Notícias

Banca de DEFESA: FERNANDO JOSE GUEDES DA SILVA JUNIOR

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: FERNANDO JOSE GUEDES DA SILVA JUNIOR
DATA: 18/11/2016
HORA: 15:00
LOCAL: Auditório PPGEnf
TÍTULO: USO DE ÁLCOOL E OUTRAS DROGAS POR MULHERES E SUA RELAÇÃO COM SOFRIMENTO MENTAL
PALAVRAS-CHAVES: Alcoolismo. Drogas Ilícitas. Sofrimento mental. Mulheres. Enfermagem.
PÁGINAS: 150
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Enfermagem
RESUMO:

Introdução: O consumo de álcool e outras drogas é um problema de saúde pública de abrangência mundial que tem impacto nos indicadores epidemiológicos, econômicos, familiares, jurídicos, sociais e de saúde. Atenção especial deve ser dada as mulheres por serem mais vulneráveis as implicações oriundas desta prática, dentre elas o sofrimento mental, uma síndrome clínica caracterizada pela presença de sintomas depressivos, de ansiedade e sintomas físicos (somatização). Objetivo: analisar o uso de álcool e outras drogas e sofrimento mental em mulheres atendidas na Estratégia Saúde da Família. Metodologia: estudo multicêntrico, analítico e transversal, realizado no Estado do Piauí, com 369 mulheres dos municípios de Teresina, Parnaíba, Picos, Floriano e Bom Jesus. Os dados foram coletados no período de agosto de 2015 a março de 2016 por meio da aplicação do Alcohol Use Desorders Identification Test, Non-Student Drugs Use Questionnaire e Self-Reporting Questionnaire. Para análise utilizou-se o software Statistical Package for the Social Science, versão 20.0. Foram realizadas estatísticas descritivas (medidas de tendência central) e inferenciais (regressão logística linear e multivariada; teste de Mann-Whitney e Kruskal-Wallis; teste de correlação de Spearman). Resultados: A amostra se caracterizou por mulheres adultas jovens, pardas, casadas, católicas, com filhos, naturais do interior do Estado, que estudaram em escolas públicas (±10 anos de estudo), com emprego formal e renda individual média superior a um salário mínimo. A prevalência do consumo de álcool foi de 50,1%, tabaco 17,9%, tranquilizantes 15,7%, maconha 4,9%, solventes e cocaína 1,9%. Das mulheres entrevistadas 37,1% apresentavam sofrimento mental. As mulheres que possuem padrão de “possível dependência” de álcool têm 2,1 vezes mais chance de sofrimento que aquelas que fazem “uso de risco”. O teste de correlação de Spearman reforçou esse desfecho demonstrando que quanto mais intenso o consumo de bebidas alcoólicas mais grave é o sofrimento mental (p=0,000 e r=0,250). O consumo de tabaco aumenta em 3,5 vezes as chances de sofrimento (IC=2,0-6,1), os tranquilizantes em 2,6 vezes (IC=1,4-4,6) e a maconha em 4,5 vezes (IC=1,6-13,6). Conclusão: A prevalência do consumo de álcool/outras drogas e sofrimento mental é considerada alta na amostra. O “uso de risco” foi o padrão de consumo de álcool mais identificado. O uso do tabaco foi considerado pesado (±1,5 maços/dia). O consumo de álcool, tabaco, maconha e tranquilizantes aumenta a chance das mulheres apresentarem sofrimento mental. Aponta-se a necessidade de políticas públicas de saúde mais eficazes para prevenção do consumo de álcool, outras drogas e sofrimento mental em mulheres e de ações de qualificação profissional que possam dar melhor sustentabilidade ao processo de implementação das ações propostas, tanto nas políticas de saúde da mulher, saúde mental quanto naquelas de enfrentamento ao consumo de álcool e outras drogas. A principal recomendação para gestão e assistência de enfermagem inclui o uso de ferramentas para o rastreamento do consumo de álcool, outras drogas e sofrimento mental na rotina das consultas de enfermagem na Atenção Básica.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 6422772 - BENEVINA MARIA VILAR TEIXEIRA NUNES
Presidente - 1167726 - CLAUDETE FERREIRA DE SOUZA MONTEIRO
Interno - 6422171 - INEZ SAMPAIO NERY
Interno - 2221112 - MARCIA ASTRES FERNANDES
Externo à Instituição - MARIA ALZETE DE LIMA - UFRN
Externo à Instituição - SANDRA CRISTINA PILLON - USP
Interno - 1167764 - TELMA MARIA EVANGELISTA DE ARAUJO
Notícia cadastrada em: 20/10/2016 09:25
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 03/10/2022 21:23