Notícias

Banca de DEFESA: KARINNA ALVES AMORIM DE SOUSA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: KARINNA ALVES AMORIM DE SOUSA
DATA: 26/02/2015
HORA: 08:30
LOCAL: Auditório do PPGEnf
TÍTULO:

PREVALÊNCIA DO HIV E FATORES ASSOCIADOS EM INTERNOS DO SISTEMA PRISIONAL DO PIAUÍ


PALAVRAS-CHAVES:

HIV, Prevalência, Prisões, Enfermagem


PÁGINAS: 101
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Enfermagem
RESUMO:

A infecção pelo HIV concretiza-se como grande problema de Saúde Pública. O Ministério da

Saúde estima aproximadamente 734 mil pessoas vivendo com HIV/Aids no Brasil. A OMS

define populações-chave os segmentos populacionais que devido adoção de comportamentos

que conferem alto risco específicos, possuem maiores chances de infecção pelo HIV. Dentre

as populações específicas, destaca-se a população privada de liberdade, pois o confinamento

estimula práticas que aumentam o risco de transmissão de doenças infecciosas. Esta pesquisa

tem como objetivo: Analisar a prevalência da infecção pelo HIV e fatores associados em

internos de presídios do Estado do Piauí. Trata-se de um estudo epidemiológico do tipo

transversal, desenvolvido com 2.131 presidiários do Piauí. A coleta de dados foi realizada nos

meses de novembro/2013 a maio/2014, por meio da aplicação de formulário pré-testado e

realização de teste rápido para diagnóstico do HIV. Os dados foram digitados e analisados

com a utilização do software SPSS versão 19.0. Foram realizadas análises univariadas, por

meio de estatísticas descritivas simples. Na estatística inferencial foram aplicados testes de

hipóteses bivariados e multivariados, com a utilização de regressão logística simples (Oddis

ratio não ajustado) e múltipla (Oddis ratio ajustado). O nível de significância foi fixado em

p≤0,05. Os resultados foram: 2.131 presidiários participaram do estudo, 1.116 (52,4%) eram

residentes do interior do Estado, 1.037 (48,6%) estavam na faixa etária de 23 a 32 anos, 1.977

(92,8%) eram do sexo masculino e 1.342 (63,0%) referiram escolaridade compatível com

ensino fundamental incompleto, 1.312 (61,6%) se declararam pardos, 1.235 (58,0) em

situação conjugal solteiros/separados/viúvos e 793 (37,2%) sem renda pessoal. Quanto a

prevalência do HIV foi de 1,0% (IC95% = 0,6-1,4). Houve associação estatisticamente

significativa entre o HIV positivo e as variáveis: uso de drogas ilícitas, ter prática sexual com

parceiros do mesmo sexo, selecionar parceiros por atributos físicos, não usar preservativo por

não sempre dispor e praticar sexo por via vaginal. Permaneceram estatisticamente associadas

após analise multivariada: prática sexual com parceiros do mesmo sexo (p=0,05), seleção de

parceiros por atributos físicos (p=0,04) e prática de sexo por via vaginal (p<0,01). Os

resultados desta pesquisa evidenciam a necessidade de ações públicas de saúde, incluindo

articulação entre esferas governamentais e entre gestão da saúde e da justiça, para elaborar

estratégias de modo a contemplar a demanda de saúde dos internos do Sistema Prisional do

Estado. Faz-se oportuna a ampliação de ações relacionadas ao diagnostico do HIV na

admissão e rotina, atividades contínuas de educação em saúde, capacitação dos profissionais

de saúde que compõem a equipe da justiça para fortalecer a promoção da saúde, prevenção e

controle das DST/HIV/Aids.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1792859 - ELAINE MARIA LEITE RANGEL ANDRADE
Interno - 6422171 - INEZ SAMPAIO NERY
Externo à Instituição - SHEILA ARÚJO TELES - UFG
Presidente - 1167764 - TELMA MARIA EVANGELISTA DE ARAUJO
Notícia cadastrada em: 06/02/2015 16:03
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb04.ufpi.br.instancia1 30/09/2022 10:11