Notícias

Mortalidade materna é pauta de webnário

Questões relativas à mortalidade materna serão discutidas em evento realizado pelo Núcleo de Estudos, Pesquisa e Extensão em Educação Permanente para o SUS (NUEPES) da UFPI em parceria com a Universidade Aberta do SUS (Una-SUS/UFPI) e a Secretaria de Estado da Saúde (SESAPI),  no próximo dia 27 de janeiro, no canal da UFPITV, no YouTube.

 

Uma equipe de pesquisadores e representantes da área de saúde vão se reunir para debater, estratégias para reduzir a mortalidade materna, no evento intitulado de “Webinário Estratégias para Prevenção da Mortalidade Materna”, que será teletransmitido por plataforma on-line, com início às 09h30minh e encerramento às 16h30minh.


Inscrições aqui. 


Participarão do webnário pesquisadores e representantes que atuam na área da saúde, secretários de saúde, diretores, profissionais de saúde e demais interessados. 

Um dos temas que será discutido são as estratégias para prevenção da mortalidade materna, que será abordado pela médica Dra. Regina Amélia L. P. de Aguiar, com experiência na área de Medicina, com ênfase em Saúde Materno-Infantil, atuando principalmente nos seguintes temas: gestação de alto risco, genética clínica, doença falciforme, ultrassonografia doppler em cores.

Também estará em debate a mortalidade materna no Piauí, que será apresentado pela Coordenadora de Saúde da Mulher do Estado do Piauí, Maria Auzeni de Moura Fé.

“O objetivo do webnário é capacitar os novos gestores de saúde dos municípios do Piauí, afim de orientá-los sobre causas, os fatores determinantes, assim como discutir sobre estratégias de qualificação dos recursos humanos, criação e importância dos comitês municipais de mortalidade materna para  investigar os óbitos, fatores determinantes e propor medidas de intervenção”.

Auzeni explica ainda que, para reduzir a mortalidade materna requer uma atualização contínua e conjunta, como estratégias que fortalecam do trabalho dos profissionais de saúde.  A coordenadora de saúde da mulher do Piauí, diz que a formação e qualificação são importantes para que os novos profissionais compreendam a importância de melhorar a qualidade da assistência ao pré-natal desde a captação de informações, passando pela estratificação e manejos das gestantes em idade fértil, para assim, se reduzir a mortalidade materna.

Notícia cadastrada em: 27/01/2021 07:34
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 28/07/2021 21:20