Notícias

Banca de DEFESA: PEDRO SAMUEL LIMA PEREIRA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: PEDRO SAMUEL LIMA PEREIRA
DATA: 15/12/2020
HORA: 09:00
LOCAL: Remotamente
TÍTULO: ANÁLISE DOS FATORES ASSOCIADOS À SÍFILIS CONGÊNITA
PALAVRAS-CHAVES: Sífilis. Sífilis Congênita. Gravidez. Pré-natal.
PÁGINAS: 77
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Enfermagem
RESUMO:

Introdução: A sífilis está entre as IST´s consideradas um problema de elevada magnitude mundialmente. É uma infecção causada pelo Treponema pallidum, pode evoluir de forma crônica e pode ter sequelas irreversíveis a longo prazo. É de notificação compulsória e sua forma congênita é responsável por altas taxas de morbidade e morbimortalidade. Objetivo: Analisar a ocorrência de sífilis congênita e fatores associados em mães com diagnóstico de sífilis na atenção primária. Método: Pesquisa analítica, com abordagem quantitativa realizado com 73 gestantes com diagnóstico de sífilis, em uma capital do nordeste do Brasil no período de maio de 2019 a junho de 2020. Foi aplicado um instrumento validado quanto à forma e conteúdo, contendo variáveis sociodemográficas, comportamentais, clínicas, de prénatal e parceria sexual e resultado da gestação. Inicialmente foi realizado levantamento e seleção das Unidades Básicas de Saúde, aplicabilidade do instrumento, de coleta de dados, durante a gestação e até 42 dias após o parto. Foram incluídas gestantes com o diagnóstico de sífilis em qualquer idade gestacional; cadastrada em uma ESF da zona urbana, com idade igual ou superior a 18 anos. Foram excluídas, após três tentativas, as participantes que não foram a consulta de pré-natal; as que tinham diagnóstico de transtorno mental e aquelas com diagnóstico de sífilis fosse após a primeira etapa da pesquisa. Os dados foram analisados no programa estatístico SAS versão 9.4 adotando-se α = 0,05 para significância estatística. Realizou-se frequências e percentuais, análise bivariada, tendo como variável dependente a ocorrência de sífilis congênita (sim/não), foi realizado o teste do qui-quadrado, ou teste de Fisher para casos nos quais o quiquadrado não fosse indicado e cálculo de Odds ratio. O projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Piauí sob o número de parecer: 2.975.828. Resultados: Das 73 participantes, a maioria de 26-38 anos (n=39; 53.4%), menos de 12 anos de estudo (n=42; 57.5%), não brancas (n=69; 94.5%) e sem trabalho renumerado (n=56; 76.7%). Tiveram sua primeira relação sexual entre 13 e 15 anos (n=42; 57.5%), não usam álcool (n=62; 84.9%), realizaram teste rápido de sífilis (n=41; 56.2%) e o pré-natal (n=65; 89.0%), o enfermeiro predominou na realização da consulta de pré-natal (n=38; 52.1%) e a maioria realizou entre 6 e 7 consultas (n=47; 64.4%). Não usaram preservativo na presente gravidez (n=42; 57.5%), a maioria foi diagnosticada com sífilis no primeiro trimestre de gestação (n=33; 45.2%), iniciaram o tratamento após o diagnóstico (n=62; 85.0%), foram orientadas sobre o tratamento de sífilis na UBS, quase metade das parcerias sexuais (n=31; 42.5%) testaram positivo para sífilis. A ocorrência de sífilis congênita foi de 30(41,1%). Conclusão: A prevalencia da sífilis congênita foi considerada alta, se deu predominantemente em filhos de mulheres mais empobrecidas, com baixa escolaridade e não brancas. O uso do álccol foi o fator associado a sífilis congenita (p=0.0056). Mostra ainda que a realidade da assistência ao pré natal, ainda está distante do atendimento ideal e urge intervenção. 


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 2792239 - ANDREIA RODRIGUES MOURA DA COSTA VALLE
Interno - 3017215 - HERLA MARIA FURTADO JORGE
Externo à Instituição - LUANA KELLE BATISTA MOURA - UNINOVAFAPI
Presidente - 2364966 - ROSILANE DE LIMA BRITO MAGALHAES
Notícia cadastrada em: 04/12/2020 11:16
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 02/10/2022 23:00