Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: VANESSA MOURA CARVALHO DE OLIVEIRA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: VANESSA MOURA CARVALHO DE OLIVEIRA
DATA: 10/09/2018
HORA: 15:00
LOCAL: Sala dos professores - PPGEnf
TÍTULO: INFECÇÃO PELO VÍRUS DA HEPATITE B, ADESÃO E AVALIAÇÃO DA SOROCONVERSÃO À VACINA CONTRA HEPATITE B EM PESSOAS QUE VIVEM EM SITUAÇÃO DE RUA
PALAVRAS-CHAVES: Pessoas em situação de rua, Vacinação, Hepatite B
PÁGINAS: 71
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Enfermagem
RESUMO:

Introdução: A hepatite B é uma infecção grave por seus altos índices de prevalência. Essa infecção pode ser evitada, por meio de medidas de biossegurança, não compartilhamento de uso de objetos de uso pessoal e uso de preservativo nas relações sexuais. E a forma mais eficaz é através da realização da vacina contra hepatite B. Estudos realizados por diversos pesquisadores mostraram que a completude vacinal de três doses contra hepatite B tem sido difícil em populações de maior vulnerabilidade. Objetivo: Analisar a adesão a vacina contra hepatite B a partir do índice de positividade para os marcadores HBsAg, anti-HBc e anti-HBs e utilização do esquema vacinal acelerado em pessoas que vivem em situação de rua. Método: Estudo transversal com abordagem quantitativa com delineamento do tipo estudo de coorte prospectivo, para intervenção da vacina contra hepatite B dos participantes suscetíveis. O estudo foi realizado no Centro de Referência Especializado para População de Rua (Centro POP). Após realização de cálculo amostral a amostra resultou em 192 participantes. O recrutamento dos participantes foi realizado por meio da Técnica de Bola de Neve (Snowball technique). A coleta de dados correu no período de setembro de 2017 a julho de 2018 seguindo as etapas: aplicação de um formulário previamente validado, testagem rápida para hepatite B, coleta de 5ml de sangue para pesquisa dos marcadores sorológicos HBsAG, Anti-HBc e Anti-HBs e vacinação contra hepatite B seguindo o regime de esquema acelerado de 0, 7 e 21 dias. Foi realizada a análise de frequência estatística descritiva e o teste de qui-quadrado foi utilizado para testar a significância de diferenças entre proporções. Valores de p < 0,05 foram considerados estatisticamente significantes. O projeto foi apreciado e aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa (CEP) da UFPI com número de parecer 1.755.893. Resultados: Foram entrevistados 174 pessoas que vivem em situação de rua com média de idade de 34,5 anos. A maioria era do sexo masculino (86,2%), com estado civil solteiro (73%) e informou sentir atração sexual por mulheres 133 (76,4%). 137 (78,8) participantes relataram aram possuir profusão, porém, 98 (42%) não possuíam renda mensal. Com relação a prevalência dos marcadores sorológicos para a hepatite B, nenhum participante possuía o marcador sorológico HBsAg reagente, 44(32,8%) estavam protegidos da infecção pelo HBV por possuir o anticorpo Anti-HBs com níveis maiores que 10 MIU/ml. Apenas 12 (9,02%) tinham o marcador sorológico Anti-HBc reagente. A idade na primeira relação sexual relatada por 91 (52,2%) participantes foi menor que 15 anos. O tipo de prática sexual mais adotado foi o vaginal por 108 (62,1) entrevistados. Com relação ao uso do álcool, 112 (64,3%) referiram ingerir a bebida e destes, 34 (19,5%) informaram frequência do uso todos os dias. Sobre o uso de drogas ilícitas, a maconha foi a mais relatada por 137 (78,7%) seguida do crack por 114 (65,5%). Discussão: (em construção). Conclusão: (em construção).


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 3870578 - FERNANDO LOPES E SILVA JUNIOR
Interno - 1167658 - MARIA ELIETE BATISTA MOURA
Presidente - 2364966 - ROSILANE DE LIMA BRITO MAGALHAES
Externo à Instituição - SHEILA ARÚJO TELES - UFG
Notícia cadastrada em: 10/08/2018 09:52
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 30/09/2022 13:10