Notícias

Banca de DEFESA: BRAULIO VIEIRA DE SOUSA BORGES

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: BRAULIO VIEIRA DE SOUSA BORGES
DATA: 24/10/2017
HORA: 14:00
LOCAL: Auditório PPGEnf
TÍTULO: ADESÃO AO SEGUIMENTO CLÍNICO DE MULHERES PROFISSIONAIS DO SEXO COM SÍFILIS
PALAVRAS-CHAVES: Adesão à Medicação. Sífilis. Profissionais do sexo. Mulheres. Prevalência. Epidemiologia.
PÁGINAS: 110
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Enfermagem
RESUMO:

A sífilis é uma doença infecciosa, crônica e sistêmica; configura-se como um grave problema de saúde pública, com gravidade mais exponencial em populações vulneráveis, como Mulheres Profissionais do Sexo. O estudo teve como objetivo avaliar a adesão ao seguimento clínico de mulheres profissionais do sexo com sífilis. Pesquisa analítica, com abordagem quantitativa em que foi realizada uma coorte das mulheres com testagem reagente para sífilis. Realizada no município de Teresina – PI, no período de janeiro de 2016 a junho de 2017, com 358 mulheres profissionais do sexo, recrutadas pelo método Respondent Drive Sampling e acompanhamento de 27 casos detectados. Utilizou-se um formulário com variáveis referentes a questões sociodemográficas, comportamento sexual, adesão ao tratamento e exposição ao Treponema pallidum (Testagem rápida e VDRL). As participantes foram entrevistadas e submetidas a teste rápido para detecção de sífilis. Para os casos reagentes, foram coletadas amostras de sangue periférico para realização de VDRL quantitativo. Os dados foram processados pelo programa SPSS, versão 21.0. Para verificação da associação entre as variáveis qualitativas, foi utilizado o teste Qui-quadrado de Pearson com correção ao nível de significância 5% (<0,05). Todos os preceitos éticos foram atendidos com parecer do CEP número 0425.0045.000-11. Das 358 mulheres investigadas, houve predomínio da faixa etária de 25 a 39 anos (62,3%), moradoras de Teresina (77,6%), sem companheiros (94,6%), brancas (46,0%), escolaridade <8 anos de estudos (68,2%), católicas (80,1%), com atuação em bares (50,8%). A prevalência da sífilis foi considerada elevada, 7,5%, com significância estatística em relação à cor da pele (IC 40,84-51,16; p ≤ 0,001). Das 27 mulheres profissionais do sexo com VDRL reagentes, a primeira titulação variou de 1/1 a 1/64 e todas foram encaminhadas para tratamento. Obteve-se 8 (29,6%) de comparecimento aos serviços de saúde e dessas, somente, 4(14,8%) obtiveram sucesso do tratamento dos casos detectados, bem como 10(37,0%) de perda do seguimento clínico, 9(33,3%) de não adesão ao seguimento clínico por parte das profissionais do sexo. Recomenda-se novos estudos de cunho epidemiológico para maior entendimento das condições de saúde dessa população, bem como ações de rastreamento, diagnóstico, tratamento e seguimento clínico dos casos de sífilis, a fim de reduzir a cadeia de transmissibilidade.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2364966 - ROSILANE DE LIMA BRITO MAGALHAES
Interno - 6422171 - INEZ SAMPAIO NERY
Interno - 1167658 - MARIA ELIETE BATISTA MOURA
Externo à Instituição - ELUCIR GIR - USP
Notícia cadastrada em: 06/10/2017 10:53
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 03/10/2022 09:06