Notícias

2º Encontro de Discentes e Egressos do PPGEnf/UFPI

Na tarde desta terça-fera, dia 17 de dezembro, foi realizado o 2º Encontro de Discentes e Egressos da Pós-graduação em Enfermagem da Universidade Federal do Piauí.

 

O evento foi coordenado pela Profa. Dra. Márcia Teles de Oliveira Gouveia, que conduziu os trabalhos, apresentando todos os indicadores do Programa em relação às produções científicas e técnicas, aos grupos de pesquisa, às estratégias de internacionalização, bem como, o seguimento dos egressos identificando o inserção dos mesmos na área educacional e de assistência à saúde.

 

Na sequência a Coordenadora do PPGEnf/CCS/UFPI, Profa. Dra. Maria Eliete Batista Moura destacou a importância da manutenção dos vínculos dos egressos com seus orientadores, para dar continuidade às produções e ao fortalecimento dos grupos de pesquisa. Agradecendo a presença e a participação de todos os professores, discentes e egressos, a Coordenadora propôs uma dinâmica na qual cada um colocou na árvore de Natal uma bola com o seu desejo para 2020. Foi unânime o sonho de alcançar o conceito 5 na Avaliação da CAPES do Quadriênio.

 

evento ppgenf 220191218150559

Profa. Dra. Márcia Teles apresenta os dados do PPGEnf

 

evento ppgenf 320191218150725

Profa. Dra. Márcia Teles (coordenadora do Evento) e a Equipe de Bolsistas


O Programa de Pós-Graduação em Enfermagem encontra-se em pleno desenvolvimento de estratégias individuais e coletivas para atender aos critérios da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), quanto as mudanças requeridas para avaliação dos Programas de Pós-Graduação no Brasil. Em 12 anos de existência, o PPGEnf conseguiu titular até o momento: 17 Doutores e 197 Mestres, considerando que o Mestrado teve início em 2007 e o Doutorado a partir de 2014. Com o obejtivo de avaliar a inserção dos egressos é realizado anualmente um encontro, que está na 2ª edição.

 

Neste sentido, a Coordenação da Área da Enfermagem na CAPES espera que o planejamento de cada programa esteja voltado ao desenvolvimento de boas práticas em saúde, com vistas à translação do conhecimento e sua aplicação em serviços de saúde, além do atendimento aos desafios apresentados por problemas complexos, relacionados ao cuidado, à gestão e às políticas no setor. E ainda deve ter como ponto de partida sua autoavaliação, e este será um dos quesitos avaliados, considerando processos, procedimentos, instrumentos e resultados empreendidos pelos programas, com foco na formação discente e produção intelectual, na perspectiva de sua inserção social e/ou científica e/ou tecnológica e/ou profissional.

 

Quanto aos egressos, espera-se o incremento de mestres e doutores, acadêmicos e profissionais, em cargos de tomada de decisão, com incorporação dos mesmos em ambientes laborais correspondente a sua área de interesse, e consequente aumento de sua renda. Ademais, a aprovação para ocupação de cargos públicos e as mudanças implementadas por estes egressos nos serviços de saúde são pontos relevantes para o estabelecimento do impacto econômico produzido pelos programas. Por isso será importante, cada vez mais, que os programas sigam seus egressos, de forma a identificar a inserção profissional e a nucleação produzida por eles.

Notícia cadastrada em: 23/12/2019 09:00
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb04.ufpi.br.instancia1 25/09/2022 09:23