Notícias

Banca de DEFESA: ANTONIA MAURYANE LOPES

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ANTONIA MAURYANE LOPES
DATA: 03/04/2018
HORA: 14:00
LOCAL: Auditório PPGEnf
TÍTULO: GERENCIAQUALICROHN: elaboração e validação de instrumento de Enfermagem para Assistência a pacientes com Crohn
PALAVRAS-CHAVES: Gerenciamento de Caso; Satisfação do Paciente; Qualidade de vida; Doença de Crohn.
PÁGINAS: 152
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Enfermagem
RESUMO:

Resumo: A construção de instrumentos validos têm sido implementados na área de enfermagem. Objetivos: elaborar e validar um instrumento centrado no Gerenciamento de Caso de Enfermagem com foco na qualidade de vida para assistência ao paciente com Doença de Crohn, assim como medir a satisfação desses antes e após da aplicação do instrumento. Métodos: estudo misto desenvolvido em dois momentos. O primeiro um estudo metodológico em seis etapas: 1- diagnóstico situacional da assistência a paciente com Doença de Crohn, por meio de estudo qualitativo;2- revisão sistemática descritiva (Prisma statement) nas bases de dados: MEDLINE, LILACS IBECS, CINAHL, Web of Science; 3- elaboração dos itens: criação da miniteoria, formulação e validação clínica dos Diagnósticos e Intervenções de Enfermagem. As 4ª e 5ª etapas validação de conteúdo com comitê de dozes juízes-especialistas, e de aparência com cinco enfermeiro.6- testabilidade do GerenciaQualiCrohn. A coleta de dados acorreu entre agosto a janeiro 2018. Utilizou-se o Gerenciaqualicrohn e Inflamatomatory Bowel Disease Questionaire. O segundo momento foi estudo exploratório descritivo de natureza longitudinal com delineamento quase-experimental, com grupo único de 36 pacientes com Crohn. A coleta de dados ocorreu no período de Maio de 2017 a Janeiro de 2018 por meio da aplicação da :SERVQUAL adaptada antes e após a intervenção (GerenciaQualiCrohn); formulário de caracterização dos pacientes com Crohn. Utilizou-se o software StatisticalPackage for the Social Science, versão 20.0. Foram realizadas estatísticas descritivas (medidas de tendência central e inferenciais (teste de Mann-Whitney e Kruskal-Wallis). Aprovado pelo Comitê de Ética do Hospital Universitário do Piauí com o parecer nº Resultados: na avaliação acerca da assistência de enfermagem ao paciente com doença de Crohn mostrou que não existe, até o momento uma consulta de enfermagem específica para essa clientela. Os participantes reconhecem que há piora da qualidade de vida com os períodos de crise da doença.Tanto os enfermeiros quanto os pacientes sugerem consulta de enfermagem, acompanhamento e monitoramento por contato telefônico, Na etapa 2 os três artigos elegíveis evidenciaram o monitoramento por contato telefone como medida confiável, útil e positiva para assistência a paciente com Doença Inflamatória Intestinal. A etapa 3 a dimensionalidade usada na miniteoria foi gerenciamento de caso como processo de colaboração, avaliar, planejar, facilitar os cuidados baseados nas necessidades de saúde da família e paciente. Na 4ª etapa foram formulados 22 diagnósticos de enfermagem classificados em potenciais, reais e vulnerabilidades e 76 intervenções de enfermagem, em que foram validados clinicamente pelos enfermeiros. A 5ª etapa o índice de validade de conteúdo final do GerenciaQualiCrohn atingiu valores de 0,83 e alfa de cronbach >0,70, apresentando confiabilidade alta (α = 0,90). O coeficiente de validade de conteúdo total atingiu bons índices (CVCt>0,8) na validação de aparência. A 6ª etapa, aplicação do GerenciaQualiCronh teve em média 27,6±8,0/min e 47,2% obtive qualidade de vida regular. Houve diferença estatística nos valores da qualidade de vida quanto ao sexo (p <0.001). Não foram encontradas diferenças significativas nos valores médios de QV total entre idade, estado civil, anos de estudos, cor de pele, renda individual, aposentado ou não pela doença e tempo de tratamento. Com amostra (n=36) 58,3% são do sexo masculino e cor parda, idade média de 36 anos,52,8%, casados, 55,6 % são católicos, 61,1% residem na capital e 69,4% possui mais de 9 anos de estudos e convivem com um salário mínimo, 89% não são aposentado pela doença. A SERVQUAL utilizada teve a=0,96. Nas subescalas expectativa e percepção o domínio segurança apresentou a maior média 6,4 ±0,6/6,36,3±1,1. Não houve diferença estatisticamente significante na satisfação dos usuários, em relação a dimensão empatia, quanto analisado antes e após a intervenção, assim como entre os domínios atendimento, segurança, empatia como os dados: sexo, faixa etária, anos de estudos e residência, por outro lado, houve significância (p=0,05) na faixa etária de adultos entre 40-50 anos com o domínio confiabilidade. Na avaliação geral dos gaps os participantes apresentam satisfação com qualidade da assistência 0,2±0,9, mas sentem-se insastifeitos quanto a segurança -0,1±1,0. Conclusões: os pacientes de Crohn e os enfermeiros vê a necessidade de uma consulta de enfermagem especifica, e monitorização por telefone como forma de assistir. Os artigos encontrados possuem moderado a alto níveis de evidências cientificas e mostra que o uso do telefone na assistência ao paciente com Crohn é positivo. Os pacientes com Crohn adultos encontram-se satisfeito com qualidade da assistência, e insatisfeito em relação a segurança.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1350197 - FERNANDA VALERIA SILVA DANTAS AVELINO
Externo ao Programa - 2073270 - FERNANDO JOSÉ GUEDES DA SILVA JÚNIOR
Presidente - 1655148 - GRAZIELLE ROBERTA FREITAS DA SILVA
Externo à Instituição - LUCIANA SCHLEDER GONÇALVES - UFPR
Notícia cadastrada em: 08/03/2018 10:37
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 02/10/2022 22:06