Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: LARISSA ALVES DE ARAUJO LIMA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LARISSA ALVES DE ARAUJO LIMA
DATA: 29/09/2016
HORA: 15:00
LOCAL: Auditório PPGEnf
TÍTULO:

ANÁLISE DA VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER PERPETRADA POR PARCEIRO ÍNTIMO E FATORES ASSOCIADOS


PALAVRAS-CHAVES:

Violência contra a mulher. Maus-tratos conjugais. Violência por parceiro íntimo. Mulheres agredidas. Políticas Públicas.


PÁGINAS: 58
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Enfermagem
RESUMO:

A violência contra a mulher é uma realidade oriunda de questões sociais, históricas e culturais. Constitui uma das formas de violação dos direitos humanos, desrespeito a dignidade da mulher, além de ser um grave problema de saúde pública. Este trabalho objetiva analisar a violência contra a mulher, perpetrada pelo parceiro íntimo. Trata-se de uma pesquisa descritiva e de corte transversal. Foi desenvolvida com uma amostra de 369 mulheres de 20 a 59 anos, atendidas em Consultas de Enfermagem nas Unidades Básicas de Saúde das cinco macrorregiões de saúde do Estado do Piauí, Teresina, Parnaíba, Picos, Floriano e Bom Jesus. A coleta de dados foi realizada por meio de um questionário, disposto em duas etapas: a primeira, contendo os dados de caracterização da população investigada e a segunda etapa consistiu na aplicação da Revised Conflict Tactics Scales. Para análise dos dados, utilizou-se o Software Statistical Package for the Social Science (SPSS®), versão 20.0. As variáveis relacionadas ao perfil sociodemográfico, hábitos de vida e caracterização das formas de violência foram analisados por meio de estatísticas descritivas como frequência simples e porcentagem. As variáveis quantitativas foram analisadas por meio das medidas de tendência central (média, moda, mediana, intervalo mínimo e máximo) e medidas de dispersão (desvio padrão). Foi realizado teste de normalidade, Kolmogorov-Smirnov, comprovando-se um padrão de distribuição não normal, logo para comparar médias utilizou-se o teste não paramétrico de Mann-Whitney. No grupo de variáveis categóricas, o teste bivariado para analisar a associação entre as variáveis qualitativas utilizado foi o teste do qui-quadrado. As variáveis que na análise bivariada apresentaram valor de p ≤ 0,20 foram submetidas ao modelo multivariado de regressão logística, aqui denominado de Odds Ratio ajustado. Para todas as demais análises foi mantido o nível de significância de p ≤ 0,05 e o intervalo de confiança foi fixado em 95%. Foram obedecidos todos os princípios da Resolução 466/12 do Conselho Nacional em Saúde. Quanto aos resultados encontrou-se que 75,1% da amostra encontravam-se na faixa etária de 20 a 39 anos, 59,4% pardas, 71,8% casadas/ união estável, 60,9% católicas e 96,2% haviam frequentado a escola. Quanto as condições de saúde, verificou-se que 30,1% procura os serviços de saúde em uma frequência de 1 vez por mês para realização de consultas de rotina (35,3%) e exame de prevenção (32,8%). 20,3% eram gestantes, destas a média do número de gestações foi de, aproximadamente, duas e a média de parto, aproximadamente de um. Quanto a realização de exames, 36,9% fizeram exame das mamas e 65,6% citopatológico. A prevalência da VPI contra a mulher encontrada foi de 65,3%, e dentre a natureza das ações violentas, houve prevalência da Psicológica (93,4%). Verificou-se associação estatística da VPI contra a mulher e ter frequentado ou não a escola (p=0,02), e religião (p<0,01). Por meio da análise multivariada, encontrou–se que as mulheres casadas/união estável possuem 1,9 vezes mais chances de sofrerem VPI que as mulheres solteira/separada/viúva, as mulheres brancas possuem 23,6 vezes mais chances de serem vítimas de VPI, as negras 22,4 vezes e pardas 22,6 vezes em relação as mulheres indígena/amarela. Quanto a escolaridade e religião, as mulheres que não frequentaram a escola possuem 20,1 vezes mais chances em relação aquelas que frequentaram a escola, e as católicas 1,7 vezes mais chances que as evangélicas de serem vítimas de VPI.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 6422772 - BENEVINA MARIA VILAR TEIXEIRA NUNES
Presidente - 1167726 - CLAUDETE FERREIRA DE SOUZA MONTEIRO
Interno - 2221112 - MARCIA ASTRES FERNANDES
Externo à Instituição - SANDRA CRISTINA PILLON - USP
Notícia cadastrada em: 01/09/2016 10:38
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 03/10/2022 06:31