Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: RUTH CARDOSO ROCHA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: RUTH CARDOSO ROCHA
DATA: 23/11/2016
HORA: 14:30
LOCAL: Auditório PPGEnf
TÍTULO: CULTURA DE SEGURANÇA DO PACIENTE EM UNIDADES CIRÚRGICAS: enfoque na equipe de enfermagem
PALAVRAS-CHAVES: Enfermagem. Segurança do Paciente. Cultura. Centros Cirúrgicos
PÁGINAS: 112
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Enfermagem
RESUMO:

A segurança do paciente é um dos assuntos prioritários na área da saúde em âmbito mundial, caracterizando-se como uma das principais metas almejadas pelas instituições envolvidas com o cuidado. Uma das estratégias para promover a segurança do paciente é a incorporação da cultura de segurança no ambiente de saúde, conhecendo e identificando os fatores que interferem para em seguida elaborar medidas mais seguras para cada contexto. Para tanto, o objetivo deste estudo foi analisar a cultura de segurança do paciente na perspectiva da equipe de enfermagem de unidades de centro cirúrgico (CC) através do instrumento Hospital Survey on Patient Safety Culture (HSOPSC). Trata-se de um estudo quantitativo, com amostra censitária, totalizando 200 participantes. Os dados foram coletados em três unidades de CC, sendo o CC1(Municipal), CC2 (Federal) e o CC3(Estadual) de hospitais públicos de referência de Teresina, Piauí, Brasil, entre janeiro a agosto de 2016. A pesquisa recebeu aprovação do Comitê de Ética da Universidade Federal do Piauí. Para análise dos dados realizou-se estatística descritiva e analítica. A amostra caracterizou-se majoritariamente feminina (90,0%), com idade variando de 24 a 71 anos, com média de 39,52± 11,3, segundo grau completo no CC1 e CC3 e ensino superior completo no CC2. A maioria era formada por técnicos de enfermagem e grande parte das categorias mantinham contato direto com o paciente (98,0%). No CC1 e o CC2 predominou os profissionais trabalhavam de 1 a 5 anos e no CC3 os profissionais com cerca de 21 anos ou mais. Houve associação estatística significativa (p<0,001) referente às variáveis sociodemográficas e laborais relacionando aos CC. No CC1 prevaleceu a nota de segurança “regular” com 48,9%, já o CC2 e o CC3 julgaram a segurança do paciente como “muito boa” com 47,8% e 48,3% da opinião dos profissionais, respectivamente. Em relação ao número de eventos adversos relatados, a maioria dos participantes dos três CC, (80%) não relatou nenhum evento adverso nos últimos 12 meses. Quanto às dimensões notou-se que o CC1 não apresentou nenhuma área fortalecida da segurança do paciente, sendo que a que obteve maior percentual foi “Aprendizado organizacional-melhoria contínua” (58,7%) e a mais deficitária foi “Abertura para comunicação” (32,2%). O CC2 apresentou a dimensão “Aprendizado organizacional-melhoria contínua” (80,6%) e “Frequência de eventos comunicados” (76,2%) como áreas fortalecidas da cultura e como dimensão com menor percentual “Resposta não punitiva ao erro” (32,6%), necessitando de melhorias nessa área fragilizada da cultura. Já o CC3 apresentou “Aprendizado organizacional – melhoria contínua” como área fortalecida e como áreas críticas “Resposta não punitiva ao erro” (33,5%) e “Quadro de funcionários” (28,5%). Notou-se que mais da metade dos participantes dos três centros cirúrgicos referiram ter realizado algum curso sobre segurança do paciente. Sobre medidas que poderiam melhorar a segurança do paciente na opinião da equipe de enfermagem a mais citada pelos profissionais foi “Cumprimento das metas internacionais de SP/ protocolos. Os resultados revelaram que a cultura de segurança nos CC apresenta áreas potenciais para se tornarem de força, contudo, são necessárias mudanças culturais nas áreas que obtiveram percentuais baixos de respostas positivas.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 286.892.753-04 - FERNANDA VALERIA SILVA DANTAS AVELINO - UFPI
Externo ao Programa - 1551620 - MARIA ZELIA DE ARAUJO MADEIRA
Externo à Instituição - RHANNA EMANUELA FONTENELE LIMA DE CARVALHO - UECE
Interno - 1167659 - SILVANA SANTIAGO DA ROCHA
Notícia cadastrada em: 08/11/2016 12:06
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 04/10/2022 23:11