Notícias

Banca de DEFESA: CLARA ANANDA PIMENTEL DE SOUSA SANTOS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: CLARA ANANDA PIMENTEL DE SOUSA SANTOS
DATA: 13/02/2020
HORA: 09:00
LOCAL: Auditório PPGEnf
TÍTULO: NÍVEIS DE IDEAÇÃO SUICIDA ASSOCIADOS AO USO DE ÁLCOOL
PALAVRAS-CHAVES: Adulto; Ideação suicida; Abuso de álcool; Saúde mental; Saúde coletiva
PÁGINAS: 59
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Enfermagem
RESUMO:

Introdução: Ideação suicida é um termo referido a pensamentos e planos suicidários e considerado importante indicador para o risco de suicídio. Dentre os fatores de risco para o surgimento da ideação suicida encontra-se o uso de álcool. Objetivo: Analisar a associação entre ideação suicida e uso de álcool em população adulta atendida na atenção primária à saúde de Teresina/Piauí. Método: Estudo observacional, analítico e transversal, realizado com 380 adultos em 11 Unidades Básicas de Saúde segundo a territorialização dos NASF. A coleta de dados ocorreu entre junho e setembro de 2019, com aplicação de três instrumentos: questionário sociodemográficas, Escala de Ideação Suicida de Beck e Alcohol Use Desorders Identification Test. Para análise estatística, utilizou-se o software Statistical Package for the Social Science, versão 20.0 e análises descritiva e inferencial com nível de significância de 0,05. O estudo obteve aprovação pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Piauí (Parecer n°. 2.404.139). Resultados: A prevalência de ideação suicida na amostra foi 17,9%. Dentre estes 39,7% apresentam ideação suicida clinicamente significante. O de uso de álcool teve prevalência de 41,1%, com 69,9% em binge. O padrão de uso de álcool mostrou 15,3% em uso de risco, 2,1% nocivo, 3,2% possível dependência e 79,5% abstinência ou baixo risco. A prevalência de uso de álcool por pessoas com ideação suicida foi de 42,6% e com ideação suicida clinicamente significante de 44,4%. Em indivíduos com provável dependência observou-se um aumento na prevalência de ideação suicida e ideação suicida clinicamente significante, 33,3% e 16,7%, respectivamente. A ideação suicida foi predominante entre mulheres (82,8%), com idade entre 30 e 39 anos (51,7%), com companheiro/convívio no mesmo lar (48,3%). Não ter companheiro apresentou 1,4 vezes mais chances de presença de ideação suicida e histórico de discriminação 1,9 mais chances. A ideação suicida clinicamente significante esteve ligada em maioria também nas mulheres em idades menores, entre 20 e 29 anos (58,3%) e sem companheiro (50,0%). O sexo feminino apresentou três vezes mais chances de presença de ideação suicida clinicamente significativa, sem companheiro, com casamento anterior quatro vezes mais e sem companheiro 2,9 vezes mais chances. Ter tido evento estressor aumenta as chances de ideação suicida clinicamente significante em 3,1 vezes e problemas com sono em 2,9 vezes. Histórico de discriminação apresentou 3,7 mais chances de presença de ideação suicida clinicamente significativa. Conclusão: O uso de álcool exerceu influência para presença de ideação suicida na amostra. Os resultados obtidos podem fornecer subsídios para o planejamento de ações políticas e programas direcionados a essas problemáticas.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 6422772 - BENEVINA MARIA VILAR TEIXEIRA NUNES
Presidente - 1167726 - CLAUDETE FERREIRA DE SOUZA MONTEIRO
Externo ao Programa - 2073270 - FERNANDO JOSÉ GUEDES DA SILVA JÚNIOR
Externo à Instituição - SANDRA CRISTINA PILLON - USP
Notícia cadastrada em: 04/02/2020 15:09
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 03/10/2022 21:18