Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: PRISCILLA CAVALCANTE LIMA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: PRISCILLA CAVALCANTE LIMA
DATA: 29/01/2018
HORA: 14:30
LOCAL: Auditório PPGEnf
TÍTULO: QUALIDADE DE VIDA DE RESIDENTES EM ÁREA PROFISSIONAL DA SAÚDE
PALAVRAS-CHAVES: Internato e residência; Residência não médica; Qualidade de vida.
PÁGINAS: 63
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Enfermagem
RESUMO:

O processo de profissionalização em programas de residência pode ter como uma das suas características o comprometimento da qualidade de vida dos residentes. Estudo descritivo-analítico com delineamento transversal, que objetivou avaliar a qualidade de vida dos residentes inseridos em programas de residência em área profissional da saúde. Participaram da pesquisa 149 residentes, que responderam aos: questionário composto por dados sociodemográfico, hábitos de vida e de saúde e o formulário whoqol-bref, ambos autoaplicáveis. Os dados foram analisados por meio dos seguintes softwares: R x64 versão 3.4.0, LibreOffic Calc versão 5.3.3.2 e PSPP versão 3, sendo realizadas análises descritivas e inferenciais. Foram aplicados testes estatísticos paramétricos e não paramétricos. Dentre os testes paramétricos foram utilizados teste t, ANOVA e teste Tukey, para comparar médias. Nos testes não paramétricos foram realizados os testes de Mann-Whitney e Kruskal Wallis para verificar diferenças entre populações. O nível de significância utilizado foi de 5% para todos os testes. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética da Universidade Federal do Piauí com o parecer n° 2.061.414. Dos participantes, 57,72% eram do sexo feminino, com idade média de 27,37 ± 3,35 anos; 69,79% eram solteiros; 83,22% referiram não terem filhos e 48,99% declararam serem brancos. Foi identificado que 66,44% dos residentes estavam inseridos nos programas de residência médicos; 18,79% nos multiprofissionais e 14,76% nos uniprofissionais. Do total, 66,44% eram médicos; 14,09% enfermeiros; 5,37% farmacêuticos; 2,68% fisioterapeutas; 4,7% nutricionistas; 4,03% odontólogos e 2,68% psicólogos. Dos participantes, 28,86% tinham entre 2 a 3 anos de formação; 43,62% estavam no primeiro ano de residência. A qualidade de vida total apresentou escore de 3,39 ± 0,50, o domínio físico 3,51 ± 0,62, o psicológico 3,48 ± 0,62, o de relações sociais 3,55 ± 0,72 e o de meio ambiente 3,41 ± 0,48. A percepção da qualidade de vida apresentou um escore de 3,30 ± 0,95 e satisfação com a saúde 3,38 ± 0,99. Esses resultados indicam uma boa qualidade de vida. Dentro dos domínios algumas facetas apresentaram escores que indicam qualidade de vida regular, a saber: no domínio físico, dor física (2,12 ± 0,96); tratamento médico (2,01 ± 1,06) e sono (2,68 ± 1,07); no domínio psicológico, aproveitar a vida (2,91± 0,82) e sentimentos negativos (2,64 ± 1,03) e no domínio meio ambiente o ambiente físico (2,98 ± 0,90) e o lazer (2,58 ± 0,75). As mulheres apresentaram escores mais baixos para qualidade de vida total 3,39 ± 0,49 (p-valor<0,01) do que os homens 3,61 ± 0,50. A diferença significativa entre os sexos também apareceu na percepção da qualidade de vida (p <0,01), nos domínios, físico (0,005), psicológico (0,002) e meio ambiente (0,04), nos quais as mulheres apresentaram escores mais baixos (médias respectivamente 3,14; 3,40; 3,35 e 3,34) do que os homens (médias respectivamente 3,51; 3,65; 3,65 e 3,50). Foi observada diferença significativa da qualidade de vida geral em relação ao estado civil, no qual os residentes em união estável apresentou menor escore (3,28 ± 0,83) (p= 0,03). A diferença entre o estado civil também ocorreu no domínio psicológico (p= 0,038), em que os participantes em união estável apresentaram menores escores 3,24 ± 0,94. Em relação a qualidade de geral e os programas de residência os que obtiveram melhores médias foram: cirurgia geral R3 (4,50), medicina intensiva (4,30), pediatria (4,10), enquanto os programas de nutrição (3,24), psicologia (3,15), enfermagem (2,94) e neonatologia (2,90) tiveram os escores mais baixos.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - ANA CELIA OLIVEIRA DOS SANTOS - UPE
Interno - 2334938 - ANA MARIA RIBEIRO DOS SANTOS
Interno - 1792859 - ELAINE MARIA LEITE RANGEL ANDRADE
Presidente - 2335983 - MARCIA TELES DE OLIVEIRA GOUVEIA
Notícia cadastrada em: 13/12/2017 11:19
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 30/09/2022 09:05