Notícias

Banca de DEFESA: JEFFERSON ABRAÃO CAETANO LIRA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JEFFERSON ABRAÃO CAETANO LIRA
DATA: 05/05/2023
HORA: 14:30
LOCAL: Remotamente
TÍTULO: CONSTRUÇÃO E VALIDAÇÃO DE INTERVENÇÃO EDUCATIVA EM AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM SOBRE PREVENÇÃO E MANEJO DO PÉ DIABÉTICO PARA ENFERMEIROS DA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE
PALAVRAS-CHAVES: Diabetes mellitus; Pé diabético; Tecnologia educacional; Educação a distância; Atenção primária à saúde; Enfermagem
PÁGINAS: 184
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Enfermagem
RESUMO:

Introdução: o pé diabético é uma síndrome caracterizada pela presença de infecção, ulceração e/ou destruição de tecidos profundos associados às anormalidades neurológicas e à doença vascular periférica em pessoas acometidas pelo diabetes mellitus. A falta de capacitação e de  educação continuada, atreladas à indisponibilidade de instrumentos para avaliação adequada dos pés, são alguns dos entraves que dificultam a qualidade da assistência de enfermagem às pessoas com diabetes mellitus na Atenção Primária à Saúde. Assim, o Ambiente Virtual de Aprendizagem é um recurso da Educação a Distância importante para a educação continuada de profissionais. Objetivo: construir e validar intervenção educativa em ambiente virtual de aprendizagem sobre prevenção e manejo do pé diabético para enfermeiros da Atenção Primária à Saúde. Método: estudo multimétodos dividido em dois subestudos: revisão sistemática e metanálise e estudo metodológico. A revisão sistemática e metanálise foi elaborada segundo as recomendações da colaboração Cochrane e das diretrizes do Preferred Reporting Items for Systematic Review and Meta-Analysis Protocols. O levantamento bibliográfico foi realizado nas bases de dados MEDLINE via PubMed, CINAHL, Web of Science, Scopus, Embase, Central Cochrane, BDENF, índice bibliográfico LILACS, biblioteca eletrônica Scielo e na literatura cinza. A amostra foi constituída de 11 ensaios clínicos controlados randomizados. O risco de viés foi avaliado pela ferramenta Revised Cochrane risk-of-bias tool for randomized trials e a certeza da evidência pelo Grading of Recommendations Assessment, Development and Evalution. A síntese dos resultados foi realizada de forma descritiva e pela metanálise. O estudo metodológico para construção do ambiente virtual de aprendizagem seguiu as etapas adaptadas de Chee et al., (2014). A validação abordou os aspectos pedagógicos e a usabilidade, com peritos de Enfermagem em Estomaterapia e Informática, sendo selecionados 29 peritos de Enfermagem em Estomaterapia e cinco de Informática. A amostra foi por conveniência e obedeceu aos critérios de Fehring. Os dados foram coletados por meio de questionário sociodemográfico e profissional e dos instrumentos Learning Object Review Instrument e do Guia para análise do Design e Interface. Os dados foram analisados mediante estatística descritiva e inferencial. A concordância dos peritos foi definida por meio do percentual de concordância e do teste binomial. Esta pesquisa foi aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Piauí, com parecer n° 5.179.989, de 2021. Resultados: na revisão sistemática e metanálise, as tecnologias educativas predominantes foram os treinamentos e as orientações verbais, destacando-se as tecnologias leve-duras. Na comparação com o cuidado usual, as tecnologias educativas apresentaram fator de proteção para prevenção da incidência de úlcera diabética (RR=0,40; IC 95%=0,18-0,90; p=0,03) e a avaliação de certeza da evidência foi baixa. As tecnologias educativas também tiveram fator de proteção para prevenção da incidência de amputação em membros inferiores (RR=0,53; IC 95%=0,31-0,90; p=0,02) e a certeza da evidência foi muito baixa. O estudo metodológico foi realizado após a revisão sistemática e metanálise, sendo construído o ambiente virtual de aprendizagem Pé diabético.net, que foi elaborado em cinco módulos, com videoaulas expositivas e práticas, box saiba mais, fórum e quiz. Na validação pedagógica, a média total do percentual de concordância foi de 97%. A qualidade do conteúdo, o alinhamento de objetivos de aprendizagem, a motivação, utilização de interação e conformidade padrão apresentaram percentual de concordância de 100% pelos peritos (p<0,001). Na validação da usabilidade, 95% dos itens tiveram percentual de concordância de 100%. As recomendações dos peritos foram acatadas quase em totalidade. Conclusão: as tecnologias educativas leve-duras, como as orientações verbais estruturadas, jogos educativos, aula expositiva, treinamentos teórico-práticos, vídeo educativo, folder, álbum seriado e desenhos lúdicos, e as tecnologias duras, a exemplo do calçado terapêutico, palmilhas, termômetro digital de infravermelho, kits de cuidados com os pés, aplicativo de telemedicina e telefone móvel, foram efetivas para prevenção e tratamento da úlcera diabética, porém, estudos mais robustos são necessários. O ambiente virtual de aprendizagem Pé diabético.net foi considerado válido com elevado percentual de concordância entre os peritos e poderá ser uma ferramenta útil para a educação continuada de enfermeiros da Atenção Primária à Saúde.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 7422147 - LIDYA TOLSTENKO NOGUEIRA
Interno - 1792859 - ELAINE MARIA LEITE RANGEL ANDRADE
Interno - 1167764 - TELMA MARIA EVANGELISTA DE ARAUJO
Interno - 2334938 - ANA MARIA RIBEIRO DOS SANTOS
Interno - 2364966 - ROSILANE DE LIMA BRITO MAGALHAES
Externo à Instituição - PAULA CRISTINA NOGUEIRA - USP
Externo à Instituição - SANDRA MARINA GONÇALVES BEZERRA - UESPI
Notícia cadastrada em: 28/04/2023 14:29
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 23/05/2024 06:37