Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: CRISTHIANO NEIVA SANTOS BARBOSA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: CRISTHIANO NEIVA SANTOS BARBOSA
DATA: 17/10/2016
HORA: 14:30
LOCAL: Auditório PPGEnf
TÍTULO:

QUALIDADE DE VIDA E FATORES ASSOCIADOS EM IDOSAS VIÚVAS ASSISTIDAS NA ATENÇÃO BÁSICA


PALAVRAS-CHAVES:

Idoso. Mulheres. Viuvez. Qualidade de vida.


PÁGINAS: 110
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Enfermagem
RESUMO:

Estudo de natureza descritiva-correlacional, com delineamento transversal e análise quantitativa de dados, tendo por objetivo analisar a qualidade de vida e os fatores associados em idosas viúvas assistidas na Atenção Básica. A amostra foi constituída por 204 participantes e a pesquisa foi aprovada pelos Comitês de Ética em Pesquisa da Fundação de Saúde do município, bem como da UFPI. Os dados foram coletados nos domicílios por meio de um questionário que contemplava as variáveis sociodemográficas, econômicas e de saúde, e do instrumento de qualidade de vida (QV) SF-36, sendo que também foi aplicado o MEEM como critério de inclusão das participantes para compor a amostra pretendida. Foi realizada estatística descritiva para a caracterização da amostra e procedidas associações por meio de testes não paramétricos de Mann-Witney e Kuskall-Wallis, bem como correlações por meio do coeficiente de Spearman, quando pertinente ao tratamento das variáveis. Como resultados, obteve-se que a média de idade foi 75,4 anos, com prevalência na faixa-etária de 71 a 80 anos; 53,7% de cor parda; 70,4% eram naturais do interior; 68,1% eram católicas; moram em média há 34,5 anos naquela casa, com uma média de 3,3 pessoas, prevalecendo o arranjo trigeracional (32,8%); 79,9% declararam ser a chefe do domicílio e possuem em média 6 filhos; 35,3% eram analfabetas; a renda média das idosas ficou em 1,7 salários-mínimos e as principais fontes de renda foram pensão e aposentadoria; 42,6% autoavaliaram a própria situação econômica como ruim; o serviço de saúde que mais utilizam é o SUS (77%) e 81,9% moram em casa própria; 74,5% referiram possuir alguma ocupação, sendo que prevaleceu a de atividades do lar (72,5%); 39,6% autoavaliaram sua memória como regular; 84,8% afirmaram ser independentes para execução de atividades diárias; 87,3% não possuem cuidador; 48% referiram um padrão se sono ruim; 32,4% eram tabagistas (média diária de 19 cigarros/dia) e 20,6% etilistas. O tempo de viuvez médio foi de 12,5 anos e 53,7% afirmaram que a vida melhorou após ficarem viúvas. Sobre as condições de saúde, as principais doenças autorreferidas foram: hipertensão (73,5%), artrose (67,1%) e problemas de coluna (64,7%). A QV mensurada pelo SF-36 obteve maiores escores nos domínios saúde mental, vitalidade, aspectos emocionais e aspectos sociais, e menores nos domínios estado geral de saúde, capacidade funcional, aspectos físicos e dor. Na verificação das relações entre as variáveis dependentes e independentes do estudo, observou-se associação estatisticamente significativa de todas as dimensões de QV abordadas com as seguintes variáveis: naturalidade, ser chefe/responsável pelo domicílio, nível de escolaridade, autoavaliação da situação econômica, padrão de sono autorreferido, grau de dependência para realização de atividades diárias, ter ocupações cotidianas, autoavaliação da memória, memória comparada com anos atrás, existência de cuidador; bem como significância na correlação com as variáveis numéricas idade, tempo de viuvez e anos de estudo. Conclui-se que alguns dos componentes do perfil das idosas influenciaram na mensuração da qualidade de vida aferida, dentre eles o próprio tempo de viuvez, e que o comprometimento da QV está relacionado basicamente aos aspectos físicos. Faz-se necessária a realização de pesquisas sobre a viuvez na sociedade, tendo em vista as questões que envolvem a temática em si e as diversas transformações ocorridas nas dimensões de qualidade de vida mais afetadas nas vidas das idosas viúvas. 


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 2334938 - ANA MARIA RIBEIRO DOS SANTOS
Externo à Instituição - CELIA PEREIRA CALDAS - UERJ
Interno - 1792859 - ELAINE MARIA LEITE RANGEL ANDRADE
Presidente - 423632 - MARIA DO LIVRAMENTO FORTES FIGUEIREDO
Notícia cadastrada em: 23/09/2016 10:52
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 25/09/2022 04:55