Notícias

Banca de DEFESA: MARIA KAROLAYNE DE ARAUJO PEREIRA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MARIA KAROLAYNE DE ARAUJO PEREIRA
DATA: 19/02/2024
HORA: 09:00
LOCAL: Sala PPGEnf
TÍTULO: TECNOLOGIAS EDUCACIONAIS PARA PROFISSIONAIS DA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE SOBRE PRESCRIÇÃO DE ANTIMICROBIANOS: REVISÃO SISTEMÁTICA
PALAVRAS-CHAVES: Resistência Microbiana a Medicamentos. Tecnologia Educacional. Atenção Primária à Saúde
PÁGINAS: 106
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Enfermagem
RESUMO:

Introdução: A resistência antimicrobiana é considerada um problema global de saúde pública que afeta a utilização dos antibióticos, além de ser responsável por consequências na segurança do paciente em todo o mundo. Esse problema vem ganhando grande destaque no âmbito da Atenção Primária à Saúde, uma vez que há um reconhecimento frente ao maior número de prescrição de antibióticos e o seu uso com base em conhecimentos empíricos da população. Diante disso é necessário a expansão do conhecimento em saúde, principalmente quando promovido por meios atrativos e de fácil acesso como as tecnologias educacionais. Objetivo: Analisar a efetividade das tecnologias educacionais na prescrição de antimicrobianos por profissionais da Atenção Primária à Saúde. Método: Trata-se de uma Revisão Sistemática da Literatura de estudos do tipo Ensaio Clínico Controlado Randomizado submetida a publicação do protocolo na plataforma International Prospective Register of Systematic Reviews (PROSPERO) da York University, com número de registro CRD42024504630. Para guiar a elaboração da pergunta de pesquisa foi utilizado o acrônimo PICOS, e delineado o problema de pesquisa: Qual a efetividade de tecnologias educacionais em comparação com nenhuma intervenção ou com intervenções baseadas em metodologias de ensino tradicionais utilizadas por profissionais na Atenção Primária à Saúde no uso de antimicrobianos? Adotou-se como critérios de inclusão: Profissionais de saúde, ensaio clínico com grupo intervenção com uso de tecnologias educacionais e grupo controle com prevenção padrão de saúde. Não serão adotadas restrições quanto ao idioma e ano de publicação. A pesquisa teve início em outubro de 2023. A coleta de dados aconteceu nas bases de dados: PubMed/MEDLINE, CINAHL (Cummulative Index to Nursing and Allied Health Literature), Embase, LILACS (Literatura Latino-americana e do Caribe em Ciências da Saúde), Biblioteca Virtual em Saúde (BVS), SCOPUS, Cochrane Library (The Cochrane Central Register of Controlled Trials - CENTRAL), Web of Science e ERIC (Educational Resources Information Center), Google Scholar, Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações (BDTD), Catálogo de Teses & Dissertações – Capes e Open Grey e ProQuest Dissertations and Theses (PQDT). Os dados dos estudos foram extraídos em ficha padronizada e a avaliação do risco de viés foi realizada pelo instrumento RoB 2. Resultados: Foram identificados 763 estudos, desses sete artigos foram selecionados para extração de dados e síntese qualitativa. Obteve-se um valor de κ=0,823 para o coeficiente Kappa na análise de concordância entre os avaliadores. As tecnologias educacionais encontradas estiveram relacionadas a livretos, seminários interativos, workshop, programas de treinamentos, cursos online e programas multifacetados. 85.7% dos estudos apresentaram um alto risco de viés, principalmente quando se referiu a “desvios das intervenções pretendidas”. Conclusão: Ao fornecer acesso rápido a informações atualizadas, promover a compreensão de conceitos complexos e facilitar a colaboração entre profissionais, as tecnologias educacionais se destacam como aliadas valiosas na busca pela redução do uso inadequado de antimicrobianos, com destaque para a prescrição adequada e na prevenção da resistência antimicrobiana. 


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1735254 - ANA LARISSA GOMES MACHADO
Presidente - 2792239 - ANDREIA RODRIGUES MOURA DA COSTA VALLE
Interno - 1581960 - DANIELA REIS JOAQUIM DE FREITAS
Externo à Instituição - DENISE DE ANDRADE - USP
Notícia cadastrada em: 09/02/2024 14:31
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 18/05/2024 20:10