Notícias

Banca de DEFESA: JULYANNE DOS SANTOS NOLÊTO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JULYANNE DOS SANTOS NOLÊTO
DATA: 27/02/2020
HORA: 15:00
LOCAL: Auditório PPGEnf
TÍTULO: FRAGILIDADE EM IDOSOS ACIDENTADOS NO TRÂNSITO ATENDIDOS EM UM HOSPITAL DE REFERÊNCIA EM URGÊNCIA
PALAVRAS-CHAVES: Idoso. Síndrome da Fragilidade. Acidentes de Trânsito. Enfermagem Geriátrica
PÁGINAS: 106
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Enfermagem
RESUMO:

Introdução: A fragilidade representa síndrome com múltiplas causas, caracterizada pela diminuição da força, resistência e redução da função fisiológica. Relevante problemática de saúde pública em particular entre os idosos, uma vez que está diretamente associada a maior risco de queda, hospitalização, incapacidade funcional, institucionalização e óbito. Diante do exposto é necessário salientar que os problemas de saúde e óbitos desse grupo etário, além de estarem frequentemente relacionados às doenças crônico-degenerativas e as síndromes, os agravos por causas externas merecem destaque, principalmente as quedas e os acidentes de trânsito. Objetivo: Avaliar a fragilidade em idosos atendidos por acidente de trânsito em um hospital de referência em urgência. Método: Estudo observacional, analítico e transversal realizado em hospital de urgência, referência no atendimento ao trauma, situado em Teresina (PI). A população do estudo constituiu-se por 234 idosos que sofreram acidente de trânsito e foram atendidos nesse hospital no período da coleta de dados (setembro de 2018 a setembro de 2019). A amostragem foi não probabilística, em sequência. Adotou-se como instrumentos na coleta de dados o Mini Exame do Estado Mental, formulário para a caracterização dos participantes e a Escala de Fragilidade Edmonton. Foi realizada a análise descritiva e inferencial, aplicaram-se Teste Qui-quadrado, Teste Exato de Fisher e Regressão Logística. Em todas as análises, adotou-se o nível de significância de p<0,05. Este estudo obteve aprovação pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Piauí, com o parecer 2.817.389. Resultados: Verificou-se que entre os idosos atendidos por acidente de trânsito, a prevalência da fragilidade correspondeu 35,9%, enquanto 35,5% eram aparentemente vulneráveis e 28,6% não apresentavam fragilidade. Os fatores associados à fragilidade foram: sexo (p=0,038), cor da pele (p=0,039), estado civil (p=0,002), escolaridade (p=0,039), fonte de renda pensão (p=0,022), renda individual (p=0,018), renda familiar (p=0,006), composição familiar (p=0,032), não possui doença de base (p=0,019), hospitalização no último ano (p=<0,001), uso de medicamento no último mês (p=0,018), número de medicamentos (p=0,002), automedicação (p=0,025), outras dores (p=0,014), número de doenças (p=0,006), diabetes (p=0,005), catarata (p=0,007), depressão (p=0,016), uso de antidiabético (p=0,022) e antimicrobiano (p=0,038). Na regressão, as variáveis hospitalização no último ano (p=<0,001; OR: 4,536; IC: 2,173-9,468), renda individual até um salário mínimo (p=0,007; OR: 2,633, IC: 1,298-5,341) e automedicação (p=0,027; OR: 2,011; IC: 1,083-3,737) apresentaram mais chances para a condição de fragilidade. E, ser casado/união estável (p=0,002; OR: 0,182; IC: 0,063-0,524) e não possuir catarata (p=0,022; OR: 0,339; IC: 0,134-0,855) consistiram em fatores de proteção para a fragilidade. Conclusão: Evidenciou-se presença e vulnerabilidade em percentual significativo de fragilidade em idosos acidentados no trânsito. Desse modo, torna-se imprescindível o rastreamento precoce dessa síndrome para posterior planejamento de ações de saúde que visem prevenir ou minimizar incapacidades na saúde dos idosos. Ademais, a pesquisa propiciou o conhecimento acerca dos fatores de risco associados à fragilidade, o que permite identificar as condições passíveis de intervenção e, por conseguinte evitar desfechos clínicos adversos nesta população.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2334938 - ANA MARIA RIBEIRO DOS SANTOS
Interno - 1792859 - ELAINE MARIA LEITE RANGEL ANDRADE
Interno - 423632 - MARIA DO LIVRAMENTO FORTES FIGUEIREDO
Externo à Instituição - MARINA ALEIXO DINIZ REZENDE - PUC Goiás
Notícia cadastrada em: 11/02/2020 10:28
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 30/09/2022 09:04