Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: ANNA KATHARINNE CARREIRO SANTIAGO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ANNA KATHARINNE CARREIRO SANTIAGO
DATA: 09/05/2016
HORA: 15:00
LOCAL: Sala de Reunião PPGEnf
TÍTULO:

AVALIAÇÃO DA ATENÇÃO HUMANIZADA AO RECÉM-NASCIDO PREMATURO


PALAVRAS-CHAVES:

prematuro, humanização da assistência, estrutura dos serviços, prática profissional


PÁGINAS: 103
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Enfermagem
RESUMO:

Introdução: a atenção humanizada ao recém-nascido prematuro como prática qualificada reúne intervenções que buscam promover o seu desenvolvimento saudável, e requer, pois, avaliação para aperfeiçoar as estruturas institucionais disponíveis e a prática profissional. Objetivo: avaliar a atenção humanizada ao recém-nascido prematuro, na perspectiva do Método Canguru, por meio de comparação da estrutura da instituição às normas do Ministério da Saúde, de análise das práticas assistenciais da equipe multiprofissional de saúde, e caracterização do perfil e capacitação dos profissionais de saúde. Metodologia: estudo descritivo, avaliativo com delineamento transversal, realizado em Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (UTIN) e Unidade de Cuidado Intermediário Neonatal Convencional (UCINCo) de maternidade de referência de Teresina-PI, com 128 profissionais de saúde, mediante aplicação de questionário e protocolos de observação. Para a análise descritiva utilizou-se o recurso do software Microsoft Excel. Resultados: evidenciou-se o grau de adequação estrutural de 40,74% dos recursos materiais na UTIN e 65% na UCINCo; para recursos humanos, 70% estavam adequados na UTIN e 44,44% na UCINCo. A frequência das práticas assistenciais mostrou certa padronização quando comparado com às normas. As observações demostraram incorporação insipiente de algumas práticas: utilização de medidas de manejo da dor, posicionamento e o manuseio do prematuro e atendimento dos alarmes sonoros. Conclusão: A inadequação na estrutura compromete a instituição do Método Canguru e dificulta a prática comprometida com a singularidade de cada família. Ademais, os preceitos das normas ministeriais para o atendimento a essa população ainda não foram completamente incorporados à assistência pelos profissionais de saúde, ainda que a maioria dos profissionais tenha recebido treinamento.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - CRISTIANA BRASIL DE ALMEIDA REBOUCAS - UFC
Presidente - 7422147 - LIDYA TOLSTENKO NOGUEIRA
Interno - 2335983 - MARCIA TELES DE OLIVEIRA GOUVEIA
Interno - 1167659 - SILVANA SANTIAGO DA ROCHA
Notícia cadastrada em: 28/04/2016 10:48
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 02/10/2022 22:33