo processo de atenção obstétrica, é necessário conhecer como esta é e por quem é realizada. Esta reavaliação dos cuidados em obstetrícia e dos seus respectivos serviços é de extrema importância para o progresso na redução das taxas de mortalidade materna e infantil. Objetivo: Analisar a força de trabalho em Enfermagem Obstétrica nos serviços de saúde materna e neonatal em uma capital do nordeste brasileiro em relação à sua disponibilidade, acessibilidade, aceitabilidade e qualidade. Método: estudo descritivo, com corte transversal. Foi desenvolvido no período de junho a agosto de 2020 em maternidades, instituições de formação de enfermeiros obstetras e em entidades profissionais da enfermagem obstétrica em uma capital do nordeste brasileiro. Utilizou-se o questionário SoWMY no formato Google docs para a realização do estudo, em que os atores selecionados para preenchimento do instrumento foram cinco enfermeiros responsáveis técnicos, três coordenadores do curso de especialização em enfermagem obstétrica e dois presidentes das entidades profissionais da enfermagem obstétrica no município em estudo. Realizado análise descritiva dos dados. Submetido ao CEP/UFPI com o parecer: 4.249.478. Resultados: Profissionais da enfermagem obstétrica ainda estão em um quantitativo inferior quando comparados aos profissionais da enfermagem generalista nas maternidades em estudo. Os Enfermeiros obstetras atuam realizando cuidados com parturientes no trabalho de parto, assistem o parto normal de gestante de baixo risco, gerem urgências obstétricas até a chegada do médico obstetra e relizam cuidados iniciais com recém nascidos. A formação desses profissionais se da por meio de cursos de especializações e pela residência em enfermagem obstétrica na qual ambas possuem suas especificidades de carga horária prática, e número mínimo de partos.. Os orgãos regulamentadores nessa capital, tanto uma associação, quanto o conselho regional são responsável por zelar pela qualidade dos serviços da Enfermagem, pelo respeito ao Código de Ética e cumprimento da Lei do Exercício Profissional. Conclusão: A força de trabalho da enfermagem obstétrica em uma capital do nordeste brasileiro encontra-se em crescimento, mostrando assim, resultados crescentes em relação a uma assistência menos intervencionista, mais humanizada e respaldada em evidências científicas.

  • JOELMA MARIA COSTA
  • TRANSTORNO MENTAL COMUM EM PESSOAS ACOMETIDAS POR HANSENÍASE EM CONTEXTO DE ALTA ENDEMICIDADE NO NORDESTE DO BRASIL
  • Orientador : TELMA MARIA EVANGELISTA DE ARAUJO
  • Data: 03/06/2021
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: os transtornos mentais comuns (TMC) constituem um conjunto de sintomas difusos, inespecíficos, não psicóticos. As evidências demonstram que o tema vem sendo estudado, entretanto existem lacunas de conhecimento relacionadas ao TMC na hanseníase e os fatores que o influenciam. OBJETIVO: analisar o transtorno mental comum (TMC) em pessoas acometidas por hanseníase e sua relação com fatores sociodemográficos, clínicos, limitação de atividade e participação social. MÉTODO: trata-se de um estudo transversal, analítico, realizado em Floriano-PI. A coleta de dados ocorreu entre 2015 e 2016, foram avaliadas 217 pessoas por meio da aplicação de instrumentos que avaliam o TMC: o Self-Reporting Questionnaire (SRQ-20), avaliação neurológica simplificada (ANS), escala para limitação de atividade Screening of Activity Limitation and Safety (SALSA), escala de restrição à Participação Social e questões sobre aspectos sociodemográficos e clínicos. Para digitação e qualificação da base de dados, utilizou-se o programa Epi-Info™, versão 7.1.3., e para as análises estatísticas, o SPSS, versão 26. Os dados sociodemográficos, assistenciais, de apoio e clínico foram analisados por meio de técnicas descritivas (medidas de tendência central e variabilidade). Para as análises bivariadas, utilizou-se o teste Exato de Fisher e no modelo multivariado, a regressão logística, para produção das “odds ratio” (OR Ajustadas), com nível de significância de 0,05 e intervalos de confiança de 95%. RESULTADOS: na amostra, houve predomínio de mulheres, cor parda, religiosos, casados, que trabalhavam, com baixa renda, sem acesso ao benefício do Bolsa Família, que tiveram alta por cura, paucibacilares, forma indeterminada, não apresentaram episódios reacionais. Em relação à assistência, receberam apoio de familiares e amigos, tempo de diagnóstico menor que três meses e referiram boa qualidade de vida após o diagnóstico. O transtorno mental comum ocorreu em 36,4% da amostra, com prevalência de 61,3% do sintoma “sentir-se nervoso, tenso ou preocupado” no domínio humor depressivo ansioso. Ser do sexo masculino reduziu em 44,1% as chances de ter TMC (OR=0,559; IC 95%= 0,319-0,98) e ter tempo de diagnóstico maior que seis meses aumentou em 2,6 vezes as chances de ter TMC, quando comparado ao tempo inferior a três meses (OR=2,636, IC95%= 1,080-6,433). Exercer atividade religiosa configurou fator de proteção para grau de incapacidade física (GIF), enquanto os pacientes que procuram o serviço após concluírem o tratamento apresentaram cinco vezes mais chances de ter desenvolvido incapacidade. Ter uma boa qualidade de vida configurou fator de proteção para limitação de atividade e restrição à participação social. Pacientes com hipertensão e depressão, que mudaram de ocupação devido à hanseníase e receberam ajuda apresentaram mais chances de limitação de atividade. CONCLUSÃO: constatou-se que os transtornos mentais comuns afetam especialmente as mulheres com maior tempo para o diagnóstico da hanseníase. Mas, não se pode deixar de investigar os vários aspectos associados à doença como GIF e sua incapacidade, participação e limitação que interferem na qualidade de vida dessas pessoas.

  • ELIZAMA DOS SANTOS COSTA
  • ANÁLISE DA OCORRÊNCIA DE EVENTOS ADVERSOS PÓS-VACINAÇÃO EM SERVIÇOS PÚBLICOS DE SAÚDE DO PIAUÍ
  • Orientador : TELMA MARIA EVANGELISTA DE ARAUJO
  • Data: 20/04/2021
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: As vacinas estão entre as principais conquistas da humanidade, e estima-se reduzir entre dois a três milhões de mortes a cada ano. O número crescente de indivíduos vacinados demonstra que eventos adversos e reações indesejáveis acontecem. Contudo, é necessário esclarecer que a pessoa não imunizada se coloca sob maior risco de adoecer, além de contribuir para a diminuição da cobertura vacinal e, por conseguinte, favorecer a persistência da cadeia de transmissão das doenças. OBJETIVOS: O objetivo geral foi analisar os fatores associados aos Eventos Adversos Pós-Vacinação(EAPV) notificados nos serviços de saúde pública do Piauí. Objetivos específicos: Caracterizar a população do estudo quanto à idade, sexo, raça e procedência; Identificar os tipos de manifestações mais frequentes (locais ou sistêmicas); Estimar a ocorrência de manifestação sistêmica, por vacina administrada, por dosee por faixa etária; Analisar as condutas profissionais frente aos EAPV;Identificar possíveis associações entre a ocorrência de manifestação sistêmica (sim/ não) e o imunobiológico administrado, por grupo etário, sexo, via e local de aplicação. MÉTODO: Trata-se de um estudo transversal, com coleta retrospectiva, a partir da base de informações composta por dados secundários, provenientes do Sistema de Informação de Eventos Adversos Pós-Vacinação - SIEAPV, do Programa Estadual de Imunização do Piauí/Brasil. A coleta de dados ocorreuno mês de setembro de 2020 e a população do estudo consistiu nouniverso de casos de EAPV (n=571), notificados no período de julho de 2014 a setembro de 2020.Para as análises foi utilizado o programa SAS® University Edition.A caracterização da população do estudo bem como a distribuição e caracterização dos EAPV foi feita por meio de frequências absolutas e percentuais. O teste de Qui-quadrado foi utilizado para identificar os fatores associados à ocorrência dos eventos. Em seguida, aqueles eventos com associação estatística ao nível de p<0,05 foram submetidos à regressão logística com o uso de Odds Ratio e os seus respectivos intervalos de confiança (95%). RESULTADOS: Predominou o sexo feminino (60,3%), menores de um ano (57,3%), de raça/cor parda (48,8%) e procedente do interior do estado (61,1%). Os eventos adversos notificados, foram sistêmicos e leves, na sua maioria (75.5%), evoluindo para cura(100%),sem sequelas ou maiores danos aos pacientes (100%). Dentre as manifestações locais, as mais frequentes foram calor, dor, edema, eritema ou rubor (32,1%) e abscesso quente (5,2%), e dentre as sistêmicas sobressaíram a febre (15%), dispneia e cianose (12,6%), náuseas e vômitos (10,5%), seguidas de choro persistente (7,9%).Em relação às condutas frente aos EAPV, observou-se que a manutenção do esquema vacinal foi a mais adotada. Os participantes com faixa etária entre 0-9 anos tiveram chances 2,08 vezes maior de ocorrência de manifestação sistêmica (OR=2.08), comparados ao grupo etário 20-59. Os de pele branca/parda tiveram as chances de ter eventos sistêmicos aumentados em 81%, quando comparados aos demais (OR=1,81). Além disso, aplicações de vacinas no músculo deltoide reduziram em 69% as chances de ocorrência de manifestação sistêmica (OR=0.31), quando comparadas as aplicações no músculo vasto lateral da coxa. CONCLUSÃO: Os benefícios de receber vacinas e prevenir doenças superam os riscos de possíveis eventos adversos, pois, na sua maioria são benignos e fugazes. Desse modo, o processo contínuo e sistemático de monitoramento dos EAPV constitui o principal instrumento de controle da segurança das vacinas, e, nesta perspectiva,intervenções na organização e na atividade prática dos serviços de saúde para notificação dos EAPV, em nível estadual e municipal.

  • JOELMA LACERDA DE SOUSA
  • OCORRÊNCIA DE INFECÇÕES ENTRE PACIENTES EM ASSISTÊNCIA DOMICILIAR: SUBSÍDIOS PARA A VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA
  • Orientador : ANDREIA RODRIGUES MOURA DA COSTA VALLE
  • Data: 23/03/2021
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: modelos de assistência a saúde envolvendo a internação em domicílio é uma realidade viável no Brasil e no mundo. Duas das vantagens apontadas desse modelo de assistência é reduzir o risco para infecções por cepas multidrogas resistentes e o custo para os sistemas de saúde. A diversidade de condições socioeconômicas-sanitárias e as dificuldades de monitoramento dos agravos vivenciados nos domicílios incita uma investigação epidemiológica para conhecer as possíveis ameaças infecciosas que o modelo de internação domiciliar possa oferecer. Objetivo: avaliar a ocorrência de infecção relacionada a assistência à saúde e principais fatores associados em pacientes assistidos pelas Equipes Multiprofissionais de Atenção Domiciliar e, assim contribuir com o processo de vigilância epidemiológica e segurança do paciente.. Método: estudo observacional/ seccional, retrospectivo realizado no município de Teresina com uma amostra censitária de 130 prontuários de pacientes assistidos em domicílio com dados relativos ao recorte temporal de abril de 2016 a julho de 2020. A coleta das informações envolveu aplicação de instrumento construído e validado em face e conteúdo para esta pesquisa e ocorreu de agosto a setembro de 2020. Para análise estatística utilizou-se software Statistical Package for the Social Sciences, versão 22.0. Foi realizado análise univariada, por meio de distribuição de freqüências. Para investigar evidências de associações utilizou-se o Teste Exato de Fisher e o Teste U-de Mann Whitney para análise de comparação. Foi realizada regressão logística de Poisson para verificar razões de chance. O nível de significância adotado para as análises foi de 0,05. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética da Universidade Federal do Piauí. Resultados: O estudo evidenciou um público com a maioria de idosos (≥ 60 anos), do sexo masculino (53,1%), (53,1%), cor parda (65,8%), sem cônjuge (61,1%), entre1-9 anos de estudo (47,2%), com cuidador do sexo feminino (83,2%). A taxa de ocorrência estimada de infecções foi de 46,2%, sendo as topografias mais frequentes: sistema respiratório (47,2%), urinário (32,4%), tegumentar (8,1%) e gastrointestinal (6,8%). As variáveis associadas foram o sexo do cuidador (OR= 6,611; IC95%- 1,826-23,933), uso de traqueostomia (OR=4,335;IC95%- 1,045-17,977), grau de dependência (OR= 3,892;IC95%- 1,123- 12,483), tempo de uso de dispositivo invasivo para alimentação (OR=15,044; IC95%- 2,759-82,033). Outras variáveis analisadas foram a reincidência infecciosa com 37,3% e reinternações hospitalares por infecções 33,3%. A análise comparativa evidenciou que o tempo de assistência domiciliar e o uso de traqueostomia foram decisivos na ocorrência de infecção. Conclusão: a taxa de ocorrência de infecções foi alta e foram encontradas associações com sexo do cuidador e o perfil clínico dos pacientes. O serviço de assitência domiciliar precisa se articular melhor dentro da rede de saúde, reduzindo o longo tempo de espera dos pacientes por procedimentos realizados em outros serviços. Reintera-se ainda a necessidade de protocolos que orientem as práticas dos profissionais de saúde sobre prevenção, controle e manejo das infecções na assistência domiciliar e um olhar especial dos profissionais de saúde para com o cuidador.

  • ROUSLANNY KELLY CIPRIANO DE OLIVEIRA
  • TRADUÇÃO E ADAPTAÇÃO DO PROTOCOLO DE ADECUACIÓN DE URGÊNCIAS HOSPITALARIAS PARA O BRASIL
  • Orientador : ANA MARIA RIBEIRO DOS SANTOS
  • Data: 19/03/2021
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Na pespectiva de assegurar a implementação de instrumentos que viabilizem a classificação de pacientes urgentes e não urgentes é imperioso utilizar ferramentas de medidas avaliativas que possibilitem a identificação prévia dos problemas de saúde pelos profissionais da urgência, especialmente, os médicos e enfermeiros. Dessa forma, em 1999 foi criado e validado o instrumento internacional espanhol capaz de mensurar esta avaliação de forma eficaz intitulado Protocolo de Adequacion de Urgencias Hospitalarias com o propósito de classificar pacientes urgentes ou aqueles casos passíveis de serem resolvidos na atenção primária. Objetivo: Traduzir e adaptar culturalmente o Protocolo de Adecuación de Urgências Hospitalarias para o português do Brasil. Método: Estudo metodológico, no qual foram cumpridas as seguintes etapas: tradução inicial do espanhol para o português do Brasil com dois tradutores proficientes e bilingues, síntese das traduções, retrotradução para a língua de origem, comitê de experts totalizando ao final cinco experts que analisaram as equivalências semântica, idiomática, conceitual e cultural e sugeriram alterações em alguns itens, pré-teste que possibilitou a análise de consistência do instrumento e aprovação do autor principal para a versão final. Foi realizada amostra com 30 profissionais de saúde entre médicos e enfermeiros que trabalham em hospital de alta complexidade no estado do Piauí. Para o processo de tradução e adaptação cultural, obteve-se prévia autorização do autor da versão original do instrumento.O estudo se encontra de acordo com as recomendações da Resolução Nº 466/2012 do Conselho Nacional de Saúde e recebeu aprovação do Comitê de Ética e Pesquisa da Universidade Federal do Piauí, sob protocolo nº 4.218.774. Resultados: No primeiro passo, o protocolo original foi adequado para o português do Brasil, com participação de dois tradutores independentes (T1 e T2), Em seguida, foi produzida a versão síntese das traduções (T12). A síntese foi enviada para retrotradução em que os dois profissionais desconheciam o objetivo do estudo, originando duas versões na língua espanhola (RT1 e RT2). O comitê de experts foi composto por cinco experts, cujo proprósito era análise das equivalências semântica, idiomática, cultural e conceitual das versões outrora colhidas (T1, T2, T12, RT1 e RT2) além do instrumento original, a versão préfinal em português, obtida mediante consenso entre os experts. O pré-teste foi realizado com 30 profissionais de saúde entre médicos e enfermeiros, que também responderam a questionários sociodemográficos e de experiência profissional na urgência. Para conferir as equivalências pelo comitê de experts foi empregado o IVC que variou de 0,40 a 1,0. A consistência interna segundo o coeficiente alfa de Cronbach, Equivalência Semântica=0,815, Equivalência Idiomática=0,924, Equivalência Experencial=0,682, Equivalência Conceitual=0,712. Destaca-se o resultado da equivalência Experencial <0,70. Apresentaram respectivamente valores aceitáveis na maioria dos juízes, com exceção da equivalência experencial. Na análise dos dados sobre validação de face no pré-teste utilizou-se o coeficiente de concordância de Kendall W para validação de face e mostrou confiabilidade boa W: valores de 0,14 a 0,58. Acima de 0,30 para maioria dos itens. Conclusão: O processo de tradução e adaptação do protocolo para o contexto do Brasil originou um instrumento aplicável a nossa realidade. Todas as etapas recomendadas pelo referencial metodológico foram seguidas, bem como as equivalências semântica, idiomática, cultural e conceitual obtidas pelo comitê de experts em relação à versão original portuguesa, o que permitiu vislumbrar a credibilidade e consistência deste estudo. 

  • SAMYA RAQUEL SOARES DIAS
  • CARGA DE TRABALHO ASSOCIADA A OCORRÊNCIA DE SITUAÇÕES CRÍTICAS EM UMA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA
  • Orientador : FERNANDA VALERIA SILVA DANTAS AVELINO
  • Data: 04/03/2021
  • Mostrar Resumo
  • Objetivo: avaliar a carga de trabalho de enfermagem associada à ocorrência de situações críticas em uma unidade de terapia intensiva. Método: o estudo foi realizado em uma unidade de terapia intensiva (UTI) de um hospital de alta complexidade no estado do Piauí. A população do estudo foi composta por pacientes internados na UTI durante o período de coleta de dados, foi alcançada a amostra de 71 pacientes. Foram incluídos pacientes internados na UTI, maiores de 18 anos. Como critérios de exclusão, foram adotados pacientes que evoluírem com alta/transferência ou óbito em menos de 24h de UTI. Para operacionalização da coleta foram utilizados os instrumentos: formulário próprio contendo características sociodemográficas e clínicas, instrumento de situações críticas no cuidado de enfermagem Critical Nursing Situation Index (CNSI) e o índice Nursing Activites Score (NAS). Resultados: a maioria foi do sexo feminino (63,4%), com idades entre 53 e 73 anos (52,1%). A avaliação do NAS, tempo de trabalho de enfermagem, evidenciou que no item de atividades básicas os maiores escores foram: tempo médio de dedicação à monitorização e controles (62%), investigação laboratorial presente na maioria dos investigados (98,6%), assim como medicação (95,8%). A carga de trabalho médio dos trabalhadores de enfermagem na UTI foi 65,9% das 24 horas trabalhadas. O maior índice de situações críticas encontradas (desvios de protocolos de UTI) foi a dimensão de Monitorização cardíaca, ritmo e circulação. A média de desvios encontrados foi de 41,8%. O escore total evidenciou 21,7% de situações críticas. A ocorrência de situações críticas de enfermagem foi correlacionada moderadamente com a administração de fluidos (p=0,645) e medicamentos em pacientes internados em UTIs (p=0,553). Conclusões: a carga de trabalho de enfermagem refletida por meio do escore NAS apresentou-se elevada, exigindo alta demanda de cuidados dos profissionais de enfermagem. O CNSI apontou uma moderada quantidade de situações críticas (desvios de protocolos).

  • LIDYANE RODRIGUES OLIVEIRA SANTOS
  • ANÁLISE DAS TRANSFUSÕES DE SANGUE EM UM HOSPITAL TERCIÁRIO: SUBSÍDIOS PARA A PRÁTICA TRANSFUSIONALSEGURA
  • Orientador : GRAZIELLE ROBERTA FREITAS DA SILVA
  • Data: 26/02/2021
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O sangue é o órgão mais transfundido no mundo, com mais de 100 milhões de unidades de concentrados de hemácias (CH) a cada ano, representa custo aproximado de US$ 3 bilhões (média de US$ 225 por CH). Além dos onerosos custos, têm potenciais riscos de complicações agudas e transmissão de infecções. Evidências internacionais e a Organização Mundial da Saúde incentivam criação de protocolos de gerenciamento e conservação de sangue que reduzam transfusões excessivas e desnecessárias, visto a disponibilidade, segurança e autossuficiência serem desafios que países enfrentam para responder ameaças conhecidas e emergentes para saúde pública. Análise dos fatores e auditoria da prática transfusional favorecem o uso racional e tornam-se primeiros pilares para implantação de protocolos internacionais, haja vista serem critérios para mensuração da qualidade hospitalar e segurança do paciente. Objetivo: Analisar os fatores associados à transfusão de sangue em hospital de uma capital do nordeste brasileiro Métodos: Estudo analítico de abordagem quantitativa realizado por meio de Sistema de gestão de estudos Modular Research System–Study Management System (Mrs-SMS) com 1038 prontuários de 2015 a 2018, após randomização pelo sistema, 61 requisições foram auditadas. Foi utilizado modelo de análise de regressão logística multivariada para analise dos possíveis fatores de risco associados à transfusão sanguínea. Teste t de Student e exato de Fisher foram usados na análise das variáveis e para correlações a análise de Spearman. Resultados: a análise mostrou que 38,2% das requisições estavam inadequadas quanto aos parâmetros, valores de hemoglobina e hematócrito sofrem alterações com a idade hb (-125 p<001) ht(1,00 p<001), sexo masculino (-0,468, p<0011 OR:0,626) pacientes cirúrgicos ortopédicos (-,881 p<049) e com doenças cardiovasculares (p<000) são mais propensos a serem transfundidos. A auditoria apontou conduta liberal no gatilho de transfusão, 10mg/dl de hemoglobina e 27 de hematócrito, com média de 318 ml transfundidos e ausência significativa de dados no preenchimento das requisições. Idade, sexo masculino e fraturas foram maiores preditores de risco para utilização de sangue. Conclusão: Uma porcentagem significativa de transfusões de hemoderivados são discordantes das recomendações das diretrizes, o que aponta necessidade de análise mais acurada e individualizada para realização da transfusão sanguínea. Auditoria, softwares para predizer risco e treinamentos para gerenciamento desta pratica tornará o processo mais seguro e reduzirá transfusões desnecessárias. 

  • MARCELO VICTOR FREITAS NASCIMENTO
  • CONSTRUÇÃO E VALIDAÇÃO DE VÍDEO EDUCATIVO SOBRE CUIDADOS COM O RECÉM-NASCIDO PRÉ-TERMO NO DOMICÍLIO
  • Orientador : SILVANA SANTIAGO DA ROCHA
  • Data: 12/02/2021
  • Mostrar Resumo
  •  Introdução: O nascimento do recém-nascido(RN) antes de 37 semanas é considerado um problema de saúde pública mundial, pois é tido como um dos principais fatores de risco para morbidade e mortalidade neonatal. Diante dessa problemática, é necessário colaborar para aprimorar a qualidade de vida de familiares de prematuros, como também, fomentar o desenvolvimento, validação e avaliação de materiais educativas produzidos por enfermeiros para essa clientela. Objetivo: Desenvolver e validar o conteúdo de uma tecnologia educacional do tipo vídeo educativo, acerca dos cuidados ao recém-nascido pré-termo (RNPT) realizados por cuidadores no domicilio Métodologia: Estudo metodológico, desenvolvido em 3 etapas com aprovação de um Comitê de Ética em Pesquisa (nº de protocolo 3.890), com base na proposta de Kindem e Musburger (2005), com adaptações para estudo de validação. A primeira etapa, de pré-produção, foi realizado a elaboração do roteiro do storyboard do vídeo educativo, com base na identificação de cuidados e necessidades dos cuidadores de recém-nascidos pré-termo no domicílio por meio de uma revisão de escopo e estratificadas através da estruturas conceituais do referencial teórico de enfermagem de Roper, Logan e Tierney. A segunda etapa, que corresponde a produção, ocorreu a construção e validação do conteúdo do storyboard do vídeo “O cuidado do prematuro” construído a partir dos doze princípios da Teoria Cognitiva da Aprendizagem Multimídia. A validação do conteúdo ocorreu por 14 juízes especialistas recrutados por meio de critérios pré-estabelecidos (via formulários Google). Para coleta dos dados, utilizou-se o Instrumento de Validação de Conteúdo Educacional em Saúde(IVES). A terceira etapa, correspondeu a pós-produção, que consistiu na implementação, desenvolvimento de imagens e animações. Os dados foram analisados pelo Índice de Validação de Conteúdo (IVC). O projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Piauí (parecer nº 4.035.639 ). Resultados: O conteúdo do vídeo foi construído com base na Teoria de Roper, Longan e Tierney e a partir dos princípios da Teoria Cognitiva da Aprendizagem Multimídia, composto por animação digital e narração em áudio, possuiu dez minutos e contemplou os polos temáticos das necessidades de cuidadores de recém-nascidos pré-termo. Participaram da validação, 14 juízes, a média de idade dos juízes foi de 32,8 (±4,5) anos, variando de 28 a 45 anos. Predominou o sexo feminino 10 (71,4%), que atuava somente na docência 7 (50,0%) ou também na assistência 6 (42,9%). O tempo de formação foi de, em média, 9,4 (±4,3) anos, variando de 4 a 20 anos. Todos possuíam experiência na áre de pediatria e/ou validação de tecnologias. Os itens avaliados pelos juízes especialistas obtiveram IVC global de 0,9 de forma que o vídeo foi considerado válido quanto aos objetivos, estrutura/apresentação e relevância. Conclusão: O vídeo educativo “O cuidado do prematuro” é valido quanto ao conteúdo por juízes especialistas, com Índice de Validação de Conteúdo que mostrou valores igual ou superior a 80%.

  • JANAINA MARIA DOS SANTOS FRANCISCO DE PAULA
  • EMPATIA E FADIGA POR COMPAIXÃO EM TRABALHADORES DE SAÚDE MENTAL DE UM MUNICÍPIO DO NORDESTE BRASILEIRO
  • Orientador : MARCIA ASTRES FERNANDES
  • Data: 09/02/2021
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: no cotidiano do trabalho dos Centros de Atenção Psicossociais, o afetivo, a mobilização da inteligência e a subjetividade, correspondem ao trabalho efetivo e coletivo exigindo o “uso exacerbado de si” em detrimento do outro, Nas relações e mediações esse exercício da subjetividade pode ser fonte de prazer ou sofrimento afetando a saúde mental dos trabalhadores conforme os pressupostos da Psicodinâmica do Trabalho. Objetivos: o estudo teve como objetivo geral avaliar a percepção do Impacto e Satisfação do Trabalho, Fadiga por Compaixão e Empatia junto aos profissionais de saúde mental de um município do nordeste brasileiro e como específicos: identificar a percepção do impacto do serviço dos profissionais de saúde mental; medir a fadiga por ccompaixão, a qualidade de vida profissional e a satisfação por compaixão dos profissionais de saúde mental; identificar o grau de satisfação da equipe de trabalho em relação aos serviços oferecidos e às condições de trabalho nas instituições; mensurar a empatia individual dos profissionais de saúde mental; verificar a relação entre a empatia e a fadiga por compaixão dos profissionais de saúde mental. Metodologia: estudo transversal de natureza quantitativa, analítico, observacional, com amostragem por conveniência realizado com 26 trabalhadores de saúde mental que atuavam no Centro de Atenção Psicossocial II e Centro de Atenção Psicossocial III de um município do nordeste brasileiro, com as escalas autoaplicáveis IMPACTO BR, SATIS BR, PROQoL BR (versão IV) e EMRI. Os dados foram analisados com o apoio do software SPSS versão 22.0. Para caracterização dos participantes foram realizadas estatísticas descritivas; nas correlações entre as variáveis quantitativas, utilizou-se o coeficiente de correlação de Spearman e Pearson, nas análises adotou-se o nível de significância de 0,05, sendo considerados estatisticamente significantes, os resultados dos testes que apresentaram p≤ 0,05. A coleta de dados ocorreu no período de julho de 2020. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética da Universidade Federal do Piauí, com o parecer n°.4.062.784. Resultados: houve predominância de indivíduos com média de idade de 35,58 anos, do sexo feminino, casados ou vivendo com companheiros (57,7%), possuíam a pós-graduação 50,0%; e outras profissões e (34,6% ) atuação na área da Saúde Mental entre 1 a 6 anos. A satisfação da equipe em relação às próprias condições do trabalho, apresentou média de 6,47(±1,09), a Satisfação por Compaixão teve média de 51,31(±3,53), a Fadiga por Compaixão teve média de 17,92 (±6,70), nas dimensões da Empatia o escore com maior média foi o de Angústia Pessoal, com 29,24 (±2,99), Consideração Empática obteve média de 26,4 (±3,43), mediana de 27,00, Tomada de Perspectiva obteve média de 20,52(±4,66); Fantasia teve média de 19,72(±4,53). Conclusão: o trabalho em saúde mental revelou-se desgastante em razão da satisfação em cuidar, o que exige estratégias defensivas para a minimização do dos riscos de transtorno mental relacionado ao trabalho. 

  • ANA PAULA CARDOSO COSTA
  • NÍVEIS DE ANSIEDADE E SUA RELAÇÃO COM RISCO DE SUICÍDIO EM ADULTOS ASSISTIDOS NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE
  • Orientador : CLAUDETE FERREIRA DE SOUZA MONTEIRO
  • Data: 18/01/2021
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: atenção à saúde mental manifesta-se como questão emergente e desafiadora. Dentre as doenças mentais, o transtorno de ansiedade é apontado como preocupante. O Brasil é o país com maior taxa mundial de indivíduos comesse agravo. A presença de agravo mental é apontada como um dos mais importantes fatores de risco para suicídio. Objetivo: avaliar níveis de ansiedade e sua relação com risco de suicídio em adultos assistidos na atenção primária à saúde do município de Teresina-Piauí. Material e método: estudo analítico e transversal, realizado com dados do macroprojeto “Impacto de intervenções para uso de drogas, sintomas depressivos, ansiosos e comportamento suicida na população adulta de Teresina-PI”. A coleta de dados ocorreu entre abril e julho de 2019, por meio de questionário para caracterização sociodemográfica, econômica, de condições de saúde e hábitos de vida, Inventário de Ansiedade de Beck e Nurses Global Assessment of Suicide Risk. Para análise estatística, utilizou-se software Statistical Package for the Social Sciences, versão 22.0. Foram realizadas análises estatísticas descritiva e inferencial, por meio dos testes exato de Fisher, regressão logística multinomial, Kruskal-Wallis, Post-hoc de Dunn, e coeficiente de correlação de Spearman. O nível de significância adotado para as análises foi de 0,05. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética da Universidade Federal do Piauí, Parecer nº 4.088.909. Resultados: 68,3% da amostra encontra-se com nível de ansiedade mínimo,18,4% nível leve, 9,2% nível moderado, e 4,1% apresentaram nível grave. Quanto ao padrão de risco de suicídio, 80,8% da amostra apresentou risco baixo, 10,0% risco intermediário, 4,1% risco elevado, e 5,1% risco muito elevado. Houve associação estatística significante entre os níveis de ansiedade e as variáveis: sexo (p=0,02), evento estressor (p<0,001), ter problemas no sono (p<0,001), realizar tratamento psicológico/psiquiátrico (p<0,001) e tratamento alternativo (p=0,005), praticar atividade física (p<0,001), ter sofrido violência (p<0,001) e discriminação (p<0,001). O risco de suicídio apresentou associação estatística significante com estado civil (p=0,003), evento estressor (p<0,001), ter problemas com o sono (p<0,001), uso de substâncias lícitas/ilícitas (p=0,04), realizar tratamento psicológico/psiquiátrico (p<0,001), ter sofrido violência (p<0,001) e ter sofrido discriminação (p<0,001). Houve associação entre os níveis de ansiedade e as classificações de risco de suicídio. O escore de ansiedade apresentou correlação positiva moderada com o escore de risco de suicídio (p=0,000 e r=0,522). Conclusão: os achados demonstram que a ansiedade, quando em níveis elevados, pode potencializar as chances de risco de suicídio. Frente a esses dados, reitera-se a necessidade de cuidado em saúde mental na APS. É necessária abordagem sensível e abrangente, na busca de minimizar os efeitos prejudiciais destes fatores, que podem resultar, inclusive, na autorresponsabilidade pelo fim da vida.

2020
Descrição
  • MARIANA LUSTOSA DE CARVALHO
  • VULNERABILIDADE FÍSICA EM IDOSOS HIPERTENSOS DE UM CENTRO DE CONVIVÊNCIA
  • Orientador : MARIA DO LIVRAMENTO FORTES FIGUEIREDO
  • Data: 22/12/2020
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O envelhecimento populacional é um dos fenômenos mais notáveis da contemporaneidade e aponta repercussões e consequências relevantes para a sociedade e para os sistemas de saúde. No âmbito da saúde, o desenvolvimento de vulnerabilidade de natureza física tem seu risco aumentado com o envelhecimento, em decorrência do desgaste biológico característico da senescência. Objetivo: Analisar a prevalência e os fatores associados à vulnerabilidade física em idosos hipertensos de um Centro de Convivência. Métodos: Trata-se de um estudo do tipo analítico, de delineamento transversal, que utilizou os dados do projeto intitulado “Risco para Síndrome Locomotora em Idosos e fatores associados”. A coleta foi realizada em um Centro de Convivência de idosos no período de abril a agosto de 2018, por meio do Mini-Exame do Estado Mental, Formulário de caracterização sociodemográfica e clínica e o Protocolo de Identificação do Idoso Vulnerável- VES13. A amostra final totalizou em 142 idosos. Foram realizadas estatísticas descritivas e para verificar associação entre as variáveis qualitativas foi utilizado o teste qui-quadrado (²). Para as quantitativas, utilizou-se o coeficiente de correlação de Spearman. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética da Universidade Federal do Piauí, com parecer nº 2.654.133. Resultados: A prevalência de vulnerabilidade física em idosos hipertensos desse estudo foi de 30,3%. A maioria por idosos eram do sexo feminino (86,6%), de cor parda (60,6%), casados (44,4%), que moram com até 2 pessoas (42,9%), escolaridade ensino fundamental incompleto(38,0%), 93,0% possuem renda e a aposentadoria é a principal fonte para 70,4%. Quanto às condições clínicas, 9,9% relataram etilismo, 0,7% tabagismo, 85,9% a presença de outras patologias, 99,3% a prática de atividade física, sendo a mais comum ginástica (62,0%) 38% informaram episódio de queda no último ano e 12,7% hospitalização. Quanto à vulnerabilidade física, observou-se uma maior proporção em idosos do sexo masculino, de cor amarela, divorciados, que moram com até 2 pessoas, que não sabem ler/escrever, com escolaridade fundamental incompleta. Observou-se ainda maior proporção de vulneráveis entre os que não referiram etilismo, entre os que possuem hábito tabágico, outras patologias, que praticam atividade física ate 3 vezes na semana, episodio de queda no último ano, hospitalização e nos que utilizam recurso de apoio para andar e enxergar. Quanto a distribuição da vulnerabilidade física de idosos hipertensos segundo a idade, autopercepção da saúde, limitação física e incapacidades, 65,1% a consideram regular ou ruim e todos os itens relacionados às limitações físicas e incapacidades obtiveram maiores percentuais nos idosos vulneráveis em comparação aos não vulneráveis. Não se observou associação estatisticamente significativa entre as variáveis. Conclusão: Obtivemos dados relevantes a respeito da vulnerabilidade e das características mais prevalentes dentre essa população e os desfechos obtidos refletem recursos relevantes conforme contribuem para a reflexão a respeito desse tema nos espaços de promoção à saúde, sobretudo nos centros de convivência. 

  • HILLDA DANDARA CARVALHO SANTOS LEITE
  • PREDITORES AMBIENTAIS PARA A OMISSÃO DOS CUIDADOS DE ENFERMAGEM
  • Orientador : LIDYA TOLSTENKO NOGUEIRA
  • Data: 18/12/2020
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O ambiente de trabalho da equipe de enfermagem nos hospitais geralmente é caracterizado como imprevisível, propício a interrupções e erros na assistência de enfermagem. Devido a isso, os cuidados quando omitidos, ocasionam maior ocorrência de infecções e quedas, pneumonia, aumento do tempo de internação, atraso na alta, aumento da dor, desconforto e desnutrição. Objetivo: Avaliar os preditores do ambiente organizacional para a omissão dos cuidados de enfermagem no contexto hospitalar. Método: Estudo transversal analítico, realizado em unidades de internação e unidades de terapia intensiva de um hospital universitário de Teresina, Piauí, Brasil. A coleta de dados ocorreu entre novembro de 2019 a fevereiro de 2020 e a amostra foi constituída por 220 participantes, sendo 72 enfermeiros assistenciais e 148 técnicos de enfermagem. Foram utilizados dois instrumentos validados para a coleta de dados Misscare-Brasil e Pratice Environment Scale - Versão Brasileira. A análise dos dados foi realizada com base nos princípios da estatística descritiva e inferencial. Na análise bivariada aplicaram-se os testes Qui quadrado de Pearson e t de Student. As correlações foram feitas por meio do coeficiente de correlação de Pearson. Este estudo atendeu as exigências da Resolução 466/12 e obteve aprovação no Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Piauí sob Parecer 3.563.800. Resultados: Na amostra verificou-se predomínio do sexo feminino (85,1%), idade média de 38,5±7,7 anos, com especialização na área de enfermagem (35,9%), maior número de profissionais de enfermagem na unidade de internação (78,6%), trabalhando no turno diurno/ vespertino (56,4%), com enfermeiros realizando maior número de horas extras 11,8±22,4, maior número de pacientes por turno 10,8±4,1 e técnicos perceberam menor adequação de profissionais (49,3%). Os enfermeiros e técnicos de enfermagem consideraram características desfavoráveis nos domínios: adequação da equipe e de recursos (57,7%) e prática profissional na dimensão referente à participação dos enfermeiros na discussão dos assuntos hospitalares (52,7%). Enfermeiros e técnicos concordam que o cuidado de prioridade mais alta omitido foi aspiração das vias aéreas (25,0%); o de prioridade intermediária, deambulação 3 vezes por dia (70,0%) e o de prioridade mais baixa, sentar o paciente (59,9%). Entre as principais razões para a omissão dos cuidados destacaram-se as dimensões recursos laborais e materiais. Conclusão: O hospital universitário foi considerado, de forma geral, ambiente favorável a prática dos cuidados de enfermagem. Na avaliação geral, detectou-se que os fundamentos de enfermagem voltados para a qualidade do cuidado é um forte preditor ambiental, quanto mais presente, menor a omissão dos cuidados. Evidenciou-se a importância da reestruturação do modelo assistêncial vingente no hospital, intensificação dos programas de garantia de qualidade, acompanhamento de recém contratados e realização de reuniões com os gestores para mensuração dos fatores ambientais que interferem a qualidade dos cuidados. 

  • LUIS FERNANDO PENAGOS CUBILLOS
  • CUIDADO FAMILIAR A PESSOAS IDOSAS DEPENDENTES NO DOMICILIO: estudo comparativo Brasil/Colombia
  • Orientador : MARIA DO LIVRAMENTO FORTES FIGUEIREDO
  • Data: 18/12/2020
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O envelhecimento populacional é uma realidade mundial em constante aumento, com prevalência nos países em desenvolvimento como Brasil e Colômbia. Como consequência disso, existe um crescimento paralelo da quantidade de pessoas idosas com dependência, cenário que convergiu na expansão da figura do cuidador familiar e sua normatização legal. Objetivo: Analisar o perfil sociodemográfico, clínico e situação de cuidado das pessoas idosas dependentes e seus cuidadores no Brasil e na Colômbia. Método: pesquisa comparativa de natureza qualitativa de tipo exploratório descritivo. A fundamentação metodológica foi baseada o orientação de Bereday com as seguintes fases: descrição, interpretação, justaposição e comparação. Foi aplicado um questionário sociodemográfico e uma entrevista semiestruturada cujo análise foi realizado pelo marco teórico compreensivo e crítico Hermenêutica-Dialética. Acolheram-se os princípios éticos nacionais e internacionais para o desenvolvimento da pesquisa. Resultados: foram entrevistados 250 participantes, no Brasil 52 pessoas idosas com dependência e 70 cuidadores familiares; na Colômbia 56 pessoas idosas com dependência e 72 cuidadores familiares. Houve predominância no sexo feminino dos dois países tanto nas pessoas idosas (68,5%) como nos cuidadores (83,8%). A partir dos códigos identificados nas falas das pessoas idosas, construiu-se seis categorias, as quais são: Sou um fardo, Quero ser autónomo, Já não sou quem era antes, Cumpri minha missão, Estou bem com Deus e Minha função na família. Da mesmo forma, dos discursos dos cuidadores familiares construiu-se as seguintes categorias: Como me tornei cuidador, O peso do cuidado sobre mim, Mudanças na nossa vida; Tenho um suporte, Tenho ajuda de Deus e Meus desafios como cuidador. Considerações finais: Os resultados da presente dissertação disponibilizam novos caminhos à pesquisa em pessoas idosas dependentes e os cuidadores familiares, necessidade de políticas efetivas de atenção às pessoas idosas dependentes e aos seus cuidadores tanto na realidade brasileira, quanto na Colômbia. 

  • IONARA HOLANDA DE MOURA
  • STAPHYLOCOCCUS AUREUS RESISTENTE À METICILINA ENTRE ENFERMEIROS: interfaces com adesão às precauções padrão
  • Orientador : MARIA ELIETE BATISTA MOURA
  • Data: 16/12/2020
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Nos últimos anos, os profissionais de saúde de todo o mundo têm enfrentado o sério desafio do surgimento e disseminação de Staphylococcus aureus Resistente à Meticilina (MRSA), patógeno nosocomial que causa morbidade e mortalidade graves em todo o mundo, reduz as alternativas terapêuticas e eleva os custos assistenciais. Objetivo: Avaliar a colonização por Staphylococcus aureus resistente à meticilina em profissionais de enfermagem e sua adesão às precauções padrão. Método: Estudo transversal analítico, realizado no período de março de 2019 a dezembro de 2020, em um hospital estadual público localizado na cidade de Picos, no Estado do Piauí. A população do estudo foi todos enfermeiros atuantes na unidade hospitalar (81); com aplicação de amostragem censitária. As variáveis do estudo compreenderam dados socioeconômicos, clínicos, profissionais e adesão às precauções padrão, além de informações sobre a colonização por MRSA; sendo que a coleta de dados aconteceu no próprio ambiente laboral e a análise da amostra de secreção, em laboratório terceirizado. A análise de dados envolveu estatística descritiva e inferencial, com execução através do software IBM SPSS. O projeto foi encaminhado ao Comitê de Ética e Pesquisa da Universidade Federal do Piauí, obtendo aprovação através do CAAE Nº 20506119.6.0000.5214 e cumpriu as diretrizes da Resolução 466/2012 e complementares do Conselho Nacional de Saúde. Resultados: Participaram deste estudo 70 enfermeiros, dos quais 2,9% apresentaram Staphylococcus aureus resistente à meticilina no vestíbulo nasal e a adesão às precauções padrão foi classificada como intermediária (3,61 ± 0,35), aferindo o escore global do instrumento aplicado. A presença de MRSA entre os enfermeiros não foi associada estatisticamente com a adesão às PP. Conclusão: Torna-se importante que mais investigações sobre a temática sejam conduzidas, tendo em vista a necessidade de identificar a colonização por MRSA entre profissionais de saúde e adotar as devidas medidas de controle das infecções. No âmbito da gestão das instituições de saúde, programas de vigilância ativa são uma importante estratégia para detecção de casos assintomáticos e contribuição no rompimento da cadeia de transmissão das IRAS.

  • DIELLISON LAYSON DOS SANTOS LIMA
  • USO DE ÁLCOOL E/OU OUTRAS DROGAS, TRANSTORNO MENTAL COMUM E VIOLÊNCIA ENTRE A POPULAÇÃO EM SITUAÇÃO DE RUA
  • Orientador : MARCIA ASTRES FERNANDES
  • Data: 16/12/2020
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A sociedade é formada por diferentes segmentos populacionais, dentre os quais, existem a população em situação de rua. Esse grupo social é formado por todo ser humano sem lugar destinado a moradia, e que acaba pernoitando pelos logradouros, prédios abandonados e albergues, ou outros ambientes considerados impróprios para residir. São diversas as causas que contribuem para o aumento dessa população: pobreza, miséria, desemprego, dependência de substâncias psicoativas, conflitos familiares, existência de doença mental e dentre outras situações. Objetivo: Avaliar as relações entre o consumo de álcool e/ou outras drogas com transtorno mental comum e violência em pessoas que vivem em situação de rua no município de Teresina-PI. Metodologia: Estudo observacional do tipo transversal – analítico, com uma abordagem quantitativa, desenvolvido na cidade de Teresina, Piauí, Brasil, no período de outubro/2019 a março/2020. A amostra foi composta por 127 moradores em situação de rua. O formulário de coletas consistiu em informações sociodemográfica e econômica, condições de vida e condições de violência autorreferidas; e de dois instrumentos: Alcohol, Smoking and Substance Involvement Screening Test – ASSIST e Self-Reporting Questionnaire - SRQ-20, para avaliação do consumo de álcool e outras drogas e avaliação do Transtorno Mental Comum (TMC). Os dados foram analisados no Statistical Package for the Social Science (SPSS), versão 22.0, sendo realizada análise inferencial e exploratória-descritiva. Resultados: O segmento populacional na cidade estudada é formado predominantemente pelo sexo masculino 108 (85%), com a média de idade de 39,2 anos, solteiros 75 (59,1%), da raça/cor parda 77 (60,6%), com ensino fundamental 74 (58,2%), sem renda 49 (38,6%) e com filhos 69 (54,3%). Naturalidade teresinense 53 (41,7%), com média de 1 ano e 7 meses em situação de rua, sendo o conflito familiar 71 (39,4%) a causa básica para viverem nessas condições. As drogas mais usadas são: Álcool 121 (95,2%), Tabaco 111 (87,4%), Maconha 94 (74%) e Cocaína/ Crack 74 (58,3). A prevalência de sofrimento mental foi de 63% (80). E em relação à violência, destacou-se a psicológica 81 (36,3%) e a física 73 (32,7%), e quase metade da amostra já havia praticado atos de comportamento suicida 60 (47,6%). Houve associações estatisticamente significativas entre o sofrimento mental e o uso de tabaco (p=0,05), cocaína/crack (p=0,006), violência sexual (p=0,02) e autodirigida (p=0,02). Uso de álcool e a violência física (p=0,04), e patrimonial (p=0,005); tabaco – outros tipos de violência (p=0,01) e Maconha – violência psicológica (p=0,05), patrimonial (p=0,05), e outros tipos de violência (p=0,01). Entre as variáveis sociodemográfica, idade mostrou associação com o tabaco (p=0,05) e álcool (p<0,001) e a renda com alucinógenos (p=0,008) e opioides/opiáceos (p=0,05), bem como o sexo (p=0,04) e escolaridade (p=0,01) com sofrimento mental. Conclusão: O estudo evidenciou que existe uma relação entre o consumo de substâncias psicoativas e o aparecimento de transtornos mentais comuns, bem como a exposição em sofrer diferentes tipos de violência. Portanto, é necessária a elaboração de políticas que alcancem de fato as demandas desse segmento populacional. 

  • JARDEL NASCIMENTO DA CRUZ
  • VALIDAÇÃO DE INSTRUMENTO SOBRE COMPETÊNCIAS DE ENFERMEIROS PARA PREVENÇÃO E CONTROLE DE INFECÇÕES NA ATENÇÃO DOMICILIAR
  • Orientador : ANDREIA RODRIGUES MOURA DA COSTA VALLE
  • Data: 15/12/2020
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A prevenção e controle de infecções no ambiente domiciliar levam a inúmeras investigações que são levantadas pelos pesquisadores. A formação em enfermagem deve contemplar a ampliação das competências, em especial dos enfermeiros, pois perfaz o cuidado contínuo e de qualidade aos pacientes. Objetivo: Validar um instrumento sobre as competências de enfermeiros para prevenção e controle de infecções na atenção domiciliar. Método: Trata-se de um estudo metodológico a luz da teoria psicométrica proposta por Pasquali, que percorreu três polos distintos; teórico, empírico e analítico. O instrumento foi avaliado quantitativamente por dois grupos de especialistas em duas etapas (rodadas) por meio da técnica Delphi e, qualitativamente, por meio da técnica brainstorming. Para cumprir o polo teórico, foram realizadas revisões da literatura. Para o polo empírico foi realizada a seleção dos dois primeiros juízes e na sequência, por meio da técnica snowboll (bola de neve), selecionou-se 15 juízes para participarem das análises quantitativa e qualitativa dos dados. Para a análise quantitativa dos dados utilizou-se os testes estatísticos Índice de Validade de Conteúdo (IVC) e Coeficiente Kappa (K) processados pelo software Statistical Package for the Social Science (SPSS) versão 22.0. Resultados: evidenciou-se 13 estudos na etapa de revisão da literatura para atualização do instrumento. Na primeira rodada de avaliações entre os juízes houve concordância no que tange a validade de conteúdo e aparência, porém o IVC indicou a necessidade de qualificação do construto, assim, reestruturou-se o instrumento com base na avaliação dos peritos. Na segunda rodada de avaliação de juízes o conteúdo e aparência do instrumento atingiu os scores desejados de IVC maior ou igual a 0,80 e K, maior ou superior a 0,60. Conclusão: o construto foi validado em território nacional (Brasil) sob opiniões de experts para ser utilizado na atenção domiciliar e avaliação de conhecimentos e práticas na enfermagem, atingindo os scores necessários para a avaliação de competências. 

  • JOYCE SOARES E SILVA
  • VALIDAÇÃO DE CONTEÚDO E DE CONSTRUCTO DA VERSÃO BRASILEIRA DO CUESTIONÁRIO PARA DETECCIÓN DEL SÍNDROME DEL EDIFÍCIO ENFERMO PARA TRABALHADORES DE SAÚDE
  • Orientador : MARCIA ASTRES FERNANDES
  • Data: 15/12/2020
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A Enfermagem no contexto social brasileiro tem colaborado para a melhoria da saúde e produtividade do trabalhador. Ao notar a dimensão que envolve a saúde do trabalhador, observam-se duas variáveis que se sobressaem sobre as demais: acidentes de trabalho e doenças ocupacionais. As doenças ocupacionais, em especial, apresentam nível de preocupação elevado ao passo que se percebe exposição do trabalhador a agentes biológicos, químicos, problemas ergonômicos, poluição auditiva, poluição do ar, estresse e adoecimento mental, dentre outros. Dessa forma, o adoecimento que um trabalhador apresenta decorrente do ambiente de trabalho, por vezes um grupo também apresenta, essa semelhança caracteriza a Síndrome do Edifício Doente. Objetivo: Realizar a validação de conteúdo e de constructo da versão brasileira do Cuestionário para Detección del Síndrome del Edifício Enfermo para Trabalhadores de Saúde do Brasil. Referencial temático: O referencial temático é dividido em quatro capítulos: Síndrome do Edifício Doente: características, fatores preditores e sintomatologia associada aos trabalhadores de saúde; Intervenções preventivas e terapêuticas da Síndrome do Edifício Doente nas instituições de saúde; Clima organizacional como preditor às organizações doentes; e, Cuestionário para Detección del Síndrome del Edifício Enfermo: origem, tradução e adaptação transcultural para o Brasil. Metodologia: Trata-se de um estudo metodológico e transversal que consiste na validação do Cuestionário para Detección del Síndrome del Edifício Enfermo para o Brasil, e aplicação deste para trabalhadores de saúde, realizado entre os meses de Setembro de 2019 a Julho de 2020.O questionário foi validado por meio de dois eixos: conteúdo e constructo por grupos contrastados. Realizado na cidade de Teresina, Piauí, Brasil, e contou com a participação online de 14 juízes especialistas na etapa de validação de conteúdo. No que se refere à validação de constructo do instrumento, foi realizado em um Hospital de Ensino com uma amostra de 54 participantes. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Piauí, sob o parecer de número 4.563.795, e obteve parecer favorável sobre da instituição coparticipante. Resultados: A validação de conteúdo apresentou um índice de validade de conteúdo, gerado pela avaliação dos juízes, de 0,81. Índice Kappa de Fleiss apresentou concordância de 68,59%. Por meio da sugestão dos juízes e índice de validade de conteúdo houve exclusão de três itens do questionário original. Quanto à validação de constructo, houve análise por grupos contrastados envolvendo duas variáveis dependentes: tempo de trabalho no edifício e tempo de trabalho no setor, no qual percebeu-se associação significativa com variáveis independentes que se relacionavam ao adoecimento laboral de ordem coletiva. Conclusão: O questionário conseguiu ser validado quanto ao conteúdo e constructo, entretanto, ainda há necessidade de estudos que envolvam a averiguação dos scores e validade de face do instrumento. 

  • PEDRO SAMUEL LIMA PEREIRA
  • ANÁLISE DOS FATORES ASSOCIADOS À SÍFILIS CONGÊNITA
  • Orientador : ROSILANE DE LIMA BRITO MAGALHAES
  • Data: 15/12/2020
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A sífilis está entre as IST´s consideradas um problema de elevada magnitude mundialmente. É uma infecção causada pelo Treponema pallidum, pode evoluir de forma crônica e pode ter sequelas irreversíveis a longo prazo. É de notificação compulsória e sua forma congênita é responsável por altas taxas de morbidade e morbimortalidade. Objetivo: Analisar a ocorrência de sífilis congênita e fatores associados em mães com diagnóstico de sífilis na atenção primária. Método: Pesquisa analítica, com abordagem quantitativa realizado com 73 gestantes com diagnóstico de sífilis, em uma capital do nordeste do Brasil no período de maio de 2019 a junho de 2020. Foi aplicado um instrumento validado quanto à forma e conteúdo, contendo variáveis sociodemográficas, comportamentais, clínicas, de prénatal e parceria sexual e resultado da gestação. Inicialmente foi realizado levantamento e seleção das Unidades Básicas de Saúde, aplicabilidade do instrumento, de coleta de dados, durante a gestação e até 42 dias após o parto. Foram incluídas gestantes com o diagnóstico de sífilis em qualquer idade gestacional; cadastrada em uma ESF da zona urbana, com idade igual ou superior a 18 anos. Foram excluídas, após três tentativas, as participantes que não foram a consulta de pré-natal; as que tinham diagnóstico de transtorno mental e aquelas com diagnóstico de sífilis fosse após a primeira etapa da pesquisa. Os dados foram analisados no programa estatístico SAS versão 9.4 adotando-se α = 0,05 para significância estatística. Realizou-se frequências e percentuais, análise bivariada, tendo como variável dependente a ocorrência de sífilis congênita (sim/não), foi realizado o teste do qui-quadrado, ou teste de Fisher para casos nos quais o quiquadrado não fosse indicado e cálculo de Odds ratio. O projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Piauí sob o número de parecer: 2.975.828. Resultados: Das 73 participantes, a maioria de 26-38 anos (n=39; 53.4%), menos de 12 anos de estudo (n=42; 57.5%), não brancas (n=69; 94.5%) e sem trabalho renumerado (n=56; 76.7%). Tiveram sua primeira relação sexual entre 13 e 15 anos (n=42; 57.5%), não usam álcool (n=62; 84.9%), realizaram teste rápido de sífilis (n=41; 56.2%) e o pré-natal (n=65; 89.0%), o enfermeiro predominou na realização da consulta de pré-natal (n=38; 52.1%) e a maioria realizou entre 6 e 7 consultas (n=47; 64.4%). Não usaram preservativo na presente gravidez (n=42; 57.5%), a maioria foi diagnosticada com sífilis no primeiro trimestre de gestação (n=33; 45.2%), iniciaram o tratamento após o diagnóstico (n=62; 85.0%), foram orientadas sobre o tratamento de sífilis na UBS, quase metade das parcerias sexuais (n=31; 42.5%) testaram positivo para sífilis. A ocorrência de sífilis congênita foi de 30(41,1%). Conclusão: A prevalencia da sífilis congênita foi considerada alta, se deu predominantemente em filhos de mulheres mais empobrecidas, com baixa escolaridade e não brancas. O uso do álccol foi o fator associado a sífilis congenita (p=0.0056). Mostra ainda que a realidade da assistência ao pré natal, ainda está distante do atendimento ideal e urge intervenção. 

  • CECILIA NATIELLY DA SILVA GOMES
  • AVALIAÇÃO DO CONHECIMENTO E DA COMPLETUDE VACINAL CONTRA HEPATITE B EM PROFISSIONAIS DE SAÚDE DA ATENÇÃO PRIMÁRIA
  • Orientador : ROSILANE DE LIMA BRITO MAGALHAES
  • Data: 14/12/2020
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O vírus da hepatite tipo B (HBV) pode ocorrer por transmissão vertical, relações sexuais desprotegidas, procedimentos invasivos, compartilhamento de seringas, mais raramente por transfusão de sangue, além de outras formas como acidentes com materiais perfurocortantes, o que torna os profissionais de saúde vulneráveis devido ao maior risco de exposição a fluídos contendo vírus da Hepatite B. Objetivo: Avaliar o conhecimento e a completude vacinal contra hepatite B em profissionais de saúde da atenção primária. Método: Realizou-se um estudo transversal com profissionais de saúde da atenção primária, no município de Teresina, no Estado do Piauí no período de setembro de Agosto a setembro de 2020. A coleta de dados foi desenvolvida utilizando as Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC’S) através da pesquisa de levantamento com survey seguindo as etapas: levantamento e formação de banco de contatos com whatasapp, e- mail, aplicação de um formulário estruturado, e nova tentativa para obtenção de retorno do formulário de pesquisa. Foi realizada a análise de frequência estatística descritiva e utilizado os testes de qui-quadrado e Wilcoxon. Essa pesquisa atendeu todos os preceitos éticos da resolução 466/12. Resultados: Foram enviados questionários para 150 profissionais, obteve-se retorno de 42 questionários, com predomínio de pessoas do sexo feminino (86,8%), 52,2% tinham entre 26 e 55 anos, a maioria solteira (73,2%), 20 (50%) relatou terem especializaçao completa. 22 (55%) informam que não participam por motivos não justificado, 23 (57, 5%) referiram uso de alcool por pelo menos uma vez na semana 15 (37,5), com frequência de três a cinco vezes na semana, há pelo menos 20 anos 1 (2,5 %). Com relação à notificação do acidente 8 (20, 0%) informou que não notificou o acidente no ano de 2019, 8(20, 0%) que usava Equipamento de Proteção Indivivual (EPI), sendo eles luvas de procedimento, gorro, avental, máscara cirúrgica e protetor facial. Conclusão: Este estudo mostrou elevada prevalência da cobertura vacinal contra hepatite B em profissionais de saúde da atenção primária e conhecimento inadequado sobre hepatite B. Além disso, estes têm praticas de risco no que tange a acidentes com materiais perfuro cortantes, onde não se têm adesão de notificação quanto sofrem algum tipo de acidente. 

  • VANESSA CAMINHA AGUIAR LOPES
  • PODER PREDITIVO DOS VALORES ORGANIZACIONAIS SOBRE A OMISSÃO DOS CUIDADOS DE ENFERMAGEM
  • Orientador : LIDYA TOLSTENKO NOGUEIRA
  • Data: 14/12/2020
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: Instituições hospitalares devem apresentar cultura organizacional que fortaleça a cultura de segurança do paciente e minimize erros, como a omissão dos cuidados de enfermagem. OBJETIVOS: Avaliar o poder preditivo dos valores organizacionais sobre a omissão dos cuidados de enfermagem em um hospital universitário. METODOLOGIA: Pesquisa multimétodos, desenvolvida em um hospital universitário do nordeste do Brasil, mediante dois subestudos, com coleta de dados no período de novembro/2019 a fevereiro/2020. O primeiro foi um desenho metodológico, no qual foram realizadas as análises teórica e empírica da Escala de Valores Organizacionais com base na Teoria de Valores Culturais de Schwartz no contexto do hospital universitário, com amostras de conveniência formadas por 15 enfermeiros e técnicos de enfermagem (análise semântica), nove especialistas em gestão hospitalar/administração em enfermagem (análise de juízes) e 263 enfermeiros e técnicos de enfermagem (análise fatorial). Os dados foram analisados por meio de Escalonamento Multidimensional e Análises Fatoriais. No segundo subestudo, foi conduzido um delineamento transversal analítico, com amostra de conveniência de 227 enfermeiros e técnicos de enfermagem. Foram utilizados o MISSCAREBrasil e a versão da escala de valores organizacionais obtida no primeiro subestudo. Foram realizadas análises bivariadas e regressão hierárquica. O estudo foi aprovado por Comitê de Ética em Pesquisa. RESULTADOS: No primeiro subestudo, a análise semântica proporcionou alterações para termos mais próximos do contexto do público-alvo, que foram endossadas pelos especialistas. A análise fatorial confirmatória para os modelos de seis (nível cultural) e quatro (nível individual) fatores não demonstrou boas medidas de ajustes. Os dados da análise fatorial exploratória corroboraram com a teoria refinada de Schwartz, formando os fatores Crescimento e Autoproteção. No segundo subestudo, a amostra teve maioria do sexo feminino (81,9%) e alto nível de formação, com enfermeiros pós-graduados (94,9%) e técnicos de enfermagem graduados/pósgraduados (69,6%). A prevalência geral de omissão de cuidados foi de (44,9%). O cuidado mais omitido foi deambulação (70,9%). Na análise bivariada, setor/unidade (p<0,001) foi associado à omissão de cuidados. As correlações entre os valores organizacionais e a omissão de cuidados, isoladamente, foram fracas, com coeficientes variando de −0,138 (Cordialidade entre os colaboradores e Ser referência na área de atuação) a −0,228 (Autonomia dos colaboradores) no fator Crescimento. No fator Autoproteção, uma correlação foi verificada, com coeficiente 0,136 (Centralização das decisões). O modelo de regressão hierárquica mostrou que variáveis demográficas e ocupacionais explicaram 48,4% da variância da omissão de cuidados, aumentando 3,1% com a inclusão de variáveis de satisfação (p=0,061) e 2,3% com as razões de omissão (p=0,322). No quarto e último passo, os valores organizacionais proporcionaram um aumento significativo de 11,5% na explicação da variância (p<0,001). As variáveis preditoras no modelo final foram: unidade/setor, sexo, período de trabalho, turno, satisfação com o cargo e o fator Crescimento. CONCLUSÃO: A Escala de Valores Organizacionais para o hospital universitário apresentou estrutura fatorial que corrobora com o modelo refinado de valores de Schwartz, com medidas de consistência interna satisfatórias. Os valores organizacionais, em especial do fator Crescimento, predizem a omissão de cuidados de enfermagem. 

  • ERIKA MORGANNA NEVES DE OLIVEIRA
  • PERFIL DE RESISTÊNCIA DE STAPHYLOCOCCUS AUREUS NA CAVIDADE NASAL DE ESTUDANTES DA ÁREA DA SAÚDE
  • Orientador : MARIA ELIETE BATISTA MOURA
  • Data: 14/12/2020
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: A infecção por Staphylococcus aureus resistente à meticilina (MRSA) é uma preocupação mundial, dada a sua presença mesmo em indivíduos saudáveis e não hospitalizados, como estudantes universitários. Os estudantes da área de saúde desenvolvem importante papel na epidemiologia e patogênese da infecção por S. aureus, pois podem estar expostos a pacientes e outros profissionais de saúde durante a sua rotação clínica. Dessa forma, esses alunos podem agir como fonte de disseminação tanto na comunidade quanto no ambiente hospitalar e ainda no carreamento das bactérias de um desses ambientes para o outro. OBJETIVO: Analisar o perfil de resistência de cepas de Staphylococcus aureus em estudantes da graduação em Medicina e Odontologia, com ênfase no processo de colonização. MATERIAL E MÉTODO: Realizou-se uma análise das evidências disponíveis na literatura sobre a prevalência da colonização por MRSA entre estudantes da área da saúde e em seguida a análise da ocorrência de cepas de Staphylococcus aureus resistentes ou não à meticilina, entre estudantes da graduação em Medicina e Odontologia. Para a revisão integrativa, A busca dos estudos primários foi realizada nas bases de informação: Medical Literature Analysis and Retrieval Sistem on-line, Cumulative Index to Nursing and Allied Health Literature, Web of Science, Scopus e Literatura Latino-americana e do Caribe em Ciências da Saúde. Os descritores utilizados foram aplicados de acordo com particularidades de cada base de dados e obtidos por consulta nos Descritores de Ciências em Saúde e Medical Subject Headings. A análise laboratorial/experimental tratou-se de estudo transversal de prevalência, realizado com 164 estudantes de odontologia e 229 estudantes de medicina. As amostras biológicas da cavidade nasal foram coletadas em 2019, utilizando-se swabs estéreis, posteriormente submetidos a testes confirmatórios de Gram, de catalase e coagulase. Os Staphylococcus aureus isolados tiveram seus perfis de sensibilidade determinados por meio da técnica de difusão de disco. RESULTADOS: A revisão foi composta por 27 estudos. Na análise das amostras as pesquisas encontraram prevalências variando de 0,0% a 15,3% de infecção nos estudantes. A segunda fase da pesquisa apontou prevalência de S. aureus e de MRSA de 21,2% e 10,9, respectivamente. Na investigação da correlação estatística entre colonização por MRSA e outras variáveis independentes, os blocos gênero (p= 0,01), uso de antibiótico no momento (p= 0,03), período atual (p= 0,02) e carga horária nos serviços de saúde (p= 0,04) apresentaram-se estatisticamente significante. No que se refere às cepas multiresistentes, houve associação nos blocos curso e carga horária nos serviços de saúde CONCLUSÃO: Os indicadores da revisão integrativa e os achados da fase experimental da pesquisa, evidenciam que esforços devem ser feitos para implementar normas e rotinas destinadas a limitar a disseminação de cepas de MRSA entre estudantes. Sugere-se, portanto que a educação e a discussão sobre as medidas de controle de infecção nos cursos de graduação da área de saúde são necessárias. 

  • IOLANDA GONÇALVES DE ALENCAR FIGUEIREDO
  • CONSTRUÇÃO E AVALIAÇÃO DE AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM PARA ENSINO DE SEGURANÇA DO PACIENTE NA TERAPIA MEDICAMENTOSA PARA GRADUANDOS DE ENFERMAGEM
  • Orientador : FERNANDA VALERIA SILVA DANTAS AVELINO
  • Data: 11/12/2020
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) é uma Tecnologia da Informação e da Comunicação compreendida por sistemas que sintetizam a funcionalidade de software para comunicação, mediada por computador e métodos de entrega de material de cursos online, cujo espaço permite interatividade na práxis pedagógica. Objetivo: Construir e avaliar com juízes especialistas em enfermagem em segurança do paciente e informática um AVA para ensino de segurança do paciente na terapia medicamentosa para graduandos em enfermagem. Método: Estudo foi desenvolvido em três etapas: revisão integrativa da literatura, estudo metodológico para construção e, avaliação do AVA. A construção se deu em cinco fases: análise, design, desenvolvimento, implementação e avaliação sistematizada, conforme o Design Instrucional Contextualizado de Andreia Filatro (2015), e subsidiada pelo levantamento das necessidades de aprendizado junto aos graduandos de enfermagem sobre segurança do paciente na terapia medicamentosa. Na terceira etapa foi realizada a avaliação pedagógica e de usabilidade do AVA por juízes enfermeiros, através do instrumento o Learning Object Review Instrument (LORI) e por juízes em Informática, a partir do instrumento contendo as 10 heurísticas de Nielsen, entre os meses de junho e julho de 2020. A Validade do Conteúdo baseou-se nas classificações de cada item feito pelos juízes, e essas classificações foram utilizadas para calcular o percentual de concordância dos mesmos. Resultado: Denominou-se AVA-SPTEME o ambiente virtual construído, disponível na internet com hospedagem na plataforma moodle cloud, modo básico, no qual se encontra duas unidades de ensino: Segurança do paciente e Segurança na Terapia medicamentosa, elaboradas com materiais e mídias diversas: vídeos, histórias em quadrinhos, infográficos, caça-palavras, quis, fórum, chats e sala de videoconferência. Foi avaliado por 12 juízes em enfermagem com média total do percentual de concordância de 91,7%. Com exceção da variável “Acessibilidade”, todas as demais obtiveram percentual de concordância acima de 80%, com destaque para as variáveis “qualidade do conteúdo”, “Alinhamento dos objetivos de aprendizagem”, “Feedback e Adaptação”, “motivação” e Conformidade com os Padrões que obtiveram um percentual de 100%. O percentual de concordância dos juízes em informática foi de 90% e a maioria inclinou para as categorias de “erro não importante” e “erro simples” nas heurísticas avaliadas. As recomendações sugeridas pelos juízes foram, em parte, atendidas. Conclusão: O AVA SPTEME foi validado e avaliado positivamente pelos juízes especialistas, os quais consideraram uma tecnologia educacional favorável ao ensino de segurança do paciente na terapia medicamentosa para graduando de enfermagem.

  • ANA LÍVIA CASTELO BRANCO DE OLIVEIRA
  • SÍNDROME DO EDIFÍCIO DOENTE PARA TRABALHADORES DE SAÚDE: um modelo teórico
  • Orientador : MARCIA ASTRES FERNANDES
  • Data: 08/12/2020
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: a sociedade contemporânea vem enfrentando fenômenos em saúde de difícil manejo, logo, estudos teórico-práticos para o desvelamento de conceitos em saúde merecem ser melhor explorados pela comunidade científica. Destaca-se, a Síndrome do Edifício Doente, um complexo de sintomas comuns ao adoecimento em grupo de trabalhadores em um mesmo edifício, proposto inicialmente pela Organização Mundial de Saúde. Contudo surgem novas demandas de compreensão, mediante as constantes transformações da sociedade em padrões culturais e mesmo de adoecimento do trabalhador. Nesta perspectiva, a construção de teorias de médio alcance aponta como alternativa para a exploração de fenômenos em saúde de interesse da população. Assim, defende-se que é uma necessidade premente a proposição de teorias e modelos que permitam investigar e desenvolver uma especificidade da interação estabelecida por trabalhadores da saúde em contexto de adoecimento. Objetivo: desenvolver um modelo teórico explicativo sobre a Síndrome do Edifício Doente (SED), no contexto de trabalhadores de saúde hospitalares brasileiros. Metodologia: estudo do tipo teórico à luz do interacionismo simbólico. A abordagem metodológica escolhida foi a pesquisa qualitativa sob orientação dos conceitos da Teoria Fundamentada nos Dados. A coleta de dados aconteceu entre julho e agosto de 2020 mediada por plataforma digital, por meio da gravação e transcrição de falas a partir de vídeos consentidos pelos participantes, perfazendo 18 horas no total. Utilizou a amostragem teórica formada no decorrer do estudo, em bola de neve, resultando em 11 participantes de diferentes categorias e setores, dentro da equipe multiprofissional de saúde do hospital estadual, local de pesquisa. Os participantes foram selecionados, considerando o tempo de trabalho superior a 6 meses e apo concordarem com os termos da pesquisa. Este estudo possui consentimento do Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Piauí e do Hospital local de estudo, parecer n. 3.993.900. Resultados: cada entrevista resultou em um memorando individual, em seguida as falas foram transcritas e submetidas a codificações sucessivas do tipo aberta e axial, por vezes retroativas, resultando em hipóteses e diagramas individuais. Ao final realizou-se a codificação integradora dos dados, o que deu origem a apenas um diagrama autoexplicativo e a aos pressupostos básicos do modelo teórico. Emergiu então a categoria central e suas subjacências. O interacionismo simbólico foi o fio condutor da explicação das categorias e conceitos encontrados, facilitando a busca pela compreensão do fenômeno Síndrome do Edifício Doente. A pesquisa aconteceu em um momento de pandemia por Covid-19, sendo evidenciado exacerbação do adoecimento coletivo do trabalhador de saúde, contudo, os elementos norteadores do adoecimento estão há muito tempo presentes no contexto hospitalar sendo alvo de críticas reflexivas dos participantes deste estudo. Conclusão: O modelo teórico explicativo sobre a Síndrome do Edifício Doente adequa-se ao contexto de trabalhadores de saúde hospitalares brasileiros, considerando os elementos saúde e adoecimento a partir de conceitos apreendidos no ambiente de trabalho, bem como condicionantes de saúde prévios e relacionados ofício.

  • ANA BEATRIZ MENDES RODRIGUES
  • PRODUÇÃO CIENTÍFICA SOBRE INFECÇÕES COMUNITÁRIAS EM CRIANÇAS NO BRASIL
  • Orientador : ANDREIA RODRIGUES MOURA DA COSTA VALLE
  • Data: 25/11/2020
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: No Brasil, estatisticamente as crianças correspondem a 17,1% da população de 207 milhões de pessoas. Nesse sentido, a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Criança (PNAISC) foi instituída para orientar e qualificar as ações e serviços de saúde no território nacional visando a efetivação de medidas que garantam o pleno desenvolvimento na infância considerando as vulnerabilidades e riscos para o adoecimento. Assim, ressalta-se que as infecções comunitárias são agravos clínicos que acometem à saúde das crianças e estão associadas à altas taxas de morbimortalidade despertando o interesse de pesquisadores no desenvolvimento de investigações científicas que possibilitem a identificação de microorganismos, fatores associados e estratégias de controle. Objetivo: analisar a literatura científica sobre as infecções comunitárias em crianças no contexto brasileiro. Método: Trata-se de uma revisão integrativa de literatura, que utilizou as estratégias propostas por Whittemore e Knafl para aprimorar o rigor do estudo. A questão norteadora do estudo foi elaborada a partir da estratégia PICo que resultou em: “Qual a produção científica sobre infecções comunitárias em crianças no contexto brasileiro?”. A busca de dados ocorreu de janeiro a março de 2020, nas bases de dados Literatura Latino Americana e do Caribe em Ciências da Saúde, Medical Literature Analysis and Retrieval System Online, Web of Science, Scopus, Cumulative Index to Nursing and Allied Health Literature e Base de Dados de Enfermagem. Para busca nas bases de dados, utilizou-se descritores controlados e não controlados cruzados entre si pelos operadores OR e/ou AND. A avaliação de dados dos estudos foi realizada por meio da extração de dados a partir de um instrumento com informações-chaves e por meio da utilização da estratégia proposta por Beyea. Para a análise dos dados utilizou-se as fases de redução de dados, exibição de dados, comparação de dados, desenho e verificação da conclusão propostas por Whittemore e Knafl. A apresentação dos dados foi a partir de tabelas, gráficos e categorias considerando o objeto e objetivos do estudo. Resultados: Do universo de 372 estudos encontrados, 61 fizeram parte da amostra que compôs a revisão. A maioria estavam em inglês e o ano com maior número de publicações foi 2016. A maioria (90,16%) dos estudos estavam indexados em revistas da área de saúde. Ganharam destaque os periódicos: Journal of medical virology, PloS neglected tropical diseases e BMC Pediatrics. Quanto ao nível de evidência, predominou os estudos de nível IV (87,1%). As evidências científicas apontaram que o controle das infecções comunitárias em crianças no contexto brasileiro perpassam por ações de saúde individuais, familiares e coletivas que envolvem principalmente as medidas de prevenção, diagnóstico e tratamento. Assim, os estudos foram agrupados e, posteriormente, discutidos a partir categorias: 1. A prevenção para o controle das infecções comunitárias em crianças; 2. O diagnóstico para o controle das infecções comunitárias em crianças; 3. O tratamento para o controle das infecções comunitárias em crianças. Conclusão: As evidências científicas sobre as infecções comunitárias em crianças no contexto brasileiro envolvem principalmente as medidas de prevenção, diagnóstico e tratamento dos agravos. Nos três contextos, as infecções respiratórias foram destaque, com ênfase nas pneumonias adquiridas na comunidade. Além disso, destaca-se que a produção científica sobre a problemática tem sido heterogênea e que, portanto, tem considerado as especificidades de cada região do país.

  • CYNTHIA ROBERTA DIAS TORRES SILVA
  • INTERVENÇÃO EDUCATIVA E MOTIVACIONAL PARA PROMOÇÃO DA SAÚDE DE IDOSOS EM RISCO DE FRAGILIDADE
  • Orientador : MARIA DO LIVRAMENTO FORTES FIGUEIREDO
  • Data: 13/11/2020
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O estilo de vida determina a heterogeneidade do envelhecimento. E as práticas educativas em saúde associadas a recursos motivacionais são fundamentais no processo de adaptação a mudanças psicofisiológicas e adoção e manutenção de comportamentos saudáveis em idosos. Objetivo: Avaliar a eficácia de uma intervenção educativa e motivacional na promoção da saúde de idosos em risco de fragilidade. Método: Estudo multimétodos, composto por pesquisa metodológica e Ensaio Clínico Randomizado (ECR) na Atenção Primária à Saúde de Teresina, Piauí, Brasil. No estudo metodológico, ocorreu construção de vídeo educativo “Prosa de um recém idoso” sobre fragilidade em idosos. O vídeo foi validado por 22 juízes especialistas e avaliado por 22 idosos. Os dados foram analisados pelo Índice de Validação de Conteúdo (IVC) e teste binomial. O ECR teve amostra de 108 idosos, divididos em dois grupos distintos, distribuídos randomicamente. O Grupo Intervenção (GI) (n=55) participou de intervenção educativa e motivacional, subsidiada pelo vídeo educativo e por entrevista motivacional breve; e Grupo Controle (GC) (n=53) recebeu orientações verbais de rotina nos serviços de atenção primária a saúde. Os desfechos avaliados foram a capacidade de autocuidado, autopercepção de saúde, senso de autoeficácia e prontidão para mudança de comportamento, por meio de questionário semi-estruturado e pela Escala para Avaliar a Capacidade de Autocuidado (EACAC). A coleta de dados ocorreu no domicílio e nas unidades básicas de saúde, em dois momentos: pré-teste e aplicação da intervenção e pós-teste, após 30 dias, tendo como referencial teórico-metodológico o Modelo de Promoção da Saúde de Nola Pender. Os testes estatísticos foram realizados com nível de significância de 5% e intervalo de confiança de 95%. Foram utilizados os softwares R versão 3.5.1 e o Statistical Package for the Social Sciences versão 21.0. O estudo seguiu a regulamentação do Conselho Nacional de Saúde, através da Resolução 466/12 e os resultados cadastrados no Registro Brasileiro de Ensaios Clínico. Resultados: A versão final do vídeo é composta por 11 minutos e 25 segundos e aborda as recomendações para idosos em risco de fragilização e hábitos promotores da saúde. Foi verificada concordância superior a 90% em todos os itens avaliados pelos juízes e pelo públicoalvo. No ECR, os grupos mostraram-se homogêneos na linha de base quanto às variáveis sociodemográficas, econômicas e clínicas (p>0,05). Na comparação intergrupo, verificam-se efetividade clínica quanto a capacidade de autocuidado, autopercepção de saúde e prontidão para mudança de comportamento. Na análise intragrupo, o GI apresentou aumento da capacidade de autocuidado (p<0,001) e do senso de autoeficácia (p<0,001), melhoria da autopercepção de saúde (p=0,001) e evolução para fase de ação motivacional (p=0,001), com diferenças estatisticamente significativas. E o GC apresentou melhoria significativa apenas no senso de autoeficácia (p<0,001). Conclusão: A intervenção educativa e motivacional para promoção da saúde de idosos em risco de fragilidade apresentou eficácia clínica superior as orientações verbais de rotina, ocasionando diferença na capacidade de autocuidado, autopercepção de saúde, prontidão para mudança de comportamento e senso de autoeficácia. 

  • RAQUEL VILANOVA ARAÚJO
  • O EFEITO DA MEDITAÇÃO NO NÍVEL DE DISTRESS E ANSIEDADE DE MULHERES COM NEOPLASIA MAMÁRIA: ESTUDO CLÍNICO RANDOMIZADO
  • Orientador : INEZ SAMPAIO NERY
  • Data: 27/10/2020
  • Mostrar Resumo
  • A Meditação, é uma das Práticas Integrativas e Complementares - PICs que vem sendo usada na oncologia com a finalidade de ajudar no enfrentamento da doença e no gerenciamento das emoções como distress e ansiedade, comuns em pacientes oncológicos, em especial nas mulheres com câncer de mama que precisam lidar com sentimentos difíceis de serem administrados, como o estigma social, preconceito, vergonha e medo da morte. O objetivo do estudo foi avaliar o efeito da meditação no nível de distress e ansiedade de mulheres com neoplasia mamária. Trata-se de um estudo experimental, do tipo Ensaio Clínico Controlado Randomizado (ECR), com Grupo Intervenção (GI) - Meditação e o Grupo Controle (GC)-Atividades Educativas. O estudo foi desenvolvido seguindo as recomendações do Consolidated Standards of Reposting Trial (CONSORT) para Intervenções não-farmacológicas e realizado na Unidade de alta complexidade em oncologia (Unacon) do Hospital Universitário da Universidade Federal do Piauí entre fevereiro a dezembro de 2019, com 50 mulheres (GI=25 e GC=25) e seguimento de quatro semanas. O distress foi avaliado com Termômetro de distress e a ansiedade com a escala Hospitalar de ansiedade, no início e final do seguimento. A pressão arterial sistólica e diastólica, frequência cardíaca e oximetria de pulso, foram mensuradas ao início e termino de cada intervenção. Para avaliar a melhoria dos níveis de distress e ansiedade foi utilizado o teste t pareado e o teste de Wilcoxon. A avaliação dos desfechos, foi utilizado análise de covariância e regressão múltipla. Verificou-se homogeneidade nos grupos em relação as variáveis quantitativa “idade”, e as variáveis qualitativas “procedência, raça, estado civil, escolaridade, ocupação, renda familiar. A média de idade das participantes foi de 47 (40,8-56) anos. A maioria das participantes era branca Md 36(72%), com companheiro Md 27 (54,0%), alta escolaridade Md 38(76,0%), ocupação remunerada Md 32 (64,0%), renda mensal de até um (SM) Md 33 (66,0%), católicas Md 36 (72,0%), não praticavam atividade física,38 (76,0) 20 (80,0)(GI), estavam com sobrepeso 18 (72,0) (GC) 22 (44,0) 12 (48,0)(GI) e 10 (40,0) (GC), não realizaram cirurgia na mama 43 (86,0) 22(88,0) (GI) e 21(84,0) (GC). fizeram quimioterapia 48(96,0) 23(92,0) (GI) e 25(110) (GC), não tinham metástase 43(86,0) 21(84,0)(GI) e 22(88,0)(GC) e estavam em tratamento neoadjuvante 37(74,0) 18(72,0) (GI) e 19(76,0) (GC), (52%) tiveram estadiamento inicial do câncer de mama (IA e IIB) e (48%) estadiamento avançado (IIIA e IV). Verificou-se melhora estatisticamente significativa (p=0,002) do nível de Distress e ansiedade no (GI) pós-intervenção e dos sintomas relacionados. Verificouse significância estatística forte (P<0,001) na redução dos valores da (PAS), (PAD), (FC) e (SPO2) na última intervenção do (GI). No (GC). Observou-se efeito da Meditação Rajayoga na redução do nível de Distress e ansiedade de mulheres com câncer de mama durante o tratamento quimioterápico. 

  • PHELLYPE KAYYAÃ DA LUZ
  • HISTÓRIA EM QUADRINHOS PARA ADOLESCENTES SOBRE SUPORTE BÁSICO DE VIDA: CONSTRUÇÃO E VALIDAÇÃO
  • Orientador : ELAINE MARIA LEITE RANGEL ANDRADE
  • Data: 26/10/2020
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A parada cardiorrespiratória extra hospitalar é a emegência mais grave e de pior prognóstico. Entretanto, o ensino e treinamento do suporte básico de vida para leigos, inclusive o adolescente, proporcionou a redução da mortalidade por este agravo. Ao buscar intervenções educacionais para aumentar o conhecimento de leigos sobre SBV, em especial o adolescente, surgiu o seguinte questionamento: uma história em quadrinhos sobre suporte básico de vida para adolescentes é válida, segundo juízes, quanto ao conteúdo educacional em saúde? Objetivo: Construir e validar uma História em Quadrinhos para adolescentes sobre suporte básico de vida. Método: Trata-se de estudo multimétodo realizado em duas etapas: préprodução e produção da história em quadrinhos. Na primeira, realizou-se revisão integrativa da literatura e identificação das necessidades de aprendizagem. Ne segunda etapa, por meio de estudo metodológico, foi construído e validado o conteúdo educacional do storyboard sob a égide dos pressupostos da Teoria da Aprendizagem com Significância e produzida a HQ. Para validação, 23 juízes julgaram a HQ mediante o Instrumento de Validação de Conteúdo Educacional em Saúde. Os juízes foram classificados pela plataforma lattes quanto aos critérios de expertise de Benner, Tanner e Chesla. Para validar o conteúdo da HQ, utilizou-se o Índice de Validade de Conteúdo e o teste binomial para verifica se a proporção de concordância foi, estatisticamente, igual ou superior ao ponto de corte estabelecido 0,80. A pesquisa foi aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa com o parecer de número: 3.697.960. Resultados: A revisão integrativa da literatura não identificou tecnologia do tipo história em quadrinhos para ensino do suporte básico de vida ao adolescente. No entanto, evidenciou quatro modalidades de tecnologias desenvolvidas quais sejam, cursos web/on-line, aplicativos, realidade virtual e o vídeo. O levantamento das necessidades de aprendizagem evidenciou a necessidade de aprendizagem (por parte do público-alvo) sobre conteúdos referentes aos três primeiros elos de atendimento a uma parada cardíaca extra hospitalar. Na parte introdutória da história, fez-se uma breve contextualização sobre os personagens da história. Na complicação e solução, estruturou-se o conteúdo educacional de modo a contemplar o reconhecimento de uma parada cardíaca/acionamento do serviço médico de emergência, reanimação cardiopulmonar imediata de alta qualidade e rápida desfibrilação (conteúdo este referente aos três primeiros elos de uma parada cardíaca extra-hospitalar). Na validação, dezessete (17) dos dezoito (18 itens) do instrumento de validação do conteúdo educacional em saúde receberam I-CVI máximo. O item que recebeu menor aprovação referia-se à adequação do material ao processo de ensino e aprendizado, ainda assim, este item obteve ICV-I de 0,95. Conclusão: A HQ é válida quanto ao conteúdo educacional para juízes em suporte básico de vida. 

  • RUTH CARDOSO ROCHA
  • FORMAÇÃO PROFISSIONAL DO TÉCNICO DE ENFERMAGEM E A SEGURANÇA DO PACIENTE
  • Orientador : BENEVINA MARIA VILAR TEIXEIRA NUNES
  • Data: 06/10/2020
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Nas últimas décadas, as questões associadas à segurança do paciente tornaram-se um dos assuntos prioritários na área da saúde. Assim, é recomendado pela Organização Mundial de Saúde que as instituições de ensino priorizem o processo de formação dos envolvidos na assistência na perspectiva da promoção da segurança do paciente, especificamente, dos técnicos de enfermagem, por sua representatividade e importância para o cuidado seguro. Objetivo: Analisar a formação de técnicos de enfermagem para a segurança do paciente. Método: Abordagem multimétodos, conduzida em três etapas. A Etapa 1, composta pela análise documental balizada pelo projeto pedagógico, matriz curricular, ementários e planos de disciplinas dos cursos técnicos de enfermagem de uma instituição pública de ensino do Piauí. Foram denominados de Curso A, B e C. Na Etapa 2 correspondente ao estudo qualitativo, realizou-se entrevista semiestruturada com 24 docentes a fim de compreender como eles desenvolviam o ensino da segurança do paciente. Foi realizada análise temática na perspectiva de Minayo e a interpretação dos resultados à luz do Guia Curricular de Segurança do Paciente e dos conceitos do teórico Paulo Freire. Na Etapa 3 efetuou-se estudo quantitativo do tipo survey, com 84 discentes para identificação dos conteúdos relacionados à segurança do paciente na formação, utilizando-se instrumento validado. Para análise dos dados realizou-se estatística descritiva e analítica. A coleta de dados ocorreu entre junho de 2018 a dezembro de 2019, após aprovação do Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Piauí. Resultados: Na Etapa 1, os documentos foram analisados, constatando-se a inexistência do termo “segurança do paciente” nos projetos dos três cursos. A segurança do paciente não foi abordada de forma explícita, na amplitude e profundidade devidas, revelando um currículo fragmentado. Os itens “Prevenção e controle da infecção” e “Melhora na segurança da medicação” foram os mais identificados nos três cursos. Na Etapa 2, referente ao estudo qualitativo, emergiram três categorias: Compreensão dos docentes acerca do tema Segurança do Paciente na formação do técnico de enfermagem; Aplicação do tema Segurança do Paciente na formação do técnico de enfermagem; Projeções dos docentes quanto ao ensino da Segurança do Paciente na formação do técnico de enfermagem. Na Etapa 3, referente ao estudo quantitativo, dos 46 termos rastreadores, no Curso A 36(78,3%) foram identificados no contexto teórico prático e 10(21,7%) no teórico. No Curso B, 19 (41,3%) foram predominantes no ensino teórico prático, 26 (56,5%) no ensino teórico e 1(2,2%) desconhecido. No Curso C, 25 (54,3%) termos rastreadores foram identificados no ensino teórico prático, 20 (43,5%) no ensino teórico e 1(2,2%) desconhecido. O teste de Kruskal-Wallis mostrou que há efeito do local do curso realizado sobre o número de termos rastreadores no contexto teórico prático e teórico. Conclusão: A formação do discente técnico de enfermagem demonstrou não contemplar, integralmente, em seu processo ensino aprendizagem, questões de segurança do paciente. Portanto, esse aspecto configura-se ainda como um desafio para instituições de ensino de curso técnico em enfermagem que devem atentar-se a essa questão a fim de formar profissionais aptos a proporcionar uma assistência com segurança. 

  • ROGÉRIO DA CUNHA ALVES
  • COLONIZAÇÃO BACTERIANA NO TRATO RESPIRATÓRIO SUPERIOR DE CRIANÇAS ATENDIDAS NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE
  • Orientador : ANDREIA RODRIGUES MOURA DA COSTA VALLE
  • Data: 25/09/2020
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A microbiota humana é formada por um conjunto de microrganismos (bactérias, fungos e vírus) que vivem em interação com o hospedeiro sem que lhe cause danos à saúde. Nesse ecossistema diversificado, há várias interações do tipo microbiota-microbiota e microbiota-hospedeiro, as quais favorecem a homeostasia e o equilíbrio para manutenção da saúde humana. Uma alteração desse equilíbrio causa desde infecções locais (amigdalite) até complicações sistêmicas (choque bacteriológico). Objetivo: Determinar a colonização bacteriana no trato respiratório superior de crianças atendidas na estratégia saúde da família. Método: estudo observacional de corte transversal, no qual foram coletados 40 swabs de nasofaringe de crianças no dia da consulta médica ou de enfermagem numa Unidade Básica de Saúde da região norte de Teresina-PI. Resultados: verificou-se a presença maior de crianças do sexo masculino (55%); com uma prevalência maior de crianças entre 1 a 5 anos (57,5%); quanto à escolaridade, 70% das crianças que ainda não frequentava a escola. Foi observada uma prevalência de 17,5% de crianças colonizadas por Staphylococcus aureus e de 10% de colonização por Staphylococcus epidermidis. Metade das crianças que tiveram febre nos últimos 2 dias e 20% das que apresentavam coriza nasal ou congestão nasal ou tosse seca estavam com colonização da nasofaringe por Staphylococcus aureus. Em relação à idade das crianças que apresentaram colonização por Staphylococcus aureus, a prevalência em menores de 3 anos foi de 13,3% e em maiores de 3 anos foi de 30% (OR 2,78; IC 0,50 – 15,4). Quando a analise levou em consideração o sexo, houve uma maior prevalência no sexo feminino com 22,2% quando comparada ao sexo masculino com 13,6% (OR 1,81; IC 0,34 – 9,40); a prevalência em crianças asmáticas foi de 50% (OR 0,18; IC 0,01 – 3,42). Evidenciou-se que o não uso de antimicrobianos apresentou uma associação de risco para a presença de S. aureus na nasofaringe das crianças participantes do estudo (OR 1,23; IC 1,05 – 1,44). Porém, em um universo de 40 crianças, apenas duas destas foi evidenciado a presença de doenças crônicas. Por fim, Todos os Staphylococcus aureus coletados na região nasofaringe das crianças atendidas apresentaram resistência à ampicilina e à penicilina G; 28,5% dos Staphylococcus aureus apresentaram resistência à clindimicina, eritromicina e ao trimetoprim / sufametoxazol. todos os S. aureus presentes nos swabs nasofaríngeos foram resistentes a ampicilina e a penicilina G. Conclusão: Houve uma alta taxa de resistência microbiana aos antibióticos de primeira escolha no tratamento das infecções estafilocócica de vias aéreas superiores no ambiente comunitário. Embora no estudo o uso prévio de antibiótico tenha evidenciado uma associação com a não colonização de S. aureus na nasofaringe de crianças, há um uso irracional de antimicrobianos no ambiente comunitário, principalmente por automedicação.

  • ANOUCHEKA JULIEN
  • ANÁLISE DAS EVIDÊNCIAS CIENTÍFICAS SOBRE HEPATITE B NA ATENÇÃO PRIMÁRIA
  • Orientador : ROSILANE DE LIMA BRITO MAGALHAES
  • Data: 23/09/2020
  • Mostrar Resumo
  • Objetivo: Analisar a produção científica internacional sobre hepatite B na atenção primária. Método: Trata-se de uma pesquisa bibliométrica, realizada na ISI Web of Knowledge/Web of Sciencetm, no recorte temporal entre os anos 1992 e 2020, utilizando-se os descritores: " Hepatitis B;Knowledge;Health Personnel; Primary Health Care", efetuada a partir da exportação destes dados para o software de análise bibliométrica HistCiteTM. Resultados: Foram identificados 1808 registros de publicações, em 705 periódicos distintos, escritos por 9617 autores que possuem vínculos com 3085 instituições, localizados em 128 países. Ao longo dos anos o número de publicações manteve-se ascendente, com leves oscilações em alguns períodos. A partir do ano de 2010, percebe-se um crescimento constante nas pesquisa, atingindo um pico em 2018, com 170 publicações, e em seguida apresentou perfil descendente em relação a quantidade de publicações por ano, com maior número de citações em revistas específicas. Conclusão: Foram identificados dois picos de publicações registradas na Web of Science sobre hepatite B, o primeiro em 2010 com 65 publicações e o segundo em 2018 com 170 publicações. Conclusão: Há necessidade de construção de redes de conhecimento mais fortalecidas na área, que possibilitem mais estudos capazes de contribuir para melhorar o enfrentamento da hepatite B na atenção primária no mundo.

  • BRENDA KELLY DA SILVA MONTE
  • COMPARAÇÃO DA REALIZAÇÃO DO CURATIVO COM BOTA DE UNNA POR ALUNOS QUE PARTICIPARAM DE SIMULAÇÃO CLÍNICA E AULA EXPOSITIVA
  • Orientador : GRAZIELLE ROBERTA FREITAS DA SILVA
  • Data: 17/09/2020
  • Mostrar Resumo
  • O processo formativo em enfermagem tem encontrado nos princípios das boas práticas de enfermagem o embasamento para direcionar sua atuação. A preocupação cada vez mais crescente com a redução nas falhas e eventos adversos evitáveis exige dos profissionais competências que favoreçam a eficácia de procedimentos técnicos. Exemplo de metodologia de ensino ativa baseada em competências é a Simulação Clínica, que configura uma técnica de ensino que antecipa situações reais para um cenário controlado. É frequente acontecer de profissionais de enfermagem recém-formados chegarem à assistência sem ter tido contato com procedimentos básicos, como é o caso de alguns curativos de feridas complexas, a exemplo, as úlceras vasculogênicas, o que se torna um risco à segurança do paciente, vista a complexidade dessas lesões. Dessa forma, o objetivo do estudo é comparar o uso da simulação clínica com a aula expositiva como estratégias de ensino aprendizagem da prática do curativo de úlcera venosa com Bota de Unna. Trata-se de um estudo quase experimental com delineamento interparticipantes antes e depois realizado de março a dezembro de 2019 em um Laboratório de Simulação de Práticas Clínicas em Enfermagem e Saúde localizado em uma Universidade Pública no Nordeste do Brasil. A amostra foi composta por 22 estudantes do quarto período de graduação em enfermagem. A coleta de dados ocorreu mediante a observação dos curativos realizados pelos estudantes. Estes foram submetidos a aula teórica e demonstrativa de úlceras venosas e aplicação de Bota de Unna. O Grupo Experimental participou ainda de Simulação Clínica. Foi realizada a comparação dos dois grupos em dois momentos: O Grupo Controle avaliado após a aula teórica e 30 dias após e o Grupo Experimental após aula teórica e após simulação clínica. Foi utilizado para verificar a realização do curativo o check list Índice de Positividade na realização do curativo dividido em etapas: Preparação, Execução e Organização. Foi utilizada a Escala do design da simulação para verificar a percepção do Grupo Experimental sobre a simulação. A escala do tipo Likert é dividida em duas subescalas: a primeira sobre o design da simulação e a segunda sobre a importância do item para o participante. As subescalas apontam cinco fatores que avaliam: 1) Os objetivos e informações; 2) O apoio; 3) A resolução de problemas; 4) O feedback e reflexão; 5) O realismo. Os dados foram transcritos utilizando o aplicativo Microsoft Excel e exportados e analisados no software estatístico livre R, versão 3.2.0. Realizou-se análise descritiva e ainda foram aplicados os testes t de student, ANOVA e Teste de Tukey para a análise estatística inferencial, considerando intervalo de confiança de 95% e nível de significância de 5%. A pesquisa foi aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Piauí sob CAAE 03745418.5.0000.5214. Comparando os momentos pré e pós, o grupo experimental obteve maiores médias na positividade de realização do procedimento nas fases de preparo e execução do curativo, sendo essa diferença estatisticamente significativa na fase de execução (p=0,044). Em relação ao momento pós-intervenção, em todos os domínios pode-se observar que o grupo experimental obteve maiores médias na positividade de realização do procedimento com diferenças significativas. Houve redução do tempo global de realização do curativo nos dois grupos, sendo estatisticamente significante no grupo experimental (p).Verificou-se que as dimensões de feedback/reflexão e realismo apresentaram maior nível de concordância que na dimensão de apoio em relação ao design da simulação. 

  • ANA RAQUEL BATISTA DE CARVALHO
  • COLONIZAÇÃO NASOFARÍNGEA POR STAPHYLOCOCCUS AUREUS EM ESTUDANTES DA ÁREA DA SAÚDE
  • Orientador : MARIA ELIETE BATISTA MOURA
  • Data: 15/09/2020
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: O Staphylococcus aureus é um microrganismo gram positivo, considerado o principal agente etiológico de infecções nosocomiais e comunitárias, dada a sua presença mesmo em indivíduos saudáveis e não hospitalizados, como estudantes universitários. Os estudantes da área de saúde desenvolvem importante papel na epidemiologia e patogênese da infecção por S. aureus, pois podem estar expostos a pacientes e outros profissionais de saúde durante a sua rotação clínica. Dessa forma, esses alunos podem agir como fonte de disseminação tanto na comunidade quanto no ambiente hospitalar e ainda no carreamento das bactérias de um desses ambientes para o outro. OBJETIVO: Investigar a colonização por de Staphylococcus aureus na nasofaringea em estudantes da área da saúde.. MATERIAL E MÉTODO: Realizou-se uma análise das evidências disponíveis na literatura sobre a prevalência da colonização por Staphylococcus aureus entre estudantes da área da saúde e em seguida a análise da ocorrência de cepas de Staphylococcus aureus, entre estudantes da graduação em Medicina e Odontologia. Para a revisão bibliométrica, A busca dos estudos primários foi realizada nas bases de informação: Medical Literature Analysis and Retrieval Sistem on-line, Cumulative Index to Nursing and Allied Health Literature, Web of Science, Scopus e Literatura Latino-americana e do Caribe em Ciências da Saúde. Os descritores utilizados foram aplicados de acordo com particularidades de cada base de dados e obtidos por consulta nos Descritores de Ciências em Saúde e Medical Subject Headings. A análise laboratorial/experimental tratou-se de estudo transversal de prevalência, realizado com 164 estudantes de odontologia e 229 estudantes de medicina. As amostras biológicas da cavidade nasal foram coletadas em 2019, utilizando-se swabs estéreis, posteriormente submetidos a testes confirmatórios de Gram, de catalase e coagulase. Os Staphylococcus aureus isolados tiveram seus perfis de sensibilidade determinados por meio da técnica de difusão de disco. RESULTADOS: A revisão foi composta por 30 estudos. Na análise das amostras as pesquisas encontraram prevalências variando de 0,0% a 15,3% de infecção nos estudantes. Os Staphylococcus aureus isolados tiveram seu perfil de sensibilidade determinados por meio da técnica de difusão de disco. Para o curso de odontologia, a prevalência de S. aureus foi de 24,6%. Com relação ao perfil de resistência, 42,5% das cepas de S. aureus foram consideradas para a Penicilina. Observou-se multirresistência em 42,5% dos estudantes colonizados pelo S. aureus. Para a graduação em medicina, 18,3% dos estudantes estavam colonizados com S.aureus. Todos os isolados de S.aureus foram analisados quanto ao teste de resistência antimicrobiana. CONCLUSÃO: A prevalência de colonização de MRSA em estudantes da área da saúde apontada na revisão integrativa variou de 0,0 a 15, 3%. Na fase experimental, maiores taxas de transporte nasal de MRSA foram determinadas para estudantes do sexo feminino, de períodos intermediários, que relataram uso de antibiótico no período da entrevista e com carga horária nos serviços de saúde maior que 40 horas.

     

     

  • GUILHERME GUARINO DE MOURA SÁ
  • EFETIVIDADE DE VÍDEO EDUCATIVO E ORIENTAÇÕES VERBAIS DE ENFERMAGEM NA PERCEPÇÃO DE IDOSOS SOBRE OS RISCOS DE QUEDA: ENSAIO CLÍNICO RANDOMIZADO
  • Orientador : ANA MARIA RIBEIRO DOS SANTOS
  • Data: 21/08/2020
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: As quedas constituem importante causa de morbimortalidade em idosos, cuja prevenção perpassa pelo protagonismo de perceber a exposição aos riscos de cair. Nesse cenário, as orientações verbais de enfermagem e tecnologias educacionais, como o vídeo, possibilitam multiplicação de informações e podem contribuir em intervenções educativas sobre riscos de queda. Objetivo: Avaliar a efetividade do uso de vídeo educativo e de orientações verbais de enfermagem na percepção de idosos sobre os riscos de queda. Método: Estudo multimétodos, composto por pesquisa metodológica e Ensaio Clínico Randomizado (ECR) realizados na área de abrangência da Atenção Primária à Saúde de Bom Jesus, Piauí, Brasil. No estudo metodológico, ocorreu construção e validação de vídeo educativo para idosos sobre riscos de queda, a partir das fases de pré-produção, produção e pós-produção. A validação ocorreu por meio da avaliação de 22 juízes e 22 idosos. Os dados foram analisados pelo Índice de Validação de Conteúdo (IVC) e teste binomial. O ECR teve amostra de 138 idosos, alocados de forma randômica, com taxa de 1:1, em Grupo Intervenção (GI) (n=69), que assistiu ao vídeo educativo, e Grupo Controle (GC) (n=69), que recebeu orientações verbais de enfermagem. A coleta de dados ocorreu em dois momentos: 1º – pré-teste e aplicação das intervenções; 2º – pós-teste (após 30 dias). Para caracterização dos idosos utilizouse estatística descritiva. A homogeneidade entre os grupos foi verificada pelos testes t de Student para amostras independentes, U de Mann-Whitney, Qui-quadrado para proporção e exato de Fischer. Para comparar a percepção dos riscos de queda, intragrupo, utilizaram-se os testes t de Student para amostras dependentes e McNemar. Na comparação intergrupo empregaram-se os testes t de Student para amostras independentes, Qui-quadrado para proporção e exato de Fisher. O projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Piauí (parecer nº 3.334.943) e cadastrado no Registro Brasileiro de Ensaios Clínicos (RBR-8nfggd). Resultados: O vídeo foi construído a partir dos princípios da Teoria Cognitiva da Aprendizagem Multimídia, composto por animação digital e narração em áudio, possuiu dez minutos e cinco segundos e contemplou riscos biológicos, socioeconômicos, comportamentais e ambientais para quedas e cuidados para evitá-los. Os itens avaliados obtiveram IVC superior a 0,8, de forma que o vídeo foi considerado válido. No ECR, os grupos mostraram-se homogêneos na linha de base (p>0,05). Na análise intragrupo, os dois grupos tiveram aumento da percepção dos riscos de queda, entre o pré e pós-teste, com diferenças estatisticamente significativas (GI=0,001; GC<0,001). Na análise intergrupo, mostraram-se com médias semelhantes no pré-teste (p=0,559), enquanto no pós-teste a média do GC foi estatisticamente superior à do GI (p=0,013). Conclusão: Conclui-se que o uso do vídeo educativo e orientações verbais de enfermagem promoveram aumento da percepção de idosos sobre riscos de queda. No entanto, a orientação verbal foi a estratégia educativa mais efetiva para elevar a percepção dos idosos.

  • ANA KARINE DA COSTA MONTEIRO
  • DESENVOLVIMENTO, VALIDAÇÃO E AVALIAÇÃO DE INTERVENÇÃO EM AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM PARA PESSOAS COM COLOSTOMIA E CUIDADORES
  • Orientador : ELAINE MARIA LEITE RANGEL ANDRADE
  • Data: 22/06/2020
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) é uma das tecnologias cada vez mais frequentes no ensino, na pesquisa e assistência de enfermagem, além do ensino de pacientes, podendo envolvê-los nos próprios cuidados hospitalares, diminuir readmissões, melhorar a qualidade de vida e promover autocuidado. Isto pode ser importante para pessoas com colostomia, uma vez que experienciam complexidade de mudanças com o processo de estomização, e cuidadores que enfrentam modificações advindas da prestação do cuidado. No Brasil, até o momento, não há estudos sobre intervenção em AVA para pessoas com colostomia e cuidadores, portanto, pesquisas desta natureza são necessárias. Objetivo: Desenvolver, validar e avaliar intervenção em Ambiente Virtual de Aprendizagem para pessoas com colostomia e cuidadores. Método: Estudo realizado em três fases: revisão sistemática da literatura, estudo metodológico para o desenvolvimento e validação do AVA e descritivo e transversal para avaliação do AVA pelas pessoas com colostomia e cuidadores. A revisão sistemática da literatura foi cadastrada no International Prospective Register of Systematic Reviews. O desenvolvimento do AVA seguiu as etapas adaptadas de Chee et al., (2014), validado quantos aos aspectos pedagógicos por peritos em Enfermagem, por meio do instrumento Learning Object Revew Instrument; e por peritos em Informática, quanto à usabilidade, por meio do Guia para Análise do Design de Interface. A avaliação do AVA ocorreu de setembro de 2019 a fevereiro de 2020 e incluíram todas as pessoas com colostomia residentes em Teresina e cadastradas no Centro Ambulatorial do Piauí, que avaliaram a usabilidade do AVA, por meio da Escala de Usabilidade do Sistema (SUS) e do questionário previamente validado e adaptado. Na fase 2, procederam-se a estatísticas, cuja concordância dos peritos foi definida por meio do Percentual de Concordância (PC) e do teste binomial. Na fase 3, realizaram-se estatísticas descritivas, quantitativas e medidas de variância. Na análise univariada, aplicaram-se o teste Qui-quadrado, teste Exato de Fisher ou Correlação de Spearman; e na análise multivariada, adotou-se a regressão logística múltipla. Resultados: Após revisão sistemática, desenvolveu-se o Colostomia virtual, constituído por cinco módulos e vídeos, fóruns, quiz, podcast e o box “Saiba Mais”. O AVA foi validado por 21 peritos de Enfermagem e cinco de Informática, sendo a média total do PC de 93,5% e 90, 7%, respectivamente. As recomendações dos peritos foram atendidas quase em totalidade. A avaliação do AVA foi constituída por 52 participantes, sendo 20 pessoas com colostomia e 32 cuidadores. Todos os participantes tinham acesso à internet e 85,0% das pessoas com colostomia e 84,4% dos cuidadores acessaram pelo celular. A média de escore da Escala SUS foi 69,8. Os participantes avaliaram o Colostomia Virtual como excelente (65,4%), linguagem considerada compreensível (53,8%), visual adequado (51,9%), útil (84,6) e navegação nem fácil e nem difícil pelas pessoas com colostomia (35%) e fácil para os cuidadores (37,5%). Conclusão: O Colostomia Virtual foi validado e avaliado positivamente pelos participantes, considerado recurso confiável para suporte e fornecimento de de orientações às pessoas com colostomia e cuidadores.

  • PAULA LIMA DA SILVA
  • FATORES ASSOCIADOS À PERDA DO SEGUIMENTO DE GESTANTES EXPOSTAS À SÍFILIS
  • Orientador : ROSILANE DE LIMA BRITO MAGALHAES
  • Data: 14/05/2020
  • Mostrar Resumo
  • Estima-se a ocorrência de mais de um milhão de casos de Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST) por dia, mundialmente. Em relação a sífilis, trata-se de um grave problema de saúde pública, considerando prevalências elevadas e de difícil controle e persistência em diversas populações. O estudo teve como objetivo analisar os fatores associados à perda do seguimento clínico em gestantes expostas à sífilis. Pesquisa analítica, abordagem quantitativa realizada no município de Teresina – PI, no período de maio a dezembro de 2019, com 73 gestantes com diagnóstico de sífilis. Foi utilizado um formulário, validado quanto a face e conteúdo, com variáveis sociodemográficas, comportamento sexual, características clínicas, adesão ao tratamento da gestante e parceria sexual. Primeiramente foi realizado um levantamento e seleção das Unidades Básicas de Saúde; aplicabilidade do instrumento de coleta de dados em relação as variáveis de interesse e o desfecho da gestação, até 42 dias pós-parto. Os dados foram processados pelo programa SPSS, versão 25.0. Foram utilizados os testes exato de Fisher e teste de qui-quadrado de Pearson para testar associação entre a perda de seguimento com as variáveis relativas a características sociodemográficas, comportamentais, clínicas e sífilis na gestação. O nível de significância estabelecido foi de 0,05 e nível de confiança de 95% em todos os testes. As variáveis que obtiveram valor de p menor que 0,05 nos testes bivariados foram utilizadas no modelo de regressão logística múltiplo, para obtenção da força, Odds Ratio (OR) para explicar a perda de seguimento. Do total de 73 gestantes com diagnóstico de sífilis, a idade média foi de 27 anos e desvio padrão de 6,3 anos. A perda de seguimento ocorreu em 48(65,7%) participantes. Desse total 22(45,8%) tinham de 21 a 30 anos, 43(58,9%) menos de 12 anos de estudo, 69(94,5%) se autodeclaram de cor não branca com perda de seguimento de 44(91,7%), renda percapta foi menos de um salário mínimo em 61(93,9%) das participantes com perda de seguimento em 39(95,1%) e 56(76,7%) sem trabalho remunerado (valor de p = 0,248). A perda do seguimento apresentou associação significativa com as variáveis ter companheiro afetivo (p=0,012), diagnóstico feito no primeiro trimestre de gestação (p=0,041), inicio do tratamento no momento do diagnóstico (p=0,023) e pré-natal realizado por dois profissionais, médico(a) e enfermeiro(a) (p=0,039). Desse modo, o estudo mostrou baixa prevalência da sífilis em gestantes adultas jovens e empobrecidas com elevado desfecho desfavorável. A análise dos fatores associados a perda do seguimento em gestantes identificou que ter um companheiro afetivo, iniciar o tratamento no momento do diagnóstico e no primeiro trimestre tem significância estatística em relação a redução da perda do seguimento. Recomenda-se o planejamento de estratégias para alcance do manejo da sífilis de qualidade, capacitação profissional contínua, com foco na melhoria do tratamento do parceiro, rastreamento de casos de sífilis gestacional ainda no primeiro trimestre e possibilidades de discussão da temática com profissionais da área da saúde para com vista a eliminação da transmissão vertical. 

  • MÁRCIA DAIANE FERREIRA DA SILVA VIEIRA
  • REDUÇÃO DO ESTRESSE LABORAL EM PROFISSIONAIS DE ENFERMAGEM
  • Orientador : MARCIA TELES DE OLIVEIRA GOUVEIA
  • Data: 08/05/2020
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O estresse ocupacional coloca em risco a saúde dos profissionais e tem como consequência o baixo desempenho, alta rotatividade, absenteísmo e violência no local de trabalho. Intervenções foram desenvolvidas com a finalidade de reduzir os sintomas de depressão, ansiedade e estresse para melhorar o bem-estar geral. E apesar da literatura mostrar resultados significativos na diminuição do estresse, ainda há poucos estudos que analisem a eficácia da intervenção a longo prazo. Objetivo: analisar os níveis de estresse entre profissionais na enfermagem no ambiente de trabalho. Método: Trata-se de um estudo transversal, observacional, analítico. População foi composta por Enfermeiros e técnicos de enfermagem de um hospital universitário. A amostra final foi composta por 30 profissionais de enfermagem, na qual 15 profissionais compuseram o grupo da intervenção (GI) e 15 foram selecionados por amostragem aleatória simples para compor o grupo controle (GC). Os participantes foram informados dos procedimentos do estudo e realizaram leitura e assinatura do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido. Na coleta de dados foram aplicados: formulário de caracterização do perfil sociodemográfico e laboral e a Escala de Estresse no Trabalho (EET). A intervenção consistiu em um programa, com foco no trabalhador, estruturado em quatro sessões, com periodicidade quinzenal e duração de dois meses. As informações coletadas para o estudo foram digitadas por dupla entrada em planilhas Excel e posteriormente processamento pelo Statistical Package for the Social Sciences (SPSS - versão 20.0). Foi aplicado o teste de Shapiro-Wilk para teste de normalidade das variáveis numéricas. No tocante as comparações entre os grupos foram utilizados o teste t de Student para amostras independentes para os dados paramétricos e o teste U de Mann-Whitney para dos dados não paramétricos. O projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética e Pesquisa da Universidade Federal do Piauí com o número do parecer: 3.189.631. Resultados: A amostra dos grupos foi composta 20 enfermeiros e 10 técnicos de enfermagem, predominantemente mulheres, com a média de 35,06±5,71U.A. (grupo controle) e 37,1±5,2U.A. (grupo intervenção). Quanto ao número de vínculos no grupo controle 67,7% possuíam dois empregos bem como 86,7% do grupo intervenção. Por meio do teste U de Mann-Whitney pode-se comparar o nível de estresse entre os grupos, no qual observou-se diferença estatística do nível de estresse entre o grupo controle (3,34±0,71 U.A.); grupo intervenção (2,52 ±0,59 U.A.), p=0,002, sugerindo que a intervenção contribuiu para a redução dos níveis de estresse no ambiente de trabalho. Conclusão: Comparando o nível de estresse geral entres os grupos controle e intervenção constata-se que a intervenção diminuiu significativamente o nível de estresse nos profissionais, foi possível ainda identificar os estressores dos profissionais por meio da Escala de Estresse em Profissionais. 

  • NICOLE MARIA BRANDIM DE MESQUITA ALENCAR
  • CARGA DE TRABALHO E ESTRESSE OCUPACIONAL EM DOCENTES DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU DE UMA UNIVERSIDADE PÚBLICA
  • Orientador : MARCIA ASTRES FERNANDES
  • Data: 08/05/2020
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: As novas tecnologias e os avanços na área da informação trouxeram para o ambiente de trabalho, transformações, incluindo a atividade educacional e o trabalho docente. Tais transformações afirmam a necessidade de atualização e modernização do ensino, uma vez que a excessiva carga de trabalho e inúmeras atividades pode desencadear a exaustão física e mental do trabalhador. Com isso, o problema de pesquisa consiste em: Qual a prevalência do estresse ocupacional e sua relação com a carga de trabalho em docentes de pós-graduação stricto sensu de uma universidade pública? Objetivo: Analisar a carga de trabalho e a ocorrência de estresse ocupacional em docentes de pós-graduação stricto sensu de uma universidade pública. Método: Trata-se de um estudo com delineamento analítico e transversal, desenvolvido com 90 docentes de pós-graduação stricto sensu de uma Universidade Pública do estado do Piauí. A coleta de dados ocorreu entre os meses de fevereiro a outubro de 2019, por meio da aplicação de um questionário próprio elaborado pela pesquisadora e dois instrumentos: Questionário da Carga de Trabalho Docente de Nível Superior (CATRA - DNS) e Escala de Estresse no Trabalho (EET). Para a análise dados, utilizou-se o programa Statistical Package for the Social Sciences – SPSS, versão 22.0. Foram realizadas estatísticas descritivas, tais como medidas de tendência central e medidas de dispersão. O teste de Kolmogorov-Smirnov, o teste não paramétrico de Mann-Whitney, o teste de Kruskal-Wallis e o coeficiente de correlação de Spearman foram utilizados neste estudo. Para verificar a associação entre as variáveis bivariadas qualitativas, utilizou-se o teste qui quadrado (x²) e exato de Fischer. Resultados: Os dados revelam que a amostra foi constituída majoritariamente pelo sexo masculino com 55,6%, destacando-se a prevalência de adultos de meia idade, entre 40 e 60 anos. Declararam-se casados ou em união estável 67,8% dos participantes e 62,2% relataram possuir filhos com faixa etária média de 2 anos. Quanto ao tempo de formação expresso em anos houve uma média de 18,7 anos. 65,6% dos participantes relataram um tempo atuação ≥ 5 anos na pós-graduação. A maioria dos entrevistados 94,4% trabalha no regime de dedicação exclusiva (DE) 40 horas e 91,1% não possuem outra atividade remunerada. A renda mensal esteve na média de treze salários mínimos. A maioria dos docentes, 75,6%, atuou em cargos administrativos nos últimos cinco anos. Quanto às condições de saúde autorreferidas, 72,2% dos docentes relataram praticar atividade física; 77,8% realizam exames de saúde periodicamente e 20,0% tem se automedicado para superar condições adversas no trabalho. Quanto à carga de trabalho, 87,7% da amostra estudada obtiveram uma classificação de moderada a alta. Quanto ao estresse, 25,6% dos docentes apresentaram nível de estresse considerado. As variáveis sexo e atuação em cargos administrativos nos últimos 5 anos associaram-se significativamente à classificação do nível da carga de trabalho docente, (p=0,044 e p<0,001, respectivamente). Evidenciou-se que o risco de apresentar um nível de carga de trabalho docente moderado é 4,295 maior no sexo masculino e que o risco de apresentar uma carga de trabalho docente considerada alta é 1,985 maior no sexo masculino. Conclusão: Há presença de níveis significativos de carga de trabalho no corpo docente, porém não associada ao estresse ocupacional na amostra estudada.

  • BRUNA SABRINA DE ALMEIDA SOUSA
  • HISTÓRIA DE VIDA DE DOCENTES DO CURSO TÉCNICO DE ENFERMAGEM
  • Orientador : BENEVINA MARIA VILAR TEIXEIRA NUNES
  • Data: 06/05/2020
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O docente de curso técnico de enfermagem, como mediador do processo de construção do aprendizado, tem o compromisso para com os discentes de fomentar conhecimentos teóricos, habilidades técnicas. Sabe-se que que a trajetória de cada indivíduo como sujeito social é construída a partir de vivências, fases, sentimentos distintos, crenças e valores. À vista disso, é importante refletir sobre a história de vida desses docentes do curso técnico de enfermagem, para compreender a complexidade do seu papel de educador, os obstáculos rotineiros e a trajetória profissional. Objetivos: Descrever, analisar e discutir a história de vida de docentes do curso técnico de enfermagem. Método: Trata-se de uma pesquisa qualitativa de cunho sócio-histórico, utilizando-se da História Oral de Vida como referencial teórico. Realizou-se entrevistas com nove enfermeiros docentes do curso técnico em enfermagem de um de um colégio técnico vinculado a uma universidade federal que se localiza na capital de um estado da região nordeste do Brasil. Para a produção dos dados procedeu-se com as fases de transcrição, textualização e transcriação; em seguida, os dados foram analisados à luz da “Coletânea de Narrativas” proposta por Paul Thompson. O projeto de pesquisa foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Piauí, sob Parecer nº 2.927.504. Resultados: A memória está associada a momentos e impressões pessoais, então se acredita que cada história relatada possui lembranças, concepções e sentimentos distintos. Emergiram quatro categorias temáticas a partir dos relatos dos participantes: A formação do enfermeiro professor, Atuação profissional, Docência: a aptidão do enfermeiro para educar, e Relação entre professor, aluno e ensino em um contexto social. Ao relembrar e relatar suas histórias de vida, os docentes tiveram a oportunidade de repensar sobre suas experiências, opiniões, formação e sua prática pedagógica, pois suas vivências pessoais e profissionais desencadearam uma reflexão perante o campo de atuação no qual estão inseridos. Considerações finais: Os docentes são preparados, possuem pós-graduações, experiência na área do ensino e alguns deles começaram a lecionar no ensino técnico ainda durante a graduação. A escolha pela docência surgiu por vocação e por inspiração em outros professores. No entanto, a falta de reconhecimento, de valorização e a sobrecarga de trabalho do setor assistencial também estimularam a busca pelo magistério. os docentes se deparam com o desinteresse e resistência dos alunos, situação que lhes causa desânimo e dificulta o processo de ensino-aprendizagem. O maior obstáculo encontrado se refere às dificuldades sociais dos alunos, porém os professores tem um olhar holístico e buscam compreendê-los e apoiá-los tanto com recursos físicos disponíveis na escola, quanto com apoio emocional e dedicação.

  • AUGUSTO CEZAR ANTUNES DE ARAUJO FILHO
  • AVALIAÇÃO DA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE OFERTADA A CRIANÇAS MENORES DE UM ANO DO MUNICÍPIO DE TERESINA-PI
  • Orientador : SILVANA SANTIAGO DA ROCHA
  • Data: 22/04/2020
  • Mostrar Resumo
  • Atenção Primária à Saúde apresenta impactos positivos nos indicadores e na saúde da população, configurando-se como importante aliada para a saúde da criança, pois propicia melhorias na redução da morbimortalidade infantil. Neste sentido, considera-se fundamental sua avaliação a fim de buscar elucidar pontos que ainda necessitam de melhorias. Objetivou-se avaliar a Atenção Primária à Saúde ofertada a crianças menores de um ano no município de Teresina-PI, por meio da aplicação do instrumento Primary Care Assessment Tool (PCATool), versão criança, aos cuidadores de crianças menores de um ano. Trata-se de estudo avaliativo, descritivo, de delineamento transversal e abordagem quantitativa. Foi realizado nas Unidades Básicas de Saúde da zona urbana de Teresina-PI. A amostra foi composta por 383 cuidadores de crianças menores de um ano. Foram aplicados dois instrumentos: o formulário com dados sociodemográficos dos cuidadores e com dados sociodemográficos e de saúde das crianças; e Primary Care Assessment Tool, versão criança. A coleta de dados ocorreu no período entre os meses de dezembro de 2018 e abril de 2019, através de entrevista, por meio da aplicação dos instrumentos supracitados. Realizou-se a análise descritiva, e a força de associação entre as variáveis foi analisada através dos testes de Kruskal-Wallis com post-hoc de Dunn, para comparação das medianas, o teste qui-quadrado de Pearson ou Exato de Fisher, e na análise multivariada foi utilizada a regressão de Poisson com variância robusta dos erros-padrão. Este estudo foi aprovado pela Comissão de Ética da Fundação Municipal de Saúde e pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Piauí, sob parecer nº. 3.000.761. As mães constituem a maioria dos cuidadores (93,2%), as quais viviam com companheiros (79,4%). A maior parte dos cuidadores possuía idade entre 25 e 40 anos (54,6%), ensino médio como grau de escolaridade (62,9%), de raça parda (67,1%), exercia atividades domésticas (63,4%) e tinha renda familiar de até um salário mínimo (62,1%). Predominaram crianças do sexo feminino (50,4%), da faixa etária entre zero e três meses (39,4%) e de raça parda (62,4%), que nasceram com normopeso (80,7%) e a termo (68,1%). Quanto aos aspectos de saúde das crianças, 95,8% haviam sido amamentadas, 87,2% estavam com a situação vacinal atualizada e 89,3% não haviam sido hospitalizadas. A maioria das mães, 97,7%, realizaram pré-natal, das quais 76,5% compareceram a mais de seis consultas. A avaliação da Atenção Primária à Saúde de crianças menores de um ano de Teresina-PI evidenciou altos escores médios essencial e geral. Entretanto, embora na cidade de Teresina-PI exista cobertura de 100% da ESF, torna-se importante destacar que o componente acessibilidade, do atributo acesso de primeiro contato, e o componente serviços prestados, do atributo integralidade, bem como os atributos derivados, orientação familiar e orientação comunitária, receberam escores médios abaixo do ponte de corte.

  • NALMA ALEXANDRA ROCHA DE CARVALHO
  • TECNOLOGIA EDUCATIVA DO TIPO CARTILHA PARA AUTOEFICÁCIA MATERNA NO CUIDADO DO RECÉM-NASCIDO PREMATURO: ELABORAÇÃO E VALIDAÇÃO
  • Orientador : SILVANA SANTIAGO DA ROCHA
  • Data: 06/03/2020
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Ao se considerar as taxas atuais de morbimortalidade de prematuros, especialmente aqueles de muito baixo peso, torna-se prudente desenvolver ações que envolvam o apoio, a orientação e a instrumentalização dos pais ou acompanhantes para os cuidados cotidianos com o prematuro no ambiente domiciliar. Essas ações deverão acontecer desde a admissão na UTI e serem reforçadas durante toda internação hospitalar, levando em consideração as individualidades e capacidade de compreensão de cada família, a fim de fortalecer o enfrentamento na alta hospitalar. Objetivo: Validar uma tecnologia educativa do tipo cartilha construída para a promoção da autoeficácia materna no cuidado do recém-nascido prematuro pós-alta hospitalar no contexto piauiense. Método: Estudo com desenvolvimento metodológico, no qual foi elaborado e validado uma tecnologia educativa do tipo cartilha destinada às mães de prematuro no cuidado de seus filhos no domicílio. O processo de construção e validação da cartilha obedeceu às seguintes fases: 1) elaboração do projeto de desenvolvimento e submissão ao Comitê de Ética e Pesquisa (CEP); 2) levantamento bibliográfico; 3) diagnóstico situacional (Brainstorming); 4) elaboração do material educativo e 5) qualificação ou validação do material por especialistas no assunto. Essa tecnologia foi validada por 12 juízes de conteúdo, sendo cinco docentes e sete assistenciais. Para validação do material foi utilizado um instrumento que avaliou cada página da cartilha individualmente quanto a clareza da linguagem, pertinência prática e relevância teórica, além disso foi utilizado o instrumento Suitability Assesment of Materials (SAM). Este estudo teve aprovação do Comitê de Ética e Pesquisa, com parecer nº. 2.883.281. Resultados: A cartilha, intitulada: “O que você precisa saber sobre o cuidado do prematuro em casa” foi elaborada utilizando-se linguagem simples e direta, com ilustrações que retratavam a realidade da população e layout que pudesse favorecer na compreensão das informações contidas no material, sendo dividida em seis tópicos (1. Higiene; 2. Alimentação; 3. Crescimento e desenvolvimento; 4. Cuidados diários; 5. Cuidados especiais/intercorrências e 6. Consultas e vacinas). Após a construção, a cartilha foi validada por 12 especialistas no assunto, intitulados juízes de conteúdo, que validaram o material utilizando dois instrumentos. Na análise da consistência interna do primeiro instrumento todos os itens foram avaliados significativamente, com Alfa de Cronbach: 0,980. Já na análise da consistência interna do instrumento de Validação SAM, com base em itens padronizados, obteve coeficiente de alpha de Cronbach alto: 0,819. No SAM ainda foi calculado a análise percentual dos escores (dividindo a pontuação total das respostas do SAM pela pontuação total possível para esse material). A pontuação média para a cartilha foi de 65,54%, esses achados evidenciaram que o material educacional final foi classificado como “adequado", de acordo com a classificação do instrumento. Conclusão: Foi elaborada uma tecnologia educativa do tipo cartilha baseada em revisão de literatura integrativa e diagnóstico situacional com o público alvo. Ela foi considerada válida por juízes docentes e assistenciais em ambos os instrumentos utilizados. De acordo com análise, essa cartilha tem resultados consistentes para a autoeficácia materna no cuidado do recém-nascido prematuro. Acredita-se que essa tecnologia pode ser usada como instrumento educativo para mães de prematuro no cuidado domiciliar, minimizando reinternações e consequentemente os índices de mortalidade nesse público.

  • LAYNARA MARIA DAS GRAÇAS ALVES LOBO
  • FATORES ASSOCIADOS A ADIÇÃO DE SMARTPHONE EM UNIVERSITÁRIOS DE ENFERMAGEM
  • Orientador : ELAINE MARIA LEITE RANGEL ANDRADE
  • Data: 05/03/2020
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A adição de smartphone ou nomofobia é um transtorno da sociedade moderna que compromete a saúde. Objetivo: analisar os fatores associados a adição de smartphone em universitários de Enfermagem. Método: Estudo descritivo, correlacional e quantitativo, realizado em duas Universidades públicas do Piauí, no período de abril a junho de 2019. A amostra foi obtida por conveniência e constituída por 298 universitários de Enfermagem e para coleta de dados foram utilizados os seguintes instrumentos: caracterização sociodemográfica, Alcohol Use Disorder Identification Test (AUDIT), Pittsburg Sleep Quality Index (PSQI) e a escala Smartphone Addiction Inventory (SPAI). Os dados foram analisados por meio de estatísticas descritivas, teste Qui quadrado e Exato de Fisher que verificaram associação entre as variáveis independentes com adição de smartphone e teste de Mann Whitney que comparou a classificação do PSQI global e subcategorias com adição de smartphone. O nível de significância adotado foi 0,05. Resultado: A maioria dos universitários de Enfermagem era do sexo feminino 239 (80,2%) e tinha idade média de 22 anos. Cento e sessenta e cinco (55,4%) se autodeclararam pardos, 236 (79,2%) apenas estudavam e 11 (37,2%) tinham um a dois salários mínimos como renda familiar. Em relação ao estado civil 277 (93,0%) eram solteiros e 168 (56,4%) moravam com os pais. Duzentos e dois (67,8%) não praticavam atividade física e 269 (90,3%) nunca fumaram ou estavam fumando a um período menor que um mês. A prevalência global da adição de smartphone entre os universitários de Enfermagem foi de 142 (47,7%). O consumo de álcool, a pontuação global da qualidade do sono, qualidade subjetiva do sono, latência do sono, uso de medicamentos e disfunção durante o dia apresentaram diferenças estatisticamente significativas em relação a adição de smartphone. Conclusão: Concluiu-se que há necessidade de construir intervenções educativas para uso racional do smartphone dentro e fora das Universidades e desenvolver políticas públicas de promoção da saúde e prevenção da adição de smartphone e comorbidades relacionadas.

  • GLÍCIA CARDOSO NASCIMENTO
  • ANALISE MICROBIOLOGICA DE DISPOSITIVO INVASIVO EM PACIENTES CRITICOS
  • Orientador : MARIA ELIETE BATISTA MOURA
  • Data: 28/02/2020
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: As infecções são a principal e mais importante causa de morbimortalidade entre os pacientes internados em Unidades de Terapia Intensiva (UTI). A intubação orotraqueal é comum no cuidado de pacientes graves e está frequentemente associada a complicações. Procurando contribuir com um cuidado mais seguro ao paciente crítico este estudo tem como objeto determinação da frequência da espécie e o perfil de sensibilidade dos microrganismos em tubos orotraqueais de pacientes críticos de hospitais públicos de referência da região Nordeste. Objetivo: Realizar análise microbiológica de tubos orotraqueais utilizados por pacientes críticos e relacionar os resultados com dados clínicos. Materiais e Métodos: Foram selecionados 40 pacientes aleatórios internados na unidade de terapia intensiva em ventilação mecânica por mais de três dias. O período do estudo foi de um seis meses. O swabestério depois de friccionado no lúmen interno do tubo orotraquealfoi cultivada 24 horas e a cultura desse foi realizada após a incubação. Também foi testada a sensibilidade de isolados bacterianos desse esfregaço a antibióticos comumente usados. Todos os dados foram registrados e inseridos no Microsoft Excel (Microsoft Corporation). Todas as entradas foram verificadas duas vezes quanto a possíveis erros. As variáveis categóricas foram resumidas em porcentagens. Resultados: Um total de 40 indivíduos foram incluídos no estudo. vinte pacientes foram excluídos do estudo. A colonização bacteriana estava presente em 20 pacientes. Três organismos colonizadores mais comuns isolados foram Bacilos Gram-Negativos não fermentativos, incluindo Pseudomonasaeruginosa, Acinetobacterbaumanniie Klebsiellapneumoniae. Essas bactérias encontradas, 14(70%)dos gram negativos não fermentadores, incluindo 7,14% Acinetobacter e 64,29% de Pseudomonas, eram sensíveis ao cefalosporina de 2ª, 3ª e 4ª geração, Imipenem e tigeciclina. Entre os pacientes com pneumonia associada à ventilação mecânica, a pneumonia por Acinetobacter foi o isolado mais comum. Conclusão: Os organismos mais comumente isolados foram gram negativos, incluindo Acinetobacterbaumannii, Pseudomonasaeruginosa e Klebsiellapneumoniae. A maioria dos organismos isolados era sensível aos antibióticos cefalosporinas e Imipenem.

  • JULYANNE DOS SANTOS NOLETO
  • FRAGILIDADE EM IDOSOS ACIDENTADOS NO TRÂNSITO ATENDIDOS EM UM HOSPITAL DE REFERÊNCIA EM URGÊNCIA
  • Orientador : ANA MARIA RIBEIRO DOS SANTOS
  • Data: 27/02/2020
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A fragilidade representa síndrome com múltiplas causas, caracterizada pela diminuição da força, resistência e redução da função fisiológica. Relevante problemática de saúde pública em particular entre os idosos, uma vez que está diretamente associada a maior risco de queda, hospitalização, incapacidade funcional, institucionalização e óbito. Diante do exposto é necessário salientar que os problemas de saúde e óbitos desse grupo etário, além de estarem frequentemente relacionados às doenças crônico-degenerativas e as síndromes, os agravos por causas externas merecem destaque, principalmente as quedas e os acidentes de trânsito. Objetivo: Avaliar a fragilidade em idosos atendidos por acidente de trânsito em um hospital de referência em urgência. Método: Estudo observacional, analítico e transversal realizado em hospital de urgência, referência no atendimento ao trauma, situado em Teresina (PI). A população do estudo constituiu-se por 234 idosos que sofreram acidente de trânsito e foram atendidos nesse hospital no período da coleta de dados (setembro de 2018 a setembro de 2019). A amostragem foi não probabilística, em sequência. Adotou-se como instrumentos na coleta de dados o Mini Exame do Estado Mental, formulário para a caracterização dos participantes e a Escala de Fragilidade Edmonton. Foi realizada a análise descritiva e inferencial, aplicaram-se Teste Qui-quadrado, Teste Exato de Fisher e Regressão Logística. Em todas as análises, adotou-se o nível de significância de p<0,05. Este estudo obteve aprovação pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Piauí, com o parecer 2.817.389. Resultados: Verificou-se que entre os idosos atendidos por acidente de trânsito, a prevalência da fragilidade correspondeu 35,9%, enquanto 35,5% eram aparentemente vulneráveis e 28,6% não apresentavam fragilidade. Os fatores associados à fragilidade foram: sexo (p=0,038), cor da pele (p=0,039), estado civil (p=0,002), escolaridade (p=0,039), fonte de renda pensão (p=0,022), renda individual (p=0,018), renda familiar (p=0,006), composição familiar (p=0,032), não possui doença de base (p=0,019), hospitalização no último ano (p=<0,001), uso de medicamento no último mês (p=0,018), número de medicamentos (p=0,002), automedicação (p=0,025), outras dores (p=0,014), número de doenças (p=0,006), diabetes (p=0,005), catarata (p=0,007), depressão (p=0,016), uso de antidiabético (p=0,022) e antimicrobiano (p=0,038). Na regressão, as variáveis hospitalização no último ano (p=<0,001; OR: 4,536; IC: 2,173-9,468), renda individual até um salário mínimo (p=0,007; OR: 2,633, IC: 1,298-5,341) e automedicação (p=0,027; OR: 2,011; IC: 1,083-3,737) apresentaram mais chances para a condição de fragilidade. E, ser casado/união estável (p=0,002; OR: 0,182; IC: 0,063-0,524) e não possuir catarata (p=0,022; OR: 0,339; IC: 0,134-0,855) consistiram em fatores de proteção para a fragilidade. Conclusão: Evidenciou-se presença e vulnerabilidade em percentual significativo de fragilidade em idosos acidentados no trânsito. Desse modo, torna-se imprescindível o rastreamento precoce dessa síndrome para posterior planejamento de ações de saúde que visem prevenir ou minimizar incapacidades na saúde dos idosos. Ademais, a pesquisa propiciou o conhecimento acerca dos fatores de risco associados à fragilidade, o que permite identificar as condições passíveis de intervenção e, por conseguinte evitar desfechos clínicos adversos nesta população.

  • DINARA RAQUEL ARAUJO SILVA
  • MATURIDADE DA GESTÃO EM SERVIÇOS PÚBLICOS DE SAÚDE SEGUNDO O MODELO DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO PÚBLICA
  • Orientador : LIDYA TOLSTENKO NOGUEIRA
  • Data: 19/02/2020
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO:Maturidade da gestão refere-se ao desempenho geral da organização diante das atividades administrativas desenvolvidas e os resultados obtidos. O serviço público de saúde exibe múltiplas composições organizacionais, cercadas por um ambiente de transformações rápidas, diante da complexidade do setor o planejamento e a avaliação das ações é primordial. OBJETIVO: Avaliar a maturidade da gestão em serviços públicos de saúde segundo o Modelo de Excelência em Gestão Pública. MATERIAL E MÉTODOS: Delineamento transversal analítico, realizado com gestores municipais de saúde do território Entre Rios e Cocais do estado do Piauí, de janeiro a outubro de 2019, nas reuniões da Comissão Intergestora Regional, com coleta de dados por meio de questionário de caracterização da rede de saúde do município, perfil dos gestores e do Instrumento de Diagnóstico da Maturidade em Serviços Públicos, criado pelo Ministério do Planejamento. Participaram da pesquisa 28 gestores que estavam no cargo em período superior a seis meses. Os dados foram processados no IBM® SPSS® e foram calculadas estatísticas uni e bivariadas. O estudo foi aprovado por Comitê de Ética em Pesquisa obtendo parecer favorável com o número: 2.817.519. RESULTADOS:Profissionais de enfermagem representaram 53,5% da amostra de gestores municipais. O escore global de maturidade de gestão dos municípios apresentou média de 38,28 (±16,58) pontos, variando de 18,35 a 73,90 pontos, portanto a maioria estava no nível inicial a intermediário de maturidade da gestão. Municípios com número maior de habitantes, maior número de profissionais da saúde, que possuíam nível de atenção de média complexidade, com Plano Municipal de Saúde atualizado tiveram escore global de maturidade significativamente maior (p<0,05), bem como quando os gestores possuíam especialização na área de gestão em saúde e experiência anterior em cargo de gestão (p<0,05).As dimensões com menor desempenho foram “Resultados” e “Governança”, refletindo as dificuldades do planejamento em saúde e a necessidade de capacitação dos gestores para maior compreensão dos mecanismos de liderança CONCLUSÃO:O nível de maturidade da gestão municipal de saúde nos municípios, sofreu influência das características locais e do perfil dos gestores. Houve aderência entre as características do modelo de excelência em gestão e os processos gerenciais realizados nos municípios.

  • MARIA DO CARMO SANTOS FERREIRA
  • CONHECIMENTO DE PROFISSIONAIS DE SAÚDE E USUÁRIOS ACERCA DO SISTEMA DE IDENTIFICAÇÃO DE PACIENTES
  • Orientador : FERNANDA VALERIA SILVA DANTAS AVELINO
  • Data: 17/02/2020
  • Mostrar Resumo
  • A identificação do paciente é uma estratégia crucial para segurança do paciente, considerando-se que visa oferecer o tratamento correto para o paciente certo. A realização da mesma garante o início do cuidado seguro e uma assistência de qualidade com a finalidade de reduzir danos desnecessários ao usuário. O trabalho teve como objetivo descrever o conhecimento de profissionais e usuários acerca do sistema de identificação do paciente. Trata-se de um estudo observacional, descritivo, transversal desenvolvido em um Hospital Universitário do Nordeste. A população envolvida foi de usuários e profissionais de saúde (médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, psicólogos, nutricionistas, técnicos de enfermagem, assistentes sociais e farmacêuticos). Além disso, foram avaliadas as notificações relacionadas a identificação do paciente, no Sistema de Notificação do referido serviço, o VIGIHOSP. A amostra de usuários foi de 340, de profissionais 213 e de notificações 504. Foram utilizados três formulários para coleta de dados durante o período de novembro/2018 a julho/2019. Para análise dos dados quantitativos utilizou-se a estatística descritiva e para as questões abertas a análise de conteúdo. A pesquisa recebeu aprovação do Comitê de Ética e Pesquisa da Universidade Federal do Piauí sob o parecer nº 3.143.243. O perfil dos pacientes foi de 53,5% do sexo feminino e 50,9% na faixa etária igual ou acima de 60 anos e a média de internação foi de 14 dias. Durante a observação 90,6% utilizavam a pulseira, 94,8% delas estavam adequadas e todas as pulseiras avaliadas tinham pelo menos dois identificadores. Em relação, ao conhecimento dos pacientes quanto a pulseira de identificação 92,1% relataram que não receberam nenhuma orientação sobre o propósito dela e 56,2% disseram que os profissionais não conferem os dados da pulseira antes de realizar algum cuidado. Entre os profissionais, 76,1% eram do sexo feminino e 98,6% estavam na faixa etária de 25 a 59 anos e uma média de 5 anos de tempo de serviço na instituição. Observou-se que 74,3% reconheceram que o serviço possui um protocolo de identificação. Dentre os problemas que eles mais citaram em relação a reação de usuários e profissionais ao uso da pulseira de identificação estão o desconforto com a pulseira, qualidade do material e que atrapalha em alguns procedimentos, como punção de acesso. Na visão dos profissionais em relação ao processo de identificação do paciente no serviço, três pontos foram elencados: qualidade do material, falhas no processo e cultura/ educação. No que se refere as notificações, 499 foram classificadas como incidentes sem danos e os maiores notificadores foram os estudantes. Em resposta aos objetivos deste trabalho a discussão foi subdividida em: Perfil dos envolvidos no cuidado; Conhecimento dos usuários sobre a sua identificação no serviço de saúde; Falhas no processo de identificação; Estratégias dos profissionais de saúde para a identificação correta dos pacientes, analisamos as conformidades com o protocolo de identificação; e Notificações: lacunas e melhorias. Concluiu-se que para melhorar o processo, o serviço deve investir mais na educação continuada multiprofissional, sensibilizar profissionais e pacientes mediante as consequências da utilização incorreta da pulseira de identificação e na disseminação da cultura justa.

  • LORENA UCHÔA PORTELA VELOSO
  • VALIDAÇÃO DO ÍNDICE NURSES GLOBAL ASSESSMENT RISK SUICIDE PARA A POPULAÇÃO ADULTA ATENDIDA NA ATENÇÃO PRIMÁRIA
  • Orientador : CLAUDETE FERREIRA DE SOUZA MONTEIRO
  • Data: 14/02/2020
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: O comportamento suicida é um fenômeno de etiologia multifatorial, e inclui em seu continuum a ideação suicida, tentativa de suicídio e suicídio em si. A prevenção ao suicidio é hoje uma das principais estratégias para auxiliar a população sobre o tema e na identificação de possíveis suicidários. Entre as ações a serem desenvolvidas, destaca-se a avaliação do risco de suicídio em serviços de atenção primária. OBJETIVO: Realizar validação do índice Nurse Global Assessment Risk Suicide para a população adulta brasileira atendida nos serviços de atenção primária à saúde. MATERIAL E MÉTODO: Estudo metodológico de adaptação e validação do instrumento Nurse Global Assessment Risk Suicide, desenvolvido em duas fases, nas Unidades Básicas de Saúde no município de Teresina. Para adaptação cultural, foi formado comitê de nove especialistas, das áreas de suicidiologia, saúde mental na atenção básica e estudos metodológicos. Foram realizadas avaliações qualitativas (pertinência das sugestões/alterações) e quantitativas (calculo do índice de validade de conteúdo). Na fase de verificação de propriedades psicométricas, foi utilizada amostra de 391 indivíduos, em que se analisou a confiabilidade, responsividade e validade do instrumento. Os dados foram analisados no software Statistical Package for the Social Science, versão 20.0 com o cálculo: alpha de Cronbach; Teste t pareado; Regressão linear; Teste t de Student; Análise fatorial com rotação ortogonal Varimax. Para todas as análises realizadas, foi adotado o nível de significância de 0,05. RESULTADOS: Na etapa de validação de conteúdo, manteve-se a quantidade de itens (15) da versão original com a associação de itens semelhantes, inclusão de preditivas (história de violências interpessoais e história de preconceito), inclusão de termos aos itens, além de aumento na pontuação do item relacionado à ideação/intenção suicida. Todos os itens da versão final alcançaram índice de validade de conteúdo igual ou superior a 0,78. Na etapa de validação psicométrica, o índice apresentou alpha de Cronbach geral de 0,73, forte associação linear positiva significativa (R=0,855; p <0,001) com as medidas referências para avaliação do risco de suicídio e sensível ao apontar a diferença entre os grupos de pessoas com/sem sintomatologia ansiosa e depressiva (p=0,000). Pela análise fatorial, as 15 variáveis preditivas foram explicadas em 49,73% em quatro fatores comuns. CONCLUSÃO: O instrumento mostrou-se confiável, responsivo e válido em termos de critério e construto, o que permite a recomendação como instrumento para a mensuração do risco de comportamento suicida em adultos atendidos em serviços de atenção primária à saúde, em termos de rastreio inicial e avaliação de seguimento/adequabilidade de ações em um protocolo de atenção, ao favorecer intervenções de Enfermagem mais seguras e consentâneas às necessidades de cada indivíduo.

  • ALINE RAQUEL DE SOUSA IBIAPINA
  • INTERVENÇÃO EM PACIENTES COM SINTOMAS DE ANSIEDADE: TÉCNICA DE RELAXAMENTO MUSCULAR DE JACOBSON
  • Orientador : CLAUDETE FERREIRA DE SOUZA MONTEIRO
  • Data: 13/02/2020
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: Sintomas de ansiedade causam ruptura no funcionamento normal das atividades desenvolvidas pelos indivíduos. As técnicas de intervenção visam prevenir doenças e promover a saúde. Entre elas, destaca-se a terapia de relaxamento muscular progressivo de Jacobson. OBJETIVO: Avaliar a aplicação da técnica de relaxamento muscular progressivo de Jacobson na população adulta com sintomas de ansiedade assistidas na Atenção Primária à Saúde do município de Teresina-Piauí. MATERIAL E MÉTODO: Ensaio clínico não randomizado (quase experimental), desenvolvido com 391 usuários com sintomas de ansiedade (mínimo, leve, moderado e grave). Foram aplicados os instrumentos: Inventário de Ansiedade de Beck e questionário para dados sociodemográficos, condições de saúde e hábitos de vida. 108 participantes apresentaram sintomas leves e moderados e foram convidados para compor o grupo experimental (41) e grupo controle (67). Os dados foram coletados de março a agosto de 2019. O grupo experimental recebeu a técnica de relaxamento muscular progressivo de Jacobson e o grupo controle palestras. Em ambos os grupos o Inventário de Ansiedade de Beck foi aplicado em dois momentos (pré-teste/pós-teste). Para análise estatística, utilizou-se o software Statistical Package for the Social Science versão 22.0 e estatísticas descritivas (medidas de tendência central) e inferenciais (Teste Quadrado de Pearson, Exato de Fisher, Mann-Whitney e Wilcoxon). RESULTADOS: A prevalência de sintomas de ansiedade foi observada em toda a amostra, sendo 68,1% nível mínimo, 18,4% leve, 9,2% moderado e 4,3% grave. Dos 108 participantes dos grupos (experimental e controle) a predominância foi do sexo feminino (83,3%), faixa etária de 20|-|39 anos, casadas (50,0%), com filhos (81,5%), cor parda (48,1%), média de 10 anos de estudo, renda mensal de até 2 salários mínimos (83,3%), sem emprego formal (60,2%), e religião (88%). Quanto às condições de saúde e hábitos de vida, frequentam os serviços de saúde uma vez ao mês (39,8%), presença de hipertensão (44,2%) e diabetes mellitus (14,0%), eventos estressores recentes (66,7%), problemas com sono (62%), consumo de substâncias ilícitas e/ou licitas (26,9%), tratamento psiquiátrico (27,8%), tratamento alternativo (6,5%), prática de atividade física (40,7%) e histórico de violência (32,4%). No primeiro momento os grupos apresentaram homogeneidade em relação as características (p= 0,707) e aos escores dos níveis de ansiedade (p-valor: 0,463). No segundo momento mostraram heterogeneidade e independência relacionado as características (p= 0,001) e aos escores (p= 0,001). A aplicação do teste Wilcoxon mostrou que com a aplicação da técnica houve melhoria dos sintomas ansiosos do grupo experimental (p= 0,001), com maior efetividade nos participantes com sintomas leves (p= 0,010), sexo feminino, adulto jovem, histórico de situação estressora recente e problemas com sono (p<0,001). CONCLUSÃO: A técnica de relaxamento muscular progressivo de Jacobson se mostrou efetiva em relação à melhoria dos sintomas ansiosos quando aplicada a pessoas com sintoma de ansiedade leve e moderada. Recomenda-se a adoção dessa estratégia interventiva como medida de prevenção e promoção da saúde em usuários com sintomas de ansiedade leve e moderado.

  • CLARA ANANDA PIMENTEL DE SOUSA SANTOS
  • NÍVEIS DE IDEAÇÃO SUICIDA ASSOCIADOS AO USO DE ÁLCOOL
  • Orientador : CLAUDETE FERREIRA DE SOUZA MONTEIRO
  • Data: 13/02/2020
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Ideação suicida é um termo referido a pensamentos e planos suicidários e considerado importante indicador para o risco de suicídio. Dentre os fatores de risco para o surgimento da ideação suicida encontra-se o uso de álcool. Objetivo: Analisar a associação entre ideação suicida e uso de álcool em população adulta atendida na atenção primária à saúde de Teresina/Piauí. Método: Estudo observacional, analítico e transversal, realizado com 380 adultos em 11 Unidades Básicas de Saúde segundo a territorialização dos NASF. A coleta de dados ocorreu entre junho e setembro de 2019, com aplicação de três instrumentos: questionário sociodemográficas, Escala de Ideação Suicida de Beck e Alcohol Use Desorders Identification Test. Para análise estatística, utilizou-se o software Statistical Package for the Social Science, versão 20.0 e análises descritiva e inferencial com nível de significância de 0,05. O estudo obteve aprovação pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Piauí (Parecer n°. 2.404.139). Resultados: A prevalência de ideação suicida na amostra foi 17,9%. Dentre estes 39,7% apresentam ideação suicida clinicamente significante. O de uso de álcool teve prevalência de 41,1%, com 69,9% em binge. O padrão de uso de álcool mostrou 15,3% em uso de risco, 2,1% nocivo, 3,2% possível dependência e 79,5% abstinência ou baixo risco. A prevalência de uso de álcool por pessoas com ideação suicida foi de 42,6% e com ideação suicida clinicamente significante de 44,4%. Em indivíduos com provável dependência observou-se um aumento na prevalência de ideação suicida e ideação suicida clinicamente significante, 33,3% e 16,7%, respectivamente. A ideação suicida foi predominante entre mulheres (82,8%), com idade entre 30 e 39 anos (51,7%), com companheiro/convívio no mesmo lar (48,3%). Não ter companheiro apresentou 1,4 vezes mais chances de presença de ideação suicida e histórico de discriminação 1,9 mais chances. A ideação suicida clinicamente significante esteve ligada em maioria também nas mulheres em idades menores, entre 20 e 29 anos (58,3%) e sem companheiro (50,0%). O sexo feminino apresentou três vezes mais chances de presença de ideação suicida clinicamente significativa, sem companheiro, com casamento anterior quatro vezes mais e sem companheiro 2,9 vezes mais chances. Ter tido evento estressor aumenta as chances de ideação suicida clinicamente significante em 3,1 vezes e problemas com sono em 2,9 vezes. Histórico de discriminação apresentou 3,7 mais chances de presença de ideação suicida clinicamente significativa. Conclusão: O uso de álcool exerceu influência para presença de ideação suicida na amostra. Os resultados obtidos podem fornecer subsídios para o planejamento de ações políticas e programas direcionados a essas problemáticas.

2019
Descrição
  • DANIELLE MACHADO OLIVEIRA
  • SOFRIMENTO MENTAL E COMPORTAMENTO SUICIDA EM PÓS-GRADUANDOS STRICTO SENSU: PREVALÊNCIA E FATORES ASSOCIADOS
  • Orientador : MARCIA ASTRES FERNANDES
  • Data: 16/12/2019
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Apesar dos diversos benefícios que a pesquisa traz para o desenvolvimento do País, é importante destacar que a pós-graduação é uma realidade complexa, principalmente para os estudantes, os quais são expostos a diversos estressores que podem contribuir para o surgimento de sofrimento mental e comportamento suicida nessa população. Assim, tem-se como questão de pesquisa: qual a prevalência de sofrimento mental, comportamento suicida e fatores associados em pós-graduandos stricto sensu? Objetivos: avaliar a presença de sofrimento mental, comportamento suicida e fatores associados em pós-graduandos stricto sensu. Metodologia: trata-se de estudo analítico e transversal, desenvolvido com 227 estudantes de pós-graduação de uma universidade pública do estado do Piauí. A coleta de dados ocorreu entre os meses de fevereiro e agosto de 2019, por meio da aplicação de dois instrumentos: Self Report Questionnaire (SRQ-20), Beck Scale for Suicide Ideation (BSI) e um questionário próprio elaborado pelas pesquisadoras. Para a análise estatística, utilizou-se o software Statistical Package for the Social Science (SPSS), versão 22.0. Para comparar as variáveis categóricas, utilizou-se o teste qui quadrado (x²) e o teste exato de Fischer. O teste de Kolmogorov-Smirnov, o teste não paramétrico de Mann-Whitney, o teste de Kruskal-Wallis e o coeficiente de correlação de Spearman também foram utilizados neste estudo. Resultados: os dados revelaram que a população se constituiu, em sua maioria, de mulheres (63%), jovens (90,7%), do Centro de Ciências da Saúde (26,4%), solteiras, divorciadas ou separadas (74%), sem filhos (80,5%), com renda familiar ≥5 salários mínimos (43,9%) e que seguiam a religião católica (77,3%). A maioria cursava o mestrado (74,4%), recebia bolsa de estudo (61,7%), estava no segundo ano (89,4%) e não exercia outra ocupação além da pós-graduação (55,8%). Quanto à presença de sofrimento mental, essa foi encontrada em 46,7% da amostra deste estudo e associou-se significativamente ao sexo, faixa etária, ser aluno bolsista, o nível da pós-graduação, ter apresentado pensamento suicida em algum momento da vida, relacionamento familiar insatisfatório, não receber apoio dos amigos, dificuldade de se relacionar com as pessoas, sentir-se estressado com frequência, não conseguir conciliar estudos com lazer, insatisfação com o tema da pesquisa e o relacionamento com os colegas. Dados referentes ao comportamento suicida revelaram que 1,8% relataram pensamento suicida atual, 32,2% apresentaram pensamentos suicidas ao longo da vida, 19,4% fizeram planos de dar fim à própria vida e 6,8% já haviam tentado suicídio. A prevalência de ideação suicida na semana anterior rastreada pela BSI foi de 6,6%; destes, 5,73% apresentaram ideação suicida moderada a grave. Evidenciou-se que houve associação com o sexo, faixa etária, o tipo de religião, diagnóstico de transtorno mental em algum momento da vida, realização de tratamento, histórico familiar de suicídio/tentativa, relacionamento familiar, presença de estresse, dificuldade de se relacionar com as pessoas, ter vivenciado alguma situação de humilhação cometida pelo orientador, relacionamento com os colegas e sentir-se em um ambiente competitivo. Conclusão: Os resultados encontrados chamam a atenção para os níveis elevados de sofrimento mental e comportamento suicida nos estudantes de pós-graduação. Destaca-se a necessidade de implementação de ações e políticas direcionadas para promoção da saúde mental e prevenção dos agravos psíquicos voltados para a população universitária, especialmente para discentes dos programas de pós-graduação.

  • JEFFERSON ABRAÃO CAETANO LIRA
  • AVALIAÇÃO DO RASTREAMENTO E DA MONITORIZAÇÃO DE PESSOAS COM PÉ DIABÉTICO NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE
  • Orientador : LIDYA TOLSTENKO NOGUEIRA
  • Data: 13/12/2019
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O pé diabético consiste em infecção, ulceração e/ou destruição de tecidos profundos associadas às anormalidades neurológicas e à doença vascular periférica, sendo o rastreamento o levantamento dos fatores de risco e a monitorização o seguimento da assistência. Objetivo: Avaliar o rastreamento e a monitorização de pessoas com pé diabético na Atenção Primária à Saúde. Método: Estudo observacional, analítico e transversal realizado em Teresina, no âmbito da Atenção Primária à Saúde, com 322 pacientes com Diabetes Mellitus (DM) cadastrados no Programa Hiperdia da regional Centro-Norte. A coleta de dados ocorreu nos meses de fevereiro a agosto de 2019. Os dados foram tabulados no Microsoft Excel 2013 e processados no SPSS versão 22.0, mediante estatísticas descritiva e inferencial. Na análise bivariada, utilizaram-se os testes estatísticos Mann-Whitney, Kruskall-Wallis e Qui quadrado de Pearson. A força de associação entre as variáveis categóricas foi aferida pelo Odds Ratio (OR) com Intervalos de Confiança (IC) de 95%. Na análise multivariada, empregou-se a regressão logística binária. Consideraram-se significativos os valores de p<0,05. Este estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Piauí, com parecer n° 2.817.426. Resultados: A maioria dos participantes era idoso jovem (53,4%), sexo feminino (70,2%), pardo (70,2%), com companheiro (62,4%) e renda de um salário mínimo (64%). A maior parte era aposentado (33,2%) e com ensino fundamental incompleto (44,4%). Prevaleceram o DM tipo 2 (94,4%), uso de hipoglicemiantes orais (86%), controle glicêmico inadequado (51,9%), dislipidemia (66,1%) e hipertensão arterial (72%). Em relação aos sinais e sintomas da neuropatia diabética, 49,4% relataram dormência nas pernas e/ou pés, 42,9% dor em queimação, 59% câimbras, 34,5% fraqueza e 66,1% pele seca. O pé direito apresentou mais anormalidade (68,9%), sendo a pele seca e/ou calosidades as complicações mais comuns (57,1%) e 1,9% tinham úlcera. No pé esquerdo, 42,9% apresentaram ausência na percepção de vibração ao diapasão de 128 Hz. Já no direito 8,1% tiveram ausência de sensibilidade protetora plantar ao monofilamento de 10 g. Além disso, 86,3% não tinham sido submetidos ao exame clínico dos pés, 59% apresentaram neuropatia diabética, 3,1% pé diabético, 69,6% risco de pé diabético e 57,8% não receberam qualquer tipo de monitorização. No modelo multivariado, a situação conjugal com companheiro (p=0,007; ORa:0,47; IC:0,27-0,81) e a menor quantidade de complicações nos pés (p<0,001; ORa:0,63; IC:0,51-0,77) foram fatores de proteção para o desenvolvimento do pé diabético e a não realização do rastreamento se mostrou fator de risco (p=0,046; ORa:2,10; IC:1,01-4,39). O controle glicêmico inadequado (p<0,001; ORa:3,02; IC:1,74-5,25), a indisposição para cuidar dos pés (p=0,014; ORa:2,90; IC:1,24-6,79) e a não realização do autoexame dos pés com frequência (p=0,040; ORa:2,11; IC:1,03-4,32) aumentaram as chances para o risco de pé diabético. Conclusão: Os aspectos sociodemográficos, clínicos e o autocuidado interferem no risco de pé diabético. Apesar da maioria dos pacientes com DM apresentar risco de pé diabético, a maior parte não era submetida ao rastreamento e à monitorização. Ademais, o não rastreamento foi fator de risco para o pé diabético, destacando a importância dessa prática na assistência de enfermagem às pessoas com DM.

  • RUTIELLE FERREIRA SILVA
  • RASTREAMENTO DA SARCOPENIA EM IDOSOS NA ATENÇÃO PRIMÁRIA: saberes e práticas do enfermeiro
  • Orientador : MARIA DO LIVRAMENTO FORTES FIGUEIREDO
  • Data: 11/12/2019
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Delimitou-se como objeto de estudo: “os saberes e práticas do enfermeiro da atenção primária no rastreamento da sarcopenia em idosos”, considerando que este distúrbio muscular esquelético caracteriza-se por uma redução progressiva da força e da massa muscular, e tem incidência crescente na população idosa, além de associa-se ao aumento do risco de quedas, fraturas, redução da qualidade de vida, aumento da mortalidade e do tempo de internação em idosos. A prática de rastreio na atenção primária possibilitará a implementação de ações multidisciplinares que promovam a saúde da pessoa idosa, bem como, medidas terapêuticas nutricionais e atividades físicas capazes de provocar o fortalecimento da musculatura. Objetivos: Descrever os saberes do enfermeiro da atenção primária sobre o rastreamento da sarcopenia em idosos; Discutir os saberes e as práticas do enfermeiro da atenção primária no rastreio da sarcopenia em idosos, identificando as possibilidades e dificuldades enfrentadas por este profissional na ação de cuidar de pessoas idosas; e Analisar as demandas e necessidades do enfermeiro da atenção primária para instrumentalizar a ação de rastreamento da sarcopenia em idosos, tendo como base, os conceitos freirianos de aprendizado e conscientização. Referencial Teórico e Temático: O estudo se valeu dos conceitos e das bases teóricas de Paulo Freire para iluminar as discussões sobre os saberes e práticas do enfermeiro na assistência ao idoso na atenção primária. No desenvolvimento da investigação produziu-se uma revisão integrativa acerca da problemática do rastreio da sarcopenia. Metodologia: Trata-se de uma pesquisa de natureza qualitativa, exploratória e descritiva, realizada com 24 enfermeiros da Estratégia Saúde da Família do Município de Timon - MA. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética da Universidade Federal do Piauí, por meio do parecer nº 2.883.274. Os dados foram coletados no período de maio a julho de 2019, por meio de entrevistas semiestruturadas, as quais foram gravadas e posteriormente transcritas, permitindo a formulação de três categorias temáticas. Resultados: A maioria (n=21) dos participantes era do sexo feminino, com idade entre 23 e 44 anos. Quanto a qualificação profissional, 18 participantes cursaram pós-graduação lato sensu, principalmente em Saúde da Família e Saúde Pública, porém, 23 destes não tiveram capacitação em geriatria e/ou gerontologia. As três categorias temáticas foram denominadas: Saberes e práticas do enfermeiro da atenção primária sobre a sarcopenia em idosos; Possibilidades e dificuldades enfrentadas pelo enfermeiro no rastreio da sarcopenia em idosos na atenção primária; e Demandas e necessidades do enfermeiro da atenção primária para instrumentalizar a ação de rastreio da sarcopenia em idosos. Considerais finais: Os achados deste estudo evidenciaram que os saberes e práticas dos enfermeiros da atenção primária referentes ao rastreio da sarcopenia em idosos, mostraram-se insipientes e frágeis, apontando a imperativa necessidade de capacitação da equipe de saúde, em especial, o enfermeiro para a efetivação desta prática na atenção primária e a implementação de um plano de cuidados promocionais e preventivos deste agravo na população idosa, o que resultará numa melhoria da qualidade de vida deste grupo etário.

  • YNDIARA KASSIA DA CUNHA SOARES
  • EFEITOS DO USO DE APLICATIVO MÓVEL NO CONHECIMENTO SOBRE HIV/AIDS ENTRE UNIVERSITÁRIOS DA ÁREA DA SAÚDE
  • Orientador : TELMA MARIA EVANGELISTA DE ARAUJO
  • Data: 02/12/2019
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Os universitários, predominantes jovens, estão inclusos na população prioritária para o Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV) devido altas taxas de infecção e vulnerabilidade. Observa-se conhecimento deficiente sobre o HIV/Aids entre os universitários, o que pode implicar no aumento da vulnerabilidade. Frente a isso, com o intuito de apoiar a prevenção do HIV/Aids tem sido empregado tecnologias de saúde móvel (mHealth), sobretudo através de Smartphones, que são utilizados predominantemente pelos jovens, demonstrando ser uma ferramenta de grande potencial para implementar ações de prevenção entre esse público. Objetivo: Avaliar os efeitos do uso de aplicativo móvel no conhecimento sobre HIV/Aids entre universitários da área da saúde. Método: Trata-se de estudo de intervenção, randomizado, do tipo antes e depois, realizado com 196 universitários da área da saúde da Universidade Federal do Piaui. Os cursos de graduação incluídos foram: enfermagem, farmácia, odontologia e medicina. A coleta de dados ocorreu nos meses de agosto a dezembro de 2018. Utilizaram-se questionários para identificação das características sociodemográficas e comportamentais dos participantes e para avaliação global do conhecimento sobre o HIV, o qual foi categorizado em três níveis ordenados de conhecimento: alto, médio e baixo. Após essa etapa procedeu-se a implementação do aplicativo móvel denominado educ@aids. A seguir, os universitários responderam o questionário pós-intervenção para identificar o efeito da intervenção em relação ao conhecimento sobre o HIV. Os dados foram digitados e analisados com o uso do software SPSS versão 20.0. Os percentis 75 e 25 foram considerados como pontos de corte para o agrupamento da variável nas três categorias de conhecimento: Alto (>75), Médio (75-25) e Baixo (<25). Foram realizadas análises univariadas, por meio de estatísticas descritivas simples e para comparação do conhecimento antes a após intervenção foi utilizado o Teste de McNemar, ao nível de 0,05 de significância, o qual foi recategorizado em médio e alto conhecimento. Resultados: Predominou universitários do sexo feminino (53,6%), idade média de 21,4 anos, solteiro (92,9%), pardos (62,2%), renda familiar de 3-4 salários mínimos, idade média de inicio sexual aos 17 anos, acesso à internet por mais de 5 horas por dia (55,6%), uso de preservativo (78,7%). Identificaram-se equívocos em relação a transmissão, medicação e prevenção do HIV, sendo essas questões modificadas através do uso da intervenção, apresentando significância estatística (p<0,05). Verificou-se que 63,8% dos investigados possuíam médio nível de conhecimento e após a intervenção passou a prevalecer alto conhecimento sobre HIV (72,4%). Conclusão: O uso do educ@aids aumentou o conhecimento sobre HIV/Aids entre os universitários da saúde, ratificando o potencial das tecnologias móveis no contexto da saúde. Entende-se que o acompanhamento do conhecimento dos alunos sobre o HIV/Aids, com o uso de novas tecnologias educativas poderá ter o potencial de minimizar as suas vulnerabilidades em relação à infecção.

  • AYLA MARIA CALIXTO DE CARVALHO
  • FATORES ASSOCIADOS À ADESÃO DE ADOLESCENTES À VACINA CONTRA PAPILOMAVÍRUS HUMANO
  • Orientador : TELMA MARIA EVANGELISTA DE ARAUJO
  • Data: 18/09/2019
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: No Brasil, o câncer do colo do útero é o terceiro tipo de câncer mais frequente entre mulheres, com alta mortalidade, o principal agente etiológico é o Papilomavírus Humano (HPV) e com o objetivo de reduzir esse tipo de câncer, foi implantado a vacina HPV quadrivalente. Objetivo Geral: Avaliar a influência dos fatores sociodemográficos, econômicos e do conhecimento sobre o HPV e sua prevenção na aceitação da vacina HPV quadrivalente entre os adolescentes de 15 anos, em Teresina. Objetivos Específicos: Descrever as características dos adolescentes relacionados aos aspectos sociodemográficos, econômicos e comportamentais; Levantar a situação vacinal contra HPV; Verificar qual o conhecimento dos adolescentes sobre o HPV e a necessidade de se vacinar; Identificar os motivos associados a vacinação contra HPV; Correlacionar a adesão a vacina com os motivos associados a vacinação HPV. Método: Trata-se de um estudo transversal, desenvolvido por meio de inquérito escolar. Foram sorteadas 3 escolas públicas e 3 privadas, para cada área geográfica, perfazendo o total de 24 escolas. Para a coleta de dados utilizou-se uma escala para medir o nível de conhecimento sobre o HPV, que compreende 25 itens de avaliação, apresentado em 4 sub escalas. Além da escala, os adolescentes foram questionados quanto a vacinação ou não contra HPV e a respeito de seus dados sociodemográficos (idade, sexo, raça/cor), econômicos, de orientação e vida sexual. A situação vacinal foi avaliada a partir da informação verbal ou conferência do cartão de vacina do adolescente. Na análise, foi construído um modelo multivariado de regressão logística para investigar fatores associados ao status de vacinação contra HPV, com as variáveis sociodemográficas, econômicos, tomada de decisão, habilidades, sentimentos e conhecimento sobre a vacina contra HPV. Resultados: A população do estudo constituiu-se de 624 adolescentes, na faixa etária de 15 anos, cursando o primeiro ano do ensino médio, 75,6% estudam em escola pública; 60,6% são do sexo feminino; em relação a cor 55,4% são pardos e 22,1% são brancos. Quanto à existência de bens materiais, 26,4% possui telefone fixo, 90,5% tem celular, 90,9% possui internet em casa, os familiares de 57,9% possuem carro e de 46,5% tem moto e 98,2% residem em casa com banheiro interno. Em relação a situação vacinal, 75,5% informaram que tomaram a vacina contra HPV. Os fatores mais associados ao status de vacinação dos adolescentes em toda a amostra, foi ser do sexo feminino e os pais terem se envolvido na decisão de tomar a vacina. Conclusão: Os adolescentes do estudo, apresentam boa condição econômica, parte deles com iniciação sexual de forma precoce, antes dos 15 anos de idade e com diversidade de orientação sexual. O conhecimento em relação a vacina contra HPV, expresso na variável ‘os homens não pegam HPV’, favoreceu a adesão a vacinação, acredita-se que o conhecimento sobre o HPV e sua relação com câncer de colo de útero e demais tipos de lesões e cânceres, podem contribuir no interesse em obter a vacina contra o HPV. A cobertura vacinal encontrada nesse estudo, com as adolescentes foi de 94,4% e, entre os adolescentes do sexo masculino foi de 46,3%. Os dados obtidos na pesquisa, não corresponde a encontrada atualmente, que registra baixa cobertura, portanto é necessário repensar as estratégias de oferta da vacina para esse público.

  • ANNA LARISSA DE CASTRO REGO
  • EFETIVIDADE DE CHECKLIST NA VISITA MULTIPROFISSIONAL PARA SEGURANÇA DO PACIENTE CRÍTICO: ESTUDO QUASE EXPERIMENTAL
  • Orientador : GRAZIELLE ROBERTA FREITAS DA SILVA
  • Data: 22/08/2019
  • Mostrar Resumo
  • Os pacientes críticos estão sujeitos a uma maior quantidade de eventos adversos devido a gravidade de seu estado de saúde e frequência de intervenções invasivas repetidas por profissionais diferentes. Além que o processo de troca de informação entre a equipe multidisciplinar sofre interferências por barreiras que prejudicam o cuidado seguro. No entanto, rounds a beira leito realizados por intensivistas podem melhorar os desfechos. Assim, o objeto deste estudo foi A efetividade do checklist para visita multiprofissional. Dessa forma, objetivou-se Analisar a efetividade de checklist na visita multiprofissional para melhoria dos indicadores de Segurança do Paciente crítico. Trata-se de um estudo quase experimental. O campo de estudo foi composto por uma UTI de um hospital universitário no estado do Piauí, Brasil. Este estudo contemplou 91 profissionais e 233 pacientes internados na UTI entre os meses de julho a dezembro de 2018. A coleta de dados ocorreu mediante o preenchimento das listas de verificações durante as visitas multiprofissionais, do questionário intitulado Pesquisa sobre Segurança do Paciente em Hospitais, questionário sobre opinião do uso do checklist pelos profissionais e coleta pela pesquisadora dos dados clínicos dos pacientes. Os dados foram analisados com auxílio do Software Hospital Survey Excel Tool 1.8 por meio de análise estatística descritiva e software Statistical Package for the Social Sciences com análise descritiva e ainda aplicado o teste de Qui-Quadrado e t de Student, respectivamente. Para todos os testes estatísticos aplicados o nível de significância foi de 5%. O projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Piauí com certificado de apresentação para apreciação ética número 95774418.7.0000.5214. A partir das análises quanto aos profissionais, a maioria avaliou a cultura de segurança como regular e que não relatou nenhuma notificação nos últimos 12 meses. Caracterizou-se como dimensões de cultura de segurança fortes expectativas e ações do gestor/ promoção da segurança do paciente pela gestão, e como dimensões frágeis ou com oportunidade de melhoria, suporte e gerenciamento para segurança do paciente, percepções gerais da segurança do paciente, frequência de eventos relatados, trabalho em equipe entre as unidades, transferências e passagem e plantão e resposta não punitiva ao erro. No que diz respeito ao preenchimento dos checklists, os planos terapêuticos não obtiveram 50% de preenchimento, o que sugere pouco registro por parte dos profissionais. Sobre a opinião do uso do checklist, os profissionais afirmaram que a visita aumentou a compreensão sobre o quadro clínico apresentado pelo paciente e contribuiu de forma positiva na comunicação e para aumentar segurança do paciente na UTI. Porém, que as visitas guiadas pelo checklist despendiam de um temo prolongado e que muitos não preencheram efetivamente os campos destinados, sendo sugerido alteração da dinâmica adotada. Quanto aos pacientes, não foi evidenciado diferença estatística entre as características clínicas com o grupo comparação e o grupo intervenção. E houve diminuição da incidência de indicadores que podem sugerir o aumento de medidas profiláticas, no entanto, não houve redução da taxa de mortalidade e tempo médio internação.

  • MARIA ADELAIDE DUARTE CLAUDINO
  • CONSTRUÇÃO E AVALIAÇÃO DE CARTILHA EDUCATIVA PARA PREVENÇÃO DE ACIDENTES DE TRÂNSITO COM IDOSOS
  • Orientador : ANA MARIA RIBEIRO DOS SANTOS
  • Data: 29/05/2019
  • Mostrar Resumo
  • O aumento na proporção e longevidade da população idosa associado as limitações próprias do envelhecimento e a crescente inserção desse segmento no cenário do trânsito tem levado a um número maior de idosos vítimas de acidentes de transportes, tornando a questão um problema de saúde pública mundial. Por ser um evento previsível e evitável, é necessário buscar estratégias para prevenção e assim, manter a segurança nas vias, preservando a vida dessa parcela vulnerável, mas significativa da sociedade. Objetivo: Descrever o processo de construção e avaliação de uma cartilha educativa para prevenção de acidentes de trânsito com idosos. Método: Trata-se de um estudo metodológico iniciado em dezembro de 2017 e que foram utilizadas as seguintes etapas: diagnóstico situacional, por meio de grupos focais realizados com 24 idosos das unidades básicas de saúde dos bairros Promorar, Parque Piauí e Saci no município de Teresina- Piauí; revisão integrativa; elaboração da cartilha e as etapas de avaliação do material por juízes especialistas e pelo público-alvo. Para a coleta de dados foram utilizados o Mini Exame do Estado Mental, instrumento de avaliação de aparência adaptado do Suitability Assessment of Materials, Instrumento de Validação de Conteúdo Educativo em Saúde e formulários de caracterização sociodemográfico, clínico e para condução dos grupos focais. No processamento de dados dos grupos focais foi utilizado o software Iramuteq, obtendo-se a análise por meio da Classificação Hierárquica Descendente. O estudo atendeu as exigências da Resolução 466/12 e o parecer favorável à sua realização foi emitido pelo Comitê de ética em Pesquisa da Universidade Federal do Piauí. Resultados e Discussão: No diagnóstico situacional, desenvolvido nos grupos focais com idosos, extraiu-se informações acerca dos conhecimentos e opiniões sobre os acidentes de trânsito, com elaboração das categorias: fiscalização e punição às infrações de trânsito, o envelhecimento e o trânsito, estratégias de prevenção no trânsito na percepção dos idosos e medidas de segurança para pedestres idosos. A etapa de revisão integrativa resultou em uma amostra de 20 artigos que responderam à questão do estudo. Após isso, realizou-se a elaboração da cartilha a partir das informações levantadas anteriormente e consultado um designer para confecção das ilustrações. Para a etapa de avaliação do conteúdo e aparência foram selecionados 22 juízes, conforme critérios pré-estabelecidos, que avaliaram a cartilha como adequada com Coeficiente de Validade de Conteúdo total de 0,92, constatando-se um excelente nível de concordância entre as respostas e pelo de Kappa, com grau de concordância de valores entre medianos a excelentes, de 0,52 a 0,83. Quanto a aparência do material a partir do escore do Suitability Assessment of Materials, todos os 22 idosos participantes avaliaram a cartilha com índices de 86 a 100%, ou seja, o material foi considerado excelente por eles. Conclusão: A construção e avaliação da cartilha educativa “Segurança dos idosos no trânsito: a vida em primeiro lugar!” passou por um rigoroso processo de desenvolvimento do material e avaliação. Entretanto, mesmo com os resultados positivos das avaliações, a cartilha sofreu modificações, ajustes e acréscimos diante das sugestões e contribuições, a fim de torná-la mais eficaz no seu propósito, de forma que passou de 24 para 28 páginas em sua versão final. Acredita-se que o uso deste material pelos idosos proporcionará um ir e vir com segurança e qualidade, tendo em vista que se constitui em uma tecnologia ilustrada, capaz de facilitar a aquisição de conhecimentos por parte destes, memorização dos riscos e ações de prevenção relacionados aos acidentes de trânsito.

  • ALINE BEATRIZ ROCHA PAULA
  • TRADUÇÃO E ADAPTAÇÃO TRANSCULTURAL DO STUDENT NURSE STRESS INDEX PARA O BRASIL
  • Orientador : MARCIA TELES DE OLIVEIRA GOUVEIA
  • Data: 26/04/2019
  • Mostrar Resumo
  • A epidemiologia dos transtornos mentais tem chamado atenção nos últimos anos. Dentre eles, o estresse vem se destacando entre enfermeiros e estudantes. Portanto, a avaliação dos fatores estressores, mais especificamente nesta população, é de suma importância para o entendimento e enfrentamento do problema. Com isso, este estudo teve como objetivo, traduzir e adaptar transculturalmente o Student Nurse Stress Index para a realidade brasileira. Trata-se de estudo metodológico de tradução e adaptação transcultural com base em referencial teórico específico e, que possui as seguintes etapas: tradução e síntese das traduções, retrotradução e síntese das retrotraduções, revisão pelo comitê de especialistas, pré-teste e revisão final. O instrumento foi desenvolvido por Jones e Johnston em 1999, no Reino Unido, e conta com 22 itens organizados numa escala do tipo likert. Foram utilizadas duas amostras: uma de especialistas (3) e outra de estudantes de enfermagem (40). Os dados foram coletados a partir de instrumentos próprios e/ou adaptados (questionário socioeconômico, de avaliação e traduções) e foi utilizado o software Statiscal Package for Social Sciences para análise descritiva e o cálculo dos coeficientes Kappa e alpha de Cronbach. A pesquisa foi aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Piauí com parecer número 2.640.836. Considerando a amostra de estudantes que participaram do estudo, pode-se perceber que a maioria deles era do sexo feminino (90%), solteiros (87,5%), desempregados (80%), estuda em média 11 horas por semana e dorme 6 horas por dia; e, avaliaram como muito boa a face e o conteúdo do instrumento concordando substancialmente (kappa 0,74 e p-valor igual a 0). A amostra de juízes obteve uma concordância regular em suas avaliações e, o instrumento traduzido (SNSI-Brasil) demonstrou uma boa consistência interna (0,80). Sendo assim, concluiu-se que o SNSI-Brasil é válido quanto a face e conteúdo e possui uma boa consistência interna podendo ser comparado as suas outras versões utilizadas em outros países. Contudo, vale salientar que ainda se faz necessário um estudo de validação do instrumento.

  • FRANCISCA FABIANA FERNANDES LIMA
  • TRADUÇÃO E ADAPTAÇÃO TRANSCULTURAL DO HOSPITAL NURSES QUALITY OF WORK LIFE QUESTIONNAIRE PARA O BRASIL
  • Orientador : MARCIA TELES DE OLIVEIRA GOUVEIA
  • Data: 24/04/2019
  • Mostrar Resumo
  • A qualidade de vida do enfermeiro hospitalar abrange aspectos físicos, psicológicos e sociais. Portanto, sua avaliação deve ser multidimensional para melhoria das condições de trabalho. Nesse sentido, objetivou-se traduzir e adaptar transculturalmente o instrumento Hospital Nurses Quality of Work Life Questionnaire (HNQWLQ) para o português do Brasil. Trata-se de um estudo metodológico desenvolvido com base no referencial teórico de Beaton et al (2007), que abrangeu tradução, síntese das traduções, retrotradução, revisão por um comitê de experts, realização de pré-teste e revisão final. O instrumento foi criado na China, em 2016, para avaliação da qualidade de vida de enfermeiros que trabalhavam em âmbito hospitalar. Essa pesquisa foi desenvolvida em um hospital público localizado no município de Teresina-Piauí, instituição referência para a região nordeste e que possui um elevado quantitativo de enfermeiros. A amostra foi composta por dois grupos de participantes, o primeiro formado por 5 experts, conforme recomenda Nielsen (1993). Esse grupo foi composto por uma doutora em ciências que trabalha com a temática tradução e adaptação de instrumentos de medidas, três doutores em ciências com atuação na área de saúde do trabalhador, e uma doutora em ciências que possui expertise na temática qualidade de vida. O segundo grupo, para realização do pré-teste, foi formado por 30 enfermeiros que prestam serviços assistenciais no âmbito hospitalar, sendo a amostra selecionada por conveniência. Os critérios de inclusão para os experts foram baseados em Fehring (1994) e para os enfermeiros foi estar em exercício profissional por período mínimo de 6 meses. A coleta de dados foi realizada por meio das traduções, retrotraduções e aplicação do pré-teste. A análise qualitativa de equivalência semântica, idiomática, conceitual e cultural foi desenvolvida, bem como a análise quantitativa dos dados com o Statistical Package for the Social Sciences versão 22.0. O estudo respeitou todos os preceitos éticos contidos na Resolução 466/2012 do Conselho Nacional de Saúde, e possui parecer 2.570.003. O processo de tradução e adaptação transcultural seguiu rigorosamente todas as etapas preconizadas por Beaton e colaboradores, sendo a tradução realizada por dois brasileiros e as retrotraduçoes por uma irlandesa e um canadense. A análise das equivalências semântica, idiomática, cultural e conceitual foi desenvolvida pelo grupo de experts para obtenção da harmonização e naturalização ao idioma português brasileiro. Cabe ressaltar que, a maioria das modificações foram realizadas na seção de dados sociodemográficos. De acordo com o cálculo do coeficiente Kappa de Fleiss a concordância entre os experts foi classificada como leve. Os enfermeiros que participaram do pré-teste eram predominantemente do sexo feminino, com faixa etária compreendida entre menos de 26 a 50 anos. Na realização do pré-teste, houve resistência dos enfermeiros para participação, devido a extensão do questionário, no entanto após consentimento positivo consideraram o instrumento como bom e de fácil compreensão. Desse modo, o instrumento traduzido e adaptado manteve suas propriedades psicométricas originais, apresentou boa concordância entre as equivalências semântica, idiomática, cultural e conceitual entre os experts, e é compreensível ao público para o qual foi adaptado. Portanto, está adequado para avaliação da qualidade de vida de enfermeiros hospitalares do Brasil.

  • MARCELO PRADO SANTIAGO
  • NARRATIVAS DE MULHERES SOBRE O USO DE PLANTAS MEDICINAIS NO PERÍODO GRAVÍDICO-PUERPERAL
  • Orientador : INEZ SAMPAIO NERY
  • Data: 17/04/2019
  • Mostrar Resumo
  • O relacionamento e o interesse humano no meio ambiente, e especialmente vegetais, remonta a milhares de anos. A gravidez é um período em que a mãe está disposta a usar qualquer meio para garantir uma boa gravidez, incluindo o uso de plantas medicinais, às vezes indistintas. Esta pesquisa tem como objetivo descrever o conhecimento que as mulheres detêm a cerca da promoção da saúde com o uso de plantas medicinais e analisar a forma de uso de plantas medicinais/fitoterápicos por mulher e suas implicações para os cuidados básicos de saúde durante o período gravídico-puerperal. É um estudo de abordagem qualitativa, tipo exploratório descritivo, utilizando o método narrativa de vida, de Daniel Bertaux. Teve como participantes da pesquisa foram 12 puérperas internadas em um maternidade pública de referência da cidade de Teresina-PI. Utilizou-se a entrevista como técnica de produção de dados, por meio de um formulário para obtenção de informações sociodemográficas, culturais e gineco-obstétricas e da pergunta norteadora "Fale-me a respeito de sua vida que tenha relação com o usos de plantas medicinais na gravidez, parto e puerpéio". Os resultados compreenderam a caracterização das participantes e as narrativas de vida das mulheres sobre as formas de uso das plantas medicinais e fitoterápicos no período gravídico-puerperal, emergindo assim quatro categorias temáticas: uso das plantas medicinais e fitoterápicos no período gravídico-puerperal, indicação empírica sobre a utilização de plantas medicinais/fitoterápicos; emoções e sentimentos de mulheres a cerca do uso de plantas medicinais no período gravídico-puerperal; plantas medicinais usadas como meio abortivo por mulheres. A principal forma de uso de plantas medicinais relatada por meio de "chá", utilizando para os mais diversos fins (calmante, indutor da contração uterina, analgésico, anti-inflamatório, profilático contra infecções, ansiolítico, depurativo sanguíneo, abortivo). As indicações empíricas, realizados por familiares, principalmente mães e avós, foram predominantes neste estudo. Os sentimentos de confiança e medo na utilização das plantas medicinais foram os mais relatados, assim como o arrependimento na realização da interrupção da gravidez, por meio do uso de plantas medicinais. Esse estudo possibilita a caracterização do panorama das participantes em relação à forma de como as plantas medicinais foram e são utilizadas no período gravídico-puerperal. Característica que auxilia a fomentar o planejamento de ações que devem ser elaboradas para definir melhor critério e a melhor forma de uso das plantas medicinais na gravidez, uma vez que esta ação possui benefícios e malefícios, e ficou caracterizado que nem todas as mulheres possuem o conhecimento necessário para identificar a melhor forma de utilizar plantas medicinais na gestação.

      

     

  • INGRID MOURA DE ABREU
  • GERENCIAMENTO DE RISCOS PARA A SEGURANÇA DO PACIENTE: AÇÕES DO ENFERMEIRO
  • Orientador : FERNANDA VALERIA SILVA DANTAS AVELINO
  • Data: 10/04/2019
  • Mostrar Resumo
  • A deficiência na segurança do paciente causa aumento do risco da ocorrência de erros e eventos adversos. Para que o paciente receba uma assistência de excelência com uma exposição ao mínimo de riscos à sua saúde é imprescindível a implementação do gerenciamento de riscos. Neste sentido, este estudo tem como objetivos discutir o conhecimento dos enfermeiros sobre Gerenciamento de Riscos e Segurança do paciente, conhecer os riscos para a segurança do paciente mais frequentes, discutir a atuação reativa e proativa dos enfermeiros diante dos riscos para a segurança do paciente, elaborar coletivamente, um Plano de Ações de enfermagem voltado para o gerenciamento do risco prioritário identificado. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, baseada no referencial metodológico da pesquisa Convergente-Assistencial, desenvolvido nos postos de internação de um hospital acreditado, na cidade de Teresina-PI. Para a construção dos dados foram utilizadas entrevistas semiestruturadas e grupo focal, participaram deste estudo 22 enfermeiros. A análise qualitativa dos dados obtidos foi realizada pelo software IRAMUTEQ, para a análise do texto definiu-se o método da Classificação Hierárquica Descendente, para a análise de conteúdo utilizou-se a técnica de análise temática ou categorial de Minayo. O projeto do presente estudo foi encaminhado para apreciação no Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Piauí, aprovado com parecer: 2.404.180 e CAAE: 79588917.0.0000.5214. Dos relatos analisados pela técnica de conteúdo de Minayo emergiram três categorias: Segurança do paciente e gerenciamento de riscos na perspectiva de enfermeiros, Gerenciamento de riscos: Um olhar para a atuação reativa, Atitudes e vivências: Consolidando um gerenciamento de riscos proativo. Os resultados revelaram que os profissionais possuem conhecimento sobre a essência do significado e aplicabilidade dos temas, refletindo o avanço que se obteve nos últimos anos. Como riscos mais frequentes destacam-se o risco de queda, risco de lesão por pressão, risco de erro de medicação e risco de extravasamento de quimioterapia, este último identificado como prioritário pelos participantes. No tocante a atuação reativa frente aos erros, nota-se uma fase de transição, em que os profissionais entendem a importância do estabelecimento de uma cultura de aprendizagem, mas a cultura punitiva e cultura de culpa ainda se mostra presente. Essa fase de transição também é percebida nos discursos associados à cultura de segurança, presente nas atitudes de avaliação de riscos e utilização de protocolos para manutenção da segurança do paciente. Os grupos focais resultaram na construção coletiva da proposta do Plano de Ações de enfermagem voltado para o gerenciamento do risco de extravasamento de quimioterapia. Dessa forma, considerou-se que mesmo com a evolução que os profissionais e instituições de saúde têm passado com relação a segurança do paciente e cuidado seguro, ainda é necessário abolir algumas características culturais que impedem esse progresso, como a cultura punitiva e abordagem não sistêmica dos erros, associando isso a prática de educação permanente é possível alcançar melhorias significativas na qualidade da assistência prestada. Espera-se que o diálogo entre profissionais e a troca de experiências auxiliem no planejamento dos cuidados, tornando possível sugerir planos de cuidados assistenciais com foco na segurança e qualidade.

  • NATHALIA KELLY DE SOUSA ANDRADE
  • OBJETO VIRTUAL DE APRENDIZAGEM PARA INTERPRETAÇÃO DE GASES SANGUÍNEOS ARTERIAIS PELA ENFERMAGEM
  • Orientador : ELAINE MARIA LEITE RANGEL ANDRADE
  • Data: 22/03/2019
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: a revolução tecnológica teve disseminação rápida na sociedade, por meio das tecnologias de informação e comunicação, as quais permitem a propagação de informações de forma ágil e horizontal, reduzindo barreiras espaciais. A informática tem sido aliada do ensino de qualidade, no qual se inserem os objetos virtuais de aprendizagem para facilitar o processo de ensino-aprendizagem. A necessidade de assistência segura impõe que o enfermeiro atualize os conhecimentos para interpretação de gases sanguíneos arteriais, pois a amostra da gasometria arterial revela alterações respiratórias e metabólicas do paciente. Objetivo: avaliar um objeto virtual de aprendizagem para interpretação de gases sanguíneos arteriais pela Enfermagem entre enfermeiros atuantes nas áreas de clínica médica e ou terapia intensiva. Método: estudo metodológico de abordagem quantitativa, realizado no período de julho a novembro de 2018, após aprovação no Comitê de Ética em Pesquisa que seguiu o Design Instrucional Contextualizado constituído por cinco etapas: análise, design, desenvolvimento, implementação e avaliação. A qualidade do objeto virtual foi avaliada por oito enfermeiros que atuavam nas áreas de clínica médica e ou terapia intensiva, por meio do Learning Object Review Instrument. Resultados: desenvolveu-se o objeto virtual para interpretação de gases sanguíneos arteriais pela Enfermagem, que foi hospedado no Ambiente Virtual de Aprendizagem do Canvas. O conteúdo digital é composto por seis Unidades: introdutória, componentes da gasometria arterial e valores de normalidade, desequilíbrios acidobásicos, compensação dos desequilíbrios acidobásicos, interpretação do exame de gasometria arterial por meio do método de Romanski, resolução de casos clínicos e avaliação do objeto virtual. Evidenciou-se que dos itens avaliados, a qualidade do conteúdo e alinhamento dos objetivos de aprendizagem receberam melhores avaliações, com escores 4 e 5. Os itens feedback e adaptação, design de apresentação e acessibilidade receberam avaliações inferiores a 3 (bom), entretanto, a maioria das respostas estava atribuída a escore igual ou acima de 3. Os enfermeiros tiveram alta porcentagem de concordância com relação a qualidade do objeto virtual, exceto para acessibilidade. Conclusão: o objeto virtual de aprendizagem para interpretação de gases sanguíneos arteriais pela Enfermagem foi considerado válido pelos enfermeiros atuantes nas áreas de clínica médica e ou terapia intensiva, no que diz respeito a qualidade. Em estudo futuro pretende-se realizar a validação técnica do objeto virtual com pessoas da área de Informática e implementá-lo com alunos de Enfermagem e enfermeiros que trabalham em ambientes de cuidados críticos de saúde.

  • ANA PAULA MOUSINHO TAVARES
  • ADAPTAÇÃO TRANSCULTURAL E VALIDAÇÃO DO HEALTH PROFESSIONAL EDUCATION IN PATIENT SAFETY SURVEY PARA O CONTEXTO BRASILEIRO
  • Orientador : LIDYA TOLSTENKO NOGUEIRA
  • Data: 22/03/2019
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: pesquisas que avaliem quantitativamente, por meio de instrumentos de medidas, o ensino sobre segurança do paciente, constituem uma lacuna na produção científica brasileira. Portanto, há uma premência de adaptar e validar instrumentos capazes de mensurar o conhecimento e as competências em segurança do paciente. OBJETIVO: adaptar transculturalmente e validar para o português do Brasil o Health Professional Education in Patient Safety Survey. METODOLOGIA: estudo metodológico de adaptação transcultural e validação do instrumento Health Professional Education in Patient Safety Survey. A adaptação transcultural consiste em cinco etapas: 1- tradução inicial; 2- síntese das traduções; 3- retrotradução (backtranslation); 4- análise das equivalências; 5- Pré-teste. Nesse estudo, a etapa 5 referente ao pré-teste foi combinada à etapa 1 do processo de validação por se tratar de mesma amostra. A validação de conteúdo foi finalizada com a análise de conteúdo feita pela comissão de especialistas. A amostra foi constituída por três grupos, o primeiro com seis enfermeiros que formaram a comissão de especialistas I, o segundo com seis enfermeiros que compuseram a comissão de especialistas II, e o terceiro formado por 34 estudantes de enfermagem que participaram da etapa de validação. Os dados foram analisados pelo programa Statistical package for social Science; para o cálculo da extensão de concordância entre os especialistas da validação, foi calculado o coeficiente de validade de conteúdo, e o valor médio do Kappa de Cohen para análise das equivalências. A pesquisa atendeu as normatizações éticas nacionais e obteve aprovação no Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Piauí. RESULTADOS: A tradução incial foi realizada por dois tradutores indenpendentes (T1 e T2), em seguida, foi confeccionada a versão síntese das traduções (T12). Na terceira etapa, a síntese das traduções foi submetida a retrotradução, gerando duas versões m inglês (RT1 e RT2). A comissão de especialistas analisou as equivalências semântica, idiomática, experimental e conceitual das versões (T1, T2, T12, RT1 e RT2) e a versão original do instrumento. A versão pré-final foi submetida a pré-teste realizado com os estudantes de enfermagem, os quais sugeriram alterações. Por fim, esta versão foi submetida à validação de conteúdo originando a versão final. CONCLUSÃO: a versão brasileira foi traduzida, adaptada e validada em seu conteúdo, considera-se o tratamento das propriedades psicométricas do instrumento, como confiabilidade e validade, para afirmar que o instrumento adaptado reflete medidas confiáveis e reais sobre o construto alvo.

  • KHELYANE MESQUITA DE CARVALHO
  • EFEITOS DE INTERVENÇÕES EDUCATIVAS NA QUALIDADE DE SONO DE IDOSOS: ESTUDO RANDOMIZADO CONTROLADO
  • Orientador : MARIA DO LIVRAMENTO FORTES FIGUEIREDO
  • Data: 27/02/2019
  • Mostrar Resumo
  • Objetivo: Comparar a efetividade de intervenção educativa mediada por cartilha com orientações de enfermagem durante visita domiciliar na melhora de parâmetros da qualidade de sono de idosos. Método: Tratou-se de estudo multimétodo, realizado a partir de pesquisa metodológica (na qual foi construída e validada cartilha educativa) e de ensaio randomizado controlado, no qual ocorreu comparação entre intervenções educativas, em dois grupos distintos, distribuídos randomicamente, a partir do software R. No grupo 1 (62 idosos) as intervenções foram mediadas por cartilha educativa e no grupo 2 (64 idosos) por orientações de enfermagem. Ambas as intervenções foram realizadas durante visita domiciliar. Os testes estatísticos foram realizados com nível de significância de 5% e intervalo de confiança de 95%. A construção da cartilha educativa considerou o compilado de duas revisões integrativas sobre uso de terapia não farmacológica para sono e os tipos de intervenções educativas exitosas para idosos. Além de utilizar o modelo teórico de crença em saúde e resultados obtidos em três grupos focais. As diretrizes éticas preconizadas pela Resolução 466/12 foram respeitadas e os resultados desta investigação encontram-se submetidos para apreciação no Registro Brasileiro de Ensaios Clínico (ReBEC). Resultados: A cartilha foi considerada válida quanto ao conteúdo e aparência ambos com I-CVI igual a 1 e as sugestões de juízes e público alvo, para pequenos ajustes, foram consideradas. No tocante ao experimento, a população foi composta por 126 idosos com qualidade de sono prejudicada, de ambos os sexos, assistidos pela ESF do município de Bom Jesus-PI. A significância estatística no grupo submetido às orientações de enfermagem mediada por cartilha foi confirmada na melhora de seis parâmetros dos 10 analisados (p>0,001). O grupo submetido às orientações verbais de enfermagem também apresentou melhora significativa em seis dos 10 parâmetros analisados (p>0,001). Os grupos se mostraram semelhantes e apenas os parâmetros minutos para dormir e preocupação foram estatisticamente diferente nos dois grupos. A semelhança dos grupos se deveu a parâmetros tais como PSQI, EPWORT, qualidade do sono (em boa, ruim ou distúrbio do sono), dificuldade para dormir em até 30 minutos, eficiência do sono, autoclassificação do sono, acordar no meio da noite e despertar noturno para ir ao banheiro. Conclusão: A intervenção educativa mediada por cartilha e orientações de enfermagem melhoram parâmetros da qualidade de sono de idosos.

  • ÍTALO ARÃO PEREIRA RIBEIRO
  • CONSUMO DE SUBSTÂNCIAS PSICOATIVAS POR TRABALHADORES DE SAÚDE
  • Orientador : MARCIA ASTRES FERNANDES
  • Data: 27/02/2019
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: o trabalho é compreendido como uma atividade imprescindível para a vida do indivíduo. Assim, as condições e aspectos que permeiam a sua funcionalidade e o seu ambiente, afetam diretamente os indivíduos envolvidos nesse meio, o que, por sua vez, podem ocasionar diversos problemas de origem física, mental, psíquica e social, dando margem para esses trabalhadores buscarem no consumo de substâncias psicoativas, uma solução rápida e de alívio para os transtornos acarretados pelo trabalho. Objetivo: avaliar o uso de substâncias psicoativas por trabalhadores de saúde de um serviço hospitalar. Método: estudo analítico-observacional, transversal realizado em uma instituição de saúde, de alta complexidade e referência no atendimento às urgências do estado do Piauí, realizado no período de março/2017 a outubro de 2018. A amostra foi constituída por 289 trabalhadores de saúde, de diferentes categorias profissionais, efetivos e que se encontravam há mais de um ano em atividade laboral na referida instituição. Para a coleta dos dados foi utilizado um questionário para caracterização sociodemográfica, ocupacional, de saúde autorreferida e de consumo de substâncias psicoativas, elaborado pelos próprios pesquisadores, além dos instrumentos: Teste de Identificação de Problemas Relacionados ao Uso de Álcool (AUDIT) e o Teste de Triagem do Envolvimento com Álcool, Cigarro e outras Substâncias (ASSIST). Utilizou-se o Software Statistical Package for the Social Science (SPSS), versão 22.0, para a realização da análise estatística descritiva e os testes de Kolmogorov-Smirnov, Qui Quadrado de Person, U de Mann-Whitney e o WALD para análise inferencial dos dados. O estudo atendeu as exigências da Resolução 466/12 do Conselho Nacional de Saúde e o parecer favorável à sua realização foi emitido pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Piauí. Resultados: entre os 289 participantes predominaram trabalhadores do sexo feminino178 (61,6%), com faixa etária média de 35,4 anos, casados 127 (43,9%), religião católica 214 (74,0%), com escolaridade de nível técnico 131 (45,3%) e categoria profissional de Técnico em Enfermagem 144 (49,8%). Quanto aos aspectos ocupacionais, observou-se que o grau de exigência para a rotina de trabalho foi considerado alto por 165 (57,09%) e o grau da carga de trabalho foi alto para 145 (50,2%). Quanto aos tipos de exigências do trabalho: físico - alto para 128 (44,3%), mental - alto para 203 (70,2%) e emocional - alto para 168 (58,1%). Em relação ao grau de satisfação com o trabalho, prevaleceu o moderado 143 (49,5%). No que se refere às condições de saúde autorreferidas, a maioria dos participantes negaram a existência de qualquer doença crônica 239 (82,7%), quanto ao estado de saúde atual 130 (45,0%) a classificaram como bom, enquanto que 180 (62,3%) dos participantes consideraram o estado de saúde, antes do trabalho, como muito bom, sendo o cansaço mental 119 (41,2%), cansaço físico 112 (38,8%), o estresse 110 (38,1%) e a ansiedade 96 (33,2%), os principais agravos de saúde mais citados, relacionados ao trabalho. No que tange o consumo de SPAs, verificou-se a prevalência do consumo de álcool 170 (41,40%), seguido do tabaco 77 (18,70%). Entre as substâncias de uso hospitalar e de prescrição médica, observou-se a prevalência dos hipnóticos/ sedativos 50 (12,20%), antidepressivos 47 (11,40%), e em seguida, os opiáceos 30 (7,30%). Conclusão: constatou-se que o consumo de SPAs é uma realidade presente na rotina dos trabalhadores de saúde, sendo mais prevalente entre as categorias médica, enfermagem e técnico em enfermagem, evidenciando o álcool e o tabaco como as principais substâncias mais consumidas.

  • NAYANA SANTOS ARÊA SOARES
  • POLÍTICA DE REDUÇÃO DE DANOS: conhecimentos, concepções e práticas dos profissionais da Estratégia de Saúde da Família
  • Orientador : MARCIA ASTRES FERNANDES
  • Data: 26/02/2019
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A Política de Redução de Danos (PRD) surge como proposta desafiadora para as políticas públicas de saúde, especificamente por promover um delineamento de atenção direcionada aos usuários de substâncias psicoativas. A dicotomia entre as ações de liberdade e o paradigma da abstinência dificulta a consolidação de estratégias de saúde que sejam efetivamente direcionadas à necessidade individual do usuário, com o intuito de minimizar riscos e agravos à saúde. Objetivo: Analisar os conhecimentos, concepções e práticas dos profissionais da Estratégia de Saúde da Família (ESF) em relação à Política de Redução de Danos. Metodologia: Constituiu-se de um delineamento qualitativo, desenvolvido com vinte e quatro profissionais da Estratégia de Saúde da Família do município de Teresina, Piauí. A coleta foi realizada durante os meses de janeiro a abril de 2018 com uso da entrevista semiestruturada, seguida pela análise dos dados processados através do programa de software IRAMUTEQ, por meio da Análise de similitude e pelo método da Classificação Hierárquica Descendente. Resultados: Emergiram dois segmentos, cada um composto por duas classes: Segmento 01: Política de Redução de danos como estratégia de cuidados na Estratégia de Saúde da Família; e Segmento 02: Conhecimento sobre a Política de Redução de Danos. No primeiro, evidenciamos, na Classe 3, algumas ações de redução de danos desenvolvidas no cotidiano dos profissionais da ESF, enquanto que, na Classe 4, foi possível compreendermos a existência de possíveis articulações entre a Estratégia Saúde da Família (ESF) e o Centro de Atenção Psicossocial (CAPS). No segundo segmento, houve a representatividade, na Classe 1, da concepção dos profissionais da ESF sobre a PRD, e a Classe 2 descreve o conhecimento dos profissionais sobre esta política. Conclusão: Os profissionais de saúde da ESF reconhecem a PRD como promissora, no momento em que admitem a necessidade de assistirem cada usuário em suas singularidades. Contudo, o cotidiano de suas práticas revela que são tímidas as ações efetivamente desenvolvidas e que ainda existe um enorme caminho a ser trilhado.

  • GISELLE MARY IBIAPINA BRITO
  • PREVALÊNCIA DA INFECÇÃO PELO HIV EM PESSOAS QUE VIVEM EM SITUAÇÃO DE RUA
  • Orientador : ROSILANE DE LIMA BRITO MAGALHAES
  • Data: 19/02/2019
  • Mostrar Resumo
  • Este estudo tem como objetivo estimar a prevalência da infecção pelo Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV) em pessoas que vivem em situação de rua, em Teresina-Piauí. Trata-se de um estudo descritivo-transversal realizado no Centro de Referência para a população em situação de rua (Centro Pop). Os dados foram coletados no período de setembro de 2017 a setembro de 2018, por meio de um formulário estruturado, validado quanto à forma e ao conteúdo. Foi realizado o aconselhamento pré-teste e, em seguida, teste rápido para detecção do HIV. Os casos reagentes foram encaminhados, para o Serviço de Assistência Especializado. Os dados foram digitados no Microsoft Office Excel for Windows 2013 e exportados para o Programa Statistical Package for the Social Sciences (SPSS) versão 20.00. As diferenças entre as proporções foram verificadas mediante aplicações dos testes Qui-quadrado de Pearson com correção ao nível de significância 5% (<0,05). O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa (CEP) da Universidade Federal do Piauí. Participaram do estudo 204 pessoas em situação de rua, e a prevalência do HIV foi 3,9%. Do total, teve predomínio do sexo masculino (87,3%), com idade que variou de 20 a 70 anos, com média de 37,01 anos, 24,5% estão em situação de rua entre 1 a 5 anos, 89,7% declararam ser heterossexuais, 68,1 % tiveram a primeira relação sexual entre 13 a 18 anos. Em relação ao consumo de drogas, 64,7% já consumiram Crack e 33,3% ainda usam, 62,7% já fizeram o uso da cocaína, e 16,7% ainda a utilizam. Pessoas que vivem em situação de rua apresentam comportamento de risco elevado quando vivenciam circunstâncias que os expõem frequentemente ao HIV. Uma prevalência de 3,9% para o HIV foi considerada elevada quando comparada com outras populações. Recomendam-se ações educativas para ampliar o conhecimento das pessoas em situação de rua, principalmente, relacionado às medidas de prevenção do HIV e redução do consumo de drogas, com vistas à diminuição das práticas de risco para a infecção pelo vírus HIV.

  • LORRAINIE DE ALMEIDA GONÇALVES
  • RASTREIO DO CONSUMO DE BEBIDAS ALCOÓLICAS EM GESTANTES ATENDIDAS NA ATENÇÃO PRIMÁRIA DO PIAUÍ
  • Orientador : CLAUDETE FERREIRA DE SOUZA MONTEIRO
  • Data: 15/02/2019
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O consumo de bebida alcoólica é fator de risco para o surgimento de problemas de saúde, consequências familiares, sociais e laborais. Ressalta-se um crescimento preocupante do padrão de consumo no universo feminino. Nesse universo, atenção especial deve ser dada às gestantes, visto que o uso de álcool durante a gravidez pode atingir o feto e produzir graves consequências para o desenvolvimento da criança, muitas delas com sequelas que invadem a vida adulta. Objetivo: realizar o rastreio do consumo de bebida alcoólica entre gestantes atendidas na atenção primária do Piauí. Metodologia: estudo transversal, descritivo, realizado mediante utilização do banco de dados, parte do macroprojeto intitulado “Violência, consumo de álcool e drogas no universo feminino: prevalências, fatores de risco e consequências à saúde mental. Os dados do banco de interesse desse estudo foram coletados de agosto de 2015 a março de 2016, por meio da aplicação do Alcohol Use Desorders Identification Test (AUDIT) e de um questionário estruturado e multidimensional contendo perguntas relacionadas aos aspectos socioeconômicos e às condições de saúde. Foram analisados dados de 75 mulheres que informaram estarem grávidas durante a coleta. Utilizou-se o software Statistical Package for the Social Science (SPSS), versão 22.0 e foram realizadas estatísticas descritivas, como medidas de tendência central (frequência simples, média, moda, mediana, intervalo mínimo e máximo). O desenvolvimento do estudo ocorreu em conformidade com as exigências das diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos, regidas pelas Resoluções n.º 466/2012 e n.º 510/2016. Resultados: A amostra caracterizou-se, predominantemente, por gestantes na faixa etária de 20 a 29 anos, não brancas, católicas, com companheiro, com oito anos ou mais de estudo e renda menor ou igual a dois salários mínimos. A maioria sem gestação anterior, sem morbidade e sem planejamento da gestação. A prevalência do consumo de álcool, a partir do AUDIT, foi de 40,0% para as gestantes, com padrão de consumo mensal. Conclusão: o rastreamento do consumo de bebidas alcoólicas entre gestantes na atenção primária deve ser utilizado para observar aspectos da saúde materno-infantil e para priorizar ações de educação em saúde. Faz-se necessário a formulação e o fortalecimento de estratégias e políticas públicas que abordem tais problemáticas no contexto de uma assistência integral e humanizada à saúde das mulheres.

  • VANESSA MOURA CARVALHO DE OLIVEIRA
  • ADESÃO E AVALIAÇÃO DA SOROCONVERSÃO À VACINA CONTRA HEPATITE B EM PESSOAS QUE VIVEM EM SITUAÇÃO DE RUA
  • Orientador : ROSILANE DE LIMA BRITO MAGALHAES
  • Data: 06/02/2019
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A hepatite B é um problema de saúde pública no mundo, considerando possibilidades de complicações hepáticas e prevalências elevadas com diferenças regionais. A forma mais eficaz de prevenção é através da vacinação contra essa infecção. Pesquisas mostram que a completude vacinal de três doses contra hepatite B tem sido difícil em populações de maior vulnerabilidade. Objetivo: avaliar a adesão e soroconversão à vacina contra hepatite B utilizando o esquema vacinal acelerado em pessoas que vivem em situação de rua. Método: Inicialmente realizou-se um estudo transversal para estimar a prevalência dos marcadores sorológicos da hepatite B. A seguir, foi realizada uma intervenção da vacina contra hepatite B nos participantes suscetíveis. O estudo foi realizado no Centro de Referência Especializado para População de Rua (Centro POP) no período de setembro de 2017 a setembro de 2018. O recrutamento dos participantes foi realizado por meio da amostragem não probabilística por conveniência. A coleta de dados foi desenvolvida seguindo as etapas: aplicação de um formulário, testagem rápida para detecção de hepatite B, coleta de 5ml de sangue periférico para pesquisa dos marcadores sorológicos HBsAg, Anti-HBc e Anti-HBs e vacinação contra hepatite B seguindo o regime de esquema acelerado de 0, 7 e 21 dias e realização do exame para detecção do marcador sorológico anti-HBs após 30 dias da terceira dose. Foi realizada a análise de frequência estatística descritiva e utilizado o teste de qui-quadrado e Wilconxon para testar a significância de diferenças entre proporções. Valores de p < 0,05 foram considerados estatisticamente significantes. O projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa (CEP) da UFPI com número de parecer 1.755.893. Resultados: foram entrevistadas 205 pessoas que vivem em situação de rua. Predominou o sexo masculino (86,8%), 52,2% tinham entre 31 e 49 anos, o estado civil da maioria foi solteiro (73,2%), cerca de 68,8% relataram possuir mais de 12 anos de estudo. Com relação ao comportamento sexual, 89,8% informaram ser heterossexuais, a maioria (68,3%) relatou idade de 13 a 18 anos na primeira relação sexual, a prática sexual vaginal foi a mais referida (64,5%). O consumo de álcool foi informado por 62,4% dos entrevistados. Do total de participantes, 138 (67,3%) realizaram exame para detecção de marcadores sorológicos da hepatite B e foram vacinados com a primeira dose de vacina para evitar as perdas. A prevalência geral da hepatite B foi de 39,9%. Após análise dos exames sorológicos, 84(60,8%) estavam elegíveis para a administração da segunda dose de vacina contra hepatite B. Desses, 38(27,5%) receberam a segunda dose de vacina e 8(5,8%) completaram o esquema vacinal. Foi realizado o exame para detecção do marcador sorológico Anti-HBs em 6 (75%) participantes sendo 5 (83,3%) com resultado reagente. O participante que não imunizou tinha 43 anos com relato de consumo de álcool e outras drogas há mais de quinze anos. A média geométrica dos títulos após a completude do esquema vacinal foi de 32,08. Conclusão: a adesão ao esquema vacinal acelerado contra hepatite B foi considerada baixa quando comparada com outros estudos. Recomenda-se investimento em estratégias de vacinação contra hepatite B e melhoria do acesso aos serviços de saúde e rede de apoio para ampliar oportunidades de vacinação para essa população. Sugere-se a realização de outros estudos tendo como base a vulnerabilidade programática a que estão expostos.

2018
Descrição
  • TEREZA CRISTINA ARAÚJO DA SILVA
  • SÍNDROME LOCOMOTORA EM IDOSOS E FATORES ASSOCIADOS
  • Orientador : MARIA DO LIVRAMENTO FORTES FIGUEIREDO
  • Data: 27/12/2018
  • Mostrar Resumo
  • A síndrome locomotora consiste em uma condição clínica caracterizada por uma redução das funções de mobilidade em virtude dedisfunção em órgãos locomotores. Esta tem se mostrado fortemente associada aos principais distúrbios musculoesqueleticos prevalentes na população idosa; impactando significativamente na capacidade funcional do idoso, pondo-o em risco potencial de tornar-se dependende de cuidados de terceiros. Diante da relevância da temática em questão, a presente pesquisa objetivou avaliar a prevalência da Síndrome Locomotora (SLo) em idosos de um núcleo de atenção ao idoso e os fatores associados. Trata-se de um estudo do tipo transversal, com amostragem do tipo não-probabilística, por conveniência. A amostra foi composta por 204 idosos. A coleta de dados ocorreu no período de março à novembro de 2018, e se deu por meio da aplicação de um formulário para caracterização sociodemografica, clinica e de ocorrencia de quedas; da escala geriatrica da função locomotora de 25 itens (GLFS-25-P) e do índice de vulnerabilidade clínico-funcional de 20 itens (IVCF-20).Os dados foram analisados por meio do pacote Stata® versão 12, sendo realizadas análises estatísticas descritivas e inferenciais.O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética da Universidade Federal do Piauí e atendeu os termos preconizados da Resolução 466/2012 do Conselho Nacional de Saúde (CNS). Dos participantes 85,8% eram do sexo feminino, com idade média de 70,4 anos; 34,3% referiram ter o ensino fundamental incompleto; 60,7% se auto declararam da cor pardae 93,6% possuiam uma fonte de renda. Quanto as características de estilo de vida88,7% referiram não consumir bebida alcóolica; 98% não fumar e todos os participantes prativacavam atividade fisica regularmente, na frequencia de 4 vezes e mais na semana.A hipertensão arterial sistêmica e doenças musculoesqueleticas, representadas pela osteoporose e artrose, foram autoreferidas, respectivamente, por 64,7% e 65,6% dos participantes. Quanto a ocorrência de quedas no último ano, 64,7% relataram não terem tido nenhum epsidódio de queda. No que concerne ao grau de vulnerabilidade clínico funcional,62,7% e 27,9% dos idosos  foram classificados, respectivamente, como baixo e moderado risco. A prevalência da SLo entre os idosos participantes foi de 37,2%. Em relação ao risco, 29% foi classificado em nível de risco I para a SLo. A prevalência da SLo apresentou uma associação estatisticamente significativativa com a coexistência de mais de uma patologia de base; com as doenças: Hipertensão arterial sistêmica, osteoporose, artrose e obesidade; com o o histórico de hospitalização no último anos; uso de algum apoio ou recurso para auxiliar a andar ou enxergar melhor; e ao grau de vulnerabilidade clíncio-funcional. Com o estudo identificou-se um baixa prevalência da SLo entre os idosos de um núcleo de promoção da terceira idade; e um percentual, não tão significativo, de idosos em nível de risco 1. No que concerne ao instrumento utilizado para rastreamento e diagnóstico da SLo, a Escala geriátrica da função locomotora de 25 itens (GLFS-25-P), se mostrou de fácil e rápida aplicação, e de fácil compreensão pelo idoso; sendo uma ferramenta útil e importante a ser considerada na avaliação global da pessoa idosa; podendo facilmente ser aplicada por qualquer profissional da saúde, inclusive pelo o enfermeiro; desde que estes tenha conhecimento da SLo quanto a sua etiologia, manifestações clínicas, rastreamento, diagnóstico e tratamento.O que remete a necessidade de que essa condição de saúde seja mais investigada e discutida em ambito nacional, a fim de se mobilizar profissionais, gestores e a própria comunidade quanto a sua relevância.

  • KARINNA ALVES AMORIM DE SOUSA
  • CONSTRUÇÃO, VALIDAÇÃO E EFEITO DE APLICATIVO MÓVEL NO CONHECIMENTO SOBRE HIV ENTRE ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS
  • Orientador : TELMA MARIA EVANGELISTA DE ARAUJO
  • Data: 21/12/2018
  • Mostrar Resumo
  • O Brasil é o país mais afetado pela epidemia da Aids na América Latina, com um terço dos casos, apresentando maior crescimento entre jovens e adolescentes. Entre as populações prioritárias estão os estudantes universitários, que são predominantemente jovens. A população juvenil possui grande interesse em utilizar aplicativos móveis (apps), pois tem a possibilidade de conectar e acessar grande volume de dados e informações com mobilidade, flexibilidade e interação. A construção do conhecimento tem sido influenciada pelo uso da tecnologia, uma vez que esta exerce grande fascínio, sobretudo entre os jovens. Esta pesquisa tem como objetivo: desenvolver aplicativo móvel e analisar seu efeito no conhecimento de estudantes universitários sobre o HIV. Trata-se de estudo com dois subestudos: um metodológico e um de intervenção, randomizado, do tipo antes-depois. A coleta de dados será realizada no período de março a agosto de 2018, com uma amostra estratificada de 409 estudantes dos diferentes Centros de ensino da Universidade Federal do Piauí, nas seguintes etapas: 1 – Análise: levantamento das necessidades de informações sobre o HIV por meio de enquete; Randomização dos cursos e turmas para seleção dos estudantes; Aplicação do questionário “pré-intervenção” para avaliar conhecimento sobre o HIV; 2 – Design e desenvolvimento: construção e validação do aplicativo Educ@ids; 3 – Implementação: divulgação e orientações para o uso do aplicativo Educ@aids pelos estudantes universitários que compõem a amostra; 4 – Avaliação: levantamento da opinião dos participantes sobre o uso do aplicativo; aplicação do instrumento pós-intervenção para avaliar efeito do aplicativo no conhecimento sobre o HIV. A avaliação global do conhecimento sobre o HIV será definida com escores categorizados em três níveis ordenados de conhecimento: alto, médio e baixo. Será realizada uma análise descritiva das variáveis explicativas por meio de distribuição de frequência das variáveis categóricas e medidas de tendência central das variáveis contínuas. Os valores dos percentis 75 e 25 serão considerados como pontos de corte para o agrupamento da variável nas três categorias de conhecimento: Alto (>75), Médio (75-25) e Baixo (<25). Com o objetivo de avaliar se houve melhoria no conhecimento dos alunos sobre HIV após intervenção educativa, serão realizadas análises bivariadas e multivariadas. A comparação será realizada por meio do Teste de McNemar, ao nível de 0,05 de significância entre duas proporções com as amostras pareadas, quando será analisada a proporção de estudantes que melhoraram o conhecimento.

  • JONAS ALVES CARDOSO
  • LIMITAÇÃO DE ATIVIDADE FUNCIONAL E PARTICIPAÇÃO SOCIAL EM HANSENÍASE: FATORES ASSOCIADOS EM ÁREA HIPERENDÊMICA DO NORDESTE BRASILEIRO
  • Orientador : TELMA MARIA EVANGELISTA DE ARAUJO
  • Data: 21/12/2018
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: A hanseníase é considerada uma doença prioritária no âmbito da saúde pública no Brasil e em vários outros países. Milhares de pessoas são acometidaspela hanseníase no mundo e muitas sofrem com o estigma e o preconceito associados às incapacidades físicas e deficiências provocadas pela doença.OBJETIVO: Analisar a limitação de atividade, consciência de risco, o grau de restrição à participação social e fatores associados em pessoas acometidas pela hanseníase.MÉTODO: Estudo transversal, analítico, o qual buscou abordar toda a população diagnosticada com hanseníase residente no município de Floriano-PI e incluídas no SINAN, no período de 2001 a 2014. Foram avaliadas 228 pessoas. Para digitação e qualificação da base de dados foi usado o programa Epi-Info™, versão 7.1.3., e para as análises estatísticas, o SPSS, versão 20.0. Foram realizadas análises univariadas e para as bivariadas foi utilizado o teste Qui-quadrado. As variáveis que na análise bivariada apresentaram valor de p<0,20 foram submetidas à regressão logística. RESULTADOS: Houve predominância de pessoas do sexo feminino, faixa etária economicamente ativa, preta/parda, de religião católica, casadas, com ensino fundamental, renda entre um a dois salários mínimos, com moradia própria e que não recebiam ajuda de familiares e/ou amigos e nem de programas sociais. Foi observado maior proporção de paucibacilares (57,89%), forma clínica indeterminada (41,23%), com grau 1 de incapacidade física (60,09%). A maioria das pessoas não possuía limitação de atividade funcional(53,51%), a consciência de risco teve prevalência do escore zero (58,77%). Com relação a restrição à participação social, a expressiva maioria não apresentou restrição (81,5%).A limitação da atividadefoi associada a faixa etária de 20 a 29 anos e 60 anos ou mais; situação conjugal separado; ocupação aposentado e ter grau 1 ou grau 2 de incapacidade física; Apresentaram-se como fator de proteção: não possuir diabetes; a ausência de diagnóstico de depressão; a ausência de incapacidade de longa duração; qualidade de vida após hanseníase boa e muito boa; não receber ajuda.Verificou-se associação significativa entre a limitação de atividade funcional e consciência de risco, assim como entre limitação de atividade e participação social. Conclusão: Existe contexto de desigualdade social instalado e padrão clínico característico com a fase inicial da doença, sendo que alguns destes fatores pontuados estão associados a limitação de atividade e restrição a participação social relacionados a hanseníase. 

  • FRANCISCA ALINE AMARAL DA SILVA
  • LUTAS SIMBÓLICAS DE DOCENTES E DISCENTES PARA CRIAÇÃO DO CURSO DE ENFERMAGEM
  • Orientador : BENEVINA MARIA VILAR TEIXEIRA NUNES
  • Data: 20/12/2018
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Entre os anos de 2002 e 2008 discentes e docentes desenvolveram lutas simbólicas para criação e inserção do Curso de Bacharelado em Enfermagem no Centro de Ciências da Saúde da Universidade Estadual do Piauí. O resultado dessas lutas promoveu a aquisição de capital simbólico aos agentes sociais e consequente reconhecimento do curso. Objetivos: Os objetivos do trabalho são: descrever os antecedentes históricos da criação dos cursos de enfermagem do CCS da UESPI, compreender as estratégias de luta para a transferência dos alunos dos municípios-polos para Teresina e seu processo de formação e analisar as lutas simbólicas dos discentes e docentes para a inserção do curso de Enfermagem no CCS da UESPI. Método: Trata-se de uma pesquisa sócio-histórico, com base nos conceitos de poder simbólico, violência simbólica, campo, habitus e capital do sociólogo Pierre Bourdieu. A produção dos dados foi embasada na história oral temática segundo Meihy e tiveram duração média de 45 minutos. Foram realizadas dezessete entrevistas com: cinco coordenadores do curso de enfermagem, seis egressos, dois diretores do Centro de Ciências da Saúde e quatro docentes. Os documentos utilizados foram atas de reunião de Conselho de Centro, memorandos, ofícios, leis e decretos que tratavam sobre o curso de enfermagem e fontes iconográficas. O projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética e Pesquisa da Universidade Federal do Piauí com o número de parecer 2.139.940. Resultados: Os resultados foram agrupados em três capítulos: Antecedentes históricos para criação do curso de Enfermagem no Centro de Ciências da Saúde; Estratégias e mobilizações dos docentes para conclusão do curso em Teresina e Lutas simbólicas para inserção da primeira turma de Enfermagem no campus de Teresina da Universidade Estadual do Piauí – 2008 a 2012. Os achados apontam que a Universidade Estadual passou por um processo desordenado de expansão com oferta de Cursos de Bacharelado em Enfermagem em vários municípios de forma desordenada. Desse modo, os discentes e docentes elaboraram estratégias de lutas com intuito da transferência dos alunos para campi estruturados. No entanto as condições precárias do curso de enfermagem causaram descontentamento e os agentes sociais empreenderam novas lutas. Como resultado foi possível o reconhecimento do Curso de Bacharelado em Enfermagem e a oferta de vagas no ano de 2008 para a cidade de Teresina. A partir do ingresso da primeira turma outras estratégias foram elaboradas para a efetiva inserção do curso. Conclusão: O Curso de Bacharelado em Enfermagem na cidade de Teresina foi criado em 2008 e lutas simbólicas foram travadas por seus agentes sociais para seu reconhecimento no ambiente acadêmico e na sociedade piauiense, que resultou em ganho de capital pelos integrantes do curso de enfermagem.

  • CLAUDIA DANIELLA AVELINO VASCONCELOS BENICIO
  • AVALIAÇÃO DO IMPACTO DE BLOG NA AUTOCONFIANÇA DE PACIENTES E CUIDADORES PRATICANTES DO CATETERISMO INTERMITENTE LIMPO
  • Orientador : LIDYA TOLSTENKO NOGUEIRA
  • Data: 18/12/2018
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A internet possibilitou inovação nas áreas da Educação e Saúde, facilitando o acesso a conteúdos pouco explorados, como o Cateterismo Intermitente Limpo, cujo desconhecimento repercute negativamente na vida das pessoas comprometendo o seu bem-estar em vários aspectos. Objetivo: Avaliar o impacto deblog sobre o Cateterismo Intermitente Limpo na autoconfiança de pacientes e cuidadores. Materiais e métodos: Trata-se deestudo multimétodos, constituído portrês subestudos. O primeiro, transversal e analítico, intitulado Pacientes e cuidadores praticantes do Cateterismo Intermitente Limpo e suas necessidades; o segundo: Construção e Validação em aparência, conteúdo e ergonomia de blog acerca dos cuidados de enfermagem no Cateterismo Intermitente Limpo e, o último: quase experimental,comparandoa autoconfiança dos participantes antes e após a implementação do blog.A pesquisa foi realizada em estabelecimento de saúde pública, localizado em Teresina.A amostra foi constituída por 41 pacientes e 16 cuidadores,homens e mulheres, com idade a partir de 18 anos. Os dados foramprocessados pelosSoftwares livres “R” versão 3.5.1 e PSPP versão 1.1.0. As variáveis quantitativas foram avaliadas por meio de estatística descritiva e as qualitativas usando proporção, com intervalos de confiança de 95%.Aplicaram-seo teste binomial para verificar a concordância entre os juízes (≥ 85%), e o teste de proporções para estimar a autoconfiança entre os participantes. Na análise inferencial, não paramétrica, utilizaram-se ostestesde Fischer e Qui-quadradrona avaliação das dificuldades apresentadas na prática do CIL pelos participantes e o de McNemar, ao nível de 0,05 de significância entre duas proporções com as amostras pareadas, avaliandose os participantes melhoraram ou não a autoconfiança após a apresentação do blog.Resultados: Após identificação das necessidades dos participantes quanto à prática do CIL, desenvolveu-se o blog PortalCIL cujo menu compõe seis abas: ‘PortalCIL’;‘Contato Direto e Opinião’; ‘Links Úteis e Referências’; ‘Equipe’; ‘Ferramentas’e ‘Auto-avaliação e Perguntas Frequentes’. O blog foi validado por 08 juízes em Enfermagem, quanto ao conteúdo; e por 05 juízes em Informática, quanto à aparência e ergonomia. As recomendações dos juízes foram atendidas quase em sua totalidade. Em seguida o blog foi apresentado aos participantes para avaliação e comparação da autoconfiança, antes e depois. Os participantes avaliaram o blog satisfatoriamente - avaliação global 95,1% (p-valor 0,951). Houve impacto positivo na autoconfiança dos participantes quanto à prática do CIL, de forma global (22,2%) e por item avaliado da Escala de autoconfiança (28,4%). Os itens mais impactantes positivamente foramos que questionam sobre a ‘escolha de usar ou não o lubrificante no momento de introduzir o cateter na bexiga’ (66,7%); seguidos da ‘capacidade de realizar o CIL’; ‘escolher o material a ser utilizado durante o CIL’ e ‘lavar as mãos antes do procedimento’ (50,0%). Não houve impacto negativo na autoconfiança dos participantes após a apresentação do blog.Conclusão: A adoção de tecnologia – blog  como estratégia educacional na assistência à saúde, demonstrou resultados positivos quanto à prática do cateterismo intermitente limpo por pacientes e cuidadores, visto que impactou na melhoria da autoconfiança dos participantes quanto à aspectos importantes inrerentes à prática do CIL.

  • PRISCILA MARTINS MENDES
  • CULTURA DE SEGURANÇA DO PACIENTE EM UNIDADES BÁSICAS DE SAÚDE DE UMA CAPITAL DO NORDESTE BRASILEIRO
  • Orientador : FERNANDA VALERIA SILVA DANTAS AVELINO
  • Data: 17/12/2018
  • Mostrar Resumo
  • O sistema de saúde vem se tornando mais complexo, necessitando de ações que promovam o cuidado seguro. Para tanto, é necessário o estabelecimento de uma cultura de segurança dentro do ambiente de saúde. É mais comum ouvir falar de segurança do paciente nos ambientes hospitalares do que na atenção primária à saúde (APS). A APS presta assistência a um quantitativo expressivo da população, com demandas dentro e fora da Unidade Básica de Saúde (UBS). O objetivo deste estudo foi avaliar a cultura de segurança do paciente na atenção primária à saúde na perspectiva dos profissionais da equipe multiprofissional e das áreas de apoio. Trata-se de um estudo transversal desenvolvido nas UBS da zona urbana de uma capital do Nordeste. A população foi constituída por profissionais efetivos do município inseridos na equipe multiprofissional (profissionais da saúde) e nas áreas de apoio (administrador, gerente e diretor administrativo) com amostra estratificada (por zonas), totalizando 332 participantes. Os dados foram coletados em três zonas territoriais da capital (zona norte/centro, leste/sudeste e sul). Os dados foram coletados entre os meses de novembro de 2017 a fevereiro de 2018. Para análise utilizou a estatística descritiva e analítica. A pesquisa recebeu aprovação do Comitê de Ética e Pesquisa da Universidade Federal do Piauí sob o parecer de nº 2.216.556 e CAAE 72543317.8.0000.5214. O perfil dos profissionais demonstra que a idade variou entre 22 e 71 anos, com média e desvio padrão de 43,1±9,9 anos e intervalo de confiança de 95% de 41,9-44,2 anos. Quanto a variável sexo, há predominância de mulheres com percentual de 80,4%. Com relação ao grau de instrução, 31,6% dos participantes possuem pós-graduação. O Cargo mais frequente (52,4%) foi “outro pessoal clínico” que envolve diversas categorias, seguido dos técnicos de enfermagem (27,1%) e dos enfermeiros (15,1%). Na categoria outro pessoal clínico, os agentes comunitários de saúde (ACS) se destacaram com 66,9%. No que pertence ao tempo de trabalho na profissão, as três zonas apresentaram com maior frequência de 16 a 20 anos (23,2%) seguido de 11 a 15 anos (22,3%). Quanto ao conhecimento dos participantes sobre segurança do paciente, nas três zonas, 65,4% dos participantes nunca fizeram curso de segurança do paciente. Quanto ao significado de segurança do paciente, 53,9% dos participantes responderam corretamente o conceito da temática. Em contrapartida, 33,1% responderam que segurança do paciente é correspondente ao conceito de dano instituído pela Organização Mundial de Saúde. Quanto as dimensões, as áreas fortalecidas foram “trabalho em equipe”, “seguimento da assistência ao paciente”, “aprendizagem organizacional” e “percepção geral sobre segurança do paciente e qualidade”. Como áreas de melhoria, as dimensões que apresentaram fragilidades foram “pressão no trabalho e ritmo” e “apoio dos gestores na segurança do paciente”.

  • ALINY DE OLIVEIRA PEDROSA
  • SOBRECARGA DE CUIDADORES INFORMAIS DE PACIENTES ONCOLÓGICOS EM TRATAMENTO RADIOTERÁPICO
  • Orientador : LIDYA TOLSTENKO NOGUEIRA
  • Data: 17/12/2018
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Os cuidadores informais geralmente são parentes, parceiros ou amigos próximos que têm um relacionamento pessoal significativo com o paciente, fornecem assistência, mas a maioria não está preparada para a mudança de rotina e para assumir cuidados específicos. Objetivo: Avaliar a sobrecarga entre cuidadores informais de pacientes oncológicos em tratamento radioterápico. Metodologia: Trata-se de um estudo observacional, transversal e analítico, desenvolvido com 209 cuidadores informais e pacientes oncológicos em tratamento radioterápico. A coleta de dados foi realizada no setor de Radioterapia em um hospital de referência para tratamento oncológico em Teresina, no período de janeiro a maio de 2018, por meio da aplicação do Questionário de Avaliação da Sobrecarga do Cuidador Informal (QASCI), do Formulário para caracterização sociodemográfica dos cuidadores informais e aspectos relacionados ao cuidado e do Formulário para caracterização demográfica, clínica e terapêutica dos pacientes. As análises foram realizadas por meio de estatísticas descritiva e inferencial, com a aplicação dos testes ANOVA, Teste t de Student, Mann-Whitney, Kruskal-Wallis e o Coeficiente de Correlação de Spearman. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética da Universidade Federal do Piauí, com o parecer nº 2.379.697. Resultados: Predominaram cuidadores do sexo feminino 165 (78,95%) com idade média de 39,7 anos, 114 (54,55%) casados, 98 (46,89%) com ensino médio completo, 133 (63,64%) pardos, 105 (50,24%) desempregados, 121 (57,89) com renda de 1 a 2 salários mínimos, 84 (40,19%) procedentes de Teresina Piauí e 148 (70,81%) católicos. Em relação ao tempo destinado ao cuidado, 129 (61,72%) cuidam por tempo superior a 12 horas por dia, 86 (41,15%) dos cuidadores são os filhos, exercendo essa função há mais de seis meses 62 (44,02%). A média de idade dos pacientes foi de 58,5 anos, com predomínio do sexo feminino 128 (61,24%). Quanto à localização do câncer, foi frequente a região cabeça e pescoço 46 (22,01%), com diagnóstico a mais de seis meses 94 (44,98%), realizando radioterapia e quimioterapia concomitantes 80 (38,28%). A média total de sobrecarga foi de 74,63, com destaque para o domínio “Implicações na vida pessoal”. Observou-se associação significativa do escore total de sobrecarga com as variáveis relacionadas à caracterização dos cuidadores e dos pacientes. Conclusão: Cuidar de pacientes com câncer em tratamento radioterápico gera moderada sobrecarga física, emocional e social. Faz-se necessário que a Enfermagem promova intervenções que incluam o cuidador junto ao paciente no plano terapêutico da equipe multiprofissional.

  • DANIEL DE MACÊDO ROCHA
  • IMPACTO DA RADIODERMATITE NA QUALIDADE DE VIDA DE PACIENTES ONCOLÓGICOS
  • Orientador : LIDYA TOLSTENKO NOGUEIRA
  • Data: 17/12/2018
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A avaliação da qualidade de vida em pessoas com radiodermatite pode fornecer um perfil global das condições funcionais, psicossociais e da percepção da vida, visando avaliar os resultados terapêuticos na perspectiva do paciente e planejar o processo de reabilitação e a avaliação de cuidados. Objetivo: Avaliar o impacto da radiodermatite na qualidade de vida de pacientes oncológicos. Método: Trata-se de um estudo observacional, longitudinal e prospectivo realizado em uma instituição de referência para tratamento oncológico de Teresina. A amostra foi constituída por 196 pacientes com idade igual ou superior a 18 anos e prescrição mínima de 12 sessões radioterápicas. Para coleta de dados, realizada entre janeiro a julho de 2018, foram utilizados formulários para caracterização sociodemográfica, clínica e terapêutica e para avaliação da radiodermatite e instrumento de qualidade de vida European Organization for Research and Treatment of Cancer Quality of Life Questionnaire-Core30. A análise dos dados foi realizada com base nos princípios da estatística descritiva e inferencial. Este estudo atendeu as exigências da Resolução 466/12 e o parecer favorável à sua realização foi emitido pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Piauí. Resultados: Predominaram pacientes do sexo feminino 126(64,29%), com idade média de 55,37±13,49 anos, casados 125(63,78%), aposentados 78(39,80%), procedentes do interior do Piauí 89(45,41%) e com histórico familiar da doença 112(57,14%). O local mais acometido pelo câncer foi a mama 52(26,53%) e 70(35,71%) participantes realizaram quimioterapia concomitante. A radiodermatite apresentou maior incidência na região inguinal 73(33,24%) e mama 54(27,55%), grau I 115(58,67%), com tecido de epitelização 118(60,20%) e sem exsudato 144(73,47%). Quanto aos métodos terapêuticos, destacou-se a aplicação tópica da compressa com camomila 189(96,43%) e do creme de aloe vera 182(92,90%). A mensuração da qualidade de vida antes e após a radiodermatite mostrou a presença de diferenças significativas (p<0,001) nas escalas saúde global, funcional, sintomas e dificuldade financeira, bem como nos domínios função física, desempenho de papeis, função emocional, cognitiva, social, fadiga, náusea e vômito, dor, insônia e falta de apetite, evidenciando nos pacientes com a lesão pior qualidade de vida, redução da capacidade funcional, intensificação dos sintomas físicos e das dificuldades financeiras. Conclusão: Evidenciou-se que a radiodermatite impacta negativamente na qualidade de vida das pessoas acometidas. Estudos dessa natureza tornam-se imprescindíveis para formulação de políticas públicas efetivas, integradas, sustentáveis e baseadas em evidências.

  • NADYELLE ELIAS SANTOS ALENCAR
  • QUALIDADE DE VIDA RELACIONADA À SAÚDE E O RENDIMENTO ACADÊMICO DE ADOLESCENTES
  • Orientador : GRAZIELLE ROBERTA FREITAS DA SILVA
  • Data: 14/12/2018
  • Mostrar Resumo
  • O adolescente, por características próprias da fase, está exposto a riscos capazes de interferir na sua Qualidade de Vida Relacionada à Saúde (QVRS) e limitar suas perspectivas futuras. Nesse sentido, além de comprometer a saúde, estudos recentes elucidam que a QVRS pode influenciar ou até mesmo definir as características escolares dos adolescentes. Desse modo, objetiva-se relacionar a QVRS com o Rendimento Acadêmico (RA) de adolescentes no contexto de variáveis sociodemográficas, atributos familiares, hábitos, comportamentos e questões de saúde. Trata-se de um estudo transversal correlacional realizado em dois Campus de um Instituto Federal de Ensino. Participaram da pesquisa, 289 adolescentes. Foram excluídos os alunos que, no período da coleta dos dados, tiveram a matricula cancelada ou trancada, foram transferidos, jubilados ou evadiram da escola. A coleta dos dados ocorreu entre os meses de maio a agosto de 2018 e envolveu a utilização de três instrumentos: KIDSCREEN-52; Instrumento para caracterização do participante e; Formulário para registro dos dados escolares. Os dados foram tabulados em planilha eletrônica Microsoft Office Excel e analisados no programa IBM Statistical Package for the Social Sciences versão 20.0. Para caracterização da população foi feito um estudo descritivo analítico da amostra. Foi realizado teste de normalidade no grupo de variáveis numéricas por meio do teste Kolmogorov-Smirnov, comprovando-se um padrão de distribuição assimétrico ou não-normal. A comparação entre as médias foi realizada por meio do teste U de Mann-Whitney, para amostras independentes com duas categorias. Para verificar associações, no grupo de variáveis categóricas, foi usado o teste Qui-quadrado de Pearson. A análise da relação entre as variáveis numéricas foi estabelecida pela correlação de Spearman. O nível de significância adotado foi de α = 0,05. O estudo foi submetido à apreciação e aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Piauí (parecer nº 2.445.803). A análise do perfil dos participantes revelou média de idade de 15,8 anos (DP±0,9), sendo 173 do sexo feminino e 116 do sexo masculino. Em relação à composição familiar, 54,7% possuem estrutura familiar do tipo nuclear (pai e mãe) e o renda familiar foi de até 2 salários mínimos para 71,3% dos adolescentes. A boa QVRS esteve associada às seguintes variáveis: idade superior a 15 anos (p-valor: 0,028), sexo masculino (p-valor<0,001), residir próximo a escola (p-valor: 0,049), apresentar raros episódios de cefaleia (p-valor<0,001), praticar atividade física (p-valor<0,001), possuir alimentação saudável (p-valor:0,017), estar satisfeito com o peso (p-valor<0,001), e com o sono (p-valor<0,001). No que diz respeito às variáveis escolares, observou-se Índice de Rendimento Acadêmico (IRA) médio de 7,68. Foram identificadas correlações do IRA com duas dimensões da QV: autonomia e tempo livre (correlação negativa) e ambiente escolar (correlação positiva). O estudo traz contribuições importantes para a saúde escolar no que tange à necessidade de discutir e estimular o equilíbrio entre as características escolares e as dimensões da qualidade de vida de adolescentes. Ademais, reforça a necessidade de medidas interventivas que possam identificar desvios na qualidade de vida e propor mudanças.

  • MÁRCIA GABRIELA COSTA RIBEIRO
  • SEGUIMENTO DO RECÉM-NASCIDO PREMATURO POR ENFERMEIROS DA ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA
  • Orientador : SILVANA SANTIAGO DA ROCHA
  • Data: 13/12/2018
  • Mostrar Resumo
  • Os recém-nascidos prematuros, devido à imaturidade dos seus órgãos, apresentam dificuldades no seu desenvolvimento desde o nascimento até os primeiros anos de vida. As vulnerabilidades e riscos aos quais estão expostos exigem cuidados específicos mesmo após a alta hospitalar. Uma vez no ambiente domiciliar, serão os enfermeiros da estratégia de saúde da família, juntamente com os demais membros da equipe, que darão continuidade ao seu atendimento, seja pela prevenção dos riscos associados à prematuridade ou pela promoção da saúde dessas crianças. Desse modo, objetivou-se: analisar as estratégias utilizadas pelos enfermeiros da atenção básica para assistirem o recém-nascido prematuro na sua área de abrangência; descrever as ações que caracterizam a dinâmica assistencial de enfermagem realizada com recém-nascidos prematuros no domicilio; discutir quais dificuldades e facilidades enfrentadas pelos enfermeiros no cuidado domiciliar ao RNPT na atenção básica e elaborar um guia de orientações para o atendimento de prematuros em domicílio para enfermeiros da atenção básica. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, baseado no referencial metodológico da pesquisa convergente assistencial, que teve como participantes treze enfermeiros que trabalham na atenção básica. A produção de dados ocorreu de fevereiro a setembro de 2018, em duas etapas: entrevistas individuais execução de grupos focais. Os discursos foram analisados pela técnica de conteúdo de Bardin. Os resultados encontrados evidenciam que a participação de agentes comunitários de saúde e a comunicação direta com a família são estratégias adotas para promover o cuidado ao prematuro. A falta de contrarreferencia das maternidades e de embasamentos teóricos para assistir as demandas especifica desse público foram apontadas como dificuldades na assistência ao pré-termo em domicilio. Percebe-se que, no tocante as visitas domiciliares, não há um planejamento específico para o prematuro, as condutas adotadas são comuns a todos os recém-nascidos. Porém, a assistência ao aleitamento materno recebe um olhar diferenciado por parte dos enfermeiros.

  • GIOVANNA DE OLIVEIRA LIBÓRIO DOURADO
  • QUALIDADE DE VIDA DE PESSOAS ACOMETIDAS POR HANSENÍASE EM UMA ÁREA ENDÊMICA DO NORDESTE BRASILEIRO: AVALIAÇÃO LONGITUDINAL
  • Orientador : LIDYA TOLSTENKO NOGUEIRA
  • Data: 26/11/2018
  • Mostrar Resumo
  • Intodução: A hanseníase é uma doença negligenciada permeada por discriminação e estigmatização, que ocasiona danos dermatoneurológicos que podem provocar incapacidades físicas. As consequências do adoecimento ultrapassam os aspectos físicos, ocasionando consequências à saúde mental, relacionamentos interpessoais e atividades diárias, interferindo na qualidade de vida (QV). Objetivo: analisar a evolução temporal da qualidade de vida de pessoas acometidas por hanseníase e sua relação com fatores sociodemográficos, clínicos, capacidade funcional e limitação de atividades. Material e métodos: pesquisa observacional, analítica, de delineamento longitudinal realizada no município de Floriano (PI). Para avaliação da qualidade de vida foram utilizados os instrumentos Dermatology Life Quality Index - DLQI, e o Short-Form Health Survey-SF-12. Para avaliação da capacidade funcional o WHO Disability Assessment - WHODAS 2.0, para a limitação de atividades a Screening of Activity Limitation and Safety Awareness-SALSA e um instrumento contendo questões sobre os aspectos sociodemográficos, clínicos e avaliação neurológica simplificada-ANS. A primeira etapa ocorreu em 2015 e 2016, foram avaliadas 256 pessoas. Para a segunda etapa em 2018 buscou-se a reavaliação dos participantes, e incluídos 189 participantes, de forma que a amostra foi pareada para construção dos resultados do estudo. Resultados: a amostra pareada foi constituída por mulheres (51,9%), pardos (48,1%). Entre as duas avaliações verificou-se aumento na parcela dos idosos, na quantidade de aposentados e mudança na renda. Nos dois momentos não houve mudança quanto a categoria mais prevalente com relação a escolaridade, estado civil e religião. Quanto as variáveis clínicas predominaram a forma indeterminada, multibacilar. Houve melhora entre os que relatavam depressão, hipertensão e outras comorbidades e ocorreu piora no caso das diabetes, reações hansênicas e grau de incapacidade física. Ao analisar a evolução da limitação de atividades e capacidade funcional revela melhoria. O resultado do DLQI evidenciou que nos dois momentos do estudo prevaleceram aqueles com pequeno efeito na vida. A avaliação da QV com o uso do SF-12 mostrou melhora nos domínios “capacidade funcional”, “aspectos físicos”, “dor”, “vitalidade” e “coeficiente de saúde física” e piora dos domínios “estado geral de saúde”, “aspectos sociais”, “aspectos emocionais”, “saúde mental” e “coeficiente de saúde mental”. Conclusão: A perspectiva longitudinal evidenciou os aspectos envolvidos na manutenção da QV como: sociais, funcionalidade, atividades, saúde física e mental e, a relação entre características sociodemográficas, clínicas, capacidade funcional, limitação de atividades e o seu impacto na QV. O contexto no qual os participantes do estudo estão envolvidos os expõe a maiores vulnerabilidades. Encerrar a poliquimioterapia não representa um indicador absoluto de melhoria na saúde, pois mesmo após a alta, a hanseníase pode provocar impacto na vida das pessoas, mediante o desenvolvimento de incapacidades, ou agravamento de condições de saúde, ocorrência de reações hansênicas, aspectos que interferem na QV.

  • ELIZABETH SOARES OLIVEIRA DE HOLANDA MONTEIRO
  • PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM NA FORMAÇÃO DO TÉCNICO EM ENFERMAGEM
  • Orientador : BENEVINA MARIA VILAR TEIXEIRA NUNES
  • Data: 09/10/2018
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O processo de ensino-aprendizagem tradicional ainda se constitui em uma realidade na formação técnica de nível médio em enfermagem, o qual é denominado de ensino bancário, em que o discente figura como fiel depositário de conhecimento, desprovido de uma consciência crítica e com prática dissociada do contexto social vivenciado pelo educando. Objetivos: Realizar uma intervenção na prática pedagógica docente para utilização de metodologias inovadoras no curso técnico em enfermagem; realizar um diagnóstico das práticas pedagógicas docentes na formação do técnico em enfermagem;discutir com os docentes do curso técnico em enfermagem a utilização de métodos inovadores no processo de ensino,com a finalidade de (re)significação das práticas pedagógicas docentes;e, analisar os resultados do processo de intervenção nas práticas pedagógicas docentes no curso técnico em enfermagem.Metodologia: Estudo de natureza qualitativa com utilização da estratégia da pesquisa-ação, realizada no Estado do Piauí, Brasil, com 22educadores. Os dados foram produzidos entre julho e agosto de 2017da seguinte forma: um diagnóstico prévio, três seminários com os participantes com atividades motivacionais e desenvolvimento de atividades pedagógicas para aplicação das metodologias ativas e,por fim, uma reunião interna dos resultados. A coleta aconteceu após autorização pelo Comitê de Ética e assinatura do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido por cada participante, no período de julho e agosto de 2017. Para cada seminário foi realizada uma ata com anotação de todo o seminário, além de registros fotográficos e gravação do processo.Tanto as respostas individuais nos instrumentos, como os depoimentos nos grupos construídos, e ainda a participação no coletivo,foram utilizados para serem mapeados e agrupados, de acordo com o significado convergente, a partir dos quais se prosseguiu para a categorização ou classificação dos achados que, conforme Minayo (2007),consiste em agregar vários depoimentos em classes ou categorias. Após a formulação das categorias temáticas, seguiu-se para a análise e discussão dos dados, relacionando os achados com o marco temático e teórico construídos neste estudo. As categorias formuladas foram as seguintes: 1 –Conhecimento dos educadores acerca das metodologias inovadoras para ensinar em cursos técnicos profissionalizantes de técnico em enfermagem; 2 – O educador no processo de ensinar e aprender; e, 3–Limitações e potencialidades para o aprender significativo.Resultados: As metodologias inovadoras são de conhecimento dos educadores na escola pesquisada, mas existe predominância da educação tradicional na condução do aprendizado. Educadores defendem que assuntos difíceis devem ser ministrados em aula expositiva e os fáceis em seminários, teatros ou outra metodologia mais adequada.Os educadores reconhecem que,ao selecionar uma temática, deve-se considerar as necessidades do educando, apesar de não ser essa condução adotada pele maioria deles. Os educadores que trabalham,atualmente,na escola pesquisada informam não ter licenciatura, e sim bacharelado, o que dificulta a utilização de metodologias inovadoras em sala de aula, mas estão procurando melhorar essa prática. Levantam como necessário para atuar em sala de aula: prática docente, conhecimento didático, atualização pedagógica e educador como mediador no processo de ensino-aprendizagem;ainda,mencionam como limitadores do processo de ensinar e aprender,além da pouca prática docente e a interação educador/educando,os currículos engessados e o sistema de avaliação numérico, com predomínio da técnica pela técnica. Considerações finais: No estudo foi constatado que os educadores precisam receber formação permanente para que possam desenvolver melhor a utilização das metodologias inovadoras na sua prática pedagógica. Foi confirmado que muitos dos educadores que contribuíram com essa produção já utilizam,em suas aulas,estratégias metodológicas, mas o predomínio é da pedagogia tradicional, transmissiva.Assim, para que as metodologias inovadoras possam ser ainda mais eficazes é importante à escola investir em ações planejadas e interdisciplinares. As instituições formadoras necessitam instrumentalizar o educador, uma vez que muitos profissionais de saúde que atuam em salas de aulas não têm formação em licenciatura, e tão pouco estudaram nas academias com profundidade a disciplina de didática. Isso permitirá, então, um agir com os educandos sabendo o que se deseja na condução do processo de aprendizagem para a formação de um educando mais crítico e reflexivo e uma educação significativa.

  • DAVID BERNAR OLIVEIRA GUIMARÃES
  • CUIDADOS DE ENFERMAGEM OMITIDOS EM INSTITUIÇÕES HOSPITALARES
  • Orientador : FERNANDA VALERIA SILVA DANTAS AVELINO
  • Data: 27/09/2018
  • Mostrar Resumo
  • Os cuidados de enfermagem são definidos como omitidos quando qualquer aspecto do cuidado necessário ao paciente é omitido ou adiado, podendo ocasionar desfechos inadequados, tendo impacto negativo em sua saúde e na qualidade da assistência. Tem-se como objetivo analisar os cuidados de enfermagem omitidos e suas razões em instituições hospitalares. Estudo de delineamento quantitativo e transversal, realizado em duas instituições hospitalares públicas de grande porte em uma capital nordestina. A coleta ocorreu de março a junho de 2017 no hospital 1 e setembro a dezembro de 2017 no hospital 2. A população foi composta por enfermeiros e técnicos de enfermagem que atuam na área assistencial, com cálculo amostral por meio de uma população finita que resultou em 347 participantes. Foi aplicado o instrumento MISSCARE, constituído em três partes, sendo no primeiro momento caracterização profissional e laboral, no segundo são apresentados os cuidados de enfermagem omitidos e em terceiro as razões dessas omissões. Os dados foram processados no programa Statistical Package for the Social Science, versão 22.0, para a análise bivariada foi utilizado as medidas associativas de significância, por meio dos testes Qui-quadrado (x²), Exato de Fisher e Kruskall Wallis. A pesquisa foi aprovada no Comitê de Ética e Pesquisa da Universidade Federal do Piauí com número CAAE 65415817.7.0000.5214 e número de parecer 1.962.234, como também Instituição Coparticipante com número CAAE 65415817.3001.15613 e número de parecer 2081966. Em relação a caracterização houve um predomínio do sexo feminino, com cargo de técnica de enfermagem, com média de idade de 38,6 anos, nível educacional mais elevado o ensino médio, trabalhando nos setores de terapia intensiva, clínica médica e clínica ortopédica, no período de trabalho diurno com 30 horas semanais, com tempo de experiência no cargo e na unidade de 5 a 10 anos. Os cuidados de enfermagem mais omitidos na instituição 1 foram: deambulação 106 (62,7%%), sentar o paciente fora do leito 80 (47,3%), mudança de decúbito 66 (39,1%), participação em discussão de equipe multidisciplinar 65 (38,5%) e planejamento e ensino na alta hospitalar 44 (26%). No hospital 2 foram: deambulação 112 (62,9%), sentar o paciente fora do leito 94 (52,8%), planejamento de ensino da alta hospitalar 92 (51,7%) e higiene bucal 81 (45,5%). Tem-se como fatores para a omissão nas duas instituições que apresentaram maiores significância estatística: número inadequado de pessoal (<0,001), situação de urgência dos pacientes (0,002), passagem de plantão inadequada (0,001), materiais e equipamentos não estavam disponíveis (<0,001), materiais e equipamentos não funcionaram quando necessário (0,003) e número de profissionais de enfermagem que trabalham doentes (<0,001). Pode-se inferir que a não realização dos cuidados de enfermagem estão intrinsecamente ligadas as razões de caráter laboral, recursos materiais, comunicação, por dimensão ética e gerenciamento respectivamente. Os resultados desse estudo e dos demais assinalam que a omissão de cuidados é um fenômeno global e apontam para a importância de um modelo explicativo dos erros centrados no sistema, cujas deficiências são geradas pela combinação entre falhas ativas, dentre elas as omissões, e as condições latentes.

  • ARMANO LENNON GOMES DE SOUSA
  • EPISÓDIOS REACIONAIS EM PACIENTES ACOMETIDOS PELA HANSENÍASE EM MUNICÍPIO ENDÊMICO
  • Orientador : TELMA MARIA EVANGELISTA DE ARAUJO
  • Data: 27/09/2018
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: A hanseníase é uma doença infectocontagiosa que se manifesta principalmente por meio de sinais e sintomas dermatoneurológicos. Com a evolução da doença não tratada, surgem as lesões nos nervos, principalmente nos periféricos, que acabam acarretando incapacidades físicas e deformidades. Danos neurais podem ser acarretados pelos episódios reacionais que são responsáveis pela perda funcional de nervos periféricos e agravantes de incapacidades físicas. OBJETIVO: Avaliar a magnitude dos episódios reacionais e sua associação com comprometimento neural em pessoas atingidas pela hanseníase em um município piauiense com alta endemicidade. MÉTODO: Estudo transversal, analítico, desenvolvido no município de Picos, com 112 pacientes que desenvolveram episódio reacional de hanseníase no período de 2001 a 2014 e que realizaram tratamento no centro de referência do município. A coleta de dados aconteceu em duas etapas: Na primeira buscaram-se os casos de hanseníase notificados no Sistema de Informação de Agravos de Notificação entre 2001 e 2014, no SINAN. Na segunda etapa, realizaram-se as entrevistas para levantamento dos dados sociodemográficos e clínicos e os exames físicos. Os dados foram analisados com o uso do Software Statistical Package for the Social Sciences - SPSS for Windows (versão 20.0). Realizaram-se análises univariadas, por meio de estatísticas descritivas simples com distribuição de frequênciase medidas de posição, Na análise bivariada foram aplicados os testes Qui-quadrado, Kruskal-Wallis e razão de prevalência com significância estatística fixada em p ≤ 0,05. RESULTADOS: A maioria dos participantes foi composta por homens, os quais contribuíram com 68,66% das reações tipo 1 (68,66%), destes, 38 (71,70%) eram economicamente ativos, e 38 (56,72%) se autodeclararam pardos. A prevalência dos episódios reacionais do tipo 1 foi de 60% e do tipo 2, 35%. Mais de 70% dos pacientes diagnosticados apresentaram a forma clínica dimorfa, sendo em sua maioria multibacilares (91,96%). O Escore OMP foi avaliado e observou-se que dentre os homens, 45% apresentaram piora na segunda avaliação e entre as mulheres 43,3% pioraram, quando comparados os escores no diagnóstico e no momento da pesquisa. CONCLUSÃO: A piora no grau de incapacidade física e no escore OMP relacionados aos episódios reacionais, observados neste estudo, são fatores que afetam efetivamente a vida das pessoas acometidas por hanseníase, podendo levar à mudanças nos contextos social, financeiro e de saúde.

  • ODINÉA MARIA AMORIM BATISTA
  • FORMAÇÃO DE BIOFILME EM CATETERES URINÁRIOS: desafios e implicações
  • Orientador : MARIA ELIETE BATISTA MOURA
  • Data: 29/05/2018
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A presença do cateter de Foley no trato urinário fornece condições ideais para o desenvolvimento de uma variedade de populações de biofilmes, resultando em Infecção associada ao uso deste dispositivo. A escolha do tipo e calibre do cateter urinário é muito importante, porém não há relatos na literatura da associação entre o calibre e a formação de biofilmes nas superfícies deste cateter. Objetivo: Investigar os aspectos microbiológicos e físico-químicos que integram a formação do biofilme em cateteres urinários de Foley. Material e método: Realizou-se primeiramente uma análise bibliométrica, exploratória, descritiva e em seguida a investigação observacional, laboratorial/experimental in vitro dos aspectos que permeiam a formação de biofilmes em cateteres urinários de Foley. Para a pesquisa bibliométrica, utilizou-se os descritores: “ “Biofilm*” AND “Urinary Catheter*” com recorte temporal entre os anos de 1945 e 2016. Na investigação in vitro a amostra constou de fragmentos de cateteres urinários de Foley; os micro-organismos utilizados neste experimento foram: cepas padrão de Staphylococcus aureus (ATCC 25923) e Pseudomonas aeruginosa (ATCC 27853); os dados foram submetidos a análise estatística descritiva (média, desvio padrão, valores mínimos e máximos, por meio do teste de Kruskall-Wallis e Student-Newman-Keuls, considerando-se nível de significância =5%. Resultados: Análise bibliométrica: revelou 329 artigos a respeito da formação de biofilme em cateter urinário entre os anos de 1985 a 2016, publicados em 167 periódicos, escritos por 1.262 autores ligados a 452 instituições localizadas em 50 países, com uma média de aproximadamente 26 referências por artigo. Investigação in vitro experimental/laboratorial: Quando avaliados os dois tipos de calibres dos cateteres de Foley de forma independente, constatou-se que ambos são formadores de biofilmes in vitro e que o tempo é uma variável importante que influencia na formação de biofilmes. Conclusão: As pesquisas internacionais reveladas na análise bibliométrica mostram uma produção científica diversificada sobre a formação e prevenção de biofilmes em cateteres urinários. Há um predomínio de pesquisas in vitro, seguidas de revisões de literatura. Os resultados deste estudo in vitro corroboram com a hipótese inicial da pesquisa sobre a influencia do tempo na formação do biofilme em cateter urinário de Foley.

  • SARAH NILKECE MESQUITA ARAÚJO NOGUEIRA BASTOS
  • APLICATIVO MÓVEL SOBRE ESTOMIAS INTESTINAIS DE ELIMINAÇÃO: desenvolvimento e efeito do uso na carga mental de trabalho de graduandos de enfermagem
  • Orientador : ELAINE MARIA LEITE RANGEL ANDRADE
  • Data: 25/05/2018
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O Brasil possui aproximadamente 150 mil pessoas com estomias intestinais de eliminação, devido principalmente ao aumento do número de casos de câncer colorretal e causas externas, como violência, acidentes automobilísticos e acidentes por arma de fogo e arma branca. Diante desta problemática, é necessário reforçar o aprendizado do enfermeiro acerca das recomendações para o cuidado da pessoa no perioperatório das cirurgias geradoras de estomias intestinais de eliminação, a partir de metodologias ativas e tecnologias educacionais inovadoras. Objetivo: Avaliar o efeito do uso de aplicativo móvel e aula presencial sobre estomias intestinais de eliminação na carga mental de trabalho de graduandos de Enfermagem. Metodologia:Trata-se de pesquisa desenvolvida em duas etapas. Na primeira etapa, foi realizado estudo metodológico, para desenvolvimento e avaliação do aplicativo móvel sobre estomias intestinais de eliminação, no período de outubro de 2016 a março de 2018. Para isto, seguiram-se as fases do Design Instrucional Contextualizado: análise, com o levantamento das necessidades de aprendizagem sobre estomias intestinais de eliminação de 48 graduandos de Enfermagem, definição dos objetivos educacionais e dos conteúdos, design, desenvolvimento, implementação e avaliação do aplicativo. A qualidade do aplicativofoi avaliada por cinco juízes enfermeiros estomaterapeutas, por meio do Learning Object Review Instrument e a usabilidade por cinco juízes em Informática, por meio das 10 Heurísticas de Nielsen. Para análise dos dados foi utilizada estatística descritiva para as variáveis sociodemográficas, proficiência digital básica, qualidade e usabilidade e os resultados apresentados em tabelas e gráficos. Na segunda etapa, foi realizado estudo experimental de grupo controle pós-teste, no período de outubro de 2016 a março de 2018. A amostra foi composta por 127 graduandos de Enfermagem, randomizados em Grupo Controle (N=58) que assistiu a aula presencial e Grupo Experimental (N=69) que usou o aplicativo móvel sobre estomias intestinais de eliminação. Após a aula presencial e uso do aplicativo móvel, os Grupos Controle e Experimental foram avaliados quanto à carga mental de trabalho, por meio da NASA Task Load Index. Para análise dos dados foi utilizada estatística descritiva para as variáveis sociodemográficas, proficiência digital básica e carga mental de trabalho. Para comparação da carga mental de trabalho entre os Grupos Controle e Experimental, utilizou-se o Teste t. Para avaliar o relacionamento das variáveis independentes sobre a carga mental de trabalho utilizou-se o modelo de regressão linear.O nível de significância adotado foi α=0,05. O estudo foi desenvolvido após aprovação de um Comitê de Ética em Pesquisa (nº de protocolo1.777.909).Resultados: Após levantamento das necessidades de aprendizagem dos graduandos de enfermagem, desenvolveu-se o aplicativo Stomapp voltado para o ensino do cuidado ao paciente estomizado no perioperatório de cirurgias geradoras de estomias, em três módulos: pré-operatório, intra-operatório e pós-operatório. A tecnologia foi avaliada satisfatoriamente por juízes em estomaterapia, quanto à qualidade e juízes em informática, quanto à usabilidade. Após as correções sugeridas pelos juízes o aplicativo foi disponibilizado para avaliação da carga mental de trabalho dos graduandos do Grupo Experimental comparando com o Grupo Controle, submetido à aula tradicional. A carga mental de trabalho do Grupo Controle foi superior (55,6±16,8) a do Grupo Experimental (54,5±15,8), mas não foi observada diferença estatisticamente significativa entre os grupos (p-Valor=0,69). As subescalas ―Desempenho‖ (GC 59,7±24,7; GE 68,1±19,8) e ―Demanda Mental‖ (GC 59,7±24,7; GE 63,6±23,4) foram as que mais contribuíram para a carga mental de trabalho durante a aula presencial e uso do aplicativo e a subescala ―Demanda Física‖ foi a que menos influenciou (GC 25,3±21,8; GE 28,9±19,7). Apenas a subescala ―Frustração‖ apresentou associação estatisticamente significativa no Grupo Controle e Grupo Experimental (p-valor 0,02). Conclusão:Usar o Stomapp e assistir a 7 aula presencial sobre estomias intestinais de eliminação teve o mesmo efeito na carga mental de graduandos de Enfermagem, sugerindo a necessidade de associar o método de ensino presencial ao método de ensino à distância para potencializar o aprendizado do graduando de Enfermagem sobre esta temática.

  • ANA SUZANE PEREIRA MARTINS
  • SABERES E PRÁTICAS DE MULHERES NA VIVÊNCIA DO PERÍODO PUERPERAL: contribuições para a enfermagem
  • Orientador : INEZ SAMPAIO NERY
  • Data: 15/05/2018
  • Mostrar Resumo
  • O puerpério constitui-se como um momento marcado por modificações nos aspectos fisiológicos e psicoemocionais da mulher. Neste momento, compreender os valores e significados atribuídos pelas puérperas constitui etapa importante para o cuidado na atenção à saúde materno-infantil. Esta pesquisa tem como objetivo geral compreender os saberes e práticas de puérperas no período pós-parto relacionados aos cuidados com a mãe e o recém-nascido. Estudo com abordagem qualitativa, tipo exploratório descritivo, utilizando o método Narrativa de Vida de Daniel Bertaux. As participantes da pesquisa foram 13 puérperas internadas em uma maternidade pública de referência da cidade de Teresina-PI. A técnica de produção dos dados utilizada foi a entrevista em profundidade, no período de agosto e setembro de 2017. O instrumento foi um formulário para obtenção de informações sóciodemográficas, culturais e gineco-obstétricas e da pergunta “Fale tudo o que a senhora sabe sobre o seu cuidado e com o recém-nascido no período pós-parto, e sobre a assistência de enfermagem prestada a senhora nesse período”. Os resultados compreenderam a caracterização das participantes, as narrativas de vida das mulheres sobre os cuidados puerperais e com o recém-nascido, e as contribuições para os profissionais de enfermagem, onde emergiram quatro categorias temáticas. Foram relatados os cuidados consigo no período puerperal, relacionados à alimentação, higiene, repouso e tranquilidade, garantindo um puerpério sadio e sem riscos à saúde da mulher e do recém-nascido; Cuidados com o recém-nascido sob o olhar da puérpera, por meio de ações voltadas para higiene corporal do recém-nascido, amamentação, vacinação e puericultura; Crenças e tabus das mulheres na vivência do período puerperal, onde foram relatados restrições e recomendações alimentares, assim como a importância do repouso para um bom resguardo; e Cuidados de enfermagem no puerpério e com o recém-nascido na ótica das puérperas, com as contribuições para a atuação da enfermagem, em especial do enfermeiro, para o cuidado com a puérpera e com o recém-nascido, voltadas aos aspectos psicoemocionais e biofisiológicos da puérpera e do recém-nascido. Espera-se que esta pesquisa possibilite refletir sobre os saberes e práticas das mulheres ao vivenciarem o período puerperal, onde acolher a cultura destas e entender sua construção sociocultural torna-se um instrumento para tomada de decisões, gerando uma percepção positiva da vivência desse processo e do atendimento recebido.

  • ROBERTA FORTES SANTIAGO
  • INTERVENÇÃO EDUCATIVA ONLINE PARA MELHORIA DA QUALIDADE DE VIDA EM GESTANTES ADOLESCENTES
  • Orientador : INEZ SAMPAIO NERY
  • Data: 03/05/2018
  • Mostrar Resumo
  • A gravidez na adolescência é um problema de saúde pública, portanto atividades de educação em saúde assumem importância, pois podem ter efeito positivo na qualidade de vida, promover saúde e prevenir agravos. Diante desta problemática, este estudo teve como objetivo geral avaliar uma intervenção educativa online sobre pré-natal na melhoria da qualidade de vida em gestantes adolescentes. Trata-se de estudo desenvolvido após aprovação de um Comitê de Ética em Pesquisa (protocolo número 1.837.209) em duas etapas. A etapa 01 consistiu em estudo metodológico de construção e avaliação de objeto virtual de aprendizagem para intervenção educativa online, denominado GESTAQ, e a etapa 02 em estudo quase experimental, para avaliação da qualidade de vida em gestantes adolescentes antes e depois do GESTAQ e da satisfação quanto à sua usabilidade, nas equipes de Estratégia de Saúde da Família em Teresina, no período de outubro de 2017 a janeiro de 2017. Na etapa 1, para construção do GESTAQ, percorreu-se as seguintes fases: caracterização e identificação das necessidades de aprendizagem sobre pré-natal de 88 gestantes adolescentes, definição dos objetivos educacionais e dos conteúdos, design, desenvolvimento, implementação e avaliação. A qualidade do objeto virtual de aprendizagem sobre pré-natal foi avaliada por 05 juízes em Enfermagem em Saúde da Mulher, por meio do Learning Object Review Instrument e para avaliação ergonômica 05 juízes em Informática avaliaram a funcionalidade, usabilidade e eficiência, analisadas por estatística descritiva. Na etapa 02 participaram 35 gestantes adolescentes, fez-se estatística descritiva das características sociodemográficas, obstétricas e de usos das tecnologias de informação e comunicação. Na avaliação da QV antes e depois da GESTAQ, pelo Instrumento de Qualidade de Vida de Ferrans & Powers, foi realizado o teste t para os escores de distribuição normal e o teste Wilcoxon para os de distribuição não-paramétrica, o nível de significância adotado foi α=0,05. Foi possível afirmar que após a GESTAQ houve melhoria significativa da QV total (p<0,001) e nos domínios saúde/funcionamento (p<0,001), socioeconômico (p<0,001) e psicológico/espiritual (p<0,001). O domínio família foi o único que não teve associação significativa. A usabilidade da GESTAQ mensurada pelo System Usability Scale, recebeu avaliação de excelência, pelas gestantes adolescentes, com média de escore igual a 94,9 ± 10,2 (IC a 95% [91,4 – 98,4]). Os resultados obtidos com o desenvolvimento, implementação e satisfação do GESTAQ, somado ao seu efeito sobre a QV, permite que ele possa ser incorporado no processo de educação em saúde com gestantes adolescentes.

  • ERICA DE ALENCAR RODRIGUES
  • FATORES ASSOCIADOS AO DESEMPENHO DA VIGILÂNCIA DE CONTATOS DE HANSENÍASE EM ÁREAS HIPERENDÊMICAS NO ESTADO DO PIAUÍ
  • Orientador : TELMA MARIA EVANGELISTA DE ARAUJO
  • Data: 27/04/2018
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: O controle da hanseníase evoluiu nas últimas décadas, entretanto, a doença ainda persiste como importante problema de saúde pública, expresso pelo aparecimento de novos casos. A despeito da recomendação prioritária de avaliação dermatoneurológica qualificada de contatos com o intuito de interromper a transmissão e evitar diagnóstico tardio, estudos têm demonstrado que esta ação não tem sido realizada de forma sistemática e qualificada. OBJETIVO: Analisar os fatores associados ao desempenho da vigilância de contatos de casos de hanseníase residentes nos municípios de Floriano e Picos, Estado do Piauí. MÉTODO: Estudo transversal analítico no qual buscou-se abordar toda a população diagnosticada com hanseníase residente em ambos os municípios no período de 2001 a 2014 e incluídas no SINAN. Foram avaliados 619 casos-referência, dos quais 310 tiveram 670 contatos domiciliares avaliados e foram incluídos nesta pesquisa. Para analisar o desempenho das ações de vigilância dos contatos foi utilizado o Escore IntegraHans. Para digitação e qualificação da base de dados foi usado o programa Epi-Info™, versão 7.1.3., e para as análises estatísticas, o SPSS, versão 20.0. Foram realizadas análises univariadas e para as bivariadas foi utilizado o teste Qui-quadrado ou Exato de Fischer. As variáveis que na análise bivariada apresentaram valor de p<0,20 foram submetidas à regressão logística. RESULTADOS: Houve predominância de adultos do sexo feminino, negros ou pardos, com apenas ensino fundamental, renda individual e familiar de um a dois salários mínimos e residentes em zona urbana, havendo mais casados entres os CASOS-REFERÊNCIA (55,48%) e mais solteiros entre os contatos (49,85%). Foi observado maior número de Paucibacilares (54,19%), forma clínica Indeterminada (37,42%) e grau de incapacidade zero (76,13%) no diagnóstico dos casos-referência. Tanto a suspeição quanto o diagnóstico foram realizados na maioria das vezes em serviços de referência. A maioria dos contatos domiciliares (62,24%) não realizaram exame dermatoneurológico, 49,85% foram orientados sobre BCG, 47,16% vacinados, 34,18% orientados a chamar outros contatos para avaliação, apenas 16,12% receberam orientação para retornar à unidade de saúde para novas avaliações e o Escore IntegraHans foi classificado como ruim para 62,84% dos contatos. O caso referência ter ensino fundamental aumenta as chances do desempenho da vigilância ser regular e ser casado aumenta as chances de desempenho ótimo para vigilância. CONCLUSÃO: As condições sociais dos casos-referência apresentaram influência no desempenho da vigilância de contatos domiciliares. Isso reflete a importância de uma abordagem diferenciada para os casos de hanseníase, já que todo o plano terapêutico e vigilância epidemiológica dependem do entendimento das informações recebidas e autorização para abordagem familiar.

  • ARIANE GOMES DOS SANTOS
  • SUSPEIÇÃO DE TRANSTORNOS MENTAIS NÃO PSICÓTICOS EM MULHERES E SUA RELAÇÃO COM A VIOLÊNCIA POR PARCEIRO ÍNTIMO
  • Orientador : CLAUDETE FERREIRA DE SOUZA MONTEIRO
  • Data: 26/04/2018
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: os transtornos mentais não psicóticos em mulheres e sua relação com os diferentes tipos de violência por parceiro íntimo merecem atenção especial da equipe de saúde e configuram-se como uma lacuna do conhecimento científico que este estudo buscará reduzir, tendo em vista que a literatura não apresenta dados robustos que envolvem essa relação. OBJETIVO: avaliar a suspeição de transtornos mentais não psicóticos em mulheres e sua relação com os tipos de violência por parceiro íntimo. MATERIAL EMÉTODO: estudo transversal analítico, com amostra de 369 mulheres, de 20 a 59 anos, de cinco municípios piauienses.O período de coleta dos dados ocorreu de agosto de 2015 a maio de 2016. As informações trabalhadas nesta tese resultaram da aplicação de três instrumentos: o formulário de caracterização sociodemográfica e de saúde, o Self Reporting Questionnaire e as Conflict Tactic Scales. A análise dos dados deu-sepor meio do software R, versão 3.4.1. Foram realizados teste Qui-Quadrado de Pearson, modelos de regressão logística binária eexpressos os valores de Odds Ratio com respectivos intervalos de confiança e a significância do Teste de Wald.RESULTADOS:a violência por parceiro íntimo aumentou em3,46 vezes as chances de mulheres terem suspeitas de transtornos mentais não psicóticos. As que relataram abuso físico sem sequelas, em grau severo, apresentaram 2,58 vezes mais chances de terem sintomas de humor depressivo ansioso. O abuso físico com sequelas, em grau menor, aumentou em 3,7 vezes a propensão ao desenvolvimento de sintomas de humor depressivo ansioso.A agressão psicológica, em grau menor, elevou em 2,07 vezes as chances de mulheres terem sintomas de decréscimo de energia vital. Essa propensão aumentou para 2,27 vezes quando a agressão psicológica foi em grau severo. O abuso físico sem sequelas, em menor grau, elevou a 2,23 vezes e no grau severo a 3,06 mais propensão de apresentarem sintomas de decréscimo de energia vital. Já o abuso físico com sequelas, em grau menor, aumentou 3,13 vezes as chances de mulheres possuírem sintomas de decréscimo de energia vital. A agressão psicológica, em grau menor, aumentou em 2,93 vezes as chances de mulheres terem pensamentos depressivos e em grau severo 3,11. A agressão física sem sequelas, menor, gerou 3,86 vezes mais propensão de mulheres desenvolverem pensamentos depressivos e 6,13 vezes quando o grau se tornou severo. Mulheres que sofreram coerção sexual, menor, apresentaram 2,47 vezes mais chances de terem pensamentos depressivos. A agressão física com sequelas,em graus menor e severo, aumentou em 5,92 e 7,3 vezes, respectivamente, as chances de desenvolverem pensamentos depressivos. CONCLUSÃO:Portanto, conclui-se que a suspeição de transtornos mentais não psicóticos em mulher e está relacionada com os diferentes tipos de violência por parceiro íntimo. Este estudo mostrou associações entre sintomas de humor depressivo-ansioso, decréscimo da energia vital, pensamentos depressivos e as violências psicológica, física e sexual (em graus menor e severo).

  • ANTONIA MAURYANE LOPES
  • GERENCIAQUALICROHN: elaboração e validação de instrumento de Enfermagem para Assistência a pacientes com Crohn
  • Orientador : GRAZIELLE ROBERTA FREITAS DA SILVA
  • Data: 03/04/2018
  • Mostrar Resumo
  • Objetivos: elaborar e validar um instrumento centrado no Gerenciamento de Caso de Enfermagem com foco na qualidade de vida para assistência ao paciente com Doença de Crohn, assim como medir a satisfação desses antes e após da aplicação do instrumento proposto. Métodos: estudo misto desenvolvido em dois momentos. O primeiro, caracterizou-se como metodológico, compreendido em etapas: 1- diagnóstico situacional da assistência a paciente com Doença de Crohn (estudo qualitativo); 2- revisão sistemática descritiva (Prisma statement) nas bases de dados: MEDLINE, LILACS IBECS, CINAHL, Web of Science; 3- elaboração dos itens: criação da miniteoria, formulação e validação clínica dos diagnósticos e atividades de Enfermagem. As 4ª e 5ª etapas foram respectivamente, validação de conteúdo com comitê de dozes juízes-especialistas, e de aparência, com cinco enfermeiros e 6- testabilidade do GerenciaQualiCrohn. Para estas etapas utilizou-se formulários com perguntas abertas; formação acadêmicas dos juízes, instrumentos avaliativos do GerenciaQualiCrohn e próprio. O segundo momento foi exploratório descritivo de natureza longitudinal com delineamento quase-experimental, com grupo único de 36 pacientes com Crohn. A coleta ocorreu de Maio de 2017 a Janeiro de 2018 com aplicação da SERVQUAL adaptada antes e após a intervenção (GerenciaQualiCrohn); formulário de caracterização sociodemográficas e GerenciaQualiCrohn e Inflamatomatory Bowel Disease Questionaire.Utilizou-se o software StatisticalPackage for the Social Science, versão 20.0. Utilizou-se estatísticas descritivas (medidas de tendência central) e inferenciais (teste de Mann-Whitney e Kruskal-Wallis). Aprovado pelo Comitê de Ética do Hospital Universitário do Piauí (1.847.126)Resultados: na avaliação acerca da assistência de enfermagem, até o momento,não há uma consulta de enfermagem específica para essa clientela. Os participantes reconhecem que há piora da qualidade de vida com os períodos de crise da doença.Tanto os enfermeiros quanto os pacientes sugerem consulta de enfermagem, acompanhamento e monitoramento por contato telefônico, ao passo que os enfermeiros mostram o desejo de implementação de um modelo assistencial, com instrumento em forma de fluxograma para consulta de enfermagem. Na etapa 2 os três artigos elegíveis tiveram nível de evidência de moderado a alto, são estudos de coorte em idioma inglês e espanhol realizados na Espanha, Dinamarca e Canadá. Evidenciaram o monitoramento por contato telefone como medida confiável, útil e positiva para assistência a paciente com Doença Inflamatória Intestinal. Na etapa 3 a dimensionalidade usada na miniteoria foi gerenciamento de caso como processo de colaboração, avaliar, planejar, facilitar os cuidados baseados nas necessidades de saúde da família e paciente. Na 4ª etapa foram formulados 22 diagnósticos de enfermagem e 62 atividades de enfermagem, em que foram validados clinicamente pelos enfermeiros assistenciais. Na 5ª etapa o índice de validade de conteúdo final do GerenciaQualiCrohn atingiu valores de 0,83 e alfa de cronbach >0,70, apresentando confiabilidade alta (α = 0,90). O coeficiente de validade de conteúdo total atingiu bons índices (CVCt>0,8) na validação de aparência. Na 6ª etapa, aplicação do GerenciaQualiCrohn teve em média 27,6±8,0/min e 47,2% obtive qualidade de vida regular na primeira aplicação do IBDQ com maior média nos sintomas intestinais e menor nos aspectos emocionais, encontrava-se ansiosos, com dor leve a moderada e com as necessidades humanas básicas psicossociais afetadas.Foram realizadas pelos duas consultas de enfermagem durante o seguimento para cada paciente intercaladas por contato telefônico.Houve diferença estatística nos valores da qualidade de vida quanto ao sexo (p <0.001). Não foram encontradas diferenças significativas nos valores médios de QV total entre idade, estado civil, anos de estudos, cor de pele, renda individual, aposentado ou não pela doença e tempo de tratamento. No grupo único com amostra (n=36), 58,3%são do sexo masculino e cor parda, idade média de 36 anos,52,8%, casados, 55,6 % são católicos, 61,1% residem na capital e 69,4% possui mais de 9 anos de estudos e convivem com um salário mínimo, 89% não são aposentado pela doença. A SERVQUAL utilizada nesta pesquisa atingiua=0,96. Nas subescalas expectativa antes da intervenção o domínio segurança apresentou a maior média 6,4±0,6, fato observado, na percepção, após aplicação do GerenciaQualiCrohn 6,36,3±1,1. Houve diferença estatisticamente significante (p=0,009)na satisfação dos usuários, em relação a dimensão empatia, quanto analisado antes e após a intervenção, não havendo valores significativos como entre os domínios, confiabilidade atendimento, segurança com os dados: sexo, faixa etária, anos de estudos e residência. Por outro lado, houve significância (p=0,05) na faixa etária de adultos entre 40-50 anos com o domínio confiabilidade. Na avaliação geral dos gaps os participantes apresentam satisfação com qualidade da assistência (0,2±0,9) nas dimensões:confiabilidade, atendimento e empatia, mas sentem-se insastifeitos quanto a segurança (-0,1±1,0).Conclusões: os pacientes e os enfermeiros vê a necessidade de uma consulta de enfermagem especifica, assim como implementação demonitorização por telefone como forma de cuidar. Os artigos encontrados possuem moderado a alto níveis de evidências cientificas evidenciando que a monitorização depaciente com DIIs por meio do contato telefone é positivo, assim como a presença do enfermeiro especialista em doença inflamatória intestinal na prática. A miniteoria construída está dentro dos ensinamentos de Pasquali et al (2010) e serviu de base para constructo do instrumento. Os Diagnósticos e as atividades de enfermagem estão inerentes para assistência de enfermagem a pacientes com doença de Crohn. O diagnóstico de enfermagem mais presente foi a ansiedade, e os mesmos estavam com suas necessidades humanas básicas psicossociais afetadas. O GerenciaQualiCrohn é um instrumento de rápido aplicação, não dispensando muito tempo para aplicação da consulta de enfermagem Os pacientes de Crohn assistido nível ambulatorial no hospital universitário do Piauí tiveram qualidade de vida regular a priori, com mudança para melhor durante o seguimento do trabalho, sendo os sintomas intestinais e aspectos emocionais mais prevalentes.Sentem-se satisfeitos com qualidade da assistência d enfermagem percebido quanto a confiabilidade, atendimento, empatia, e insatisfeito com segurança, após GerenciaQualiCrohn. 

  • PRISCILA DE OLIVEIRA SOARES ROCHA
  • FORMAÇÃO DO TÉCNICO DE ENFERMAGEM NA EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA
  • Orientador : BENEVINA MARIA VILAR TEIXEIRA NUNES
  • Data: 28/03/2018
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: O uso da educação a distância evoluiu e é cada vez mais praticado por estudantes e instituições de ensino, sendo adotada inclusive da área da saúde. Entretanto, a profissionalização em enfermagem por meio dessa modalidade tem gerado dúvidas e é vista com estranheza pelos Conselhos Federal de Enfermagem e pelos próprios profissionais. OBJETIVO: Avaliar os cursos técnicos de enfermagem oferecidos pela rede e-Tec Brasil/UFPI, na modalidade à distância, na perspectiva dos educandos. MÉTODO: Estudo transversal analítico, cuja coleta de dados se deu entre os meses de outubro de 2016 a janeiro de 2017, nos polos presenciais que oferecem os cursos técnicos de enfermagem à distância. A população foi composta pelos estudantes do curso técnico de enfermagem da rede e-Tec Brasil/UFPI, com amostra censitária, constituída por 158 estudantes. Utilizou-se um instrumento validado para avaliar o nível de concordância dos alunos acerca de sua formação, cujas variáveis correspondiam ao corpo de tutores e coordenação, organização didáticopedagógica e instalações físicas. As respostas forma medidas escala Likert de cinco pontos, com respostas variando de discordo plenamente a concordo plenamente. As avaliações dos estudantes com valores inferiores a 80% foram classificadas como “menor nível” e as com medidas iguais ou superiores como de “maior nível”. Os dados foram processados no software SPSS® 21.0, realizadas estatísticas descritivas e inferenciais, com nível de significância de 5%. Respeitaram-se todos os preceitos éticos para a realização do estudo com parecer do comitê de ética da UFPI 1.665.320. RESULTADOS: Dos 158 estudantes houve predomínio daqueles com idade superior a 20 anos (55,1%), do sexo feminino (74,1%), solteiros (65,2%), sem filhos (70,9%), desempregados (63,9%), com renda familiar acima de 937,00 reais (53,2%), que residiam a uma distância inferior a 18 quilômetros do polo, estudam até oito horas semanais (39,2%), com bom domínio de informática anterior ao curso (44,3%), possuem computador residencial (70,9%) com acesso à internet (57%). Obtiveramse avaliações globais de menor nível para tutores à distância (74,0%), condições de polo (58,3%), suporte técnico (64,7%), tecnologias de informação e comunicação (73,9%). Os polos que apresentaram avaliações em menor nível foram os de Nossa Senhora de Nazaré (67,9%), Luís Correia (75,5%), Simplício Mendes (76,0%) e Brasileira (76,1%), e em maior nível os polos de São Raimundo Nonato (81,5%) e Alto Longá (83,4%). As características dos estudantes relacionadas a uma avaliação global em menor nível de concordância para a EaD, que apresentaram significância estatística foram residir até 18 km do polo presencial (p=0,046), possuir domínio de informática anterior ao curso de péssimo a regular (p<0,001) e não possuir computador residencial (p=0,027). Residir a uma distância acima de 18 km aumente e possuir domínio de informática anterior ao curso de péssimo a regula aumentam em 2,3 e 0,3 vezes as chances dos alunos avaliarem em menor nível de concordância a EaD em seus aspecto global, ademais, essas variáveis explicam 67,7% para essa avaliação. CONCLUSÃO: A educação a distância na profissionalização em enfermagem apresenta algumas dificuldades, principalmente referentes aos seus aspectos estruturas, e precisa ser profundamente analisada frente aos impactos que uma formação deficiente podem ocasionar à saúde da população que utilizará da assistência prestada por esses futuros profissionais.

  • BIANCA ANNE MENDES DE BRITO
  • SERIOUS GAME SOBRE O PROCESSO DE ENFERMAGEM À PACIENTES COM ILEOSTOMIA: elaboração e validação
  • Orientador : ELAINE MARIA LEITE RANGEL ANDRADE
  • Data: 22/03/2018
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: com o aumento das inovações tecnológicas, houve uma mudança no paradigma de formação de profissionais de Enfermagem, que incitaram professores dessa área a revisarem seus currículos e utilizarem metodologias de ensino ativas que mantenham os alunos mais atentos, motivados, envolvidos e participativos no processo de aprendizagem. Entre as alternativas de métodos ativos de aprendizagem tem-se o uso das tecnologias leves/ duras, como os jogos educativos. Os serious games são jogos educativos, que tem um objetivo desafiador, incorpora algum conceito de pontuação e confere ao usuário uma habilidade, conhecimento ou atitude que pode ser aplicada no mundo real. Objetivo: avaliar um serious game sobre o Processo de Enfermagem à pacientes com ileostomia como ferramenta de ensino aprendizagem. Método: trata-se de estudo de produção tecnológica, descritivo e quantitativo, que utilizou o modelo de desenvolvimento de Design Instrucional Contextualizado (DIC) desenvolvido em três fases: análise, design e desenvolvimento; implementação e verificação. A população do estudo foi constituída por 09 juízes na área de Enfermagem e 03 juízes na área de Informática. A pesquisa foi realizada no Departamento de Enfermagem de uma Universidade Federal do Nordeste do Brasil, no período de março de 2016 a fevereiro de 2018. Resultados: Desenvolveu-se o protótipo do serious games, intitulado “OstomyGame” sobre o Processo de Enfermagem à um paciente com ileostomia. Os 09 juízes da área de Enfermagem, atuantes nos assuntos de Estomaterapia, Sistematização da Assistência em Enfermagem e Tecnologia Educacional utilizaram o Leanirng Object Review Instrument para verificar a qualidade do jogo e os 03 juízes da área de Informática fizeram uso do Ergolist para verificar a ergonomia do mesmo. Discussão: como as novas tecnologias e plataformas de ensino virtuais emergem rapidamente, percebe-se que a utilização de serious game no ensino de Enfermagem é uma estratégia de ensino potencial e eficaz em diferentes contextos, seja ele referente à assistência de média, alta ou baixa complexidade. O OstomyGame foi avaliado como sendo de alta qualidade e com alta ergonomia. Conclusão: Quanto à verificação da qualidade, em sete dos oito itens avaliados, com exceção do item de utilização de interação, o OstomyGame apresentou alta qualidade. Em doze dos dezoito itens avaliados, com exceção dos itens de presteza, feedback, concisão, proteção contra erros, mensagem de erro e correção de erros o jogo apresentou alta ergonomia. Logo, o OstomyGame é uma estratégia motivadora, positiva e válida para o desenvolvimento de raciocínio clínico de enfermeiros e acadêmicos de Enfermagem. Além disso, a interface agradável garante envolvimento e participação dos alunos/aprendizes no processo de ensino-aprendizagem.

  • PRISCILLA CAVALCANTE LIMA
  • QUALIDADE DE VIDA DE RESIDENTES DE PROGRAMAS DE RESIDÊNCIA DA ÁREA DA SAÚDE
  • Orientador : MARCIA TELES DE OLIVEIRA GOUVEIA
  • Data: 02/03/2018
  • Mostrar Resumo
  • Os programas de residência têm como foco a formação por meio da prática assistencial, na qual os residentes são expostos a condições adversas que podem impactar negativamente na sua qualidade de vida. Estudo descritivo-analítico com delineamento transversal, que objetivou avaliar a qualidade de vida de residentes inseridos em programas de residência da área da saúde. Os participantes foram 149 residentes de programas de uma instituição de ensino superior pública na cidade de Teresina-PI, que responderam ao questionário composto por dados sociodemográficos, ocupacional, hábitos de vida e de saúde e o formulário WHOQOL-Bref, ambos autoaplicáveis. A coleta de dados ocorreu no período de maio a setembro de 2017. Os dados foram analisados por meio dos softwares: R x64 versão 3.4.0, LibreOffice Calc versão 5.3.3.2 e PSPP versão 3, sendo realizadas análises descritivas e inferenciais. Para comparar médias ou verificar as diferenças foram utilizados testes paramétricos (teste t, ANOVA e teste Turkey) e, quando a distribuição não foi normal os substitutos não paramétricos (Mann-Whitney e Kruskal Wallis). O nível de significância utilizado foi de 5% para todos os testes. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética da Universidade Federal do Piauí com o parecer n° 2.061.414. Dos participantes, 57,7% eram do sexo feminino, com idade média de 27,37 ± 3,35 anos; 69,8% eram solteiros; 83,2% sem filhos e 49% autodeclararam-se brancos. Foi identificado que 66,4% dos residentes estavam inseridos nos programas de residência médicas; 18,8% no multiprofissional, 10,7% em área profissional da saúde-Enfermagem Obstétrica e 4% no uniprofissional. Quanto ao tempo de formação, a média foi de 2,82 ± 1,95 anos. Estavam no primeiro ano de residência (43,6%). A qualidade de vida total apresentou escore de 3,39 ± 0,50, no domínio físico 3,51 ± 0,62, no psicológico 3,48 ± 0,62, no de relações sociais 3,55 ± 0,72 e no de meio ambiente 3,41 ± 0,48. A percepção da qualidade de vida apresentou escore de 3,30 ± 0,95 e satisfação com a saúde 3,38 ± 0,99. Na análise das facetas que compõem os domínios desatacou-se: no domínio físico, dor física (2,12 ± 0,96); tratamento médico (2,01 ± 1,06) e sono (2,68 ± 1,07); no domínio psicológico, aproveitar a vida (2,91± 0,82) e sentimentos negativos (2,64 ± 1,03) e no domínio meio ambiente, o ambiente físico (2,98 ± 0,90) e o lazer (2,58 ± 0,75). Houve associação significativa entre o sexo e a qualidade de vida total (p <0,01), a percepção da qualidade de vida (p <0,01), nos domínios: físico (0,005), psicológico (0,002) e meio ambiente (0,04) nos quais as mulheres apresentaram escores inferiores aos dos homens. Foi observada diferença significativa na qualidade de vida geral (p= 0,03) e no domínio psicológico (p= 0,038) em relação ao estado civil, no qual os residentes em união estável apresentaram menores escores. Foi identificada associação significativa em relação ao período da residência, pois os residentes do segundo ano obtiveram os menores escores nos domínios: físico (p=0,02) e psicológico (p=0,007). Os residentes inseridos nos programas de residências de especialidades médicas cirúrgicas obtiveram melhor média (3,79) de qualidade de vida, enquanto os pertencentes ao programa multiprofissional a menor média (3,25). A análise geral da qualidade de vida e todos os seus domínios apresentaram uma boa média. O sexo feminino apresentou pior qualidade de vida geral, na auto avaliação da percepção da qualidade de vida e nos domínios físico, psicológico e meio ambiente.

  • HERICA EMILIA FÉLIX DE CARVALHO
  • PRESCRIÇÃO DE ANTIMICROBIANOS NA ATENÇÃO BÁSICA
  • Orientador : ANDREIA RODRIGUES MOURA DA COSTA VALLE
  • Data: 28/02/2018
  • Mostrar Resumo
  • Antimicrobianos são substâncias que previnem a proliferação de agentes infecciosos com o intuito de evitar a disseminação de uma infecção. O estudo tem como objetivo avaliar as receitas com prescrição de antimicrobianos dispensados na atenção básica no município de Teresina-PI. Trata-se de um estudo transversal, analítico, desenvolvido no município de Teresina-PI, utilizando-se o banco de dados da central de distribuição de medicamentos essenciais da gerência farmacêutica, e as receitas com prescrição de antimicrobianos retidas nas unidades de saúde do município. Os dados foram processados no SPSS, versão 2.0 e calculadas estatísticas descritivas e inferenciais. Todos os preceitos éticos foram atendidos com parecer do CEP sob número nº 1.806.553. Foram analisadas 2.232 receitas com prescrição de antimicrobianos, o metronidazol (250 mg) foi o antimicrobiano mais prescrito, a forma farmacêutica ‘comprimido’ foi a mais utilizada, assim como a forma de administração ‘oral’. O tempo médio de tratamento foi de sete dias. Nas receitas prescritas por enfermeiros, verificou-se que esse profissional prescreve, em sua maioria, para clientes com infecção sexualmente transmissível. Com relação às recomendações da RDC, o nome do paciente estava ausente em nove das 2.232 receitas avaliadas e a idade foi informada somente em um terço das receitas. Todos os dados obrigatórios das receitas foram contemplados em, unicamente, uma receita. No tocante à comparação com as recomendações propostas pelo protocolo de enfermagem, constatou-se que menos da metade das receitas estavam em conformidade com as recomendações em cada característica avaliada. Destaca-se, também, um número considerável de receitas com ausência de informações sobre a concentração, a posologia e o tempo de tratamento. A partir dessa avaliação, pode-se inferir que que as receitas com prescrição de antimicrobianos dispensados na atenção básica do município em estudo não seguem à risca as recomendações da RDC nº 20/2011 e nem do protocolo de enfermagem instituído. Diante aos dados compilados acima, o não cumprimento das recomendações aqui analisadas, demostra uma falha no sistema de prestação de serviços de qualidade e segurança do paciente como um todo.

  • ANA DULCE AMORIM SANTOS SOARES
  • O CUIDADO DO ENFERMEIRO COM A PELE DE RECÉM-NASCIDOS HOSPITALIZADOS
  • Orientador : SILVANA SANTIAGO DA ROCHA
  • Data: 27/02/2018
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A pele representa o maior órgão do corpo humano e exerce função de barreira protetora contra agentes patógenos externos. O recém-nascido hospitalizado, além de possuir diversas singularidades na pele que a tornam mais frágil, está exposto a fatores de risco para o desenvolvimento de lesões, como a realização de procedimentos invasivos, o uso de substâncias tópicas irritantes e de adesivos para fixação de sensores, cateteres e sondas. O enfermeiro como membro da equipe de saúde, deve estabelecer ações que minimizem riscos e propiciem a manutenção da integridade da pele dessa população. Assim, o estudo teve como objetivo: analisar o cuidado de enfermeiros à pele de recém-nascidos hospitalizados. Trata-se de um estudo qualitativo, baseado no referencial metodológico da Pesquisa Convergente-Assistencial. Os participantes consistiram em quatorze enfermeiros da UTIN de uma maternidade pública. A produção dos dados ocorreu de março a setembro de 2017, em duas etapas, sendo a primeira, por meio de entrevistas com roteiro semiestruturado, e a segunda, com a execução de grupos focais. O estudo obteve parecer de aprovação (nº 1.848.098), do Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Piauí. Os discursos foram analisados pela técnica de conteúdo de Bardin e discutidos com base no referencial temático atual, sendo elaboradas duas categorias: conhecimento e cuidado do enfermeiro com a pele do recém-nascido hospitalizado na UTIN; dificuldades e possibilidades no cuidado com a pele do recém-nascido na UTIN. Os resultados apontam que os conhecimentos dos participantes sobre os cuidados com a pele do recém-nascido foram adquiridos na graduação e complementam-se por meio de atividades de educação permanente, participação em eventos científicos e a experiência na UTIN. A prática abrange cuidados com o manuseio mínimo e mudança de decúbito; fototerapia; higienização das mãos, prevenção e controle de infecção; utilização de adesivos, fixações, curativos e terapia endovenosa; banho e higiene; ostomias; e sistematização da assistência de enfermagem. As dificuldades relatadas foram a falta de padronização nos registros, notificação exígua de lesões, resistência de alguns membros da equipe quanto às práticas defasadas, disponibilidade reduzida de materiais e conhecimento limitado no cuidado a ostomias. Entre as possibilidades, destacaram-se a existência de educação permanente no serviço, a comunicação interprofissional e a autonomia do enfermeiro no cuidado com a pele do recém-nascido. A execução dos grupos focais permitiu a elaboração conjunta de uma proposta de protocolo de cuidados preventivos de lesões de pele em recém-nascidos hospitalizados. Dessa forma, o produto deste estudo consiste na proposta de protocolo, que abrange os cuidados elencados pelos participantes, o qual foi justificado pela pesquisadora, com base na literatura científica atual. Assim, o aperfeiçoamento constante dos conhecimentos científicos do enfermeiro, aliado à sistematização da assistência de enfermagem e à valorização da subjetividade humana, contribuem efetivamente para a prestação de um cuidado seguro, humanizado e integral ao neonato hospitalizado. O empenho profissional, a utilização de evidências científicas e o incentivo da instituição possibilitam o desenvolvimento de protocolos assistenciais em prol de melhorias no cuidado.

  • RUTH SUELLE BARROS FONSECA
  • BEM-ESTAR DE CUIDADORES INFORMAIS DE IDOSOS ACAMADOS NO DOMICÍLIO
  • Orientador : MARIA DO LIVRAMENTO FORTES FIGUEIREDO
  • Data: 23/02/2018
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A literatura tem abordado a respeito da sobrecarga do cuidador, em especial de pessoas idosas no domicílio, e sua estafante e estressora atividade de cuidados. Face à gravidade da situação, o cuidador necessita ser alvo de orientação dos serviços de saúde e de intervenções que promovam seu bem-estar, visando adaptação às condições geradas pelo estado de saúde do idoso cuidado. Objetivo: Analisar o bem-estar de cuidadores informais de idosos acamados no domicílio. Metodologia: Estudo de método misto explanatório sequencial, desenvolvido com 208 cuidadores informais de idosos acamados no domicílio. A coleta de dados ocorreu entre fevereiro a agosto de 2017, por meio da aplicação do Mini Exame do Estado Mental, de roteiro de caracterização do cuidador, do Questionário de Avaliação do Bem-Estar Global (BEG) e de um roteiro de entrevista com questões abertas sobre o bem-estar dos cuidadores informais. Na etapa quantitativa foram realizadas estatísticas descritivas (medidas de tendência central) e inferenciais (teste de Mann-Whitney e Kruskal-Wallis; teste de correlação de Spearman). O nível de significância estatístico foi fixado em p≤0,05. Na etapa qualitativa, utilizou-se a técnica de análise temática. Resultados: Os escores totais de bem-estar situaram-se entre 136 e 272, com média de 215,4. Na análise bivariada observou-se diferença estatisticamente significativa do índice de bem-estar com a variável: anos de estudo do cuidador.   Verificou-se diferença estatisticamente significativa entre as médias gerais do BEG e as variáveis: estado civil do cuidador e parentesco com o idoso, assim como no fato do cuidador apresentar ou não comorbidades, sentir ou não dor, permanência ou não da dor após a realização dos cuidados, percepção de modificações no corpo e na saúde e consideração sobre a própria saúde. Formularam-se três categorias temáticas relacionadas a condição de bem-estar dos cuidadores: 1. O significado de bem-estar para os cuidadores de idosos acamados; 2. Comprometimento do bem-estar do cuidador decorrente dos cuidados contínuos ao idoso acamado; 3. Religiosidade e Espiritualidade: estratégias para melhoria do bem-estar de cuidadores de idosos acamados. Baseado nos resultados deste estudo houve apoio da fase qualitativa à quantitativa e complementaridade entre ambas. Conclusão: Enfatiza-se a importância do desenvolvimento de estratégias, em conjunto com o cuidador, que sejam capazes de produzir efeitos em médio e longo prazo em busca da sua qualidade de vida; e da qualificação dos profissionais de saúde, em especial do enfermeiro, a fim de que este compreenda, em todos os contextos, o processo que envolve cuidar de um idoso acamado, assim como os meios que possam favorecer a promoção da saúde do cuidador e do próprio idoso.

  • ALINE COSTA DE OLIVEIRA
  • AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE VIDA DE PESSOAS COM FERIDAS CRÔNICAS
  • Orientador : LIDYA TOLSTENKO NOGUEIRA
  • Data: 16/02/2018
  • Mostrar Resumo
  • O estudo objetivou avaliar a qualidade de vida de pessoas com feridas crônicas. Trata-se de um estudo observacional, analítico e transversal, realizada com 102 pessoas atendidas em domicilio e 74 em um ambulatório de feridas complexas. Os dados foram coletados entre os meses de março a agosto de 2017, utilizando os seguintes instrumentos: questionário para avaliação mental, formulário sobre caracterização sociodemográfica e clínica, questionário para avaliação das atividades básicas diárias – índice de Katz, Cardiff Wound Impact Schedule – CWIS e Freiburg Life Quality Assessment–Wound – FLQA- Wk. As analises foram realizadas por meio dos testes ANOVA, Mann-Whitney e Kruskal-Wallis. No domicilio, destacaram se as seguintes características: sexo masculino (51%), idade de 60 anos ou mais (50%), com ensino fundamental (54,9%) e renda familiar de um a dois salários mínimos (62,8%). Realizando curativo diário (96%), com ferida única (66,7%), tempo de lesão acima de 12 meses (51%), predominando as úlceras vasculogênicas (31,4%) em membros inferiores (98%). No ambulatório foram: sexo masculino (52,7%), entre 41 a 59 anos (40,5%), com ensino fundamental (51,4%) e renda de familiar de um a dois salários mínimos (70,3%). Realizando curativos entre uma a duas vezes por semana (67,6%), com ferida única (83,8%) e duração de até 6 meses (45,9%), sendo frequente as úlceras vasculôgenicas (35,1%) em membros inferiores (87,8%). De acordo com índice de Katz, 82,5% e 93,1% dos participantes do domicilio e ambulatório se categorizaram como independentes. A QV avaliada pelo CWIS teve o domínio bem-estar como menores média de 43,9 e 33,2 em domicilio e ambulatório. No FLQA-Wk o domínio mais afetado no domicilio e ambulatorio foram vida diária com 3,8 e 3,0, respectivamente. Os fatores que apresentaram associações com a QV foram: sexo, escolaridade, faixa etária, situação conjugal, situação ocupacional, renda individual, lesão medular, anemia falciforme, uso de medicação, mobilidade, intervalo de troca de curativos, tempo de tipo da ferida, tamanho da ferida, tecido predominante, profundidade da lesão, quantidade e aspecto do exsudato, odor e intensidade da dor. Conclui-se que os fatores externos e internos influenciam na QV das pessoas com feridas crônicas, sendo necessário acompanhamento multiprofissional e integral direcionado a pessoa com ferida e sua família, baseada no contexto social em que essa pessoa está inserida.

  • POLYANA NORBERTA MENDES
  • SOBRECARGAS FÍSICA, EMOCIONAL E SOCIAL DOS CUIDADORES INFORMAIS DE IDOSOS ACAMADOS NO DOMICÍLIO
  • Orientador : MARIA DO LIVRAMENTO FORTES FIGUEIREDO
  • Data: 16/02/2018
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A sobrecarga de cuidar de um idoso dependente é uma séria questão biopsicossocial devido ao aumento da expectativa de vida, da prevalência das doenças crônicas e incapacitantes e da necessidade de cuidados prolongados. Objetivo: analisar a sobrecarga e quais são os fatores relacionados entre cuidadores informais de idosos acamados em domicílio assistidos pela Estratégia Saúde da Família. Metodologia: Estudo do tipo analítico e de delineamento transversal, desenvolvido com 208 cuidadores informais. A coleta de dados ocorreu no período de fevereiro a julho de 2017, por meio da aplicação do roteiro de caracterização do idoso e do seu cuidador; do Índex de Katz e do Questionário de Avaliação da Sobrecarga do Cuidador Informal (QASCI).Para análise utilizou-se o software StatisticalPackage for the Social Science, versão 20.0. Foram realizadas estatísticas descritivas (medidas de tendência central e dispersão, frequência absoluta e relativa) e inferenciais (teste de Mann-Whitney e Kruskal-Wallis; teste de correlação de Spearman). O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética da Universidade Federal do Piauí (UFPI) com o parecer nº 1.971.805. Resultados: A média total da sobrecarga foi de 71,1 (±26,3). Destacou-se o domínio “Implicações na vida pessoa”. Na análise bivariada observou-se diferença estatisticamente significativa do escore total de sobrecarga e dos domínios que a compõe e as variáveis: sexo do idoso; possuir ou não um único cuidador; o uso de sonda enteral ou gastrostomia; oxigenação; uso de sonda vesical de demora e as dificuldades para falar, mastigar e engolir do idoso; estado civil do cuidador; grau de parentesco com o idoso; e em todas as variáveis clínicas do cuidador. O teste de correlação de Sperman apontou uma correlação positiva entre a sobrecarga e a idade do cuidador e entre a sobrecarga e as horas do dia dedicadas ao cuidado. Observou-se também uma correlação negativa e significativa com a idade do idoso. Conclusão: A sobrecarga foi maior para os que cuidavam de idosos mais jovens, do sexo masculino, e de idosos que fazem uso de dispositivos como sonda enteral ou gastrostomia, sonda vesical de demora e oxigenação. Assim como, para aqueles que assistem aos dependentes com dificuldades para falar, mastigar e engolir e os que eram o único cuidador. Maior também, para os cônjuges, os que apresentavam comorbidades, dores relacionadas à atividade desempenhada e para os que consideraram sua saúde regular. Aponta-se a necessidade de intervenções eficazes que garantam suporte ao binômio idoso/cuidador e minimizem o impacto dos fatores relacionados à sobrecarga do cuidador. Bem como, a qualificação profissional, em especial do Enfermeiro na atenção básica, para o desenvolvimento de um cuidado holístico e humanístico do núcleo família, com vista ao processo de envelhecimento ativo do cuidador.

  • LORENA SOUSA SOARES
  • AVALIAÇÃO DA RETIRADA NÃO ELETIVA DOS TUBOS OROGÁSTRICOS EM RECÉM-NASCIDOS PREMATUROS
  • Orientador : GRAZIELLE ROBERTA FREITAS DA SILVA
  • Data: 15/02/2018
  • Mostrar Resumo
  • O objetivo principal desta tese é avaliar a retirada não eletiva dos tubos orogástricos fixados na região malar dos RN prematuros. Trata-se de um estudo observacional, analítico, longitudinal, prospectivo e do tipo coorte concorrente, que foi realizado no setor de Neonatologia de um hospital público situado na cidade de Sobral, estado do Ceará. A população foi composta por recém-nascidos prematuros submetidos ao uso de tubo orogástrico do tipo policloreto de vinil, mais conhecido como PVC, fixados na região malar, internados no referido setor, local do estudo, no período de 1 de janeiro a 14 de abril de 2017, totalizando, assim, a amostra de 44 RN. Para a coleta dos dados foram utilizados os seguintes instrumentos: para dados do perfil sociodemográfico, gestacional e do parto das mães e dos recém-nascidos; para dados sobre tubo orogástrico e hemodinâmicos e Escala de Condição de Pele do Recém-nascido. Teve-se uma incidência de 15,9%, referente à retirada não eletiva dos tubos orogástricos fixados na região malar dos RN. Nas análises univariadas realizadas, nos RN que não foram acompanhados ao longo dos nove dias, retirados da amostra por algum critério de descontinuidade, sobre FR teve-se p-valor significativo (p= 0,004; p= 0,045), tanto no turno da manhã bem como no da tarde, assim, podendo a FR ser um fator de risco para a retirada não eletiva do tubo orogástrico. Na verificação da associação entre o aporte respiratório, a higiene oral, a alimentação por via oral mista e as principais alterações dermatológicas (secura, eritema e ruptura/lesão) e a retirada não eletiva dos tubos orogástricos, houve significância estatística em todas as variáveis independentes, em ambos os turnos. Além disso, a H1 foi recusada, pois a perda foi maior em RN com melhor estabilidade respiratória e hemodinâmica, sendo que o melhor indicador foi o aporte respiratório que teve p-valor significante (p=0,003) e relação linear com a variável dependente (β=0,416). Assim, pode-se ind