Notícias

Banca de DEFESA: PATRICIA DE AZEVEDO LEMOS CAVALCANTE

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: PATRICIA DE AZEVEDO LEMOS CAVALCANTE
DATA: 07/03/2013
HORA: 09:00
LOCAL: Sala de Videoconferência
TÍTULO:

EFEITO DAS MODALIDADES DE ENSINO PRESENCIAL E A DISTÂNCIA NO CONHECIMENTO DE ENFERMEIROS SOBRE ÚLCERA POR PRESSÃO



PALAVRAS-CHAVES:

Úlcera por pressão, Educação a Distância, Enfermagem, Diretrizes para Prática Clínica.


PÁGINAS: 80
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Enfermagem
SUBÁREA: Saúde do Adulto e do Idoso
RESUMO:

Estudos não indicam consenso sobre qual modalidade de ensino seria melhor para
aumentar o conhecimento dos enfermeiros sobre úlcera por pressão (UPP). Frente
ao exposto, este estudo teve por objetivo verificar o efeito das modalidades de
ensino presencial e a distância no conhecimento de  enfermeiros sobre UPP.
Pesquisa experimental de grupo controle pós-teste, realizada em um hospital público
de grande porte do estado do Piauí, no período de janeiro a abril de 2012. A amostra
foi de 43 enfermeiros divididos aleatoriamente em Grupo controle (n=20) submetido
à modalidade de ensino presencial e Grupo experimental (n=23) à modalidade de
ensino a distância. O projeto de pesquisa foi aprovado pelo Comitê de Ética em
Pesquisa da Universidade Federal do Piauí. Para coleta de dados, utilizou-se o teste
de Pieper e Moot (1995) e um instrumento sobre características sociodemográficas,
uso do computador e Internet. Estatísticas descritivas foram utilizadas para análise
das variáveis sociodemográficas, de formação, experiência profissional, uso do
computador, da Internet e conhecimento dos enfermeiros sobre UPP nas
modalidades de ensino presencial e a distância. O Test  t  para duas amostras
independentes também foi utilizado para comparar a  diferença no conhecimento
sobre UPP entre os enfermeiros participantes das modalidades de ensino presencial
e a distância. Dos 43 enfermeiros que participaram  do estudo 20 (46,5%) foram
submetidos a modalidade de ensino presencial e 23 (53,5%) a modalidade de ensino
a distância. A média de acertos no teste de Pieper  e Mott (1995) para os
participantes da modalidade de ensino presencial foi 34,0 (dp=3,3) e para os
participantes da modalidade de ensino a distância  36,2 (dp= 2,7). Essa diferença de
médias foi estatisticamente significante (p=0,019). O efeito da modalidade de ensino
a distância no conhecimento dos enfermeiros sobre UPP foi maior do que na
modalidade de ensino presencial. Isso pode ter ocorrido pelo fato da EaD ser mais
flexível e permitir estudo do conteúdo no próprio ambiente de trabalho. No ensino
presencial a dificuldade para reunir os enfermeiros nos locais de trabalho para oferecer programas de educação permanente coloca essa modalidade de ensino em
desvantagem a EaD. Na educação permanente em enfermagem a EaD pode ser
uma estratégia eficaz pela praticidade, interatividade e por permitir ao enfermeiro
que está na prática clínica decidir sobre o melhor momento e local para acessar o
conteúdo. Melhorar o conhecimento dos enfermeiros sobre UPP é indispensável para promover nas organizações de saúde a disseminação e implementação de
práticas preventivas concernentes as Diretrizes e a educação permanente deve ser
prioridade para os gestores de enfermagem.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1792859 - ELAINE MARIA LEITE RANGEL ANDRADE
Externo à Instituição - ISABEL AMÉLIA COSTA MENDES - URP
Interno - 6422249 - MARIA HELENA BARROS ARAUJO LUZ
Notícia cadastrada em: 06/03/2013 10:12
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb04.ufpi.br.instancia1 04/10/2022 04:40