Notícias

Banca de DEFESA: MICHELLE SANTOS MACEDO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MICHELLE SANTOS MACEDO
DATA: 27/03/2024
HORA: 15:00
LOCAL: Auditório PPGEnf
TÍTULO: PRÁTICA DE AUTOCUIDADO E FATORES ASSOCIADOS EM PESSOAS COM HANSENÍASE NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE
PALAVRAS-CHAVES: prática; autocuidado; hanseníase; atenção primária à saúde; enfermagem
PÁGINAS: 94
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Enfermagem
RESUMO:

INTRODUÇÃO: A hanseníase é uma doença dermatoneurológica que afeta primariamente os nervos periféricos e a pele, como também pode acometer outros órgãos de forma sistêmica, produzindo sequelas e incapacidades. OBJETIVO: analisar fatores associados à prática de autocuidado de pessoas com hanseníase na Atenção Primária à Saúde em um município do Piauí. MÉTODO: Estudo transversal desenvolvido nas Unidades Básicas de Saúde e Equipe de Saúde no Sistema Prisional de um município piauiense, com o universo de casos de hanseníase notificados no Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN), no período de janeiro de 2019 a dezembro de 2023 (N=133). A coleta de dados ocorreu de outubro a dezembro de 2023, por meio da aplicação de um formulário, previamente validado, bem como a partir de dados secundários obtidos do SINAN. Os dados foram analisados com o uso do software Statistical Package for Social Science (SPSS) versão 26.0. Na análise descritiva foram utilizadas distribuição de frequências e medidas de posição e dispersão. Para estudar a associação entre as variáveis categóricas e a variável dependente utilizou-se o teste quiquadrado com correção de Yates e exato de Fisher. No estudo das práticas de autocuidado, como variável resposta aplicou-se a análise de regressão logística, buscando explicar quais fatores estariam ligados à prática insatisfatória da população do estudo. Foram utilizados dois processos: o modelo logístico bivariado e o multivariado. O Oddis Ratio (OR) obtido foi ajustado para todas as variáveis analisadas no modelo bivariado, com significância fixada em 20%. No modelo multivariado, foram mantidas apenas as variáveis com valores de p iguais ou inferiores a 0,05. RESULTADOS: Predominou o sexo masculino (54,1%), faixa etária 20 a 59 anos (62,4%), casados (60,9%), com renda entre um a dois salários mínimos. A atitude frente ao cuidado foi positiva em 98,5% dos participantes. Na classificação das práticas de autocuidado dos três segmentos: face, mãos e pés, observou-se que em nenhum deles foi satisfatória. No cuidado da face apenas 4,5% foram satisfatórias, das mãos 12,8% e dos pés, 5,3%. As práticas insatisfatórias foram negativamente associadas com as úlceras plantares e palmares (ORa=0,90; p=0,05) e com a presença de neurites (ORa=0,41; p= 0,04). CONCLUSÃO: Observou-se dissonância entre a atitude e a prática de autocuidado dos participantes do estudo, com atitudes positivas e práticas insatisfatórias. Tomando-se o autocuidado em hanseníase como essencial à prevenção de sequelas e outros transtornos, considera-se a necessidade dos profissionais de saúde desenvolverem orientações contínuas e sistemáticas bem como mecanismo de monitoramento do autocuidado para pessoas com hanseníase, com vistas à melhoria da qualidade de vida.  


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1167764 - TELMA MARIA EVANGELISTA DE ARAUJO
Interno - 7422147 - LIDYA TOLSTENKO NOGUEIRA
Externo ao Programa - 2583935 - OLIVIA DIAS DE ARAUJO
Externo à Instituição - CLODIS MARIA TAVARES - UFAL
Notícia cadastrada em: 19/03/2024 09:35
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb04.ufpi.br.sigaa 26/05/2024 03:00