Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: LORRAINIE DE ALMEIDA GONÇALVES

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LORRAINIE DE ALMEIDA GONÇALVES
DATA: 20/08/2018
HORA: 14:30
LOCAL: Auditório PPGEnf
TÍTULO: ESTUDO COMPARATIVO SOBRE CONSUMO DE BEBIDA ALCOÓLICA ENTRE GESTANTES E NÃO GESTANTES ATENDIDAS NA ATENÇÃO PRIMÁRIA
PALAVRAS-CHAVES: Bebidas alcoólicas. Mulheres. Gestantes.
PÁGINAS: 50
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Enfermagem
RESUMO:

Introdução: O consumo de bebida alcoólica é fator de risco para o surgimento de problemas de saúde e consequências familiares, sociais e laborais. Percebe-se um crescimento preocupante do padrão de consumo no universo feminino. Atenção especial deve ser dada as gestantes, visto que o consumo de álcool durante a gravidez pode trazer graves consequências ao feto, que podem se prolongar por toda a vida dele, atingindo-o com sequelas que invadem a vida adulta. Objetivo: comparar o consumo de bebida alcoólica entre gestantes e não gestantes atendidas na atenção primária do Piauí. Metodologia: estudo transversal, descritivo realizado com 369 mulheres na faixa de 20 a 59 anos de idade, atendidas em Unidades Básicas de Saúde dos municípios de Teresina, Parnaíba, Picos, Floriano e Bom Jesus. A coleta de dados ocorreu no período de agosto de 2015 a março de 2016, por meio da aplicação do Alcohol Use Desorders Identification Test (AUDIT). Utilizou-se o software Statistical Package for the Social Science (SPSS), versão 22.0, para a realização da análise estatística descritiva (medidas de tendência central) e bivariada (teste qui-quadrado de Pearson e teste de Mann-Whitney). O projeto atendeu exigências das diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos, regidas pelas Resoluções n.º 466/2012 e n.º 510/2016. Resultados: a prevalência de consumo de bebida alcoólica em gestantes foi de 40,0%, e não gestantes foi de 52,7%, sendo que as mulheres não gestantes apresentaram 1,67 vezes mais chances de consumo de bebida alcoólica quando comparadas com gestantes. Quanto a comparação de média do escore do AUDIT obtido em gestantes e não gestantes, nota-se que as não gestantes tem média de 3,84 e as não gestantes 1,92, verificou-se que há uma diferença estatisticamente significativa na média (p= 0,003). Constatou-se que das gestantes que consomem álcool 80% estavam inseridas no uso de baixo risco (zona I) e 20% no uso de risco (zona II). Quanto as não gestantes, 63,9% com padrão de baixo risco, 29% fazem uso de risco, 3,9% uso nocivo (zona III) e 3,2% na possível dependência (zona IV).


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - ANA PATRICIA PEREIRA MORAIS - UECE
Presidente - 1167726 - CLAUDETE FERREIRA DE SOUZA MONTEIRO
Externo ao Programa - 2073270 - FERNANDO JOSÉ GUEDES DA SILVA JÚNIOR
Interno - 6422171 - INEZ SAMPAIO NERY
Notícia cadastrada em: 10/08/2018 09:32
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 04/10/2022 23:03