Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: PEDRO SAMUEL LIMA PEREIRA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: PEDRO SAMUEL LIMA PEREIRA
DATA: 18/11/2020
HORA: 16:30
LOCAL: Remotamente
TÍTULO: AVALIAÇÃO DOS FATORES ASSOCIADOS À SÍFILIS CONGÊNITA
PALAVRAS-CHAVES: Sífilis Congênita. Gravidez. Cuidado Pré-natal.
PÁGINAS: 60
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Enfermagem
RESUMO:

Introdução: No Brasil, nos últimos cinco anos foi evidenciado um aumento constante no número de casos de sífilis em gestantes, Sífilis Congênita e sífilis adquirida. E pode ser justificado pela disponibilização de testes rápidos, realização de testagem, diminuição do uso de preservativos, redução na administração da penicilina na Atenção Básica e ao desabastecimento mundial de penicilina, entre outros. Objetivo: Analisar a ocorrência de sífilis congênita em crianças expostas a sífilis. Método: Trata-se de uma pesquisa analítica, com abordagem quantitativa realizado com gestantes com diagnóstico de sífilis. Realizado no município de Teresina – PI, capital do Estado do Piauí, localizada na Região Nordeste do Brasil. A população foi formada por 73 gestantes com diagnóstico de sífilis que se constituiu a primeira etapa do estudo. Um total de 30 casos de Sífilis Congênita foram identificados a partir segunda e terceira etapa do levantamento de dados. O projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Piauí. Resultados: Do total de participantes a idade variou de 18 a 38 anos e o número de consultas entre 6 e 7 (n=47; 64.4%). As gestantes não tinham histórico de IST (n=62; 84.9%) e receberam informações sobre a transmissão vertical da sífilis (n=68; 93.2%). Não fizeram uso de preservativo na relação sexual durante o período gestacional (n=42; 57.5%), apesar de terem recebido informação sobre o uso de preservativo (n=64; 87.7%). Em relação a parceria sexual tiveram resultado positivo para sífilis (n=31; 42.5%), e não realizaram testes para HIV (n=52; 71.2%) e hepatite B (n=56; 76.7%). A prevalência da sífilis congênita foi de n=30 (41,1%). A Transmissão Vertical ocorreu em quase metade dos partos das gestantes (n=30; 41.1%). Além disso, observa-se que a orientação sobre o tratamento de sífilis na UBS acontece pelo profissional médico (n=24; 32.9%) ou enfermeiro (n=24; 32.9%), sendo que o enfermeiro (n=38; 52.1%) é o profissional que costuma realizar a consulta de pré-natal. Conclusão: Em andamento.  


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 2792239 - ANDREIA RODRIGUES MOURA DA COSTA VALLE
Interno - 3017215 - HERLA MARIA FURTADO JORGE
Externo à Instituição - LUANA KELLE BATISTA MOURA - UNINOVAFAPI
Presidente - 2364966 - ROSILANE DE LIMA BRITO MAGALHAES
Notícia cadastrada em: 09/11/2020 14:17
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 03/10/2022 09:16