Notícias

Banca de DEFESA: JOELMA LACERDA DE SOUSA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JOELMA LACERDA DE SOUSA
DATA: 23/03/2021
HORA: 15:00
LOCAL: Remotamente
TÍTULO: OCORRÊNCIA DE INFECÇÕES ENTRE PACIENTES EM ASSISTÊNCIA DOMICILIAR: SUBSÍDIOS PARA A VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA
PALAVRAS-CHAVES: Assistência domiciliar. Serviços de assistência domiciliar. Sistema Único de Saúde. Prevalência. Monitoramento epidemiológico
PÁGINAS: 151
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Enfermagem
RESUMO:

Introdução: modelos de assistência a saúde envolvendo a internação em domicílio é uma realidade viável no Brasil e no mundo. Duas das vantagens apontadas desse modelo de assistência é reduzir o risco para infecções por cepas multidrogas resistentes e o custo para os sistemas de saúde. A diversidade de condições socioeconômicas-sanitárias e as dificuldades de monitoramento dos agravos vivenciados nos domicílios incita uma investigação epidemiológica para conhecer as possíveis ameaças infecciosas que o modelo de internação domiciliar possa oferecer. Objetivo: avaliar a ocorrência de infecção relacionada a assistência à saúde e principais fatores associados em pacientes assistidos pelas Equipes Multiprofissionais de Atenção Domiciliar e, assim contribuir com o processo de vigilância epidemiológica e segurança do paciente.. Método: estudo observacional/ seccional, retrospectivo realizado no município de Teresina com uma amostra censitária de 130 prontuários de pacientes assistidos em domicílio com dados relativos ao recorte temporal de abril de 2016 a julho de 2020. A coleta das informações envolveu aplicação de instrumento construído e validado em face e conteúdo para esta pesquisa e ocorreu de agosto a setembro de 2020. Para análise estatística utilizou-se software Statistical Package for the Social Sciences, versão 22.0. Foi realizado análise univariada, por meio de distribuição de freqüências. Para investigar evidências de associações utilizou-se o Teste Exato de Fisher e o Teste U-de Mann Whitney para análise de comparação. Foi realizada regressão logística de Poisson para verificar razões de chance. O nível de significância adotado para as análises foi de 0,05. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética da Universidade Federal do Piauí. Resultados: O estudo evidenciou um público com a maioria de idosos (≥ 60 anos), do sexo masculino (53,1%), (53,1%), cor parda (65,8%), sem cônjuge (61,1%), entre1-9 anos de estudo (47,2%), com cuidador do sexo feminino (83,2%). A taxa de ocorrência estimada de infecções foi de 46,2%, sendo as topografias mais frequentes: sistema respiratório (47,2%), urinário (32,4%), tegumentar (8,1%) e gastrointestinal (6,8%). As variáveis associadas foram o sexo do cuidador (OR= 6,611; IC95%- 1,826-23,933), uso de traqueostomia (OR=4,335;IC95%- 1,045-17,977), grau de dependência (OR= 3,892;IC95%- 1,123- 12,483), tempo de uso de dispositivo invasivo para alimentação (OR=15,044; IC95%- 2,759-82,033). Outras variáveis analisadas foram a reincidência infecciosa com 37,3% e reinternações hospitalares por infecções 33,3%. A análise comparativa evidenciou que o tempo de assistência domiciliar e o uso de traqueostomia foram decisivos na ocorrência de infecção. Conclusão: a taxa de ocorrência de infecções foi alta e foram encontradas associações com sexo do cuidador e o perfil clínico dos pacientes. O serviço de assitência domiciliar precisa se articular melhor dentro da rede de saúde, reduzindo o longo tempo de espera dos pacientes por procedimentos realizados em outros serviços. Reintera-se ainda a necessidade de protocolos que orientem as práticas dos profissionais de saúde sobre prevenção, controle e manejo das infecções na assistência domiciliar e um olhar especial dos profissionais de saúde para com o cuidador.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2792239 - ANDREIA RODRIGUES MOURA DA COSTA VALLE
Externo à Instituição - DENISE DE ANDRADE - USP
Externo ao Programa - 2059016 - JAQUELINE CARVALHO E SILVA SALES
Interno - 1167764 - TELMA MARIA EVANGELISTA DE ARAUJO
Notícia cadastrada em: 19/03/2021 14:16
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb04.ufpi.br.instancia1 25/09/2022 06:21