Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: GUILHERME GUARINO DE MOURA SA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: GUILHERME GUARINO DE MOURA SA
DATA: 01/11/2016
HORA: 15:00
LOCAL: Auditório PPGEnf
TÍTULO: QUEDAS E CAPACIDADE FUNCIONAL DE IDOSOS INTERNADOS EM HOSPITAL DE URGÊNCIA: ESTUDO DE SEGUIMENTO
PALAVRAS-CHAVES: Idoso. Acidentes por queda. Incapacidade funcional. Atividades cotidianas.
PÁGINAS: 119
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Enfermagem
RESUMO:

As quedas representam uma das principais causas de internação de idosos nos serviços de emergência, e tem como principal consequência o comprometimento da independência funcional. Estudo longitudinal, descritivo que objetivou avaliar a capacidade funcional de idosos vítimas de queda internados em serviço hospitalar de urgência da cidade de Teresina. Participaram da pesquisa 151 idosos, que foram entrevistados para caracterização demográfica, econômica e clínica e aplicação da Medida de Independência Funcional (MIF). A capacidade funcional foi avaliada antes da queda (recordatório), na internação hospitalar e 30 dias após a alta, no domicílio. Os dados foram analisados por meio do programa Statistical Package for the Social SciencesSPSS, sendo realizadas análises estatísticas descritivas e inferenciais. Foram utilizados coeficientes de correlação, teste T, Mann-Whitney, ANOVA e Kruskall-Wallis. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética da Universidade Federal do Piauí. Do total, 81,5% eram do sexo feminino, com idade média de 75,1 anos e 64,9% idosos mais jovens; 73,5% não eram alfabetizados; 44,4% referiram ser casados/união estável e 41,1% viúvos; 78,1% moravam com duas ou mais pessoas; 87,8% tinham aposentadoria e 86,8% viviam com mais de um salário mínimo. Foi encontrado déficit cognitivo em 26,5% dos idosos; 90,1% não eram etilistas e 92,7% não tabagista; 48,3% referiram ter de duas a três doenças e 41,1% tomavam de dois a três medicamentos; 57,6% praticavam automedicação; 60,3% dos idosos utilizavam algum recurso auxiliar para andar ou enxergar melhor antes de cair; apenas 19,2% praticavam exercício físico antes da queda e nenhum voltou a praticar 30 dias após a alta hospitalar. As principais doenças referidas foram a hipertensão arterial (67,5%), problemas de coluna (34,4%), osteoporose (32,5%), problemas de visão (31,1%) e diabetes (26,5%). Dos participantes, 75,9 % faziam uso de anti-hipertensivos e 53,9% de antiinflamatórios/analgésicos. As principais lesões foram as fraturas da extremidade distal do rádio (25,8%), do colo do fêmur (23,2%) e as pertrocanterianas (19,2%). O tempo médio de permanência hospitalar foi de 7,46 dias e 97,3% dos idosos realizaram cirurgia com fixação interna. Quanto a capacidade funcional: ao comparar os valores da MIF antes da queda e no domicílio, houve importante diminuição do número de idosos independentes, que passou de 77,5% para 17,2%; neste seguimento os idosos não tiveram sua capacidade funcional totalmente reabilitada, sendo mais afetado o domínio motor, com perda da capacidade de realizar, principalmente, as atividades de autocuidado e mobilidade. Tiveram relação com a dependência funcional: ser do sexo feminino, idoso mais velho, não ser alfabetizado, viúvo, ter maior número de doenças, tomar muitos medicamentos, não praticar exercício físico, ter déficit cognitivo e maior tempo de internação. Conclui-se que os idosos que sofreram queda e foram internados em hospital de urgência eram independentes antes do acidente, desenvolveram para maior dependência no hospital e permaneceram dependentes um mês após a alta, com maior impacto no domínio motor e dimensões de autocuidado e mobilidade. A dependência esteve relacionada com aspectos demográficos e clínicos do idoso. São necessárias ações intersetoriais para prevenção de incapacidades no idoso, fundamentadas nos determinantes para promoção de um envelhecimento ativo, em que a pessoa idosa goze de autonomia e independência.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2334938 - ANA MARIA RIBEIRO DOS SANTOS
Interno - 1792859 - ELAINE MARIA LEITE RANGEL ANDRADE
Interno - 423632 - MARIA DO LIVRAMENTO FORTES FIGUEIREDO
Externo à Instituição - ROSALINA APARECIDA PARTEZANI RODRIGUES - USP
Notícia cadastrada em: 20/10/2016 11:31
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 03/10/2022 04:44