Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: IELLEN DANTAS CAMPOS VERDES RODRIGUES

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: IELLEN DANTAS CAMPOS VERDES RODRIGUES
DATA: 25/10/2013
HORA: 09:00
LOCAL: SALA DE REUNIÃO DO DEPARTAMENTO DE ENFERMAGEM - UFPI
TÍTULO:

Vivências de mulheres que passaram pelo processo de abortamento espontâneo: contribuições para a assistência de enfermagem


PALAVRAS-CHAVES:

Aborto espontâneo, Enfermagem, Cuidado, Emoções


PÁGINAS: 66
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Enfermagem
SUBÁREA: Enfermagem Obstétrica
RESUMO:

Abortamento é a morte do feto, que pode ocorrer entre 20ª e 22ª semanas de

gestação e/ou com 500 gramas ou menos, o que o torna incompatível com a

vida extrauterina, é dito espontâneo quando ocorre involuntariamente. O aborto

é o próprio concepto eliminado e abortamento é o processo. Tema polêmico

que envolve preceitos éticos, morais, sociais, culturais e religiosos, tornando-se

fonte de sofrimento para a mulher e a equipe de saúde que a assiste. Os

objetivos deste trabalho foram descrever e discutir as vivências das mulheres

em situação de abortamento espontâneo. Constitui-se em um estudo descritivo

de natureza qualitativa, que utilizou o método História de Vida. Os sujeitos da

pesquisa foram onze mulheres cujos dados foram produzidos mediante

entrevista com questões relativas ao perfil socioeconômico e demográfico e

aspectos gineco-obstétricos, além da questão norteadora da entrevista “Fale

sobre sua vida relacionando os fatos importantes que tenham relação com o

processo abortivo, antes, durante e após o abortamento”. Os relatos foram

analisados e interpretados por meio da análise de discurso segundo Bardin, o

método e referencial sobre a temática. Os resultados compreenderam a

caracterização dos sujeitos e as falas deram origem às categorias temáticas:

“A descoberta da gravidez e as alterações fisiopsicológicas no organismo;

Causas da ocorrência do abortamento espontâneo; Sentimentos de mulheres

que vivenciaram o abortamento espontâneo; e, Assistência de enfermagem à

mulher em situação de abortamento espontâneo”. Na categoria “A descoberta

da gravidez e as alterações fisiopsicológicas no organismo”, que relaciona a

gestação inicialmente a sentimentos negativos devido à falta de planejamento

e que posteriormente transformam-se em sentimentos positivos aliados à

aceitação da gravidez, a mulher passa por transformações físicas e

psicoemocionais que a leva desenvolver a maternidade. No que refere às

causas do abortamento espontâneo as mulheres relataram as psicológicas e

físicas. Quanto aos sentimentos vivenciados frente ao abortamento

espontâneo as mulheres destacaram: tristeza, consolo álibe, alívio, desespero,

negação, dor, medo e perda. Na assistência de enfermagem em situação

abortiva as mulheres expressaram uma assistência considerada boa, no

entanto percebe-se que o papel da enfermeira não ficou totalmente definido

para elas. A assistência passa por um processo de transformação, aliando um

cuidado voltado aos aspectos técnicos e psicoemocionais. Essa pesquisa

possibilita que os acadêmicos de enfermagem, e enfermeiras(os), reflitam

sobre a assistência prestada às mulheres em situação abortiva, demonstrando

que o profissional deve ter em mente não só o conhecimento técnico-científico,

mas envolver-se de uma conduta humanizada e ética ao lidar com essas

pacientes.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 6422772 - BENEVINA MARIA VILAR TEIXEIRA NUNES
Presidente - 6422171 - INEZ SAMPAIO NERY
Externo à Instituição - ROSANGELA DA SILVA SANTOS - UFRJ
Interno - 1167659 - SILVANA SANTIAGO DA ROCHA
Notícia cadastrada em: 23/10/2013 08:34
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb04.ufpi.br.instancia1 04/10/2022 04:49