Notícias

Banca de DEFESA: LIDYANE RODRIGUES OLIVEIRA SANTOS

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LIDYANE RODRIGUES OLIVEIRA SANTOS
DATA: 26/02/2021
HORA: 14:00
LOCAL: Remotamente
TÍTULO: ANÁLISE DAS TRANSFUSÕES DE SANGUE EM UM HOSPITAL TERCIÁRIO: SUBSÍDIOS PARA A PRÁTICA TRANSFUSIONALSEGURA
PALAVRAS-CHAVES: transfusão de sangue; fatores de risco; segurança do sangue
PÁGINAS: 95
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Enfermagem
RESUMO:

Introdução: O sangue é o órgão mais transfundido no mundo, com mais de 100 milhões de unidades de concentrados de hemácias (CH) a cada ano, representa custo aproximado de US$ 3 bilhões (média de US$ 225 por CH). Além dos onerosos custos, têm potenciais riscos de complicações agudas e transmissão de infecções. Evidências internacionais e a Organização Mundial da Saúde incentivam criação de protocolos de gerenciamento e conservação de sangue que reduzam transfusões excessivas e desnecessárias, visto a disponibilidade, segurança e autossuficiência serem desafios que países enfrentam para responder ameaças conhecidas e emergentes para saúde pública. Análise dos fatores e auditoria da prática transfusional favorecem o uso racional e tornam-se primeiros pilares para implantação de protocolos internacionais, haja vista serem critérios para mensuração da qualidade hospitalar e segurança do paciente. Objetivo: Analisar os fatores associados à transfusão de sangue em hospital de uma capital do nordeste brasileiro Métodos: Estudo analítico de abordagem quantitativa realizado por meio de Sistema de gestão de estudos Modular Research System–Study Management System (Mrs-SMS) com 1038 prontuários de 2015 a 2018, após randomização pelo sistema, 61 requisições foram auditadas. Foi utilizado modelo de análise de regressão logística multivariada para analise dos possíveis fatores de risco associados à transfusão sanguínea. Teste t de Student e exato de Fisher foram usados na análise das variáveis e para correlações a análise de Spearman. Resultados: a análise mostrou que 38,2% das requisições estavam inadequadas quanto aos parâmetros, valores de hemoglobina e hematócrito sofrem alterações com a idade hb (-125 p<001) ht(1,00 p<001), sexo masculino (-0,468, p<0011 OR:0,626) pacientes cirúrgicos ortopédicos (-,881 p<049) e com doenças cardiovasculares (p<000) são mais propensos a serem transfundidos. A auditoria apontou conduta liberal no gatilho de transfusão, 10mg/dl de hemoglobina e 27 de hematócrito, com média de 318 ml transfundidos e ausência significativa de dados no preenchimento das requisições. Idade, sexo masculino e fraturas foram maiores preditores de risco para utilização de sangue. Conclusão: Uma porcentagem significativa de transfusões de hemoderivados são discordantes das recomendações das diretrizes, o que aponta necessidade de análise mais acurada e individualizada para realização da transfusão sanguínea. Auditoria, softwares para predizer risco e treinamentos para gerenciamento desta pratica tornará o processo mais seguro e reduzirá transfusões desnecessárias. 


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - CESAR DE ALMEIDA NETO - USP
Interno - 1792859 - ELAINE MARIA LEITE RANGEL ANDRADE
Interno - 1350197 - FERNANDA VALERIA SILVA DANTAS AVELINO
Interno - 3870578 - FERNANDO LOPES E SILVA JUNIOR
Presidente - 1655148 - GRAZIELLE ROBERTA FREITAS DA SILVA
Interno - 2335983 - MARCIA TELES DE OLIVEIRA GOUVEIA
Externo à Instituição - MARIA LIGIA DAMATO CAPUANI - USP
Notícia cadastrada em: 25/01/2021 17:16
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 05/10/2022 00:06